Você está na página 1de 12

1

Instituto Superior Politécnico de Songo


Índice Pág.

1. Introdução ............................................................................................................... 2

2. Objetivos gerais ...................................................................................................... 3

2.1. Objetivos específicos ...................................................................................... 3

3. Conceitos ................................................................................................................ 4

4. Funcionamento de uma Central Fotovoltaica ...................................................... 5

5. Critério para escolha do Local para Instalação de uma Central Solar ............... 5

6. Determinação de Potência a Instalar Numa Central Fotovoltaica ...................... 6

7. Tipos de Peineis Solares ....................................................................................... 7

7.1. Células de Silício Amorfo ................................................................................ 7

7.2. Células mono-cristalinas ................................................................................. 7

7.3. Células poli-cristalinas .................................................................................... 8

8. Critérios de escolha de um painel solar ............................................................... 9

9. Esquema básico de um sistema fotovoltaico ...................................................... 9

10. Limitações de sistemas solares. ...................................................................... 10

10.1. Vantagens da energia solar ....................................................................... 10

10.2. Desvantagens da energia solar ................................................................. 10

11. Conclusão .......................................................................................................... 11

12. 11. Bibliografia ................................................................................................... 12

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


2
Instituto Superior Politécnico de Songo
1. Introdução

O presente trabalho é de carácter investigativo e visa falar de um modo geral sobre sis-
temas fotovoltaicos, tratando alguns aspectos que tem haver com estes sistemas.

Uma central solar é uma estrutura capaz de produzir energia elétrica a partir da energia
solar. Neste trabalho estão descritos sobre a Central Solar, os seus conceitos, o seu
funcionamento, seus critérios e vantagens e desvantagens.

O trabalho esta organizado da seguinte maneira:


 Introdução;
 Desenvolvimento;
 Conclusão; e
 Bibliografia.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


3
Instituto Superior Politécnico de Songo
2. Objetivos gerais

 Trazer alguns conceitos importantes relacionados com sistemas fotovoltaicos.

2.1. Objetivos específicos

 Critérios para escolha do local param a instalação de uma central solar;


 Determinação da potência;
 Tipos de painéis solarem ou de módulos fotovoltaicos;
 Critério de escolha de um painel solar.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


4
Instituto Superior Politécnico de Songo
3. Conceitos

A central solar é uma forma de obtenção de energia ecológica, pois capta a luz do Sol e
a transforma em energia elétrica, sem causar danos ao meio ambiente.

Neste tipo de centrais solares, são utilizados painéis solares fotovoltaicos, que convertem
a energia solar em energia elétrica.

O armazenamento de energia elétrica produzida durante o dia em baterias é ainda rela-


tivamente pouco eficiente e, faz o uso de grande quantidade de baterias e estas possuem
vida limitada e devem ser recicladas para evitar a contaminação do meio ambiente.

A captação do sol é um dos processos mais importantes nos sistemas solares, abaixo
apresentamos os 2 métodos de captação‫׃‬

 Método direto→ significa que há, apenas uma transformação para fazer da energia
solar um tipo de energia útil para o homem.

Exemplo de aplicação

A energia solar atinge uma superfície escura e é transformada em calor, que aquecerá
uma quantidade de água, por exemplo - esse princípio é muito utilizado em aquecedores
solares.

 Método indireto→ significa que tem de haver mais de uma transformação para que
a energia se transforme em energia utilizável.

Exemplo de aplicação:

Sistemas que controlam automaticamente cortinas, de acordo com a disponibilidade de


luz do Sol.
De seguida mostraremos o princípio básico de como essa energia e gerada.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


5
Instituto Superior Politécnico de Songo
4. Funcionamento de uma Central Fotovoltaica

Quando a luz incide sobre uma célula fotovoltaica, os fotões que a integram chocam
contra os eletrões presentes nas estruturas de silício, fornecendo-lhes energia. No inte-
rior de cada célula, gera-se assim um fluxo de eletrões, a figura abaixo demonstra o
funcionamento desses sistemas.

5. Critério para escolha do Local para Instalação de uma Central Solar

A escolha do local para a instalação da central é de capital importância, pois esse será
um dos fatores dos quais a eficiência do sistema irá depender.

Alguns critérios imprescindíveis para a escolha de um local para a instalação de uma


central foto voltaica estão ilustrados abaixo.

 Locais com predominância do Sol;


 Grandes Área;
 Regiões menos assombradas (Locais Desertos).

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


6
Instituto Superior Politécnico de Songo
6. Determinação de Potência a Instalar Numa Central Fotovoltaica

Passos a seguir:

 Levantamento de carga → Esta fase é a mais importante pois é com base na po-
tência levantada que será determinado o consumo da carga.
 Cálculo do consumo em (Ah) → cálculo do consumo com base diária suportando
sazonalidade para cargas CA e CC, utilização dos fatores de eficiência para conver-
são de potência.

Potência mínima do gerador (Wp)

𝑨𝒉
𝒄𝒐𝒏𝒔𝒖𝒎𝒐 𝒕𝒐𝒕𝒂𝒍( )×𝑽𝒎𝒑𝒎𝒐𝒅𝒖𝒍𝒐
𝒉
Potência mínima do gerador (Wp)= 𝒉𝒐𝒓𝒂𝒔 𝒆𝒒𝒖𝒊𝒗𝒂𝒍𝒆𝒏𝒕𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒔𝒐𝒍 𝒑𝒍𝒆𝒏𝒐×𝒇𝒂𝒄𝒕𝒐𝒓 𝒅𝒆 𝒑𝒆𝒓𝒅𝒂𝒔 𝒆 𝒔𝒆𝒈𝒖𝒓𝒂𝒏𝒄𝒂

Onde‫׃‬

Potência mínima do gerador em (Wp)→ potência mínima do conjunto total de mó-


dulos necessária para produzir a energia solicitada pela carga.

Consumo total em (Ah/dia)→normalmente faz se uma tabela, onde teremos as car-


gas, a potencia de cada uma delas, as horas de funcionamento dessas cargas, de se-
guida teremos a potencia total do sistema bem como o consumo total resultando do so-
matório dos consumos individuais das cargas.

Vmp do módulo → tensão de máxima potência do módulo a ser utilizado ou dos


módulos, normalmente 17,4V em sistemas de 12V.

Fator de perdas e segurança →temos que ter em conta a redução da geração do


módulo devido ao envelhecimento e outros aspetos técnicos, tolerância na fabricação do
módulo, temperatura de trabalho, poeira, degradação, sombras, desalinhamentos, per-
das na bateria, no controlador, incerteza sobre consumo, etc. valor típico e de 0.8.

Horas equivalentes de sol → dependem da latitude e de nível de nuvens do local.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


7
Instituto Superior Politécnico de Songo
Considerar o nível medio do mês mais critico no plano escolhido para instalar os módu-
los, os módulos devem ter uma inclinação que privilegie o pior mês. Considerar entre 3,5
e 4.

7. Tipos de Peineis Solares

7.1. Células de Silício Amorfo

As células de silício amorfo são as que apresentam o custo mais reduzido, mas em
contrapartida o seu rendimento elétrico é também o mais reduzido (aproximadamente
8% a 10%, ou 13% em laboratório).

As células de silício amorfo são películas muito finas, o que permite serem utilizadas
como material de construção, tirando ainda o proveito energético.

7.2. Células mono-cristalinas

Este tipo de células fotovoltaicas representa a primeira geração. O seu rendimento


elétrico é relativamente elevado (aproximadamente 16%, podendo subir até cerca de
23% em laboratório), mas as técnicas utilizadas na sua produção são complexas e caras.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


8
Instituto Superior Politécnico de Songo
Por outro lado, é necessária uma grande quantidade de energia no seu fabrico, de-
vido à exigência de utilizar materiais em estado muito puro e com uma estrutura de cristal
perfeita.

7.3. Células poli-cristalinas

As células poli-cristalinas têm um custo de produção inferior por necessitarem de


menos energia no seu fabrico, mas apresentam um rendimento eléctrico inferior (entre
11% e 13%, obtendo-se até 18% em laboratório). Esta redução de rendimento é causada
pela imperfeição do cristal, devido ao sistema de fabrico.

Figura 3 – Célula de silício amorfo

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


9
Instituto Superior Politécnico de Songo
8. Critérios de escolha de um painel solar

OS critérios a ter em conta na escolha de um painel solar são:

 Eficiência do Painel;
 Térmicos;
 Tipo de Painel Fotovoltaico;
 Custo do Painel Fotovoltaico;
 Garantia do Painel Fotovoltaico.

9. Esquema básico de um sistema fotovoltaico

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


10
Instituto Superior Politécnico de Songo
10. Limitações de sistemas solares.

Como todos sistemas de energia a fotovoltaica também tem as suas vantagens e des-
vantagens. Abaixo ilustramos algumas vantagens e desvantagens do sistema.

10.1. Vantagens da energia solar

 A energia solar não polui durante seu uso.


 As centrais necessitam de manutenção mínima.
 Os painéis solares são a cada dia mais potentes ao mesmo tempo que seu custo
vem decaindo. Isso torna cada vez mais a energia solar uma solução economica-
mente viável.
 A energia solar é excelente em lugares remotos ou de difícil acesso, pois sua
instalação em pequena escala não obriga a enormes investimentos em linhas de
transmissão.

10.2. Desvantagens da energia solar

 Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação climatérica


(chuvas, neve), além de que durante a noite não existe produção alguma, o que
obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o
dia em locais onde os painéis solares não estejam ligados à rede de transmissão
de energia.
 Locais em latitudes médias e altas sofrem quedas bruscas de produção durante
os meses de Inverno devido à menor disponibilidade diária de energia solar.
 Locais com frequente cobertura de nuvens, tendem a ter variações diárias de pro-
dução de acordo com o grau de nebulosidade.
 As formas de armazenamento da energia solar são pouco eficientes quando com-
paradas por exemplo aos combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás), e a ener-
gia hidroelétrica (água).
 Os painéis solares têm um rendimento de apenas 25%.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


11
Instituto Superior Politécnico de Songo
11. Conclusão

Findo, o trabalho podemos concluir que os sistemas foto voltaicos têm vindo a desem-
penhar um papel importantíssimo no capítulo das energias.

Numa altura em que o grande desafio tem sido cada vez mais de abandonar as fontes
de energia não renováveis e poluentes, tais fontes tem contribuído significativamente
para a destruição da camada de ozono. O grande desafio do homem tem sido de arranjar
soluções limpas, viáveis e amigas do homem para a geração da energia elétrica.

Embora a fotovoltaica tenha algumas desvantagens já mencionadas (no trabalho) elas


podem surgir como alternativas de grande valia para o fornecimento de uma energia
limpa.

Para melhorar a eficiência desses sistemas, uma manutenção é indispensável, abaixo


indicamos uma recomendação a para manter o painel solar comum bom rendimento.

 Verificação de existência de poeiras, dejetos de pássaros ou outros detritos que es-


tejam sobre os painéis fotovoltaicos.

É importante analisar a existência destas sujidades pois estas podem influenciar signifi-
cativamente na produção de energia.

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas


12
Instituto Superior Politécnico de Songo
12. 11. Bibliografia

 CALDEIRA, Helena, BELLO, Adelaide, Ontem e Hoje – Física 10, Porto Editora,
Porto, 2008, pp. 8 até 13.
 CUBAL, Francisco, Energias Renováveis em Vila Real, 2009, artigo elaborado no
âmbito da disciplina de Biologia e Geologia, 10º Ano.

Internet:

 http://www.nrel.gov/
 http://www.labeee.ufsc.br/
 http://www.brigansol.pt/

Eng. Eléctrica Centrais Fotovoltaicas