Você está na página 1de 2

Análise da Teoria Malthusiana

Tayla Trindade 1

Artigo: HENRIQUES, Abel. Thomas Robert Malthus: A teoria Malthusiana. Coimbra, 2007.
Artigo acadêmico do departamento de Engenharia Civil, Instituto Superior de Engenharia de
Coimbra.

A Teoria populacional Malthuasina nasceu por volta de 1789 na Inglaterra pelo


economista e sacerdote protestante Thomas Robert Malthus, devido aos problemas em que o
país se encontrava a Primeira Revolução Industrial. Malthus expunha sua própria visão sobre o
futuro da humanidade e o crescimento populacional.
Apontava que o alimento é necessário para a existência do homem e a paixão entre sexos
é fundamental e perdurara sendo, seguindo este pensamento nota-se que a capacidade de
procriação da população é indefinidamente maior que a capacidade da terra de gerar meios de
subsistência, onde existiam dois tipos de obstáculos:
a) Positivos: fome, desnutrição, epidemias, doenças, pragas, guerras e etc.
b) Preventivos: práticas de anticoncepcionais voluntárias, para redução da taxa de
natalidade.
Chamado de fenômeno da progressão geométrica versus progressão aritmética, Malthus
salientava que o crescimento populacional possui um ritmo mais acelerado do que o
crescimento de alimentos. Além do limite de territórios dos continentes, que delimita em termos
futuros a expansão de áreas cultivadas pois todos os continentes estariam com suas áreas
esgotadas pela agropecuária e a população mundial continuaria a aumentar.
Os atos humanos são os grandes percussores da decadência de dezenas de milhares de
vidas, segundo Malthus, seus vícios destroem seus próprios caminhos. Sem forças e saídas para
aniquilar as guerras epidêmicas, pestes e pragas, direcionam-se para uma vasta e irremissível
onda de fome, desolação em grande escala da população e da escassez de alimentos.
Malthus intitulava como intervenção inútil a ajuda do governo para suprir as
necessidades básicas das classes pobres, era adepto as tarifas sobre os cereais importados e
defensor dos senhores de terrar produtivas de forma a incentivar a produção interna do trigo.
O intuito primacial da Teoria da População era substituir os entraves positivos pela
restrição moral. A terceira objeção é particular ao homem, aponta a sua aptidão superior de
raciocínio que lhe permite a visão futura de calcular as resultantes.
Foi a partir de Malthus que nasceu a educação social onde o homem não deve se casar
até que tenha condições econômicas para sustentar a sua família, a fim de controlar a natalidade
mediante a abstinência sexual. Conforme o estudo de Henriques, Malthus considerava que o
controle da natalidade era a chave para o desenvolvimento econômico.
Para Henriques, a teoria Malthusiana era preconceituosa por não permitir relação sexual
antes da aquisição de posses materiais que gerassem subsistência, não levou em conta o avanço
tecnológico do setor agrícola e seus cálculos de crescimento populacional e produção
alimentícia não obtiveram êxito. Justifica que as falhas de previsão estavam na falta de apuração
dos dados, sem coleta de dados em diferentes regiões visto que tomou como base, a região rural

1
Pós-graduanda pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Sanitária e Controle ambiental, PPGESCA-
UEMA.
predominante do local e não considerou os processos tecnológicos provenientes da natureza
humana.
Em termos atuais, o avanço tecnológico e da ciência permitiu as grandes bases
econômicas produção alimentícia em larga escala e o controle de epidemias, tratamento de
doenças e prevenções. Não obstante, mesmo com a capacidade humana de desenvolver técnicas
e práticas mediadoras, ainda se alarma a existência da fome, desnutrição, epidemias e guerras
em vários países. Isso se deve ao fator da não distribuição igualitária de recursos, por más
gestões políticas e reputação contínua de caráter desequilibrado e injusto predominante no
mundo.
Com a ascendência da globalização os países dependentes deixam de operar com
autossuficiência, o que não os tornam competitivos no mercado internacional. Falham na falta
de protecionismo com a riqueza de suas terras ao caírem no erro do pensamento ilimitado destas
fontes. Conclui-se que Malthus estava certo ao sugerir que um desenvolvimento sustentado e
equilibrado necessitado de protecionismo juntamente com produção de subsistência e produção
competitiva.
O abismo pertinente do erro da fome mundial, não está no planejamento familiar ou nas
epidemias, está na reprodução de governos elitistas usurpadores e dominadores da maior parte
dos recursos naturais de direito a todos.
A má distribuição de renda e desigualdade salarial são os males ininterruptos
reproduzidos por esbanjadores de excessos e lixo dos nossos governos, no qual a sobrevivência
gira nos entornos do capitalismo para aumento da numerologia em seus bolsos.

REFERÊNCIAS
ABNT. NBR 14724, Informação e documentação – trabalhos acadêmicos –
apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.
HENRIQUES, Abel. Thomas Robert Malthus: A teoria Malthusiana. Coimbra, 2007.
Artigo acadêmico do departamento de Engenharia Civil, Instituto Superior de Engenharia de
Coimbra.