Você está na página 1de 12

ESTADO DO MARANHÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO – SEDUC


CENTRO DE ENSINO INTEGRAL
OLINDINA NUNES FREIRE – CEINONF
Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais

PROGRAMA DE AÇÃO 2017


E.E DOM ANIGER FRANCISCO DE MARIA MELILLO
NOME: ESTELA CRISTINA LOPES MOTA
Diretor: Maria Elisa Cancin Souza
Vice-Diretor: Simone Morales
PCA de Códigos e Linguagens: Mara Campacce
FUNÇÃO: PEBII
Professor de língua Inglesa, Projeto de Vida e Eletiva

PCG: José Carlos da Fonseca


VIGÊNCIA: 2017 ÚLTIMA REVISÃO: _03_/_03_/2016
1- RELATO SOBRE A ESCOLA E A COMUNIDADE EM QUE ESTÁ INSERIDA
Na E.E. Dom Aniger Francisco de Maria Melillo sempre houve o problema de evasão escolar, dada a realidade socioeconômica na qual a escola está
inserida. Quando o aluno não abandonava a escola definitivamente, faltava demasiadamente. Umas das dificuldades que encontramos em todas as
disciplinas é quanto ao desenvolvimento da competência leitora e escritora – grande defasagem. Nas reuniões e eventos a parceria com os responsáveis
não atingia porcentagem de participação satisfatória. Na maioria das vezes a família não comparecia. (Hoje ainda a participação não é satisfatória,
porém houve um pequeno avanço, e temos pais conscientes que a escola melhorou e querem um futuro melhor para seus filhos). O Programa Ensino
Integral neste contexto veio para melhorar a realidade da escola e auxiliar a sanar as dificuldades dos alunos (projeto PEI implantado em 2014). Tal
programa nos dá condições físicas, temporais e ideológicas para o desenvolvimento de práticas pedagógicas necessárias para o melhor desenvolvimento
cognitivo e pessoal de nossos alunos. Esse novo modelo é um desafio educacional, que pretende formar jovens protagonistas, autônomos, solidários e
competentes, capazes de projetarem seus sonhos e aprimorarem-se como pessoa de sucesso na vida pessoal e profissional. O aluno é envolvido,
podendo desenvolver sua capacidade de projetar sua vida, tornando-se o ator principal. Com os resultados de aprendizagem dos alunos em 2013
percebe-se que houve uma regressão acentuada no índice de avaliação do IDESP/SARESP e da Aprendizagem dos alunos, o que muito preocupou toda
a Gestão e Equipe Escolar. A partir desses dados e, a implementação da Escola de Tempo Integral em 2014, os professores sentiram uma
responsabilidade maior em trabalhar com mais efetividade e eficácia as premissas (PEI), que permeiam a necessidade de melhorar a qualidade de ensino
dos alunos desta U.E. Hoje podemos acompanhar este progresso que é visível através dos indicadores das Avaliações internas e externas como SARESP
e PROVA BRASIL, desde 2014 foi de 1,19% (SARESP/14); 2,49%(SARESP/15); 3,01(SARESP/16). EM 2015 foi de 3,7% (PROVA BRASIL/15) e a meta do
IDEB para este ano de 2017 é de 4,4% (PROVA BRASIL/17). E a nossa meta é de 3,22% (SARESP/17).

2 - RELATO INDIVIDUAL SOBRE O EXERCÍCIO DA SUA FUNÇÃO


Como professora de LEM, Projeto de Vida e Eletiva desta escola de ensino integral, minha função é atender as expectativas e necessidades para o
desenvolvimento integral dos alunos articulando oportunidades educativas capazes de atendê-las, atuar em sintonia com o Programa de ação da
escola, trabalhar de forma colaborativa com outros professores da escola, criando conversas interdisciplinar para compartilhar desafios e propor
estratégias articuladas que respondam às demandas do desenvolvimento integral. Ser atuante nas tutorias conhecendo o Projeto de Vida de cada aluno,
contribuir e incentivá-los na formação individual, autônomo, solidário e competente, capazes de projetarem seus sonhos, aprimorando como pessoa de
sucesso na vida pessoal e profissional, envolvê-los, no desenvolvimento e capacidade de projetarem sua vida, tornando-os ator principal. Conhecer os
interesses, e seus anseios, apoiá-los a alcançar seus objetivos, promover o protagonismo juvenil, para que se tornem autor e proponente do seu próprio
processo pedagógico. Ser um mediador, facilitador e articulador do conhecimento, provocando o aluno a aprender a partir de seus próprios
questionamentos. Colaborar com a equipe gestora no sentido de apontar necessidades de propor projetos e ações inovadoras e se envolver com
atividades do programa que extrapolem a sua sala de aula.

3- PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO


Considerar as atribuições específicas da função no Programa Ensino Integral – artigo 7º da Lei Complementar nº 1.164, de 4 de janeiro de 2012 alterada
pela Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012 e resolução SE 22/2012, art 3º.
São atribuições específicas dos professores das Escolas Estaduais de Ensino Fundamental de Período Integral, além daquelas inerentes ao respectivo cargo
ou função-atividade:
I - elaborar o seu programa de ação com os objetivos, metas e resultados de aprendizagem a serem atingidos; (NR).
II - organizar, planejar e executar sua tarefa institucional de forma colaborativa e cooperativa visando ao cumprimento do plano de ação das Escolas;
III - planejar, desenvolver e atuar na parte diversificada do currículo e nas atividades complementares; (NR)
IV - incentivar e apoiar as atividades de protagonismo juvenil, na forma da lei; (NR)
V - realizar, obrigatoriamente, a totalidade das atividades de trabalho pedagógico coletivas e individuais no recinto da respectiva escola; (NR)
VI - atuar em atividades de tutoria aos alunos;
VII - participar das orientações técnico-pedagógicas relativas à sua atuação na Escola e de cursos de formação continuada;
VIII - auxiliar, a critério do Diretor e conforme as diretrizes dos órgãos centrais, nas atividades de orientação técnico-pedagógicas desenvolvidas nas
Escolas;
IX - elaborar Plano Bimestral e Guias de Aprendizagem, sob a orientação do Professor Coordenador de Área; (NR).
X - produzir material didático-pedagógico em sua área de atuação e na conformidade do modelo pedagógico próprio da Escola;
XI - substituir, na própria área de conhecimento, sempre que necessário, os professores da Escola em suas ausências e impedimentos legais.
Parágrafo único - As atividades de trabalho pedagógico de que trata o inciso V deste artigo, poderão ser utilizadas para ações formativas, conforme
regulamentação específica. (Incluído pela Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012 )
4 – ALINHAMENTOS ENTRE ATRIBUIÇÕES
O alinhamento entre as disciplinas da área de Códigos e Linguagens será realizado pela Coordenadora de Área (PCA) em ATPCA e Horários de Estudo;
entre as diferentes áreas do conhecimento, será realizado pelo Professor Coordenador Geral (PCG), havendo elos entre as áreas, por meio de diferentes
professores durante as disciplinas de Eletivas, Projeto de Vida e ATPCs, É necessário também que haja o alinhamento da equipe gestora com todas as
áreas de conhecimento para que o processo ensino e aprendizagem transcorra de uma maneira mais clara e objetiva para a efetiva prática do Plano de
Ação da Escola. No exercício da minha função docente, procurarei sempre manter os alinhamentos com os professores das disciplinas da Base Nacional
Comum e com os professores das disciplinas e atividades da Parte Diversificada, das Atividades Complementares e Nivelamento; garantindo uma
linearidade na execução do Plano de Ação da Escola e favorecimento da evolução do Processo de Ensino e Aprendizagem dos alunos; desdobrado no
Programa de Ação. Para garantir que o entendimento e a prática do PDCA, como instrumento rotineiro da vida escolar, esteja presente nas ações
pedagógicas, procurarei atualizar-me sempre a partir dos momentos de formação continuada; levando em consideração: Visão, Missão, Valores,
Premissas do Programa, Corresponsabilidade, Replicabilidade e Princípios do PEI. Buscarei o apoio dos professores, envolvidos no programa, da PCA e
PCG nas ações e atividades voltadas à aquisição de habilidades e competências pelos alunos, identificadas nas avaliações internas e externas, facilitando
e acompanhando à introdução das iniciativas previstas na parte diversificada e da matriz curricular e, consequentemente, incentivarei, apoiarei e
monitorarei as práticas e vivências em Protagonismo Juvenil e Corresponsabilidade entre alunos na escola.

5 - COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NECESSÁRIAS PARA DESEMPENHAR AS ATRIBUIÇÕES (Caso exerça mais de uma função registre as
competências e habilidades necessárias separadamente)
1 - Busca conhecer os alunos em sua individualidade (Projeto de Vida, interesses, dificuldades e potencialidades.)
2-Mostra-se aberto a ouvir e apoia os alunos em seu processo de formação pessoal, acadêmica e profissional (por exemplo: dúvidas da disciplina,
aspectos pessoais, Projeto de Vida).
3- Utiliza práticas de ensino-aprendizagem que facilitam a aprendizagem pelo aluno (apresenta o conhecimento com clareza).
4-Realiza avaliação coerentes com o que foi trabalhado nas aulas (provas, trabalhos, nível de exigência na correção).
5Participa frequentemente de cursos de formação a fim de aprimorar o exercício de sua função (temas específicos à função ou ao Modelo Pedagógico e
de Gestão do Programa Ensino Integral)
6- Escuta abertamente as devolutivas recebidas e reavalia seus comportamentos e práticas.
7-Elabora o planejamento de suas ações de forma a contribuir para o alcance das metas do Plano de Ação da escola (identifica as necessidades de
aprendizagem dos alunos e usa os instrumentos necessários: Programa de Ação, Guias de Aprendizagem e Planos de Aula).
8- Revisa sua prática para atingir melhores resultados de aprendizagem
9 -Mostra-se próximo e constrói vínculo positivo com os alunos e profissionais da escola estando disponível dentro e fora da sala de aula.
10- Mostra-se disponível e orienta pais e/ou responsáveis sobre o desempenho escolar dos alunos, incentivando sua participação como corresponsáveis.
11- Disposição para testar novas práticas e atividades de modo a desenvolver o aluno (organização da sala de aula, forma de avaliação, novas
estratégias de ensino como debates, grupos colaborativos).
12-Pondera suas colocações tendo em vista o contexto (avalia o que é viável ou não dentro da realidade dos alunos e da escola, leva em consideração
o momento mais adequado).
13- Compartilha as boas práticas adotadas por ele e outros professores junto a outros profissionais da escola (novas estratégias de ensino, ações de
melhoria de aprendizagem, ações de apoio ao nivelamento etc).
14-Documenta as boas práticas adotadas, possibilitando o seu compartilhamento (experiências e ferramentas).

Descrever as competências a
PREMISSAS COMPETÊNCIAS serem desenvolvidas por
premissa
1 - Respeito à individualidade
dos alunos;
2 - Tem clareza que deve servir
de exemplo para os alunos;
1. PROTAGONISMO: Promove o protagonismo juvenil, ajudando a formar pessoas
PROTAGONISMO 3 - Desperta o interesse dos
autônomas, solidárias e competentes e sendo protagonista também de sua própria
alunos pelos estudos ouvindo,
atuação.
apoiando e orientando os alunos
preparando-os para sua vida
acadêmica e pessoal

1 - Possui conhecimento em sua


2. DOMÍNIO DO CONHECIMENTO E CONTEXTUALIZAÇÃO: Domínio de sua área
FORMAÇAO área de conhecimento
de conhecimento, sendo capaz de comunicá-la e contextualizá-la, relacionando-a com
CONTINUADA 2 - Organiza o conhecimento e
a realidade do aluno, à prática, às disciplinas da Base Nacional Comum, à parte
garante a aprendizagem dos
diversificada, às atividades complementares e aos Projetos de Vida.
alunos
3 - É capaz de contextualizar o
assunto de seu domínio,
relacionando-o com a realidade
do aluno
1 - Formação contínua:
disposição e proatividade ao
desenvolvimento contínuo.
2 - Devolutivas: solicita
devolutiva de sua atuação aos
3. DISPOSIÇÃO AO AUTODESENVOLVIMENTO CONTÍNUO: Busca contínua da alunos e aos profissionais para
aprendizagem e do desenvolvimento como pessoa e profissional, apresentando autodesenvolvimento,
predisposição para reavaliar suas práticas, tecnologias, ferramentas e formas de pensar. 3 - Disposição para mudança:
está aberto para o novo
(ferramentas, tecnologias,
conhecimentos e
Práticas) e apresenta disposição
para mudar.
1 - Planejamento: realiza o
planejamento de suas ações a
partir do diagnóstico, com
definição de metas coerentes
com o Plano de Ação da escola
(alinhamento vertical) e com os
Programas de Ação dos demais
4. COMPROMETIMENTO COM O PROCESSO E RESULTADO: Demonstra profissionais (alinhamentos
EXCELÊNCIA EM GESTÃO determinação para planejar, executar e rever ações, de forma a atingir os resultados vertical e horizontal).
planejados. 2 - Execução: realiza as ações de
aprendizagem e de gestão
planejadas.
3 - Reavaliação: reavalia
constantemente as ações
planejadas a partir da execução
das ações previstas e dos
resultados observados,
replanejando sempre que
necessário.
1 - Relacionamento e
colaboração: é capaz de criar
vínculos positivos e desenvolver
relacionamentos
Positivos. Colabora para um
bom clima de trabalho.
Apresenta disponibilidade para
ajudar outras pessoas.
5. RELACIONAMENTO E CORRESPONSABILIDADE: Desenvolve relacionamentos
2 - Corresponsabilidade: apoia o
positivos com alunos, professores, funcionários, direção, pais e responsáveis e atua de
CORRESPONSABILIDADE trabalho e formação dos colegas
forma corresponsável tendo em vista o desenvolvimento dos alunos e profissionais da
tendo em vista melhorar os
escola.
resultados conjuntos. Envolve e
mobiliza outras pessoas na
construção de projetos comuns.
Busca parcerias e incentiva a
participação dos pais e
responsáveis promovendo a
Corresponsabilidade pela
aprendizagem dos alunos
1 - Visão crítica: é capaz de
identificar avanços e pontos de
melhoria. Pondera suas
colocações, tendo em vista o
contexto.
2 - Foco em solução: tem foco
6. SOLUÇÃO E CRIATIVIDADE: Tem visão crítica e foca em solucionar os problemas que
REPLICABILIDADE na solução e não no problema.
identifica, criando caminhos alternativos sempre que necessário.
Propõe e implementa ações que
possam melhorar os resultados.
3 - Criatividade: disposição para
mudanças e flexibilidade para
adotar novas práticas e
tecnologias.
Quando identifica um problema
que não pode ser solucionado
por vias comuns, é capaz de criar
soluções alternativas.
Difunde e compartilha boas
7. DIFUSÃO E MULTIPLICAÇÃO: Difunde e compartilha boas práticas, considerando a
práticas, considerando a própria
própria atividade como parte integrante de uma rede.
atividade como parte integrante
de uma rede.
CONSIDERAÇÕES: Cada profissional dentro de sua função deverá observar as competências que ainda precisam ser desenvolvidas
apontadas na devolutiva da avaliação de desempenho. É importante ressaltar que essas competências não desenvolvidas devem constar
do PIAF de cada profissional. O quadro 5 foi preenchido com todas as competências, porém cada profissional de acordo com o seu PIAF,
preencherá apenas os campos necessários.

6 – Prioridades, Causas, Resultado Esperado e Descrição da Atividade na Função e Premissas.

IDESP da escola 2015: 3,01 Meta simulada do IDESP da Escola para 2016: 3,47%
PRIORIDADES DA CAUSAS RESULTADO ESPERADO DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE NA FUNÇÃO
ESCOLA
Elevar 15% do adequado Frequência regular; Que a frequência e a  Focar nas habilidades e competências não atingidas
em 20% na disciplina de Baixa participação dos pais; participação dos pais, e pelos alunos nos resultados das avaliações contínuas;
matemática o trabalho desenvolvido  Promover atividades/explicações aos alunos com
Elevar 9,5% do adequado pelos professores haverá dificuldades de aprendizagem;
 Fazer levantamento de alunos com baixa frequência e
em 20% na disciplina de uma melhoria
informar a PCA em 15 em 15 dias;
Português significativa na
 Ter conhecimento do Projeto de Vida de cada
aprendizagem do aluno tutorando com dificuldades de aprendizagem;
e no índice escolar.  Buscar os resultados da AAP para diagnosticar
Melhorias dos resultados competências/habilidades individuais e aplicar atividades
das avaliações internas e diferenciadas;
externas.  Desenvolver práticas na sala de informática (áudio e
visual).
 Desenvolver as habilidades e competências para que
os mesmos possam ter a iniciativa de solucionar os seus
problemas, como adversidades e conflitos.
 Atender os tutorando, incentivar e encorajar os alunos
a melhorarem seus índices nas avaliações internas e
externas

7- Ações -
ASPECTOS SUA AÇÃO
Desenvolver atividades diferenciadas que atendam aos
diferentes níveis de compreensão das habilidades não
Respeito à adquiridas e as potencialidades de aprendizagem de cada
individualidade aluno.

Promover práticas que potencializam a realização dos


Projetos de Vida dos alunos; propiciar o espaço para que o
Promoção do
aluno seja o sujeito e gestor de sua aprendizagem,
Protagonismo
promovendo estratégias explicitas no Guia de Aprendizagem
Juvenil
PROTAGONISMO Protagonismo ouvindo e apoiando os alunos.

Refletir sobre seu propósito de atuação de acordo com a


legislação vigente, os Modelos de Gestão e Pedagógico do PEI
e com o seu PIAF; retomar o seu papel de educador frente às
demandas de cada um dos alunos; atua como modelo a
Protagonismo
ser seguido poralunos; profissionais da escola desenvolvendo
Sênior
as premissas e princípios do PEI e transformar o espaço da
sala de aula trazendo metodologias e conteúdos diferenciados
que potencializem o trabalho com o Currículo.
Demonstrar domínio do Currículo do Estado de São
Paulo em sua disciplina; conhecer os princípiosdo Currículo
do Estado de São Paulo e sua relaçãocom o Programa Ensino
Integral e dominar o uso dosinstrumentos de apoio ao ensino
Domínio do
para que a gestão de suas atividades atenda as expectativas
Conhecimento
dos alunos.

Utilizar práticas de ensino e da aprendizagem que oportunize


uma aprendizagem significativa, permitindo a participação
Domínio do
efetiva dos alunos em sala de aula. Realizar avaliações
conhecimento e
Didática coerentes com as habilidades previstas bimestralmente de
contextualização
acordo com o Currículo.

Relacionar os conceitos da disciplina às demandas dos alunos,


em especial ao Projeto de Vida.Desenvolver a Parte
Diversificada como forma de aprofundar o Currículo.
Relacionar o conteúdo de sua disciplina com o de outras
Contextualização
disciplinas da Base Nacional Comum por meio das ementas
das disciplinas eletivas.

Participar em cursos de formação a fim de aprimoraro


exercício de sua Função, buscar proativamente
Disposição ao aprendizados adicionais para sua prática visando a melhoria
da qualidade de suas aulas e consequente aprendizagem dos
autodesenvolvimento Formação contínua
alunos.
contínuo
Buscar devolutiva da sua atuação com os alunos,professores,
coordenadores e gestores para se desenvolver, a partir de
Devolutivas
indicadores de resultado em sua disciplina.

A partir das devolutivas, reavaliar sua atuação frente as


Disposição para
demandas e alinhamentos colocando em pratica os
mudança
aprendizados adquiridos na formação
Planejar ações de forma a contribuir para o alcance das metas
do Plano de Ação da escola, identificando as necessidades de
Planejamento aprendizagem dos alunos e os resultados para que se tornem
autônomos, solidários e competentes.
Comprometimento
EXCELÊNCIA EM Realizar as ações planejadas utilizando estratégias de gestão
com o processo e
GESTÃO Execução de sala de aula garantindo a aprendizagem dos alunos.
resultado
Reavalia constantemente as ações planejadas a partir da
execução das ações previstas e dos resultados observados,
Reavaliação
replanejando sempre que necessário.

Mostra-se próximo e constrói vínculo positivo com os alunos


e profissionais da escola, estando disponível dentro e fora da
Relacionamento e Relacionamento e sala de aula. É capaz de ouvir e valorizar outras pessoas.
CORRESPONSABILIDADE
Corresponsabilidade Colaboração Colaborar com os outros profissionais da escola no dia a dia
(apoia e oferece ajuda).
Atuar na construção de ações que atendam o PA em
conjunto com alunos e outros professores. Orientar os alunos
e criar espaços para que se tornem autônomos e responsáveis
pela sua aprendizagem. Orientar pais e responsáveis sobre o
desempenho escolar dos alunos, incentivando sua
participação.

Corresponsabilidade

Identificar avanços e pontos de melhoria dentro de suas


atividades docentes e conhecer o contexto atual para
Visão crítica
atender a comunidade a qual está inserido.

Identificar um ponto de melhoria, propõe e implementa


ações para melhorar os resultados junto aos alunos,
REPLICABILIDADE Solução e
Foco em solução criando espaços colaborativos com foco na solução
Criatividade
proposta por ações protagonistas.

Disposição para mudanças na gestão de sala de aula,


Criatividade implementando novas metodologias, avaliação e
estratégias de ensino que permitam um ensino de
qualidade. Ser protagonista sênior criando soluções
alternativas e oportunizando a socialização de estratégias
junto aos seus pares.

Registro de boas Documentar as boas práticas adotadas, possibilitando o


práticas seu compartilhamento com os seus pares.
Compartilhar as boas práticas adotadas por ele e outros
Difusão professores junto a outros profissionais da escola.
Difusão e
Multiplicação Disseminar as boas práticas adotadas na escola com
professores de outras escolas. Difundir positivamente o
Multiplicação Programa Ensino Integral, sendo um embaixador para a
rede e a comunidade.

DIRETOR DE ESCOLA: SUPERVISOR DE ENSINO: DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO (no


Maria Katia caso do Diretor):
DATA DA ELABORAÇÃO: _03__/__03_/2017 DATA DA REVISÃO: anotar todas as datas em que foram feitas as revisões
do Programa de Ação.