Você está na página 1de 12

Engenharia Mecatrônica

Circuitos elétricos

Associação de Resistores
Relatório 02
Sumário
1 Introdução ............................................................................................................................ 3
1.1 Objetivos ...................................................................................................................... 3
2 Fundamentos Teóricos ...................................................................................................... 3
2.1 Conceito de Associação Resistores ........................................................................ 3
2.1.1 Associação de Resistências ............................................................................. 3
a) Associação em série: ................................................................................................. 3
b) Associação em paralelo: ........................................................................................... 4
c) Associação mista:....................................................................................................... 4
2.1.2 Potencia elétrica ................................................................................................. 5
3 Descrições da Experiência................................................................................................ 6
3.1 Materiais Utilizados nos Ensaios ............................................................................. 6
3.2 Ensaios das Associações de Resistores ................................................................ 6
4 Resultados ........................................................................................................................... 6
a) Experimento 01 ........................................................................................................... 6
b) Experimento 02 ........................................................................................................... 8
c) Experimento 03 ......................................................................................................... 10
5 Conclusão .......................................................................................................................... 11
6 Bibliografia Fontes de Pesquisa ........................................................................................ 12

Sumário Figuras
Figura 1 Associação em série .................................................................................................. 4
Figura 2 Associação em paralelo ............................................................................................. 4
Figura 3 Associação mista ........................................................................................................ 5
Figura 4 Software de simulação MultiSim ............................................................................. 6
Figura 5 Associação de resistores circuito misto ................................................................. 7
Figura 6 Ensaio 02 Tensão (V) ................................................................................................ 8
Figura 7 Ensaio 02 corrente(I) .................................................................................................. 9
Figura 8 circuito série............................................................................................................... 10
1 Introdução

1.1 Objetivos

Identificação do valor de potência (P), corrente (I), tensão (V) e uma


resistência elétrica (Ω), numa associação de resistores utilizando-se do software
MultiSim.

2 Fundamentos Teóricos

2.1 Conceito de Associação Resistores

2.1.1 Associação de Resistências

A resistência (R) é uma constante de proporcionalidade que tem como


unidade do SI o ohm (Ω), em homenagem ao físico Georg Simon Ohm que propôs a
lei.
Em nosso dia-a-dia utilizamos vários aparelhos elétricos onde são empregados
circuitos com dois ou mais resistores. Em muitos destes circuitos utiliza-se uma
associação de resistores. A associação de resistores pode ocorrer basicamente de
três maneiras diferentes: Associação em série, associação em paralelo e associação
mista.
Em algumas aplicações vários resistores são ligados um em seguida do outro
para obter o circuito desejado, como é o caso das lâmpadas decorativas de natal, um
bom exemplo de associação de resistores em série.
Para efeito de cálculos, em muitos casos será necessário descobrir como a
série de resistores se comporta como um todo. Nestes casos utilizamos o conceito de
resistor equivalente. Que é um resistor que tem as mesmas propriedades da
associação, ou seja, uma resistência que seja a mesma do conjunto, esta resistência é
chamada resistência equivalente.

a) Associação em série:

Na associação em série todos os resistores são percorridos pela mesma


corrente elétrica. Os resistores são ligados um em seguida do outro, existindo apenas
um caminho para a corrente elétrica. Observe a figura abaixo:
Fonte: efeitojaule.com

Figura 1 Associação em série

A diferença de potencial (ddp) de uma associação de resistores em série é a


soma das ddps em cada um dos resistores associados.

O valor da resistência equivalente é dado pela soma das resistências dos


resistores que constituem a série. Req= R1+R2+R3

b) Associação em paralelo:

A associação de resistores em paralelo é um conjunto de resistores ligados de


maneira a todos receberem a mesma diferença de potencial (ddp). Nesta associação
existem dois ou mais caminhos para a corrente elétrica, e desta maneira, os resistores
não são percorridos pela corrente elétrica total do circuito. Observe a figura.

Fonte: efeitojaule.com

Figura 2 Associação em paralelo

A corrente, em uma associação de resistores em paralelo, é a soma das


correntes nos resistores associados.

Na associação em paralelo, o valor da resistência equivalente é sempre menor


que o valor de qualquer resistência dos resistores da associação. Este valor pode ser
obtido com as seguintes equações:

.
= + + ou para 2 resistores =

c) Associação mista:

Uma associação mista é composta quando associamos resistores em série e


em paralelo no mesmo circuito. Observe na figura abaixo que os resistores R1 e R2
estão em série e os resistores R3 e R4 estão em paralelo:
Fonte: efeitojaule.com

Figura 3 Associação mista

Nas associações mistas também podemos encontrar um valor para a


resistência equivalente. Para isto devemos considerar cada associação (série ou
paralelo) separadamente, sendo que todas as propriedades descritas acima são
válidas para estas associações.

2.1.2 Potencia elétrica

Em sistemas elétricos, a potência instantânea desenvolvida por um dispositivo de


dois terminais é o produto da diferença de potencial entre os terminais e a corrente
que passa através do dispositivo.

Isto é,

P = V . I onde I é o valor instantâneo da corrente e V é o valor instantâneo da


tensão. Se I está em ampères e V em volts, P estará em watts ( W ). É bastante
comum encontrar em dispositivos a potência em unidades diretas, VA.

Potência elétrica pode ser definida também como o trabalho realizado pela
corrente elétrica em um determinado intervalo de tempo.Num sistema de corrente
contínua em que I e V se mantenham invariantes durante um dado período, a
potência transmitida é também constante e igual ao produto I . V

Note que o kWh é uma unidade de medida grande e por isso ela é compatível
para o uso nas medidas de energia elétrica.

Aplicando a equação de potência elétrica e a equação da primeira lei de Ohm,


temos duas equações para a potência elétrica dissipada em um resistor.

Primeira equação: P = V . I sendo I=V/R

Temos,

P = V2 / R

Segunda equação: P = V . I sendo V = R . I

P = I2. R
3 Descrições da Experiência

3.1 Materiais Utilizados nos Ensaios

Durante os experimentos “associação de resistores”, foi utilizado o seguinte


material pra simular virtualmente os circuitos”experimentos” montados

 Software MultiSim da National Instruments;

Figura 4 Software de simulação MultiSim

3.2 Ensaios das Associações de Resistores


Utilizando-se o software MultiSim instalado num microcomputador com
plataforma Windows montamos os circuitos mostrados abaixo nas figuras 05 , 06 , 07
e 08 e observando as associações serie, paralelo e mista dos resistores verificamos
e calculamos a corrente(I) a potência (W) a tensão ddp (V) e a resistência e obtivemos
os valores de cada corrente, tensão e potência para todos os circuitos ensaiados.

4 Resultados

a) Experimento 01

Na figura abaixo apresentamos o experimento 01 com um circuito série


paralelo.
Figura 5 Associação de resistores circuito misto

Após montado e simulado o circuito acima no software Multisim ,calculamos


utilizando lei de Ohm, a corrente(A) a resistência (R) a potencia(P) e tensão(V) em
cada resistor.

Calculo da resistência equivalente do circuito;

2. 3 + 4 5. 3 + 2
Req = R1 + → Req = 10 + → Req = 12,5Ω
2+ 3+ 4 5+3+2

Calculo da corrente elétrica do circuito;

12
= → = → = 0,96#
Req 12,5

Calculo da tensão V1;

1= 1. → 1 = 10 . 0,96 → 1 = 9,6

Calculo de I2

− 1 12 − 9,6
2= → 2= → 2 = 0,48#
R2 5

Calculo da tensão V2;

2= 2. 2 → 2 = 5 . 0,48 → 2 = 2,4

Calculo de I3;

3= − 2 → 3 = 0,96 − 0,48 → 3 = 0,48#


Calculo da tensão V3;

3= 3. 3 → 3 = 3 . 0,48 → 3 = 1,44

Calculo da tensão V4;

4= 4. 3 → 4 = 2 . 0,48 → 4 = 0.96

Calculo da potencia em cada resistor;

&1 = . 1 → &1 = 0,96 . 10 → &1 = 9,216'

&2 = . 2 → &2 = 0,48 . 5 → &2 = 1,152'

&3 = . 3 → &3 = 0,48 . 3 → &3 = 692('

&4 = . 4 → &4 = 0,48 . 2 → &4 = 461('

b) Experimento 02

Na figura abaixo apresentamos o experimento 02 com um circuito série


paralelo.

Figura 6 Ensaio 02 Tensão (V)


Figura 7 Ensaio 02 corrente(I)

Calculo do circuito:

Desmembrando o circuito e utilizando a lei de Ohm calculamos a resistência


equivalente.
.
=  + )  = 20Ω

Encontrado a Req calculamos a corrente total do circuito:

24
= → = → = 1,2#
Req 20

De posse da corrente calculamos o restante do circuito tensão potencia e


amperagem em cada resistor.

1= 1. → 1 = 10 . 1,2 → 1 = 12

2= − 1 → 2 = 24 − 12 → 2 = 12

2 12
2= → 2= → 2 = 0,6#
R2 20

3= − 2 → 3 = 1,2 − 0,6 → 3 = 0,6#

3= 3. 3 → 3 = 10 . 0,6 → 3=6

4 = 2− 3 → 4 = 12 − 6 → 4=6

4 6
4= → 4= → 4 = 0,3#
R4 20

5= 5. 5 → 5 = 10 . 0,3 → 5=3

6 = 4− 5 → 6=6−3 → 6=3
5 3
6= → 6= → 6 = 0,15#
R5 20

7= 5− 6 → 7 = 0,3 − 0,15 → 7 = 0,15#

7= 7. 7 → 7 = 10 . 0,15 → 7 = 1,5

8= 8. 8 → 8 = 10 . 0,15 → 8 = 1,5

&1 = . 1 → &1 = 1,2 . 10 → &1 = 14,4'

&2 = 2 . 2 → &2 = 0,6 . 20 → &2 = 7,2'

&3 = 3 . 3 → &3 = 0,6 . 10 → &3 = 3,6'

&4 = 4 . 4 → &4 = 0,3 . 20 → &4 = 1,8'

&5 = 5 . 5 → &5 = +, 3 . 10 → &5 = 0,9'

&6 = 6 . 6 → &6 = 0,15 . 20 → &6 = 0,45'

&7 = 7 . 7 → &7 = 0,15 . 10 → &7 = 0,225'

&8 = 8 . 8 → &8 = 0,15 . 10 → &8 = 0,225'

c) Experimento 03
Na figura abaixo apresentamos o experimento 03 com um circuito série com
um único resistor.

Figura 8 circuito série

Cálculo para o resistor de 2kΩ

12
= → → 6(#
R 2000

. → 2000 . 0,006 → 12

& . → & 0,006 . 2000 → & 0.72'


Cálculo para o resistor de 2Ω

12
→ = → = 6#
R 2

= . → = 2 .6 → = 12

& = . → &= 6 . 2 → & = 72'

5 Conclusão

Através do experimento foi possível correlacionar resistências, potencias


correntes e tensões. Onde notamos que a corrente (i) que passa pelo resistor é
proporcional a tensão(V) que o componente está submetido e a resistência do
mesmo,durante a analise do experimento notamos que em uma associação em série a
corrente é a mesma em todos os resistores e quanto maior o numero de resistores
associados maior será a resistência total do circuito, devido este fato a menor também
será a corrente total pois haverá um impedimento maior a passagem dos elétrons pelo
resistores.

Já para uma associação em paralelo todos os resistores estão sob a mesma


tensão e que quanto maior o numero de resistores na associação menor será a
resistência equivalente, sendo uma resistência menor consequentemente a corrente
total será maior no circuito.

No experimento 3 notamos claramente as diferenças quando se aplica maior


resistência no circuito maior resistência menor corrente , Menor resistência maior
corrente. Ao contrario acontece para potencia maior corrente maior potencia , menor
corrente menor potencia. Resistência maior potencia menor.

Para os experimentos notamos que a potencia de cada resistor e dada pela


tensão e corrente que o mesmo está submetido, uma corrente alta fará com que o
resistor se queime pois a quantidade de elétrons que atravessa pelo resistor e muito
grande e o mesmo não consegue dissipar toda essa energia gerada em forma de calor
provocando seu rompimento (queima do resistor). Quando um resistor queima é
porque a potência aplicada nele é muito maior que o material com o qual ele foi feito
pode suportar ocasionando um super aquecimento no resistor e literalmente ele
queima geralmente ocorrendo a ruptura do material e abrindo o circuito naquele ponto
o que faz com que o resistor tenha resistência infinita, pois ele se encontra aberto.

6 Bibliografia Fontes de Pesquisa

http://www.efeitojoule.com/2008/07/associacao-de-resistores.html

http://discipulosdeeinstein.vilabol.uol.com.br/Resumos/Resistores.html

http://www.sofisica.com.br/conteudos/Eletromagnetismo/Eletrodinamica/associacaoder
esistores.php