Você está na página 1de 2

Novena de Pentecostes Quarto dia

O dom do Conselho
“O Conselho é uma luz pela qual o Espírito Santo mostra o que é preciso fazer no
tempo, no lugar e nas circunstâncias nas quais alguém se encontra” (Leão Dehon,
OSP 3, p. 555).
Canto
Espírito, Espírito, Espírito Santo de Deus. Espírito, Espírito, Espírito Santo de Deus.
Vem controlar todo o meu ser, vem dirigir o meu viver. O meu pensar, o meu falar, o
meu sentir, o meu agir. Espírito, Espírito, Espírito Santo de Deus. Espírito, Espírito,
Espírito Santo de Deus.
Heb. 01: Há um trecho do livro dos Salmos que diz: “Bendito o Senhor que me
aconselha; durante a noite a minha consciência me adverte” (Sl 16, 7). Este é outro
dom do Espírito Santo: o dom do conselho. Sabemos como é importante nos
momentos mais delicados, poder contar com sugestões de pessoas sábias e que nos
amam. Através do conselho é o próprio Deus, com o seu Espírito, que ilumina o nosso
coração, fazendo com que compreendamos o modo justo de falar e de nos
comportarmos, e o caminho que devemos seguir. Mas como age este dom em nós?
Heb. 02: No momento em que o recebemos e o hospedamos no nosso coração, o
Espírito Santo começa imediatamente a tornar-nos sensíveis à sua voz e a orientar
os nossos pensamentos, sentimentos e intenções segundo o coração de Deus. Ao
mesmo tempo, leva-nos cada vez mais a dirigir o olhar interior para Jesus, como
modelo do nosso modo de agir e de nos relacionar com Deus Pai e com os irmãos.
Portanto, o conselho é o dom com o qual o Espírito Santo torna a nossa consciência
capaz de fazer uma escolha concreta em comunhão com Deus, segundo a lógica de
Jesus e do seu Evangelho. A condição essencial para conservar este dom é a oração.
Voltamos sempre ao mesmo tema: a oração! E com a oração damos espaço para
que o Espírito venha e nos ajude naquele momento, nos aconselhe sobre o que
devemos fazer. A oração! Nunca esquecer a oração. Nunca! Aproveitemos todos
momentos para rezar a fim de que o Espírito nos conceda o dom do conselho. (Papa
Francisco)
Todos: Senhor, tenho imensa necessidade deste dom do vosso Coração, o
Conselho. Sinto que ele está à minha disposição, mas ajudai-me a estar mais
vigilante no que se refere à pureza do meu coração, à união convosco, à docilidade
à vossa graça. Ajudai-me, por intercessão de Maria, a Mãe do bom Conselho. (cf.
Leão Dehon, OSP 3, p. 561).
Leitura dehoniana
Coro 01: O conselho é um ato de prudência, que prescreve a escolha dos meios para
chegar a um fim. Assim o dom de conselho diz respeito à direção das ações
particulares.
Coro 02: É uma luz pela qual o Espírito Santo mostra o que é preciso fazer no tempo,
no lugar e nas conjunturas nas quais alguém se encontra. O que a fé, a sabedoria e
a ciência ensinam em geral, o dom de conselho aplica-o aos casos particulares. No
que é fácil ver como nos é necessário para a prática da virtude.
Coro 01: A conduta mais segura para a vida quotidiana é, portanto, a que se recebe
do Espírito Santo pelo dom de conselho, e não deveríamos seguir outro.
Coro 02: Primeiro, porque seguindo-a, estamos seguros de caminhar na via de Deus
e da sua divina Providência;
Coro 01: segundo, porque é o meio de nunca errar, o Espírito Santo sendo a regra
infalível tanto das nossas ações como dos nossos conhecimentos;
Coro 02: terceiro, porque esta dependência da direção do Espírito Santo faz-nos
viver num grande repouso, sem inquietação e sem cuidado, como os filhos de um
príncipe, que não se preocupam a respeito da mesa, nem do seu sustento,
repousando em tudo isto no cuidado do príncipe seu pai.
Coro 01: A união habitual ao coração de Jesus mantém-nos na fonte do conselho
como dos outros dons” (Leão Dehon, OSP 3, p. 555).

Oração Veni Creator

Vinde Espirito Criador, Os corações enchei de amor.


As nossas almas visitai Nossa fraqueza encorajai
E enchei os nossos corações Qual força eterna e protetor.
Com vossos dons celestiais. Nosso inimigo repeli e
Vós sois chamado o intercessor, E concedei-nos vossa paz.
Do Deus excelso o dom sem par. Se pela graça nos guiais
A fonte viva, o fogo, o amor, O mal deixamos para trás.
A unção divina e salutar. Ao Pai e ao Filho Salvador
Sois doador dos sete dons e Por vós possamos conhecer.
E sois poder na mão do Pai. Que procedeis do seu amor
Por Ele prometido a nós, Fazei-nos sempre firmes crer.
Por nós Seus feitos proclamai. Amém!
A nossa mente iluminai,