Você está na página 1de 10

Verbal

A comunicação verbal é a forma mais utilizada de se comunicar e relacionar, isso porque ela tem
uma grande capacidade de transmitir ideias e expressar pensamentos, seja qual for o nível de
complexidade. A comunicação verbal abrange a escrita e a oralidade. Assim, ela está inserida no
nosso dia a dia, em diversas situações de convívio social e corporativo. Para que seja eficaz, a
comunicação verbal deve ocorrer na forma passiva e ativa. A primeira é quando recebemos a
mensagem - seja ouvindo alguma fala ou lendo uma mensagem -, enquanto a segunda forma nós
somos o emissor da mensagem, ou seja, nos comunicamos por meio da fala ou escrita.

Não verbal
Diferente da comunicação verbal, a comunicação não verbal é feita através de códigos, gestos,
sinais, expressões faciais e corporais e de imagens. Apesar de não usarmos da mesma forma que
a comunicação verbal, necessitando de um passivo e ativo, a comunicação não verbal está muito
presente no nosso cotidiano. Por exemplo, sinais de trânsito, linguagem por meio de libras e
sinais são formas de comunicação não verbal.

Oral
A comunicação oral é a forma mais direta de se comunicar, já que para que ela ocorra é preciso
ter a presença do emissor e receptor - não necessariamente no mesmo local, mas no mesmo
momento. Além da conversa pessoalmente, há outras formas de realizar a comunicação oral,
como o rádio ou telefones. Para se ter uma boa comunicação oral e transmitir a mensagem de
forma eficaz, é preciso falar com naturalidade, ter uma postura simpática e confiante,
desenvoltura, entre outras características. A comunicação oral tem o poder de deixar a mensagem
clara, contornando mal entendidos ou situação inesperadas.

Escrita
A grande diferença da comunicação escrita está no fato do receptor não estar, necessariamente,
presente na conversa. Dessa forma, a comunicação escrita pode ser vista como um monólogo,
onde o emissor transmite através da palavra escrita o que ele quer dizer e o receptor pode receber
a mensagem futuramente. É preciso tomar cuidado com a forma da escrita, já que a interpretação
do receptor pode ser diferente do objetivo inicial da mensagem.

Assertiva
É fundamental ser assertivo para que a mensagem chegue clara ao receptor. Para isso, é
necessário se comunicar de maneira direta, sincera, clara e honesta. Um emissor é assertivo
quando ele consegue manifestar suas ideias e pensamentos de forma clara e sem desrespeitar o
próximo. Isso pode ser feito em todas as formas de comunicação, seja verbal seja não verbal.
Uma comunicação que não é assertiva pode trazer falha na mensagem, ocasionando uma série de
erros e problemas.
Para ser assertivo, o emissor deve ser honesto, direto, transparente, claro, além de transmitir
respeito e conhecimento ao receptor.

Há outros tipos de comunicação?


Sim, há outras formas de se comunicar, que podem depender do grau de intimidade e
relacionamento do emissor e receptor, como comunicação por olhar por exemplo. Há ainda a
comunicação corporal, feita por gestor, postura e mímicas

Sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

PSICOLOGIA

A seguir vamos compreender os tipos de comunicação. Portanto, fique atento (a) a cada detalhe!

Comunicação Verbal

A comunicação verbal abrange a comunicação escrita e a comunicação oral. É a forma de


comunicação mais utilizada devido à sua capacidade de transmitir ideias de grande
complexidade.

Está presente nas mais diversas situações de convívio social ou nas corporações, sendo
importante ferramenta para todos os tipos de relações que pudermos imaginar. Essa comunicação
ocorre na forma passiva, ou seja, quando ouvimos alguém falando ou lemos uma mensagem
escrita – quando somos os receptores; ou na forma ativa, quando falamos ou escrevemos -
quando somos o emissor da mensagem.

Comunicação Escrita

A comunicação escrita é o código utilizado pelos livros, pelo jornalismo impresso ou on-line e
pelas ferramentas de comunicação virtual.

Nela o receptor está ausente, o que transforma a comunicação em um constante monólogo do


emissor. Requer o máximo cuidado na ordenação das informações e na correção ortográfica e de
pontuação.

Ainda que sejam possíveis as retificações, os erros ou os ruídos nesse tipo de comunicação
comprometem o entendimento da mensagem pelo receptor.

Comunicação Oral

Ao contrário da comunicação escrita, a comunicação oral é presencial, ou seja, nela emissor e


receptor estão presentes (exceto o caso da televisão, do rádio e das mensagens gravadas).

Essa, também, é um instrumento necessário para quem deseja conquistar amigos, uma vez que
possibilita a interação social.

Para saber como transmitir uma mensagem de forma correta, segue algumas dicas:

• Não tenha medo de falar;

• Fale com naturalidade;

• Contorne situações difíceis e inesperadas;

• Planeje uma imagem simpática e confiante;

• Converse com desenvoltura;

• Se necessário, responda perguntas com segurança;

• Não gesticule em excesso.

Comunicação Não Verbal

A comunicação não verbal ocorre por meio de gestos, sinais, códigos sonoros, expressões faciais
ou corporais, imagens ou outros códigos representativos.

Essa comunicação pode ser utilizada de forma isolada, a exemplo dos sinais de trânsito, da
mímica ou da linguagem de Libras, linguagem de sinais para deficientes auditivos.

Comunicação por olhar - As pessoas se fazem entender somente pelo olhar.

Comunicação por mímica - São os gestos das mãos, corpo, face e as caretas que transmitem
determinada informação.

Comunicação por gesto - Pode ser de forma voluntária, como um beijo, mas também pode ser
involuntária, como mãos que não param de rabiscar ou de mexer em algo, o que caracteriza
tensão e nervosismo.

Comunicação pela postura - O modo como sentamos, com o corpo para um lado ou para o
outro, até mesmo a posição pela qual relaxamos nossos pés. Essas posturas, na maioria das
vezes, correspondem ao subconsciente transmitindo uma mensagem.

Comunicação Assertiva

Além dos tipos de comunicação que acabamos de ver, temos a comunicação assertiva.
A capacidade de ser assertivo é uma das grandes ferramentas para conquistar amizades nos
diversos níveis de relacionamento interpessoal. Ser assertivo é comunicar-se adequadamente de
maneira direta, aberta, sincera, objetiva e efetiva sem provocar constrangimentos em outras
pessoas.

A assertividade é definida como autoexpressão da qual o indivíduo manifesta o que sente e


pensa, defendendo seus direitos humanos básicos sem desrespeitar os direitos básicos dos outros.

Na comunicação humana, o comportamento não assertivo e agressivo, raramente, ajuda as


pessoas a alcançarem seus objetivos ou a traduzirem seus sentimentos e necessidades.

A postura assertiva é a habilidade de dar respostas assertivas e honestas, que sejam adequadas à
cultura, à situação e às outras pessoas envolvidas.

Ser assertivo é apostar na mudança de comportamento para melhorar e se adaptar a todos os tipos
de personalidade.

Ter comportamento assertivo é ser:

• Ativo;

• Direto;

• Honesto;

• Transparente;

• Transmitir respeito pelos outros.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Comunicação
Assertiva.

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Palestra - Conceito, o que é, Significado

A palestra é a exposição de certas ideias por parte de alguém. É uma prática bem comum do
meio acadêmico. Quem realiza é um palestrante e, normalmente, trata-se de um indivíduo com
amplos conhecimentos de um tema e que deseja passar a determinado público.

Na área de pesquisas é bem comum a realização de conferências ou congressos, através da qual


diversos especialistas se reúnem para compartilhar seus conhecimentos sobre determinada
disciplina. Dentro deste contexto, são realizadas palestras, ou seja, a exposição de um assunto
que será abordado. Cada palestra permite uma visão particular e envolve um processo de
investigação prévia.
Quais são as bases?

O palestrante procura sintetizar uma informação ampla de forma que sua fala não se estenda
muito, tornando-se agradável e divertida.

O objetivo de uma palestra é que o público aprenda novos conhecimentos (podem ser teóricos ou
práticos). Geralmente, quem assiste a uma palestra são profissionais qualificados que estão
preparados para entender as reflexões ou as propostas do palestrante.

Na maioria dos casos, o conteúdo das palestras é transcrita ou gravada com o objetivo de torná-
las conhecidas e assim serem consultadas posteriormente.
A palavra é o meio utilizado na maioria das palestras

Entretanto, são utilizados suportes complementares de grande utilidade, como o Power Point que
se encontra na moda e é bastante utilizado nessas palestras.
Os especialistas em comunicação consideram que o fundamental de qualquer palestra está na
adequação do seu conteúdo e ao público que será dirigido

Esta premissa é fundamental, pois não haveria sentido explicar algo que não entendido pelos
participantes. Outro aspecto relevante é a capacidade de comunicação do palestrante, uma vez
que é muito importante o que se diz e como é dito. Por este motivo, os palestrantes profissionais
podem receber assessoria para melhorar sua oratória.

O formato tradicional de uma palestra tem mudado nos últimos anos. Não somente pelo uso do
Power Point, mas especialmente pela possibilidade de estar em um lugar e comunicar-se com o
público de outro lugar, ou seja, a teleconferência existe como uma nova ferramenta de
comunicação.

Imagem: iStock. BraunS

... Via conceitos.com: https://conceitos.com/palestra/

Palestra (do grego palaístra, através do latim palaestra), às vezes chamada conferência, é uma
apresentação oral que pretende apresentar informação ou ensinar pessoas a respeito de um
assunto.[1] Um tipo de palestra muito conhecido é a aula expositiva, dada pelo professor em uma
universidade ou colegial. Palestras são usadas para transmitir informação de natureza importante,
histórica, prática, teórica e equacional. O discurso de um político, o sermão de um guia espiritual
e a apresentação de vendas de um negociante também podem assumir forma similar a uma
palestra. Geralmente, o palestrante posta-se em uma posição de destaque no cômodo e recita
informação relevante relativa ao conteúdo da palestra.

Descrição
O uso de palestras ou aulas expositivas como único método de ensino é criticado, e a maioria dos
cursos adota outros métodos para complementação. Segundo os críticos,[quem?] a palestra
estabelece uma comunicação em apenas uma direção (a palestrante —> audiência), cabendo aos
ouvintes uma participação reflexiva. As aulas expositivas são frequentemente comparadas com
aprendizagem ativa. Já as palestras apresentadas por oradores talentosos podem ser altamente
estimulantes para os ouvintes; assim, a aula expositiva sobrevive na academia como um método
rápido, barato e eficiente de apresentar, para muitos estudantes, um campo de estudo particular.

As palestras têm um significativo papel fora das salas de aula. Prêmios acadêmicos e científicos
geralmente incluem uma palestra como parte da homenagem, e conferências acadêmicas
rotineiramente focam em keynotes, isto é, palestras. A palestra pública tem um longo histórico
nas ciências e nos movimentos sociais. Sindicatos historicamente têm hospedado inúmeras
palestras públicas e gratuitas em uma ampla variedade de temas. Similarmente, igrejas locais,
centros comunitários, bibliotecas, museus e outras organizações oferecem palestras, seja como
prosseguimento de suas missões ou por interesse de seus membros constituintes. Palestras
representam uma continuação da tradição oral, em contraste com a comunicação textual de livros
e outros media.

Palestra sobre estatística na Universidade de KwaZulu-Natal

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palestra

Referências
1.

FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira.
1986. p. 1 250

Ddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddd
Debate (do inglês debate) é um modelo de contestação baseado na argumentação onde duas, ou
mais, ideias conflitantes são defendidas ou criticadas com base em argumentos.[1] É formalmente
usado por parlamentares, políticos em geral, debates científicos, debates filosóficos, literários e
vários outros. No senso comum, as conversas argumentativas sobre futebol, política, cotidiano e
entretenimento podem ser considerados como debates informais.[2]

Os debates ocorrem de modo oficial em parlamentos, em modelos democráticos, televisionados,


universidades, escolas, associação de moradores, condomínios e outros.

Um debate pode servir para esclarecer questões, como em oitivas em comissões parlamentares de
inquérito, refutar teorias, verificar a validade de ideias, convencer, buscar a veracidade de um
argumento, treinar etc. [3]

É um método de apresentar formalmente argumentos de uma forma disciplinada. Consistência


lógica, exatidão factual e a qualidade oratória são elementos do debate. O resultado de um debate
pode alcançar um consenso ou algum modo formal de chegar a uma solução, mas isso não é
atributo básico de um debate, o qual pode servir apenas para esclarecimento ou aprofundamento
de uma questão, sem chegar a conclusões. Em uma disputa formal de debate, existem regras para
os participantes a discutir que definem como eles irão interagir.

Um debate pode durar apenas alguns minutos, como o debate em uma aula, ou durar bem mais
tempo, como ocorre nos debates filosóficos e científicos, onde os argumentos são apresentados
em livros e periódicos que podem demorar anos para serem publicados e veiculados para o
público.

Diferentes autores têm se dedicado a examinar a ocorrência de debates em diferentes arenas, a


exemplo da comunicação de massa. Muitos dos estudos sobre mídia e política se dedicam a
examinar a influência do meio (a televisão, por exemplo) e da época (eleições) sobre a
possibilidade de troca de ideias de cunho deliberativo[4][5].

Índice
 1 Composição Básica
 2 Debates Competitivos
o 2.1 British Parliamentary
 2.1.1 Regras Básicas
 3 Referências
 4 Ver também

Composição Básica
 Moderador - Responsável pela mediação e aplicação das regras previstas para o debate. Cada
modalidade de debate atribui, ao moderador, prerrogativas diferenciadas. De modo geral, ele
fica responsável em mediar o debate, apresentando os debatedores, controlando os tempos,
esclarecendo os momentos em que o debate está e chamando a atenção de eventuais desvios
nas regras por parte dos debatedores ou da plateia.

 Debatedores - São os que expõem os argumentos e defendem ou refutam uma tese ou tema
previamente estipulado. A depender das regras estipuladas, agirão de maneira a apresentar os
argumentos para defender ou refutar. Podendo ou não ser orador. Em algumas modalidades de
debate em grupo, há participantes debatedores que não são oradores, participando apenas da
construção argumentativa do seu grupo.

 Plateia - São os indivíduos que assistem ao debate. Dependendo do modelo, das regras
estipuladas e das circunstâncias, podem participar diretamente fazendo perguntas e dando
opiniões, votando ou se expressando com sons de palmas, vaias e interjeições.

Debates Competitivos
Debates competitivos são modelos de debate onde se avalia a qualidade geral dos debatedores,
observando o nível de argumentação, oratória, refutações e os diversos aspectos de um debate.
Pode-se apresentar em forma de torneio, onde grupos são formados e se disputa qual é o melhor
grupo argumentador.[6]

British Parliamentary

É o modelo de debate competitivo mais comum, utilizando tanto no Brasil como na própria
Inglaterra. Neste país, ocorrem o English-Speaking Union Schools Mace, um torneio de debates
fundado em 1957 e que ocorre até hoje na sua 58º edição, e o World Universities Debating
Championship.[7] O III Campeonato Brasileiro de Debates ocorreu em 2016.[8]

Regras Básicas

As regras básicas do Parliamentary Debate são:

 O debate ocorre simulando um debate parlamentear num modelo britânico.


 Quatro duplas. Duas para defesa, duas para refutação.
 Os temas são sorteados 15 minutos antes do início do debate.
 Também é sorteado quais duplas irão defender e quais irão refutar, não é uma escolha da dupla.
 Os moderadores, ou juízes, que dão as notas individuais e da dupla, mediam o debate e
estipulam a dupla vencedora.
 Os temas são chamados de moção.
 Cada representante de uma dupla terá um tempo determinado para apresentar-se de sete
minutos.[9]

Referências
1.
 FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira.
1986. p. 522.
  http://www.debatecolombia.org/debate/

  http://www.significados.com.br/debate

  Marques; Miola (2009). «Deliberação mediada: Uma tipologia das funções dos media para a
formação do debate público» (PDF). Revista Estudos em Comunicação. UBI/Portugal. Consultado em 28
de setembro de 2016

  Marques, Vimieiro, Vieira, Melo (2009). «O Fórum na Tela: Eleições, Debates Televisivos e
Deliberação Mediada». Revista Contemporanea. UFBA. Consultado em 28 de setembro de 2016

  http://parlibrasil.org/ibd/?page_id=43

  https://www.theguardian.com/media/2005/jul/03/theobserver.pressandpublishing

  https://pt-br.fievent.com/e/iii-campeonato-brasileiro-de-debates/3289924

 http://parlibrasil.org/ibd/?page_id=43

Ccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccccc

Traduzido de inglês-Uma convenção, no sentido de uma reunião, é uma reunião de indivíduos que se
reúnem em um determinado local e horário para discutir ou se engajar em algum interesse comum. As
convenções mais comuns são baseadas na indústria, profissão e fandom.

Diferencas

Pergunta: Qual a diferença entre conferência, seminário e palestra?

Conferência - A origem da palavra vem do latim com + ferre, “reunir”. Em uma conferência, o
conferecista é apenas um meio, e não um fim. É uma das formas de reunião informativa que se
caracteriza pela exposição feita por autoridade em determinado assunto para grande número de
pessoas. Exige a presença de um presidente de mesa para condução dos trabalhos, sendo bem
mais formal que uma palestra. As perguntas acontecem somente por escrito e devidamente
identificadas, bem ao final da exposição.

Seminário - A origem da palavra vem do latim semen, “semente”. Um seminário nada mais é que
uma sementeira. É um evento onde dois ou mais expositores apresentam vários aspectos de um
determinado assunto. É uma sequência concentrada de atividades com fim específico de
desenvolver capacidades, conhecimento e aprendizagem por meio do trabalho. A idéia é somar
informações e experiências. “Congresso de menor porte”. Objetiva transmissão, atualização,
debate, divulgação ou apresentação de novos conceitos e técnicas centrados num tema básico,
que pode ser desdobrado em subtemas. Exposição feita por uma ou mais pessoas e um
coordenador. O assunto é conhecido da platéia, que é dividida em grupos. Suas fases são:
exposição, discussão e conclusão. O objetivo é informar e debater determinado assunto sob
vários ângulos. Duração de 4 a 8 horas diárias, de uma até várias semanas.

Palestra - É um evento caracterizado pela apresentação de um tema, por um especialista, a um


grupo de pessoas com interesses comuns. Após a apresentação, deverá ser aberta a possibilidade
para questionamentos. Seu objetivo é o de informar e atualizar o público sobre um determinado
assunto. Duração mínima de uma hora.