Você está na página 1de 10

This text was translated from Portuguese to English by Google Translate

IMORAL Public Consultation - Central Bank of Brazil - Notice 70/2019

I am announcing, my, daring, participation in the Public Consultation of the


Central Bank - Notice 70/2019, https://www3.bcb.gov.br/audpub/AudienciasAtivas?2,
which states:

"Discloses a proposal for a circular that provides for the internal policies,
procedures and controls to be adopted by the institutions authorized to operate by
the Central Bank of Brazil with a view to preventing the use of the financial system
for the practice of crimes of "laundering" or concealment of assets, rights and
values, provided for in Law No. 9,613 of March 3, 1998, and the financing of
terrorism, which is dealt with in Law 13,260 of March 16, 2016".

That, empirically, I interpret in a simple way, as the TRANSFER, in essence, of the


Attributions and Responsibilities of the Brazilian State, now carried out through the
Central Bank of Brazil, in order to at least comply with the "Basiléia Accords" FOR THE
Financial Institutions that soud be Controlled, as to, among other things, possible
"money laundering" schemes, which have the premise of LEGALIZING Financial
Resources of Illicit Origin, which specifically allows and facilitates proliferation
unpunished, of the most varied CRIMES.

Something that reminds me of the various examples, World Apart, including Brazil,
of "Lesivo", "Criminoso" behavior of Financial Institutions, as well as reminds me that
the "2008 North American Crisis" PATENT, of CLARA, the importance of the
Normatizar State, and Control, ALL Financial System, the first reason of the "Basiléia
Accords".

Therefore, this "Public Consultation" has to be at the core of the FAILURE to


attribute to Us, Mortal Poor, COMMON Brazilian Citizens, the Responsibility, through
OPTIONAL participation, to give "Ares of Legitimacy", the SO MISCELLANEOUS
proposal.

Mainly because in the Federative Republic of Brazil, Law No. 4,595,


DECEMBER 31, 1964, CHAPTER III, Article 18, § 2º, Determines that the Central Bank
of Brazil, in the exercise of supervision, will regulate the conditions of competition,
COUNTING THEM ABUSES.

I present the partial reproduction of LAW No. 4,595, DECEMBER 31, 1964,
Provides for Monetary, Banking and Credit Policy and Institutions, creates the National
Monetary Council and provides other measures, CHAPTER III - THE CENTRAL BANK OF
THE REPUBLIC OF BRAZIL, Art. 18 - Financial institutions may only operate in the
Country upon the prior authorization of the Central Bank of Brazil or Executive Decree,
when they are foreign, § 2º - The Central Bank of Brazil The Republic of Brazil, in the
exercise of its supervision, shall regulate the conditions of competition between
financial institutions, and shall abide by the abuses with the application of the penalty
(VETOED) under the terms of this law.

Of course, the Central Bank of Brazil, over the last few decades, has been acting
"distant" away from its Assignments and Responsibilities, since in this period it has been
"Administered" by ASSECLAS involved with "monetizationMONETIZATION”, without any
concern with the Brazilian Macroeconomic Situation, if it were not so, would not have
occurred, for example, the Fraudulent Bankruptcy of so many Banks in the National
Financial System, before and after the "PROER" (an artifice used by fhc (fernando
henrique cardoso) to Internationalize the Brazilian Financial System, since, the Ordinary
Law that should complement Art. 172 of the Federal Constitution, in all its proposals
PRECLUDE said internationalization), when then, I would like to point out the concrete
fact that for the Central Bank of Brazil, with a SELIC below 10% pa, there is NO ABUSE,
when the Credit Financial Institutions ACT with Interest around 300% pa, this is, the
"BANK SPREED" must be compatible with the GREAT volume of DEFAULT, as if the
above-mentioned DEFAULT was not a DIRECT REFLECTION of the Extorting Interest,
possibly typifiable as "Agiotage Crime", with the refinement of INSTITUTIONAL BEING.

While the Industry STRUGGLES DESPERATELY to produce, for example, 1 (one)


Refrigerator, the Brazilian Financial System, GUARANTEES to the Bankers, with the
IMORAL goodwill, of the Central Bank of Brazil, in a period of 12 months, the
PAYMENT by the Funded Party of at least 4 (four) Refrigerators, without the Concerns,
without the Responsibilities, of those who PRODUCE, which are often also VICTIMS, of
the same Extorting Interest.

As discussed above, our filing on February 28, 2919 at 3:45:07 PM, presented the
following argument: The Market is not ENABLE to perform AUDIT, as evidenced by the
North American Government in the "North Crisis American 2008" in essence,
DISHONEST. It is incumbent upon the State to Regulate, and Supervise, ALL the
procedures related to the possible identifications of "Money Laundering", therefore,
is INADMISSIBLE, it is UNACCEPTABLE that all or part of the INSTITUTIONAL TASKS
be transferred, under the responsibility of the Central Bank of Brazil, especially those
that corroborate, and give substance to, the "Basiléia Accord", which, in effect, is an
outgrowth of the "2008 North American Crisis". After all, Private Companies /
Institutions ACT in accordance with the maxim "PROFIT AT ANY COST", see what
happened in Mariana and Sobradinho.
Erratum: Sobradinho é Brumadinho.

And the Attachments below:

•The document "Why Silvio Santos paid for the frauds occurred in Banco
PanAmericano.pdf", with the description "Questioning the FRAGILE Inspection
of the BCB", https://pt.scribd.com/document/119581564/Por-Que-Silvio-Santos-Pagou-
Pelas-Fraudes-Ocorridas-No-Banco-PanAmericano.

•The document "Being that Marcelo pays IRPF as a Brazilian citizen


COMUM.pdf", with the description "Another Questioning of the FRPAGIL
Fiscalization of the BCB", https://pt.scribd.com/document/334939943/Sera-Que-
Marcelo-Paga-IRPF-Como-Um-Cidadao-Brasileiro-COMUM.

I present below data obtained from reliable sites that support the empirically
presented that the Brazilian Central Bank, which is still NOT AUTONOMOUS, even
though it has been "administered" by ASSECLAS of "RENTISM", mainly International,
contrary to what is determined by the abovementioned Law, DOES NOT
RECOGNIZE ANY TYPE OF ABUSE, in a Country where SELIC - Special System for
Settlement and Custody, which is the interest rate of the Brazilian economy, used in
the interbank market to finance operations with daily duration, backed by federal
government bonds, which in the period from 02/08/2018 until 03/21/2018, is 6.65%
pa, https://www.bcb.gov.br/acessoinformacao/legado?url=https:%2F
%2Fwww.bcb.gov.br%2FPec%2FCopom%2FPort%2FtaxaSelic.asp, as well as that the
highest IPC - consumer price index in 2018 was the comparison between
October 2018 and October 2017 , which was 4.56% pa,
https://www.google.com/search?ei=7WF9XMfTKcPV5OUPmL2Y8AI&q=infla
%C3%A7%C3%A3o+hist%C3%B3rica&oq=infla%C3%A7%C3%A3o+hist
%C3%B3rica&gs_l=psy-
ab.3..0l3j0i22i30l3.2711.9428..9661...1.0..0.307.3961.0j9j8j2......0....1..gws-
wiz.......0i71j0i67j0i131j0i10.o8EbV9ocPFY, as well as, that the variation of Interest
Rate Individuals - Special Check in the period from 02/11/2019 to 02/15/2019 may
vary from 7.78% pa. in the Institution BCO CCB BRASIL S.A to 514.30% a.a. in the
Institution BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A.,
https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?path=conteudo%2Ftxcred
%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa
%20F%C3%ADsica%20-%20Cheque
%20especial&parametros=tipopessoa:1;modalidade:216;encargo:101&exibeparame
tros=false&exibe_paginacao=false, as well as, that the variation of Interest Rate
Individuals - Revolving credit card in the period from 02/11/2019 to 02/15/2019 may
vary from 51.05% pa. in the CARUANA SCFI Institution to 662.66% pa. in the
institution BCO TRIANGULO S.A. https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?
path=conteudo%2Ftxcred%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-
porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa%20F%C3%ADsica%20-%20Cart%C3%A3o
%20de%20cr%C3%A9dito
%20rotativo&parametros=tipopessoa:1;modalidade:204;encargo:101&exibeparamet
ros=false&exibe_paginacao=false, as well as, that the variation of Individuals - Credit
Card installments in the period from 02/11/2019 to 02/15/2019 may vary from
43.05% pa. FACTA S.A. CFI to 642.72% pa. in the institution BCO BMG S.A.
https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?path=conteudo%2Ftxcred
%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa
%20F%C3%ADsica%20-%20Cart%C3%A3o%20de%20cr%C3%A9dito
%20parcelado&parametros=tipopessoa:1;modalidade:215;encargo:101&exibeparam
etros=false&exibe_paginacao=false, as well as, that the variation of Individuals -
Personal credit not recorded in the period from 02/11/2019 to 02/15/2019 may vary
from 18.31% pa. in the Institution BCO SAFRA S.A. to 1,649.66% a.a. in the institution
JBCRED S.A. SCFI https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?
path=conteudo%2Ftxcred%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-
porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa%20F%C3%ADsica%20-%20Cr%C3%A9dito
%20pessoal%20n%C3%A3o
%20consignado&parametros=tipopessoa:1;modalidade:221;encargo:101&exibepara
metros=false&exibe_paginacao=false.

This Participation, also, has the CONDOM, to present reasonably, my opinion that
the Central Bank of Brazil, under no circumstances, may have, some day,
AUTONOMY, since, despite ALL of the current Legislation, it has been used, as an
Auxiliary Instrument of the "Businessman's Bag", those Economic Measures that only
BENEFIT Entrepreneurs, although restricted to the Financial Institutions that operate in
Brazil.

I must declare my discredit, as to the effectiveness of the Public Consultations


carried out by the Central Bank of Brazil, since my participation in Public Consultation
035/2010, whose description is:

"Discloses draft resolution that establishes criteria for the remuneration policy of
administrators and employees of financial institutions and other institutions
authorized to operate by the Central Bank."
Our participation, sent on 03/22/2010 at 03:09:21 pm, presented the following
argument, with reproduction available on the website of the Central Bank of Brazil, which
is partial:

"Dear, Whenever we speak of remuneration, we can not fail to recognize that the
differences between the various positions are based on their respective
Responsibilities, Qualifications, therefore, we must never fail to understand that this
compensation intrinsically presents its own FAIR remuneration. Therefore, any
additional remuneration, which represents a bonus, a premium, must take into
account the context that the original success is the result of a Group, that is, of the
Team, which is not only composed of Administrators and / or Managers.These few
words attempt to bring to the point, a simple fact, but which is of outstanding
relevance, that is, without the commitment of at least 90% of the WHOLE Functional
Framework, hardly any success can be achieved. Therefore, any awards MUST be
based on FAIR, EQUALITY criteria, where the success of EVERYONE must
PROVIDE EVERYONE with an equitable share of the Prize. Therefore, in my
understanding, ...”.

The aforementioned discredit is not related to the acceptance or not of my


proposal, but to the concrete fact that the President of the Central Bank of Brazil,
when specifying the criteria for remuneration of Profit Sharing, has exorbitant its
Authority, FLEXIBILIZING, for the benefit of the Administrators of Financial Institutions,
what DETERMINES the Law of Corporation.

This situation becomes significant, when we question, the Central Bank of Brazil,
which, when it manifests itself, is attributed to the Authority to DO it, therefore, fulfilled
the determination, coming from the "Basiléia Accords", even that Financial Institutions
being Societies Anonymous, were not OBLIGED to Respect the Law of Corporations.

This is why I present the document "Suggestion Public Hearing Bank",


https://pt.scribd.com/document/28798923/Sugestao-Audiencia-Publica-Banco-
entral, where we are suggesting to the Central Bank of Brazil, in function of Public
Hearing, to equalize the award criteria among ALL the Functional Segments of the
Brazilian Banking System, in such a way, that any Award is EQUALLY SUFFERED
between the FUNCTIONAL BODY, once that the Monthly Compensation is intrinsically the
FAIR Counterpart for the Responsibility and Qualification inherent to any function, being
managerial or not.

This is why I submit the document "Questioning about Resolution No. 3.921 of
25-11-2010", https://pt.scribd.com/document/50491784/Questionamento-sobre-a-
Resolucao-n%C2%BA-3-921-de-25-11-2010, where we are requesting clarifications from
the President of the Central Bank of Brazil, regarding the inconsistencies existing in
Resolution No. 3,921 and Law No. 6,404, since we believe that the Law is broader and
clearer than specified in the Resolution, we emphasize that a Resolution does not have
the power to RESTRICT any Law in force.

That is why I am presenting the document "Central Bank of Brazil - Almost One
Inspector", https://pt.scribd.com/document/33943697/Banco-Central-Do-Brasil-
Quase-Um-Fiscalizador, where we are acknowledging that the Central Bank of Brazil,
only and only, bureaucratized its SUPERVISOR function, so that it will only act when ALL
THE EFFORTS made by the Consumer become INFRUTED. At that time, I would like to
point out that this situation is treated in the same way when a complaint has a complaint
against a POSITION related to COLLECTIVITY.
This is why I present the document "Basiléia, Other, Concrete, Brazilian
Hypocrisy", https://pt.scribd.com/document/334110361/Basileia-Outro-Concreto-da-
HIPOCRISIA-Brasileira, where we are, empirically, trying to evaluate the AMORAL
context, consistent, existing, and persistent, in the four Institutional Powers of the
"Republic of Bananas" presided over by a "Zé NINGUÉM Golpista", based on an
"Illegitimate Golpist Congress" blessed by a "Judiciary that Persecutes, and Protects,
Politically", supervised by a "Blind Public Prosecution of an Eye, and Deaf of an Ear"
(which acts in a single direction), which is why, Brazil, has become, in the only and only,
"NOTHING", that there it is, which explains that the Brazilian Society is HARASSED, and
ASHAMED, daily, in such a way, to be possible, even if unfairly, to nick it as a Society of
Ignorants, and a Society of the Injured, a Society of Barbarians, perhaps a Society of the
Cruel. Therefore, for some who, not I, in the "Republic of Bananas", in spite of the well-
known Basel Accord, CORRUPT, can manage, freely TRANSFER ASTRONOMIC
amounts, without any Financial Institution having, in any way, participated in, so SURREAL
SITUATION, where the certainty that the sending of monetary resources, has only been
possible, using, for example, "UNDERPANTS”.

Regards,
Plinio Marcos Moreira da Rocha
Rua Gustavo Sampaio nº112 apto. 603 – LEME – Rio de Janeiro – RJ
CEP – 22.010-010
Tel. (Cel) 9 8618-3350
I think, not only I exist, I MAKE THIS
A Sexagenarian with the nature of a revolutionary young man in love with
EVERYTHING that gets involved, therefore, has the Responsible Care in
CHANGING Concepts and Values.
A Despreocupação Responsável em MUDAR Conceitos e Valores
La leggerezza responsabile di MODIFICARE Concetti e Valori
Die Nachlässige verantwortlich zu ändern Konzepte und Werte
Descuidos a la Responsable de CAMBIAR conceptos y valores
De onzorgvuldige Verantwoordelijke VERANDERING van concepten en Waarden
The Responsible Easiness in CHANGING Concepts and Values
Le négligent responsable de changement Concepts et valeurs
‫إن إهمال المسؤولين إلى تغيير المفاهيم والقيم‬
不注意な変更概念と値に責任
Original TEXT

IMORAL Consulta Pública – Banco Central do Brasil – Edital 70/2019

Estou divulgando, minha, ousada, participação na Consulta Pública do Banco


Central - Edital 70/2019, https://www3.bcb.gov.br/audpub/AudienciasAtivas?2, onde
consta:

“Divulga proposta de circular que dispõe sobre a política, os procedimentos e os


controles internos a serem adotados pelas instituições autorizadas a funcionar pelo
Banco Central do Brasil visando à prevenção da utilização do sistema financeiro
para a prática dos crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores,
previstos na Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, e de financiamento do
terrorismo, de que trata a Lei nº 13.260, de 16 de março de 2016”.

Que, empiricamente, interpreto de forma simplória, como a TRANSFERÊNCIA, em


essência, das Atribuições, e Responsabilidades, do Estado Brasileiro, hoje efetuadas
através do Banco Central do Brasil, com o objetivo de, no mínimo, atender aos
“Acordos da Basiléia”, PARA AS Instituições Financeiras que devem ser Fiscalizadas,
quanto a, entre outras coisas, possíveis “esquemas” de “lavagem de dinheiro”, que tem
como premissa LEGALIZAR Recursos Funanceiros de Origem Ilícita, que,
concretamente, permite, e facilita, a proliferação impune, dos mais variados CRIMES.

Algo, que me lembrar dos vários exemplos, Mundo Afora, incluso o Brasil, de
comportamento “Lesivo”, “Criminoso”, de Instituições Financeiras, bem como, me faz
lembrar que a “Crise Norte Americana de 2008”, tipificou de forma PATENTE, de forma
CLARA, a importância do Estado Normatizar, e Fiscalizar, TODO o Sistema
Financeiro, razão primeira dos “Acordos da Basiléia”.

Logo, esta “Consulta Pública”, tem em ser cerne, a DESFAÇATEZ de atribuir a


NÓS, Pobres Mortais, Cidadãos Brasileiros COMUNS, a Responsabilidade, através de
participação OPCIONAL, dar “Ares de Legitimidade”, a tão DESAVERGONHADA
proposta.

Principalmente, porque na República Federativa do Brasil, a LEI Nº 4.595, DE 31


DE DEZEMBRO DE 1964, CAPÍTULO III, Art. 18, § 2º, Determina que o Banco
Central do Brasil, no exercício da fiscalização, regulará as condições de concorrências,
COIBINDO LHES OS ABUSOS.

Apresento a reprodução parcial da LEI Nº 4.595, DE 31 DE DEZEMBRO DE 1964,


Dispõe sobre a Política e as Instituições Monetárias, Bancárias e Creditícias, cria o
Conselho Monetário Nacional e dá outras providências, CAPÍTULO III - DO BANCO
CENTRAL DA REPÚBLICA DO BRASIL, Art. 18 - As instituições financeiras somente
poderão funcionar no País mediante prévia autorização do Banco Central da República do
Brasil ou decreto do Poder Executivo, quando forem estrangeiras, § 2º - O Banco Central
da República do Brasil, no exercício da fiscalização que lhe compete, regulará as
condições de concorrência entre instituições financeiras, coibindo lhes os abusos
com a aplicação da pena (VETADO) nos termos desta lei.

Claro esta que o Banco Central do Brasil, ao longo das últimas décadas, vem
atuando “ao largo”, distante, de suas Atribuições, e Responsabilidades, uma vez que,
neste período, vem sendo “Administrado” por Banqueiros envolvidos com o
“RENTISMO”, sem qualquer preocupação com a Situação Macro Econômica
Brasileira, se assim não fosse, não teriam ocorridos, por exemplo, a Falência
Fraudulenta de tantos Bancos no Sistema Financeiro Nacional, antes, e depois, do
“PROER” (artifício utilizado por fhc (fernando henrique cardoso) para
Internacionalizar o Sistema Financeiro Brasileiro, uma vez que, a Lei Ordinária que
deveria complementar o Art. 172 da Constituição Federal, em todas as suas propostas
IMPEDIA a citada Internacionalização), quando então, faço questão de ressaltar o fato,
concreto, de que para o Banco Central do Brasil, com uma SELIC abaixo de 10%a.a.,
NÃO EXISTE QUALQUER ABUSO, quando as Instituições Financeiras de Crédito,
ATUAM com Juros em torno de 300% a.a., isto é, o “SPREED BANCÁRIO” tem que ser
compatível ao GRANDE volume de INADIMPLÊNCIA, como se a citada
INADIMPLÊNCIA não fosse REFLEXO DIRETO dos Juros Extorçantes, possivelmente
tipificáveis como “Crime de Agiotagem”, com o requinte de SER INSTITUCIONAL.

Enquanto a Indústria LUTA DESESPERADAMENTE para produzir, por exemplo, 1


(uma) Geladeira, o Sistema Financeiro Brasileiro, GARANTE aos Banqueiros, com o
beneplácido IMORAL, do Banco Central do Brasil, em um prazo de 12 meses, o
PAGAMENTO pelo Financiado, de no mínimo, de 4 (quatro) Geladeiras, sem as
Preocupações, sem as Responsabilidades, daqueles que PRODUZEM, que muitas
vezes, também são VÍTIMAS, destes mesmos Juros Estorçantes.

Por exposto acima, nossa particiapação, com enviada em 28/02/2019 às


15:45:07 horas, apresentou a seguinte argumentação: O Mercado não esta APTO a
efetuar FISCALIZAÇÃO, como pôde ser comprovado pelo Governo Norte Americano
quando da "Crise Norte Americana de 2008", em essência, FRAUDULENTA. Cabe ao
Estado Normatizar, e Fiscalizar, TODOS os procedimentos relacionados à possíveis
identificações de "Lavagem de Dinheiro", portanto, é INADMISSÍVEL, é INACEITÁVEL
que sejam transferidas Todas, ou em parte, as ATRIBUIÇÕES INSTITUCIONAIS, sob
Responsabilidade do Banco Central do Brasil, principalmente, as que corroboram, e
dão substância, ao "Acordo de Basiléia", que, efetivamente, é um Desdobramento da
"Crise Norte Americana de 2008". Afinal, as Empresas/Instituições Privadas ATUAM
em conformidade com a máxima "LUCRO A QUALQUER CUSTO", vide o ocorrido em
Mariana e Sobradinho.
Errata: Sobradinho é Brumadinho.

E os Anexos abaixo:

◦O documento “Por que Silvio Santos pagou pelas Fraudes ocorridas no


Banco PanAmericano.pdf”, com a descrição “Questionamento da FRÁGIL
Fiscalização do BCB”, https://pt.scribd.com/document/119581564/Por-Que-
Silvio-Santos-Pagou-Pelas-Fraudes-Ocorridas-No-Banco-PanAmericano.

◦O documento “Ser que Marcelo paga IRPF como um Cidado Brasileiro


COMUM.pdf”, com a descrição “Outro Questionamento da FRpAGIL
Fiscalização do BCB”, https://pt.scribd.com/document/334939943/Sera-Que-
Marcelo-Paga-IRPF-Como-Um-Cidadao-Brasileiro-COMUM.

Apresento abaixo dados, obtidos, de sites confiáveis, que dão sustentação ao,
empiricamente, apresentado de que o Banco Central do Brasil, que ainda HOJE, NÃO
É AUTONOMO, muito embora venha sendo “administrado” por ASSECLAS do
“RENTISMO”, principalmente Internacional, contrariando o determinado pela Lei
acima citada, NÃO RECONHECE QUALQUER TIPO DE ABUSO, num País onde a
SELIC - Sistema Especial de Liquidação e Custódia, que é taxa de juros da
economia no Brasil, utilizada no mercado interbancário para financiamento de
operações com duração diária, lastreadas em títulos públicos federais, que no
período de 08/02/2018 até 21/03/2018 , seja de 6,65% a.a.,
https://www.bcb.gov.br/acessoinformacao/legado?url=https:%2F
%2Fwww.bcb.gov.br%2FPec%2FCopom%2FPort%2FtaxaSelic.asp, bem como, que o
maior IPC – Índices de Preços ao Consumidor, ocorrido em 2018, foi o
comparado entre Outubro de 2018 e Outubro de 2017 que foi de 4,56%
a.a., https://www.google.com/search?ei=7WF9XMfTKcPV5OUPmL2Y8AI&q=infla
%C3%A7%C3%A3o+hist%C3%B3rica&oq=infla%C3%A7%C3%A3o+hist
%C3%B3rica&gs_l=psy-
ab.3..0l3j0i22i30l3.2711.9428..9661...1.0..0.307.3961.0j9j8j2......0....1..gws-
wiz.......0i71j0i67j0i131j0i10.o8EbV9ocPFY, bem como, que a variação de Taxa de
Juros Pessoa Física – Cheque Especial no período de 11/02/2019 à 15/02/2019 possa
variar de 7,78% a.a. na Instituição BCO CCB BRASIL S.A para 514,30% a.a. na
Instituição BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A.,
https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?path=conteudo%2Ftxcred
%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa
%20F%C3%ADsica%20-%20Cheque
%20especial&parametros=tipopessoa:1;modalidade:216;encargo:101&exibeparame
tros=false&exibe_paginacao=false, bem como, que a variação de Taxa de Juros
Pessoa Física - Cartão de crédito rotativo no período de 11/02/2019 à 15/02/2019
possa variar de 51,05%a.a. na Instituição CARUANA SCFI para 662,66%a.a. na
instituição BCO TRIANGULO S.A. https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?
path=conteudo%2Ftxcred%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-
porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa%20F%C3%ADsica%20-%20Cart%C3%A3o
%20de%20cr%C3%A9dito
%20rotativo&parametros=tipopessoa:1;modalidade:204;encargo:101&exibeparamet
ros=false&exibe_paginacao=false, bem como, que a variação de Pessoa Física -
Cartão de crédito parcelado no período de 11/02/2019 à 15/02/2019 possa variar de
43,05%a.a. na Instituição FACTA S.A. CFI para 642,72%a.a. na instituição BCO
BMG S.A. https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?path=conteudo
%2Ftxcred%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-
porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa%20F%C3%ADsica%20-%20Cart%C3%A3o
%20de%20cr%C3%A9dito
%20parcelado&parametros=tipopessoa:1;modalidade:215;encargo:101&exibeparam
etros=false&exibe_paginacao=false, bem como, que a variação de Pessoa Física -
Crédito pessoal não consignado no período de 11/02/2019 à 15/02/2019 possa
variar de 18,31%a.a. na Instituição BCO SAFRA S.A. para 1.649,66%a.a. na
instituição JBCRED S.A. SCFI https://www.bcb.gov.br/estatisticas/reporttxjuros/?
path=conteudo%2Ftxcred%2FReports%2FTaxasCredito-Consolidadas-
porTaxasAnuais.rdl&nome=Pessoa%20F%C3%ADsica%20-%20Cr%C3%A9dito
%20pessoal%20n%C3%A3o
%20consignado&parametros=tipopessoa:1;modalidade:221;encargo:101&exibepara
metros=false&exibe_paginacao=false.

Esta Participação, também, tem o CONDÃO, de apresentar razoavelmente, minha


opinião de que o Banco Central do Brasil, em hipótese alguma, poderá ter, algum dia,
AUTONOMIA, pois, tem sido, apesar de TODA a Legislação Vigente, utilizado, como
um Instrumento Auxiliar da “Bolsa Empresário”, aquelas Medidas Econômicas que
somente BENEFICIAM os Empresários, embora restrita às Instituições Financeiras
que atuam no Brasil.

Devo declarar, desde já, meu descrédito, quanto a eficácia das Consultas
Públicas, realizadas pelo Banco Central do Brasil, uma vez que, minha participação na
Consulta Pública 035/2010, cuja descrição é :
“Divulga minuta de resolução que estabelece critérios para política de remuneração
de administradores e empregados das instituições financeiras e demais instituições
autorizadas a funcionar pelo Banco Central.”

Nossa participação, com enviada em 22/03/2010 às 15:09:21 horas, apresentou


a seguinte argumentação, com reprodução disponível no site do Banco Central do Brasil,
que é parcial :

“Prezados, Sempre que falarmos em remuneração, não podemos deixar de


reconhecer que as diferenças existentes entre os diversos cargos, estão calcadas
nas suas respectivas Responsabilidades, Qualificações, portanto, nunca devemos
deixar de entender que esta remuneração intrinsecamente apresenta a própria
remuneração JUSTA. Logo, qualquer remuneração adicional, que represente um
bônus, um prêmio, tem que levar em consideração o contexto de que o sucesso
originário, é fruto de um Grupo, isto é, da Equipe, que não é composta somente por
Administradores e/ou Gestores; Estas poucas palavras tentam trazer à questão, um
fato simples, mas que é de gritante relevância, isto é, sem o comprometimento de
pelo menos 90% do TODO o Quadro Funcional, dificilmente qualquer sucesso
poderá ser alcançado. Logo, qualquer premiação DEVE ter como premissa base
critérios JUSTOS, IGUALITÁRIOS, onde o sucesso de TODOS deve PROVER a
TODOS uma parcela equitativa do Prêmio. Portanto, em meu entendimento...”.

O mencionado descrédito, não esta relacionado, a aceitação, ou não, de minha


proposta, mas, ao fato, concreto, de que o Presidente do Banco Central do Brasil, ao
especificar os critérios de remuneração de Particiação nos Lucros, exorbitou sua
Autoridade, FLEXIBILIZANDO, em benefício dos Administradores de Instituições
Financeiras, o que DETERMINA a Lei de Sociedade Anônima.

Esta situação toma vulto, quando, questionamos, o Banco Central do Brasil,


que ao se manifestar, atribui-se a Autoridade de FAZÊ-LO, pois, cumpria determinação,
oriunda dos “Acordos da Basiléia”, mesmo, que Instituições Financeiras sendo
Sociedades Anônimas, não ficassem OBRIGADAS a Respeitar a Legislação das
Sociedades Anônimas.

Razão pela qual apresento o documento “Sugestão Audiência Pública Banco


entral”, https://pt.scribd.com/document/28798923/Sugestao-Audiencia-Publica-
Banco-entral, onde estamos sugerindo ao Banco Central do Brasil, em função de
Audiência Pública, que equalize os critérios de premiação entre TODOS os Segmentos
Funcionais do Sistema Bancário Brasileiro, de tal forma, que qualquer Premiação seja
USUFRUÍDA de forma equânime entre o CORPO FUNCIONAL, uma vez que, a
Remuneração Mensal intrinsecamente é a Contrapartida JUSTA pela Responsabilidade e
Qualificação inerentes a qualquer função, sendo gerencial ou não.

Razão pela qual apresento o documento “Questionamento sobre a Resolução nº


3.921 de 25-11-2010”, https://pt.scribd.com/document/50491784/Questionamento-
sobre-a-Resolucao-n%C2%BA-3-921-de-25-11-2010, onde estamos solicitando
esclarecimentos ao Excelentíssimo Presidente do Banco Central do Brasil ralacionados as
inconsistências existentes na Resolução nº 3.921 e a Lei nº 6;404, uma vez que,
entendemos ser a Lei mais ampla e mais clara que o especificado na Resolução, quando
então, ressaltamos que uma Resolução não tem o condão de RESTRINGIR qualquer Lei
em vigor.

Razão pela qual apresento o documento “Banco Central Do Brasil - Quase Um


Fiscalizador”, https://pt.scribd.com/document/33943697/Banco-Central-Do-Brasil-
Quase-Um-Fiscalizador, onde estamos reconhecendo que o Banco Central do Brasil,
apenas e tão somente, burocratizou sua função FISCALIZADORA, de tal forma, que
somente venha a atuar quando TODOS os ESFORÇOSfeitos pelo Consumidor se
concretizarem INFRUTÍFEROS. Quando então, chamo a atenção para o fato de que esta
situação é tratada da mesma forma quando uma reclamação tem carater de denúncia
frente a uma POSTURA relativa à COLETIVIDADE.

Razão pela qual apresento o documento “Basiléia, Outro, Concreto, da


HIPOCRISIA Brasileira”, https://pt.scribd.com/document/334110361/Basileia-Outro-
Concreto-da-HIPOCRISIA-Brasileira, onde estamos, empiricamente, tentando efetuar
avaliações, sobre o contexto AMORAL, consistente, existente, e persistente, nos quatros
Poderes Institucionais da “República de Bananas”, presidida por um “Golpista Zé
NINGUÉM”, alicerçada por um “Congresso Golpista Ilegítimo”, abençoado por um
“Judiciário que Persegue, e Protege, Politicamente”, fiscalizado por um “Ministério Público
Cego de um Olho, e Surdo de um Ouvido” (que atua em uma única direção), razão pela
qual, o Brasil, se transformou no, apenas e tão somente, “NADA”, que aí esta, o que
explica que a Sociedade Brasileira é PREJUDICADA, e ENVERGONHADA, diariamente,
de tal forma, ser possível, mesmo que injustamente, alcunhá-la como uma Sociedade de
Ignorantes, e uma Sociedade de Alienados, uma Sociedade de Bárbaros, quiçá uma
Sociedade de Cruéis. Logo, para alguns que, não Eu, na “República de Bananas”, apesar
do propalado Acordo da Basiléia, CORRÚPTOS, conseguem manipular, trafegar,
LIVREMENTE, quantias ASTRONÔMICAS, sem que, qualquer Instituição Financeira,
efetivamente, tenha, de alguma forma, participado, de tão SURREAL SITUAÇÃO, onde a
certeza de que o envio de recursos monetários, só tenha sido possível, com utilização,
por exemplo, de “CUECAS”.

Atenciosamente,
Plinio Marcos Moreira da Rocha
Rua Gustavo Sampaio nº112 apto. 603 – LEME – Rio de Janeiro – RJ
CEP – 22.010-010
Tel. (Cel) 9 8618-3350
Penso, não só Existo, Me Faço PRESENTE
Um Sexagenário com índole de um Jovem revolucionário apaixonado por
TUDO que se envolve, por isso, tem a Despreocupação Responsável em
MUDAR Conceitos e Valores.
A Despreocupação Responsável em MUDAR Conceitos e Valores
La leggerezza responsabile di MODIFICARE Concetti e Valori
Die Nachlässige verantwortlich zu ändern Konzepte und Werte
Descuidos a la Responsable de CAMBIAR conceptos y valores
De onzorgvuldige Verantwoordelijke VERANDERING van concepten en
Waarden
The Responsible Easiness in CHANGING Concepts and Values
Le négligent responsable de changement Concepts et valeurs
‫إن إهمال المسؤولين إلى تغيير المفاهيم والقيم‬
不注意な変更概念と値に責任