Você está na página 1de 7

AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG.

PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

.Não há litisconsórcio
necessário com o
vice/suplente ou partido.
.Impedir registro de
candidatura; .Eleitor não é legitimado
Juiz Eleitoral: ativo, mas pode dar notícia
.Cancelar registro 1) Pré-candidato Decadencial e
eleições ao juiz, no prazo de 5 dias
aprovado em improrrogável de
municipais após edital.
AÇÃO DE Em razão de: 05 dias, contados
convenção;
IMPUGNAÇÃO DE da publicação do TRE: Deputados .Juiz pode indeferir o
a) ausência de condição de
REGISTRO DE 2) MPE; edital do registro estaduais e registro ex officio caso
elegibilidade; .Pré-candidato
CANDIDATURA (matéria distritais; identifique alguma das
3) Partido político;
b) presença de causa de constitucional Dep.Fed.; hipóteses objeto da ação.
AIRC ineligibilidade; 4) Coligação pode ser arguida Senadores
.Pedidos e recursos devem
posteriormente,
c) ausência de condição de TSE: Presidente; ser julgados pelas
não preclui)
procedibilidade (docs p.ex.) Vice-Presidente instâncias ordinárias até
20 dias antes do pleito (Lei
13.165/15)

.Base legal: art. 3º a 17 da


LC 64/90
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

.Podem ser objeto de


investigação fatos
anteriores à candidatura.

.Corregedor Regional:
Legitimados podem qualquer membro do TER
representar para apuração Juiz Eleitoral:
de: eleições .Corregedor Geral: dentre
Não tem prazo ministros do STJ
municipais
.Uso indevido, desvio ou fixado em lei. Para
abuso do poder econômico doutrina . Efeitos: a) inelegibilidade
.Candidato ou por 8 anos; b) cassação do
ou de autoridade (político); majoritária:
pré-candidato Corregedor registro ou diploma
AÇÃO DE 1) Candidato;
.Utilização indevida de com pedido de Regional Eleitoral:
INVESTIGAÇÃO
veículos ou meios de 2) MPE; registro Deputados .Base legal: art. 22 da
JUDICIAL Termo inicial:
comunicação social. estaduais e LC 64/90
ELEITORAL 3) Partido político; registro da
distritais;
.Condutas em desacordo com candidatura (TSE já .Prazo recursal de 03 dias
AIJE 4) Coligação .PF que Dep.Fed.;
a lei no que tange à reconheceu
concorreu com Senadores *Lembrar que na ADI 4650 o
arrecadação e gastos de anterior) STF declarou a
a prática (não PJ
recursos (art. 30-A da Lei das inconstitucionalidade de
- TSE)
Eleições); doações eleitorais por PJ
Corregedor Geral
Termo final: (permitindo por PF) –
.Recebimento indevido de Eleitoral: isonomia, desequilíbrio de
Diplomação
doações de PF e PJ (acima Presidente; Vice- competição, violação
dos limites legais) - (art. 81 Presidente igualdade, incompatibilidade
da Lei das Eleições). regime democrático e
cidadania, possibilidade de
financiamento por fundos e
propaganda gratuita
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

.TSE tem exigido


Juiz Eleitoral: verificação da
eleições potencialidade lesiva da
municipais conduta
Impugnar mandato eletivo
1) Candidato; .Eleitor não é legitimado
devido a:
AÇÃO DE Prazo ativo
2) MPE; constitucional de TRE: Deputados
IMPUGNAÇÃO a) abuso do poder
.Diplomados 15 dias, contados estaduais e .CF – ação tramita em
AO MANDATO econômico; 3) Partido político;
infratores da diplomação, distritais; segredo e autor responde
ELETIVO
b) fraude (eleitoral – votar + 4) Coligação (havia instruída com Dep.Fed.; se temerária ou de má-fé
AIME 1 vez p.ex.); certa controvérsia – provas Senadores . Não há litispendência
TSE admite)
c) corrupção (art. 299 do CE). entre AIJE, AIME e RCD

TSE: Presidente; .Base legal: art. 14, §§ 10 e


Vice-Presidente 11 da CF/88

RECURSO Decretar a ineligibilidade ou 1) Candidato* . Candidato 03 dias, contados Eleições


CONTRA incompatibilidade de (somente aquele municipais: juiz
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

.Não obstante a
nomenclatura, tem
eleitoral conhece natureza jurídica de ação
e encaminha ao
.Juízes eleitorais, TER e TSE
TRE, que processa
candidato diplomado que passa a ser podem indeferir ex officio
e julga
quando, depois do registro e diretamente a expedição de diploma
antes da diplomação: beneficiado pelo Deputados por inelegibilidade
provimento da RCD); estaduais e superveniente
a) surgir inelegibilidade distritais;
2) MPE; diplomado
DIPLOMAÇÃO superveniente; .Eficácia do julgamento
Dep.Fed.;
.Suplentes da diplomação apenas após trânsito em
RCD b) inelegibilidade 3) Partido político; Senadores: TRE
diplomados julgado (não cabe tutela
constitucional não arguida conhece e
4) Coligação (havia antecipada)
em AIRC; encaminha ao
certa controvérsia –
TSE, que processa .Base legal: art. 262 do CE
c) falta de condição de TSE admite)
e julga
elegibilidade (Tiririca).
Presidente; Vice-
Presidente: Não
cabe

AÇÃO Desconstituir decisões Quem foi parte no A parte 120 dias, contados APENAS TSE
RESCISÓRIA transitadas em julgado processo contrária do trânsito em
ELEITORAL proferidas pelo TSE, nos julgado
casos de INELEGIBILIDADE .Deve-se enquadrar o
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

fundamento da ação
dentre uma das hipóteses
de cabimento da ação
rescisória do CPC

.STF declarou a
inconstitucionalidade da
expressão “possibilitando-
se o exercício do mandato
eletivo até seu trânsito em
julgado”

.Não se admite tutela


antecipada, salvo casos
extremos

.Base legal: art. 22, inciso I,


alínea “j”, do CE

REPRESENTAÇÃO Cassar registro ou diploma e 1) Candidato; .Candidato ou Prazo da AIJE – até Juiz Eleitoral: *Não é necessária
POR CAPTAÇÃO aplicar multa para o pré-candidato diplomação eleições aferição da potencialidade
2) MPE;
ILÍCITA DE candidato que: com pedido de municipais lesiva!
SUFRÁGIO 3) Partido político; registro
.doar, oferecer, prometer, ou TRE: Deputados
entregar, ao eleitor, bem ou 4) Coligação estaduais e
vantagem pessoal de distritais;
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

qualquer natureza, inclusive


emprego ou função pública
desde o registro da
candidatura até o dia da
eleição;
Dep.Fed.;
.praticar atos de violência ou Senadores
grave ameaça a pessoa, com
TSE: Presidente;
o fim de obter-lhe o voto.
Vice-Presidente

Quais são as atribuições da Justiça Eleitoral?

São atribuições da Justiça Eleitoral:

• Administrativa: a Justiça Eleitoral prepara e organiza todo o processo eleitoral, sendo responsável pelo alistamento de eleitores;
transferência de domicílios eleitorais; administração do cadastro eleitoral; atos preparatórios à votação e à sua realização; apuração e
totalização dos votos; proclamação dos resultados das eleições; e expedição de diplomas aos eleitos.
AÇÃO OBJETO LEG. ATIVA LEG. PASSIVA PRAZO COMPETÊNCIA OBS

• Jurisdicional: julgar os casos referentes ao processo eleitoral, tais como: os pedidos de registro de candidatos; as representações sobre
propaganda eleitoral; as ações para apuração dos crimes eleitorais, das condutas vedadas a agentes públicos e de captação ilícita de
sufrágio, entre outros – de maneira a solucionar os conflitos de interesses, zelando pela uniformidade das decisões da Justiça Eleitoral.

• Consultiva: o TSE e os TREs têm a atribuição de responder a questionamentos formulados, em tese, por pessoas legitimadas para
esclarecimento sobre matéria eleitoral. (Código Eleitoral, art. 23, XII e art. 30, VIII)

• Normativa: o TSE tem a competência de expedir Resoluções com instruções para a fiel execução da legislação eleitoral. (Código Eleitoral,
art. 1º, parágrafo único e art. 23, IX; Lei 9096/95, art. 61 e Lei 9.504/97, art. 105)