Você está na página 1de 4

Significado espiritual das 12 tribos de Israel no deserto e suas

respectivas conexões
Como seres humanos é normal nos acostumarmos com as coisas que
temos, com a vida. Quando nascemos, por exemplo, encontramos o desafio de
controlar esse corpo e suas funções. Temos que lutar para dominar a linguagem.
Até conseguirmos, usamos a “linguagem do choro”. Por que somos assim?
“Porque assim que tem que ser”. Mas quem determinou isso? Nos acostumamos
e não inquirimos mais.
Esse trecho da Toráh é sempre lido, sempre mencionado, mas qual foi o
critério de separação das tribos? Por que 12 tribos e não 14? Nossos sábios
dizem que:
“Nada na Toráh é por acaso”.
Em Números Rabbah 15. 13 está escrito:
“Há 70 faces na Toráh”
O 70 é um número muito importante na guimátria. Esse é o valor da
palavra “yud-yud-Nun sofit” yáyin que é vinho e também da palavra “Samekh –
Vav - Dalet” Sod, que é segredo. “E o vinho alegra o coração” – Salmos 104.15.
Esse número está ligado a “segredo”. E a Toráh também tem muitos segredos,
muitos sentidos ocultos.
Só HaShem pode abrir nossos olhos para isso e por conta disso que David
ora: “Abre os meus olhos para que veja as maravilhas da Tua Toráh” – Sl 119.
18. Quanto mais alto um edifício, mais fundos devem ser seus alicerces, quanto
mais alto a árvore, mais profundas devem ser suas raízes.
No sentido literal [Peshat] ainda, surge a questão seguinte:
Como surgiram as 12 tribos de Israel?
Na Guemará no tratado de Pirkey Avot 5.2, está escrito:
“Houveram 10 gerações de Adam até Noah”.
Na Mishná 3 diz que:
“Houveram 10 gerações de Noah até Avraham”.
Em Bereshit/Gênesis 25.19: “Abraão gerou Isaque”. Isaque gerou Jacó e Esaú
em Gênesis 25. 26. Jacó então gerou as 12 tribos. Mas o que são as 12 tribos
de Israel e porquê 12 tribos de Israel?
Jacó concentra em si as qualidades de Abraão e de Isaque. Abraão era
espiritualidade, Isaque representa a materialidade. Logo, Israel é quem
concentra em si as qualidades de Abraão e de Isaque. Ou seja, quem une os
mundos físico e espiritual. Abraão é “chesed” misericórdia e Isaque é “guevuráh”
severidade.
“Um alega: sou espiritual, o mundo material pode esperar. O outro diz:
Estou na terra, tenho minhas necessidades. Quem vai pagar minhas contas?”
Experimente tirar sua alma do seu corpo e veja se ele anda continua vivo. Ou
matar o corpo, ambos estão ligados.
Jacó se casa com duas mulheres. Uma se chama Léah e a outra Raquel.
Léah representa o mundo superior, e Raquel, o mundo físico. Jacó une os “dois
mundos”. Casar é assumir um compromisso de cuidado. Jacó abria mão do
mundo físico para cuidar da espiritualidade, da mesma forma com que abria mão
ad espiritualidade para cuidar do mundo material.
Na materialidade, a alma sofre. Na espiritualidade, o corpo sofre. Israel é
o símbolo da “moderação”. O domínio sobre os prazeres, o equilíbrio. Assim,
Jacó teve seus doze filhos com quatro mulheres, nesta ordem:
1. Léa
Rúben, Simeão, Levi e Judá
2. Bilah
Dan e Naftali
3. Zilpa
Gad e Asher
4. Raquel
José e Benjamin
Israel tem guimátria 10, que é completude, perfeição, excelência. Existem duas
palavras para tribo em hebraico. Uma é “Mateh” e a outra é “Shevet”. Contudo
essas palavras não são sinônimos perfeitos.
Mateh [Mem-tet-He] – procede do verbo “natah” [nun-tet-he] que significa
esticar, espalhar, armar uma tenda. Vara, bastão, ramo. O ramo é uma vara
que sai de um tronco e é nutrido por ele. Como em Jo 15
A Toráh é chamada de “árvore da vida” em Números 17.17 cada vara
representava uma tribo. Onde a vara de Arão floresceu desconectada de um
tronco. Essa palavra também significa “bengala” ou “arma”. Simbolizando
“poder”, “escolha para função”, firmeza [servir de apoio], liderança, uma vez
que elas representavam os cabeças de cada tribo.
Enquanto havia disputa por liderança liderada por Korach e seu grupo, o
próprio Moshe ao ser chamado questiona ser ele. Porquê? Porque líder é
aquele que é e nunca quis ser. O líder é aquele que tem coisas que os outros
não tem. O líder tem desenvolvido aquilo que os liderados só possuem no
potencial. O liderado se aproxima não somente para ouvir, mas para observar
atributos que busca para si mesmo. O líder é então um modelo.
Yeshua era Israel pois alimentava não somente o espírito,mas também o
corpo das pessoas. A ponto de ele mesmo questionar o fato de algumas
pessoas seguí-lo somente pelo “pão”.
Analisando a guimátria das palavras, nós observamos o seguinte:
Mateh – tribo = 54= 9
Or – Luz = 207 = 9
Emet – Verdade = 441 = 9
Dessa forma vemos que as tribos de Israel também podem ser
traduzidos e nomeados como as “12 luzes de Israel” ou “12 verdades de
Israel”. Em Gênesis 1.3 vemos que o Criador diz que “a Luz é boa”. Salmos
100. 5: “dura por uma era [ou ciclo]”. Salmo 118. 1
O tempo só tem sentido em comparação com a eternidade.
Temporalidade é sequência, eternidade é simultânea.
Shevet [Shin - ] Vara usada para bater ou debulhar o trigo ou o cominho {Is.
28:27], cajado de pastor [Sl 23]
Porquê 12?
A palavra Seder [samekh –dalet -resh] significa “ordem tem a guimátria
264 = 12. Ordem é a relação entre as partes de um todo, deste com as partes e
das partes entre si. Ordem tem a ver com Unidade. As partes têm que estar
harmonizadas entre si, como um corpo. A função que cada um exerce influencia
diretamente na função de quem está próximo. Ao cego, por exemplo, o ouvido
será sobrecarregado. Por isso, cada parte deve estar em seu lugar.
O número 12 é encontrado através das letras [yud + Bet]. Yud representa
a sabedoria, e por isso, é a menor de todas as letras. Bet é a casa. Temos então
“casa de sabedoria”. Logo, ordem e sabedoria estão intimamente ligadas e
andam juntas. Como Salomão, pois “a sabedoria não repousa na desordem”.
Outra forma de se chegar ao 12 é 4 x 3. O 3 está conectado com a doação e o
4 com recepção. A terceira letra do alfabeto é o Guímel, e a quarta letra é o Dálet.
Qual é o motivo do Guímel vir antes do Dálet? O Guímel parece um homem
andando, a Guemilut Chassadim [obras de caridade].
O Pirkey Avot diz que três coisas sustentam o mundo: oração, tsedacá e
guemilut chassadim. O Guímel vem “pelas costas” de Dálet. O Dáelt é a primeira
letra da palavra “dal” que é pobre em hebraico. Dando o sentido de de que o
justo ajuda o pobre sem envergonhá-lo e sem “aparecer”. Nas benções do Sidur,
o nome Sagrado [IHWH] aparecem em terceiro lugar, como:
“Baruch Atah, Adonay...” De igual forma em Bereshit 1. 1: “Bereshit Barah
Eloqim...”
O 3 +4 = 7 representa a união do físico com o espiritual. Posto que o 6 é
o humano, natural, físico e o 7 ser a manifestação sobrenatural, espiritualidade.
Tivemos 3 patriarcas e 4 matriarcas que somados dão 7 multiplicados temos 12.
A principal oração do povo judeu que é o “Shemáh Israel”, é “Ouve, Israel” e
começa com a letra Shin e termina com a letra Dàlet tem guimátria destas letras
300 + 4 = 7, pois seu propósito é unir Céu e Terra, físico com espiritual.