Você está na página 1de 24

CINEMÁTICA Determine o instante em que os dois carros se

reencontrarão, em função de v 0 e a.
1. (Uerj 2014) O cérebro humano demora cerca de 0,36
segundos para responder a um estímulo. Por exemplo, se 5. (Uerj 2012) Galileu Galilei, estudando a queda dos
um motorista decide parar o carro, levará no mínimo esse corpos no vácuo a partir do repouso, observou que as
tempo de resposta para acionar o freio. distâncias percorridas a cada segundo de queda
correspondem a uma sequência múltipla dos primeiros
Determine a distância que um carro a 100 km/h percorre números ímpares, como mostra o gráfico abaixo.
durante o tempo de resposta do motorista e calcule a
aceleração média imposta ao carro se ele para totalmente
em 5 segundos.

2. (Uerj 2014) O gráfico abaixo representa a variação da


velocidade dos carros A e B que se deslocam em uma
estrada.

Determine a distância total percorrida após 4 segundos de


queda de um dado corpo. Em seguida, calcule a velocidade
desse corpo em t = 4 s.

6. (Uerj 2012) Uma pequena pedra amarrada a uma das


extremidades de um fio inextensível de 1 m de
comprimento, preso a um galho de árvore pela outra
extremidade, oscila sob ação do vento entre dois pontos
equidistantes e próximos à vertical. Durante 10 s, observou-
se que a pedra foi de um extremo ao outro, retornando ao
ponto de partida, 20 vezes.

Calcule a frequência de oscilação desse pêndulo.


Determine as distâncias percorridas pelos carros A e B
durante os primeiros cinco segundos do percurso. Calcule,
também, a aceleração do carro A nos dois primeiros
segundos. 7. (Uerj 2011) Uma partícula se afasta de um ponto de
referência O, a partir de uma posição inicial A, no instante t
= 0 s, deslocando-se em movimento retilíneo e uniforme,
sempre no mesmo sentido.
3. (Uerj 2013) Um motorista dirige um automóvel em um
trecho plano de um viaduto. O movimento é retilíneo e A distância da partícula em relação ao ponto O, no instante
uniforme. t = 3,0 s, é igual a 28,0 m e, no instante t = 8,0 s, é igual a
58,0 m.
A intervalos regulares de 9 segundos, o motorista percebe a
passagem do automóvel sobre cada uma das juntas de Determine a distância, em metros, da posição inicial A em
dilatação do viaduto. relação ao ponto de referência O.

Sabendo que a velocidade do carro é 80 km/h, determine a


distância entre duas juntas consecutivas.
8. (Uerj 2010) Um trem de brinquedo, com velocidade
inicial de 2 cm/s, é acelerado durante 16 s.
O comportamento da aceleração nesse intervalo de tempo
4. (Uerj 2012) Dois carros, A e B, em movimento retilíneo
é mostrado no gráfico a seguir.
acelerado, cruzam um mesmo ponto em t = 0 s. Nesse
instante, a velocidade v 0 de A é igual à metade da de B, e
sua aceleração a corresponde ao dobro da de B.

1
Calcule a velocidade média desse corpo no intervalo entre 0
e 30 segundos.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Aceleração da gravidade = 10 m/s2


Calor específico do ar = 1,0 × 103 J/kgK
Constante da gravitação universal = 6,7 × 10-11 Nm2/kg2
Calcule, em cm/s, a velocidade do corpo imediatamente Densidade do ar = 1,25 gk/m3
após esses 16 s. Índice de refração da água = 1,33  4/3
Índice de refração do ar = 1
9. (Uerj 2009) Dois móveis, A e B, percorrem uma pista Massa do Sol = 2,0 × 1030 kg
circular em movimento uniforme. Os dois móveis partiram Raio médio da órbita do Sol = 3,0 × 1020m
do mesmo ponto e no mesmo sentido com as velocidades 1 ano = 3,14 × 107 s
de 1,5 rad/s e 3,0 rad/s, respectivamente; o móvel B, 1 rad = 57°
porém, partiu 4 segundos após o A.
sen 48,75°= 0,75
Calcule o intervalo de tempo decorrido, após a partida de
π = 3,14
A, no qual o móvel B alcançou o móvel A pela primeira vez.
13. (Uerj 2007) À margem de um lago, uma pedra é
lançada com velocidade inicial V0. No esquema a seguir, A
10. (Uerj 2009) Um avião, em trajetória retilínea paralela à representa o alcance da pedra, H a altura máxima que ela
superfície horizontal do solo, sobrevoa uma região com atinge, e θ seu ângulo de lançamento sobre a superfície do
velocidade constante igual a 360 km/h. lago.
Três pequenas caixas são largadas, com velocidade inicial
nula, de um compartimento na base do avião, uma a uma, a
intervalos regulares iguais a 1 segundo.
Desprezando-se os efeitos do ar no movimento de queda
das caixas, determine as distâncias entre os respectivos
pontos de impacto das caixas no solo.

11. (Uerj 2009) Em uma região plana, um projétil é lançado


do solo para cima, com velocidade de 400 m/s, em uma
direção que faz 60° com a horizontal.
Calcule a razão entre a distância do ponto de lançamento Sabendo que A e H são, em metros, respectivamente iguais
até o ponto no qual o projétil atinge novamente o solo e a a 10 e 0,1, determine, em graus, o ângulo θ de lançamento
altura máxima por ele alcançada. da pedra.

12. (Uerj 2009) A velocidade de um corpo que se desloca TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
ao longo de uma reta, em função do tempo, é representada
pelo seguinte gráfico: Uma pessoa, movendo-se a uma velocidade de 1 m/s,
bateu com a cabeça em um obstáculo fixo e foi submetida a
uma eco-encefalografia. Nesse exame, um
emissor/receptor de ultrassom é posicionado sobre a
região a ser investigada. A existência de uma lesão pode ser
verificada por meio da detecção do sinal de ultrassom que
ela reflete.

14. (Uerj 2004) Observe, na figura adiante, que a região de


tecido encefálico a ser investigada no exame é limitada por
ossos do crânio. Sobre um ponto do crânio se apoia o
emissor/receptor de ultrassom.

2
O monociclo começa a se mover a partir do repouso com
aceleração constante de 0,50m/s2.

Calcule a velocidade média do equilibrista no trajeto


percorrido nos primeiros 6,0s.

17. (Uerj 2001) Um malabarista consegue manter cinco


bolas em movimento, arremessando-as para cima, uma de
cada vez, a intervalos de tempo regulares, de modo que
todas saem da mão esquerda, alcançam uma mesma altura,
igual a 2,5m, e chegam à mão direita.
(Adaptado de The Macmillan visual dictionary. New York: Desprezando a distância entre as mãos, determine o tempo
Macmillan Publishing Company, 1992.) necessário para uma bola sair de uma das mãos do
malabarista e chegar à outra, conforme o descrito acima.
a) Suponha a não-existência de qualquer tipo de lesão no
interior da massa encefálica. Determine o tempo gasto para
registrar o eco proveniente do ponto A da figura. 18. (Uerj 2001) Uma das atrações típicas do circo é o
b) Suponha, agora, a existência de uma lesão. Sabendo que equilibrista sobre monociclo.
o tempo gasto para o registro do eco foi de 0,5 x 10-4 s,
calcule a distância do ponto lesionado até o ponto A.
Dado: velocidade do ultrassom no cérebro = 1540 m/s

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

O motorista, ao sair de um pedágio da estrada, acelera


uniformemente o carro durante 10 segundos a partir do
repouso, num trecho plano horizontal e retilíneo, até
atingir a velocidade final de 100 km/h.
Considere desprezível a quantidade de combustível no
tanque.
O raio da roda do monociclo utilizado é igual a 20cm, e o
movimento do equilibrista é retilíneo.
O equilibrista percorre, no início de sua apresentação, uma
15. (Uerj 2003) Admitindo que as rodas não patinam e que distância de 24ð metros.
tenham um raio de 0,5 m, calcule a velocidade e a
aceleração angular das rodas, no momento em que o carro Determine o número de pedaladas, por segundo,
atinge os 100 km/h. necessárias para que ele percorra essa distância em 30s,
considerando o movimento uniforme.

16. (Uerj 2001) Uma das atrações típicas do circo é o


equilibrista sobre monociclo. 19. (Uerj 2001) Um atirador de facas faz seus arremessos a
partir de um ponto P, em direção a uma jovem que se
encontra em pé, encostada em um painel de madeira. A
altura do ponto P é de 2,0m e sua distância ao painel é de
3,0m. A primeira faca é jogada para o alto com a
componente horizontal da velocidade igual a 3,0m/s e a
componente vertical igual a 4,0m/s. A faca se move em um
plano vertical perpendicular ao painel.
Desprezando a resistência do ar e qualquer movimento de
giro da faca em torno de seu centro de gravidade,
determine a altura do ponto em que ela atinge o painel.

20. (Uerj 2000) Um juiz, que está no posição J da figura a


O raio da roda do monociclo utilizado é igual a 20cm, e o
seguir, apita uma falta num instante t. Um goleiro, na
movimento do equilibrista é retilíneo.
3
posição G, leva um intervalo de tempo ∆t2=t1 - t0 para ouvir
o som do apito, propagado ao longo do segmento JG.

DINÂMICA DO MOVIMENTO RETILÍNEO

1. (Uerj 2011) Um patinador cujo peso total é 800 N,


incluindo os patins, está parado em uma pista de patinação
em gelo. Ao receber um empurrão, ele começa a se
deslocar.
A força de atrito entre as lâminas dos patins e a pista,
durante o deslocamento, é constante e tem módulo igual a
40 N.
Estime a aceleração do patinador imediatamente após o
Decorrido um intervalo de tempo ∆t =t2 -t1, o goleiro ouve o início do deslocamento.
eco dessa onda sonora, através de sua reflexão num ponto
P da parede. 2. (Uerj 2011) Um corpo de massa igual a 6,0 kg move-se
com velocidade constante de 0,4 m/s, no intervalo de 0 s a
Considerando que a velocidade do som no ar é 340 m/s e
0,5 s.
que a distância entre o goleiro e o juiz é de 60 m,
Considere que, a partir de 0,5 s, esse corpo é impulsionado
determine o valor, em minutos, de:
por uma força de módulo constante e de mesmo sentido
que a velocidade, durante 1,0 s.
a) ∆t1; O gráfico abaixo ilustra o comportamento da força em
função do tempo.
b) ∆t2.

21. (Uerj 1999) A distância entre duas estações de metrô é


igual a 2,52km. Partindo do repouso na primeira estação,
um trem deve chegar à segunda estação em um intervalo
de tempo de três minutos. O trem acelera com uma taxa
constante até atingir sua velocidade máxima no trajeto,
igual a 16m/s. Permanece com essa velocidade por um
certo tempo. Em seguida, desacelera com a mesma taxa
anterior até parar na segunda estação. Calcule a velocidade do corpo no instante t = 1,5 s.

3. (Uerj 2010) Um jovem, utilizando peças de um


a) Calcule a velocidade média do trem, em m/s.
brinquedo de montar, constrói uma estrutura na qual
consegue equilibrar dois corpos, ligados por um fio ideal
b) Esboce o gráfico velocidade × tempo e calcule o tempo que passa por uma roldana. Observe o esquema.
gasto para alcançar a velocidade máxima, em segundos.

22. (Uerj 1998) A cidade de São Paulo tem cerca de 23 km


de raio. Numa certa madrugada, parte-se de carro,
inicialmente em repouso, de um ponto qualquer de uma
das avenidas marginais que circundam a cidade. Durante os
primeiros 20 segundos, o movimento ocorre com
aceleração constante de 1,0 m/s2. Ao final desse período, a Admita as seguintes informações:
aceleração torna-se nula e o movimento prossegue
mantendo-se a velocidade adquirida. • os corpos 1 e 2 têm massas respectivamente iguais a 0,4
Considerando que o movimento foi circular, determine: kg e 0,6 kg;
a) a distância percorrida pelo carro durante os primeiros 20 • a massa do fio e os atritos entre os corpos e as superfícies
segundos; e entre o fio e a roldana são desprezíveis.
b) o tempo gasto para alcançar-se o ponto diametralmente
oposto à posição inicial, ou seja, o extremo oposto da
Nessa situação, determine o valor do ângulo β .
cidade.

4
4. (Uerj 2008) Um elevador que se encontra em repouso
no andar térreo é acionado e começa a subir em
movimento uniformemente acelerado durante 8 segundos,
enquanto a tração no cabo que o suspende é igual a 16250
N. Imediatamente após esse intervalo de tempo, ele é
freado com aceleração constante de módulo igual a 5 m/s2,
até parar. Determine a altura máxima alcançada pelo
elevador, sabendo que sua massa é igual a 1300 kg.
Esse balão, de massa igual a 14,4 kg e volume igual a 30 m3,
5. (Uerj 2008) Os corpos A e B, ligados ao dinamômetro D está preenchido por 3,6 kg de gás hélio, submetido à
por fios inextensíveis, deslocam-se em movimento pressão de 1 atm. Em um dado instante, as cordas que o
uniformemente acelerado. Observe a representação desse prendiam foram cortadas e o balão começou a subir.
sistema, posicionado sobre a bancada de um laboratório.
Considere que a temperatura seja constante e o gás, ideal.

a) Calcule a força de tração nas cordas quando o balão está


preso.
b) Supondo que o balão esteja a uma altura na qual seu
volume corresponda a 37,5 m3, calcule a pressão a que ele
está submetido.
DINÂMICA DO MCU
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
A massa de A é igual a 10 kg e a indicação no dinamômetro O motorista, ao sair de um pedágio da estrada, acelera
é igual a 40 N. uniformemente o carro durante 10 segundos a partir do
Desprezando qualquer atrito e as massas das roldanas e repouso, num trecho plano horizontal e retilíneo, até
dos fios, estime a massa de B. atingir a velocidade final de 100 km/h.
Considere desprezível a quantidade de combustível no
6. (Uerj 2008) Um bloco de massa igual a 1,0 kg repousa tanque.
em equilíbrio sobre um plano inclinado. Esse plano tem 1. (Uerj 2003) O carro passa, a 40 km/h, por um trecho da
comprimento igual a 50 cm e alcança uma altura máxima estrada cuja pista apresenta uma depressão circular de raio
em relação ao solo igual a 30 cm. Calcule o coeficiente de 20 m.
atrito entre o bloco e o plano inclinado.
Determine a força de reação da pista sobre o carro, no
ponto da depressão em que a força normal é vertical.
7. (Uerj 2005) Uma funcionária, de massa 50 kg, utiliza Dados: massa do carro = 1000 kg e massa do motorista = 80
patins para se movimentar no interior do supermercado. kg.
Ela se desloca de um caixa a outro, sob a ação de uma força
F, durante um intervalo de tempo de 0,5 s, com aceleração
2. (Uerj 2002) O cesto da máquina de lavar roupas da
igual a 3,2 m/s2. Desprezando as forças dissipativas,
família mede 50 cm de diâmetro. Durante o ciclo de
determine:
centrifugação, o coeficiente de atrito da roupa com a
parede do cesto da máquina é constante e igual a 0,5 e a
a) o impulso produzido por essa força F; aceleração angular do cesto é igual a 2 rad/s2.
b) a energia cinética adquirida pela funcionária.
Calcule, em relação a esse ciclo de centrifugação:
8. (Uerj 2005) Como propaganda, o supermercado utiliza
um balão esférico no meio do estacionamento, preso por
a) a velocidade de rotação mínima para que a roupa fique
três cordas que fazem ângulo de 60° com a horizontal,
grudada à parede do cesto;
conforme mostra a figura a seguir.

b) o número de rotações feitas pelo cesto, a partir do


repouso até atingir a velocidade de 3 rotações por segundo.

3. (Uerj 2001) O globo da morte apresenta um motociclista


percorrendo uma circunferência em alta velocidade.
Nesse circo, o raio da circunferência é igual a 4,0m.

5
Observe o esquema a seguir:

O módulo da velocidade da moto no ponto B é 12m/s e o


sistema moto-piloto tem massa igual a 160kg. Sabendo que a massa da caixa é 6,0 kg, calcule o raio da
Determine a componente radial da resultante das forças curva da estrada.
sobre o globo em B.
6. (Ufrj 2005) Um trilho em forma de arco circular, contido
em um plano vertical, está fixado num ponto A de um plano
horizontal. O centro do arco está em um ponto O desse
4. (Uerj 1998)
mesmo plano. O arco é de 90° e tem raio R, como ilustra a
figura 1.
Um pequeno objeto é lançado para cima, verticalmente, a
partir da base A do trilho e desliza apoiado a ele, sem atrito,
até o ponto B, onde escapa horizontalmente, caindo no
ponto P do plano horizontal onde está fixado o trilho. A
A figura anterior mostra uma plataforma que termina em distância do ponto P ao ponto A é igual a 3R como ilustra a
arco de círculo. Numa situação em que qualquer atrito figura 2.
pode ser desprezado, uma pequena esfera é largada do
repouso no ponto A, a uma altura do solo igual ao diâmetro
do círculo. A intensidade da aceleração local da gravidade é
g.
Com relação ao instante em que a esfera passa pelo ponto
B, situado a uma altura igual ao raio do círculo,

a) indique se o módulo de sua velocidade é maior, igual ou


menor que no ponto C, situado à mesma altura que B, e
justifique sua resposta;
b) determine as componentes tangencial e centrípeta de
sua aceleração ( a ).
Calcule o módulo da velocidade inicial ¬³ com que o bloco
foi lançado, em função do raio R e da aceleração g da
5. (Ufrj 2006) Uma caixa é pendurada no teto de um ônibus
gravidade.
por meio de fios ideais presos a um dinamômetro de massa
desprezível. A figura mostra esses objetos em equilíbrio em
relação ao ônibus, enquanto ele está percorrendo um 7. (Ufrj 2004) Uma bolinha de gude de dimensões
trecho circular de uma estrada horizontal, com velocidade desprezíveis é abandonada, a partir do repouso, na borda
de 72 km/h. Nessa situação, o dinamômetro mostra que a de um hemisfério oco e passa a deslizar, sem atrito, em seu
tensão no fio é 65 N. interior.

Calcule o ângulo è entre o vetor-posição da bolinha em


relação ao centro C e a vertical para o qual a força
6
resultante f sobre a bolinha é horizontal. Calcule a potência média, em watts, consumida em um dia
por essa pessoa para realizar suas atividades.
8. (Ufrj 2002) Pistas com curvas de piso inclinado são Utilize: 1 cal = 4,2 J.
projetadas para permitir que um automóvel possa
descrever uma curva com mais segurança, reduzindo as 5. (Uerj 2013) Uma pequena caixa é lançada em direção ao
forças de atrito da estrada sobre ele. Para simplificar, solo, sobre um plano inclinado, com velocidade igual a 3,0
m/s. A altura do ponto de lançamento da caixa, em relação
considere o automóvel como um ponto material.
ao solo, é igual a 0,8 m.
Considerando que a caixa desliza sem atrito, estime a sua
velocidade ao atingir o solo.
Utilize: Aceleração da gravidade = 10 m/s2.

6. (Uerj 2012) Em uma partida de tênis, após um saque, a


bola, de massa aproximadamente igual a 0,06 kg, pode
atingir o solo com uma velocidade de 60 m/s.
Admitindo que a bola esteja em repouso no momento em
que a raquete colide contra ela, determine, no SI, as
a) Suponha a situação mostrada na figura anterior, onde se variações de sua quantidade de movimento e de sua
representa um automóvel descrevendo uma curva de raio energia cinética.
R, com velocidade V tal que a estrada não exerça forças de
atrito sobre o automóvel. Calcule o ângulo á de inclinação 7. (Uerj 2010) Durante a Segunda Guerra Mundial, era
da curva, em função da aceleração da gravidade g e de V. comum o ataque com bombardeiros a alvos inimigos por
meio de uma técnica denominada mergulho, cujo esquema
b) Suponha agora que o automóvel faça a curva de raio R, pode ser observado a seguir.
com uma velocidade maior do que V. Faça um diagrama
representando por setas as forças que atuam sobre o
automóvel nessa situação.

TRABALHO, ENERGIA E POTÊNCIA

1. (Uerj 2015) Um esquiador, com 70kg de massa, colide


elasticamente contra uma árvore a uma velocidade de
72km / h.
Calcule, em unidades do SI, o momento linear e a energia
cinética do esquiador no instante da colisão.

2. (Uerj 2014) Um chuveiro elétrico com resistência igual a


5Ω é conectado a uma rede elétrica que fornece 120 V de
tensão eficaz.
Determine a energia elétrica, em kWh, consumida pelo
chuveiro durante 10 minutos.
O mergulho do avião iniciava-se a 5 000 m de altura, e a
3. (Uerj 2014) Duas gotas de orvalho caem de uma mesma
bomba era lançada sobre o alvo de uma altura de 500 m.
folha de árvore, estando ambas a uma altura h do solo. As
gotas possuem massas m1 e m2 , sendo m2  2m1. Ao Considere a energia gravitacional do avião em relação ao
atingirem o solo, suas velocidades e energias cinéticas são, solo, no ponto inicial do ataque, igual a E1 e, no ponto de
respectivamente, v1, E1 e v 2 , E2 . onde a bomba é lançada, igual a E2.

v1 E1
Desprezando o atrito e o empuxo, determine as razões Calcule .
v2 E2

E1
e . 8. (Uerj 2005) Um produto vendido no supermercado é
E2
recebido em caixas de papelão contendo 16 embalagens de
volume igual a 1.312,5 cm3 cada.
4. (Uerj 2013) Uma pessoa adulta, para realizar suas
atividades rotineiras, consome em média, 2500 kcal de As massas de cada embalagem, do seu conteúdo e da caixa
energia por dia. de papelão são, respectivamente, 10 g, 1.000 g e 100 g.
O produto é entregue por um caminhão, cuja carroceria

7
está a 1,5 m de altura em relação ao chão, e descarregado 11. (Uerj 2002) No edifício onde mora uma família, deseja-
com o auxílio de uma empilhadeira. se instalar uma bomba hidráulica capaz de elevar 500 litros
de água até uma caixa-d'água vazia, situada a 20 m de
altura acima desta bomba, em 1 minuto e 40 segundos.
Esta caixa-d'água tem a forma de um paralelepípedo cuja
base mede 2 m2.
O rendimento de um sistema hidráulico é definido pela
razão entre o trabalho fornecido a ele e o trabalho por ele
realizado. Espera-se que o rendimento mínimo desse
sistema seja de 50%.
Calcule:

a) Calcule a densidade do produto, sabendo que, em cada


a) a potência mínima, em HP, que deverá ter o motor dessa
embalagem, 62,5 cm3 estão vazios.
bomba;
b) Considere o descarregamento de uma única caixa que se
encontra sobre o piso da carroceria. Determine o módulo
do trabalho realizado pela força que a base da empilhadeira b) a pressão, em N/m2, que os 500 litros de água exercerão
faz sobre essa caixa. sobre o fundo da caixa-d'água.
Dado:
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: 1 HP = 750 W
Uma pessoa, movendo-se a uma velocidade de 1 m/s,
bateu com a cabeça em um obstáculo fixo e foi submetida a 12. (Uerj 2002) A mãe, para abrir uma janela tipo
uma eco-encefalografia. Nesse exame, um guilhotina, levanta totalmente um dos painéis dessa janela,
emissor/receptor de ultrassom é posicionado sobre a prendendo-o, então, por meio de uma trava de segurança.
região a ser investigada. A existência de uma lesão pode ser Os painéis são idênticos, medem 60cm de altura e têm
verificada por meio da detecção do sinal de ultrassom que massa de 3kg cada.
ela reflete.

9. (Uerj 2004) Considere que o intervalo de tempo durante


o qual a cabeça ainda se move durante a colisão é igual a
0,01 s.
Determine:
a) a força média sobre a cabeça, em newtons, causada por
sua desaceleração;
b) a energia cinética, em joules, da pessoa andando.
Após um certo tempo, a trava se rompe e o painel cai sobre
Dados: massa da cabeça = 3,0 kg o peitoril da janela.
massa do corpo = 80 kg Desprezando atritos e a resistência do ar, calcule:

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: a) a energia mínima necessária para levantar totalmente o
O motorista, ao sair de um pedágio da estrada, acelera
painel a partir do peitoril;
uniformemente o carro durante 10 segundos a partir do
repouso, num trecho plano horizontal e retilíneo, até
atingir a velocidade final de 100 km/h. b) a velocidade com que o painel atinge o peitoril após o
rompimento da trava de segurança.
Considere desprezível a quantidade de combustível no
tanque.
13. (Uerj 2001) Na brincadeira conhecida como cabo-de-
guerra, dois grupos de palhaços utilizam uma corda ideal
que apresenta um nó no seu ponto mediano. O gráfico a
10. (Uerj 2003) Especifique a potência mínima do motor, seguir mostra a variação da intensidade da resultante F das
em HP, necessária para que a velocidade final seja forças aplicadas sobre o nó, em função da sua posição x.
alcançada no intervalo de tempo de 10 segundos.
Dados: massa do carro = 1000 kg; massa do motorista = 80
kg e fator de conversão de potência: 1HP = 746 W.

8
uma altura h igual a 2,0m, como ilustra a figura a seguir.

Considere que a força resultante e o deslocamento sejam


paralelos. Sabendo que a velocidade v no ponto B é 2,0m/s,
determine a energia dissipada pelo atrito no percurso entre
Determine o trabalho realizado por F no deslocamento
A e B.
entre 2,0 e 9,0m.

17. (Uerj 2000) Um corpo de massa 2kg é abandonado no


14. (Uerj 2001) Considere que fosse utilizada uma rampa
alto de um plano inclinado, a 30m do chão, conforme a
de lançamento inclinada para impulsionar o macaquinho.
Uma mola ideal, de coeficiente k e comprimento figura.

0  2 2m, é inicialmente comprimida até que o


macaquinho fique a uma altura h do solo.

Na ausência de atrito e imediatamente após 2s de


movimento, calcule as energias:

a) cinética;

O macaquinho se desprende da rampa no momento em


que a mola volta à sua posição inicial de relaxamento, a b) potencial.
uma altura h0=4h/3 do solo.
Desprezando as forças não conservativas e E 18. (Uerj 1997) Um corpo de massa 2,0kg é lançado do
(gravitacional), determine o valor de k, de modo que o ponto A, conforme indicado na figura, sobre um plano
módulo da velocidade inicial de lançamento seja igual a horizontal, com uma velocidade de 20m/s. A seguir, sobre
20m/s. uma rampa até atingir uma altura máxima de 2,0m, no
ponto B.
Dado:
massa do macaquinho = 40 kg

15. (Uerj 2001) Um trapezista, de 70 kg, se solta do ponto


de maior amplitude do movimento do trapézio, caindo
verticalmente de uma altura de 9,0 m na direção de uma
rede de segurança. A rede se distende em 1,8 m e lança-o
de volta ao ar.
Supondo que nenhuma energia foi dissipada por forças
não-conservativas, calcule a energia potencial da rede
totalmente distendida.
Sabe-se que o calor gerado no processo foi todo absorvido
16. (Uerj 2001) Um mico, que fazia piruetas sobre a cabeça pelo corpo e que um termômetro sensível, ligado ao corpo,
de um elefante, deixou seu chapéu, de massa igual a 50g, acusa uma variação de temperatura de 1°C.
escorregar pela tromba do elefante, a partir do repouso, de a) Determine o calor específico médio do material que
9
constitui o corpo, em J/kg°C
b) Indique se a altura máxima atingida pelo corpo, caso não
houvesse dissipação de energia, seria maior, menor ou
igual a 2,0 m. Justifique sua resposta.

Impulso, quantidade de movimento e colisões

1. (Uerj 2015) Um esquiador, com 70kg de massa, colide


elasticamente contra uma árvore a uma velocidade de
72km / h.
Calcule, em unidades do SI, o momento linear e a energia
cinética do esquiador no instante da colisão.

2. (Uerj 2015) Uma empresa japonesa anunciou que


pretende construir o elevador mais rápido do mundo. Ele Determine, em kg.m/s, a quantidade de movimento desse
alcançaria a velocidade de 72 km / h, demorando apenas corpo quando atinge a velocidade de 5 m/s.
43 segundos para chegar do térreo ao 95º andar de um
determinado prédio. 5. (Uerj 2005) Na rampa de saída do supermercado, uma
pessoa abandona, no instante t = 0, um carrinho de
Considere os seguintes dados:
compras de massa 5 kg que adquire uma aceleração
- aceleração constante do elevador;
constante. Considere cada um dos três primeiros intervalos
- altura de cada andar do prédio igual a 4 m;
de tempo do movimento iguais a 1 s. No primeiro e no
- massa do elevador, mais sua carga máxima, igual a segundo intervalos de tempo, o carrinho percorre,
3000 kg. respectivamente, as distâncias de 0,5 m e 1,5 m. Calcule:

Estime a força média que atua sobre o elevador, quando


está com carga máxima, no percurso entre o térreo e o a) o momento linear que o carrinho adquire no instante t =
95º andar. 3 s;
b) a distância percorrida pelo carrinho no terceiro intervalo
3. (Uerj 2012) Em uma partida de tênis, após um saque, a de tempo.
bola, de massa aproximadamente igual a 0,06 kg, pode
atingir o solo com uma velocidade de 60 m/s. 6. (Uerj 2001) O número do homem-bala apresenta um
Admitindo que a bola esteja em repouso no momento em homem sendo disparado por um canhão. Nesse circo, um
que a raquete colide contra ela, determine, no SI, as macaquinho de 4,0kg substitui o homem. Ele é disparado,
variações de sua quantidade de movimento e de sua com uma velocidade inicial de 20m/s por um canhão de
energia cinética. 400kg, montado sobre rodas e não freado, formando um
ângulo de 60° com a horizontal, conforme mostra a figura.
4. (Uerj 2010) Em uma aula de física, os alunos relacionam
os valores da energia cinética de um corpo aos de sua
velocidade.

O gráfico a seguir indica os resultados encontrados.

Determine o módulo da velocidade horizontal de recuo do


canhão, imediatamente após o disparo.

7. (Uerj 2001) Uma fotografia tirada de cima mostra a


posição de 4 leões dentro da jaula, como indica o esquema
a seguir.

10
Sabendo que as massas são, respectivamente, Num dado instante, um projétil de massa m é disparado a
mℓ1=mℓ3=200kg e mℓ2=mℓ4=250kg, determine as 54m/s, na direção e sentido indicados pela seta, e o
coordenadas, no plano xy, do centro de massa desses leões. carrinho passa a mover-se com velocidade de módulo igual
a 6,0m/s.
8. (Uerj 1999) Um motorista imprudente dirigia um carro a Desprezando-se o atrito e as dimensões do carrinho,
uma velocidade v0=120km/h, no trecho retilíneo de uma determine:
avenida e não viu um outro carro parado no sinal a sua a) o sentido do movimento do carrinho, para o observador
frente, conforme a figura a seguir: em questão, e a massa m do projétil.
b) a distância entre o carrinho e o projétil, dois segundos
após o disparo.
EQUILÍBRIO DO PONTO MATERIAL E DO CORPO
EXTENSO

1. (Uerj 2011) Uma prancha homogênea de comprimento


igual a 5,0 m e massa igual a 10,0 kg encontra-se apoiada
nos pontos A e B, distantes 2,0 m entre si e equidistantes
do ponto médio da prancha.
Sobre a prancha estão duas pessoas, cada uma delas com
massa igual a 50 kg.
Não conseguindo frear, colide frontalmente com o carro
Observe a ilustração:
parado e o arrasta por uma distância d, medida pela
perícia. O motorista que causou o acidente mentiu e
afirmou estar dirigindo a 60km/h quando ocorreu a colisão.
Considere iguais as massas dos carros e de seus ocupantes.

a) Mostre que a velocidade dos carros imediatamente após Admita que uma dessas pessoas permaneça sobre o ponto
a colisão é igual à metade da velocidade v0 do carro que médio da prancha.
estava em movimento. Nessas condições, calcule a distância máxima, em metros,
que pode separar as duas pessoas sobre a prancha,
mantendo o equilíbrio.
b) Calcule a fração da distância d que os carros teriam
percorrido após a colisão, caso o motorista estivesse
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
dizendo a verdade.
Aceleração da gravidade = 10 m/s2
Calor específico do ar = 1,0 × 103 J/kgK
9. (Uerj 1997) Na figura a seguir, que representa a visão de
Constante da gravitação universal = 6,7 × 10-11 Nm2/kg2
um observador fixo no solo, o sistema (carrinho + canhão +
projétil) possui massa total M de valor 100kg e encontra-se Densidade do ar = 1,25 gk/m3
inicialmente em repouso. Índice de refração da água = 1,33  4/3
Índice de refração do ar = 1
Massa do Sol = 2,0 × 1030 kg
Raio médio da órbita do Sol = 3,0 × 1020m
1 ano = 3,14 × 107 s
1 rad = 57°
sen 48,75°= 0,75
π = 3,14

11
2. (Uerj 2007) A figura a seguir mostra um homem de
massa igual a 100 kg, próximo a um trilho de ferro AB, de
comprimento e massa respectivamente iguais a 10m e 350
kg.
O trilho encontra-se em equilíbrio estático, com 60% do seu
comprimento total apoiados sobre a laje de uma
construção.

a) Calcule a força exercida pela barra sobre o ombro de


cada empregado.
b) Considere, agora, que E1 esteja em repouso, apoiado
sobre os dois pés, e com apenas um dos baldes sobre a
cabeça. A massa de E1 é igual a 70 kg e a área de cada uma
de suas botas é de 300 cm2. Determine a pressão exercida
por ele sobre o chão.
Estime a distância máxima que o homem pode se deslocar
sobre o trilho, a partir do ponto P, no sentido da
extremidade B, mantendo-o em equilíbrio. 5. (Uerj 2004) Nas figuras I e II, adiante, são representados
os diagramas de forças correspondentes aos músculos
bíceps e deltoide, quando submetidos a um esforço físico.
3. (Uerj 2006) Dois rebocadores, 1 e 2, são utilizados para
auxiliar a atracar o transatlântico em um porto. Os
rebocadores exercem sobre o navio, respectivamente, as
forças paralelas F1 e F2, conforme mostra o esquema a
seguir.

(Adaptado de CAMERON, J. R. et alii. Physics of the Body.


Madison: Medical Physics Publishing, 1999.)

Demonstre que:
Sabendo que F1 = 1,0 ×104 N e F2 = 2,0 ×104N, determine: a) a força do bíceps não depende do ângulo á;
a) o momento resultante das duas forças em relação ao b) a força do deltoide é dada pela expressão Tsen â = 2 P0 +
ponto O; 4 P.
b) o impulso resultante produzido por essas forças durante
1 minuto.
6. (Uerj 2000) Um balão, de peso igual a 0,1N, está preso a
um fio. Além da força de empuxo E, o ar exerce uma força
4. (Uerj 2005) Dois empregados utilizam uma barra horizontal F que empurra e inclina o fio em relação à
homogênea, de massa desprezível, apoiada em seus vertical, conforme mostra a figura.
ombros, para carregar três baldes de 20 kg cada, conforme
mostra a figura a seguir.

12
- o corpo A tem massa mA e pode deslizar ao longo do eixo
∆;
- o corpo B tem massa mB;
- a roldana é fixa e ideal;
- o eixo vertical ∆ é rígido, retilíneo e fixo entre o teto e o
solo;
- o fio que liga os corpos A e B é inextensível.

Sabendo-se que mB > mA e desprezando-se todos os atritos,


a) escreva, na forma de uma expressão trigonométrica, a
condição de equilíbrio do sistema, envolvendo o ângulo è e
as massas de A e B.
A tração no fio tem módulo igual a 0,2 N.
b) explique, analisando as forças que atuam no bloco A, o
Calcule, em newtons, os módulos de:
que ocorrerá com o mesmo, se ele for deslocado
ligeiramente para baixo e, em seguida, abandonado.
a) E;

GRAVITAÇÃO
b) F.
1. (Uerj 2014) A intensidade F da força de atração
7. (Uerj 1998) O esquema a seguir representa um sistema gravitacional entre o Sol e um planeta é expressa pela
composto por uma placa homogênea (A) de secção reta seguinte relação:
uniforme, que sustenta um tijolo (B) em uma de suas
extremidades e está suspensa por um fio (C). mM
FG
r2

G − constante universal da gravitação


m − massa do planeta
M − massa do Sol
r − raio da órbita do planeta

Admitindo que o movimento orbital dos planetas do


sistema solar é circular uniforme, estime a massa do Sol.

Considerando que a placa mede 3,0m de comprimento, 2. (Uerj 2012) Na tirinha a seguir, o diálogo entre a maçã, a
tem peso de 30N, e que o tijolo pesa 20N, calcule: bola e a Lua, que estão sob a ação da Terra, faz alusão a
a) a que distância do tijolo o fio deve estar amarrado, de uma lei da Física.
modo que o sistema fique em equilíbrio na horizontal;
b) a força de tração (T) no fio, se o sistema subir com
aceleração de 2,0m/s2.

8. (Uerj 1997) Considere o sistema em equilíbrio


representado na figura a seguir.

Aponte a constante física introduzida por essa lei.


Indique a razão entre os valores dessa constante física para
a interação gravitacional Lua-Terra e para a interação maçã-
Terra.

3. (Uerj 2009) O valor da energia potencial, Ep, de uma


partícula de massa m sob a ação do campo gravitacional de
um corpo celeste de massa M é dado pela seguinte
expressão: Ep = GmM/r.
Nessa expressão, G é a constante de gravitação universal e

13
r é a distância entre a partícula e o centro de massa do π = 3,14
corpo celeste.
A menor velocidade inicial necessária para que uma 5. (Uerj 2007) O período do movimento de translação do
partícula livre-se da ação do campo gravitacional de um Sol em torno do centro de nossa galáxia, a Via Láctea, é da
corpo celeste, ao ser lançada da superfície deste, é ordem de 200 milhões de anos. Esse movimento deve-se à
denominada velocidade de escape. A essa velocidade, a grande aglomeração das estrelas da galáxia em seu centro.
energia cinética inicial da partícula é igual ao valor de sua Uma estimativa do número N de estrelas da Via Láctea
energia potencial gravitacional na superfície desse corpo pode ser obtida considerando que a massa média das
celeste. estrelas é igual à massa do Sol. Calcule o valor de N.

Buracos negros são corpos celestes, em geral, 6. (Uerj 2006) As comunicações entre o transatlântico e a
extremamente densos. Em qualquer instante, o raio de um Terra são realizadas por meio de satélites que se
buraco negro é menor que o raio R de um outro corpo encontram em órbitas geoestacionárias a 29.600km de
celeste de mesma massa, para o qual a velocidade de altitude em relação à superfície terrestre, como ilustra a
escape de uma partícula corresponde à velocidade c da luz figura a seguir.
no vácuo.
Determine a densidade mínima de um buraco negro, em
função de R, de c e da constante G.

4. (Uerj 2008) A figura a seguir representa o instante no


qual a resultante das forças de interação gravitacional entre
um asteroide X e os planetas A, B e C é nula.

Para essa altitude, determine:


a) a aceleração da gravidade;
b) a velocidade linear do satélite.

HIDROSTÁTICA

1. (Uerj 2015) Observe o aumento da profundidade de


Admita que:
prospecção de petróleo em águas brasileiras com o passar
- dA , dB e dC representam as distâncias entre cada planeta e dos anos, registrado na figura a seguir.
o asteroide;
- os segmentos de reta que ligam os planetas A e B ao
asteroide são perpendiculares e dC = 2dA = 3dB ;
- mA , mB , mC e mx representam, respectivamente, as
massas de A, B, C e X e mA = 3mB .
Determine a razão mC/mB nas condições indicadas.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


Aceleração da gravidade = 10 m/s2
Calor específico do ar = 1,0 × 103 J/kgK
Constante da gravitação universal = 6,7 × 10-11 Nm2/kg2
Densidade do ar = 1,25 gk/m3
Índice de refração da água = 1,33  4/3
Índice de refração do ar = 1
Massa do Sol = 2,0 × 1030 kg
Raio médio da órbita do Sol = 3,0 × 1020m Considerando os dados acima, calcule, em atm, a diferença
entre a pressão correspondente à profundidade de
1 ano = 3,14 × 107 s
prospecção de petróleo alcançada no ano de 1977 e aquela
1 rad = 57° alcançada em 2003.
sen 48,75°= 0,75
14
2. (Uerj 2014) Um automóvel de massa igual a 942 kg é roldanas.
suspenso por um elevador hidráulico cujo cilindro de Determine o valor mínimo de M capaz de fazer com que os
ascensão tem diâmetro de 20 cm. vasos sejam separados.
Calcule a pressão a ser aplicada ao cilindro para manter o
automóvel em equilíbrio a uma determinada altura.
6. (Uerj 2006) Considere que um transatlântico se desloca
com velocidade constante e igual a 30 nós e que sua massa
3. (Uerj 2012) Considere uma balança de dois pratos, na
equivale a 1,5 ×108 kg.
qual são pesados dois recipientes idênticos, A e B.
Dado: 1 nó = 0,5 m/s
a) Calcule o volume submerso do transatlântico.
b) A fim de que o navio pare, são necessários 5 minutos
após o desligamento dos motores.
Determine o módulo da força média de resistência
oferecida pela água à embarcação.

7. (Uerj 2006) A densidade média da água dos oceanos e


mares varia, principalmente, em função da temperatura, da
profundidade e da salinidade. Considere que, próximo a
superfície, a temperatura da água do Oceano Atlântico seja
de 27°C e, nessa condição, o volume submerso V do navio
Os dois recipientes contêm água até a borda. Em B, no
seja igual a 1,4 × 105m3.
entanto, há um pedaço de madeira flutuando na água.
Nessa situação, indique se a balança permanece ou não em
equilíbrio, justificando sua resposta.

4. (Uerj 2010) Em uma aula prática de hidrostática, um


professor utiliza os seguintes elementos:

• um recipiente contendo mercúrio;


• um líquido de massa específica igual a 4 g/cm3;
• uma esfera maciça, homogênea e impermeável, com 4 cm
de raio e massa específica igual a 9 g/cm3.

Inicialmente, coloca-se a esfera no recipiente; em seguida,


a) O gráfico na figura 1 indica o comportamento do
despeja-se o líquido disponível até que a esfera fique
coeficiente de dilatação linear do material que constitui o
completamente coberta.
casco do navio, em função da temperatura è . L0 e ∆L e
correspondem, respectivamente, ao comprimento inicial e
Considerando que o líquido e o mercúrio são imiscíveis, a variação do comprimento deste material.
estime o volume da esfera, em cm3, imerso apenas no Calcule a variação do volume submerso quando o navio
mercúrio. Considere a densidade do mercúrio igual a 13,6 estiver no Oceano Índico, cuja temperatura média da água
g/cm3. é de 32°C.
b) A tabela na figura 2 indica a salinidade percentual de
5. (Uerj 2009) Dois vasos cilíndricos idênticos, 1 e 2, com alguns mares ou oceanos.
bases de área A igual a 10 m2, são colocados um contra o Considerando a temperatura constante, indique o mar ou
outro, fazendo-se, então, vácuo no interior deles. Dois oceano no qual o navio apresentará o menor volume
corpos de massa M estão presos aos vasos por cabos submerso e justifique sua resposta.
inextensíveis, de acordo com o esquema a seguir.

8. (Uerj 2004) O coração humano é um músculo que


funciona como uma espécie de bomba hidráulica. Em
repouso, a ação de bombeamento sanguíneo dura apenas
1/3 do intervalo de tempo do ciclo cardíaco. Nos restantes
2/3 do ciclo, o músculo fica relaxado.
Considerando a pressão no coração como a média entre a
pressão diastólica e a pressão sistólica, calcule:
a) a potência média de bombeamento do coração;
Despreze o atrito nas roldanas e as massas dos cabos e das b) a pressão sanguínea no pé, em mmHg, com a pessoa na
15
posição vertical. 11. (Uerj 2002) Uma família resolveu utilizar um aquecedor
Dados: pressão sistólica = 120 mmHg; pressão diastólica = a gás para esquentar a água do chuveiro. O fabricante
80 mmHg; 760 mmHg = 1,013x105Pa; densidade do sangue informa que, para o funcionamento adequado do
= 1,04 kg/L; posição vertical do coração em relação aos pés aquecedor, a água deve ter pressão de 105N/m2.
= 1,3 m A vazão da água através do aquecedor é representada pelo
gráfico a seguir.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
O motorista abasteceu o carro às 7 horas da manhã,
quando a temperatura ambiente era de 15°C, e o deixou
estacionado por 5 horas, no próprio posto. O carro
permaneceu completamente fechado, com o motor
desligado e com as duas lâmpadas internas acesas. Ao final
do período de estacionamento, a temperatura ambiente
era de 40°C. Considere as temperaturas no interior do carro
e no tanque de gasolina sempre iguais à temperatura
ambiente.

a) Determine a altura mínima, acima do chuveiro, em que


9. (Uerj 2003) Em um trecho horizontal e retilíneo, com o deve estar localizada a saída de água da caixa-d'água para a
tanque de combustível cheio, ao atingir a velocidade de 20 instalação adequada do aquecedor.
km/h, o motorista viu um cachorro atravessando a estrada
e foi obrigado a frear uniformemente, sem alterar a direção
b) Calcule a vazão, em L/min, de água no aquecedor.
do movimento. Conseguiu parar em 5 segundos, evitando,
assim, o atropelamento.
12. (Uerj 2001) Um adestrador quer saber o peso de um
O tanque de combustível tem a forma de um
elefante. Utilizando uma prensa hidráulica, consegue
paralelepípedo reto, de base quadrada, e está instalado
equilibrar o elefante sobre um pistão de 2000cm2 de área,
horizontalmente ao longo do comprimento do carro.
exercendo uma força vertical F equivalente a 200N, de cima
para baixo, sobre o outro pistão da prensa, cuja área é igual
Calcule a pressão exercida pelo combustível sobre a parede a 25cm2.
dianteira do tanque durante a freada.
Dados: massa específica da gasolina = 0,8 g/cm3 e as
dimensões do tanque: comprimento = 50 cm; largura = 50
cm e altura = 20 cm.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


O motorista, ao sair de um pedágio da estrada, acelera
uniformemente o carro durante 10 segundos a partir do
repouso, num trecho plano horizontal e retilíneo, até
atingir a velocidade final de 100 km/h.
Considere desprezível a quantidade de combustível no
tanque.
Calcule o peso do elefante.

10. (Uerj 2003) Na última etapa da viagem, para chegar a


uma ilha, o carro é embarcado, junto com o motorista, em
uma balsa de madeira, constituída de toras cilíndricas
idênticas, cada uma com um volume igual a 100 L. Nesta
situação, apenas 10% do volume da balsa permanecem
emersos da água.
Calcule o número de toras que compõem a balsa.

Dados: massa do carro = 1000 kg; massa do motorista = 80


kg; massa específica da madeira = 0,8 kg/L e massa
específica da água = 1,0 kg/L.

16
Gabarito: CINEMÁTICA 2.V0  a.t  2.(2V0 )  (a / 2).t
a
2.V0  a.t  4.V0  .t
Resposta da questão 1: 2
 Distância percorrida durante o tempo de resposta: at
 2V0
Dados: v = 100 km/h = (100/3,6) m/s; Δt  0,36s. 2
100 4V0
D  v Δt   0,36  D  10 m. t 
3,6 a

Resposta da questão 5:
 Aceleração média de frenagem:
Analisando a sequência, podemos perceber que a cada
Dados: v0 = 100 km/h = (100/3,6) m/s; v = 0; Δt  5s. segundo que passa a distância percorrida aumenta em 10
Supondo trajetória retilínea, a aceleração escalar é: metros.

Δv 0 
100
3,6
a   a  5,6 m/s2 .
Δt 5

Resposta da questão 2:
 Distâncias percorridas pelos carros:
No gráfico v  t a distância percorrida é numericamente igual à
área entre a linha do gráfico e o eixo dos tempos. Assim:
 53
DA  2  2  DA  8 m.


D   4  1  2    3  1  D  8 m.
 A  2  B
  

 Aceleração do carro A:
Dados: v0 = 0; v = 2 m/s; Δt  2s. ΔST  5  15  25  35
Entendendo por aceleração apenas a aceleração escalar do
veículo, temos:
ΔST  80m
Δv 2  0
a   a  1 m/s2 . Como podemos perceber, trata-se de um movimento
Δt 2 uniformemente variado onde a velocidade média é a média das
velocidades. Logo:
Resposta da questão 3:
Δs 80 Δs ΔS V0  V
v  (m / s)  VM  
Δt 3,6 9(s) Δt 2
80 0  V
VM  
9.80
Δs   m 4 2
3,6  V  40 m s

 Δs  200m Resposta da questão 6:


O período é dado por:
Resposta da questão 4:
Δt 10
No movimento uniformemente variado (MUV), a velocidade T   0,5s
média é igual a média das velocidades. Como podemos n 20
perceber nesta questão, as velocidades médias dos móveis A e 1 1
B são iguais (executam o mesmo deslocamento escalar no f   f  2Hz
mesmo intervalo de tempo), portanto, a média das velocidades T 0,5
dos dois veículos também será igual. Logo:
Resposta da questão 7:
V0A  VFA V0B  VFB t1 = 3 s  S1 = 28 m; t2 = 8 s  S2 = 58 m.

2 2 Calculando a velocidade:
V0A  (V0A  a A .t)  V0B  (V0B  aB .t) S 58  28 30
v    v  6 m/s.
2.V0A  a A .t  2.V0B  aB .t t 83 5

Conforme o enunciado, temos: Calculando a posição inicial A (no instante t = 0):


S 28  SA
v  6  28  S A  18  SA = 28 – 18
V0A  V0  t 30
  SA = 10 m
V0B  2V0 

aA  a  Resposta da questão 8:
aB  a / 2 
Lembrando que no gráfico da aceleração escalar em função do
tempo a variação da velocidade é numericamente igual a área
entre a linha do gráfico e o eixo dos tempos, como destacado na
Assim: figura, temos:
17
Resposta da questão 13:
θ ≈ 0,04 rad ≈ 2,3°

Resposta da questão 14:


a) 1,3x104s
b) 6,15 cm

Resposta da questão 15:


5,6 rad/s2

Resposta da questão 16:


1,5 m/s
v = v1 + v2 + v3 = v = (6  4) – (4  3) + (6  4) = 24 –12 +
24 = 36 cm/s. Resposta da questão 17:
Mas v = v – v0. Então: Tempo de descida:
v – 2 = 36 
1 2
v = 38 cm/s. S  .a.t
2
Resposta da questão 9: 1 2
A equação horária de posição do móvel A é  = 1,5.t 2,5  .10.t 2  t 2  0,5  t  0,5s  s
A equação horária de posição do móvel B é  = 3.(t – 4), 2 2
verdadeira apenas t  4 s T  2s
Na igualdade 1,5.t = 3.(t – 4)  1,5.t = 3.t – 12  3.t – 1,5.t
12 Resposta da questão 18:
= 12  1,5.t = 12  t = =8s 2 pedaladas por segundo
1,5
Resposta da questão 19:
1,0 m
Resposta da questão 10:
Por inércia as três caixas continuaram em movimento com a Resposta da questão 20:
mesma velocidade horizontal do avião de 360 km/h. Desta a) ∆t1 ≈ 0,18s
forma os impactos no solo ocorrerão sobre a mesma linha reta,
separadas pela distância percorrida pelo avião durante aquele 1 b) ∆t2 ≈ 0,16 × 104s
s entre os lançamentos das caixas. A velocidade de 360 km/h
corresponde a 100 m/s e desta forma a distância entre os Resposta da questão 21:
pontos de impacto será de 100 m. a) Vm = 14 m/s

Resposta da questão 11:


A questão deseja a razão entre o alcance máximo do projétil e b) Observe o gráfico a seguir
sua altura máxima.
A componente horizontal da velocidade do projétil é vx = v0.cos
= 400.cos60 = 200 m/s
A componente vertical (inicial) da velocidade do projétil é v y =
v0y.sen = 400.sen60 = 200 3 m/s
O tempo de subida é dado por  vy = v0y + a.t  0 = 200.
3 – 10.t  tsubida = 20 3 s
O tempo total de voo será então  ttotal = 2.tsubida = 40 3 m/s
∆t = 22,5 s
O alcance será x = vx.ttotal = 200.40 3 = 8000 3 m
Resposta da questão 22:
A altura máxima será y = voy.t + at2/2 = 200 3 .20 3 – a) d = 200 m = 0,2 km
(5.400.3) = 12000 – 6000 = 6000 m b) t ≈ 1 hora
A razão pedida é 8000 3 / 6000 = 4( 3 ) / 3
Gabarito: DINÂMICA DO MOVIMENTO RETILÍNEO

Resposta da questão 1:
Resposta da questão 12:
OBS: a questão ficaria melhor, se o examinador pedisse na
No diagrama de velocidade versus tempo, como o que temos, a
última linha do enunciado:
distância total percorrida em dado intervalo de tempo
“Estime o módulo da aceleração do patinador após ter cessado
corresponde numericamente a área entre a linha de gráfico e o
o empurrão.” Também deveriam estar especificadas as
eixo dos tempos.
características da trajetória (retilínea / curvilínea; horizontal /
Neste problema a distância total percorrida corresponde a soma
inclinada).
das áreas dos retângulos e do trapézio. Assim:
Dados: P = 800 N; Fat = 40 N; g = 10 m/s2.
S = 10.5 + (5+15).(20-10)/2 + (30-20).15 = 50 + 100 + 150 =
300 m
Da expressão do Peso:
P = m g  800 = m (10)  m = 80 kg.
A velocidade média é v = S/t = 300/30 = 10 m/s
Supondo que a trajetória seja retilínea e horizontal, após o
empurrão, a resultante das forças sobre o patinador é a
componente de atrito. Pelo Princípio Fundamental da Dinâmica:
18
Fat = m a  40 = 80 a  a = 0,5 m/s2. Resposta da questão 5:
A tração de 40 N no fio não é capaz de fazer com que A suba
Resposta da questão 2: acelerado, pois este pesa 100 N.
Dados: m = 6,0 kg; v1 = 0,4 m/s; t = (1,5 – 0,5) = 1 s; F = 12,0 Assim, considerando que A desça acelerado, pelo princípio
N. fundamental da dinâmica temos, para o corpo A, que:
1ª Solução: 60
Considerando que a força dada seja a resultante e que o 100 - 40 = 10.a ==> a = = 6 m/s2
movimento seja retilíneo, do Princípio Fundamental da Dinâmica
10
(2ª Lei de Newton), temos: Para o corpo B:
40 - m.10 = m.6
F = m a  12 = 6 a  a = 2 m/s2. 40 = 16.m
v v  0,4
a  2  v  2  0,4  v = 2,4 m/s. 40
t 1 m= = 2,5 kg
16
2ª Solução:
Considerando que a força dada seja a resultante e que o Resposta da questão 6:
movimento seja retilíneo, do Teorema do Impulso, temos: O plano inclinado possui uma secção transversal que é um
triângulo retângulo de hipotenusa 50 cm e cateto 30 cm. O outro
F t 12(1)
F t = m v  v   v  0,4   v = 2 + 0,4 cateto, por Pitágoras, deve ser de 40 cm.
m 6
 v = 2,4 m/s. P(x) - F(atrito) = 0
Resposta da questão 3: mgsenα - μ.mgcosα = 0
Dados: m1 = 0,4 kg; m2 = 0,6 kg. senα - μcosα = 0
μ = senα/cosα
Analisando a figura: μ = tgα = 30/40 = 3/4 = 0,75

Resposta da questão 7:
a) 80 N.s

b) 64 J

Resposta da questão 8:
a) Força de tração ≈ 74,7 N.

b) Pressão: 0,8 atm

Como os corpos estão em equilíbrio, as forças também se Gabarito: DINÂMICA DO MCU


equilibram em todas as direções: Assim:
T = Px1 e T = Px2. Logo:
Resposta da questão 1:
m1 1,75 x 104 N
Px2 = Px1  m2 g sen = m1 g sen 30°  sen = sen 30° 
m2
Resposta da questão 2:
0,4 1 1 a) 8,9 rad/s
sen =   sen . Portanto:
0,6 2 3
b) 4,5π
1
= arc sen .
3 Resposta da questão 3:
4,96 × 103 N
Resposta da questão 4:
No trecho acelerado pela segunda lei de Newton: Resposta da questão 4:
a) Igual. Uma vez que os pontos B e C estão a uma mesma
T - mg = m.a
altura e não há atrito.
16250 - 13000 = 1300.a ==> a = 2,5 m/s2
b) O componente tangencial de sua aceleração é g e a
A velocidade atingida nos 8 segundos de subida. componente centrípeta é 2g.
v = v0 + a.t
v = 0 + 2,5.(8) = 20 m/s Resposta da questão 5:
Aplicando o princípio fundamental da dinâmica, F(resultante) =
A distância percorrida nestes 8 segundos será:
massa.aceleração, considerando que o movimento da caixa é
S = S0+v0.t + a.t2/2 circular, tem-se:
S = 2,5.(8)2/2 = 80 m
No trecho desacelerado, por Torricelli: Tcosθ = mg e Tsenθ = (mv2)/R, onde T é a tensão no fio, θ é o
v2 = v02 + 2.a.∆S ângulo que o fio faz com a vertical, v é a velocidade da caixa
0 = (20)2 + 2.(-5).∆S (igual à do ônibus) e R é o raio da trajetória.
0 = 400 - 10.∆S ==> ∆S = 40 m
Nos dois trechos: Da primeira equação, obtem-se:
∆S = 80 + 40 = 120 m

19
cosθ = (mg)/T =
6  10 
=
12
, de onde senθ =
65 13
  12  
2 5
1     = .
  13   13

Usando, então, a segunda equação, chegamos a R =

mv 2 =
 6  20 2
 13  = 96m.
(Tsenθ)  65  5 
Resposta da questão 6: Gabarito: TRABALHO, ENERGIA E POTÊNCIA
Combinando as equações, V02 = 2gR+2gR = 4gR ou V0 = 2
gR . Resposta da questão 1:
Dados: m  70 kg; v  72 km/h  20 m/s.
Resposta da questão 7:
3 
θ = arccos . p  m v  70  20  p  1.400 kg  m/s.

3 
m v 2 70  20 
2

EC    EC  14.000 J.
Observe a figura abaixo  2 2

Resposta da questão 2:
Dados: R  5Ω; U  120 V; Δ t  10min  1/ 6h.
U2 1202 1
ΔE  P Δt  Δt    480 W  h  ΔE  0,48 kW  h.
R 5 6

Resposta da questão 3:
 Razão entre as velocidades:
Pela conservação da energia mecânica, podemos mostrar que a
velocidade independe da massa:
final inicial m v2 v1
EMec  EMec  mgh  v 2 gh  v1  v 2   1.
2 v2
1
Pela Conservação da energia,vem: mV 2  mgRcos 
2  Razão entre as energias cinéticas:
V 2  2gR cos  (eq 01). Dado: m2 = 2 m1.
V2 m 1 v12
Força centrípeta: m  N  mgcos  
R E1 2 m1 E1 1
    .
V2 2
E 2 m 2 v2 2 m1 E2 2
N  mgcos   m (eq 02)
R 2
Para que a resultante seja horizontal: Nsen  Ncos  mg
Resposta da questão 4:
mg
N  (eq 03) Q 2500000.4,2  J
cos  P 
Δt 86400  s 
Substituindo 01 e 03 em 02, vem:

mg 2gR cos 
 P  121,5w
 mgcos   m 
cos  R Resposta da questão 5:
1 1
 cos   2cos    3cos
cos  cos Eco  EPo  Ecf  EPf
mv02 mv 2f mv 02 mv 2f
1 3 3  mgh0   mghf   mgh0   mghf
cos2    cos     arccos 2 2 2 2
3 3 3

Resposta da questão 8: No solo hf é nulo logo:


a) tgα = v2/Rg
b) Observe o esquema a seguir: 32 v2
 10.0,8  f
2 2

Vf2  25
20
 Vf  5m / s Por semelhança de triângulos:

x
 0  x
(h0  h) 0

 h3 2 2
 x
2 2
m.
Resposta da questão 6: Δh h0 h0 4h 4
Variação da quantidade de movimento: 3

ΔQ  m.ΔV  forma escalar


Pela conservação da Energia Mecânica:
ΔQ  0,06.(60  0)  0,06.60  3,6 40  20 
2
k x2 m v 02 m v02 40  400  16
  k   
 ΔQ  3,6 kg  m s
2  42
2 2 2 2
x 2 4
Variação da energia cinética: k  32.000 N/m.

V2 V2
ΔEC  EC.F  EC.0  m.  m. 0 Resposta da questão 15:
2 2 7,56 × 103 J
602
ΔEC  0,06. 0 Resposta da questão 16:
2 0,90 J
 ΔEC  108 J
Resposta da questão 17:
Resposta da questão 7: a) E(c) = 100J
Dados: h1 = 5.000 m; h2 = 500 m.
b) E(p) = 500J
E1 m g h1 h1 5.000
    Resposta da questão 18:
E2 m g h2 h2 500 a) C = 180 J/kg°C (calor específico médio)

E1
 10. b) A nova altura máxima H seria maior que 2,0 m. Toda a
E2 energia cinética inicial no ponto A seria convertida em energia
potencial gravitacional no novo ponto de altura máxima.
Resposta da questão 8:
a) 0,8 g/cm3
Gabarito: IMPULSO QUANTIDADE DE MOVIMENTO E
b) 243,9 J COLISÕES
Resposta da questão 9:
a) 300 N Resposta da questão 1:
b) 40 J Dados: m  70 kg; v  72 km/h  20 m/s.

Resposta da questão 10: 


55,9 HP p  m v  70  20  p  1.400 kg  m/s.


m v 2 70  20 
Resposta da questão 11: 2

a) 2,67 HP
EC    EC  14.000 J.
 2 2
b) 2,5 × 103 N/m2
Resposta da questão 2:
Resposta da questão 12: A questão está muito mal formulada, pois ela não especifica:
a) 18 J - se o elevador para ao atingir o 95º andar (caso esse não seja
o último andar), ou se passa por ele com velocidade de
72 km / h;
b) 12 m/s - se essa força média é a resultante, ou a tração no cabo que
puxa o elevador.
Resposta da questão 13:
190 J Vamos considerar três situações, aplicando o teorema do
impulso em cada uma delas.
Resposta da questão 14: 1ª) O elevador para no 95º andar e a força média pedida é a
Dados: m = 40 kg; 0  2 2m; v0 = 20 m/s. resultante (R).
IR  ΔQ  R Δt  m Δv  R  43  3.000  0  0   R  0 N.
A figura ilustra a situação:
2ª) O elevador passa pelo 95º andar com velocidade de 72 km/h
(20 m/s) e a força média pedida é a resultante (R).
IR  ΔQ  R Δt  m Δv  R  43  3.000  20  0   R  1.395 N.

21
3ª) O elevador passa pelo 95º andar com velocidade de 72 km/h Resposta da questão 1:
(20 m/s) e a força média pedida é a força de tração no cabo Dados:
(F).
IR  ΔQ  F  P  Δt  m Δv  F  30.000  43  3.000  20  0   M = 50 kg  PC = PM = 500 N; m = 10 kg  Q = 100 N; g =
60.000 10 m/s2; AB = 2 m  MB = 1 m.
F  30.000  F  31.400 N.
43

Resposta da questão 3:
Variação da quantidade de movimento:

ΔQ  m.ΔV  forma escalar

ΔQ  0,06.(60  0)  0,06.60  3,6


 ΔQ  3,6 kg  m s

Variação da energia cinética: Uma pessoa permanece em M, ponto médio da prancha; a


outra pode deslocar-se, no máximo, até o ponto C, quando
V2 V2 a prancha está na iminência de tombar. Nessa situação, a
ΔEC  EC.F  EC.0  m.  m. 0 normal de contato entre a prancha e o apoio A é nula.
2 2
Em relação ao ponto B, o somatório dos momentos
602
ΔEC  0,06. 0 horários é igual ao somatório dos momentos anti-horários.
2 MPC  MPM  MQ  PC x = (PM + Q) 1  500 x = (500 + 100) 1
 ΔEC  108 J
600
 x  x = 1,2 m.
Resposta da questão 4: 500
No gráfico, vemos que para v = 1 m/s, a Ec = 1 J. Substituindo Mas, da figura:
esses valores na expressão da energia cinética, vem:
d = 1 + x  d = 1 + 1,2  d = 2,2 m.

m v2 2 Ec 2 (1) Resposta da questão 2:


Ec = m= m  m  2 kg.
2 v 2 1 3,5 m

Para v = 5 m/s, a quantidade de movimento desse corpo é: Resposta da questão 3:


Q = m v  Q = 2 (5)  a) M = 6,0 × 105 N.m
Q = 10 kg.m/s

Resposta da questão 5: b) I = 1,8 × 106 N.s


a) 15 kgm/s.
Resposta da questão 4:
b) 2,5 m a) Força exercida ≈ 342,9 N
Resposta da questão 6:
0,36 km/h b) 1,5 N/cm2
Resposta da questão 7:
1 Resposta da questão 5:
x= a) Aplicando que a soma dos momentos de força deve ser
18 igual a zero pode-se mostrar que todos os termos terão
2 senα, de modo que poderão ser simplificados e a força do
y=
9 bíceps não dependerá do ângulo α
b) Aplicar que a soma dos momentos de força é igual a
Resposta da questão 8:
a) Pela conservação do momento linear, mv0+0=2mv  zero.
v=v0/2
Resposta da questão 6:
1 a) E ≈ 0,27N
b) d (mentira) = d (verdade)
4
b) F = 0,1N
Resposta da questão 9:
a) Horizontal para a esquerda. A massa do projétil é 10 kg.
Resposta da questão 7:
b) d = 120 m
a) d = 0,9 m
Gabarito: EQUILÍBRIO DO PONTO MATERIAL E DO CORPO b) T = 60 N
EXTENSO

Resposta da questão 8:
22
a) cos θ = mA/mB Resposta da questão 5:
N ≈ 2 × 1011 estrelas.
b) O ângulo θ diminuindo, a componente da tensão T ao
longo do eixo ∆ aumenta e tende a fazer com que o bloco
Resposta da questão 6:
A retorne à sua posição de equilíbrio inicial. a) g = 0,3 m/s2

Gabarito: GRAVITAÇÃO b) v = 2.500 m/s

Resposta da questão 1: Gabarito: HIDROSTÁTICA


Dados:
r  1,5  1011m; G  6,7  1011N  m2  kg2; π  3,14; T  1 ano  3Resposta
 107 s. da questão 1:
A diferença de profundidade entre os pontos citados é:
Δh  1.886  124  1.762 m.
Sendo circular a órbita do planeta, a força gravitacional exerce a
função de resultante centrípeta. Considerando que a cada 10 m a pressão hidrostática
2
 2π  3 aumenta de, aproximadamente, 1 atm, a diferença de pressão
 T  r 4π2 r 3
 m ω r  M  
GM m 2
F  Rcent   M  é:
2
r G G T2
1.762
  Δp   Δp  176 atm.
3
4  9,9   1,5  1011 1,3  1035
M   10
 6,7  10   3  10 
2 4
11 7 6  10
Resposta da questão 2:

M  2,2  1030 kg.


Dados: m = 942 kg; D  20cm  2  101m; g = 10 m/s2.

Se há equilíbrio, a intensidade da força normal aplicada ao


Resposta da questão 2: cilindro tem a mesma intensidade do peso. Assim:
A lei da gravitação universal descreve que dois corpos de P m g 4  942  10
p    p  3  105 N/m2 .
3,14  4  10 2
massas m1 e m2, cujos centros de massa estão separados por A πD 2
uma distância “d”, são atraídos por uma força cujo módulo é 4
dado por:

G.m1.m2 Resposta da questão 3:


FG 
d2 Analisando as forças atuantes sobre a madeira que flutua no
recipiente “B”, temos:

Onde “G” é uma constante, definida como constante universal


da gravitação, cujo valor, igual para interação entre todos os
corpos, é dada por:

G  6,67.1011N.m2 / kg2

Como uma constante universal é igual para todos os corpos, a


razão pedida tem valor igual a 1.

Resposta da questão 3:
A energia cinética na condição de velocidade de escape deve
Como podemos perceber, o módulo do empuxo (E) é igual ao
ser numericamente igual a energia potencial gravitacional. Disto
peso da madeira (PM), entretanto o princípio de Arquimedes
deduz-se que o raio do Buraco Negro será:
nos diz que o módulo do empuxo (E) é igual ao pelos do líquido
1 GmM 2GM
mv 2e  R  2 deslocado (PLD). Assim, podemos concluir que:
2 R ve
Como a velocidade de escape corresponde a velocidade da luz, PLD  PMAD.
c, temos para a massa do buraco negro:
Rc 2 Assim sendo, se retirarmos a madeira e completarmos o
M recipiente com água, a indicação na balança continuará a
2G
Pelo volume da esfera: mesma, ou seja, equilibrada.
4 3 (volume máximo)
V R Resposta da questão 4:
3 Dados: dL = 4 g/cm3 ; r = 4 cm; dE = 9 g/cm3; dHg = 13,6 g/cm3.
A densidade mínima do buraco negro será:
M 3c 2 O volume da esfera é
 
V 8GR2
4 3 4
VE =  r  (3,14) (4)3  VE = 268 cm3.
3 3
Resposta da questão 4:
mC/mB = 5 Analisando a figura a seguir:

23
b) 10 L/min

Resposta da questão 12:


1,6 × 104 N

Como a esfera está em equilíbrio, a resultante das forças é nula.


Então:
EHg + EL = PE  dHg VHg g + dL VL g = dE VE g.

Mas o volume imerso no líquido é a diferença entre o volume


total e o volume imerso no mercúrio. Ou seja:
VL = VE – VHg. Assim:

dHg VHg + dL(VE – VHg) = dE VE  dHgVg + dLVE – dLVHg = dE VE 


VE  dE  dL 
(dHg – dL) VHg = (dE – dL) VE  VHg  .
dHg  dL
Substituindo os valores
dados e lembrando que a densidade do mercúrio é 13,6 g/cm3,
vem:

268  9  4  1.340
VHg =  
13,6  4 9,6

VHg 139,6 cm3.

Resposta da questão 5:
O valor de M deverá produzir uma tensão T = M.g que deverá
equilibrar a força devida a pressão atmosférica sobre os dois
vasos, dada por, P = F/A  F = P.A
Então P.A = M.g  M = P.A/g = 105.10/10 = 105 kg = 102 t =
100 toneladas

Resposta da questão 6:
a) v = 1,46 × 105 m3

b) F = 7,5 × 106 N

Resposta da questão 7:
a) ∆V = 25,2 m3

b) O Mar Vermelho devido a maior salinidade que este mar


apresenta.

Resposta da questão 8:
a) 93,3 mmHg
b) 101 mmHg

Resposta da questão 9:
444,4 Pa

Resposta da questão 10:


108

Resposta da questão 11:


a) 10 m

24

Você também pode gostar