Você está na página 1de 3

RESENHA Filme À Espera de um Milagre - Green

Mile (1999)
RESENHA

Filme À Espera de um Milagre - Green Mile (1999)

Frank Darabont

Sinopse

O filme “À Espera de um Milagre”, conta a história de um policial que constrói um elo de amizade com
um preso que possui um dom mágico, misterioso e miraculoso. Paul Edgecomb (Tom Hanks), conta a uma
amiga sobre o verão do ano de 1935, quando era policial e trabalhava no corredor da morte penitenciária de
Cold Mountain, no sul dos Estados Unidos. Os prisioneiros que eram ali mantidos, percorriam o último trajeto
de suas vidas sobre um piso de cor verde, da sua cela até a grande temida cadeira elétrica.

Um dia, um novo prisioneiro chega: seu nome é John Coffey (Michael Clarke Duncan), um negro de
altura impressionante, mas que se revela um gigante calmo: ele conversa delicadamente, tem medo do escuro
e chora várias vezes, pois sua condenação se deu pelo estupro e assassinato de duas garotinhas brancas.

A convivência entre prisioneiros e guardas é relativamente amistosa, com o respeito imperando ali. É
costume que a execução de cada um deles seja treinada antes de ocorrer efetivamente, para impedir que
qualquer erro prolongue o sofrimento dos condenados. A rotina normalmente é calma, até o dia em que um
pequeno rato aparece em frente a mesa dos policiais, que pede por comida e depois se esconde na solitária
(utilizada como depósito), onde ninguém consegue encontrá-lo. O mesmo rato torna-se alvo da obsessão
de Percy Wetmore (Doug Hutchison), um guarda que possui influências poderosas mas adora estar ali porque
pode intimidar, provocar e causar todo o tipo de sofrimento aos presos. Um verdadeiro sádico, desprezado
pelos seus colegas.

O mesmo ratinho volta a aparecer mais tarde, "domado" por Eduard Delacroix (Michael Jeter), que o
nomeia de Mr. Jingles. O animalzinho passa a morar na mesma cela de Delacroix, obedecendo a todos os seus
comandos - um fato surpreendente para todos. Chega também à prisão um sujeito extremamente
estranho: William Wharton (Sam Rockwell), que engana a todos como um falso louco e quase estrangula um
dos guardas na sua chegada.

Após muito esforço Wharton (ou "Wild Bill", como é conhecido) é controlado, e quando o guarda
atacado é levado ao médico, Edgecomb cai no chão da prisão: ele sofre de uma estranha infecção urinária, que
nos últimos dias vinha enlouquecendo-o de dor.

John Coffey começa a chamar pelo policial doente e pede para vê-lo, e apesar de dizer que aquele não é
um bom momento, Edgecomb atende seu pedido sendo então agarrado pelo gigante e tendo assim seu
problema de saúde curado milagrosamente.

Coffey consegue tocar a parte afetada e então transmitir para si mesmo a doença, depois então abrindo
a boca e expelindo do seu próprio organismo tudo aquilo que tinha dentro do seu corpo. Depois desse processo,
ele sempre sente um cansaço extremo e dorme, sem querer falar ou comentar sobre nada. Edgecomb comenta
com Brutus Howell (David Morse) o milagre que ele acredita ter se operado, mas nenhuma outra prova a
respeito dos poderes de John Coffey aparece.

A rotina na prisão segue normalmente, apesar das constantes interferências de Wild Bill - ele não gosta
de nenhum dos outros presos e odeia principalmente os policiais, tendo feito todas as malcriações e se
comportado do pior jeito possível com todos ali dentro. Ele apronta até mesmo com Percy Wetmore, que fica
muito assustado com o fato, inclusive urinando nas próprias calças depois do nervoso e medo que
experimentou nas mãos de Wild Bill - e em seguida ameaça o resto dos policiais de demissão, porque se
alguma coisa a respeito daquele incidente se espalhasse, todos eles perderiam seus empregos, já que ele
possuía importantes conexões.

É ele também que um dia mata Mr. Jingles, ficando feliz por finalmente ter eliminado o rato que tanto
lhe incomodava em proporções maiores do que o normal. Desesperado, a dor de Delacroix ao perder o seu
animal de estimação é comovente - e os policiais ficam assustados com a crueldade e aparente insanidade de
Percy também. É nesse momento que John Coffey pede para que lhe tragam o ratinho, dizendo que talvez
ainda haja tempo para ele.

Sem entender nada, os policiais entregam o ratinho a Coffey, e o vêem trazê-lo de volta a vida, utilizando
os mesmos poderes e o mesmo processo anteriormente empregado na infecção de Paul Edgecomb. Dessa vez,
há testemunhas, sobretudo Delacroix - que não consegue expressar sua gratidão em palavras ao ver seu caro
Mr. Jingles de volta. Percy, ao saber do ocorrido, recusa-se a acreditar em qualquer coisa como um milagre e
se sente pessoalmente ofendido.

...

Baixar como (para membros premium) TXT (13.7 Kb) PDF (149.1 Kb) DOCX (18.2 Kb)
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com
Ler documento completo Salvar
Informação

prevnext
 1
 2
 3
 4
 5
 6
 7





8 classificação(ões)
Denunciar este trabalho

Trabalhos relacionados
 Resenha Filme Tempos Modernos

 RESENHA FILME A PROVA DE FOGO


 RESENHA - FILME FAHRENHEIT 11 DE SETEMBRO
 Resenha- Filme: Missão Impossível 4- Protocolo Fantasma
 RESENHA FILME Escola da Vida
 Resenha Filme Chocolate
 Resenha Do Filme O Milagre E Anne Sullivan
 Resenha do Filme: O Milagre de Anne Sullivan
 Resenha critica do filme o milagre de Anne Sullivan
 RESENHA DO FILME: O MILAGRE DE ANNE SULLIVAN
 RESENHA DO FILME: O MILAGRE DE ANNE SULLIVAN
 Resenha Crítica - Filme: O MILAGRE DE ANNE SULLIVAN
 Resenha do filme: O MILAGRE DE ANNE SULLIVAN
 RESENHA DO FILME - O Milagre de Anne Sullivan
Tópicos similares
 Resenha Do Filme Germinal

 Resenha Filme Quase Deuses


 Tenha acesso a mais de 726.000 trabalhos e monografias
 Junte-se a mais de 2.502.000 outros alunos
 Trabalhos e monografias de alta qualidade

Registrar