Você está na página 1de 83

BEM-VINDOS!

Apresentação realizada por:

•Eng.º José Eduardo Marçal - Gestão do Empreendimento


Earth Tech/Procesl
- Coordenação de Segurança
Earth Tech
GESTÃO DO EMPREENDIMENTO
Gestão do Empreendimento

• Funções da Gestão do Empreendimento


- Dono de Obra Delegado
- Coordenação de todas as entidades envolvidas no Projecto
- Coordenação de Projecto
- Procurement e Contratos
- Gestão da Informação e do Sistema de Informação (KEMS)
- Gestão de Prazos - Planeamento
- Controlo de Custos
- Gestão da Qualidade
- Gestão Ambiental
- Gestão da Segurança
Gestão do Empreendimento

• Principais Funções da Fiscalização


- Controlo da Construção
- Coordenação de todos os empreiteiros envolvidos na Construção
- Planeamento de Obra
- Controlo de Custos e Facturação
- Controlo da Qualidade
- Controlo Ambiental
- Controlo da Segurança
Caracterização da Empreitada

• Designação da Empreitada da Alves Ribeiro


Empreitada de Escavação Geral, Contenção Periférica,
Desvio de Infraestruturas, Estruturas de Betão Armado e
Pré-fabricados.

Prazo de realização: 16 meses.

Processo Construtivo: Estruturas de Betão Armado e


Betão Armado Pós-esforçado, essencialmente constituídas
por conjuntos de pórticos principais distribuídos radialmente.
Pisos constituídos a partir de pré-lajes e betão
complementar aplicado em obra. Bancadas pré-fabricadas.
Caracterização da Empreitada
Principais Indicadores do Empreendimento

- Área total de implantação:


Área de Bancadas + Campo de Futebol 30 000 m2
Novo Estádio + FEC, Ginásio e Piscinas 36 000 m2
Edifício de Apoio Administrativo 2 100 m2
- Área bruta de construção:
Novo Estádio + FEC, Ginásio e Piscinas 160 000 m2
Edifício de Apoio Administrativo 11 000 m2
- Capacidade total do Estádio:
Aproximadamente 50 000 lugares
- Capacidade total do Estacionamento:
Aproximadamente 1 500 lugares
Caracterização da Empreitada

• Quantidades de Trabalho
Volume total de escavação 480 000 m3
Volume total de betão 73 000 m3
Área total das contenções periféricas 3 670 m2
Aço de Construção 7 000 ton
Cofragem 330 000 m2
Lajes pré-fabricadas 12 800 m3
77 250 m2
Bancadas 6 200 m3
(aprox. 27 Km)
Outras Empreitadas

- Empreitada de Execução da Cobertura do NEJA:


Aço 2 160 ton
Perfis tubulares metálicos 7 000 un
Chapa de Policarbonato para Cobertura 25 670 m2

- Empreitada de Acabamentos do NEJA


- Empreitada de Instalações e Equipamentos do NEJA
- Empreitada de Alvenarias, Acabamentos e Instalações
Especiais do Edifício de Apoio Administrativo:
Lote A - Alvenarias e Acabamentos
Lote B - Caixilharias e Vidros Exteriores
Lote C - Pavim. Técnicos, Divisórias Amovíveis e Tectos Falsos
Lote D - Instalações Eléctricas
Lote E - Instalações de AVAC
COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA - Fase de Projecto
Coordenação de Segurança na Fase de Projecto

• Intervenções no empreendimento

- Definição de requisitos contratuais


- Elaboração de Planos de Segurança e de Saúde
- Avaliação de Propostas dos empreiteiros
- Realização de reuniões com projectistas, com o
objectivo de promover a aplicação dos Princípios
Gerais de Prevenção
COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA - Fase de Obra
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

• Principais Meios de Produção


Valor: Máximo Médio
Carga de Mão-de-Obra Prevista (Homens) 650 500
Carga de Equipamento Prevista (unidades) 160 50

Nº de Entidades Empregadoras: cerca de 60

Nº de Gruas em Actividade: 5 (Gruas Torre)


6 (Gruas Móveis)

1 Central de Betão em Obra


Coordenação de Segurança na Fase de Obra

• Equipa Técnica - Segurança

Gestão da Segurança e Coordenação de Segurança:


- 1 Gestor da Segurança
- 3 Engenheiros Adjuntos

Fiscalização:
- 1 Inspector de Segurança

Empreiteiros:
- 13 Técnicos de Prevenção
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Coordenar a actividade dos diversos


intervenientes no estaleiro, tendo em
vista a integração dos Princípios
Gerais de Prevenção nos processos
construtivos e organização do
trabalho.

1
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Deixadas entregues
a si próprias, as
coisas tendem a ir de
mal a pior.

Segundo Corolário de
Murphy
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

INTEGRAÇÃO
DOS PRINCÍPIOS GERAIS
DE PREVENÇÃO
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

1 - ELIMINAÇÃO DO RISCO

Eliminação do risco de
queda em altura através
de uma estrutura mista
de cimbre e andaime.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

2 - AVALIAÇÃO DOS RISCOS

Procedimento de Inspecção e Prevenção de uma


Actividade
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

3 - COMBATER OS RISCOS NA ORIGEM

3.1. Montagem de
alguns elementos da
Central de Betão
através de plata-
forma acoplada ao
Multifunções.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

3.2. Utilização de uma


plataforma suspensa
para colocação dos
acessórios para a
montagem dos painéis
pré-fabricados.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

4 - ADAPTAR O TRABALHO AO HOMEM

4.1. Linha de Vida:


colocação de lajes
alveolares.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

4.2. Colocação da
estrutura metálica
da cobertura.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

5-ATENDER AO ESTADO DE EVOLUÇÃO TÉCNICA

5.1. Sistema de
entivação através
de caixões.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

5.2. Colocação de
bancadas no nível
intermédio.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

6 - ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

6 - ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

7-PRIORIDADE DA PROTECÇÃO COLECTIVA FACE À INDIVIDUAL

7.1.Entivação Berlinense
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

7.2. Protecção contra


quedas em altura.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

7.3. Protecção contra


quedas em altura.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

8 - INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO

8.1. Rotulagem de
produtos.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

8.2. Sinalização à
entrada do estaleiro.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

8.3. Painel Informativo


no estaleiro industrial.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

No Plano de Formação indicar-se-ão:

- quais as acções de formação previstas e as datas


para as realizações das mesmas;

- nome da pessoa ou pessoas com formação em


socorrismo que irão estar em permanência em obra;

- primeiro dia previsto para as acções de


sensibilização, que será num dos primeiros dias da
abertura do estaleiro, assim como a calendarização e
periodicidade das acções seguintes.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Planeamento das Acções de Formação:


Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Garantir a boa organização geral


do Estaleiro.

2
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Onde quer que haja


uma superfície plana,
alguém se lembrará de
lá colocar qualquer
coisa.

Descoberta de
Ballweg
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Garantir o bom cumprimento da


programação dos trabalhos, no
sentido de ser evitada a
sobreposição de tarefas
incompatíveis e ser garantida a
boa gestão dos trabalhos
simultâneos e sucessivos.

3
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Se alguma coisa puder


correr mal, correrá mal.

Primeira Lei de Murphy


Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Apenas é permitida a
armação de ferro da
sapata após reperfila-
mento do talude
superior.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Proibida a passagem.
Trabalhos no nível
superior.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Procedimento de Coordenação de Gruas


Novopca / Alves Ribeiro

1. Verifique sempre a posição e a sequência


adequadas às manobras a realizar.

2. O manobrador Novopca “M2”, deverá sempre que


possível, movimentar a sua carga dentro da sua
área restrita e definida, área pela qual não existe
qualquer interferência com outras gruas.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

3. Sempre que o manobrador da grua Novopca “M2”


tiver necessidade de entrar no cone de interferência
da grua Alves Ribeiro “G14”, ou vice-versa, deverão
comunicar via rádio entre si.

4. Em caso de conflito entre manobradores e/ou


coordenadores ambas as gruas deverão parar
imediatamente, aguardando resolução do problema.

5. Caso o manobrador da grua da Alves Ribeiro


“G14” se encontrar em cata-vento, o manobrador
da grua Novopca “M2” deverá ter em atenção a
velocidade do vento e as respectivas
condicionantes.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Promover a implementação das


medidas previstas no P.S.S.

4
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Procedimento de Inspecção e Prevenção


(Execução de Lajes e Vigas)
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Registo de Inspecção
e Prevenção
(Execução de Ancoragens)
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Em qualquer situação
em que se tenha de lidar
com grupos de pessoas,
estas serão sempre mais
difíceis de controlar do
que se espera.

Lei de Lee
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Assegurar o cumprimento da
programação relativa a
trabalhos que impliquem riscos
especiais.

5
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Se se conseguirem prever as
quatro possíveis maneiras de
uma coisa correr mal, e se se
conseguir impedi-las, então
surgirá prontamente uma
quinta.

Corolário Supremo de
Finagle
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Trabalho com risco


especial de acordo com
o Dec-Lei 155/95.
Montagem de elemen-
tos pré-fabricados.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Garantir a adaptação do Plano


de Segurança em face dos
desvios ao projecto a consagrar
em obra, bem como da
utilização de métodos e
processos de trabalho não
previstos naquele documento.

6
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Os erros de
concepção de um
projecto viajam
em grupo.

Lei dos Erros de


Concepção
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Processo Construtivo:
Execução de Lajes e
Vigas
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Aferir da adequabilidade geral


do Plano de Segurança e Saúde
e garantir a sua adaptação,
sempre que necessário.

7
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Quanto mais inócua


parecer a modificação de
um projecto, maior será a
sua influência e maior
número de Planos terão
de ser revistos.

Lei da Revisão
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Garantir a observância da
programação estabelecida para a
utilização comum de
equipamentos.
Está assegurada a reserva de espaço de
estaleiro e acessos para os futuros
empreiteiros, de acordo com as condições
contratuais e tendo em conta a
compatibilização dos vários projectos de
estaleiro.
8
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A matéria será
danificada na proporção
directa do seu valor.

Constante de Murphy
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Garantir o bom funcionamento


da cadeia de responsabilidades,
de acordo com as tarefas e
papéis estabelecidos.

Definição de Responsabilidades:
- aferição através de auditorias.

9
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A capacidade de gestão
é sempre menos do que
a organização precisa.

5ª Verdade de
Gestão
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Promover a divulgação mútua


de informação sobre riscos
entre os intervenientes no
estaleiro (empresas, trabalha-
dores independentes e forne-
cedores).

Realização de reuniões da Comissão de


Segurança da Obra.
10
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A informação que você


tem não é aquela que
quer.

1ª Lei de Finagle da
Informação
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Definir as condições de acesso


ao estaleiro.

11
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Em quase tudo na vida,


é mais fácil entrar que
sair.

Lei de Allen
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Cartões de
identificação

Registo do
Controlo de
Acessos de
Visitantes e
Fornecedores ao
Estaleiro.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Salvaguardar que a actividade


do estaleiro não constitua risco
para terceiros.

12
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Vedação e sinalização na protecção a terceiros na


zona de intervenção de um estaleiro.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A probabilidade de uma
coisa acontecer é
inversamente
proporcional ao seu
grau de desejabilidade.

Lei de
Gumperson
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Organizar inspecções ao
estaleiro.

13
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A probabilidade de
estarmos a ser observados
é proporcional à estupidez
do que estamos a fazer.

Lei da Probabilidade de
Gumperfather
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Promover reuniões de
coordenação com os
intervenientes no estaleiro.

14
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

a) Constituição da Comissão de Segurança de Obra:

·o Coordenador da obra em matéria de Segurança e de


Saúde ou um seu representante. Este elemento
assumirá a Presidência da Comissão;
·o Director de Construção do Empreendimento ou um
seu representante;
·o Engenheiro responsável pela Fiscalização da obra;
·o Director Técnico da Empreitada;
·o Técnico de Prevenção e Segurança do Empreiteiro;
·os Representantes dos Trabalhadores eleitos de acordo
com a Legislação em vigor.
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

b) Reunião com os diversos empreiteiros


( assuntos tratados ):

·Controlo de Acessos e Portarias

·Manutenção dos Acessos de Estaleiro

·Monotorização do Ruído

·Coordenação de Gruas
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Zelar pela correcta integração


do Dono de Obra no sistema de
relacionamento estabelecido
com os diversos intervenientes
no estaleiro.

15
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

A informação
deteriora-se no
sentido ascendente
das burocracias.

Regra de Desfactualização
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Assegurar os registos previstos


no Plano de Segurança e Saúde.

16
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Em situação de crise os
registos têm tendência
para sofrerem de auto-
combustão.

Lei de Marçal
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

• FOLHA DE REGISTO DAS VERSÕES DO P.S.S.


• FOLHA DE ADAPTAÇÃO E EVOLUÇÃO DO P.S.S.
• FOLHA DE DISTRIBUIÇÃO DO P.S.S.
• FOLHA DE ASSINATURAS
• FOLHA DE REGISTO DE SEGUROS
• FOLHA DE REGISTO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS
• FOLHA DE REGISTO DE MATERIAIS COM RISCOS ESPECIAIS
• FOLHA DE REGISTO DE CONDICIONALISMOS EXISTENTES
• FOLHA DE DESTRIBUIÇÃO DOS E.P.I.
• FOLHA DE CONTROLO DOS EQUIPAMENTOS DE ESTALEIRO
• FOLHA DE PROCEDIMENTOS DE INSPECÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE ESTALEIRO
• FOLHA DE PROCEDIMENTOS DE INSPECÇÃO E PREVENÇÃO
• FOLHA DE REGISTO DE INSPECÇÃO E PREVENÇÃO
• FOLHA DE REGISTO DE NÃO-CONFORMIDADE E ACÇÕES CORRECTIVAS/PREVENTIVAS.
• CARTÃO TIPO DE IDENTIFICAÇÃO E DE CONTROLO DE INSPECÇÕES MÉDICAS
• FOLHA DE CONTROLO DE INSPECÇÕES MÉDICAS DOS TRABALHADORES
• FOLHA DE REGISTO DE ACIDENTES DE TRABALHO
• FOLHA DE REGISTO DE ACIDENTES, INCIDENTES E ÍNDICES ESTATÍSTICOS DE
SINISTRALIDADE
• FOLHA DE REGISTO DE TELEFONES DE EMERGÊNCIA
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Realizar inquéritos de acidentes


de trabalho.

17
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Errar é humano, e atirar


as culpas para outro
ainda é mais humano.

Lei de Jacob
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

REGISTO DE ACIDENTES DE TRABALHO


........................................................................................................................................ Nº: ..................................
ade Empregadora:. ....................................................................................................................................................................................
panhia de Seguros: ..................................................................................... Nº da apólice: ................................................................
Dados do sinistrado.
e: ............................................................................................................................................................ Nº:...........................................
da: ..............................................................................................................................................................................................................
o Civil: ................................................... Categoria Profissional: ........................................................................................................
: ............. Sexo: ................................. Data de admissão na empresa: .........../.........../..........
Dados do acidente
Data: ........ / ....... / ....... Hora: ...........h ............m.
e outros sinistrados no acidente? Sim. Não.
Quantos?........................ Seus nºs: ..................................................................................................
munhas: ....................................................................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................................................................
do acidente: domicílio → trabalho trabalho → domicílio Dentro do estaleiro

Realizar inquéritos de
Fora do estaleiro Onde?................................................................................
e descrição do acidente: .............................................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................................................................................
das de prevenção adoptadas: .....................................................................................................................................................................

acidentes de trabalho.
...................................................................................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................................................................................
Destino do sinistrado.
Data: ........ / ....... / ....... Hora: ...........h ............m
ospital de .............................................................................................................................................
entro de Saúde de ................................................................................................................................
ínica de ...............................................................................................................................................
Outro. Qual? .........................................................................................................................................
Causa do acidente
opelamento Intoxicação Contacto com energia eléctrica
potamento Queda de objectos Contacto com substâncias nocivas ou radiactivas
isão de veículos Queda em altura Contacto com temperaturas extremas
plosão / Incêndio Queda ao mesmo nível Compressão por um objecto ou entre objectos
erramento Choque com objectos ...........................................................
Tipo de lesão
mputação Contusão Electrocussão Ferida / golpe Luxação ....................
ixia Distensão Entorse Fractura Queimaduras
ntusão/lesões internas Esmagamento Lesões múltiplas Traumatismo
Parte do corpo atingida
beça, excepto olhos Membros superiores, excepto Membros inferiores excepto Outro. Qual? .....
ho(s) braços, mãos e dedos pernas, pés e dedos ............................
nco excepto coluna Braço(s) Perna(s) ...........................
una Mão(s) excepto dedos Pé(s) excepto dedos
calizações múltiplas Dedo(s) da mão Dedo(s) do pé
Consequências do acidente
m incapacidade. / Incapacidade permanente. ........% / Incapacidade temporária. / Data de regresso ao trabalho
rte. ........ /........ /.........
rvações: ..................................................................................................................................................................
.................................................................................................................................................................................

Encarregado: Responsável pela segurança: Director de obra:


Data ...... /........ / ....... Data ...... /........ / ....... Data ...... /........ / .......
............................................ Ass. ......................................... Ass. ............................................
Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Índices de Sinistralidade do Empreendimento


Coordenação de Segurança na Fase de Obra

Assegurar o relacionamento
com entidades públicas, em
especial a Inspecção do
Trabalho.

18