Você está na página 1de 28

1

1. INTRODUÇÃO AO USO DA CALCULADORA HP 12C

1.1 INSTRUÇÕES GERAIS

Este teste indica se sua máquina está em perfeitas condições:

 Desligue a máquina ON
 Mantenha a tecla ON pressionada
 Pressione a tecla X
 Solte a tecla ON soltando em seguida a tecla X
 Depois de algum tempo, durante o qual o visor apresenta a palavra “RUNNING” ela vai se
apresentar da seguinte maneira:

8,8,8,8,8,8,8,8,8,8, e uma série de anunciadores.

Se isto aparecer, parabéns, sua máquina está perfeita; se não, leve-a à uma assistência
técnica.

1.2 NOTAÇÃO BRASILEIRA PARA NÚMEROS

Sua máquina, normalmente, vem com a notação americana para a escrita de números,
ou seja, ponto para separar a parte fracionária e vírgula para separar os grupos de 3 dígitos para
parte decimal e o ponto para dividir a parte inteira em grupos de 3 dígitos, proceda da seguinte
maneira:

 Desligue a máquina ON;


 Aperte a tecla .(ponto) e a mantenha pressionada;
 Ligue a máquina ON;
 Solte a tecla .(ponto)

1.3 AS TECLAS f E g

Você vai notar que sua máquina, em diversas TECLAS, tem uma função em branco, em
cima dela, uma função em amarelo acima dela e uma função em azul abaixo da tecla( na parte
bissetada). A função em amarelo, é necessário apertar antes a tecla “f”. Para ativar a função em
azul, deve-se apertar primeiro a tecla “g” ; você verá muitos exemplos nos itens seguintes.

1.4 CONTROLANDO O NR. DE CASAS DECIMAIS NO VISOR

O número de casas decimais, no visor, pode ser controlado apertando-se a tecla “f” de
número de casas decimais desejadas. Assim, “f”2 faz o visor apresentar 2 casas decimais, “f”5
com 5 casas decimais e etc.
Mas atenção, a máquina internamente trabalha com 10 casas decimais, independente do
número de casas que aparece no visor. Caso queira arredondar o número para a quantidade de
casas que aparece no visor, tecla “f”RND.

1.5 A TECLA “f” PREFIX

Esta tecla mostra o número do visor, com todos os seus dígitos, independente do número
de casas decimais no visor.
2
Exemplo:

Teclas Visor Comentários


f2 Coloca o visor com 2 casas decimais
927  7  132,43 Resultado com 2 casas decimais
f PREFIX 132 4285714 Resultado com todos os dígitos

1.6 TECLAS g FRAC E g INTG

Estas teclas, respectivamente, separam a parte fracionária e a parte inteiro do número do


visor.

Teclas Visor Comentários


123.4578 123,46 O visor mostra o número com 2 casas decimais
g FRAC 0,46 a parte inteira é abandonada
123.4578 123,46
g INTG 123,00 Abandona a parte fracionária.

1.7 TECLA f RND

Esta tecla arredonda o número inteiro da máquina para o número que aparece no visor.

Teclas Visor Comentários


F2 Coloca o visor com 2 casas decimais
927  7 132,43 Resultado com 2 casas decimais
f PREFIX 132 485714 Resultado com todos os dígitos
f RND 132,43 Arredonda o número inteiro para 2 casas decimais
f PREFIX 132 4300000 Confirmação do arredondamento

1.8 TECLA g LST X

LST X é a memória provisória que guarda o número do visor quando se efetua uma
operação na máquina.

Exemplo:

Teclas Visor Comentários


5 5,00 Entrar com número
4 4,00
X 20,00 Efetua a multiplicação e guarda o 4, na memória LST X
g LST X 4,00 Recupera o número do visor anterior à operação.
 5,00 Anula a operação de multiplicação com a operação
de divisão.

1.9 FAZENDO CONTAS COM A HP 12C

Examine sua máquina e verifique que ela não possui a tecla “=”, pois, a HP 12C usa um
sistema chamado RPG (Reserve Polish Notation – Notação Polonesa Inversa).
Para somar os números 5 e 3 em uma máquina comum, teclamos o seguinte:
5 + 3 = ou seja, teclamos um número, informamos a operação desejada, teclamos o
segundo número e executamos a conta apertando a tecla “=”.
Na HP 12C o procedimento é o seguinte:
Informamos os 2 números consecutivamente e, em seguida, a operação, e está realizada
automaticamente, vejamos:
3

5 “ENTER” (a tecla ENTER é utilizada para separar a entrada de números. Abreviaremos a tecla
“ENTER” pelo símbolo ( ).

1.10 PILHA OPERACIONAL

As teclas  x + -

EXEMPLO: Fazer a operação 4 + 8 = ?

Seqüência Pressione Visor


Introduza o primeiro número 4 4,
Pressione a tecla ENTER para separar o primeiro número ENTER 4,00
do segundo
Introduza o segundo número 8 8,
Pressione a operação desejada + 12,00

COMO LIMPAMOS O VALOR DO VISOR ?

Aperte a tecla CLx

EXERCÍCIOS

1. 3 + 2 =?
2. 4 x 5 =?
3. 8  2 =?
4. 9 – 3 =?

Como as se processam dentro da calculadora?


Bem, isso é complicado! Mas precisamos aprender para tirarmos o máximo proveito dela e
compensarmos o investimento quando da compra da calculadora.
A HP-12C é dotada de 4 registros chamados PILHA OPERACIONAL (Obs:- não é a pilha
elétrica que faz a calculadora funcionar, não !!!!)
Vamos ser mais claros. A sua máquina deveria ter, na verdade, quatro visores. Assim
4

OBS:- A danada da economia de espaço levou o fabricante a botar só 1 visor ! Isso complica um pouco, mas em
contrapartida a calculadora cabe no bolso !!!

T
Z São os apelidos dos registros (memórias) A ordem é importante !
Y
X

Para efetuar qualquer cálculo, é fundamental saber como introduzir dados nestes registros
(compartimentos) e como eles se relacionam.
Nada mais fácil que retornarmos àquela conta 4 + 8 (lembra?). Vamos refaze-la e vendo
como vão ficando os 4 registros internos da PILHA OPERACIONAL.
5
Tecla Registros Comentários
Pressionada
T CLx . Limpa o visor
Z
CLx Y
X 0,00 visor
T O número 2 aparece no visor
2 Z
Y
X 2, visor
T O número 2 foi empurrado para Y, deixando
ENTER Z uma cópia provisória em X
Y 2,00
X 2,00 visor
T O número 3 substituiu a cópia provisória em X.
3 Z
Y 2,00
X 3, visor
T Os conteúdos de X e Y são somados e o
+ Z resultado aparece em X
Y
X 5,00 visor

Obs:- Posso usar esse resultado para ir fazendo mais operações se tivesse !!!

OUTRO EXEMPLO

Tecla Registros Comentários


Pressionada
T O número 12 apareceu no visor
12 Z
Y
X 12,
visor
T O número 12 foi empurrado para Y, deixando
ENTER Z uma cópia provisória em X (os registros Z e T
Y 12,00 continuam limpos).
X 12,00
visor
T O número 8 substitui a cópia provisória no visor
8 Z
Y 12,00
X 8,
visor
T Os valores de X e Y fundiram-se no resultado
- Z final 4,00 e este ficou arquivado em X. Os
Y registros Y, Z e T ficam “zerados”.
X 4,00
visor

Toda operação aritmética é realizada nos conteúdos de Y e X


6
Para que serve o Z e o T? Calma! Só estamos resolvendo cálculos simples. Relaxe! Faça
uma pausa, tome um cafezinho e em seguida retorne ao assunto.
Pronto? De agora em diante faremos cálculos em cadeia para usarmos o Z e o T. Fique frio
que ninguém irá preso!

EXEMPLO: Fazer o cálculo da expressão numérica abaixo:

(2 + 3) + (12 – 8) x (7 – 1)

Se fôssemos usar uma calculadora convencional (credo!) deveríamos resolver as


operações de cada parêntese, anotando num papel os resultados parciais: 5 + 4 x 6. Concorda
Estamos diante de um novo problema. Precisamos introduzir o 4 para ser multiplicado por
6, e depois somar o 5. Olhe que a nossa conta é simples! Imagine os cálculos financeiros do
nosso dia - dia de Contador.
Seria uma loucura ... Com a HP-12C, é “vapt-vupt”!
Agora aqueles registros Z e T vão entrar em ação e nos prestarão um grande serviço:
fazem para nós as anotações dos resultados parciais, ou seja, armazenam o 5, o 4 e o 6,
deixando-os prontos para os cálculos.

Na HP-12C então:

f REG ...Limpando todos os compartimentos (registros)

Por que não f CLx? Por que ela só limpa o registro X (mostrado no visor!).

2 ENTER 3 + 12 ENTER 8 - 7 ENTER 1 - x +

1º parêntese 2º parêntese 3º parêntese

Resultado: 29
7
Tecla Registros Comentários
Pressionada
T O número 2 apareceu no visor
2 Z
Y
X 2,
visor
T O número 2 foi empurrado para Y, deixando
ENTER Z uma cópia provisória em X (os registros Z e T
Y 2,00 continuam limpos).
X 2,00
visor
T O número 3 substitui a cópia provisória no visor
3 Z X
Y 2,00
X 3,
visor
T Os valores de X e Y fundiram-se no resultado
+ Z final 5,00, e este ficou arquivado em X. Os
Y registros Y, Z e T ficam “zerados”. Até aqui
X 5,00 temos o resultado parcial do 1º parêntese em X
visor
T O 12 assume o registro X e empurra o 5 para Y
12 Z (sem precisar do ENTER. Isto só acontece pois
Y 5,00 o 5 é resultado de operação. Caso contrário, se
X 12,00 o 5 tivesse sido digitado, ao digitarmos o 12,
visor ficaria 125 em X
T Agora o 12 foi empurrado para Y, empurrando
ENTER Z 5,00 automaticamente o 5 para Z e deixando cópia
Y 12,00 em X
X 12,00
visor
T O 8 substitui a cópia de 12 que estava em X.
8 Z 5,00 Não alterou o restante da pilha operacional
Y 12,00
X 8,
visor
T Aparece o novo resultado 4 em X, o 5 que
- Z 0,00 estava em Z cai de volta para Y que ficou
Y 5,00 desocupado após a operação - .
X 4,00
visor
T O 7 agora empurra o 4 para cima (lembre-se
7 Z 5,00 que este 4 não foi digitado, ele é resultado)
Y 4,00
X 7,00
visor
T 5,00 Todos os registros estão preenchidos
ENTER Z 4,00
Y 7,00
X 7,00
visor
T 5,00 O 1 assume o registro X no lugar do 7
8
1 Z 4,00 provisório
Y 7,00
X 1,00
visor
T 5,00 O seis (resultado) assume a X. Repare que o 5
- Z 5,00 ficou de cópia em T. Isso vai acontecer sempre
Y 4,00 !!!
X 6,00
visor
T 5,00
Z 5,00
Y 5,00
X 24,00
visor
T 5,00 FIM de PAPO !!!!!!!
Z 5,00
Y 5,00
X 29,00
visor

Veja como ficou a pilha operacional passo a passo:

Teclas 2 ENTER 3 + 12 ENTER 8 - 7 ENTER 1 - x +


T 0 0 0 0 0 0 0 0 0 5 5 5 5 5
Z 0 0 0 0 0 5 5 0 5 4 4 5 5 5
Y 0 2 2 0 5 12 12 5 4 7 7 4 5 5
X 2 2 3 5 12 12 8 4 7 7 1 6 24 29

Então? Ficou fácil de entender ? Se ficou, ótimo ! Mas se restou alguma dúvida, volte e refaça
cuidadosamente todas essas operações. Esperamos que você tenha entendido tudo com
bastante clareza.
Vamos treinar um pouco?

EXERCÍCIOS SOBRE PILHA OPERACIONAL

Os quadros abaixo representam os conteúdos da pilha operacional, quando pressionamos as


teclas mencionadas. Você deve acompanhar. Passo a passo, tentando descobrir os valores ou
teclas representadas pela interrogação (?)

1.11 AS TECLAS Yx, 1 e CHS


9
X
Nos cálculos de matemática financeira, usaremos muito a potenciação. Estas operações
serão realizadas na HP 12C, através das Teclas Yx, 1.
X
Quando queremos efetuar uma potenciação, temos os elementos: o número a ser
elevado que é chamado de base, e o número a que queremos elevar a base que é chamado de
expoente. Assim, para efetuarmos a operação 1,35 onde: 1,3 é a base e 5 é o expoente.
Na máquina, teclaríamos a base, a tecla ENTER seguido do expoente e a tecla Y x.
No nosso exemplo : 1,3 ( e Yx e o resultado, com 2 casas decimais seria 3,71.
Para efetuarmos a radiação, ou seja, a extração de uma raiz, usamos uma propriedade
matemática que nos diz que a raiz de um número é igual à sua exponenciação com o número do
expoente, ou seja:

Para invertermos o expoente, usaremos a tecla 1 que inverte o número do visor,


X
sem alterar a pilha operacional. Portanto, na máquina, faríamos da seguinte forma a operação.

5,3  4 1 Yx, que nos daria 1,52


X

Existem casos em que necessitamos elevar a um expoente negativo, para isto, trocamos
o sinal do expoente, através da tecla.

8,3 –2 8,3  2 CHS Y x  0,01

A seguir apresentaremos vários exemplos de operações deste tipo na HP 12 C:


(3 + 5) x 3 =

2+7–2 =
10
3 5

1000 x 7-2 =
13
22,23 + 45,33 =
2,78

(13+12) x (15-8) =
7

5–2 =

2,33 =

2 3=
3

122,5 =

71/3 =

162/5 =

(1+7)3=

(12-0,7)2/3 =

1+ 23 3 =
100

1+ 15,23 3 =
100

1+ 18,37 33/30 –1 x 100 =


100

0,24
1- 0,24 x 100 =

1/2
2+ 4 =
15
11
1.12 CÁLCULO DE PORCENTAGENS

Usa-se a tecla %

Exemplo: 1% de 1250
1250  1% 12,50

O valor original fica na pilha operacional “Y” e o resultado da porcentagem na pilha “X”
(visor).
Assim, se quisermos somar ou subtrair a percentagem do valor original, basta teclarmos
“+” ou “-”.

Exemplo:

Calcular o preço líquido de um artigo que custa R$ 12,50 com um desconto de 2%

12,50  2% - = RESPOSTA: 12,25

Cálculo de diferenças percentuais:

Usa-se a tecla %

Exemplo:

Compramos ações de R$ 12.000,00 conseguimos vendê-las a R$ 18.000,00. Qual foi o nosso


lucro em relação ao preço de compra?

12.000  18.000 % RESPOSTA = 50%

ATENÇÃO: Devemos entrar com o número base primeiro, ou seja, o número sobre o qual
queremos calcular a percentagem.

Cálculo da percentagem total:

Usa-se a tecla % T

Exemplo:

Vendemos para o primeiro cliente 25.000 unidades de um produto, para o segundo 75.000 e para
um terceiro 40.000.Qual a percentagem de vendas a cada um dos clientes?

1. Soma das vendas:

25.000  75.000 + 40.000 +

RESPOSTA: 140.000

2. Cálculo das % das parcelas:


12
f3 25.000 % T 17,857 %
CLX
75.000 %T 53.571

CLX

40.000 %T 28,571 %

A tecla “%T” também serve para o cálculo direto da percentagem de um número em


relação a outro.
Exemplo:

Quanto representa percentualmente 0,2 em relação a 17,5?

17,5  0,2%T 1,14%

Vamos aos exercícios:

1) Na compra com cartão de crédito, uma loja oferece 7% de desconto sobre o preço da etiqueta
de suas mercadorias. Qual o valor do desconto a ser obtido sobre a compra de uma camisa que
custa R$ 50,00? R= R$46,50

2) O valor da OTN em setembro de 87 era $ 401,67 e em setembro de 88 era de $ 2.392,06.


Qual a variação percentual no período? R= $ 495,529%

3) Um investidor comprou ações por $ 1.350,00 e as vendeu por $ 1.230,00 . Qual o percentual
do prejuízo? R=

4) Dois amigos montam uma empresa com capitais diferentes: o primeiro entra com $26.500,00, e
o segundo com $ 33.500,00. Qual o percentual de participação dos dois sócios no lucro da
empresa? R= 44,167%
e 55,833%

1.13 FUNÇÕES DE CALENDÁRIO

A HP 12 C calcula a diferença entre duas datas, através da tecla  DYS (localizada em


azul na tecla EEX) e, dada, um data soma ou subtrai um número de dias para calcular nova data
e o dia da semana, também para a nova data, pela tecla DATE localizada em azul na CHS).
As funções podem manipular datas entre 15/10/1582 até 25/11/4046.
Normalmente, a HP 12C usa o formato americano da escrita de datas: mês, dia e ano.
Para colocarmos a máquina no modo brasileiro de se escrever data: dia, mês e ano, devemos
apertar a teclas g D.MY (aparecerá no visor em letras pequenas D.MY). A volta ao sistema
americano se faz apertando a tecla g M.DY. Neste caso, não aparece nada no visor.

1. Calculo do número de dias entre duas datas.

 Tecle a 1ª data (mais antiga) no formato DD.MM.AAAA, onde: DD é o dia. MM o mês e AAAA
o ano;
 Tecle  ;
13
 Tecle a 2ª data (mais recente) no mesmo formato;
 Tecle g  DYS.

Exemplo:

Quantos dias existem entre 13.06.80 a 30.08.84? (Supõe-se a máquina de modo brasileiro).

- 13.06.1980 ;
- 30.08.1984 g  DYS;

Resposta:1.539 dias.

Esta resposta leva em consideração o número real de dias entre as duas datas (incluindo
os anos bissextos)..
Ao mesmo tempo, a máquina calcula a diferença entre as duas datas, levando em
consideração o ano comercial ( 12 meses de 30 dias) e coloca esta resposta na pilha operacional
“y”.
Para acessarmos esta resposta, trazendo-a ao visor, basta teclar:

2. Cálculo de uma data futura ou passada:

 Tecle a data base seguida de ENTER;


 Tecle o número de dias para a data futura (caso deseje uma data passada, tecle CHS);
 Tecle g DATE.

Aparecerá a nova data e o dia da semana no canto direito.

Exemplo 1: Qual a data de vencimento de um papel de 93 dias comprado no dia 24.04.84?

1- 24.04.1984 
2- 93 g DATE R = 26.07.1984 4

O número 4, no canto direito, corresponde ao dia da semana, Quinta-feira.

A concessão da HP 12C, para dias da semana é a seguinte:

1- 2ª feira 5- 6ª feira
2- 3ª feira 6- Sábado
3- 4ª feira 7- domingo
4- 5ª feira

Exemplo 2: Qual a data 180 dias antes de 12.11.84?

1- 12.11.1984 ENTER;
2- 180 CHS g DATE; R = 16.05.1984 (4 A feira)

Caso quiséssemos saber qual o dia da semana referente a uma data, basta somar zero a
esta data, usando a função g DATE.

Exemplo 3: Qual o dia da semana que D. Pedro proclamou a independência do Brasil


14

1- 7.09.1822;
2- 0 g DATE; R= 7.09.1822 6 – Sábado

Vamos aos exercícios:

1) Calcular o número de dias decorridos:


a) Captação de um recibo de depósito bancário em 03.06.91 com vencimento para
03.09.91.
b) Desconto de duplicata em 23.10.91 com vencimento em 26.11.91.
c) Hoje é 30.03.90 – data passada 01.01.45.
d) Amanhã é 04.04.92 – data passada 06.03.62.
e) Quantos dias de vida vou ter no ano 2000.
f) Hoje é 03.01.87. Que data e dia da semana será daqui a 1.817 dias?
g) Um título para 34 dias foi feito em 14.09.90. Qual a data do seu vencimento?
h) Uma aplicação venceu hoje (16.10.91). Foi aplicado por 63 dias. Qual a data da
aplicação?

1.14 MEMÓRIAS PARA CÁLCULOS

A HP 12C possui 20 memórias operacionais numeradas de 0 a 9 e de .0 a .9 e 5


memórias financeiras n, i, PV, PMT e FV. Os números do visor são armazenados nas
memórias através da tecla STO (Store), para recuperar números das memórias e trazê-
los ao visor, usando a tecla RCL (Recall).

Exemplos:

1227 STO O
1285 STO .5
1385 STO PV
CLX
RCL 0 1227
RCL .5 1285
RCL PV 1385

As memórias de 0 a 4 possuem uma característica adicional que permite efetuar


operações diretamente nestas memórias, através dos comandos:

STO + Adiciona o valor do visor ao conteúdo da memória.


STO - Subtrai do conteúdo da memória o valor do visor.
STO x Multiplica o valor do visor pelo conteúdo da memória
STO  Divide o conteúdo da memória do visor.

Exemplo:

10 STO 4
5 STO +4 RCL 4 15
3 STO -4 RCL 4 12
2 STO x4 RCL 4 24
12 STO 4 RCL 4 2
15

Para apagar o número de uma determinada memória, devemos colocar zero nesta
memória. Por exemplo, continuando o exercício anterior:

0 STO 4 RCL 4 0

ATENÇÃO: - f REG, apaga todas as memórias. Além de apagar as memórias


operacionais, apaga igualmente todas as memórias financeiras e a pilha operacional.

F FIN, apaga, exclusivamente, as memórias financeiras, não apaga as memórias


operacionais, nem a pilha operacional.

f , apaga, exclusivamente, as memórias de 1 a 6, usadas para cálculos estatísticos e,


também, a pilha operacional.

OBSERVAÇÃO:

As 20 memórias só ficam disponíveis se você não tiver programas na sua


máquina. À medida que você vai entrando com programas, a máquina vai transformando
memórias em passos de programa, de traz para diante, ou seja, primeiro a memória .9
depois a .8 etc. As memórias de 1 a 6 e as memórias financeiras nunca são
transformadas. Para você ver o STATUS de sua máquina, aperte g MEM e mantenha-a
apertada.
Aparece no visor:

p – 08 r - 20
Linha de programa Registradores de armazenamento
disponíveis

A memória de programação comporta até 99 instruções. Para tanto é necessária


a conservação de 13 registradores de armazenamento de dados (pois 99 = 8 + (13x7)),
ficando 7 registradores disponíveis para o armazenamento de dados (R0 a R6).

AVALIANDO OS CONHECIMENTOS

1) Imagine que a pilha operacional esteja agregada com os seguintes valores (X=4; Y=3;
Z=4; T=5). Como ficariam os compartimentos após a seqüência de teclas:
R  R  X ENTER

2) Se quisermos limpar os conteúdos das memórias financeiras e da memória “5”, sem


alterarmos as demais memórias de armazenamento de dados, quais das opções
abaixo é correta?

a) f FIN
b) f ; 0 STO .5
c) f FIN; f
d) f REG
e) f FIN; CLX STO .5

3) Em que dia da semana cairá a data 29.02.2004?


16
4) No dia 7 de setembro de 1991 comemorou-se quantos dias da independência do
Brasil?
5) O Sr. Barbiere adquiriu um microcomputador pela quantia de R$ 1.900,00. Depois de
seus meses resolveu vendê-lo por R$ 1.500,00. Quanto foi o seu prejuízo?
6) Em determinado jogo de futebol, havia 87.000 torcedores do Flamengo e 2.000
torcedores do Igarapava Esporte Clube. Qual o percentual de cada torcida em relação
ao público presente no estádio?
7) Utilizando a HP 12C, resolva a expressão abaixo:

1+0,5 x 1+21 - 1 x 100 =


100 100

2. FUNÇÕES FINANCEIRAS

2.1 JUROS SIMPLES

Os juros simples são calculados da seguinte forma:

J = PV * i * n Lembram-se j = C * i * t
100 100

Exemplo: O Sr. Theobaldo aplicou R$ 400.000,00 a juros simples de 26% ao mês, por
dois meses. Quanto resgatou?

PV = 40.000,00
N = 2 meses
I = 26% ao mês

Aplicando a fórmula

J = 400.000 x 26 x 2
100
J = 208.000,00

Importante: Perceba que o problema está pedindo valor resgatado e não os juros.
Basta adicionar os juros ao capital
Daí a idéia de MONTANTE (FV)

FV = PV + j
FV = 400.000,00 + 208.000,00
FV = 608.000,00

2.2 JUROS COMPOSTOS

No regime de juros compostos, os juros obtidos em cada período são


incorporados ao capital, formando um montante, que passará a produzir juros para o
período seguinte, e assim sucessivamente. Daí serem chamados juros capitalizados.

FV = PV * (1 + i)n
17

Observação: A unidade de tempo utilizada para o período (n) deve ser a mesma da taxa
de juros (i), ou seja, se o período (n) é dado em meses, então a taxa (i) deve ser mensal.

Exemplo: Uma aplicação de $ 200.000,00, pelo prazo de três meses, a uma taxa de 25%
a.m. (0,25 a m.), capitalizável mensalmente, quando renderá?
Vamos visualizar os dados do problema no gráfico:

PV = 200.000,00 n=3

0 1 2 3 meses

i = 25% a m. FV = ?

FV = 200.000,00 X (1+0,25)3
FV = 200.000,00 X 1,95
FV = 390.625,00

Mas o problema pede os juros.


Para calcular os juros (rendimentos), basta subtrair o capital do montante encontrado:

J = MONTANTE – CAPITAL INICIAL


J = FV – PV
J = 390.625,00 – 200.000,00
J = 190.625,00

O quadro abaixo mostra o que ocorreu em casa período:

Período Capital Taxa Juro do Período Montante


(n) (PV) (i) (J) (FV)
1 200.000,00 0,25 50.000,00 250.000,00
2 250.000,00 0,25 62.500,00 312.500,00
3 312.500,00 0,25 78.125,00 390.625,00

Lembrete: Nos problemas de juros compostos, podemos também determinar o capital


inicial (PV), o período de capitalização (n) e a taxa (i).

Memórias Financeiras da “HP 12 C”


As memórias financeiras da calculadora HP 12 C são:

n, i, PV, PMT e FV, onde:


n = Número de Períodos (dia, mês, ano, etc.)
i = Taxa de juros expressa em percentagem
PV = Capital inicial ou valor presente
PMT = Valor de prestações iguais
FV = Montante ou valor futuro
18
Para armazenar dados nas memórias financeiras, basta digitar o valor desejado e
em seguida pressionar a função financeira. Ex.: Armazene os valores 100, 200, 300, 400
e 500 em n, i, PV, PMT e FV, respectivamente.
Assim: 100 n, 200 i, 300 PV, 400 PMT e 500 FV.

Para colocar no visor cópia dos valores armazenados nas memórias financeiras pressione
as seqüências de teclas:

RCL n 100
RCL i 200
RCL PV 300
RCL PMT 400
RCL FV 500

Muitas vezes você necessita limpar/zerar as memórias financeiras da calculadora. Para


isso, você utilizará as alternativas:

a) f FIN – limpa/zera TODAS as memórias financeiras

b) CLX Tecla Financeira


Ou limpa/zera somente a memória desejada.
0 Tecla Financeira

Exercícios de Fixação:

JUROS SIMPLES

1) Qual o montante (capital + juros) acumulado em 36 meses, a uma taxa de 10% a m. ,


no regime de juros simples, a partir de um capital igual a $ 20.000,00?

2) Qual a taxa mensal de juros simples que transforma um capital de $ 150.000,00 num
montante de $ 450.000,00 daqui a 20 meses?

JUROS COMPOSTOS

3) Qual o montante acumulado em 24 meses, a uma taxa de 8% a.m., a partir de um


capital igual a $ 120.000,00?

4) Qual o principal necessário para se obter um montante de $ 10.000,00, daqui a 6


semestres, a uma taxa de 12 % ao semestre?
5) Um indivíduo aplica uma quantia de $ 10.000,00 para receber a $134.392,00 daqui a
10 meses. Qual a taxa de rentabilidade do investimento?

2.3 SÉRIES UNIFORMES DE PAGAMENTO E DESEMBOLSOS

Diz-se que uma série é uniforme quando todos os seus termos são iguais. Na HP-
12C estes termos são chamados de PMT.

As séries de pagamentos/desembolso com entrada são conhecidas como


antecipadas já as séries sem entrada chamam-se postecipadas.
19
Ao introduzirmos na HP-12C os dados de uma série, devemos informá-la de se
trata de uma série postecipada ou antecipada, através das teclas:

g END g BEG

postecipada antecipada

Exemplo 1:
Compramos na loja Vende Tudo uma camisa em quatro prestações iguais de $ 22,50.
Sabendo-se que os juros do mercado são aproximadamente de 8% a.m., qual o preço da
camisa?

Antes de introduzirmos os valores na HP, observamos que:

a) PMT tem sinal contrário de PV;


b) O problema não nos informa se é com entrada (antecipada) ou sem entrada
(postecipada), dessa forma calcularemos nos 2 modelos;
c) O número de prestações deve ser introduzido no “n”.

22,50 PMT
8 i
4 n

Vamos definir g BEG (No visor aparece “BEGIN” ANTECIPADA)

PV
Concluímos que o preço da camisa, com entrada é de $ 80,48.
Para fazermos o cálculo sem entrada (postecipada), basta pressionar.

g END (Note que não aparece o “END” no visor POSTECIPADA).


PV
R= $

Exemplo 2:
Qual é o valor das prestações a serem pagas, com a compra de um televisor de $
2.300,00, em cinco parcelas iguais, sabendo-se que a taxa de mercado é de 12% a.m.?

PV= 2300 PV = 2300

01 2 3 4 5 n
0 1 2 3 4 5 n

PMT= ? PMT =?
i = 12% i = 12%
20
Calculemos nos dois modos: BEG e END:

f CLEAR FIN
2300 CHS PV
12 i
5 n
g BEG
PMT

Agora g END

Exercícios:

1) Calcule o montante que uma pessoa acumulará se desembolsar 4 parcelas de $


4.000,00, mensalmente, à taxa de 22% a.m.?

R = 26.958,83 R = 22.096,99

2) Uma pessoa tem uma dívida de $ 180.000,00, pagando prestações mensais de $


55.000,00, a taxa de 29% a.m. Deseja-se saber quantas parcelas ele saldará essa
dívida nas hipóteses de começar pagando no ato ou no fim do mês.

R = 6 parcelas R = 12 parcelas

3) Um terreno custa à vista $ 500.000,00, ou $ 70.000,00 em 12 parcelas mensais. Qual


a taxa cobrada?

R = 11,23% R = 9,05%

4) Qual o valor da prestação de um empréstimo $ 20.000,00 a ser pago em 10 parcelas


mensais, a juros de 3,7% a.m., sendo a primeira paga 30 dias após o recebimento do
dinheiro?

R = 2.429,13

5) Qual o valor da prestação de um empréstimo de $ 20.000,00 a ser pago em 10


parcelas mensais, a juros de 3,7% a.m., sendo a primeira paga 90 dias após o
recebimento do dinheiro?

R = 2.612,21

6) Quanto uma pessoa tem que depositar, a partir de hoje, mensalmente, durante 8
meses, para acumular $ 70.000,00 que precisa para viajar nas férias, considerando-se
uma taxa de 20% a.m.?
R = 3.535,55

7) Qual a taxa aplicada sobre 4 parcelas iguais de $ 6.000,00 mensais, que produziu um
montante de $ 32.000,00?

R = 11,85% a.m. R = 19,55% a.m.


21
8) Calcule o montante produzido pela aplicação de 10 parcelas mensais de $ 5.000,00
cada, sabendo-se que a taxa é de 8% a.m., e que essas aplicações são feitas no final
de cada período.

R = 72.432,81

2.4 SISTEMA OU TABELA PRICE

As prestações, nesse sistema, também amortizam capital mais juros. A diferença


é que as prestações são iguais em todos os períodos e a parte referente à amortização do
capital aumenta a cada pagamento, ao passo que a referente aos juros diminui na mesma
proporção.

Exemplo:
O valor do financiamento é de $ 600.000,00, à taxa de 37% a.m., para ser pago em três
parcelas.

Período Prestações Juros Amortização Saldo Devedor


0 - - - 600.000,00
1 363.279,52 222.000,00 141.279,52 458.720,48
2 363.279,52 169.726,58 193.552,94 265.167,54
3 363.279,52 98.111,99 265.167,53 -

Fazendo na HP-12C

Passaremos a utilizar, a partir de agora, a tecla PMT. É uma memória financeira


com a função de armazenar o valor de pagamentos.
Utilizaremos, ainda, a função f AMORT destinada aos cálculos de amortização.

- Primeiro passo é calcular o valor das prestações (PMT)

600.000,00 PV 37 i 3 n PMT

R = $ 363.279,52

Primeiro período:

1n f AMORT R = 222.000,00 (juros no primeiro período)


X Y R = 141.279,52 (Valor da amortização)
RCL PV R = 458.720,48
Do segundo período em diante repetir, sempre jogando o n 1.

Exercícios

1) Complete as planilhas de amortização abaixo:

a) Um financiamento de $ 1.000,000,00, à taxa de 42% a.m., pago em 03 parcelas


mensais:

Período Prestações Juros Amortização Saldo devedor


22

b) Um financiamento de $ 5.000.000,00, à taxa de 24% a.m., pago em 04 parcelas


mensais:

Período Prestações Juros Amortização Saldo devedor

2.5 VALOR PRESENTE LÍQUIDO (NPV)

É a soma das entradas e saídas, descapitalizadas, uma a uma, até o zero. Na HP


– 12C vem indicada pela sigla NPV (Net Present Value).

Exemplo: Sr. Chico Cavalcante emprestou $ 100.000,00 a um amigo que lhe prometeu
pagar $ 60.000,00 daqui a 1 mês e $ 75.000,00 daqui a 2 meses. Sabendo que a taxa de
descapitalização/desconto é de 20% a.m.. Calcule o valor presente líquido.

Verifique a existência no teclado das tecla azuis “Cf0” “, “Cfj” e “Cf0”representa o valor
do fluxo de caixa na data zero ( -100.000,00). “CFj” representa o fluxo de caixa numa
data diferente de zero, quando o j assume os valores de 1 a 20. Neste caso, o “Cf1”
representa o fluxo de caixa na data 1 ( + 60.000,00) e “Cf2” o fluxo de caixa na data 2 ( +
75.000,00).

TECLA VISOR COMENTÁRIOS


f REG 0,00 LIMPA AS MEMÓRIAS
100.000,00 CHS g CF0 -100.000,00 INTRODUZ CF0
60.000,00 g CFj 60.000,00 INTRODUZ O CF1
75.000,00 g CFj 75.000,00 INTRODUZ O CF2
20 i 20,00 INTRODUZ A TAXA
f NPV 2.083.33 VALOR PRESENTE LÍQUIDO

2.6 TAXA INTERNA DE RETORNO (IRR)

A taxa interna de retorno (IRR) é a taxa que torna o VPL nulo, ou seja, igual a
zero. Também chamada de Taxa efetiva de Rentabilidade. Na HP 12C vem indicada pela
sigla IRR ( Internal Rate of Return).

Exemplo:
Carbone aplicou $ 50.000,00 para resgatar $ 30.000,00 em um mês e $ 40.000,00 em
três meses. Determine a taxa efetiva de rentabilidade neste investimento.
23
Execute a seqüência:

F REG
50.000,00 CHS G CF0
30.000,00 g CFj
0 g CFj ( O segundo mês tem valor zero você deverá introduzi-lo).
400.000,00 g CFj
f IRR 17,71% a.m. Taxa de rentabilidade.
A IRR = 17,72% está armazenada em i. Se você pressionar f NPV aparecerá no visor um
número aproximadamente igual a zero. É lógico, pois IRR é a taxa que torna o NPV igual
a zero.

Exercícios:

1) Um empréstimo de $22.000,00 será liquidado em 3 parcelas mensais e sucessivas de


$12.000,00, $ 5.000,00 e $ 8.000,00. Considerando-se uma taxa de juros de 7% a m.,
calcular o valor presente líquido deste financiamento.

2) Determinar a taxa interna de retorno no fluxo de caixa a seguir:

2) Sr.Chico Cavalcante dirigiu-se a agência do Banco XX a fim de negociar sua dívida de


$ 15.000,00. Ele faz duas propostas:

a) Pagamento, em 01 ano, de $8.000,00 de entrada, mais 06 prestações mensais de


$1.800,00 e mais 06 prestações de $ 2.400,00;
b) Pagamento, no mesmo prazo anterior, de $5.000,00 de entrada, 06 prestações
mensais de $2.800,00 e ;mais 06 prestações de $3.400,00.
Admitindo-se que o Sr. Chico tem interesse em normalizar a pendência, e que a taxa de
juros do mercado é 25% a m., qual a melhor proposta para o Banco?

 Introduzir cálculos de depreciação linear/rendimento de títulos.

3. FUNÇÕES ESTATÍSTICAS

A HP 12 C pode realizar cálculos estatísticos com uma ou duas variáveis. Os


dados são introduzidos na calculadora usando-se a tecla + , a qual automaticamente
calcula estatísticas dos dados e as armazena nos registradores R1 a R6. (Tais
registradores serão doravante denominados “registradores estatísticos”).
Antes de começar a acumular estatísticas para um novo conjunto de dados, você
deve apagar os registradores estatísticos, pressionando f CLEAR .
Nos cálculos estatísticos com uma variável, para introduzir cada dado,
denominado “o valor de X”, introduza o X no visor e então pressione +. Quanto aos
cálculos com duas variáveis, para introduzir cada par de dados, denominados “o valor de
X e o valor de Y “.
24
1. Introduza o Y no visor;
2. Pressione ENTER;
3. Introduza o X no visor;
4. Pressione  +.

Cada vez que você pressionar  +, fará o seguinte:

 O conteúdo de R1 será incrementado de uma unidade, e o resultado será copiado no


visor.
 O valor de X será adicionado ao conteúdo de R2.
 O valor de X ao quadrado será adicionado ao conteúdo de R3.
 O valor de Y será adicionado ao conteúdo de R$.
 O valor de Y ao quadrado será adicionado ao conteúdo de R5.
 O produto dos valores de X e Y serão adicionados ao conteúdo de R6.

Tabela abaixo mostra como as estatísticas acumulados são armazenadas.

Registrador Estatísticas

R1 (e o visor) N: número de pares de dados acumulados

R2 x : somatório dos valores de x.

R3 x2 : somatório dos valores de x2

R4 y : somatório dos valores de y

R5 y2 : somatório dos valores de y2

R6 xy : somatório dos produtos dos valores


de x e y.

Corrigindo Estatísticas Acumuladas

Se você descobrir que introduziu dados incorretos, as estatísticas acumulados podem ser
facilmente corrigidas:

 Se o dado (ou par de dados) tiver acabado de ser introduzido, e + tiver sido
pressionada, pressione g LSTxg -.
 Se o dado (ou par de dado) ano for o mais recentemente introduzido, introduza o
dado (i ou par de dado) incorreto novamente, como se fosse um novo dado, e então
pressione g -, ao invés de +.

Tal procedimento cancela o efeito do dado (ou par de dados) incorreto. Basta agora
introduzir o dado corretamente, usando + como se fosse um novo dado.
25
Média

Ao se pressionar g X calcula-se as médias ( médias aritméticas) dos valores de x(x) e dos


valores de y (y). A média dos valores de x aparece no visor assim que x é pressionada;
para apresentar a média dos valores de y pressione x ><y.

Exemplo: - Uma pesquisa feita com sete vendedores de sua empresa revelou os dados
constantes na tabela dada a seguir. Quantas horas trabalha um vendedor, em média, por
semana?
Quanto ele vende, em média, por mês?

Vendedor Horas por semanas Vendas por mês $


1 32 1.700.000,00
2 40 2.500.000,00
3 45 2.600.000,00
4 40 2.000.000,00
5 38 2.100.000,00
6 50 2.800.000,00
7 35 1.500.000,00

Desvio Padrão

Ao se pressionar g s calcula-se o desvio padrão dos valores de x (Sx) e dos valores de y


Sy). ( O desvio padrão de um conjunto de dados é a medida da dispersão em torna da
média). O desvio padrão dos valores de x aparece no visor assim que s é pressionada;
para apresentar o desvio padrão dos valores de y, pressione x><y.

Exemplo: - Para calcular os desvios padrão dos valores de x e de u do exemplo anterior:

Pressione Visor
Gs 482.059,08 Desvio padrão das vendas
x><y 6,03 Desvio padrão das horas trabalhadas

Média Ponderada

Você pode calcular a média ponderada de um conjunto de números se você conhece os


pesos de cada um dos itens em questão.

1. Pressione f CLEAR 
2. Pressione o valor do item, pressione ENTER, introduza seu peso e pressione +.
Introduza o valor do segundo item, pressione ENTER, introduza o segundo peso e
pressione +. Prossiga até introduzir todos os valores dos itens e seus pesos
correspondentes. A regra para introdução dos dados é “item ENTER peso + “.
3. Pressione g xw para calcular a média ponderada dos itens.

Exemplo: - Suponha que durante uma viagem de férias à praia você tenha parado em
quatro restaurantes e comido seu prato favorito: camarões. O consumo e o custo unitáiro
em cada restaurante foi o seguinte: 15 camarões a $116,00 cada um, 7 a $124,00 10 a
$120,00 e 17 a $118,00.
Você deseja calcular o custo médio de cada camarão consumido. Se você estivesse
comprado a mesma quantidade em cada restaurante, bastaria usar a tecla x e calcular
26
uma média aritmética simples. Como você sabe o valor de cada item e seu peso
correspondente, usa a tecla xw para determinar a média ponderada.

4. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE PROGRAMAÇÃO

4.1 Criando um Programa

Criar um programa consiste simplesmente em escrevê-lo, e então armazená-lo:

1. Escreva a seqüência de teclas que você usaria para calcular a quantidade (Ou
quantidades) desejada(s):
2. Pressione f P/R para colocar a calculadora no Modo Programação. Quando a
calculadora está nesse modo, as funções não são executadas quando são
introduzidas; elas são simplesmente armazenadas na calculadora. O indicador de
estado PRGM fica aceso no visor, indicando que tal modo está ativo.
3. Pressione f CLEAR PRGM para apagar programas anteriores armazenados na
calculadora. Se você deseja criar um programa sem apagar um que já esteja
armazenado, salte este passo, este procedimento será descrito posteriormente.
4. Introduza a seqüência de teclas que você escreveu no passo nr. 1. Ignore as teclas de
introdução de dados iniciais, pois os mesmos poderão variar a cada uso do programa.

Exemplo: - O seu fornecedor de material de escritório está promovendo um desconto de


25% nos preços de uma série de produtos. Crie um programa para calcular os custo
líquido de um item após a subtração do desconto e da adição de uma sobretaxa de $5,00.

Inicialmente, vamos calcular manualmente o custo de um item cujo preço de tabela é de


$20.000,00:

Pressione Visor
20000 20.000, Introduz o preço do item
ENTER 20.000, Separa o preço da porcentagem a ser
Introduzida em seguida.
25% 5.000,00 Valor do desconto
- 15.000,00 O preço menos o desconto
5 5,00 A sobretaxa
+ 15.005,00 Custo líquido ( o preço menos o desconto e
mais a sobretaxa).

A seguir, coloque a calculadora no modo de programação e apague qualquer programa(s)


existente.

Pressione Visor
f P/R 00- Coloca a calculadora no modo de programação
f CLEAR PRGM 00- Apaga os programas existentes

Finalmente, pressione as teclas que usamos acima para resolver o problema


manualmente. Não introduza o 20.000,00; esse número variará cada vez que o programa
for usado. Não se preocupe, no momento, com o que aparecer no visor quando você
pressionar as teclas; isso será visto um pouco mais adiante, ainda nesta seção.

Pressione Visor
27
ENTER 01- 36
2 02- 2
5 03- 5
% 04- 25
- 05- 30
5 06- 5
+ 07- 40

Executando um programa

Para executar um programa:

1. Pressione f P/R para recolocar a calculadora no modo Run (de execução). Se a


calculadora já tiver no modo Run ( ou seja, se o indicador de estado PRGM estiver
apagado), salte este passo.
2. Introduza na calculadora o dado necessário, como se você estivesse calculando
manualmente. Quando um programa é executado, ele usa os dados que estiverem no
visor e nos registradores internos da calculadora.
3. Pressione R/S para iniciar a execução do programa.

Memória de Programação

As seqüências de teclas que são introduzidas na calculadora no modo de


programação são armazenadas na memória de programação. Cada dígito, ponto
decimal ou tecla de função é denominada instrução e é armazenado numa linha de
programa. As seqüências de teclas começando com as teclas de prefixo f, g, STO, RCL e
GTO são tratadas como uma instrução completa e armazenada numa única linha de
programa.

Identificando Instruções na Linha de um Programa

Cada tecla do teclado da HP-12C ( com exceção das correspondentes aos dígitos
0 e 9) é identificado por um código de tecla de dois dígitos, correspondendo à posição da
tecla no teclado. O primeiro dígito do código de tecla é o número da linha do teclado; por
exemplo, a primeira de cima para baixo é a de número 1. O segundo dígito indica a
posição da tecla nessa linha, variando de 1 a 9, da esquerda para a direita ( o dígito 0
corresponde à 10a tecla do linha). O código de tecla correspondente aos dígitos
numéricos é composto simplesmente pelo próprio dígito da tecla. Dessa forma, quando
você introduziu a instrução % na memória de programação, a calculadora apresentou no
visor.

04 25
Isso indica que a tecla correspondente à instrução contida na 4a. linha do
programa fica na 2a. linha do teclado, e é a 5a. tecla dessa linha: a tecla %. Quando você
introduziu a instrução + na memória de programação calculadora apresentou no visor:

07 40
28
Isso indica que a tecla correspondente à instrução continha na 7a. linha da
memória de programação fica na 4a. linha do teclado e é a 10a. tecla dessa linha: a tecla
+. Quando você introduziu o 5 na memória de programação, o código de tecla
apresentado foi apenas o dígito 5.

Executando uma linha do programa por vez.

A pressão repetida da tecla SST, estando a calculadora no modo de


programação, permite que você verifique se o programa que você armazenou é idêntico
ao programa que você escreveu, ou seja, permite que você constate a correção das
instruções introduzidas. No entanto, isso não garante que o programa calcule os
resultados desejados corretamente: mesmo os programas criados pelos programadores
mais experientes muitas vezes não funcional corretamente na sua versão original.
Para ajudá-lo a verificar a correção dos seus programas, você pode executá-lo
uma linha por vez, usando a tecla SST. Pressionando SST com a calculadora no modo
RUN, posiciona-se a calculadora na próxima linha de memória de programação, e é
apresentado no visor o número da linha e o código da tecla da instrução nela
armazenada, tal como no modo de programação. No modo Run, no entanto, quanto a
tecla SST é solta, a instrução da linha do programa que acabou de ser apresentada é
executada e o visor mostra o resultado da execução dessa linha.

Interrompendo a Execução do Programa.

Ocasionalmente você poderá desejar interromper a execução de um programa


para verificar um resultado intermediário ou introduzir novos dados. A HP – 12C fornece
duas função para se fazer isso: PSE e R/S.

Pausas Durante a Execução de um Programa

Quando um programa executa uma instrução PSE, a execução do programa é


interrompida por cerca de 1 segundo, reiniciando a seguir. Durante a pausa, a calculadora
apresenta no visor o último resultado calculado antes da instrução PSE ser executada.

Exemplo: - Crie um programa que calcule os resultados das colunas VALOR, IMPOSTO e
TOTAL, de um pedido de compra de uma joalheria, apresentado a seguir. Calcule
também o total de cada uma dessas 3 colunas. O imposto sobre o valor de cada
transação é de 6,75%.