Você está na página 1de 28

Olá.

Se você ainda não me conhece e está baixando esse livro virtual,


provavelmente também não conheça a área que, na minha opinião,
é a melhor de todas para o jovem advogado ou para quem busca
uma alternativa para monetizar seu escritório em poucos dias.

Mas antes que você tire conclusões antecipadas, saiba que tudo o
que eu vou te dizer é fruto do meu dia a dia como advogado,
como também fruto de meus erros e acertos desde o início de
minha carreira.

Meu nome é Vagner Oliveira, sou advogado especialista em Direito


de Trânsito, professor da Academia do Direito de Trânsito,
consultor, mentor e palestrante.

Meus vídeos e artigos já foram visualizados por quase um milhão


de pessoas e são muito utilizados por profissionais da área, por
professores de direito de trânsito e principalmente por advogados
que estão iniciando sua carreira jurídica.

Nos últimos anos tenho me dedicado a mostrar como o Direito de


Trânsito vem ganhando destaque e porquê tantos advogados estão
migrando para essa área, que já é a principal fonte de honorários
imediatos de muitos escritórios de advocacia.

Essa talvez seja a grande oportunidade que muitos advogados


estão buscando, de obter honorários imediatos e constantes sem
ter que se importar com a concorrência, pois como costumo dizer,
no Direito de Trânsito a concorrência é irrelevante.

Então, boa leitura e “comece a pensar fora da caixinha”.

Um forte abraço.

Vagner Oliveira.
Cinco anos de faculdade, muitas provas,
TCC, colação de grau, cursinhos para exame
de ordem, prova da OAB, compromisso (não
juramento) da advocacia e finalmente, a tão
sonhada Carteira do Advogado.

E depois disso tudo, uma única dúvida:

E AGORA, O QUE É QUE EU FAÇO?


Segundo dados da OAB, 30% dos escritórios
de advocacia abertos no Brasil durante o ano
de 2018 encerraram as atividades antes de
completarem um ano de atividade, devido à
falta de clientes.

E a maior parte desses profissionais não


pensam em continuar com a profissão de
advogado.
A maioria desses escritórios não tinham uma área de
especialidade jurídica e atuavam em todas as áreas, o
que tradicionalmente é conhecido como “advogado
clínico geral”.

O problema é que essas áreas (trabalhista, cível,


criminal, previdenciário, consumidor) além da enorme
concorrência, já possuem profissionais de destaque que
dominam esses setores.

Nesses casos, fica para o advogado iniciante,


geralmente, as “sobras de mercado”, que são
constituídas por clientes que estão procurando por
“preço” em vez de qualidade de serviços.

E se o seu preço não for o mais barato e com


recebimento de honorários somente ao término da
demanda, você não terá esse cliente.
O ideal, entretanto, é atuar em uma área
que tenha rendimentos IMEDIATOS,
para conseguir manter a estrutura de sua
advocacia, pois os custos do seu
escritório são mensais.

Mas onde encontrar essa área?

Essa é a pergunta que nenhuma


faculdade vai te responder!
O DIREITO DE TRÂNSITO
“O DIREITO DE TRÂNSITO É A
MELHOR ÁREA PARA O
ADVOGADO QUE ESTEJA
INICIANDO SUA CARREIRA
JURÍDICA OU MONTANDO SEU
ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA”
(Vagner Oliveira).
Se você não acompanha os meus posts, você deve
estar “torcendo o nariz” para essa afirmação, afinal
você sequer estudou sobre essa área do direito nos
cinco anos de faculdade e possivelmente não tem
noção da dimensão dessa área. Mas pense bem,
vamos fazer uma análise rápida:

Quantos advogados em sua cidade atuam na área


cível, criminal, trabalhista ou previdenciário?
Provavelmente 99% de todos os advogados.

E quem é o advogado mais lembrado quando o


assunto é direito do trabalho? E quando o assunto é
defesa do consumidor? E criminalista? E quando o
assunto é direito previdenciário?

Se o seu nome não aparece em nenhuma das


respostas, isso significa que já existe um NÚMERO
UM nessas áreas.
Agora, responda uma outra pergunta:

Quem é o melhor ADVOGADO DE


TRÂNSITO de sua cidade ou
região?
Então, antes de tirar suas conclusões e
começar a atuar nas áreas em que todos os
advogados estão atuando, preste atenção no
que eu vou explicar e “deixe de seguir a
boiada”.

A área do Direito de Trânsito foi uma das que


mais cresceu nos últimos 2 anos.

Então continue lendo e abra sua mente


para novas perspectivas.
Mas o que é o Direito de
Trânsito?

Ao contrário do que muitos imaginam, o Direito de


Trânsito não se resume a recursos de multa e seguro
DPVAT.

O advogado de trânsito atua diretamente com


situações que afetam o direito de dirigir dos
condutores, como penalidades de suspensão do direito
de dirigir, cassação de habilitação, perda da carteira
provisória.

Mas não se limita apenas às sanções administrativas,


pois o Direito de Trânsito engloba também os CRIMES
DE TRÂNSITO, como embriaguez, racha, homicídios e
lesões corporais em acidentes.

E também encontra a vertente cível, como nas ações de


cobrança contra seguradoras, indenizações contra
concessionárias e financeiras, reconhecimento de venda
de veículo, apresentação de condutor fora do prazo e
muitas outras.
Mas posso dizer, com base nesses mais de
15 anos atuando com o Direito de Trânsito,
que as ações mais rentáveis dizem respeito
à Suspensão e Cassação de habilitação,
perda da carteira provisória e embriaguez
ao volante.

São ações bastante simples e que


proporcionam alta rentabilidade para o
Advogado de Trânsito, como veremos a
seguir.
HONORÁRIOS IMEDIATOS

O grande problema das áreas “tradicionais” do direito


é o recebimento mediato (a longo prazo) dos
honorários.

O Direito de Trânsito, por outro lado, trabalha com


honorários IMEDIATOS, tendo em vista a natureza
das ações judiciais dessa área.

Como dirigir é uma necessidade, ainda mais quando


se trata de condutores profissionais (motoristas de
caminhão, transporte coletivo, táxis, uberes,
motoboys, etc.) a relação “demanda x preço”
funciona em favor do advogado de trânsito.
A “demanda” de condutores penalizados com
suspensão, cassação de habilitação, perda da carteira
provisória ou fiscalizados na “lei seca” é extremamente
alta e continua crescendo.

Junte-se a isso as recentes alterações do Código de


Trânsito Brasileiro, que tornaram as penalidades ainda
mais rigorosas, como a suspensão de 6 (seis) meses por
acúmulo de pontos, fez com que a procura por
profissionais especializados praticamente
quadruplicasse nos últimos dois anos.
Como o número de profissionais que atuam no direito de
trânsito representa menos de 0,5% do número de
advogados atuantes no Brasil, na cobrança dos
honorários quem dita os valores que serão cobrados
e a forma de pagamento é o advogado, vez que não
existe concorrência.

Ou seja, “não existe barganha nos valores dos


honorários”.
MAS QUANTO COBRA UM ADVOGADO DE TRÂNSITO?

Como estamos falando de um documento essencial ao


condutor, costumo dizer que os honorários devem ser
proporcionais à disponibilidade de seu cliente.

Então, a pergunta correta não é quanto você deve cobrar


pelos seus honorários e sim QUANTO VALE O DIREITO
DE DIRIGIR DE SEU CLIENTE?

A noção de CARO ou BARATO varia conforme o grau de


necessidade de seu cliente.

Se o seu cliente não tem necessidade de dirigir e pode


cumprir uma suspensão ou cassação a qualquer tempo e
isso não lhe trará maiores problemas, por menos que você
cobre, ele ainda achará caro os seus honorários.

De outro lado, aquele cliente que tem necessidade de dirigir


e não pode em hipótese alguma entregar o documento para
cumprir uma suspensão ou cassação, não irá se indispor
contra os valores de seus honorários, por mais caro
que possam parecer.

Então, tenha em mente que os seus honorários devem ser


baseados e direcionados aos clientes que realmente
precisam de uma solução para um problema e estão
dispostos a pagar por isso.
Como se trata de questões subjetivas, sugiro cobrar
de acordo com a tabela de honorários da OAB/SP,
uma das poucas que sugerem preços para a área do
Direito de Trânsito.
E, segundo estimativas do DENATRAN,
cerca de 200 carteiras são cassadas e
mais de 1.500 são suspensas todos os
anos em cidades de médio porte, que
possuem entre 100.000 a 250.000
habitantes.

E quem, na sua cidade, está atendendo a


essa demanda?
MAS ONDE ESTÃO OS CLIENTES?
A grande vantagem do direito de trânsito é que as
características do cliente que o advogado está buscando
são as mesmas de outros setores profissionais que estão
envolvidos indiretamente com a área, o que proporciona a
chamada “parceria de compartilhamento de clientes”.

Diferentemente das outras áreas, onde o advogado fica


“esperando” para que o cliente entre em seu escritório,
por sorte ou porque foi indicado por um parente, no Direito
de Trânsito o cliente é direcionado para o seu escritório
através de seus parceiros comerciais.
Como os clientes têm sempre a mesma característica
(1. Foram multados na Lei seca; 2. Tiveram o direito de
dirigir suspenso; 3. Tiveram a carteira de habilitação
cassada; 4. Tiveram a carteira provisória cancelada; 5.
Venderam um veículo e estão sendo penalizados com
multas cometidas pelo atual comprador; 6. São pessoas
jurídicas penalizadas com multas por não indicar condutor),
fica fácil encontrá-los, pois são os mesmos clientes de
Autos Escolas, Despachantes, Sindicatos do
Transporte, Associação de Transportadoras.

E quantas auto escolas existem em sua cidade? Várias. E


quantos despachantes? Dezenas. E quantos sindicatos ou
associações da área de transportes? Inúmeros.

Então, se você já sabe onde


encontrá-los, esses clientes já estão
esperando por você.
E como são as audiências nessa
área?
Como as ações são ajuizadas, geralmente, contra um
órgão de trânsito, no juizado especial da fazenda pública e
esses órgãos não podem transacionar, não existe
audiência de conciliação e como são provas
documentais, permite o julgamento antecipado da lide,
sem audiência de instrução.

Entendeu? Não há audiência de conciliação e instrução.

Ou seja, o tempo gasto pelo advogado em uma ação de


Direito de Trânsito é, em média, de 3 horas, desde o
atendimento ao cliente até a sentença final.

Por isso, uma ação de CASSAÇÃO DE HABILITAÇÃO,


onde se cobra em média R$ 3.500 (três mil e quinhentos
reais) representa um lucro de quase 800% por ação, já
que o advogado economiza o seu tempo para produzir
outras peças para o seu escritório.
E quais são os riscos para o meu cliente?

As ações do Direito de Trânsito, em sua grande maioria,


são ajuizadas no Juizado Especial da Fazenda Pública ou
no Juizado Especial Cível.

Isso significa que não há o pagamento de custas judiciais e


nem a condenação em honorários de sucumbência no
primeiro grau.

Em outras palavras:

O RISCO PARA O SEU CLIENTE

É ZERO.
Isso parece BOM DEMAIS para ser verdade. Mas será que
é para mim?

Essa dúvida é realmente pertinente.

As faculdades nos moldam para


sermos advogados das áreas
tradicionais e rechaçarmos a
ideia de que outras áreas do
Direito, fora aquelas estudas na
grade curricular, podem ser
realmente vantajosas.

Sempre que me perguntam se “qualquer um” pode atuar com


Direito de Trânsito eu costumo dizer que não, se você é
“QUALQUER UM”, essa não é uma área para você.

Agora, se você quer se destacar, quer ser lembrado como


o melhor profissional ou reconhecido por ser um
ADVOGADO DE TRÂNSITO, então, sim, essa é a área ideal
para você começar a atuar.
CONCLUSÃO

O Direito de Trânsito é uma área emergente, com clientes em


abundância, sem concorrência (por enquanto), com cobrança de
honorários imediatos, que não requer a participação do advogado
em audiência de conciliação ou instrução e com ações de baixo
custo.

Por todas essas características, na minha opinião, o Direito de


Trânsito é a melhor área de atuação para advogados que
estejam iniciando sua carreira jurídica ou que desejam
montar o seu primeiro escritório de advocacia.

VAGNER OLIVEIRA

Professor da Academia do Direito de Trânsito.

Advogado de Trânsito.

Todos os direitos reservados a

www.academiadodireitodetransito.com

Copyright 2018.
Quer saber mais sobre Direito de Trânsito?

Me siga nas redes sociais:

httwww.facebook.com/vagneroliveiraadv

https://www.youtube.com/channel/UCYJZGUvYbue3hIFrzepggTw

www.instagram.com/academia_dodireito_de_transito

www.academiadodireitodetransito.com