Você está na página 1de 31

Fé e Vida

Sermão nº 2809

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2019
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Fé e vida / Charles H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2019.
31p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
“Mas o justo viverá pela sua fé.” (Habacuque 2:
4)

“O justo viverá por fé.” (Romanos 1:17)

“Porque o justo viverá pela fé.” (Gálatas 3:11)

“Todavia, o meu justo viverá pela fé.” (Hebreus


10:38)

O fato de essas palavras serem tão


frequentemente encontradas na Palavra de
Deus é uma justificativa suficiente para muitas
vezes pregarmos a partir delas.

Parece haver, entre certos pregadores e


ouvintes, algum tipo de pergunta sobre a
pregação mais de uma vez do mesmo texto; no
entanto, parece que esta não é de forma alguma
uma prática errada, mas sim a mais adequada.

De fato, pode-se pensar que nosso Senhor Jesus


Cristo pregou o mesmo sermão mais de uma
vez, pois o Sermão da Montanha contém muitas
passagens semelhantes às proferidas por Ele em
outras ocasiões. O apóstolo Paulo imitou o
exemplo de seu Mestre quando escreveu aos
filipenses: “Escrever-lhe as mesmas coisas, para
mim, na verdade, não é grave, mas para você é
seguro”. Não precisamos hesitar em seguir
líderes como esses, a verdade contida em
3
nossos textos é tão frequentemente trazida
diante de nós nas Escrituras - e é revelada pelo
menos quatro vezes com quase as mesmas
palavras - devemos considerá-la como da maior
importância imaginável, como de fato é.

Um erro sobre esse assunto seria um erro em


relação à vida - pois nos é dito repetidas vezes:
“O justo viverá pela fé” - e um erro com relação
à vida é um erro vital, e será um erro fatal para
aqueles que cometem erros, a menos que seja
corrigido e retificado por um poder superior ao
seu. Portanto, devemos prestar mais atenção
àquilo que está próximo do coração da
verdadeira religião, e que é, de fato, sua própria
vida. Para o crente, a fé é da maior importância.
Ele deve se esforçar para não perder nenhuma
de suas graças; ele deve procurar, pelo poder do
bendito Espírito, não perder a paciência, nem a
esperança, nem o amor, nem qualquer outra
graça ou virtude; ainda assim, a raiz da
verdadeira religião é a fé, então ele deve antes
de tudo ver isso. Se falharmos na fé, falharemos
em todos os lugares. Eu poderia quase dizer da
fé, no que diz respeito à religião, que é como o
coração, do qual procedem as fontes da vida. Se
a fé é fraca, somos fracos em todo o lado - no
serviço, no sofrimento, em tudo; mas quando a
fé é forte, ela dá força a todos os membros do
corpo espiritual, e toda a maturidade espiritual
está cheia de vigor.
4
Então, meu irmão ou irmã, olhe em primeiro
lugar para a sua fé. Que Deus, o Espírito Santo, o
fortaleça graciosamente, e que nossa
consideração desses quatro textos tenha o
mesmo fim!

Primeiro, na grande mudança da condenação


para a justificação, estas palavras são
verdadeiras: “O justo viverá pela fé” e, em
segundo lugar, usar um termo muito amplo
para absorver todo o resto de nossa vida diária -
em referência ao que nós estamos acostumados
a chamar de santificação - estas palavras
também são verdadeiras: “O justo viverá pela
fé”. É a mesma vida em todo o caminho e o
mesmo método de viver essa vida, a saber, “pela
fé”.

I. Primeiro, então, NA GRANDE MUDANÇA DE


CONDENAÇÃO PARA A JUSTIFICAÇÃO, estas
palavras são verdadeiras: “O justo viverá pela
fé”.

Todos nós precisamos ser libertos da


condenação que é devida por causa do pecado.
Quando a consciência de um homem é
despertada para ver a terrível penalidade que
ele sofreu com suas transgressões, ele clama
por alguém para resgatá-lo da morte que
aparece diante dele como resultado de sua
condenação. Ele começa a buscar uma maneira
de escapar, e ele tenta de todas as maneiras e
5
corre nelas com grande perseverança,
sinceridade e autonegação; mas ele comete um
erro quanto a todas as formas de fuga até chegar
a esse ponto: "O justo viverá da fé". Esse é o
famoso texto que foi o meio de emancipação da
alma de Martinho Lutero. Fiquei no fundo da
Santa Scala, ou escada sagrada, em Roma, que
supostamente é supersticiosamente aquela em
que o Salvador veio do salão de Pilatos; eu nunca
subi as escadas, porque ninguém pode subir,
exceto de joelhos, e eu não faria isso; mas andei
subindo e descendo os degraus ao lado deles. Há
certos buracos cortados no piso de madeira que
envolve a escadaria de mármore, e esse piso de
madeira foi desgastado muitas vezes pelos
joelhos dos peregrinos. Há lugares cortados -
onde os sacerdotes dizem que o sangue de Jesus
caiu - a fim de permitir que os pobres devotos da
superstição beijem o local onde as gotas de
sangue caíram. Já vi dezenas de homens e
mulheres subindo a escadaria de joelhos, pois
dizem que há grandes indulgências a serem
obtidas subindo as escadas. Lutero estava
fazendo isso, pois ele tinha ido a Roma
determinado a se livrar de seus pecados, se
possível; e enquanto ele estava no meio daquela
labuta servil, buscando ganhar a vida eterna por
suas penitências, este texto veio a sua mente -
ele o havia lido na Bíblia no mosteiro - “O justo
viverá pela fé”; para espanto dos que olhavam,
ele se levantou dos joelhos, para nunca mais
subir a Santa Scala, pois descobrira aquilo que

6
procurava, o verdadeiro modo de viver; e você
sabe que não demorou muito para que ele
precisasse contar aos outros a vida e a paz que
ele havia descoberto. Um velho monge, que
sabia alguma coisa sobre essas verdades, mas
que não queria fazer nenhum barulho a respeito
delas, disse-lhe: “Volte para a sua cela, viva
perto de Deus e não se mexa”. Deus não queria
que ele voltasse para sua cela, e ele começou a
falar, e logo o mundo soube que uma poderosa
mudança havia sido trabalhada, mas tudo veio,
instrumentalmente, através de Lutero
aprendendo esta grande verdade, “O justo
viverá pela fé.”

Se eu estou me dirigindo a qualquer um que


esteja tentando obter a vida eterna por meio de
suas próprias obras - se você consertou seus
caminhos o bastante, chegou a hora de fazê-lo -
se você obteve muitas virtudes às quais você era
estranho antes, estou muito feliz em ouvi-lo,
pois era seu dever fazê-lo, mas, se você está
esperando, por qualquer meio, para colocar de
lado o seu pecado, oh que alguma voz, mais
potente do que a minha, fale não somente ao seu
ouvido, mas ao seu coração, e diga: “O justo
viverá da fé!” É bom que você tenha abandonado
o banco de alegria vã. Se você se absteve de
linguagem profana, é bom que você seja
honesto, é mais louvável que você esteja
procurando ser um conforto para seus amigos
em casa, e observar todas as leis da vida
7
doméstica e social; mas se você estiver
buscando, dessa maneira, obter a vida eterna,
sentirá falta do objeto de sua busca. Não é para
que você possa ser feito justo aos olhos de Deus,
ou que você possa garantir a verdadeira vida
espiritual, pois “o justo viverá pela fé”, isto é,
pela fé em Jesus Cristo. Você sabe "a velha
história", mas contarei a você mais uma vez. Para
obter a vida, você deve crer naquele querido
Filho de Deus que veio à Terra, tomou nossa
natureza e levou nosso pecado, e foi feito
maldição por nós para que não pudéssemos ser
mais uma maldição; e morreu, “o justo para o
injusto, para que Ele nos leve a Deus”. Sua fé
deve ser fixada no que Ele fez, não no que você
pode fazer; e sobre o que Ele sofreu, não sobre o
que você pode sofrer por meio de
arrependimento, desânimo e angústia de alma.
Você deve olhar imediatamente para qualquer
coisa que existe dentro ou sobre você, ou
qualquer coisa que possa realizar ou alcançar,
ao preço de resgate pago por Cristo na cruz do
Calvário, pois se você deve viver - você pode
viver somente - pela fé em Jesus Cristo, pois
“pelas obras da lei não há carne justificada
diante de Cristo”.

Alguns, no entanto, depositam grande


confiança em várias formas de observância
religiosa, como o próprio Lutero fez até que seus
olhos foram abertos pelo Espírito Santo. Se esse
é o seu caso, meu querido amigo, deixe-me dizer
8
que é bom que você compareça à casa de Deus,
e estou feliz por você; mas se você tem a ideia de
que deve ser salvo porque vai tantas vezes por
semana à assembleia dos santos, está
cometendo um erro fatal. É bom pesquisar as
Escrituras; mas se você imaginar que o exame
delas irá salvá-lo - se você acha que nelas existe
a vida eterna - você descobrirá que há algo mais
a ser feito antes que você possa obter essa
grande bênção, a saber, vir a Cristo para que
você possa ter vida eterna, pois você examinará
as Escrituras em vão se considerar esse
exercício como algo que merece a salvação.

É bom que você tenha começado a orar; mas


toda a oração no mundo, se for invocada como
uma base de salvação, é como um alicerce
arenoso para um homem construir. Você pode
chorar por seu estado pecaminoso, suas
lágrimas podem fluir até que, como Niobe, você
seja transformado em uma fonte perpétua; mas
a salvação não vem assim. “O justo viverá pela
fé.”

Todos os exercícios devocionais nos quais você


possivelmente pode se envolver, em público ou
em particular, com todos os chamados
“sacramentos” lançados, e toda a eficácia
sacerdotal da qual os homens sonham - mesmo
que haja uma coisa dessas na realidade - tudo
isso não poderia salvá-lo. “O justo viverá da fé”.
Essa é a única maneira de viver que Deus
9
ordenou para pecadores mortos em delitos e
pecados.

Há uma noção mais comum, talvez, do que


qualquer uma dessas duas, da salvação por
obras ou cerimônias, e essa é a ideia de uma
certa quantidade de terror da consciência, que é
muitas vezes confundida com a verdadeira
convicção do pecado. De acordo com as ideias de
algumas pessoas, esse estado deve ser passado
antes que você possa ser salvo. Você deve
sonhar com coisas terríveis à noite e acordar de
manhã cheio de horror e confusão, e cuidar de
seus negócios no mais alto grau de desespero
possível. Então, alguns dizem, e é verdade que
há muitos que vêm a Deus dessa maneira.

Não duvido que existam milhares de pessoas


que alcançam a Cidade Celestial por meio do
Pântano do Desânimo; não, como posso duvidar
disso, quando eu fui assim mesmo? No entanto,
esse não é o melhor caminho; é nossa errância e
erro que nos leva a seguir esse caminho, pois o
justo não viverá do desânimo, mas da fé.

Os justos não encontrarão a vida eterna através


do terror e do desespero; mas eles acharão isto
crendo no Senhor Jesus Cristo.

Os profetas de Baal estavam sob uma ilusão


grosseira quando “clamavam em voz alta e
cortavam-se segundo as suas maneiras com
10
facas e lancetas, até que o sangue jorrasse sobre
eles”; mas estão igualmente iludidos aqueles
que pensam que, dilacerando sua consciência, e
esforçando-se por tornar-se miseráveis, obterão
assim o favor de Deus. Isso não é verdade, você
pode até mesmo ser colocado na argamassa da
convicção, e zurrar com o pilão da lei até que
você seja reduzido a átomos, e não há mais
esperança em você; mas esse não é o caminho
da salvação. “Acredite e viva” é o preceito do
evangelho. “Deus amou o mundo de tal maneira
que deu o seu Filho unigênito, para que todo
aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida
eterna”. “O justo viverá da fé”. Portanto, não
tente criar outro modo de salvação, “porque
outro fundamento não pode qualquer homem
colocar do que aquele que está posto, que é Jesus
Cristo”; e a salvação vem edificando sobre esse
fundamento, descansando e confiando somente
nEle.

Há, sem dúvida, outros que estão procurando


em várias direções para a salvação, mas
podemos dizer a todos eles que não adianta o
modo como eles olham - de um jeito ou de outro,
para cima, para baixo, para a direita ou para a
esquerda - até que eles olhem pela fé para Jesus
Cristo; mas, oh, que vida vem fluindo para a
alma tão logo o olho esteja fixado em Jesus!

No caso de alguns de nós, a emoção que passou


pelo nosso coração, diretamente nós olhamos
11
para Jesus, era como um pequeno céu. Pareceu-
nos como se de repente tivéssemos sido trazidos
para um novo mundo. Para mim, acreditar em
Jesus trouxe tal mudança em mim, ao mesmo
tempo, que eu só posso compará-lo com a
experiência de um homem cego, que, nunca
tendo visto um raio de luz, deve ser subitamente
trazido durante a noite, sob o céu cravejado de
estrelas, e então deveria ter uma operação
instantânea realizada em seus olhos para que
em um momento ele pudesse ver claramente.
Oh, quão arrebatado ele ficaria, quão surpreso,
quão feliz! Como toda pequena estrela parece
brilhar para ele! Como cada raio de luz parece
fazê-lo feliz! Ele bateria palmas; pularia de
alegria no novo sentido da visão e no prazer
recém-descoberto que trouxera à sua vida. Este
é o tipo de felicidade que vem através da crença
em Jesus. É como a descoberta do tesouro
enterrado; lá vem uma inundação de prazer
sobre a alma que deve ser experimentada para
ser entendida, pois não pode ser descrita. Não
chega a todos tão de repente, pois alguns olhos
são abertos gradualmente; primeiro eles veem
homens, como árvores, caminhando; e, pouco a
pouco, eles enxergam mais plenamente; mas,
por mais que se manifeste, a mudança que a fé
opera na alma é verdadeiramente maravilhosa.

Amado, aquele que crê em Jesus é “justificado


de todas as coisas, das quais ele não pôde ser
justificado pela Lei de Moisés”. Ele confia em
12
uma expiação perfeita que afasta todo o pecado
da existência terrena do homem, e ele se alegra
com isso, com alegria indescritível e cheia de
glória.

Homem, você vai morrer; a sentença que já lhe


foi proferida será executada em breve, a menos
que você acredite em Jesus, pois "aquele que não
crê já está condenado, porque não creu no nome
do Filho unigênito de Deus". Mas, se você
acredita em Jesus, você nunca pode ser
executado por seu pecado. Para você, não há
inferno; para você, não há verme imortal, nem
Tofete, nem Geena; não pode haver nenhuma
dessas coisas, pois você não tem pecado agora.
“Os teus pecados, que são muitos, são todos
perdoados.” “Portanto, agora não há
condenação para os que estão em Cristo Jesus,
que não andam segundo a carne, mas segundo o
Espírito.” “Portanto, sendo justificados pela fé,
temos paz com Deus através de nosso Senhor
Jesus Cristo: por quem também temos acesso
pela fé a esta graça em que estamos firmes e nos
regozijamos na esperança da glória de Deus”.

A fé traz vida, liberdade, amor e alegria eternos


ao coração; mas nada mais fará isso.

Este, então, é o primeiro sentido da expressão:


"O justo viverá pela fé"; e muitos de nós temos
percebido isso e bendizemos a Deus que o
temos.
13
Eu desejo que todos neste lugar não somente
conhecessem a fé, mas realmente tivessem fé.
Oh, que alguns possam tê-lo agora, e que, antes
que esta congregação se dissolva, cada um deles
possa dizer: “Eu creio em Jesus. Eu repouso
sobre ele. Afundo ou nado, eu caio em seus
braços. Aconteça o que acontecer, Cristo será
para mim, a partir de agora, toda a minha
salvação e todo o meu desejo!”

Ó bendito Espírito, trabalhe esta fé em cada


coração aqui presente agora, por amor de Jesus!
Amém.

II. Agora vem a segunda parte do assunto, a


saber, que TODA A VIDA POSTERIOR DO
CRISTÃO, APÓS ELE TER RECEBIDO A VIDA, É
AINDA PELA FÉ. Note, primeiro, que o crente,
depois de sua conversão, não vive de outro
modo a não ser pela fé. Nenhum cristão
permanece um cristão exceto por ainda crer.
Onde nós começamos, lá nós continuamos;
olhamos para Jesus no princípio e ainda estamos
olhando para Jesus. Chegamos a Ele no
princípio, e ainda nos aproximamos dEle “como
a uma pedra viva, eleita e preciosa”. Não
conhecemos o futuro fundamento da esperança
que pode ser mais forte ou melhor do que isso,
não, não sabemos de nada a não ser acreditar
em Jesus Cristo. Eu imploro a vocês, amados
cristãos, que tentem evitar todas as tentativas de
viver de outra maneira.
14
Há alguns cristãos professos que vivem de suas
devoções. Agora, nenhum cristão pode viver
sem oração - sem louvor - sem se alimentar da
Palavra de Deus. Ninguém deveria tentar fazer
isso; mas se algum homem começar a dizer:
“Agora posso viver sem fé em Jesus, porque leio
muitos capítulos todas as manhãs e passo muito
tempo em oração, e também assisto a tantos
cultos públicos ” - ah! Meu irmão, você saiu do
caminho certo agora, pois você não está vivendo
pela fé. Mas se você orar com fé e louvor na fé e
ler a Palavra de Deus com fé, todas essas coisas
serão úteis para sua vida espiritual; mas se a fé
for deixada de fora, todas estas coisas serão
como simples cascas que não contêm trigo
nelas.

Temo que haja alguns professantes de religião


que se sintam perfeitamente satisfeitos se
tiverem passado pela rotina regular do dia. Eu
admiro hábitos de devoção; eles devem ser
mantidos; mas se o mero hábito é confundido
com o poder vivente, e se toma o lugar de vir
continuamente a Jesus pela fé pessoal viva, você
logo se encontrará em um caso muito estranho.
"O justo viverá pela fé", e não por estas coisas à
parte da fé. A fé coloca poder nelas, mas elas não
têm força viva separada da fé.

Há alguns outros cristãos que tentam viver de


acordo com suas obras. Eles são crentes em
Jesus, mas entraram em tal estado de coração
15
que são felizes, sossegados e confortáveis,
somente quando podem ter certa atividade no
serviço de Deus. Mas se, por doença ou por
qualquer outra causa, forem impedidos de
prestar serviço ativo, estarão cheios de dúvidas
e começarão a pensar que não são salvos, o que
prova que pelo menos eles estavam
descansando em suas atividades.

Agora, por todos os meios, sejamos ativos no


serviço de nosso Salvador; sejamos zelosos em
boas obras, pois para este fim fomos chamados,
e isto é para a glória de Deus. Mas, amado, se eu
fosse começar a me consolar com a salvação da
minha alma do fato de minha diligência em
pregar o evangelho, eu estaria cometendo um
grande erro; ou se você começou a tirar consolo
de sua seriedade na aula da Escola Dominical,
ou se deveria confiar em sua devoção a várias
sociedades beneficentes, ou em qualquer coisa
que você faça, você estaria completamente
errado e no caminho errado. Você estaria se
alimentando onde Deus não quer que você se
alimente. Faça tudo o que puder, mas viva pela
fé. Sirva a Deus com todas as suas forças, mas
nunca faça de seu serviço um suporte ou
travesseiro de confiança; porque, mesmo
quando fizemos tudo o que devemos fazer, ainda
somos servos inúteis; e devemos trazer nossas
melhores obras e pedir perdão por suas
imperfeições, assim como houve um sacrifício
designado pelos pecados das coisas sagradas de
16
Israel. Que pecado há mesmo em nossas coisas
sagradas, para que eles possam nos amaldiçoar
mais cedo do que nos salvar! Não confiemos
nelas, nem tentemos viver por elas, como
alguns fazem.

Existem outros cristãos que vivem sentindo. De


fato, ouvi alguns defensores de que devemos
viver sentindo. Agora, um verdadeiro cristão
não pode estar sem sentimentos. Deus me livre
que ele deveria! Sentimentos de tristeza,
sentimentos de alegria, sentimentos de
depressão espiritual e sentimentos de santa
alegria - tudo isso é necessário em seu tempo e
lugar; mas viver sentindo e avaliar nossa
segurança por nosso estado de sentimento seria
um trabalho verdadeiramente terrível, porque
nossos sentimentos são mais inconstantes do
que o clima. Está bem agora; mas em meia hora
pode chover. Em um clima tão variável como o
nosso, nunca podemos prever por muito tempo
qualquer tipo de clima; e quanto a nossos
corações e nossos sentimentos, tão
dependentes de nossa saúde corporal, ou da
bondade ou da falta de bondade de nossos
amigos - tão dependentes de mil coisas
pequenas que são quase tão pequenas para
serem observadas - se começarmos a estimar
nossa segurança por nossos altos e baixos, nos
sentiremos perdidos e nos sentiremos salvos
uma centena de vezes por dia. Esse plano não
fará. "O justo viver pela fé". Eu gosto de acreditar
17
em Jesus quando tenho os piores sentimentos,
tão firmemente quanto quando tenho o melhor
deles, e confio em Deus da mesma forma
quando minha plena segurança nEle transborda
Deleite como eu senti quando minha alma foi
esvaziada pela tristeza. Você acha que eu
coloquei essa frase da maneira errada? Eu não o
fiz, pois é mais fácil, creio eu, confiar em Cristo
nas profundezas da tristeza do que quando você
está no alto de seus estribos e se sente alguém;
pois então, quase insensivelmente, você se
afasta do único fundamento de sua posição pela
fé no Senhor Jesus Cristo.

Há também alguns que vivem muito, mesmo


em questões religiosas, em suas circunstâncias
externas. Há alguns que, se ficarem pobres,
quase desistem de toda profissão de religião.
Eles dizem que não têm roupas adequadas para
ir à casa de Deus e que não gostam de serem
vistos por pessoas que os conheciam quando
estavam em melhores condições; de modo que
a religião depende de quantos xelins por
semana eles podem ganhar, e isso é uma
preocupação muito ruim. Mas, se tivermos
aprendido a viver pela fé, seguiremos o Senhor
em trapos se Ele não nos der nada melhor para
vestir; e se não temos sapatos para os nossos pés,
vamos segui-lo mesmo assim. Estejamos em
qualquer condição que possamos, nunca
seremos piores do que Ele; então vem a pobreza
ou vem a riqueza; vem o menor fluxo possível de
18
fortunas externas; ainda, contudo, se vivemos
pela fé, devemos nos aproximar dos calcanhares
do Crucificado. Deus nos conceda graça para
viver acima de nossas circunstâncias externas!
Lembre-se dessa mensagem inspirada: “O
homem não viverá somente de pão, mas de toda
palavra que sai da boca de Deus”. Assim, você vê
que o cristão não vive de outra maneira senão
pela fé. E, amado amigo, ele vive em todas as
formas de sua vida pela fé. Eu só posso falar, por
um minuto ou dois, sobre esse pensamento. Em
uma forma de sua vida, o cristão é uma criança
em casa com seu pai. Bem, quando criança, ele
vive pela fé, pois “tantos quantos O receberam,
lhes deu o poder de se tornarem filhos de Deus,
a saber, para aqueles que creem em Seu nome”.
Nossa filiação e adoção permanecem para nós
pela fé, e nós continuamente olhamos para
Deus, nosso Pai, pela fé. Como Seus filhos,
recebemos ensino, suprimentos, comida,
roupas e tudo, e recebemos tudo pela fé. Para o
filho de Deus, a fé é a mão que tira tudo de Deus.
Eu sou seu filho e sei que ele suprirá todas as
minhas necessidades; mas a fé me leva a dizer-
lhe a minha necessidade - sim, faz-me sentir que
Ele sabe do que eu preciso antes de pedir-lhe, e
por isso tomo dEle o que Ele dá livremente
crendo nEle.

O cristão é, em seguida, descrito na Palavra de


Deus como um peregrino. Ele está viajando para
"uma cidade que tem fundações", mas, por todo
19
o caminho até lá, ele segue pela fé. Ele nunca dá
um passo para o céu exceto pela fé. Um passo
incrédulo não é um passo em direção ao céu.
Todo o progresso que é feito por qualquer filho
de Deus é devido à fé. O cristão também é
descrito como um guerreiro; e não há luta
exceto pela fé e nenhuma arma de defesa como
o grande escudo da fé. Nenhuma vitória é ganha
por duvidar; nenhum demônio é derrotado pelo
desalento. A desconfiança de Deus nunca pôs
em fuga os exércitos dos alienígenas; a
incredulidade nunca parou a boca dos leões,
nem apagou a violência do fogo, nem dividiu o
mar, nem conquistou a terra. Aponte para as
maravilhas trabalhadas pela incredulidade, se
puder. Tudo o que pode mostrar é ruína e
desolação; porque a incredulidade é impotente,
exceto para o mal. O justo, quando luta, deve
lutar pela fé, e a fé é a vitória que vence o mundo.
O cristão também é continuamente descrito na
Palavra de Deus como servo. Agora, todo serviço
feito por Deus deve ser feito pela fé. Um dos
primeiros objetivos de nosso serviço deve ser o
de agradar a Deus, mas “sem fé é impossível
agradá-Lo”. Ó irmãos e irmãs, se sempre formos
ao nosso trabalho, como cristãos, dizendo: “Eu
vou fazer pela fé ”, quão diferente agiríamos do
que fazemos agora! Sentamo-nos e pensamos
em nossas muitas fraquezas, e dizemos: “Jamais
cumpriremos essa tarefa”. Mas, senhores, vocês
se esqueceram dos braços eternos e do poder
onipotente de Jeová? Observamos quão difícil é

20
o dever e quão forte é a oposição, e assim vamos
trabalhar com muita desconfiança; mas se, em
vez disso, disséssemos: “Quem és tu, ó grande
monte? Diante de Zorobabel você se tornará
plano”, teríamos certeza de vencer. O serviço
prestado na incredulidade é como um vaso
estragado na roda do oleiro; mas enquanto a fé
puder girar a roda e moldá-la, chegará a algo que
o Mestre pode usar. Você deve acreditar, pois
assim você será capaz de servir. “Confie no
Senhor e faça o bem”, mas certifique-se de fazer
a primeira coisa. A confiança deve vir antes do
fazer e misturar-se com todo o fazer, ou então
será um ato muito pobre. Bem, então, em
qualquer capacidade em que um cristão é
encontrado, ele deve estar sempre acreditando.
Se você tiver que ir para casa, e ir para a cama, e
ficar lá por um mês e sofrer, suba acreditando
que o Senhor fará sua cama em toda a sua
doença. Se você tiver que voltar a um negócio
onde tudo parece estar dando errado com você,
vá com fé e saiba que Ele disse: “Pão será dado a
você, suas águas serão certas.” Ou se você
estiver indo, no próximo domingo, para dar uma
aula na escola dominical, ou dar uma volta com
seus folhetos em um distrito onde você tem que
chamar algumas pessoas de mente feia, vá com
fé. Não disse o Senhor: “Certamente estarei
contigo. Eu te abençoarei e te ajudarei ”? Então,
vá em fé. Isso mudará toda a cor e o teor de sua
vida se você se lembrar de que “o justo viverá
pela fé”, qualquer que seja sua forma de vida.

21
Muito rapidamente, permita-me também dizer-
lhe que é assim que os justos devem viver em
todos os casos e condições. O profeta
Habacuque foi quem primeiro pronunciou
estas palavras: "O justo viverá pela sua fé". Eu me
pergunto se ele as compreendeu
completamente. É sempre agradável ver se um
médico toma seu próprio remédio e se um
pregador pratica seus próprios preceitos. Acho
que foi assim que Habacuque entendeu essas
palavras; aqui está sua exposição prática delas,
nos últimos versos de sua profecia: “Ainda que a
figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o
produto da oliveira minta, e os campos não
produzam mantimento; as ovelhas sejam
arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja
gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto
no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a
minha fortaleza, e faz os meus pés como os da
corça, e me faz andar altaneiramente. Ao mestre
de canto. Para instrumentos de cordas.” Ora, é
um hino, não é? - o hino de um homem que viu
o pão indo, a carne indo, o óleo indo, e tudo mais,
e ainda assim se alegrou no Senhor. Isto é o que
ele quis dizer por viver pela fé - fé, você vê, em
frutas - fé em rebanhos - fé em gado - fé em
figueiras - fé em tudo - sim, uma fé que faz sem
nada - uma fé que não pode levar nada e se
contentar com isso porque encontra tudo em
Deus - a fé nas piores condições concebíveis. É
22
assim que os justos devem viver. E como eles
devem viver assim no seu pior, eles também
deveriam viver no seu melhor - ainda pela fé.

Fui informado de um amigo que andou com


aquele abençoado homem de Deus, o Sr. George
Muller, de Bristol, e que fez a observação a ele de
que achava que tinha um saldo de 5 mil libras
por ano. “Sim,” disse o Sr. Muller, “Deus foi
muito gentil, e nós tivemos um grande
equilíbrio.” “E eu acho”, disse o amigo, “por
alguns anos você sempre teve um grande
equilíbrio.” “Sim, "Ele respondeu, "nós temos."
"Bem", perguntou o outro," você agora, meu
irmão, confia em Deus tão simplesmente como
você fez quando teve que chamar as crianças
para orar porque não havia pão para dar-lhes
para o jantar, e Deus graciosamente enviou-lhe
o jantar apenas na hora certa? Sua fé é tão
simples? Vocês andam pela fé como fizeram
então?” E aquele bom homem disse: “Sim, meu
querido irmão, eu vivo pela fé agora como fiz
então, somente muito mais, pois acho que tenho
mais necessidade de fé agora para evitar que eu
comece a confiar no que tenho em estoque”. É
exatamente isso; se você está se dando bem na
vida, precisa de mais fé para evitar que você faça
um deus do que você tem e confie nele. Em vez
de menos fé no tempo de prosperidade, você
precisará ainda mais. Há algumas pessoas, você
23
sabe, que se apoiam em Deus porque não têm
mais ninguém para se apoiar. Eles são como
aquele famoso cavaleiro de quem Cowper
cantava, que estava - "Abaixando-se conforme
suas necessidades, ele não pode sentar-se
direito". É assim que acontece com a fé dessas
pessoas, e de boa fé também é; mas essa fé é
ainda mais nobre que tem algum meio aparente
de se sentar, que parece ter algo em que confiar,
mas não o fará porque desdenha ter coisas
visíveis, do tipo melhor e mais poderoso, para
descansar, mas descansará em nada além de
Deus. Por que, você adere e apoia, se eu confiar
em você hoje, eu posso precisar de você
amanhã, e onde eu estarei então? Não; como
Abraão disse ao rei de Sodoma: “Eu não vou tirar
de você até um fio de um cadarço, não tomarei
nada que seja seu, para que você não diga: Eu
tornei Abraão rico”, muitas vezes temos que
lançar deixando de lado o que nos é oferecido, e
dizemos: “Eu não posso e não quero, para que
meu coração nunca possa confiar naqueles
dons, e não em meu Deus.” Você sabe como o
diabo falou a Deus a respeito de Jó, “Você não fez
uma cobertura sobre ele e sobre sua casa e
sobre tudo o que ele tem de todos os lados? Você
abençoou o trabalho de suas mãos e suas posses
aumentaram na terra. Mas estende a mão agora,
e toca em tudo o que ele tem, e ele te
amaldiçoará na tua face.” Isso é o que o diabo
24
disse, mas isso não era verdade; no entanto, em
alguns casos, existe o perigo de se tornar
verdade. Estamos nos dando muito bem e a
cerca está ao nosso redor. Ah! Mas não devemos
amar a cerca, ou ela será tirada de nós. Se você
ama os campos, o ouro e a prata, e começa a
confiar neles, você os perderá. “O justo viverá da
fé” - tanto no clima do verão quanto no frio do
inverno; atentem para esse assunto, ó vocês que
são filhos de Deus! “O justo viverá da fé” em
todas as condições. Quando ele vier para
morrer, ele viverá pela fé. Lembro-me do que
um servo disse sobre seu mestre que era cristão.
O ministro disse ao servo: "Sam, seu mestre está
morrendo?" "Sim, senhor", ele disse, "ele está
morrendo". "E como ele está morrendo, Sam?"
"Senhor", disse o servo, “ele está morrendo
cheio de vida”. É assim que um cristão deve
morrer “cheio de vida”. A vida de Deus está
dentro dele até o fim. Até ele entrar na glória “O
justo viverá da fé”. Sim, e antes que chegue lá,
provará algumas das alegrias do céu, pois viver
pela fé significa viver no celestial; significa
antecipar a glória que ainda será revelada. Viver
pela fé nos faz viver a vida de Deus; e aquele que
vive a vida de Deus deve, em algum grau, viver a
vida do céu. Oh, que isto seja tão desenvolvido, e
fortalecido que, a partir de agora, possamos
viver pela fé até o fim! O Senhor te abençoe, pelo
amor de Jesus! Amém.
25
Mateus– 22

1 De novo, entrou Jesus a falar por parábolas,


dizendo-lhes:

2 O reino dos céus é semelhante a um rei que


celebrou as bodas de seu filho.

3 Então, enviou os seus servos a chamar os


convidados para as bodas; mas estes não
quiseram vir.

4 Enviou ainda outros servos, com esta ordem:


Dizei aos convidados: Eis que já preparei o meu
banquete; os meus bois e cevados já foram
abatidos, e tudo está pronto; vinde para as bodas.

5 Eles, porém, não se importaram e se foram,


um para o seu campo, outro para o seu negócio;

6 e os outros, agarrando os servos, os


maltrataram e mataram.

7 O rei ficou irado e, enviando as suas tropas,


exterminou aqueles assassinos e lhes incendiou
a cidade.

8 Então, disse aos seus servos: Está pronta a


festa, mas os convidados não eram dignos.
26
9 Ide, pois, para as encruzilhadas dos caminhos
e convidai para as bodas a quantos
encontrardes.

10 E, saindo aqueles servos pelas estradas,


reuniram todos os que encontraram, maus e
bons; e a sala do banquete ficou repleta de
convidados.

11 Entrando, porém, o rei para ver os que


estavam à mesa, notou ali um homem que não
trazia veste nupcial

12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui


sem veste nupcial? E ele emudeceu.

13 Então, ordenou o rei aos serventes: Amarrai-


o de pés e mãos e lançai-o para fora, nas trevas;
ali haverá choro e ranger de dentes.

14 Porque muitos são chamados, mas poucos,


escolhidos.

15 Então, retirando-se os fariseus, consultaram


entre si como o surpreenderiam em alguma
palavra.

16 E enviaram-lhe discípulos, juntamente com


os herodianos, para dizer-lhe: Mestre, sabemos
que és verdadeiro e que ensinas o caminho de
Deus, de acordo com a verdade, sem te
27
importares com quem quer que seja, porque
não olhas a aparência dos homens.

17 Dize-nos, pois: que te parece? É lícito pagar


tributo a César ou não?

18 Jesus, porém, conhecendo-lhes a malícia,


respondeu: Por que me experimentais,
hipócritas?

19 Mostrai-me a moeda do tributo. Trouxeram-


lhe um denário.

20 E ele lhes perguntou: De quem é esta efígie e


inscrição?

21 Responderam: De César. Então, lhes disse:


Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que
é de Deus.

22 Ouvindo isto, se admiraram e, deixando-o,


foram-se.

23 Naquele dia, aproximaram-se dele alguns


saduceus, que dizem não haver ressurreição, e
lhe perguntaram:

24 Mestre, Moisés disse: Se alguém morrer, não


tendo filhos, seu irmão casará com a viúva e
suscitará descendência ao falecido.
28
25 Ora, havia entre nós sete irmãos. O primeiro,
tendo casado, morreu e, não tendo
descendência, deixou sua mulher a seu irmão;

26 o mesmo sucedeu com o segundo, com o


terceiro, até ao sétimo;

27 depois de todos eles, morreu também a


mulher.

28 Portanto, na ressurreição, de qual dos sete


será ela esposa? Porque todos a desposaram.

29 Respondeu-lhes Jesus: Errais, não


conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

30 Porque, na ressurreição, nem casam, nem se


dão em casamento; são, porém, como os anjos
no céu.

31 E, quanto à ressurreição dos mortos, não


tendes lido o que Deus vos declarou:

32 Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o


Deus de Jacó? Ele não é Deus de mortos, e sim de
vivos.

33 Ouvindo isto, as multidões se maravilhavam


da sua doutrina.
29
34 Entretanto, os fariseus, sabendo que ele
fizera calar os saduceus, reuniram-se em
conselho.

35 E um deles, intérprete da Lei,


experimentando-o, lhe perguntou:

36 Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?

37 Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu


Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e
de todo o teu entendimento.

38 Este é o grande e primeiro mandamento.

39 O segundo, semelhante a este, é: Amarás o


teu próximo como a ti mesmo.

40 Destes dois mandamentos dependem toda a


Lei e os Profetas.

41 Reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus:

42 Que pensais vós do Cristo? De quem é filho?


Responderam-lhe eles: De Davi.

43 Replicou-lhes Jesus: Como, pois, Davi, pelo


Espírito, chama-lhe Senhor, dizendo:
30
44 Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à
minha direita, até que eu ponha os teus inimigos
debaixo dos teus pés?

45 Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele


seu filho?

46 E ninguém lhe podia responder palavra, nem


ousou alguém, a partir daquele dia, fazer-lhe
perguntas.

31

Interesses relacionados