Você está na página 1de 8

PFF1, PFF2 ou PFF3?

Veja a
diferença e saiba qual escolher!
POR PROMETAL EPIS / SEGUNDA-FEIRA, 08 JANEIRO 2018 / PUBLICADO EM EPIS

As tarefas no dia a dia podem apresentar diversos riscos à saúde. Saber reconhecer
os riscos do ambiente, é importante para garantir a prevenção e proteção dos
trabalhadores. Muitas vezes o ar parece estar puro, porém pequenas partículas
permanecem nele e podem ser facilmente inaladas.

Os respiradores são utilizados para a proteção das vias respiratórias contra


poeiras, névoas, fumos, vapores orgânicos e entre outros contaminantes presentes
nos ambientes de trabalho. Porém, a maior dificuldade na hora de escolher os
equipamentos para a proteção respiratória é identificar o EPI correto e
principalmente, os filtros adequados. A peça facial filtrante – PFF

A diferença entre os filtros PFF1, PFF2


e PFF3
A função dos filtros é exatamente esta, reter os materiais particulados, como névoas,
poeiras e fumos presentes no ambiente. Para a escolha do filtro, irá depender da
concentração do contaminante. Veja qual a diferença e como estão classificados os
P1, P2 e P3 e os PFF1, PFF2 e PFF3.
PFF1 / P1: Poeiras e/ou Névoas (aerossóis mecanicamente gerados). Utilizar se a
concentração for menos que 10 vezes o limite de tolerância. Eficiência mínima de
80% e penetração máxima de 20%.
PFF2 / P2: Fumos (aerossóis termicamente gerados) e/ou de toxidez
desconhecida. Você pode utilizar desde que a concentração não seja maior que 10
vezes o limite de tolerância. Eficiência mínima de 94% e penetração máxima de 6%.
PFF3 / P3: Particulados altamente tóxicos (LT < 0,05 mg/m³) e/ou de toxidez
desconhecida. Se o ambiente estiver ate 10 vezes o limite de tolerância do
contaminante. Eficiência mínima de 99,7% e penetração máxima de 0,03%.

PFF: significa peça facial filtrante, pois o próprio respirador é um meio filtrante.

Os filtros P1, P2 ou P3 são utilizados nos respiradores com manutenção, onde é


possível a troca do filtro. Já os PFF1, PFF2 ou PFF3 nos respiradores sem
manutenção, são considerados descartáveis.

Higienização x Troca dos


Equipamentos
Os respiradores com manutenção necessitam de higienização diária e limpeza na
peça facial e proporcionam maior durabilidade do equipamento. Os filtros e
cartuchos são acoplados à peça facial e devem ser trocados conforme os planos
preestabelecidos ou indicações do fabricante. Já o respirador sem
manutenção não deve ser realizado nenhum tipo de manutenção ou reparo, a
própria peça fácil é filtrante. Deve ser trocado sempre houver algum dano ou se
encontrar saturado (entupido) com o cheiro ou gosto do contaminante.

Os filtros mecânicos não possuem um período determinado de vida útil, dependerá


de diversos fatores em relação ao produto, tais como contaminante, concentração,
frequência respiratória do usuário. Além da conservação do produto que deve ser
de responsabilidade do trabalhador, assim como é deve do empregador fornecer o
EPI de qualidade para todos os colaboradores. A troca do equipamento deve
acontecer quando o usuário perceber um aumento na dificuldade de respiração
através do filtro, também se houver danos físicos prejudiciais a funcionalidade ou
com a higienização do produto.

No geral, a vida útil dos filtros é de acordo com o tempo de uso, contínuo ou não,
grau de saturação do ar ambiente, conservação, higiene ou dano. Assim como
qualquer outros equipamento, os respiradores devem manter boas condições de uso
e conservação, ficar atento a validade do fabricante, o tempo de uso e entre outros
fatores que determinam a qualidade do EPI para utilização dos trabalhadores.

No mercado, você vai encontrar alguns respiradores descartáveis que não exige
nenhum tipo de manutenção. Porém, existe diversos tipos de EPIs para proteção
respiratória como: respirador semifacial filtrante, respirador facial, entre outros que
você pode conferir clicando aqui!
Programa de Proteção Respiratória –
PPR
o Programa de Proteção Respiratória – PPR é um conjunto de medidas de
segurança implementadas para proteger a saúde do trabalhador contra a exposição
aos riscos químicos e biológicos existentes no local de trabalho. O intuito do
programa é controlar as doenças ocupacionais causadas pela inalação das
impurezas do ar que são prejudiciais à saúde como poeiras, névoas, fumos, vapores
e gases químicos. É de extrema importância para avaliar, monitorar e adotar as
medidas de segurança adequada para cada ambiente e tarefa do local de trabalho.
Se você tiver mais alguma dúvida, confira um artigo completo sobre o PPR
aqui!

Na hora de comprar o seu EPI, não esqueça de consultar o CA do equipamento


para verificar a validade e não correr o risco de comprar um Equipamento de
Proteção Individual falso. O site consulta CA é confiável e prático para você realizar
a verificação do certificado de aprovação!
Programa de Proteção Respiratória –
PPR: Qual é a importância?
por Prometal EPIs / segunda-feira, 08 janeiro 2018 / Publicado em Segurança do
Trabalho

A proteção no dia a dia dos trabalhadores é o que proporciona qualidade de vida no


trabalho e a segurança para exercer as atividades profissionais. Proporcionar esta
segurança e proteção é responsabilidade do empregador que deve elaborar
diversos programas obrigatórios na segurança do trabalho para cada tipo de
atividade.
Você conhece o Programa de Proteção Respiratória – PPR? Vamos explicar a
importância dele para prevenção de acidentes e a proteção da saúde dos
colaboradores.

O que é PPR?

Sabemos que antes de selecionar os EPIs adequados é preciso realizar a Análise


de Risco e elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA
para compreendermos os riscos existentes no ambiente e identificar os
equipamentos adequados para assegurar a proteção adequado dos colaboradores.
Porém, quando se trata de proteção respiratória, devemos incluir um outro programa
na gestão da segurança do trabalho: o PPR.

O Programa de Proteção Respiratória – PPR é um conjunto de medidas de


segurança implementadas para proteger a saúde do trabalhador contra a exposição
aos riscos químicos e biológicos existentes no local de trabalho. O intuito do
programa é controlar as doenças ocupacionais causadas pela inalação das
impurezas do ar que são prejudiciais à saúde como poeiras, névoas, fumos, vapores
e gases químicos.

É um processo de seleção, uso e manutenção dos respiradores para cada


trabalhador que irá avaliar os riscos respiratórios, adequar as tarefas para eliminar
ou minimizar os perigos do ambiente de trabalho e selecionar os Equipamentos de
Proteção Respiratória – EPR ideal para cada tarefa na jornada de trabalho.

(Veja quando utilizar os Equipamentos de Proteção Respiratória!)

Ensaio de vedação

Cada rosto, existe uma medida, um formato. Por isso, para garantir a eficiência dos
respiradores, é necessário realizar o teste de vedação para verificar a eficácia do
mesmo em cada usuário. Todos os trabalhadores devem ser submetidos a um
ensaio de vedação para determinar se o respirador selecionado se ajusta
corretamente ao seu rosto.

O ensaio de vedação deve ser realizado uma vez a cada 12 meses em cada usuário
de respirador com vedação facial. Caso o trabalhador apresente qualquer sintoma
ou alteração nas condições de saúde, o teste deve ser realizado novamente antes
do prazo de 1 ano.
Treinamento

Assim como em todos os segmentos, o treinamento deve ser realizado com os


trabalhadores antes de realizar qualquer tipo de atividade ou tarefa na jornada de
trabalho. É uma medida essencial para prevenir acidentes, utilizar os EPIs para
proteção respiratória da maneira correta e compreender os riscos existentes no
ambiente de trabalho. Lembrando que o treinamento deve ser executado por um
profissional com experiência e devidamente qualificado.

Gestão do PPR

Para o sucesso da prevenção da saúde dos colaboradores, o PPR deve ser


planejado, executado e avaliado anualmente. Outros fatores também são
importantes para assegurar o desempenho positivo das medidas de segurança,
como:

 O monitoramento do uso
 Manutenção, inspeção, limpeza e higienização dos respiradores
 Avaliação médica
 monitoramento das exposições ocupacionais
 armazenamento dos respiradores
 Descarte do EPI na hora certa

A administração correta do programa trará benefícios tanto para o empregado


quanto para o empregador. Cuidar da saúde do trabalhador é o dever de todo
empregador e profissionais da segurança do trabalho! Realizar os programas
exigidos nas normas regulamentadoras é o que irá proteger e garantir a integridade
física e saúde dos colaboradores.
Os EPIs para proteção
respiratória
POR PROMETAL EPIS / SEGUNDA-FEIRA, 08 JANEIRO 2018 / PUBLICADO EM EPIS

Os equipamentos de proteção respiratória são respiradores ou máscaras


que protegem os trabalhadores contra a inalação de contaminantes
gerados por agentes químicos como poeiras, névoas, fumos, gases e
vapores e também usados em caso de deficiência de oxigênio. Em várias
atividades de trabalho, existem inúmeros contaminantes que ficam
suspensos no ar.

O ar que respiramos é composto de aproximadamente 21% de oxigênio,


78% de nitrogênio e 1% de outros gases. Esta combinação proporciona a
vida! A saúde é muito importante, é preciso protegê-la. Respirar ar puro é
essencial para uma vida saudável, caso contrário, o trabalhador estará
sujeito a irritações, indisposições, problemas de saúde e até mesmo morte.

Riscos respiratórios para o


trabalhador

Os riscos respiratórios são todas as alterações das condições normais do ar


que possam interferir na respiração do trabalhador, gerando danos ao
organismo. Para a escolha do equipamento adequado é necessário medir
a concentração do agente químico no ar inspirado pelo usuário para que
a mesma seja menor que a dor ar externo. Após o usuário selecionar o
respirador apropriado, deve utilizá-lo sempre que estiver em área que
necessite de proteção respiratória. É importante verificar se o seu respirador
está bem ajustado ao rosto para que nenhuma impureza passe por ele.

Portanto, os equipamentos de proteção respiratória visam a proteção do


usuário contra a inalação de contaminantes, proporcionando segurança
ao trabalhador contra os riscos existentes pela presença de contaminantes
no ar.

Quais são os Equipamentos para


Proteção Respiratória?

Os tipos de EPIs para a proteção respiratória são:

 Respirador Facial
 Respirador Sem Manutenção
 Respirador Semi Facial
 Equipamento de respiração autônomo
 Sistema de Linha de Ar
 Acessórios: base para filtro, película para respirador facial, retentor
para filtro mecânico, entre outros.

Os tipos de filtros respiratórios são:

 Filtro mecânico
 Filtro Químico
 Filtro Combinado

A utilização dos equipamentos de proteção respiratória irá proporcionar


mais qualidade de vida para o trabalhador. É importante ressaltar: tudo
que o trabalhador inspirar, dificilmente ele irá expirar novamente. Todas as
impurezas ficarão dentro do organismo e poderão causar malefícios à
saúde, por isso, a importância da proteção respiratória para proteger os
usuários contra as impurezas do ar em determinados ambientes de
trabalho.

Você também pode gostar