Você está na página 1de 51

ProfªDrª: Fernanda Cavalcante Fontenele

Rotina de Enfermagem
na UTI Neonatal
 Enfermagem: é uma ciência cuja essência e especificidade é o
cuidado ao ser humano;
 O Cuidado deve ser realizado com desvelo, solicitude, zelo
atenção para com o outro, respeito, bom trato (BOFF, 2005);

 O cuidado surge quando a vida de alguém importa para mim.


Ser enfermeiro neonatal é muito especial!
O Cuidado é Essencial

 O principal foco do enfermeiro é o cuidado ao ser humano e


seu dever é satisfazer as necessidades de saúde de seu
cliente, independente do estado de saúde em que este se
encontra (FERREIRA; MADEIRA, 2004).

 Desta forma, cuidar do Recém-Nascido (RN) na Unidade de


Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) torna-se a cada dia um
desafio para o enfermeiro neonatologista.
Unidade Neonatal

 A equipe de saúde da Unidade de Internação Neonatal (UIN), particularmente


a de enfermagem, busca, atualmente, a compreensão do que diz o bebê por
intermédio de seus gestos, posturas, mudanças nos parâmetros clínicos,
quando procura estabelecer relações entre os cuidados de enfermagem e
alterações fisiológicas e comportamentais do RN.

 O enfermeiro objetiva assistir o RN holisticamente, considerando-o como


sujeito de sua própria história, respeitando-o como cidadão.

 Nossa meta é de modificar a atenção ao RN, em um ambiente onde a


tecnologia é, por muitas vezes, sobreposta às situações humanas e no qual
o bebê vivencia a necessidade de lutar pela sua sobrevivência.
Introdução

 O cuidado com a saúde do recém-nascido tem importância fundamental


para a redução da mortalidade infantil, ainda elevada no Brasil, assim
como a promoção de melhor qualidade de vida e a diminuição das
desigualdades em saúde;

 É na primeira semana de vida, em especial no primeiro dia de vida


(representando 25%), que se concentram as mortes infantis no País;

 A mortalidade neonatal (entre 0 e 27 dias de vida) representa cerca de 60


a 70% da mortalidade infantil e, portanto, maiores avanços na saúde da
criança brasileira requerem maior atenção à saúde do RN. (BRASIL, 2011).
Prevenindo Infecção Hospitalar
Uso de EPIs Lavagem das mãos
Unidade Neonatal
O Impacto da Prematuridade

 Aspectos psicossociais dos pais


 Apego materno
(início da gravidez)
 Período materno sensitivo
(bebê imaginário)
 Separação (bebê real)
 Atuação da equipe
 Ambiência
 Art. 5º A Unidade Neonatal é um serviço de internação
responsável pelo cuidado integral ao RN grave ou
potencialmente grave, dotado de estruturas assistenciais
que possuam condições técnicas adequadas à prestação de
assistência especializada, incluindo instalações físicas,
equipamentos e recursos humanos.

MINISTÉRIO DA SAÚDE - PORTARIA Nº 930, DE 10 DE MAIO DE 2012


 Art. 6º As Unidades Neonatal são divididas de acordo com as
necessidades do cuidado, nos seguintes termos:

I - Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN);


II - Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal (UCIN):
a) Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo);
b) Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa).

MINISTÉRIO DA SAÚDE - PORTARIA Nº 930, DE 10 DE MAIO DE 2012


Atenção Humanizada - Rede Cegonha
 Atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou
potencialmente grave;
 A Rede Cegonha sistematiza e institucionaliza um modelo de
atenção ao parto e ao nascimento, que vem sendo discutido e
construído no país desde os anos 90. Trata-se de um modelo
que garante às mulheres e ao RN uma assistência humanizada
e de qualidade na vivência experienciada na gravidez, parto e
nascimento (com dignidade).
Enfermagem: Princípios Fundamentais

 Compromisso: saúde do ser humano e da coletividade;


 Atua na promoção, proteção, recuperação da saúde e reabilitação
das pessoas, com autonomia, respeitando os preceitos éticos e
legais da enfermagem;
 Respeita a vida, a dignidade e os direitos da pessoa humana, em
todos o seu ciclo vital, sem discriminação de qualquer natureza;
 Exerce suas atividades com justiça, competência, responsabilidade
e honestidade, numa visão holística;

Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem


Resolução COFEN 160
Ações Privativas do Enfermeiro

 Prescrição da assistência de enfermagem;


 Cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves
com risco de vida;
 Cuidados de enfermagem de maior complexidade
técnica e que exijam conhecimentos científicos
adequados e capacidade de tomar decisões imediatas;
 Educação Continuada: treinamento e aperfeiçoamento
da equipe de saúde;

Decreto Regulamentador da Lei do Exercício Profissional Nº 94.405, 08/06/1987


Rotina da UTIN – Admissão à Alta
 O RN é submetido a uma série de manuseios, utilizando
dispositivos de apoio à vida, para isto sendo necessária a
aplicação de cuidados como:

 instalação de cateteres, punções capilares, venosas e arteriais,


sondagens, colocação de dispositivos adesivos, utilização de
sensores, colocação de eletrodos, realização de higiene
corporal, troca de curativos, mudança de decúbito, dentre
outras, podendo todas estas situações serem fatores
agravantes no que se refere ao surgimento de lesões, devido à
sua frequência repetitiva, no transcorrer de sua hospitalização
(FONTENELE; CARDOSO, 2011).
Considerações Gerais
 RNPT ou RNT;
 Anomalias congênitas;
 Incompatibilidade Rh;
 Infecções;
 RCIU;
 Hipoglicemia;
Considerações Gerais
 Convulsões;
 Necessidade de suporte ventilatório;
 Arritmias cardíacas;
 Problemas durante o parto;
 Anóxia;
 etc...
Fatores Externos que Prejudicam os
RNPTs

 Umidade e Calor – RNPT necessitam de ambientes úmidos e


aquecidos;
 Sons e Barulho – Interfere no sono, pode causar dor e
hipóxia.
 Luz e Claridade – Causa estresse, irritação e incômodo.
Equipamentos
 Incubadora de transporte;
 Cilindro de O2;
 Ambú com máscara.
Equipamentos
 Incubadora Neonatal;
 Berço de calor radiante.
Equipamentos
 Fonte de oxigênio e Ar com fluxômetros
de O2 e Ar;
 Aspirador;
 Balança.
Equipamentos
 Monitor multiparâmetro;
 Oxímetro de pulso;
Equipamentos

 Capacete de oxihood;
 CPAP;
 Respirador neonatal.
Tecnologia – Bombas de Infusão
Material
 Intubação;
 Coleta de sangue;
 Punção venosa;
 Termômetro;
 Fita métrica;
 Estetoscópio;
Material
 Glicosímetro;
 Catéter umbilical;
 Eletrodos;
 Luvas.
Equipamentos e Materiais

 Incubadora de transporte;
 Ambú neonatal com máscara;
 Oxímetro de pulso;
 Laringoscópio neonatal;
 Estetoscópio neonatal;
 Fonte de oxigênio;
 Fonte de Ar comprimido;
 Aspirador;
 Luvas, sondas, latex;
 Fita adesiva hipoalergênica;
 Bandagem adesiva elástica;
 Seringas, agulhas, coletores;
 Cânula nº 2; 2,5; 3; 3,5 e 4cm.
 Medicações: SF 0,9%, ABD, adrenalina, glicose...
Cliente Especial
Contiunous Positive Airway Pressure – CPAP
Ventilação Mecânica – VM
Sistema Fechado de Aspiração –
Trach Care
Alguns Procedimentos Especializados

 Coleta de gasometrias e hemoculturas;


 Cateter Central de Inserção Periférica - PICC;
 Hemotranfusão;
 Nutrição Parenteral;
 Aspiração de RN em VM;
 Instalação de Óxido Nítrico;
 Exsanguineotransfusão.
Peripherally Inserted Central Catheter – PICC

 RNPT extremos;
 Necessidade de acesso venoso por tempo prolongado, com o
mínimo manuseio e estresse para o RN;
 Administração de: ATB, HV e NP;
 Infusões de concentrações
de glicose acima de 12,5%,
medicamentos vasoativos, etc.
Localização PICC – Veia Cava Superior
Fototerapia
 Terapêutica que utiliza a energia luminosa (convencional,
halógena ou fibra ótica) na transformação da bilirrubina em
produtos hidrossolúveis.
 Fotoisomerização: eliminação da bilirrubina através do mecônio.
 Fotooxidação: eliminação da bilirrubina através da urina.
Malformações Congênitas
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NA DILUIÇÃO

 Organizar o local do preparo;


 Realizar limpeza diária do depósito;
 Supervisionar a validade das drogas;
 Providenciar o material necessário;
 Preparar o medicamento a ser diluído;
 Realizar diluição;
 Identificar rótulo do medicamento: nome, concentração (mg/ml),
data, hora e assinatura.
Humanização
Esperança - Alta hospitalar
Método Canguru
A Satisfação dos Pais
Puericultura
Registros de Enfermagem

 Precisos;
 Imediatos;
 Sequência lógica;
 Letra legível;
 Assinatura, coren (carimbo).
Competência = CHA

CONHECIMENTO
HABILIDADE
ATITUDE

Possibilitam desempenhar determinada função


na busca de resultados concretos (DURAN, 1998).
Avaliação: Constante e Sistemática
A qualidade do cuidado de enfermagem na Unidade Neonatal pode
ser melhorada:
 Atualização permanente: cursos, pesquisa e prática;
 Avaliação sistemática e focalizada dos prontuários;
 Determinação das melhores práticas e melhorias com base em
evidências;
Processo de Enfermagem
 Sistemático, dinâmico, humanizado, dirigido à resultados, holístico

Investigação

Diagnóstico

Planejamento

Implementação

Avaliação
Equipe Multiprofissional

 Responsável pela participação na melhoria da qualidade;


 Busca o próprio aperfeiçoamento pessoal;
 Deve ser criativo; responsável, superar suas limitações;
 Realiza trabalhos complicados e detalhistas, aumentam a
eficiência de seu trabalho e tornam mais eficaz os próximos
cuidados;
 Participa de comissões e criação de protocolos.
Quanto custa HUMANIZAR?

Custo Zero!

Requer:
 Vontade
 Criatividade
 Colaboração
 Tolerância
 Solidariedade
Bibliografia
 ARAUJO, L.A.; REIS, A.T. Enfermagem na Prática Materno-Neonatal. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

 BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de


Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à Saúde do Recém-Nascido: Guia
para os Profissionais de Saúde. Série A. Normas e Manuais Técnicos. v.1. Brasília-DF.
2011.

 LEONE, C.R.; TRONCHIN, D.M.R. TOMA, E. Assistência Integrada ao Recém-


Nascido de Baixo Risco. São Paulo: Atheneu, 2012.

 SOUZA, A.B.G. Enfermagem Neonatal: cuidado integral ao recém-nascido. São


Paulo: Martinari, 2011.

 TAMEZ, R.N. Enfermagem na UTI neonatal: assistência ao recém-nascido de alto


risco. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2017.
Para refletir...

“ Não falta desejo da sociedade e de trabalhadores de saúde,


não faltam evidências científicas que apontem
para a necessidade de humanização da assistência,
Estratégias já foram definidas para que isso aconteça.
Falta “simplesmente”, fazer acontecer...”
Sonia Isoyama Venancio e Rui de Paiva
Obrigada!

fernanda_meac@hotmail.com

Você também pode gostar