Você está na página 1de 2

O direito empresarial tem como fonte primaria a lei, abrange o Código Civil, Cod. Comercial leg.

Extravagante
entre outros, e como fonte secundaria usa os costumes analogias, PGD, entre outros. EMPRESÁRIO: quem
exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou circulação de bens e serviços;
empresário unipessoal: é uma pessoa exercendo atividade empresarial; sociedade empresaria: união de duas ou
mais pessoas que se juntam com o intuito de produção ou circulação de mercadorias e serviços; CAPACIDADE:
o agente que pratica a ação tem que ser capaz, estando em pleno gozo da capacidade civil e não for legalmente
impedido; tem como exceções os emancipados (pela concessão dos pais, pelo casamento, pelo exercício de
emprego publico, entre outros), e o incapaz (quando tiver representante, ou quando for continuar a empresa antes
exercida por ele enquanto capaz, por seus pais ou pelo autor da herança); o empresário casado (pode alienar os
imóveis da empresa sem outorga conjugal independente do regime de bens); AUSENCIA DE IMPEDIMENTO
LEGAL PARA O EXERCICIO DA EMPRESA: é livre o exercício de qualquer trabalho, oficio ou profissão,
atendida as qualificações profissionais que a lei estabelecer, se a pessoa for impedida de exercer , e mesmo assim
exercer a profissão respondera pelas obrigações contraídas; magistrados, membros do MP, agentes públicos,
militares, falidos, deputados e senadores, entre outros estão impedidos de exercer atividade empresaria
decorrente do cargo que ocupam; EFETIVO EXERCICIO PROFISSIONAL DA EMPRESA: só será considerado
empresário aquele que exercer profissionalmente em nome próprio com intuito de lucro, alem de ter que estar
capaz, não impedida, e regularmente matriculada no registro publico; REGIME REGULADOR DE
INSOLVENCIA: é declarada a insolvência quando o devedor produz o vencimento antecipado de suas dividas, a
arrecadação de todos os bens sucessíveis de penhora, a execução por concurso universal de seus credores;
REGISTROS OBRIGATORIOS: o principal é o registro publico de empresa mercantil (RPEM), onde o
empresário tem que declarar o nome, nacionalidade, domicilio, e estado civil, firma, capital, sede da empresa, e
objeto; PERDA DA QUALIDADE DE EMPRESARIO: se perde essa qualidade através da morte, interdição,
falência, desistência, ou revogação – para o menor; REGISTRO: é considerado uma das 1º obrigações do
empresário; diz respeito a obrigação fiscal, trabalhista, e previdenciária e alem dessas ainda tem que registrar na
junta comercial todos os documentos pedidos em lei, manter escrituração regular e atualizada, e levantar balanço
geral anual do ativo e passivo do estabelecimento; tem como exceção os empresários rurais que o registro é
facultativo; REGISTRO DE EMPRESA: vem resolver a carência do controle de crescimento da atividade
comercial; COMPOSIÇÃO DA JUNTA: dada por decreto a junta é formada pelo presidente (ORGAO
DIRETIVO E REPRESENTATIVO), plenário (órgão deliberativo superior), turmas (órgão deliberativo inferior),
secretaria geral (órgão administrativo), procuradoria (órgão de fiscalização e de consulta jurídica);
ATRIBUIÇÕES DA JUNTA: a junta é considerada o cartório das empresas, exercendo funções do registro de
comercio no estado membro da federação, ela esta incumbida de: matricular, arquivar, autenticar, assentar e
publicar; PROIBIÇÃO DE ARQUIVAMENTO: são proibidos de Arquivar atos constitutivos de empresas que não
designarem o respectivo capital, prorrogação de contrato social, alteração contratual, contratos sociais, atos
constitutivos e alterações de sociedades empresarias dependentes da autorização governamental;
MODIFICAÇÃO DOS ATOS CONSTITUTIVOS: qualquer alteração dependera de instrumento especifico de
alteração de firma individual ou alteração contratual em sociedades de pessoas; as alterações contratuais deverão
conter a qualificação completa dos sócios e da sociedade, e do objeto se tiver; as modificações contratuais
poderão ser efetivadas por escritura publica ou particular; CONTROLE DA ESCRITURAÇÃO: esse controle é
feito pela junta e deve conter os seguintes dados: nome empresarial, numero de identificação no registro de
empresa, numero de ordem, finalidade e data de autenticação dos instrumentos, assinaturas dos autenticadores;
PUBLICIDADE DOS ATOS: quando exigida por lei será feita anotação no registro da junta, sendo apresentado
no diário oficial, ou jornal de onde foi publicada, o RPEM será consultado por qualquer pessoa sem necessidade
de provar interesse; OUTROS DEVERES: alem dos principais tem-se também a matrícula no INSS (sob pena de
multa se n matricular, essa matricula destina-se ao recolhimento da contribuição previdenciária patronal dos
descontos sobre a remuneração de serviços), a inscrição estadual, a licença de localização, a inscrição no
cadastro mobiliário e licença de publicidade; ESCRITURAÇÃO: uma das obrigações do empresário
juntamente com o registro; tem que ser feito pelo contador; é considerada a radiografia da empresa; tem que ser
feita em idioma e moeda nacional; não pode conter borrões deve obedecer a ordem cronológica, forma contábil,
sem lacunas, entre outras; OBRIGAÇÃO DE MANTER: é obrigado ao empresário seguir um sistema de
contabilidade, ter os livros necessários e autenticados, conservar sob sua guarda toda a escrituração, e levantar
anualmente o balanço patrimonial e o de resultado econômico; SISTEMAS: pode ser mecanizado ou eletrônico,
e tem-se os seguintes sistemas: livros, conjunto de fichas e de folhas continuas, microfichas criadas por
microfilmagem, e documentos digitalizados; INSTRUMENTOS OBRIGATORIOS: livro diário é hoje
considerado o mais importante por isso se tornou indispensável sendo o único obrigatório; ele é considerado o
registro histórico da atividade negocial, pois é lançado todos os dias de forma escrita ou por reprodução todas as
operações pertinentes ao exercício da função; é aceitável a sua substituição por livro de balancetes diários e
balanços apenas para quem adotar o sistema de fichas de lançamento; OUTROS LIVROS: registro de entrada; de
saída; de utilização de documentos fiscais e termos de ocorrencia,;de inventario; de apuração do ICMS; exibição
administrativa dos livros: fiscalização interna. Exibição judicial: sigilo da escrituração, para efeito fiscalizatório
da própria empresa, sendo de obrigação do próprio empresário, uma vez que cabe ao empresário a guarda dos
livros contábeis. Balanço: A escrituração contábil é indivisível, levando em conta o todo.Nome empresarial:
indica quem exerce a atividade e a atividade exercida, significa o empresário e a sua individualização.ºEspécies
de nome: Firma:empresário individual, a ser constituída pelo nome civil do empresário, podendo haver
abreviação.; Denominação ou razão social:o nome dado a sociedade empresarial- sociedade anônima, variando
de acordo com a atividade a ser exercida.Não podem existir na mesma localidade empresas com nome igual ou
idênticas, no caso aquele que manteve o registro no RPEM primeiro deve ter a titularidade sobre o
nome.Extingue-se o nome empresarial pela cessação do comércio, pela liquidação, ou pela transformação
societária.Nome: Refere-se a pessoa jurídica e identifica firma individual ou sociedade empresarial. Marca:
refere-se a produtos, mercadorias, e serviços. Estabelecimento comercial: é o conjunto de bens materiais-
prédio, cadeiras, mesas, salas ou imateriais-idéias, marcas, patentes e serviços organizados pelo empresário para
a atividade da empresa, existindo de fato- universalidade de fato. A identificação do nome empresarial se dá por
meio de sinais distintivos