Você está na página 1de 13

Blog do Clebão (clebermag)

Just another WordPress.com weblog

kkrieger: A prova de que “Menos” Também é “Mais”

outubro 17, 2010 por clebermag

Quem já jogou algum jogo de computador sabe que normalmente os Jogos 3D ocupam um considerável espaço no computador após instalado. Normalmente, o tamanho do Jogo varia, desde alguns Megabytes até mais de 2Gb. Pois bem, o pessoal da theprodukkt (http://www.theprodukkt.com/kkrieger) conseguiu desenvolver um jogo 3D em primeira pessoa (FPS), cujo executável do jogo, um único arquivo .exe, possui o tamanho de exatamente 97.280 bytes, ou seja, pouco menos de 100kBytes. Para se ter uma idéia, em um jogo convencional, normalmente a

engine do jogo (.exe) tem cerca de 1 a 2Mb de tamanho, e ainda tem os arquivos de banco de dados de texturas, sons,

e outros dados do jogo.

Mas, qual é o “milagre” então?

Segundo os criadores do game, eles otimizaram tudo. A idéia por trás do programa é a de se otimizar tudo a todo

momento. Já de inicio, toda a extensão do Directx é usada a fim de se usar sempre funções prontas no direcx para criar objetos. As texturas são criadas a partir de algoritmos reutilizados, somados, e tudo o que já foi usado em uma textura é reaproveitado para fazer outras texturas, e assim as mais complicadas texturas são criadas e indexadas. Os objetos também são repetidos, ou seja, as fases, apesar de serem enormes, possuem muita coisa repetida, e percebemos que tudo foi feito com base em algoritmos de repetição, simetria e geração de posições com base em algoritmos matemáticos. Exitem 4 tipos de inimigos, 1 aranha, 2 robos e um “demônio”, que se repetem no Jogo. O som do jogo utiliza o mapeador Midi, que consegue reproduzir áudio de boa qualidade com um mínimo de instrução (recurso este muito usado nos antigos jogos de DOS), mas, detalhe: A saída do jogo é instrução midi, mas quem gera

o som também é uma função otimizada, uma vez que a música pode ser definida também por regras matemáticas.

Enfim, KKrieger é um jogo literalmente feito a base de programação. Eu confesso que sou um dos críticos que afirma que hoje em dia nós, programadores, gastamos recursos demais por não otimizarmos nossos códigos. Tá, é bem verdade que a programação do jogo, que levaria algo em torno de 6 meses para ser desenvolvido levou 4 anos, o que é algo fora da realidade comercial de qualquer empresa, e o game é bem “limpo” de recursos, configurações e etc. Mas vale como Insight: Não é a memória do nosso sistema que “acabou”, é a gente que está gastando memória

demais com códigos ineficientes…

Abaixo um Screenshot do game:

Outro detalhe importante do Game: Segundo os desenvolvedores, não quer dizer que “porque o game

Outro detalhe importante do Game: Segundo os desenvolvedores, não quer dizer que “porque o game é pequeno” que ele gasta poucos recursos do PC. Na verdade, ele gasta em torno de 200 a 300Mb de memória para ser executado. O que ocorre é que o game gera as texturas em tempo real, ou seja, todas as texturas são operações matemáticas. Enfim, um “estado da arte” no que diz respeito a otimização de código.

Para quem não quer perder tempo instalando e rodando o game, basta ver o vídeo:

tempo instalando e rodando o game, basta ver o vídeo: particularmente, esse é um dos motivos

particularmente, esse é um dos motivos pelo qual critico no post passado o novo Windows 7: Nem sempre “mais” é melhor. Melhor mesmo é podermos trabalhar de forma mais rápida e eficiente com o pouco que temos. Veja em

seven/)

Publicado em Criticas | 1 Comentário »

Sua caixa de som é realmente Stereo?

setembro 26, 2010 por clebermag

Recentemente, ao dar inicio ao uso de um novo computador (o mesmo dos posts anteriores), eu fiz um procedimento padrão quando inicio o uso de um novo sistema: Configurei o computador da minha forma, apliquei as instalações e atualizações necessárias, e por fim, fiz os testes de “performance”, para saber do que o novo computador

em uso é capaz de fazer. Pois bem, eis que em um dos testes - o teste de qualidade de áudio das caixas – me deparei com uma surpresa: O som, apesar de ser de alta fidelidade, saía igual em ambas as caixas! Antes que alguém diga “Tah, mas e daí, o que há de errado nisso?”, eu explico: Quando um audio é gravado no formato Stereo, isso quer dizer que existem dois canais de audio, um direito e um esquerdo. Normalmente alguns instrumentos são reproduzidos no lado esquerdo e outros são reproduzidos no lado direito, dando a impressão de estarmos no meio da banda, no caso de música. Bom, para quem não liga para isso, ou só usa som no computador para falar no MSN ou Skype, isso não faz quase nenhuma diferença, eu diria até que não faz a mínima diferença, pois o audio do microfone é por natureza, monofônico. Mas para quem gosta de ouvir música no computador ou mesmo gosta de jogar jogos, principalmente os títulos mais novos, isso faz toda a diferença. E no mais, os audios dos novos sistemas operacionais, como os do Windows Seven, são todos Stereofônicos, portanto, não faz sentido estar com um novo PC, com um equipamento e um sistema operacional de ponta e com uma caixa de som monofônica.

Como testar se minha caixa de som é Stereo ou Mono?

Simples:

1) Baixe e reproduza o arquivo de áudio no formato Mp3 “Esquerdo Direito.mp3em seu computador (está no rapidshare e vai durar 10 downloads ou 60 dias. Como foi postado dia 26-09-2010, se você não conseguir baixar, me peça que eu te envio ou posto de novo).

MD5 do arquivo: 0D6F98972135EE2D452F1DE32290E9CE

2) Se estiver tudo OK, deverá sair o som “Esquerdo” somente na caixa esquerda, e o som “Direito” somente na caixa direita, e isso indicará que suas caixas estão boas. Se o som esquerdo sair na caixa direita, e vice-verso, basta trocar as caixas de lado.

3) Se cada uma das palavras saírem nas duas caixas ao mesmo tempo, isso quer dizer que as suas caixas, apesar de possuirem 2 auto-falantes, é Monofônica, com canal mixado.

4) Se sair apenas o som “Esquerdo” ou somente o som ”Direito” nas duas caixas, quer dizer que somente um canal de áudio está ligado nas caixas.

5) Se sair apenas Esquerdo em uma das caixas, e nada na outra ou Direito em uma das caixas, e nada na outra, quer dizer que suas caixas de som possui algum problema nos fios ou no circuito, ou no auto-falante.

Se a sua caixa de som apresentou problemas, o ideal é entrar em contato com quem vendeu, explicando exatamente o detalhe. É possível que ele se “recuse” a trocar ou a devolver o dinheiro, pois talvez ele nem saiba do que se trata o problema. Eu já tive 3 casos diferentes de caixas para resolver com este problema: No primeiro caso, o circuito amplificador da placa eletrônica era mono, tive que “jogar fora” o circuito, aproveitando alguns componentes e montar outro no lugar, só que agora, Stereo, e aí tudo funcionou. No segundo caso, a placa eletrônica estava montada com um circuito Mono, mas o componente amplificador era Stereo, bastou montar o restante dos componentes do outro canal e ela virou uma caixa de som stereo. No terceiro caso, a placa eletrônica interna estava perfeita, bastou apenas trocar o cabo de entrada de som de Mono para Stereo.

De tudo isso, para mim, fica a tristeza de saber que a falta de conhecimento dos usuários fazem com que as empresas acabem fazendo este tipo de coisa. E o pior: Dentro das empresas, a maior parte das pessoas também não detém o conhecimento necessário para identificar o problema, e com isso, quando algum funcionário inescrupuloso quer “crescer” , propondo que encontrou uma forma de “economizar” na montagem do equipamento, sua opinião é aceita, por quem tem o poder de decisão mas não detém o devido conhecimento técnico, daí, o erro vai se extendendo na tal da “cadeia produtiva”, ficando por isso mesmo. É triste isso, mas acontece em empresas que até são decentes.

Publicado em Comentários,

Dicas e Macetes,

Tutoriais | Deixar um comentário »

Meu último post a respeito da minha eXPeriência com Windows Seven (será o último mesmo? Acho que não…)

setembro 21, 2010 por clebermag

Ok, senhores, farei aqui meu último (será?) post sobre este assunto: Minha eXPeriência com o Windows Seven. Para aqueles que não leram os post anteriores, vale a pena dar uma olhada, para se contextualizar.

Desde que tive a oportunidade de usar este “novo” sistema operacional, me vem a idéia de que a Microsoft “cuspiu” na cara de seus usuários mais experientes, justamente os que fizeram deste sistema operacional o sucesso o qual se tornou. Desta vez (e já o vinham fazendo no Windows vista), boa parte de suas ferramentas foram descontinuadas. Sim, é verdade e concordo que as ferramentas mais populares deste sistema operacional ganharam caras mais “interessantes” e novas (e úteis) funcionalidades, mas muito do que funcionava excelentemente bem foi simplesmente descontinuado ou substituído por alguma ferramenta mais pesada. A interface antiga, como já havia postado aqui, foi completamente mexida, e quase impossível de ser recuperada. Vários programas como o Outlook express (que havia se tornado Windows Mail) foi substituído pelo “Windows Live Mail”, empurrado Goela abaixo para quem comprar este sistema operacional. O Windows Seven não é compatível com o os programas antigos, quem quiser usar seus programas antigos sem pagar por atualizações precisará instalar o “Windows XP Mode”, e ter todo o trabalho de “se virar” para ter as coisas rodando. Também como disse antes, teremos que jogar fora muito hardware funcionando em perfeito estado de uso, pois faltam drivers e ao que tudo indica, não irão atualizar os drivers para estes dispositivos mais antigos. E por aí vai.

Internamente, está tudo travado. Todas as pastas de sistemas precisam de permissão para serem “Mexidas”, algumas então, eu não consegui mexer, eu, que sou o “dono” do computador e do sistema em si, e com todas as devidas permissões habilitadas. Vou rir quando aparecer algum vírus que venha a infectar o Windows de algum amigo, e este vier me pedir para retirar…. A solução será “Simples”: O micro terá que ser FORMATADO, e eu sem poder dizer nada, apenas um “somente lamento”. Isso é impossível? Não. A questão é que eu sei que se um programa ganha acesso de administrador, ele passa a poder fazer o que eu não posso fazer como usuário, e aí é que entra a questão: Mais cedo ou mais tarde, vai aparecer tal vírus infectando tudo e eu sem acesso a tais pastas, e será um caos. Eu não mais terei condições de excluir o vírus como faço hoje, “na marra”, via linha de comando. Pois bem, que assim seja.

Eu acredito que quando as pessoas que estão vendo a “beleza” da nova interface gráfica, começar a perceber as desvantagens e os problemas causados por estas novas mudanças de regras, elas irão começar a se questionar se foram tão boas assim as mudanças, mas será meio tarde demais.

E o Linux, morreu? Foi enterrado? Hum… olha, me desculpem os que afirmam isso: Eu discordo. O Linux pode até ser “difícil” de se mexer, mas ele é assim porque nunca gastamos tempo para entendê-lo. Ele está aí, compatível com tudo o que foi desenvolvido para ele até hoje, independente da atualização que receba, e livre. Quando as pessoas perceberem que o “belo” sistema operacional que adquiriram possui restrições de uso, que todos os arquivos que ela possui guardados no seu PC estão sob proteções tão rigorosas que se ela eventualmente tiver que ter acesso a tais dados após algum problema, terão que pagar caro a algum especialista para ter acesso, elas sentirão saudades do seu Windows XP ou outro sistema que por ventura usem.

Acho que sei porque o Bill Gates deixou o controle da Microsoft… Ele deve ter percebido que a empresa que ele havia fundado já não tinha mais compromisso com “compatibilidade”. Ela tinha outros objetivos além de ser uma empresa de software: Ser uma empresa que “ganha muito dinheiro”. Pois pagar R$ 700,00 por uma cópia de um sistema mais funcional (porque a as versões básicas são uma piada), é pra só para quem pode pagar muito dinheiro mesmo. E tudo bem, se é para custa este valor, que venha 100% compatível com o que eu tenho!

E finalmente: Será que um dia teremos realmente um sistema operacional que proporcione produtividade PARA TODOS OS GOSTOS? Para mim, beleza não produz. Respeito quem quer beleza, é um direito, e acho bacana esta nova versão do OS ter agradado a muitos . Mas na minha opinião controversa, muito do que o Windows adquiriu serviu mais para floreamento do que para produtividade, e para nos fazer gastar mais um pouco, alem de perdermos tempo reaprendendo tudo. Talvez eu mude de idéia em relação a isso, e posto aqui, caso eu mude. E é claro que a medida que as atualizações dos programas que mais usamos vierem a ser disponibilizadas, e aos poucos elas foram sendo incrementados a custos de muitos “R$”, e a medida que não tiver mais jeito de não mudar, todos mudarão. Para mim, a intenção da Microsoft com tudo isso é , entre outras coisas, barrar a Pirataria. OK, Eles estão certos, e estão se dando muito bem. Mas quem anda certo e em dia com a Microsoft está sendo penalizado, é só isso que eu tenho a dizer. Só depois não se assustem se as pessoas que realmente pagam começarem a instalar Linux e começarem a “gostar” desta nova experiência. Não reclamem, Microsoft…

Publicado em Criticas | Deixar um comentário »

Continuação de minha eXPeriência com o Windows Seven

setembro 17, 2010 por clebermag

Tenho acompanhado os comentários das pessoas que estão usando o novo Windows Seven, que, segundo alguns textos, está tendo 99% de aprovação dos usuários. Ok, eu entendo e concordo que para quem quer usar o

computador como um centro de lazer e entretenimento, bem como um local para “passar o tempo”, ele ficou

realmente “perfeito”: Bem acabado, cheio de recursos e gadgets ”interessantes”, um visual cheio de coisas a se

explorar, ou seja, neste quesito, realmente ficou nota 10!

“Mas isso nos já tínhamos!” Não é por menos, afinal, eu tive a oportunidade de “pilotar” um MAC recentemente, e agora, usando o Seven, me sinto na mesma condição. Entretanto, existe o outro lado da moeda: Os Microcomputadores mais antigos, mas cuja performance, a princípio, permitira instalar o Windows Seven, ficaram sem suporte. Existe muita falta de drivers de dispositivos, e a configuração mínima para se instalar um Windows Seven transforma em sucata muito computador bom rodando hoje. Enfim, existe esta “tendência ao descarte” imposta pelo Windows Seven. Se a Microsoft é uma empresa que presa pela natureza, se preocupa com a questão ambiental, deveria pelo menos melhorar esta política para que menos computadores no mundo todo seja sucateado. Eu entenderia perfeitamente se ele se configurasse de forma ”compacta” ao ser instalado em uma máquina com menos recurso (como eu deixe na imagem do post anterior), pois ele estaria “atualizado” com um sistema operacional mais novo e ao mesmo tempo, permitindo que este micro mais antigo fosse poupado de ser jogado fora.

Posso dizer que usuários de Mac irão, com razão, dizer:

Infelizmente eu vejo muita gente dizendo que a performance do Windows Seven é maior, mas vamos ponderar alguns fatos:

• O Windows Seven está, a principio, mais protegido quanto a virus, pois as vulnerabilidades detectadas até então foram eliminadas. É de se saber que computadores sem antivirus instalado, tem sua performance aumentada consideravelmente. O próprio Windows XP, instalado em uma máquina recem-formatada, com o

“service pack 3instalado e atualizado com os últimos fix de segurança, e com uma interface mais leve (como

a anterior) também é executado mais rapidamente.

• Como o Windows Seven pede uma máquina com mais memória e mais recursos, automaticamente, mais rápido ele irá rodar. Experimente aumentar a memória do Windows XP e colocar uma boa placa gráfica: A performance do Windows XP também aumenta consideravelmente;

• Tente desabilitar aquele monte de ícones que o seu computador tem no systray (icones próximos do relógio do Windows). Eu já peguei micros de amigos meus com mais de 10 programas no systray, sendo a grande maioria

desnecessário. É programa “monitor do status da impressora”, programa de “atualização automática”, MSN (sem estar conectado, claro), Drivers de som com utilitário próprio rodando, acelerador disso e daquilo, enfim,

o computador leva mais de 5 minutos para carregar toda esta tralha desnecessária. Simplesmente desabilitando isso, você já tem um micro bem mais leve.

Enfim, performance em máquina melhor e com mais recursos de Hardware é fácil. Difícil é ser compatível com máquinas mais antigas, mas que ainda estão perfeitamente em uso.

Talvez, 90% das pessoas que hoje estão descartando seus computadores antigos para migrar para o Windows Seven não percebam que poderiam fazer exatamente o mesmo que farão no Windows Seven se tivessem conhecimento necessário para deixar o seu sistema otimizado. Entendo que cada um precisa se especializar na sua área, e não em ficar aprendendo como um PC funciona, e nada melhor que dar um upgrade no seu PC para deixá-lo atualizado. Mas vou deixar aqui uma dica para quem pretende descartar seu PC por ter ficado “desatualizado”: Peçam alguém com o devido conhecimento em linux para instala-lo neste PC, e configura-lo para ficar em rede com o seu novo computador com Windows Seven. Teste ele durante um tempo, e da mesma forma que você agora possa estar entusiasmado com o Windows Seven e estar se adaptando às diferenças, tente fazer isso com o Linux. Você vai descobrir que aquele computador que você está descartando, e fazendo pouco caso, não ficou mais lento: Era o sistema operacional que você usava que estava ficando mais pesado…

Promoção Windows 7 do Burguer King - Uma promoção adequada ao novo sistema operacional Realmente,

Promoção Windows 7 do Burguer King - Uma promoção adequada ao novo sistema operacional

Realmente, esta imagem vem bem a calhar (perdi o link do site original para dar o devido crédito, me desculpem): É até bonito de se ver, mas para encarar um desses, tem que ter “capacidade de processamento”…

Publicado em Uncategorized | Deixar um comentário »

Minha eXPeriência com Windows Seven

setembro 13, 2010 por clebermag

Mais uma vez sou “Obrigado” a mudar de sistema operacional onde trabalho, desta vez a mudança é de Windows XP para o Windows 7. Como Entusiasta do Windows 98 (só mudei para o Xp quando não dava mais), e agora, como “usuário do XP”, o qual estou migrando também por necessidade, posso dizer, sim, o Windows melhorou muito, mas por mais que se “esforçe” em manter compatibilidade, acaba deixando algumas utilidades para traz obrigando os usuários antigos a ”se adaptarem”. Isso não é um problema para mim, mas é um incomodo sim, uma vez que tenho que me adaptar, aprendendo os novos recursos e “redescobrir” para onde foram as coisas, as ferramentas, os programas, enfim, para onde foi tudo. Não sei porque a Microsoft não mantém compatiblidade com algumas das antigas interfaces. Acho que mudança de Kernel (coração do Sistema operacional) é valido sim, mas mudança de interface gráfica, só se necessário, e aos poucos. Há quem goste de Bugigangas e há quem não goste, eu só gosto das bugigangas reais.

Dentre as prinicipais considerações a respeito desta nova versão de OS, posso dizer:

A

Microsoft andou capinando algumas funções. A primeira função “capinada” (retirada) do OS que eu percebí

foi o recurso de fala. Para quem não sabe, O Windows Xp possuia o recurso de fala, que permitia a alguns programas “ler” textos, e que que eu usava para leitura de documentos. Eu possuia uma voz, a “Raquel” (da

scansoft), e já usei esta voz para ler PDFs para mim. No Seven, este recurso foi retirado (ou eu não ví onde habilitar);

O

menu Inicar clássico, (do velho Windows 98) foi finalmente excluido, o que eu acho uma enorme perda.

Muitos criticavam este menu, mas a maioria sequer sabia usa-lo de forma organizada, talvez daí as duras críticas. Eu nunca tive problemas, mesmo porque, ele era apenas uma referência onde os programas estavam e

colocavam atalhos para suas documentações. Para executar um programa eu normalmente uso o atalho já “instalado” no Quick Launch, do qual falo abaixo;

O

Quick Launch veio desabilitado… E pior, apesar de saber onde fica a pasta no sistema operacional, fiquei

impossibilitado de acessa-la. Resultado: Tive que criar a minha própria Quick Launch para organizar meus icones de programas. Menos mal, porque eu até cheguei a pensar que este recurso havia desaparecido, mas ter que criar ela “à mão” só é possível para usuários mais experiêntes. Hoje a opção de “fixar” os programas à barra de tarefas é uma alternativa a este recurso, mas particurlamente, eu não gostei, uma vez que o Quick Launch (ou iniciar rapidamente) fazia esta vez. E outra: O fato de eu ter várias janelas de um determinado programa ativo não quer dizer que estou fazendo a mesma coisa em cada uma das “instâncias” abertas. Prefiro a ordem em que as coisas são abertas mesmo, para mim, é mais intuitivo.

De tudo mais, pelo menos mantiveram a opção de otimização do sistema para performance. Nunca gostei dos recursos de esmaecimento, transisções e outras, perdão da palavra, “frescuragens do windows”, por um simples motivo: Consomem Muito Recurso de Memória e de processamento, e pra quem não sabe, estas “frescuragens” faz aumentar o gasto de energia do Computador. Bom, em tempos de se falar de sustentabilidade, nada melhor do que

evitar consumir o desnecessário. Mas respeito quem quer gastar energia, e deixa estes recursos habilitados. As

consessionárias de Fornecimento de energia agradecem.

o “Autorun”, recurso responsável pela atual disseminação de virus, nunca foi tão fácio. No Windows XP, eu precisava instalar o Tweak power Toys, que me permitia desabilitar o recurso de Autorun de todas as unidades. Agora, eu pude desabilitar este recurso por completo em um menu nativo do sistema operacional. Eu prefiro conectar um pendriver e ir “manualmente” navegando na unidade, do que ter que responder a uma tela de “o que deseja fazer”. Mesmo porque, a maioria dos virus que se espalham vão via pendriver, se o autorun está desabilitado, eu simplesmente abro a pasta e excluo o virus, sem precisar de antivirus. Melhor, eu já deixo um atalho para a unidade no meu desktop. E antes que alguém me condene: Eu uso PC para trabalhar, e pendriver para carregar dados. Música, eu até ouço no Pendriver MP3 player que tenho só pra isso, mas deixo as músicas nos arquivos do PC também.

Por outro lado, eles acertaram numa coisa: Desabilitar

Quem quiser ver a imagem do Desktop de meu Pc, segue abaixo:

Quem quiser ver a imagem do Desktop de meu Pc, segue abaixo: Precisei do classic Sheel

Precisei do classic Sheel para deixa-lo assim, bem como copiei o arquivo shell32.dll do windows XP para uma pasta pessoal minha e renomeei para IconesXP.dll, e assim pude escolher os icones a serem usados a partir desta DLL. Agora sim, está realmente do jeito que eu queria!

Bom, é isso. Espero que esta experiência ajudem a vocês a terem uma breve visão desta nova versão do windows. Se eu tiver novidades, posto aqui.

Por Clebermag

Publicado em Comentários,

Mundo Maluco

agosto 26, 2010 por clebermag

Dicas e Macetes | 3 Comentários »

Faz muito tempo que não posto, e gostaria de aproveitar para comentar algo sobre o nosso “mundo maluco”. Não que eu seja este “exemplo” de pessoa normal, pois faço coisas que muitos dos meus amigos classificam como loucura. Aliás, eu admito que perdi um pouco a referência do que é “ser normal” e “ser maluco”, ou seja, nem sei mais exatamente o que é “ser normal”, porque, isso foje à lógica.

E porquê digo isso?

Bem, porque vejo que as pessoas fazem coisas contrárias ao que deveriam fazer para obter o que almejam, concordam com coisas contrárias ao que deveriam concordar para expressar seus ideais, e não se indigninam com o que deveriam se indignar diante de uma situação absurda.

Darei exemplos que eu vejo no dia-a-dia, e irei me referir a “nós” como sendo a sociedade como um todo, da qual eu faço parte:

• Todo mundo acha absurdo a quantidade de lixo que geramos, entretanto, sempre pegamos a maior quantidade de sacolas que podemos pegar no supermercado; Aproveitar sacolas, é coisa de pobre ou de maluco, reaproveitamento em geral é “coisa de pobre”;

• Concordamos que carro polui, que é um dos grandes problemas da sociedade, mas vemos um ciclista como sendo um cara “maluco” porque fica no meio do trânsito da cidade; A mesma coisa, vale para o motoqueiro, que muitos não respeitam;

• Reclamamos da politica, mas elegemos politicos que não tem conteúdo ético para legislar; Votamos “para ganhar” porque todo mundo vota nesse ou naquele candidato, ao invés de votarmos com base em fatos;

• Valorizamos a ecologia, mas não nos importamos de descartar o lixo sem nenhum critério, não nos esforçamos para separar os materiais para reciclagem, ficamos “atordoados” com as queimadas, mas não as evitamos; Preferimos descartar equipamentos ao invés de providenciar manutenção junto ao fabricante, ou pior, compramos equipamentos de péssima qualidade, os quais irão se estragar rapidamente e não terão manutenção porque “não queremos pagar caro por um “equipamento de qualidade”, que segue os protocolos de redução de impacto ambiental e de manutenção;

• Reclamamos dos “Ladrões e marginais” que roubam, matam, ferem e causam as mais diversas “desgraças” na vida das pessoas, mas passamos as mãos na cabeça de nossos filhos quando colam na escola dizendo que eles foram espertos, afinal, “quem não cola não sai da escola”; Quando ele chega com material do “amiguinho”, ao invés de o corrigirmos falando para ele procurar o dono do material e devolver, dizemos “ah, vai ver que se misturou com os objetos do meu filho”; e o que é pior, quando precisamos de algo, procuramos “comprar barato” nos locais onde sabidamente são vendidas “coisas roubadas”, porque “o original de fábrica vendida na loja com nota é caro”, alimentando o mercado clandestino, que causa dor às pessoas vitimas de assaltos.

• Reclamamos das crianças abandonadas, sem pai nem mãe cuidando, mas não fazemos nada contra o culto ao sexo irresponsável disseminado pela cultura do funk “proibidão” e outros tantos estilos populares de música, que geram gravidez indesejada por pais despreparados (incluindo também neste grupo, estilos musicais axé, pagode, sertanejo e atualmente até o rock, que tem cultuado o sexo irresponsável). E pior, trazemos as crianças vitimas do sexo irresponsável para o sexo irresponsável o mais cedo possível, criando um submundo de círculo vicioso de pessoas à margem das leis da sociedade.

• Reclamamos da nossa obesidade, mas nos predispomos às lanchonetes e fast foods para comer;

• Reclamamos da falta de tempo, mas aceitamos vender cada vez mais o nosso tempo para termos dinheiro.

Poderia citar vários outros exemplos aqui mostrando estes nossos absurdos. E a questão que fica é que eu posso até entender que alguém não faça uma ou outra coisa correta por comodismo ou porque “é dificil fazer a coisa certa”, não que isso se justifique, mas dá pra entender a lógica do “faço o que é fácil”, pois essa é a lógica do comodismo, que no fundo no fundo, nós temos alguma coisa. Eu mesmo cedo à tentação de quebra de algumas regras, como a da alimentação, na qual eu pessoalmente peco muito. Mas fazemos mais do que simplesmente nos omitir: Rotulamos de malucos as pessoas que tentam ser coerentes com todas as propostas coerentes e apoiamos quem faz errado, essa é a pior parte!

Eu vejo que a única forma de nos esquivarmos desta condição de insanidade é justamente refletirmos nossas atitudes, procurando sermos mais coerentes com nossos valores, assumindo a responsabiliadade pelo que fazemos. Isso não é fácil, pois cada vez que assumimos a responsabiliade por nossos atos, observamos a nossa incoerencia e precisamos dar passos atráz, e poucas são as pessoas dispostas a fazer isso. E uma coisa é certa: A ciência já sabe que espécies entram em colapso quando não entram em equilibrio com a natureza. Estamos caminhando para isso, e só não chegou tal colapso porque existem cabeças pensantes neste mundo que tem esta consiência e atuam de forma a evitar tal colapso. Entretanto, até quando isso será possível? Se alguém tiver alguma resposta à esta pergunta, poste aqui, porque, honestamente, eu não tenho. A única atitude que me sobra é fazer a minha parte corretamente e de forma consiente, pois mesmo sendo uma excessão na multidão, se alguém disser que ninguém pensa de tal forma, eu posso dizer, com a consiência tranquila: Eu fiz a minha parte.

Publicado em Comentários,

Criticas | 1 Comentário »

Virus “Gumblar” ou “Troj/JSRedir-R” ou “Defiler”

julho 12, 2010 por clebermag

Antes de mais nada, este post se refere ao virus Gumblar, mas as táticas usadas aqui podem ser usadas para outras pragas mais novas, se você é um usuário avançado mas sem saber o que fazer, acho que será de grande ajuda dar uma lida.

Nesta sexta-feira passada (09-07-2010) tive o desprazer de receber, de presente de um site da internet, a praga “Gumblar” ou ”Troj/JSRedir-R” ou “Defiler”. Desde o Virus CHk.spacefiler, que infectava os arquivos inserindo trechos de códigos no executável, que eu não pegava uma praga tão poderosa. Mesmo o melissa, tão falado e tão perigoso, ou os virus de pendriver do dia-a-dia, me deram tamanha dor-de-cabeça. Foram praticamente 12 horas de trabalho perdidas entre consultas à internet para “tentar” entender como funciona esta praga, e o que fazer para varrer ela do micro sem precisar formatar, o que seria um caso drástico. Detalhe: Apesar do sistema operacional ser Windows XP com Service pack 3 (SP3) e ter o Internet Explorer 8, nem isso isentou o PC de ser infectado. Talvez você até esteja infectado e não saiba, mas para mim, que por um acaso uso um programa chamado “Edit plus”, que tem a capacidade de fazer upload por ftp, mas o qual eu uso para programar C, simplesmente não pude mais trabalhar: O programa se fechava com menos de 2 segundos aberto. Enfim, mesmo com projetos atrasados, não pude nem adiar para depois, tive que partir para a retirada uma vez que não conseguia mais trabalhar.

Mas, o que é esta praga?

Ele é um trojan que usa uma vulnerabilidade do Flash player e do adobe acrobat onde sites cujas páginas estão infectadas conseguem fazer upload do programa na máquina que acessa o site naquele momento, buscando senhas de ftp do computador infectado e enviando remotamente para algum provedor específico, podendo assim os crakers infectar mais e mais sites, bem como mais e mais micros. Ele fica residente em memória, nos arquivos de sistema carregados (não exatamente no arquivo .exe da máquina, e sim, no momento do carregamento do programa em memória, ele inclui um processo adicional, o do virus). Ele é carregado durante o carregamento do Windows, mesmo no modo de segurança, e se você conseguir instalar alguma ferramenta, como o AVG, ele ficará indicando erro [ "C:\WINDOWS\system32\winlogon.exe (848):\memory_10000000";"Vírus encontrado Defiler";" . O objeto está inacessível." ] , mas você nada poderá fazer poque você perceberá que os próprios arquivos do antivirus, ao ser carregado na memória serão infectados, o que o impedirá de ser atualizado.

Como ela funciona?

Basicamente, ele se copia para a pasta “C:\windows\temp” e para a pasta “C:\documents and settings\[nome do usuario]\Configurações locais\Temp” com um nome myd.old , onde a parte que eu realmente tenho certeza é a .old, pois o “myd” pode variar, e o pior, não anotei no meu caso. Enfim, ele passa a criar réplicas deste arquivo mesmo que você o delete nas pastas especificadas, bloqueia o registro do Windows para instalação de programas como o AVG, o AVAST e o “Malwarebytes’ Anti-Malware” , que são programas que, uma vez atualizados, conseguem retirá-la, mas que estarão não funcionais ou sendo fechados pelo virus, e enfim, caso você tenha algum programa de FTP que possua alguma proteção contra acesso a senhas de FTP, ficará fechando o tempo todo. Ele, a principio, não se propagou pela rede, mas não arrisquei, ao descobrir que se tratava de uma infecção, a primeira providência foi isolar a máquina de rede. Ele também não se propagou por pendriver.

O que tentei e não funcionou?

Bom, tentei editar o registro, sem sucesso. Cheguei a achar a chave que continha o atalho para o arquivo, mas estava sem acesso à mesma. Tentei entrar no modo de segurança do Windows XP e atualizar o AVG através de um arquivo .bin baixado do site da grisoft, mas apesar de até conseguir atualizar o antivirus, ainda assim não conseguia

excluir o virus, pois todos os processos principais estavam afetados. Tentei instalar o Windows XP em um pendriver para então, acessar os arquivos originais do meu Windows, e deu erro nas duas tentativas (o windows até instalava, mas não entrava, dando tela azul). Não podia mandar reparar pois reparar o windows XP com service pack 3 através de um cd de instalação com service pack 1, é o mesmo que formatar a máquina, e eu definitivamente não podia fazer isso.

Como resolví?

Bom, tive a sorte de ter um CD do Ubuntu 9.4 bootável junto da minha pochete de Backups, e ele foi o inicio da salvação. Executei o boot através deste CD (sem instalar), e com isso tive acesso aos arquivos do Windows XP. Busquei todas as pastas “temp” de todos os usuários [ "C:\windows\temp" e para a pasta "C:\documents and settings\[nome do usuario]\Configurações locais\Temp ] “ e limpei os seus conteúdos. Limpei também o conteúdo de todas as pastas “temporary internet files” que encontrei no PC. Detalhe: Cada usuário tem uma pasta, como não sabia de cor as pastas de cada usuário, naveguei usuário por usuário deletando o conteúdo da pasta “content.ie5e “temp”. Não apaguei a pasta “temporary internet files”, “temp” e “content.ie5porque sei que daria erro, só apaguei o conteúdo das mesmas. Também naveguei nas pastas de sistema (c:\windows\system32 e abaixo) e na pasta “c:\arquivos de programas\arquivos comuns” e inferiores, procurando por executáveis suspeitos, como algo do tipo xkwd.exe ou outro texto maluco qualquer. Me lembro de ter encontrado um na pasta ”arquivos comuns”. Também copiei toda a pasta “C:\windows” e “C:\arquivos de programas\arquivos comuns” para um pendriver de 4G para em seguida, verificar em um outro micro com antivirus atualizado se ainda havia vírus. Se um virus fosse detectado, voltaria ao linux e excluiria o arquivo. Em seguida, ao ver que não havia mais virus, reiniciei o micro, e o virus não estava mais carregado na memória. Instalei o “Malwarebytes’ Anti-Malware”, que me informou onde estavam as chaves que davam acesso a esta “praga”, e excluí do registro, incluindo uma das chaves { } apontadas pelo “Malwarebytes”. Importante: Essa parte é crítica, eu sabia aonde estava mechendo. Se você não souber mecher no registro do Windows, procure um programa ou alguém que o faça para você, pois erros no registro podem trazer danos graves ao sistema operacional , de tal forma que você terá que reinstalar o Windows para que ele volte a funcionar. Tenha certeza que saiba o que está fazendo neste ponto!!! Mas voltando, uma vez excluida a chave, o virus não mais foi chamado e executado, e pude voltar a trabalhar no micro, já partindo para fazer um backup do que eu poderia ter perdido.

Mas não tenho um CD bootável do Linux, como devo proceder?

Bem, neste caso, infelismente, você terá que baixar uma ISO de uma distribuição Linux que rode em seu PC a partir do CD-Rom, e que consiga editar arquivos NTFS. Não foi dificil para mim usar o linux, ele tem uma interface “amigável”, muito parecida com o velho Windows, e há muito tempo ele deixou de ser coisa de NERD. De repente, quem sabe essa não é a oportunidade de apreder um pouco mais sobre esse sistema operacional que é um forte candidato a equipar os micros que estão perdendo suporte pelo Windows? Eu não o faço porque meus programas que uso para trabalhar eu somente encontro para Windows. Caso contrário, já teria migrado faz tempo…

Uma outra possibilidade seria levar o HD para outra máquina, com antivirus instalado e o “Malwarebytes’ Anti- Malware” instalado. Mas tenha certeza de atualizar tudo quanto é programa quanto for possível antes de conectar o HD e partir para o scan, que provavelmente irá demorar, pois você pode acabar infectando outra máquina. provavelmeten, se você simplesmente Atualizar o antivirus, já será suficiente. Mas como disse, não tentei isso, uma vez que o HD e a maquina era um notebook e seu HD, não tinha como eu fazer essa jogada de usar outro micro.

Enfim, essa foi a minha saga, espero que ajude a outros a sair da sinuca que eu entrei e saí ou de outras que estejam por vir, mas com menos horas perdidas e sem um fim de semana jogado fora.

Por Clebermag

Publicado em Dicas e Macetes,

Tutoriais | Deixar um comentário »

Aprendendo a Aprender – O autodidatismo

maio 23, 2010 por clebermag

Eu sempre procurei usar o que aprendi sobre as coisas, e já aprendí sobre muita coisa. Claro, também já descobrí que mesmo sabendo tudo o que eu sei, sempre existe algo novo a se aprender, e acreditem, a cada dia que se passa, mais e mais aprendo, e ultimamente, não tenho dado conta sequer das coisas que tenho a aprender, tamanha é a quantidade de informações disponíveis. Mas, no meio disso tudo, algumas pessoas perguntam como eu faço para aprender tanto sobre tanta coisa. E o segredo é: Aprender a Aprender.

O que é “Aprender a Aprender”?

Bom, como o titulo sugere, aprender a aprender é se torna um autodidata, ou seja, aquela pessoa que é capaz de aprender por sí só. Sendo assim, “autodidata” é a pessoa que possui a arte de não precisar de um professor (ou tutor) presente orientando para aprender, ele sabe ir aonde a informação está, filtra as informações desnecessárias ou erradas, e constroí seu conhecimento a partir das novas informações coletadas. Eu me considero autodidata, e acho que posso passar um pouco de como fazer para ser autodidata. Existem algumas linhas de raciocínio, que se forem seguidas, fará com que você também tenha esta capacidade, se é que você não já tenha mas apenas não sabe usar.

Eis então o caminho, onde tentarei explicar de forma bem detalhada, e de fácil entendimento:

1. Começe sempre de uma base sólida, ou seja, de algo que você conheça. Não adianta tentar aprender a programar um computador se você não sabe nem usar um computador para as tarefas básicas. Não adianta querer aprender a operação matemática de logarítmo se você não sabe fazer contas de multiplicação. Não adianta querer aprender a fazer um almoço se você ainda não sabe como fazer um arroz. Procure verificar se antes de você aprender algo mais complexo não há nada mais simples que você tem que saber para fazer o algo mais complexo, e aprenda a fazer. É maios fácil aprender coisas simples do que coisas mais complexas, e a medida que a complexidade aumenta aos poucos, a sua capacidade de acompanhar o raciocíno necessário aumenta junto.

2. Converse com pessoas que saibam aquilo que você quer aprender, e peça dicas. As pessoas que já sabem fazer podem te informar os passos a seguir, os pré-requisitos (0u coisas que você tem que saber antes), e com isso, você terá um caminho a seguir. Mas atenção, não espere que a pessoa te dê uma aula do assunto. Se ela puder dar esta aula, ótimo, mas se não, colabore, peça apenas as dicas. Hoje em dia as pessoas tem pouco tempo, então, quanto menos tempo você tomar dela, mais ela estará disposta a ajudar.

3. Siga as dicas que lhe for apresentada. A maioria das pessoas desiste neste ponto porque é o momento em que se tem que “por a mão na massa”. Aprender exige leitura, releitura, enfim, nem sempre aprenderemos algo na primeira vez que lermos ou entrarmos em contato com a informação. Neste momento, também é bom buscar várias fontes para comparar as informações. As pessoas também erram, sendo assim, ver mais de uma fonte faz com que possamos identificar pontos de vistas diferentes, poderemos identificar erros, enfim, teremos mais poder de julgamento.

4. Tenha uma boa fonte de pesquisas em suas mãos. Existem sites de busca muito interessantes que fazem uma boa parte do trabalho, Eu prefiro o Google, que é muito bom nisso. Como usar ele? – Alguém pode perguntar – Bom, eu pesquiso com o google pensando no texto que quero encontar. Por exemplo, quero aprender sobre a profissão de enfermagem: Eu entro no google, e penso: “Bom, se eu quero aprender sobre a profissão de enfermagem, devo encontrar um texto que diga: ‘O profissional de enfermagem é capaz de ….’ então, as palavras que eu digito são : [ Profissional Enfermagem capaz ]. Fiz o teste com as palavras ao lado, e o terceiro link do google apontava para a Wikipédia, que explicava detalhadamente o que um profissional de enfermagem deve ser capaz de fazer. Ah, eu não simplesmente cliquei no link da wikipédia, eu cliquei com o botão direito do mouse no link e cliquei na opção “Abrir em uma nova Janela”. Assim, eu poderia testar outros links sugeridos pelo Google, enquanto a nova janela vai abrindo.

5. Não desista ao primeiro insucesso, e nunca, jamais diga: “Eu não consigo…”. Essa afirmação faz com que nos acomodemos, e fiquemos a esperar que alguém caia do céu e nos ajude. Ao invés dela, pense: “Onde mais posso tentar alguma informação?” ou “Quem poderia me ajudar a descobrir isso?”, ou ainda: “O que falta aprender para conseguir aprender isso?”. Estas perguntas nos estiga a pensar, e isso é o que move o autodidata.

6. Aprender exige tempo, sendo assim, se necessário, se ausente para aprender. Use um fim de semana, uma tarde de domingo, mas dedique um tempo com a pesquisa e a leitura/prática do que você quer aprender. Ninguém aprende a fazer um arroz, por exemplo, sem tentar. Crie uma situação que te permita errar, isso pode acontecer durante o aprendizado. Quando só se tem um copo de arroz para fazer com pessoas esperando para comer não é o melhor momento para aprender a fazer arroz. Da mesma forma, esteja em uma condição que te permita errar durante a aprendizagem. Procure saber o que pode sair errado, e se precaveja de forma a não se envolver em algum acidente ou algo que possa te prejudicar. Informe as pessoas de que você está aprendendo e vai “tentar”, assim, se der erro, não será uma surpresa, errar é normal no processo de aprendizagem, mesmo com um professor, por exemplo.

7. Anote os passos que você seguiu. Assim, se der certo, você será capaz de fazer de novo. Eu, particurlamente, quando faço algo, adoro tirar uma foto, assim, vejo como eu fiz, e se eu me esquecer, basta ver o que eu fiz. Se você não pode tirar fotos, anote os passos na sequência, desenhe o que você vê ou fez, salve o que você pesquisou, imprima, mas acima de tudo, não deixe de registrar o que deu certo.

8. Leia bons livros. Eles costumam passar muita informação, e de forma organizada. Quem escreveu o livro, teve no mínimo o trabalho de revistar o texto, sendo assim, é bem provavel que o conteúdo seja verídico, e será mais fácil aprender por ele. Se necessário, leia mais de um livro sobre o mesmo assunto.

Existem várias pessoas que, como eu, compartilham as suas experiências, e com todas estas dicas, você estará apto a ser autodidata, e verá que as portas do conhecimento começarão a se abrir para você.

Espero que as informações postadas aqui ajude a você encontrar as informações que precisa, e quem sabe, eu possa contar com você para me ensinar algo.

Por Clebermag

Publicado em Autoajuda,

Alô Mundo!

abril 6, 2010 por clebermag

Comentários,

Dicas e Macetes | 1 Comentário »

Bom, este título é bem sujestivo para alguém que finalmente decidiu e criou um blog. Quem programa computadores, sabe que a primeira coisa que faz ao se fazer o primeiro programa é exibir o tradicional “olá mundo” (ou “Hello World!”, em inglês) e não é por menos: Hoje em dia, com tantas ocupações, blogar parece coisa do outro mundo, e criar um post já é um grande fato em si, principalmente, se a pessoa (assim como eu) achar que fazer isso aqui é um bicho de 7 cabeças, o que descobrí definitivamente não ser. Seria Jogar tempo fora? Bom, talvez, mas porque não colocar idéias em um blog para que as pessoas possam discutir as idéias “alheias”? Sei também, que se por um lado, tornar idéias públicas parece interessante, por outro lado, abre margem para que pessoas possam criticar (inclusive de forma que não esperamos). Mas como ninguém pode ser o dono da verdade por completo, acho que discutir as idéias em um post de blog já está de bom tamanho. E quem quiser me acompanhar, seja bem vindo!

Por Clebermag

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários »

Procurar neste site

Uncategorized | 4 Comentários » • Procurar neste site • Páginas ◦ About • Arquivo ◦

Páginas

About

Arquivo

outubro 2010

setembro 2010

agosto 2010

julho 2010

maio 2010

abril 2010

Categorias

Autoajuda (1)

Comentários (4)

Criticas (3)

Dicas e Macetes (4)

Tutoriais (2)

Uncategorized (2)

Blogroll

WordPress.com

WordPress.org

Meta

Registrar-se

Login

XHTML Válido

XFN

WordPress

Blog no WordPress.com.

Entradas (RSS)

e Comentários (RSS).

◦ Login ◦ XHTML Válido ◦ XFN ◦ WordPress Blog no WordPress.com . Entradas (RSS) e