Você está na página 1de 13

Resumo do livro O Segredo de Luisa

Capitulo 1 : A MOTIVAÇÃO E O PERFIL DO EMPREENDEDOR


O livro O Segredo de Luisa resumindo mostra que seu objetivo é a importância do plano de
negócios, o capítulo 1 mostra a definição de um empreendedor e esclarece alguns fatos com
relação a esse indivíduo, mas o livro conta a historia de uma jovem que ia ser dentista, mas, o
destino mudou completamente sua vida, pois a sua madrinha Durante madrinha que tinha um
empreendimento mais conhecido em ponte nova, era a Fábrica Goiabada Cascão, na cidade.
Mas com o passar dos anos Luisa percebe que não tem mais vocação para ser dentista e
quando vai para Ponte Nova que é a cidade da Goiabada cascão da madrinha Fernanda de
Luiza que para ela é a melhor goiabada do mundo, em cima dessa idéia ela planeja montar
uma empresa igual a da sua tia, no começo Luísa ficou um pouco receosa, pois ia abrir um
negocio igual a da sua madrinha, a idéia era o nome de Goiabadas Maria Amália, Luisa como
não tinha conhecimento na área de planejamento, organização buscou ajuda com o professor
de empreendedorismo Pedro, e daí ela começa a assimilar realmente quais as dificuldades e
estratégias para ser um bom empreendedor, mostrando, através de resultados de pesquisas, o
perfil do empreendedor. Esclarece ainda o significado da palavra empreendedorismo, que é
uma livre tradução da palavra entrepreneurship, que significa aquele que assume riscos e cria
algo novo.
Conta-se a história da família de Luisa que eram todos muito bem sucedidos, e a madrinha de
Luísa, Fernanda, que tinha um estabelecimento chamado O sereia Azul, que era um
estabelecimento único no centro da cidade de Ponte Nova e que vendia de tudo. Luisa ainda
cursava Odontologia, que era um curso que ela fazia, mas sem vontade, só estava
continuando, pois era a vontade de seus pais, e não a vontade dela própria. Nesta loja vendia
de tudo, mas tinha a goibada-cascão que era feita e distribuída aos convidados e visitantes,
apreciadíssima pelos freqüentadores do estabelecimento, que era uma goiabada caseira e que
não era vendida, mas atraia muita gente, pois a goiabada tinha um sabor inigualável. O
estabelecimento ficava bem no centro da cidade de Ponte Nova e era tido como ponto de
encontro da cidade, mas a regra era bem clara, ali era um ponto pacífico onde não saiam
brigas e as discussões eram permitidas desde que com provocações inteligentes e com
réplicas sutis, o jeito mineiro de ser.
A presença esporádica de Luisa atrás do balcão era uma atração à parte. Todos ficavam
deslumbrados com a beleza da moça e nos últimos quatro anos todos ansiavam pelos meses
de férias escolares da faculdade de odontologia. Fernanda sua tia, tinha seus dotes culinários e
um diferencial que Luisa ia explorar mais adiante, a deliciosa e mais cobiçada goiabada do
país. Que era oferecida aos amigos e forasteiros, com essa jóia rara de Ponte Nova. O texto
destaca a importância dos relacionamentos do empreendedor com a sociedade, pois assim é
fácil trocar informações, idéias e uma possível ajuda caso necessário. Tudo que Luisa aprendia
em sala de aula era pouco repercutido em sua vivacidade, pois ela estava com seu foco
voltado para outro tipo de vivência, e que não era a de Odontologia. Luisa tinha prazer em se
diferenciar das outras meninas, como se fosse pecado ser igual, pois ela estava sempre
reproduzindo situações das mais diversificadas. Assim Luisa já não se sentia tão entusiasmada
para realizar o sonho de seus pais, que era se tornar Doutora. Luisa também sofria com seu
relacionamento com Delcídio, que também era por imposição de seus pais, e que ela mais a
frente se verá na obrigação de romper com esse relacionamento para conseguir concretizar
suas realizações pessoais.
A madrinha de Luisa passou a ser sua fonte de inspiração nos negócios, já que ela admirava a
madrinha, pois esta sabia como ninguém tudo o que se passava em sua loja a Sereia Azul,
como caixa, estoque e um grande apego ao dinheiro, contava Luisa que sua Tia não vendia
fiado a ninguém. Mas o que estava encantando Luisa era o fato da lida atrás do balcão para a
madrinha trazia outras gratificações, não muito claras e discerníveis para ela, mas que
poderiam ser explicadas por um substantivo de sentido genérico: prazer.
Só que surgiram problemas, pois Luisa esperava algo mais rápido e menos burocrático na
montagem de sua empresa, só que ela percebeu que não era bem assim, e Pedro começou a
lhe dar informações sobre: plano de marketing, estratégia de marketing,certificação de
qualidade,projeto de questionários, planos financeiros e entre outros, de uma estudante de
odontologia para uma empreendedora, Luisa viu que não era tão simples como ela imaginava.
Luisa após uma noite de insônia teve a noção que tinha um produto poderoso nas mãos, capaz
de provocar desatinos, compulsões, que era a goiabada-cascão, configurou-se então a
goiabada como excelente oportunidade de negócios, já que ela havia refletido: “como uma
pessoa pudesse ter pedido umas migalhas da goiabada, pois um colega havia lhe pedido uma
pequena sobra da goiabada que tinha acabado?”, foi daí que podemos descrever que houve
um start no empreendimento que Luisa ia montar logo mais tarde. Luisa projetou a goiabada
tendo a mesma trajetória do pão de queijo mineiro, que é reconhecido mundialmente e que sua
futura empresa lhe traria grande lucros. Nesse momento Luisa estava disposta a assumir todas
as conseqüências em abandonar seus estudos e seu namorado, para percorrer o caminho que
pudesse levar à sua auto-realização. Amadurecida pelas reflexões buscava aprender com os
insucessos, pois se sentia capaz de transformar o mundo, mesmo que um pequeno pedaço
dele, mas consciente de si, estava assumindo o que suas vozes internas apregoavam: queria
sempre o papel de atriz principal, ”é preferível ser cabeça de sardinha a rabo de tubarão.”
Assim Luisa era dessas pessoas que construíam o seu próprio critério de sucesso, não se
deixando influenciar pelos indicadores vigentes em seu redor. Um dia Luisa foi ao Sereia Azul e
ajeitou-se com a pequena bagagem atrás do balcão e começou a conversar com sua Tia
Fernanda e expôs suas idéias quanto a abertura do negócio da fábrica de goiabada-cascão.
Salientou que nos últimos dois anos queria ter um negócio próprio, uma fabrica de goiabada,
pois se indagava que a goiabada-cascão seria potencialmente um grande negócio e uma
enorme oportunidade que tinha nas mãos.
Mas a tia, contra a idéia, se sentiu ofendida, pois a idéia que a tia tinha sobre Luísa ainda era
que a moça fosse dentista, e disse-lhe que iria conseguir o que queria na profissão a qual ela
estudara, e já tinha um emprego garantido em uma clínica da cidade. Com isso sua tia
Fernanda começou a lhe falar das diversas dificuldades em montar uma fábrica como essas, e
ainda lhe questionou sobre seu relacionamento com Delcídio. Disse ainda que Luisa não
entendia de negócios também que essa idéia seria uma loucura. Mas essa reação de Fernanda
era prevista por Luisa, já que em seus ensaios diários para aquela conversa já havia sido
reproduzida por Luíza no caminho da faculdade e nas horas vagas, refletindo sobre os diálogos
que teria com sua tia.. Mas Luísa não estava disposta a encerrar a conversa e muito menos
sua idéia, e começou a argumentar sobre o trajeto do pão de queijo, que hoje é até exportado,
com isso teria nas mãos um enorme potencial. Expôs todos os detalhes de seu planejamento
para abrir sua fábrica Luisa expunha todos os fatores, internos e externos favoráveis a seu
novo negócio, mas sua tia ainda pouco se importava, falava de todas as dificuldades possíveis
dos negócios e disse-lhe que ela não seria a primeira pessoa que teve uma grande idéia,
muitas outras pessoas já pensaram nisso antes. Mas Luisa aos poucos conseguia atingir o
ponto fraco de Fernanda quando ela começou a falar do inicio dos negócios do Sereia Azul, e
foi ajudada ainda pelo seu primo Flávio que pouco freqüentava o local mas naquele sábado
entrou no estabelecimento.
Flávio comentou que estava ganhando muito dinheiro depois que abandonou a vida de
empregado e se lançou como empreendedor no mercado. Mas Fernanda suspeitara que o fato
de Flávio aparecesse naquele momento seria alguma trama, pois Flavio parecia dar idéias de
que Luisa tinha razão no que dizia. Mas no domingo Luíza soube que sua Tia Fernanda iria se
tornar sua cúmplice, e iria ajudar a recolher os cacos provocados pelo terremoto que rasgaria
as entranhas dos pais e do noivo, bem como os amigos e a família, pois Luisa iria abandonar o
sonho das outras pessoas para construir seu próprio sonho. Luisa conseguiu isso de Fernanda
após passar todo o sábado conversando até as duas da manhã com o assunto em pauta:
Goiabada-cascão.

Resumo do Capitulo II – Livro: O segredo de Luísa


A VALIDAÇÃO DE UMA IDEIA

Durante uma conversa com a sua madrinha, Luísa foi instruída a procurar pessoas com
quais pudesse conversar e ser aconselhada. Uma colega de Odontologia havia lhe falado
sobre um professor chamado Pedro, do curso de computação, que criou uma disciplina de
empreendedorismo.
Luísa então marcou um encontro com o professor para ver em que ele poderia lhe ajudar,
conversaram sobre muitas e muitas coisas relacionadas a personalidade, perfil de um
empreendedor, e Luísa foi se identificado cada vez com os perfis que ele falava, Luísa lhe
perguntava sobe muitas coisas, principalmente em relação a ideia de abrir um negócio, porem,
não obteve nenhuma resposta em relação a fábrica de goiabada, apenas um grande numero
de perguntas, o Professor Queria induzir Luísa a buscar sozinha o conhecimento que
necessita, queria que ela aprendesse a aprender. Ele perguntava sobre quais conhecimentos
que Luísa tinha do mercado, produto, sob. Quem iria compra-la, quais as necessidades do
cliente e sobre o domínio tecnológico do processo de produção e de distribuição, mostrou a
importância de tais conhecimentos, perguntou sobre suas características, comportamentos e
atitudes individuais e qual conceito ela tinha de si mesma. O professor também fez questão de
justificar a razão das perguntas disse que, para o empreendedor, o ser é mais importante do
que o saber. Enfatizou dizendo que a empresa é a materialização dos nossos sonhos. É a
projeção de nossa imagem interior, do nosso ser em sua forma total. Luísa apesar de não
pensar nestas coisas, sentia, mesmo que inconscientemente. Pedro mostrou a Luísa a
importância de ler revistas, leitura sobre o assunto relacionado ao se negocio, saber nome de
fornecedores, quais equipamentos e matéria prima poderia utilizar, sobre o lucro médio de
outras empresas que atuam nesse setor, afinal de contas Luísa não conhecia o mercado, pois
ainda era iniciante nesta área. Segundo o profº. ela ainda não estava preparada para abrir uma
empresa, teria que ter muito estudo, pesquisa, análise, planejamento, seria necessário um
plano de negocio. Pessoas abrem empresas geralmente porque dominam o processo de
produção, só que acabam esquecendo uma grande parte dos outros processos. O foco deve
ser o negocio como um todo e não a ideia ou produto.
O empreendedor no inicio é um trabalhador incansável. Gosta do que faz, por isso
trabalha à noite, em finais de semana e tem sempre em vista os resultados e não ao trabalhos
em si. A mente do empreendedor é pró-ativa: ele define o que quer realizar, estabelece um
ponto no futuro que quer alcançar e busca conhecimentos e recursos para chega lá. É muito
difícil ter grande sucesso quando divide a empresa com outras atividades, por ex: um emprego.
O sucesso vem a partir da dedicação, a concentração total nas atividades da empresa. A partir
daí Luísa viu grande problema, pois teria que dividir o tempo com seu ultimo ano de
odontologia, com seu noivo e com a empresa. Para melhorar cada vez a mais a compreensão
de Luísa o professor lhe contou a história de Duda sua sobrinha, que apesar de ter um grande
talento que era fazer vasos em cerâmica, gostar de trabalhar, quis abrir sua próprio empresa e
fechou seis meses depois , e com um bom lucro, mas não estava feliz, pois tinha que acordar
cedo todos os dias em função dos outros, detestava assinar cheques e duplicatas, mas o que
mais desmotivou ela foi pelo fato das pessoas era saber que sua criação era convertida em
dinheiro e todos queriam descontos isso violentava muito ela, ela gostava e precisava ganhar
dinheiro, mas não queria ganhar desta forma.
O empreendedor é alguém que aceita o dinheiro como medida de avaliação e se não for assim
é melhor desistir, como Duda não e conhecia, não tinha como verificar se a empresa era
ajustada ao seu eu. O professor orientou Luísa a procurar um mentor, ou seja, um
empreendedor experiente na área em que ela iria atuar, para lhe servir como um conselheiro,
um guia de planejamento para sua empresa. Pedro deu um material para que Luísa pudesse
se aprofundar mais no assunto, dando um mergulho no material Luísa entendeu que, o
primeiro passo seria a validação de sua ideia, ela teria que fazer um plano de negócios que
apesar de não garantir o sucesso da empresa, poderia evitar decisões erradas por falta de
analise.

A CONSTRUÇÃO DE UMA VISÃO


As palavras de Pedro não saiam do pensamento de Luísa. Ela procurava ler tudo sobre o
assunto, revistas, livros, visitar instituições ligadas ao sua área, queria descobrir o que faria a
goiabada um produto único. Ao folhear uma revista qualquer enquanto Lulu boneca cuidava
das suas unhas, encontrou uma manchete que falava sobre a preocupação das pessoas com a
auto-imagem, pessoas que lutam contra a gordura, a partir daí Luísa teve a ideia, de que a
goiabada natural seria uma ótima escolha para seu negócio. Seis meses depois de ter lido a
reportagem a visão do produto apareceu. Luísa passou a ter contato com instituições e órgãos
que poderiam se tornar parceiros de Luísa de algum forma, também descobriu a internet, que
se transformou em uma ferramenta de estratégia para seu projeto empresa, pelo fato da
facilidade de se comunicar com fornecedores, concorrentes, clientes e pessoas de vários
países.
Em meio a seus contatos, conheceu o consultor de Administração Eduardo, em um encontro
profissional no escritório do consultor, Luísa deu a ele um texto, uma espécie de planejamento
que havia feito nos últimos seis meses, que tinha informações a respeito a missão da GMA;
produto – que se diz respeito a como seria o produto; descrição da unidade fabril; Fluxo de
produção e nomes pessoas e informações (rede de relações), pessoas que poderiam ajudar na
descrição da empresa de Luísa. Eduardo se considera um bom professor. Fazia com que as
pessoas entendessem algo técnico de maneira bem criativa. Ele explicou um pouco sobre o
mercado, chamou a atenção de Luísa para o problema na abertura de qualquer negócio: a
pesquisa de mercado. Onde Luísa poderia fazer a pesquisa da seguinte forma, faria algumas
amostras de seu produto, e observaria como os clientes reagiriam ver se o produto satisfaz os
clientes.
Essas atividades de consulta ao cliente são feitas pelas empresas constantemente, além de
fazerem antes da abertura do negocio também pode continuar com esse tipo de consulta para
saber como melhorar seus produtos ou serviços cada vez mais.
As funções que Luísa teria que atuar de inicio na empresa, pois no momento não tinha
condições para contratar pessoas, funções como: Marketing – que são funções que lidam com
cliente, desenvolvimento do produto, produção, função compras, contas a pagar e tarefas de
planejamento e execução – que cuida da parte de dimensionamento das pessoas e maquinas
necessárias para produzir a quantidade de goiabada indicada pelo marketing, administração
financeira, mostrou importância de escolher as pessoas para trabalha e quantidade necessária
para seu projeto. Com base no detalhamento das funções e indicações do consultor Eduardo,
Luísa fez um calculo das despesas com o pessoal.
Na volta as aulas, Luísa já não mostrava interesse pelo curso de odontologia, por isso
suas notas apesar de não serem tão ruins, mas já não eram tão boas como antes. Em relação
a seu noivo sempre o evita, apesar dos poucos encontros e desconfiança por parte de Delcidio,
ele fingia estar tudo normal por medo de perder sua amada noiva.
Enquanto Luísa feliz planejava sua empresa de forma sigilosa, os seus familiares se reuniam
para planejar uma surpr

esa para ela.


Em uma manhã de sábado em que Luísa foi a Ponte Nova, na sala da casa aos poucos
iam chegando as pessoas que faziam parte da surpresa, o Dr. Luís, Delcidio, seu pai Geraldo,
sua mãe, tios. Quando decidiram fazer com que Luísa ficasse ciente da surpresa.
O Dr. Luís ofereceu a direção da clinica para assim que ele se aposentasse, seu pai Geraldo
ofereceu um apartamento que comprou em Palmeiras com três quartos e com vista para a
praça morar la com Delcidio, e seus tios fizeram uma vaquinha e ofereceram a ela uma viagem
de lua-de-mel no Caribe. Era tudo o que Luísa sonhava só que a alguns anos atrás, pois os
planos dela já passariam a ser outros, bem diferentes. Sem saída e muito triste, sentindo-se
traída, seus olhos encheram de lagrimas, Luísa não conteve o choro, disfarçou, fingindo que
estava emocionada e correu para seu quarto, trancou-se e so deu as caras no almoço do dia
seguinte.
Interpretação de texto do Livro O SEGREDO DE LUISA
Capitulo 1 : A MOTIVAÇÃO E O PERFIL DO EMPREENDEDOR O capitulo 1 mostra a
definição de um empreendedor e esclarece alguns fatos com relação a esse indivíduo,
mostrando, através de resultados de pesquisas, o perfil do empreendedor. Esclarece ainda o
significado da palavra empreendedorismo, que é uma livre tradução da palavra
entrepreneurship, que significa aquele que assume riscos e cria algo novo. Conta-se a história
da família de Luisa que eram todos muito bem sucedidos, e a madrinha de Luísa, Fernanda,
que tinha um estabelecimento chamado O sereia Azul, que era um estabelecimento único no
centro da cidade de Ponte Nova e que vendia de tudo. Luisa ainda cursava Odontologia, que
era um curso que ela fazia mas sem vontade, só estava continuando pois era a vontade de
seus pais, e não a vontade dela própria. Nesta loja vendia de tudo, mas tinha a goibada-cascão
que era feita e distribuída aos convidados e visitantes, apreciadíssima pelos freqüentadores do
estabelecimento, que era uma goiabada caseira e que não era vendida, mas atraia muita
gente, pois a goiabada tinha um sabor inigualável. O estabelecimento ficava bem no centro da
cidade de Ponte Nova e era tido como ponto de encontro da cidade, mas a regra era bem
clara, ali era um ponto pacífico onde não saiam brigas e as discussões eram permitidas desde
que com provocações inteligentes e com réplicas sutis, o jeito mineiro de ser. A presença
esporádica de Luisa atrás do balcão era uma atração à parte. Todos ficavam deslumbrados
com a beleza da moça e nos últimos quatro anos todos ansiavam pelos meses de férias
escolares da faculdade de odontologia. Fernanda sua tia, tinha seus dotes culinários e um
diferencial que Luisa ia explorar mais adiante, a deliciosa e mais cobiçada goiabada do país.
Que era oferecida aos amigos e forasteiros, com essa jóia rara de Ponte Nova. O texto destaca
a importância dos relacionamentos do empreendedor com a sociedade, pois assim é fácil
trocar informações, idéias e uma possível ajuda caso necessário. Tudo que Luisa aprendia em
sala de aula era pouco repercutido em sua vivacidade, pois ela estava com seu foco voltado
para outro tipo de vivência, e que não era a de Odontologia. Luisa tinha prazer em se
diferenciar das outras meninas, como se fosse pecado ser igual, pois ela estava sempre
reproduzindo situações das mais diversificadas. Assim Luisa já não se sentia tão entusiasmada
para realizar o sonho de seus pais, que era se tornar Doutora. Luisa também sofria com seu
relacionamento com Delcídio, que também era por imposição de seus pais, e que ela mais a
frente se verá na obrigação de romper com esse relacionamento para conseguir concretizar
suas realizações pessoais. A madrinha de Luisa passou a ser sua fonte de inspiração nos
negócios, já que ela admirava a madrinha, pois esta sabia como ninguém tudo o que se
passava em sua loja a Sereia Azul, como caixa, estoque e um grande apego ao dinheiro,
contava Luisa que sua Tia não vendia fiado a ninguém. Mas o que estava encantando Luisa
era o fato da lida atrás do balcão para a madrinha trazia outras gratificações, não muito claras
e discerníveis para ela, mas que poderiam ser explicadas por um substantivo de sentido
genérico: prazer. Luisa após uma noite de insônia teve a noção que tinha um produto poderoso
nas mãos, capaz de provocar desatinos, compulsões, que era a goiabada-cascão, configurou-
se então a goiabada como excelente oportunidade de negócios, já que ela havia refletido:
“como uma pessoa pudesse ter pedido umas migalhas da goiabada, pois um colega havia lhe
pedido uma pequena sobra da goiabada que tinha acabado?”, foi daí que podemos descrever
que houve um start no empreendimento que Luisa ia montar logo mais tarde. Luisa projetou a
goiabada tendo a mesma trajetória do pão de queijo mineiro, que é reconhecido mundialmente
e que sua futura empresa lhe traria grandes lucros. Nesse momento Luisa estava disposta a
assumir todas as conseqüências em abandonar seus estudos e seu namorado, para percorrer
o caminho que pudesse levar à sua auto-realização. Amadurecida pelas reflexões, buscava
aprender com os insucessos, pois se sentia capaz de transformar o mundo, mesmo que um
pequeno pedaço dele, mas consciente de si, estava assumindo o que suas vozes internas
apregoavam: queria sempre o papel de atriz principal, ”é preferível ser cabeça de sardinha a
rabo de tubarão.” Assim Luisa era dessas pessoas que construíam o seu próprio critério de
sucesso, não se deixando influenciar pelos indicadores vigentes em seu redor. Um dia Luisa foi
ao Sereia Azul e ajeitou-se com a pequena bagagem atrás do balcão e começou a conversar
com sua Tia Fernanda e expôs suas idéias quanto a abertura do negócio da fábrica de
goiabada-cascão. Salientou que nos últimos dois anos queria ter um negócio próprio, uma
fabrica de goiabada, pois se indagava que a goiabada-cascão seria potencialmente um grande
negócio e uma enorme oportunidade que tinha nas mãos. Mas a tia, contra a idéia, se sentiu
ofendida, pois a idéia que a tia tinha sobre Luísa ainda era que a moça fosse dentista, e disse-
lhe que iria conseguir o que queria na profissão a qual ela estudara, e já tinha um emprego
garantido em uma clínica da cidade. Com isso sua tia Fernanda começou a lhe falar das
diversas dificuldades em montar uma fábrica como essas, e ainda lhe questionou sobre seu
relacionamento com Delcídio. Disse ainda que Luisa não entendia de negócios também que
essa idéia seria uma loucura. Mas essa reação de Fernanda era prevista por Luisa, já que em
seus ensaios diários para aquela conversa já havia sido reproduzida por Luíza no caminho da
faculdade e nas horas vagas, refletindo sobre os diálogos que teria com sua tia.. Mas Luísa
não estava disposta a encerrar a conversa e muito menos sua idéia, e começou a argumentar
sobre o trajeto do pão de queijo, que hoje é até exportado, com isso teria nas mãos um enorme
potencial. Expôs todos os detalhes de seu planejamento para abrir sua fábrica Luisa expunha
todos os fatores, internos e externos favoráveis a seu novo negócio, mas sua tia ainda pouco
se importava, falava de todas as dificuldades possíveis dos negócios e disse-lhe que ela não
seria a primeira pessoa que teve uma grande idéia, muitas outras pessoas já pensaram nisso
antes. Mas Luisa aos poucos conseguia atingir o ponto fraco de Fernanda quando ela começou
a falar do inicio dos negócios do Sereia Azul, e foi ajudada ainda pelo seu primo Flávio que
pouco freqüentava o local mas naquele sábado entrou no estabelecimento. Flávio comentou
que estava ganhando muito dinheiro depois que abandonou a vida de empregado e se lançou
como empreendedor no mercado. Mas Fernanda suspeitara que o fato de Flávio aparecesse
naquele momento seria alguma trama, pois Flavio parecia dar idéias de que Luisa tinha razão
no que dizia. Mas no domingo Luíza soube que sua Tia Fernanda iria se tornar sua cúmplice, e
iria ajudar a recolher os cacos provocados pelo terremoto que rasgaria as entranhas dos pais e
do noivo, bem como os amigos e a família, pois Luisa iria abandonar o sonho das outras
pessoas para construir seu próprio sonho. Luisa conseguiu isso de Fernanda após passar todo
o sábado conversando até as duas da manhã com o assunto em pauta: Goiabada-cascão.

Capítulo 2 : A VALIDAÇÃO DE UMA IDÉIA Este capítulo nos mostra qual a importância do
empreendedorismo na vida das empresas e de quem deseja ser um. A maior parte das
falências de pequenas empresas é em decorrência da falta deste conhecimento. O autor nos
da uma série de questões de como ser um empreendedor e do que é preciso para tornar-se
um. O conhecimento do negócio a que se vai empreender é um das primeiras questões que o
novo empreendedor precisa ter conhecimento do setor que queira atuar e saber qual diferencial
que seu produto terá em relação a do seu concorrente, pois sem essas prerrogativas e de uma
idéia precisa daquilo que ira oferecer ao seu cliente, dificilmente alcançara sucesso e será mais
um na multidão. Nesta parte do livro Luísa demonstra isso fazendo uma pesquisa simples de
mercado do como é o produto dos outros fabricantes de goiabada, onde Luísa começa a ir
atrás de como dar inicio ao seu empreendimento através de pessoas que já tem experiência
em empreendedorismo. O professor Pedro é um deles que criou tal disciplina no curso de
computação. Busca-se através dessa conversa as principais características que um
empreendedor precisa ter, a perseverança é uma das características pessoais mais
importantes, pois precisa ter vontade de vencer as adversidades que aparecem no ramo do
empreendedorismo. O fracasso é um dos pontos que muitos tentam evitar nesse ramo, mas,
na realidade ele faz parte na vida do empreendedor, pois através dele é que o empreendedor
deve procurar saber onde foi que errou e utilizar esses erros como forma de aprendizado para
futuramente não cometer o mesmo erro. É no fracasso que muitas vezes aparecem novas
oportunidades e idéias para um novo negócio. Muitos negócios de sucesso que vemos hoje
surgiram de alguma idéia onde essa soube ser aplicada pelo empreendedor junto com a
oportunidade. Outro ponto importante neste capítulo é a criatividade que um empreendedor
precisa ter e saber utilizar deste atributo a seu favor. É nesse aspecto que muitos não
conseguem enxergar pequenos detalhes que poderiam fazer a diferença em seu negócio. Ele
sendo criativo pode enxergar esse pequeno detalhe onde acaba se tornando uma grande
diferença competitiva em seu negócio. Neste capitulo subentende-se que para alguém que
queira ser um empreendedor ou um empreendedor colocar um empreendimento em
andamento, precisa ter alem de algumas características como a já citadas também necessita
de ter ou adquirir alguns conhecimentos técnicos como por exemplo por tudo aquilo que ele
deseja para seu negocio, em um plano de negócio, que nada mais é a explicação e
demonstração exata do negócio em um projeto. Esse projeto descreve desde a missão,
objetivos, tipo de negócio, qual ou quais produtos se pretende vender, para quem vai vender,
onde ira vender, quais seus diferenciais e vantagens em relação à concorrência e muitos
outros detalhes técnicos e que através deste plano o empreendedor terá uma clara idéia de
como iniciar seu negócio. Não deixamos de esquecer as relações pessoais e de feedback com
outras pessoas com mais experiências no setor a que se pretende empreender, para com isso
trocar idéias e verificar se o negócio que se queira colocar adiante é na realidade promissor,
pois não adianta ter uma idéia ou um projeto de um produto inovador se não o apresentamos
as pessoas, estas que podem nos dar uma grande ajuda utilizando-se de suas influências com
outras pessoas, que assim possa transformar nossa idéia ou projeto em realidade. De vez em
quando na mídia aparece algum empresário ou outra pessoa que teve sucesso em algum
empreendimento, as pessoas dizem que ele teve sorte, mas na realidade ele não teve sorte, e
sim ele soube utilizar as ferramentas e os atributos que citamos de maneira certa no seu
negócio, talvez quantas vezes ele deve ter errado ou fracassado para chegar a ter sucesso. No
final do capítulo nós temos uma boa idéia de como é difícil para um empreendedor ter sucesso,
pois muitas pessoas irão achar que você é um sonhador e que o negocio que pretende montar
não vai dar certo e muitas outras coisas mais que ira escutar. O sucesso chega para aquele
que soube acreditar que seu sonho poderia se tornar realidade. Não há empreendedorismo ou
empreendedor se este não for capaz de estabelecer metas e objetivos para sua idéia, utilizar
todas as técnicas de empreendedorismo, influenciar as pessoas que sua idéia é boa, ter um
bom e muitos relacionamentos pessoais ter muita vontade de trabalhar e acreditar nos seus
sonhos. Se ele não for capaz disso, então será mais um na multidão.

Capítulo 3- O EMPREENDEDOR BUSCA AJUDA 3.1 O mentor e os sistemas de suporte O


capítulo começa com o encontro de Luísa com o professor Pedro. Ela chega na casa dele e a
televisão de seu escritório estava ligada, passando uma fita. O professor começa lhe contar
que a fita se tratava do júri de seus alunos, e lhe explica que o mesmo era a apresentação que
os alunos fazem ao final do curso de administração, do Plano de Negócios das empresas que
criaram, e resalta a importância deste júri para todos saberem as empresas que estão surgindo
e quais precisam da ajuda dos sistemas de suporte e de toda sociedade. O capítulo mostra a
importância das MPME (micro, pequenas e médias empresas) na economia mundial,
contribuindo significativamente para a geração de empregos para o PIB dos países, para a
exportação e para a geração de tecnologia, em alguns países, sua participação no PIB atinge
cerca de 50%,com fortes tendências de crescimento. E informa ainda, os sistemas essenciais
para o nascimento e sobrevivência das mesmas no sistema econômico. O professor Paulo fala
na necessidade de apoio às empresas emergentes que é dado pelos Sistemas de suporte que
são constituídos por todas as forças sociopolíticas e econômicas, atuando quer sob a forma de
ação concreta, quer sob a forma de construção de arcabouço legal e ambientes propícios para
que o empreendedor e a pequena empresa encontrem o tratamento e as condições
necessárias a seu florescimento e consolidação. Essa é, efetivamente, uma das questões
fundamentais na área de empreendedorismo. No ambiente hostil do mundo empresarial como
o brasileiro, onde a taxa de mortalidade de empresas nascentes é elevadíssima, as tarefas de
estimular a criação e apoiar a consolidação de empresas não constituem atribuição isolada de
um setor, mas de toda a sociedade. Já o governo deve cuidar das políticas públicas, criando
um sistema legal e tributário favorável às pequenas empresas, estabelecendo um sistema de
juros e empréstimos mais baixos para financiar investimentos e capital de giro, estimulando o
surgimento do capital de risco no Brasil, enfim, criar no Brasil uma cultura de
empreendedorismo, mesmo porque fechar uma empresa tem alto custo social. No Brasil, por
vários motivos, existem ainda grandes obstáculos à atividade empreendedora nascente, no
ranking de causas das dificuldades e razões para o fechamento das empresas, encontramos
na seqüência: -falta de capital de giro –falta de clientes – problemas financeiros –maus
pagadores – falta de crédito bancário –recessão econômica- outras razões –ponto/local
inadequado-falta de conhecimentos gerenciais -fiscalização- falta de mão-de-obra qualificada -
instalações inadequadas e por fim carga tributária elevada. Apesar da grande participação
percentual no número de empresas, as MPME são responsáveis por apenas 5% das
exportações aqui no Brasil. O empreendedor precisa saber separar os assuntos entre si,
também separa-los da vida pessoal, e assim trata-los com a profundidade requerida. O
professor Pedro, ao longo do dialogo com Luísa, a questiona de fatores que julga importantes
como, se ela já tinha respondido um questionário “ Teste sua idéia de empresa” e a respeito de
um mentor para seu empreendimento, que atuará como consultor, e diz que o convite a um
mentor pode ser visto como a primeira venda de idéias do futuro empreendedor. Luísa
responde que já tem em vista quem pretende convidar para ser seu mentor, e dali segue até a
fabrica de biscoitos para encontrá-lo. Ele era o dono e presidente da Biscoitos Santa Luzia,
André Ferreira Oliveira. Seu André não só aceita ser seu mentor como lhe dá varias idéias e
desde então, lhe ajuda muito. Ele fala da importância de otimizar seu tempo, e também do
cuidado necessário na contratação de um sócio ou colaborador, ele diz que é de suma
importância você procurar obter o maior número de informações sobre o interlocutor, de modo
a criar um clima favorável. Enfim, depois de muitas horas trocando idéias com seu André, Luísa
sai de sua sala preparada para organizar seu tempo e executar seu Plano de Negócios e
analisar se seria viável concretizar o sonho de abrir a Goiabadas Maria Amália.
O Capítulo 4 avança sobre a escrita do Plano de Negócios em si, revelando a sua importância
como uma ferramenta de trabalho para o empreendedor. O plano de negócios descreve
detalhadamente o Plano de Marketing, com análise de mercado e dos concorrentes. Detalha
também as Estratégias de Marketing, explorando conceitos de Produto, Preço, Distribuição,
Promoção, Serviços e Relacionamento com o cliente. Introduz as ferramentas de análise do
setor e dos concorrentes, em que são analisados os pontos fortes e os pontos fracos, as
ameaças e as oportunidades, os aspectos legais, econômicos, tecnológicos e culturais que
afetam a organização. Enfim, este capítulo descreve a confecção do Plano de Negócios, desde
a preparação do empreendedor, passando pelo plano financeiro, os possíveis resultados, os
investimentos necessários, análise de fluxo de caixa, ponto de equilíbrio e as ferramentas para
análise do retorno do investimento, que indicam a viabilidade ou não do negócio. Todas estas
informações são passadas pelo autor no enredo criado em torno da formação de uma nova
empresa, com as dificuldades vividas pelo personagem.
O Segredo de Luísa
CONTEÚDO DO LIVRO
RESUMO COMPLETO

Capítulo I: A Motivação e o Perfil do Empreendedor


Definição de um empreendedor
"Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões".
O empreendedor é um ser social, produto do meio em que vive. Pesquisas mostram que os
empreendedores têm sempre um modelo, alguém que os influencia. Apesar de a família não
ter tradição em negócios, Luísa tem a madrinha como modelo.
No estágio atual do conhecimento sobre empreendedorismo, sabe-se como ajudar os
empreendedores em potencial e os empreendedores de fato a identificar as características que
devem ser aperfeiçoadas para obterem sucesso.
A Importância das Relações
A razão é que, nas pesquisas, se verificou que os empresários de sucesso são influenciados
por empreendedores do seu círculo de relações ou por líderes ou figuras importantes, tomados
como "modelos".
O empreendedor vê nas pessoas uma das suas mais importantes fontes de aprendizado, e não
se prende, como profissionais de algumas áreas, somente "reconhecidas", tais como literatura
técnica, relatórios de pesquisas, cursos reconhecidos, etc.
O empreendedor aprende em um clima de emoção e é capaz de assimilar a experiência de
terceiros. O hábito de Luísa tentar colocar-se no lugar do outro é um exercício importante para
vivenciar histórias de outras pessoas, algumas vezes aplicando padrões conhecidos em
contextos novos.
Perfil do Empreendedor de Sucesso
Luísa tinha prazer em se diferenciar das outras meninas, como se fosse pecado ser igual.
Na pesquisa de Timmons reunimos algumas qualidades de um empreendedor: O
empreendedor deve ter: iniciativa, autoconfiança, autonomia, otimismo, necessidade de
realização, perseverança, grande energia, forte intuição, diferenciação, alto comprometimento,
sonhos reais, espírito de liderança, rede de relações, método próprio de aprendizagem.
A Formação da Visão
A lida atrás do balcão trazia outras gratificações, não muito claras e discerníveis para Luísa,
mas que poderiam ser explicadas por um substantivo de sentido genérico: prazer.
Luísa sente-se feliz na atividade de vender, atender os clientes, saber que eles apreciam o que
compraram. E mais do que isso: com o passar do tempo, Luísa começou a entender o que é
um negócio, acumulando experiência.
Deve o empreendedor ser uma pessoa com autonomia, autoconfiança. Tem de acreditar que
pode mudar as coisas, que é capaz de convencer as pessoas de que pode conduzi-las para
algum ponto futuro. Filion chama a isso Conceito de si.
O empreendedor sempre quer realizar os seus próprios sonhos. É alguém que busca
incansavelmente a auto-realização.

Capítulo II: A Validação de uma Idéia


Um colega de Luísa falou sobre um certo professor do curso de computação, que havia criado
uma disciplina de Empreendedorismo.
Por que o ensino de Empreendedorismo?
A alta taxa de mortalidade infantil. No mundo das empresas emergentes, a regra é falir, e não
ter sucesso. O emprego dá lugar a novas formas de participação. Exigi-se hoje, mesmo para
aqueles que vão ser empregados, um alto grau de "Empreendedorismo". A metodologia de
ensino tradicional não é adequada para formar empreendedores. Os valores do nosso ensino
não sinalizam para o empreendedorismo.
Luísa via o setor onde pensava atuar com outros olhos. O conhecimento do setor de atuação é
fundamental para o sucesso.
A Falácia da Ratoeira
É muito comum o empreendedor achar que o domínio da tecnologia é o fator mais importante
para o sucesso de uma empresa. Principalmente aqueles que abrem empresas de base
tecnológica. Eles se enganam, dedicando-se somente ao produto.
O Padrinho
É um conselheiro para o novo empreendedor. Ele será um consultor durante todas as fases da
elaboração do Plano de Negócios.
Plano de Negócios
O Plano de Negócios é algo ainda incipiente no Brasil. Poucos empreendedores e empresas
trabalham com essa metodologia. Na Europa e principalmente no Canadá e EUA, é uma
ferramenta usual, habitualmente utilizada por empreendedores novos e antigos.
O plano de negócios é uma linguagem para descrever de forma completa o que é ou o que
pretende ser uma empresa.
Ciclo da Visão
As idéias alteram-se constantemente, compondo o ciclo: visão, novas relações, nova visão. Até
chegar a visão central, onde o produto estará completamente definido, assim como a empresa,
muitas mudanças na concepção do produto, nas formas de comercialização ou na embalagem
terão provavelmente sido realizadas.
Projetando a Organização da Empresa
O primeiro contato puramente profissional que ela teve foi com seu amigo consultor em
Administração, Luísa explicou o que queria. Tinha idéia também, de como o produto seria
distribuído. Aliás, estava bastante segura quanto ao produto, em todos seus aspectos, e quanto
ao mercado. Precisava conceber uma organização para isso tudo. Quantas pessoas, em
quantos turnos, para a produção, para vendas, para a administração. Quais seriam as
necessidades de controle e informação? Quais os sistemas?
Eduardo achara os conhecimentos de Luísa razoavelmente estruturados. Havia coerência e
sentido no que dizia. Surpreendeu-se ao receber dela um texto, uma espécie de planejamento.
No texto havia definições de: missão, produto, descrição, da unidade fabril, fluxo de produção e
uma rede de relações.
Os Impactos da Empresas na Vida Pessoal do Empreendedor
Luísa conciliava os estudos de odontologia com a empresa e cada vez mais se dedicava à
empresa, que era o que sempre sonhara.
Para o empreendedor, o Ser é mais importante do que o saber. A empresa é a materialização
dos seus sonhos. É a projeção da sua imagem interior, do seu íntimo, do seu ser em sua forma
total. O estudo do comportamento do empreendedor é fonte de novas formas para a
compreensão do ser humano, em seu processo de criação de riquezas e de realização
pessoal. Sob este prisma, o Empreendedorismo é visto também como um campo intensamente
relacionado com o processo de entendimento e construção da liberdade humana.

Capítulo III: O Empreendedor Busca Ajuda


Luísa mostra ao professor Pedro as informações que possui sobre a empresa até aquele
momento. Ela também relata seus problemas familiares ao professor na tentativa de obter
algum conselho. São apresentados dados das micro e pequenas empresas no Brasil,
confirmando a grande relevância que essas empresas têm para a economia do país.
Também são apresentados os sistemas de suporte, que são constituídos por todas as forças
sócio - políticas e econômicas que criam um meio ambiente para que o empreendedor e a
pequena empresa possam receber o tratamento e as condições necessárias ao seu
crescimento e fixação. Governos, associações de classe, formadores de opinião, líderes de
qualquer área devem trabalhar, cada um com suas condições e ferramentas para que se
consiga esse desenvolvimento.
O professor Pedro também discorre sobre a importância da capacidade de concentração e do
alheamento de todos os demais problemas. Outra capacidade que precisa ser desenvolvida é a
de persuasão, que deve ser utilizada para se enfrentar o inesperado, e precisa ser feita com
uma preparação muito cuidadosa, possuindo a maior quantidade possível de informações
sobre o interlocutor, criando assim um clima favorável.

Capítulo IV: O Plano de Negócios


Neste capítulo percebe-se a importância da organização das idéias e do Plano de Negócios.
Luísa sentiu a necessidade de ordenar e planejar suas ações, para isso fez um cronograma e
colocou em ordem de prioridade cada item. Ela percebeu que deveria segmentar o mercado,
para isso deveria fazer um plano de marketing. Fernando Dolabela divide este capítulo em:
Plano de Marketing: são apresentadas as principais características do Plano de Marketing e
sua finalidade, o autor mostra quais são as fontes primárias e secundarias de pesquisas, como
deve ser a análise de mercado, que divide-se em análise do setor, concorrentes, fornecedores
e clientes.
Estratégia de Marketing:
 Identificação dos objetivos: são definidos os objetivos de marketing e elaboradas as
perguntas que devem ser feitas para a identificação.
 Estratégia de produto: classificação dos produtos como bens duráveis, serviços, bens
de uso especial e etc, definição do nome do produto, logotipo, diferenciação,
embalagem, público-alvo e design.
 Estratégia de preço: são apresentadas as políticas de preço.
 Estratégia de distribuição: como o produto será distribuído e promovido.
 Estratégias de comunicação: Luísa optou por utilizar panfletos, incentivar a degustação
em estabelecimentos comerciais e distribuir amostras grátis da goiabada-cascão.
Preparação do empreendedor: são tecidos comentários sobre a importância da seleção dos
sócios, da incubadora de empresas, também são apresentados detalhes sobre o
funcionamento dos Clubes de Empreendedores. Por último o autor discorre sobre o
compromisso social do empreendedor.
Plano financeiro: pode ser dividido em:
 Investimentos iniciais: despesas pré-operacionais, investimentos fixos e capital de giro
inicial.
 Apuração dos resultados: receitas brutas de vendas, receita líquida de vendas, custos
dos produtos vendidos, margem de contribuição, despesas operacionais, resultado
operacional e lucro líquido.
 Fluxo de caixa: Investimento inicial, saldo de caixa inicial, total de entradas, total de
saídas, saldo no período, reserva de capital, depreciação e fluxo líquido de caixa.
 Ponto de equilíbrio
 Payback
 Taxa interna de retorno (TIR) e valor presente líquido (VPL)

Capítulo V: A Busca de Recursos para a Implementação da Empresa


São abordadas as características das empresas de capital de risco, que têm por objetivo
investir em empresas de alto potencial de sucesso, que podem oferecer taxas de retorno
elevadas. Elas entram na empresa participando do capital social de firmas, através da
aquisição de ações e realizam os seus lucros vendendo as ações que adquiriram. Não é um
financiamento, pois as empresas tornam-se sócias, alem de poder contribuir na orientação
gerencial da empresa. Procuram retorno de médio e longo prazo, alem de preocupar-se com as
regras para a saída da sociedade.
Luísa envia o plano de negócios para alguns empresários com o auxílio de seu padrinho. Ela
analisa minuciosamente todas as oportunidades e escolhe a proposta da Doceminas como a
melhor, em que poderia utilizar as instalações da fábrica para produzir a sua goiabada, em
troca disso ela deveria pagar um preço unitário pela industrialização do produto.

Capítulo VI: A Consolidação


Alguns anos após o início da Goiabadas Maria Amália a empresa já possuía uma linha de
produtos derivados da goiaba e já era conhecida internacionalmente. Depois da formatura, os
familiares de Luísa já contavam com um novo casamento, pois a mesma assumiu seu namoro
com Eduardo. Para finalizar o autor volta às primeiras páginas do livro, onde descreve a
entrega do prêmio de Empreendedor Global do Ano à Luísa pelo governador do Estado de
Minas gerais, quando ela tinha apenas 26 anos.

AVALIAÇÃO E APRECIAÇÃO PESSOAL DO LIVRO


O livro tem o poder de instigar o leitor a colocar em prática seu sonho de ser independente, de
ter o seu próprio negócio, ser um empreendedor de sucesso. São fornecidas ferramentas para
se obter as informações necessárias para que se possa entrar no ambiente empresarial com
segurança e confiança.
O autor não se preocupa somente em apresentar os processos necessários para a abertura de
uma empresa, ele busca também provar que todos podem ser capacitados para uma atividade
empreendedora, necessitando apenas de um treinamento eficaz.
Fernando Dolabela utiliza um método atraente e estimulante ao relatar seus conhecimentos e
crenças em um romance onde informações técnicas são expostas de forma clara e agradável
para o leitor.
O livro é destinado ao leitor de qualquer idade ou formação, como ou sem conhecimento sobre
empresas, mas que possui um projeto e deseja transformá-lo em realidade, ou seja, em um
negócio concreto.
No entanto, o autor peca ao caracterizar Luísa como uma "empreendedora perfeita", dando a
ela todas as qualidades de um empreendedor de sucesso. O livro seria ainda mais rico se
Luísa possuísse algumas deficiências e tivesse que buscar auxílio para sanar esses
problemas. Isso incentivaria o leitor a desenvolver as características que faltam à sua
personalidade para que possua um perfil empreendedor.
A utilização das caixas de texto para apresentar conceitos mais avançados sobre
Empreendedorismo foi uma ótima alternativa encontrada pelo autor para tornar a leitura menos
densa. O leitor optar por ler os assuntos em que deseja se aprofundar e ignora as caixas de
texto que contém informações desnecessárias.
Um dos temas abordados por Fernando Dolabela é a difusão da cultura empreendedora entre
as mulheres. Há alguns anos causava estranheza o fato de uma mulher comandar a
implantação de uma nova empresa. Felizmente esse preconceito vem diminuindo e o
empreendedorismo feminino vem sendo até mesmo incentivado por algumas instituições.
Muitas Associações Comerciais já possuem o seu "Núcleo da Mulher Empreendora", onde
empresárias discutem soluções para suas empresas e promovem palestras e seminários.
Pesando-se os prós e contras do livro "O Segredo de Luísa", pode-se concluir que o saldo final
é bastante positivo, principalmente no que diz respeito à elaboração do Plano de Negócios,
prática ainda pouco difundida no Brasil, mas muito utilizada na Europa e América do Norte.
Observando-se as características apontadas pelo autor como essenciais a um empreendedor,
pode-se perceber que uma boa parcela da população brasileira possui essas qualidades, o que
incentiva intelectuais como Fernando Dolabela a lutar pela difusão do Empreendedorismo por
todo o país.

RELEVÂNCIA E APLICABILIDADE DO LIVRO


O autor deixa bem claro neste "romance" tudo o que se faz necessário para obtenção do
sucesso como empreendedor, mostra não apenas a história de Luísa como também teorias
administrativas relacionadas à prática do empreendedorismo.
No empreendedorismo são abordados conceitos que regem a realidade nas relações de
trabalho: a emoção (nas empresas, o quociente emocional substitui o quociente intelectual), a
ênfase no ego, a convivência com a ambigüidade e incerteza, a aplicação contextual dos
conhecimentos, o desenvolvimento do processo visionário. Lida também com fatores de
natureza cultural, determinantes do grau de empreendedorismo de uma região, de uma
comunidade. Prioriza o comportamento (o ser) em relação ao saber como um fim em si mesmo.
Desta forma, o objetivo final é o desenvolvimento do empreendedor de sucesso.
Atualmente não se visa somente a criação de empresas de sucesso, mas sim a formação de
empreendedores de sucesso. Para os empreendedores de sucesso, o eventual fracasso da
empresa é visto antes como um resultado, com o qual saberão aprender. A atividade de
empreender, representada principalmente pela identificação e aproveitamento constante das
oportunidades, faz parte da rotina do empreendedor.
O empreendedorismo consegue propor conceitos que permitem a identificação de condições
de sucesso na criação e gestão de negócios.
Há ênfase na construção de um perfil de empreendedor, perfil que conduz a uma capacidade
de aquisição pró-ativa de know how e não somente na aquisição de um estoque de
conhecimentos.
Quando Luísa refere-se a sua futura empresa, ela coloca em dúvida a peculiaridade da
empresa nascente, isso devido à alta taxa de "mortalidade infantil" de novos empreendimentos.
Luísa aprende com o Professor Pedro a diferenciar uma idéia de uma oportunidade, pois
desconhecer a diferença entre tais conceitos é uma das grandes causas de insucesso.
Identificar e agarrar uma oportunidade é, por excelência, a grande virtude do empreendedor de
sucesso.
Uma figura importante para um empreendedor é o "padrinho", pois na elaboração do Plano de
Negócios, o "padrinho" será um consultor, durante todas as fases de sua elaboração. Será um
crítico e um parceiro para discussões, ele acompanhará a elaboração do Plano de Negócios e
será a primeira pessoa a examina-lo depois de pronto, de preferência o "padrinho" deverá ser
um empresário que seja admirado pelo empreendedor e alguém que atue no mesmo ramo com
sucesso.
A utilização do Plano de Negócios ainda é incipiente no Brasil e deve ser estimulada, já que
pode auxiliar na diminuição da "taxa de mortalidade" das novas empresas.
A pequena empresa conta hoje com a tecnologia da Internet para lançar-se no mercado global,
devido ao seu baixo custo e ótima acessibilidade. A Internet pode servir não só como uma
grande fonte de informações, mas também como um instrumento de promoção da
competitividade entre as organizações. Mas para obter o resultado esperado desta poderosa
ferramenta é necessário que sua utilização seja bem planejada. A Internet agregará valor à
empresa através da grande quantidade de pessoas conectadas à rede e consumidores com
acesso a uma enorme quantidade de novos mercados, agilidade nas compras e a possibilidade
de testar produtos e serviços personalizados antes de comprar.
As novas organizações devem estar preparadas para assumir um padrão internacional em
aspectos como: qualidade do produto, capacidade de gerenciamento, visão mercadológica,
distribuição do produto, assistência pós-venda, políticas de preço, propaganda e promoção. As
empresas classe mundial transformam a alta competitividade da economia globalizada em
oportunidades de negócios, posicionando-se como elos essenciais em uma cadeia de
complementaridade.