Você está na página 1de 56

GUIA DE BOLSO - PUERICULTURA

GUILHERME RODRIGUES VASCONCELOS ANDRÉ


RESIDENCIA EM PEDIATRIA – HOSPITAL MÁRIO PALMÉRIO, UBERABA-MG – ATUALIZAÇÃO 21/05/18

PESO
CLASSIFICAÇÃO CONFORME PESO DE NASCIMENTO
< 1000 1000 --- 1500 1500 --- 2500 2500 --- 3000 3000 --- 3800 > 3800
Extremo baixo peso Muito baixo peso Baixo peso Peso insuficiente Peso adequado Macrossômico

NEONATAL
1ª SEMANA DE VIDA Perde 10% do peso de nascimento
(Urina + Mecônio + Jejum)
2ª SEMANA DE VIDA Atinge peso de nascimento
PESO ESTIMADO
1º TRIMESTRE +700 g/mês +25 g/dia
2º TRIMESTRE +600 g/mês +20 g/dia
5º MÊS DE VIDA = 2X PESO NASCIMENTO
3º TRIMESTRE +500 g/mês +15 g/dia
4º TRIMESTRE +400 g/mês +10 g/dia
1 ANO COMPLETO 3X PESO NASCIMENTO
2 ANOS COMPLETOS 4X PESO NASCIMENTO
3 – 5 ANOS COMPLETOS +2 kg/ano +6 g/mês
6 ANOS COMPLETOS – PUBERDADE + 3 kg/ano +9 g/mês

Peso/Idade (em kg) = (Idade x 2) + 8


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ESTATURA
ALTURA ESTIMADA
AO NASCIMENTO 50 cm
1º ANO 1º semestre: +15 cm (+2,5 cm/mês)
1 ANO COMPLETO = +25 CM (+50% NASCIMENTO) 2º semestre: +10 cm (+1,6 cm/mês)
2 ANOS COMPLETOS + 12 cm/ano (+1 cm/mês)
3 - 4 ANOS COMPLETOS +7 cm/ano (+0,6 cm/mês)
4 ANOS = ATINGE 1 METRO
5 - 6 ANOS COMPLETOS +6 cm/ano (+0,5 cm/mês)
7 ANOS COMPLETOS – ATÉ PUBERDADE +5 cm/ano (+0,4 cm/mês)
PUBERDADE (pico do estirão) Meninas: +8,3 cm/ano (+0,7 cm/mês)
Meninos: +9,5 cm/ano (+0,8 cm/mês)

Estatura/Idade (em cm) = [(Idade x 6] + 77


Estatura alvo menino = [(estatura pai + estatura mãe) + 13] / 2 (±8,5)
Estatura alvo menina = [(estatura pai + estatura mãe) - 13] / 2 (±8,5)
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PERÍMETRO CEFÁLICO
1º ANO
AO NASCIMENTO 34 (±2)
1º TRIMESTRE +2 cm/mês
2º TRIMESTRE +1 cm/mês
2º SEMESTRE +0,5 cm/mês
NORMAL: ≥ -2 (E) ≤ +2
NORMAL: ≥ -2 (E) ≤ +2
SUPLEMENTAÇÃO FERRO
CONSENSO SOBRE ANEMIA FERROPRIVA: MAIS QUE UMA DOENÇA, UMA URGÊNCIA MÉDICA; SBP; 2018

PROFILAXIA
AVALIAÇÃO ANUAL A PARTIR DE 1 ANO DE VIDA
(FERRITINA + RETICULÓCITOS + HEMOGRAMA)
TERMO PN > 2500g 3m – 1a 1mg ferro elementar/kg/dia
PN < 2500g 1m – 1a 2mg ferro elementar/kg/dia 1a – 2a
-------------
PRÉ-TERMO PN 2500g-1500g 1m – 1a 2mg ferro elementar/kg/dia 1mg ferro
PN 1500g-1000g 1m – 1a 3mg ferro elementar/kg/dia elementar/kg/dia
PN <1000g 1m – 1a 4mg ferro elementar/kg/dia
VITAMINA C Somente se em uso pleno de leite de vaca 30 mg/dia
(200 mg/ml) Nascimento – 6m (3 gotas/dia)

TRATAMENTO
REAVALIAÇÃO 2/2 MESES
(FERRITINA + RETICULÓCITOS + HEMOGRAMA)
SUSPENDER QUANDO FERRITINA > 30 mcg/dl
EXAMES 1ª fase da anemia Ferritina < 30 mcg/dl
2ª fase da anemia Ferro sérico < 30 mg/dl
3ª fase da anemia Hb < 11,5 g/dl
Sintomas
TRATAMENTO 3-5mg ferro elementar/kg/dia + Incentivar ingesta ferro
(heme = maior biodisponibilidade)
NUTRI-SUS
→ Não suplementar ferro se estiver no programa
→ Idade: 6 meses – 2 anos (pode ser ofertado até os 5 anos)
→ Sob avaliação médica: falciforme / talassemia / hemocromatose

SUPLEMENTAÇÃO
VITAMINA D
200 UI/gota
Associar exposição solar antes 11h ou após 15h
→ COM FRALDAS: 10min em dias alternados
→ COM ROUPAS: 20 minutos por dia
1ª semana - 1a 400 UI/dia (2 gotas/dia)
RNPT > 1500g – 1a
1a - 2a 600 UI/dia (3 gotas/dia)
DNPM
VACINAÇÃO - 2018
DENTES DE LEITE
ADOLESCÊNCIA
HEADS-SS
H – home Situação moradia = saneamento, quantidade de coabitantes, quantos no mesmo quarto
Relação/estrutura familiar = valores, hábitos, condição socioeconômica, doenças, violência familiar
E – education Frequência ás aulas, repetição, evasão
Condições de trabalho, horário de serviço
A – activity Hábitos alimentares
Hábitos de sono e repouso
Atividades de lazer e esportes
Amigos
Projetos de vida
D – drugs Lícitos e ilícitos = conhecimento > presenciou amigos/família usarem > experimentação > uso frequente
S – sexuality Orientação sexual
Namoro, quantidade de parceiros
Masturbação, reação sexual, métodos contraceptivos, doenças sexualmente transmissíveis
S – suicide Depressão = problemas familiares, problemas escolares, bullying, problemas de auto-aceitação
Tentativas de suicídio
S - savagery Participação ativa/passiva
Gangues
Delitos, atos de vandalismo

QUEBRA DE SIGILO
- Risco de suicídio
- Autoflagelação
- Doenças
- Procedimentos de notificação compulsória (ex: maus-tratos)
- Intenção de abortar
- Gravidez
- Estupro
- Abuso de drogas
- Anorexia nervosa e bulimia
- Ferimentos por suspeita de ato criminoso
- Ameaça de cometer crimes
PUBERDADE - FEMININO
PUBERDADE - MASCULINO
PRESSÃO ARTERIAL

PREPARO PARA A MEDIDA DE PRESSÃO ARTERIAL (1X/ANO A PARTIR DE 3 ANOS)


• Repouso de 3 a 5 minutos.
• Preferencial sentado com pés apoiados no chão, caso contrário em decúbito dorsal. Braço direito na altura do coração.

AFERIÇÃO
• Medir a pressão no braço direito pois a medida pode ser mais baixa no braço esquerdo em casos de coartação da aorta.
• Aferir pelo menos 2 vezes durante a consulta (início e fim) e o valor da média das duas anotado no prontuário.
o Se a PS ou PD acima de P90, deverão ser realizadas 3 aferições (início, meio e fim).
o Se PS ou PD acima de P90 mantida, aferir braço esquerdo e pernas para rastreamento de coartação de aorta.
▪ Manguito para coxa ou um manguito grande, como o de adulto.
▪ O manguito deve ser colocado na coxa e o estetoscópio colocado na fossa poplítea.
▪ PS na perna 10 mmHg mais baixa que a pressão medida MSD ou MSE: pesquisar coartação de aorta.

Tratado SBP, 2017


PRESSÃO ARTERIAL - FEMININO
PRESSÃO ARTERIAL - MASCULINO
EXAMES
1 - 10 ANOS EUTRÓFICO (IMC Z<+1)
HEMOGRAMA – FERRITINA – EPF (3 AMOSTRAS) – URINA 1 – UROCULTURA

1 - 10 ANOS DISTRÓFICO (IMC Z≥ +1) [ou] ≥ 10 ANOS


HEMOGRAMA – FERRITINA – EPF (3 AMOSTRAS) – URINA 1 – UROCULTURA
LIPIDOGRAMA – UREIA – CREATININA – TSH – T4 LIVRE – GLICEMIA DE JEJUM (CONFORME TABELA ABAIXO)

DIABETES MELITUS
DIABETES MELITUS
CRITÉRIOS PARA TRIAGEM

≥ 10 anos (+) Z-score IMC ≥ +1 (+) pelo menos 2:


1) Parente de 1º a 2º grau com DM2 GLICEMIA DE JEJUM 2/2 ANOS
2) Grupo de risco: → Idade média de surgimento DM2 = 14 anos
Índio norte-americano | Negro | Hispânico | Asiático
3) Sinais de resistência insulínica:
Acantose nigrans | HAS 1-2 | Dislipidemia | SOP
GLICEMIA DE JEJUM INTOLERÂNCIA À GLICOSE DIABETES MELITUS
(Mínimo 8 horas de jejum) 100 – 126 mg/dL ≥ 127 mg/dL
HBA1C ≥ 6,5%
TESTE DE TOLERÂNCIA ORAL À GLICOSE, 2 HORAS ≥ 200 mg/dL
GLICEMIA CASUAL ≥ 200 mg/dL
Diretrizes da sociedade brasileira de diabetes, 2015-16. DM2 no jovem

OBJETVOS GLICÊMICOS SEGUNDO FAIXA ETÁRIA PARA DM


IDADE PRÉ-PRANDIAL PÓS-PRANDIAL HORA DE DORMIR HBA1C
< 6 ANOS 100 – 180 110 – 200 100 – 200 7,5 – 8,5
6 – 12 ANOS 90 – 180 100 – 180 90 – 180 <8
13 – 19 ANOS 90 – 130 90 – 150 80 – 160 < 7,5

PERFIL LIPÍDICO
RECOMENDAÇÕES LIPÍDICAS PARA 2 A 19 ANOS
LIPÍDIOS IDADE VALORES MG/DL
DESEJÁVEL LIMÍTROFE AUMENTADO
COLESTEROL TOTAL < 170 170 – 199 ≥ 200
LDL < 110 110 – 129 ≥ 130
HDL < 10 ≥ 40
10 – 19 ≥ 35
TRIGLICÉRIDES < 10 ≤ 100 > 100
10 – 19 ≤ 130 > 130
Endocrinologia para o pediatra, 3ª ed
SÍNDROME METABÓLICA

Diretrizes da sociedade brasileira de diabetes, 2015-16. Síndrome metabólica em crianças e adolescentes (modificado)

PERCENTIL 90 PARA CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL


IDADE BRANCOS NEGROS
MENINOS MENINAS MENINOS MENINAS
5 59 57 56 56
6 61 60 60 59
7 61 64 61 67
8 75 73 67 65
9 77 73 74 78
10 88 75 79 79
11 90 83 79 87
12 89 83 87 84
13 95 94 87 81
14 99 96 85 92
15 99 88 81 85
16 97 93 91 90
17 90 86 101 105
Freedman et. al., 1999
DERMATITE ATÓPICA
Guia prático de atualização em dermatite atópica, 2017
DERMATITE ATÓPICA
Guia prático de atualização em dermatite atópica, 2017
DERMATITE ATÓPICA
Guia prático de atualização em dermatite atópica, 2017

TRATAMENTO CRÔNICO BÁSICO


PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES SINTOMÁTICAS
1) HIDRATANTE
1) INFECÇÃO SECUNDÁRIA
- 2x/dia, diário, contínuo, toda a pele
- Wet dressing / Wet wrap: aumenta a Tratamento combinado:
restauração da barreira cutânea - Sabonete antisseptico 1x/dia (com cautela)
- Aplicar hidratante > vestir roupa de algodão - Hidratante corporal contínuo
úmida > vestir roupa seca por cima - Corticoide tópico 1x/dia (potência conforme
- Fazer de manhã ou de noite local e intensidade da lesão)
- Manter por algumas horas (máximo: 12h)
• Localizado: mupirocina / ácido fusídico
2) CORTICOIDE TÓPICO
• Disseminado: curto período
- Sem consenso de quantidade 1) Cefalexina 50mg/kg/dia, 6/6h, 7-10 dias
- Mais usado: ponta do dedo adulto 2) Cefalotina 100-200 mg/kg/dia, 6/6h, 7-10 dias
- Pode ser aplicado junto ao hidratante
- Efeito sistêmico (supressão do eixo): raro • Repetição: mupirocina na lesão e
- Uso prolongado por área extensa narinas, unhas, umbigo, axila, prega
- Uso de alta potência sob oclusão inguinal da criança e familiares 1º ao 5º
dia do mês 12/12h
• Uso crítico
- 1x/dia, até controle da crise 3) PRURIDO
- Alta potência por curto período para controlar
crise e transicionar para baixa potência assim Tratamento combinado:
que me melhora até o fim da lesão (evitar - Hidratante corporal contínuo
rebote) - Corticoide tópico 1x/dia (potência conforme
local e intensidade da lesão)
• Uso proativo: Reduz frequência e
gravidade de crises Principal via: não histaminérgica
- Anti-histamínico não funciona!
- 2x/semana em áreas afetadas- Preferir - 1ª geração: efeito sedativo
baixa/média potência, principalmente em - Ansiedade / depressão exacerbam prurido)
áreas de alta absorção
- Áreas de alta absorção: face, axilas,
inguinogenital
DERMATITE ATÓPICA
Guia prático de atualização em dermatite atópica, 2017
ASMA
Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma - 2012
MEDICAÇÃO APRESENTAÇÃO DOSE
BECLOMETASONA Clenil HFA 50mcg, 100mcg, 150mcg, 200mcg, 250mcg, JET 250mcg
BUDESONIDA Busonid 200mcg, 400mcg
CICLESONIDA Alvesco 80mcg, 160mcg
MOMETASONA Oximax 200mcg, 400mcg
FLUTICASONA Flixotide 50mcg, 250mcg

MEDICAÇÃO APRESENTAÇÃO DOSE


SALMETEROL + FLUTICASONA Seretide 25/50mcg, 25/125mcg, 25/250mcg,
FORMOTEROL + BUDESONIDA Vannair 6/100mcg, 6/200mcg

MEDICAÇÃO DOSE
SALBUTAMOL PRÉ ESCOLAR --------------------------- 2-4 JATOS
(100MCG) ESCOLARES ------------------------------ 4-6 JATOS
ADOLESCENTES ------------------------ 6-8 JATOS
RINITE ALÉRGICA

Leve + Intermitente
Anti-histamínico oral + higiene ambiental + lavagem nasal com soro fisiológico

Moderada/grave --- e/ou --- Persistente


Anti-histamínico oral + higiene ambiental + lavagem nasal com soro fisiológico + Corticoide nasal

MEDICAÇÃO APRESENTAÇÃO DOSE


BECLOMETASONA Clenil spray nasal 50mcg
BUDESONIDA Busonid / Noex 32mcg, 50mcg, 64mcg, 100mcg
CICLESONIDA Omnaris 50mcg
MOMETASONA Oximax 200mcg, 400mcg
FLUTICASONA Plurair 50mcg
Avamys 27,5mcg
ROMA IV (2016)
NASCIMENTO → 5 ANOS
REGURGITAÇÃO DO LACTENTE CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS
TRATAMENTO - Excluir DRGE / APLV
- Expectante
1) Idade entre 3 semanas e 1 ano
2) ≥ 2 regurgitações por dia em 3 semanas
3) Ausência: náuseas, hematêmese, aspiração, apneia, disfagia e postura anormal (síndrome de Sandifer)

SÍNDROME DE RUMINAÇÃO CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES


TRATAMENTO - Estimular e dar mais atenção à criança
1) Contrações repetidas de músculos abdominais, diafragma e língua
2) Regurgitação sem expulsão de conteúdo, seguido de mastigação e deglutição
3) ≥ 3 dos seguintes:
- Inicio entre 3 e 8 meses
- Sem resposta ao tratamento de RGE ou regurgitação
- Não acompanha sinais de angustia
- Não ocorre durante o sono ou durante interação com outras pessoas

SÍNDROME DE VÔMITOS CÍCLICOS CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS


TRATAMENTO - Excluir diagnósticos diferenciais
- PA: hidratação + ondasentrona + omeprazol +/- loracepam
- Evitar desencadeantes identificados
- Prevenção:
<5a: ciproheptadina / pizotifeno / 2ª linha: propranolol
>5a: amitriptilina / 2ª linha: propranolol
1) ≥ 2 episódios em 6 meses de vômitos paroxísticos incoercíveis, com ou sem náuseas, dura horas a dias
2) Todas os episódios de vômitos são idênticos
3) Intervalos inter críticos de semanas a meses, regulares ou não, com retorno ao normal após crise
- História materna de migrânea é frequente
- Não há exames diagnósticos
- Fatores psicossociais podem ser desencadeantes
- Geralmente iniciam na mesma hora do dia (geralmente tarde ou noite)
- Crises com duração similar, com início e fim bruscos
- Pode acompanhar: salivação / dor abdominal / palidez / mal-estar / equimose / febre / leucocitose
Febre / hipertensão / fono-, foto-, osmofobia / cefaleia / atraso no desenvolvimento
- Excluir causas: gastrointestinais, neurológicas, urológicas, metabólicas e endócrinas

CÓLICA DO LACTENTE CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS


TRATAMENTO - Excluir APLV
- Extrato de camomila durante crise
- Probióticos (Lactobacillus reuteri) – sem muitos estudos
1) Início e fim antes de 5 meses de idade
2) Recorrência de choro inconsolável e irritabilidade prolongados, sem causa aparente
CHORO: ≥ 3horas por ≥ 3 dias na semana registrados em diário
3) Sem evidência de atraso no desenvolvimento, doença ou febre
ROMA IV (2016)
NASCIMENTO → 5 ANOS
DIARREIA FUNCIONAL CUMPRIR OS 4 CRITÉRIOS
TRATAMENTO - Corrigir dieta
1) ≥ 4 episódios por dia de evacuação indolor amolecida
2) ≥ 4 semanas (1 mês) de duração
3) Início entre 6 meses – 5 anos de idade
4) Desenvolvimento e ingesta calórica adequados
- Principal causa de diarreia crônica na criança sã
- Cumpridos critérios, afasta-se síndrome disabsortiva
- Fezes podem conter muco e restos alimentares não digeridos
- Desencadeantes:
enteroinfecção / laxante / antibiótico / dieta (excesso alimentar, frutose e sorbitol, carência de gordura)

DISQUEZIA DO LACTENTE CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS


TRATAMENTO - Expectante
1) ≤ 9 meses de idade
2) ≥ 10 minutos de esforço e choro pré-evacuação, com êxito (pequeno volume) ou não
3) Sem outros problemas de saúde
- Inicia nos primeiros meses e se resolvem com 3-4 semanas espontaneamente

CONTIPAÇÃO FUNCIONAL CUMPRIR 2 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 1 MÊS


TRATAMENTO JPGN 2014; 58: 258–274:

Educação → Fármaco VO/VR → Reeducação →


Potencializar fármaco → APLV?

- Medidas: compressa quente / massagem / treino toalte


- Educação: Fluido / Fibra / Físico
- Desimpactação:
- PEG 4000 (>6 meses): 1-1,5 g/kg/dia, 1-6 dias
- Enema (2ª linha): 1x/dia, 3-6 dias
- Manutenção:
- PEG 3350 (>6 meses): 0,2-0,8 g/kg/dia, 2 meses
- Lactulose (2ª linha): 1-2 g/kg/dose, 1-2x/dia
- Óleo mineral (2ª linha):
- 1-2 anos: 6 ml/kg/dose, 1-2x/dia
- 2-11 anos: 30-60 ml, 1x/dia
- > 11 anos: 60-150 ml, 1x/dia
- APLV? = ensaio de suspender PV 2-4 semanas
1) ≤ 2 evacuações semanais
2) História de retenção fecal excessiva
3) História de evacuação dolorosa ou com fezes duras
4) História de fezes volumosas que podem obstruir o vaso sanitário
5) Presença de grande massa fecal retal
6) ≥ 1 episódio semanal de incontinência fecal (soiling)
- Dado importante: eliminou mecônio em < 24h de vida? (90% dos RNT sãos eliminam em 24h)
- Diagnósticos diferenciais: anomalias anatômicas, Hirschsprung, doença medular / metabólica / neuroentérica
ROMA IV (2016)
4 ANOS → 18 ANOS
SINAIS DE ALARME
1) História familiar: doença inflamatória intestinal, doença celíaca ou úlcera péptica
2) Febre inexplicável
3) Disfagia / Odinofagia
4) Vômitos persistentes
5) Sangramento gastrointestinal
6) Dor persistente em quadrantes direitos
7) Diarreia noturna
8) Doença perianal
9) Puberdade atrasada
10) Parada de crescimento
11) Perda de peso involuntária
12) Artrite

TRANSTORNOS DE NAUSEAS E VOMITOS FUNCIONAIS


SÍNDROME DE VÔMITOS CÍCLICOS CUMPRIR OS 4 CRITÉRIOS
TRATAMENTO - PA: hidratação + ondasentrona
- Prevenção:
<5a: ciproheptadina / pizotifeno / 2ª linha: propranolol
>5a: amitriptilina / 2ª linha: propranolol
- Evitar desencadeantes identificados
1) ≥ 2 episódios em 6 meses de náuseas intensas e vômitos paroxísticos durando horas a dias
2) Todas os episódios de vômitos são idênticos
3) Intervalos inter críticos de semanas a meses, regulares ou não, com retorno ao normal após crise
4) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Atenção: uso crônico de cannabis (adolescentes)
- Pode associar sintomas gastrointestinais
- Associa história pessoal / familiar de migrânea

NAUSEAS FUNCIONAIS CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES


VÔMITOS FUNCIONAIS
TRATAMENTO - Se relacionada com comida: gengibre / óleo de menta
- Melhor terapia: acompanhamento psicossocial
- Promissor: neuroestimulação gástrica
NÁUSEAS FUNCIONAIS
1) ≥ 2 episódios por semana de náuseas, geralmente relacionada ao alimento ingerido
2) Sem associação com vômito
3) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
VÔMITOS FUNCIONAIS
1) ≥ 1 episódios por semana de vomito
2) Ausência de vômito auto induzido ou critérios para transtorno alimentar / ruminação
3) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
ROMA IV (2016)
4 ANOS → 18 ANOS

SÍNDROME DE RUMINAÇÃO CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES


TRATAMENTO - Acompanhamento psicossocial
1) Regurgitação repetitiva com mastigação ou expulsão do conteúdo alimentar que:
- Inicia logo após a ingesta alimentar, e
- Não ocorre durante o sono
2) Sem náuseas antecipando os episódios
3) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Pode associar: cefaleia / dor abdominal / eructação / náuseas / pirose / transtorno do sono
- Possível comorbidade psiquiátrica associada
- Fator desencadeante: psicossocial ou orgânica

AEROFAGIA CUMPRIR OS 4 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES


TRATAMENTO - Psicoterapia
- Benzodiazepínicos
1) Excessiva deglutição de ar
2) Distensão abdominal por ar intraluminal que aumenta durante o dia
3) Eructações repetitivas e aumento da flatulência
4) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Muito relacionado a distúrbios neurocognitivos

TRANSTORNOS DE DOR ABDOMINAL


DISPEPSIA FUNCIONAL CUMPRIR AO MENOS 2 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES, 4 DIAS/MÊS
TRATAMENTO - EDA: se sinais de alarme
- Evitar: cafeína / gordura / temperos
- Investigar fatores psicológicos
- Dor: anti-h2 / IBP
- Náusea / distensão / saciedade precoce: procinéticos
1) Plenitude pós-prandial
2) Saciedade precoce
3) Epigastralgia e dispepsia sem associação com evacuação
SUBTIPOS
→ SD. DE SOFRIMENTO PÓS-PRANDIAL: sintomas impedem terminar uma refeição habitual
- Associa: distensão abdominal, náusea pós-prandial e eructações excessivas
→ SD. DA DOR EPIGÁSTRICA: dor/pirose intensas, atrapalha atividades e sem melhora com evacuação/flatulência
- Associa: pirose sem componente retroesternal, dor induzida/aliviada por ingesta alimentar
ROMA IV (2016)
4 ANOS → 18 ANOS

SD. DO INTESTINO IRRITÁVEL CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS


TRATAMENTO - Probióticos
- Óleo de menta / Brometo de otilônio
- Mudança comportamental
- Redução de carboidratos da dieta
- Aumento ingesta hídrica
- Aumento ingesta frutas e fibras
1) Dor abdominal 4 dias/mês com ≥ 2 critérios, pelo menos 2 meses:
- Relacionado à evacuação
- Adjunto a mudança na frequência de evacuação
- Adjunto a mudança de forma e aparência das fezes
2) Em crianças constipadas, a dor não se resolve com resolução do mesmo
3) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
SUBTIPOS
→ SII COM CONSTIPAÇÃO
→ SII COM DIARREIA
→ SII COM CONSTIPAÇÃO E DIARREIA
→ SII INDEFINIDA
MIGRÂNEA ABDOMINAL CUMPRIR OS 6 CRITÉRIOS AO MENOS 2 VEZES EM 6 MESES
TRATAMENTO - PA: repouso + AINE + analgésico
- Prevenção (se necessario): pizotifeno / ciproheptadina /
amitriptilina / propranolol
1) Dor abdominal paroxística periumbilical / linha média / difusa, dura ≥ 1hora, é queixa mais importante
2) Período intercrítico de semanas a meses
3) A dor é incapacitante e interfere nas atividades diárias
4) Sintomas e padrões nas crises são idênticos em cada paciente
5) Dor associa ≥ 2:
Anorexia / Náuseas / Vômitos / Cefaleia / Fotofobia / Palidez
6) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Os mecanismos são os mesmos da migrânea neurológica, assim o tratamento será o mesmo
- Sinais prodrômicos e melhora com terapêutica anti-migranosa reforça diagnóstico
- Causas: estresse / fadiga / viagens

DOR ABDOMINAL FUNCIONAL CUMPRIR OS 3 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 2 MESES, 4 DIAS/MÊS
NÃO ESPECIFICADA
TRATAMENTO - Afastar sinais de alarme
- Sintomáticos
- Probióticos
- Antidepresivos
- Mudança comportamental
1) Dor abdominal episódica e contínua, não ocorre somente em eventos fisiológicos (ex: comer, mastigar)
2) Não preenche critérios de SII, DF, MA
3) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Muito relacionado a estresse psicológico, frequentemente há queixa som ética extra-intestinal
- Não exige exames diagnósticos
ROMA IV (2016)
4 ANOS → 18 ANOS

TRANSTORNOS DE DEFECAÇÃO FUNCIONAIS


CONSTIPAÇÃO FUNCIONAL CUMPRIR ≥ 2 POR PELO MENOS 1 MÊS, EXCLUIDO SII
TRATAMENTO JPGN 2014; 58: 258–274:

Educação → Fármaco VO/VR → Reeducação →


Potencializar fármaco → APLV?

- Medidas: compressa quente / massagem / treino toalte


- Educação: Fluido / Fibra / Físico / Fat (azeite)
- Desimpactação:
- PEG 4000 (>6 meses): 1-1,5 g/kg/dia, 1-6 dias
- Enema (2ª linha): 1x/dia, 3-6 dias
- Manutenção:
- PEG 3350 (>6 meses): 0,2-0,8 g/kg/dia, 2 meses
- Lactulose (2ª linha): 1-2 g/kg/dose, 1-2x/dia
- Óleo mineral (2ª linha):
- 1-2 anos: 6 ml/kg/dose, 1-2x/dia
- 2-11 anos: 30-60 ml, 1x/dia
- > 11 anos: 60-150 ml, 1x/dia
- APLV? = ensaio de suspender PV 2-4 semanas
1) ≤ 2 evacuações semanais
2) História de retenção fecal excessiva voluntária e/ou postura de retenção
3) História de evacuação dolorosa ou com fezes duras
4) História de fezes volumosas que obstruem o vaso sanitário
5) Presença de grande massa fecal retal
6) ≥ 1 episódio semanas de incontinência fecal (soiling)
JPGN 2014; 58: 258-274:
- Toque retal diagnóstico, RX/US abdominal: contra-indicados

INCONTINENCIA FECAL NÃO CUMPRIR 3 CRITÉRIOS POR PELO MENOS 1 MÊS


RETENTIVA (ENCOPRESE)
TRATAMENTO - Acompanhamento psicológico
1) Idade compatível e distúrbio psicológico associado
2) Evacuação em lugares impróprios ao ponto de vista sociocultural
3) Sem evidência de retenção fecal
4) Após avaliação médica apropriada, são afastadas todas as outras possíveis causas
- Investigar:
→ História de constipação / idade de início / tipo e quantidade de material evacuado / história dietética / medicações
em uso / coexistência de sintomas urinários / comorbidades psicossocial / estresse pessoal ou familiar
- Exame físico:
→ Abdominal / neurológico / perineal
TRÂNSITO

0 - 1 ANO BEBÊ CONFORTO / BANCO TRASEIRO / DE COSTAS / 45°


1 - 4 ANOS CADEIRINHA / BANCO TRASEIRO
4 – 7,5 ANOS ASSENTO ELEVADO COM ENCOSTO / BANCO TRASEIRO
7,5 – 10 ANOS BANCO TRASEIRO
> 10 ANOS BANCO TRASEIRO OU DIANTEIRO

0 - 1 ANO 1 - 4 ANOS
CARDÁPIO
1 – CEREAIS
ARROZ | MACARRÃO | MILHO | AVEIA

2 – LEGUMES
CHUCHU | JILÓ | ABÓBORA | ABOBRINHA | BERINJELA

3 – TUBÉRCULOS
MANDIOCA | CENOURA | CARÁ | BETERRABA | BATATA

4 – LEGUMINOSAS
FEIJÃO | LENTILHA | ERVILHA | GRÃO DE BICO | VAGEM

5 – FOLHAS
AGRIÃO | RÚCULA | ALFACE | COUVE | ESPINAFRE

6 – PROTEÍNAS
CARNE BOVINA | CARNE DE FRANGO | PEIXE | OVO COZIDO

OBSERVAÇÕES DA PAPA SALGADA


- CADA PORÇÃO DEVE SER DO TAMANHO DA PALMA DA MÃO DA CRIANÇA
- 1 COMPONENTE DE CADA PORÇÃO POR DIA E IR VARIANDO CADA DIA.
- NÃO MISTURAR AS PORÇÕES, A FIM DE A CRIANÇA SENTIR O GOSTO ESPECÍFICO DE CADA ALIMENTO EM SEPARADO
- NÃO USAR SAL OU EXCESSO DE ÓLEO
- NÃO BATER A COMIDA NO LIQUIDIFICADOR
- NÃO OFERECER LÍQUIDOS JUNTO ÀS REFEIÇÕES E FAZÊ-LAS EM MESA SEM TELEVISÃO
- PARA SABER QUE A CRIANÇA NÃO GOSTA, É NECESSÁRIO QUE ELA REJEITE O ALIMENTO 10 VEZES EM REFEIÇÕES DISTINTAS
- OVO COZIDO: 3 VEZES NA SEMANA. INICIAR COM METADE, NA PROXIMA REFEIÇÃO OFERECER INTEIRO
- CARNES: DESFIADA OU MOÍDA E CERTIFICAR DE QUE CRIANÇA ENGOLIU
- NÃO OFERECER LEITE 1 HORA ANTES E 1 HORA DEPOIS DA REFEIÇÃO

PAPA DE FRUTAS
- PARA CADA PAPA PROCURAR USAR FRUTAS DIFERENTES
- FAZER A PAPA COM A FRUTA INTEIRA E OFERECER ATÉ QUE A CRIANÇA NÃO QUEIRA MAIS
- AMASSAR A FRUTA A SER OFERECIDA. CASO POSSÍVEL, COM CASCA
- NÃO BATER NO LIQUIDIFICADOR OU SUBSTITUIR POR SUCO
- NÃO ADICIONAR AÇUCAR

OBSERVAÇÕES GERAIS
- NÃO OFERECER: CAFÉ, FRITURAS, REFRIGERANTES
- NÃO OFERECER ANTES DE 1 ANO: LEITES QUE NÃO MATERNO E DERIVADOS DO LEITE COM PERMIÇÃO DO PEDIATRA, MEL
- NÃO OFERECER ANTES DE 2 ANOS: DOCES, FRITURAS, CHOCOLATE
- NÃO OFERECER ANTES DE 4 ANOS: DANONINHO

ROTEIRO
07H – LEITE | 09H – PAPA DE FRUTA | 12H - PAPA SALGADA
15H - LEITE | 17H - PAPA DE FRUTA | 20H - PAPA SALGADA | 22H – LEITE
--- ROUPAS DE CAMA, VESTIMENTAS E TOALHAS ---

- Somente vestimentas leves de algodão.


- Somente lavar com detergente ou sabão líquido com pH neutro.
- Sempre lavar antes de usar pela primeira vez.
- Sempre lavar se há muito tempo guardadas.
- Usar capas de colchão e de travesseiro impermeáveis e anti-ácaros. Trocar semanalmente.

--- AMBIENTE ---

- Manter ambiente e quarto arejados, frescos e ensolarados.


- Usar apenas pano úmido, sem varrer a casa, pois levanta a poeira do chão.
- Evitar ar condicionado.
- Retirar tapetes, carpetes e pelúcias pois acumulam poeira e ácaros.
- Preferir brinquedos de plástico. Lavar antes do uso se estiver empoeirado.
- Preferir cortinas possíveis de lavar semanalmente ou de plástico.
- Animais devem ser mantidos no quintal, jamais sobre cama ou sofá.
- O contato com fumantes deve ser desencorajado. Ao fumar, um cigarro que seja: imediatamente tomar banho,
escovar os dentes e trocar de roupas antes de entrar no mesmo ambiente da criança pois ela é sensível e o poluente
permanece no corpo após o uso.

--- CUIDADOS GERAIS ---

- Usar somente sabonetes de pH neutro.


- Usar somente desodorantes roll-on e sem fragrância.
- Perfumes não devem ser usados
- Evitar condimentos, bebidas alcóolicas e bebidas muito quentes

--- O BANHO ---

- Usar água morna, à temperatura corporal (temperatura de 27-30 °C).


- O banho é um momento de interação mãe-criança e deve ser prazeroso, assim o tempo entre 5-10 minutos (2 a 4
músicas) pode ser utilizado, com aplicação de sabonete e xampu neutros apenas no final. Em seguida, deve-se
enxaguar e enxugar sem atritar a toalha contra o corpo da criança.
- Os hidratantes devem ser aplicados com a pele ainda úmida nos primeiros minutos após o banho, sem atrito. Essas
medidas evitam a desidratação da epiderme.