Você está na página 1de 137

Modalidade Semipresencial

Rio de Janeiro
2018
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Reitor
Ruy Garcia Marques

Vice-reitora
Maria Georgina Muniz Washington

EDITORA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Conselho Editorial
Glaucio José Marafon (presidente)
Henriqueta do Coutto Prado Valladares
Hilda Maria Montes Ribeiro de Souza
Italo Moriconi Junior
José Ricardo Ferreira Cunha
Lucia Maria Bastos Pereira das Neves
Luciano Rodrigues Ornelas de Lima
Maria Cristina Cardoso Ribas
Tania Maria Tavares Bessone da Cruz Ferreira
​​An​í​bal Francisco Alves Bragança (EDUFF)
Katia Regina Cervantes Dias (UFRJ)
Copyright © 2018 dos autores.
Todos os direitos desta edição reservados à Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. É proibi-
da a duplicação ou reprodução deste volume, ou de parte do mesmo, em quaisquer meios, sem autorização
expressa da editora.

EdUERJ
Editora da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã
CEP 20550-013 – Rio de Janeiro – RJ – Brasil
Tel./Fax.: 55 (21) 2334-0720 / 2334-0721
www.eduerj.uerj.br
eduerj@uerj.br

Editor Executivo Glaucio Marafon


Coordenadora Administrativa Elisete Cantuária
Coordenadora Editorial Silvia Nóbrega
Assistente Editorial Thiago Braz
Coordenador de Produção Mauro Siqueira
Capa Israel Torgano
Projeto Gráfico Guilherme Peres
Diagramação Israel Torgano

CATALOGAÇÃO NA FONTE UERJ/REDE SIRIUS/NPROTEC

J82 Jornada Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Geografia


(1. : 2018 : Rio de Janeiro)
[Resumos] 1ª Jornada Acadêmica do Curso de Licenciatura
Plena em Geografia : modalidade semipresencial [recurso eletrônico]
/ 1ª Jornada Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em
Geografia. - Rio de Janeiro : EdUERJ, 2018.
1 recurso online (137 p.) : PDF.

1. Geografia - Congressos. 2. Professores - Formação -


Congressos. I. Título

CDU 91(063)

Bibliotecária: Leila Andrade CRB7/4016


FUNDAÇÃO CECIERJ / CONSÓRCIO CEDERJ – CENTRO
DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA DO
ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Prédio da Central do Brasil - Praça Cristiano Ottoni, S/N - 6º andar Centro


Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20221-250 - Mapa CEDERJ, Clique Aqui
Telefone: (21) 2234-5374
Região Metropolitana Rio de Janeiro 21-2334-1583
Região Sul Fluminense 24-24319982 Região
Norte Fluminense 22-3861-4844

Presidente Assessoria de Comunicação


Carlos Eduardo Bielschowsky Lídia Azevedo

Vice-Presidente de Educação Assessoria Jurídica


Superior a Distância Isabella Pereira de Almeida Araujo
Marilvia Dansa de Alencar
Assessoria de Projetos Especiais
Vice-Presidente Científica Tânia Maria Ferreira Quintella
Monica Dahmouche
Assessoria de Planos e Orçamento
Chefe de Gabinete Rosemary Gomes Moreira da Costa
Maria Luciana de Assis Faustino Teixeira
Instituto de Geografia
Diretoria de Administração e Finanças
Emerson Couto Aguiar Diretor
Hindenburgo Franciso Pires
Diretoria de Extensão
Elizabeth Ramalho Soares Bastos Coordenação do Curso de Licenciatura
Plena em Geografia
Diretoria de Polos Regionais Glaucio Marafon
Maria Luisa Porto de Figueiredo
Cabral Marchiori Coordenação de Tutoria
Vanilda Teofilo
Diretoria de Tutoria
Marianna Bernstein Tutores Coordenadores dos Polos:
Carlos Silva Loçasso (Barra do Piraí)
Diretoria de Pré-Vestibular
Luiz Bento Fabio Guimarães Oliva (Niterói)
Neimar Salgado de Souza (Natividade)
Diretoria Acadêmica Rodrigo Batista Lobato (Campo Grande)
Marilvia Dansa de Alencar Valdineia Maria Teixeira Silva (Três Rios)
Sumário

Apresentação__________________________ �������� 8
Barra do Piraí____________________________________ 9
Campo Grande_________________________________34
Natividade_____________________________ �������51
Niterói_________________________________ �������69
Nova Friburgo__________________________________92
Três Rios_______________________________ ����� 114
Apresentação

Esta publicação contém o resumos dos alunos do curso de Licenciatura


em Geografia, na modalidade semipresencial. Esses textos representam o está-
gio das investigações realizadas e que resultarão nas monografias de conclu-
são do curso. Todos os alunos contam com um orientador, que os auxilia na
realização da pesquisa.

Durante o mês de novembro de 2018, esses trabalhos foram apresenta-


dos nos polos de Barra do Piraí, Natividade, Nova Friburgo e Três Rios. Os alu-
nos dos polos de Campo Grande e Niterói realizaram suas apresentações no
campus da UERJ Maracanã. A apresentação foi efetuada para coordenadores
de disciplinas e tutores (TD e TP), visando promover reflexão e orientação das
pesquisas efetuadas no âmbito do curso.
Barra do Piraí
10 Barra do Piraí

1. Identificação de Ravinas e Voçorocas na Microbacia


do Rio Ipiabas - Barra do Piraí (Rj)

Autor: Adriana Gomes de Mattos


Orientador: Pablo Jordão da Silva

É possível observar na região do médio Vale do Paraíba, em específico no Sul


Fluminense, a ocorrência de processos erosivos acelerados, devido ao intemperismo e o
manejo do solo durante ciclo do café, posteriormente com a ocupação da agropecuária e
atualmente com a ocupação populacional irregular das encostas. Este fato despertou o
interesse de investigar como ocorrem esses processos erosivos, como são denominados
e se tem solução para este problema. Para pôr em prática esta investigação foi
selecionado a localização da microbacia do rio Ipiabas Desta forma, o projeto de pesquisa
tem o objetivo de identificar algumas voçorocas e ravinas que estão localizadas na
microbacia do rio Ipiabas, afluente à margem esquerda do rio Paraíba do Sul. Para o
bom desenvolvimento do tema será apresentado conceitos relacionados aos processos
erosivos e suas formas a serrem identificados e exemplificações de acordo com estudos
geomorfológicos. Também contará com imagens para visualização do problema e
pesquisas relacionadas ao assunto que apontem os condicionantes que originam esse
tipo de erosão. Porque elas estão em grande incidência neste local? E se podemos
controlar ou amenizar esse tipo de erosão? Destarte, o trabalho de campo auxiliará
na compreensão dos processos erosivos e suas formas consequentes, auxiliando na
articulação entre a teoria e a prática e possibilitando a identificação das voçorocas
e ravinas com intensiva observação. Após a pesquisa teórica e a prática de campo,
ficou claro que os processos erosivos vêm acentuando ao longo do tempo devido uso
incorreto do solo e interferência antrópica, mas podemos contê-las no início, com a
plantação de vegetação específica e com barreiras, a fim de que não aumentem a ponto
de formar uma área Badland.
Palavras-chave: Erosões; Voçorocas; Ravinas.
Barra do Piraí 11

2. O Uso do Google Earth como Ferramenta de


Geomorfologia no Ensino de Geografia

Autor: Aline Fraga Pinho Carvalho


Orientador: Giselle Ferreira Borges

As tecnologias associadas aos meios computacionais conectados estão presentes


nas sociedades do mundo globalizado (SANTOS, 2002). O avanço tecnológico contribuiu
significativamente para o Ensino/Aprendizagem, colocando a tecnologia como fator
de ampliação ao acesso às informações. Assim, os meios informacionais contribuem
para o ensino de Geografia, possibilitando o acesso há variedade de instrumentos
através da Internet e diferentes softwares. Uma boa escolha é a utilização do Google
Earth. Este programa pode contribuir para o ensino e aprendizagem (LIMA, 2012).
Dessa forma sendo capaz de motivar e despertar o maior interesse por parte dos
discentes para os temas geográficos como a Geologia, a Hidrografia, a Geomorfologia,
etc. Para o desenvolvimento da pesquisa serão utilizadas ferramentas tecnológicas em
aulas de Geografia do 9º ano (Ensino Fundamental 2) e no 2º ano (Ensino Médio)
como recurso didático, caso o professor julgue necessário de acordo com o conteúdo
trabalhado. Utilizaremos três recursos como ferramenta trabalhando os conceitos
relacionados à Geomorfologia. Primeiro o uso de imagens históricas permitindo ao
aluno comparar diferentes imagens possibilitando a percepção das transformações
causadas pelo tempo. O segundo uso será pelo StreetView a ser utilizado no pré-campo
analisando o que será estudado, levantando hipóteses e questões. E por último o uso
do Perfil Topográfico para analisar o perfil altimétrico de um terreno, para análises
morfométricas. Para isso essas ferramentas possibilitam o estímulo e empenho ao
uso de tecnologias como ferramentas relevantes que auxiliem a proposta pedagógica
para o conhecimento geográfico. De modo, a explorar as valências que a ferramenta
Google Earth oferece, identificando os potenciais dos elementos importantes para o
conhecimento geográfico. Além de listar os recursos importantes que a ferramenta
apresenta, capazes a serem trabalhados e também questões ligadas a Geomorfologia
no Ensino da Geografia. Portanto, uma das formas de explorar um lugar é realizando
o trabalho de campo. Quando não é possível, devemos procurar outros recursos, como
por exemplo, as ferramentas tecnológicas que permitem o aluno explorar o espaço
geográfico.
Palavras-chave: Google Earth; Ensino; Geografia Física.
12 Barra do Piraí

3. Geografia como Arma Geopolítica

Autor: Carina Ribeiro Ignácio


Orientador: Gabriel Fortunato

A ciência geográfica, desde os seus primórdios até os dias atuais, vem sendo utilizada
por inúmeros governos como instrumento para fins geopolíticos, se configurando
assim como uma ciência de guerra nas esferas política, militar e social. Nesse sentido,
a ciência geográfica toma a forma de uma arma poderosa nas mãos de um Estado,
seja ele democrático ou autoritário, pois além de fornecer o conhecimento do espaço
físico e territorial, ela fornece também o conhecimento social, cultural e humano.A
atual formação do espaço geográfico globalizado se insere numa dinâmica formada por
relações de poder. A consciência da presença da ciência geográfica no funcionamento
do aparato Estatal nos permite compreender como essas relações de poder se
desenvolvem e determinam as decisões políticas do mundo em que vivemos.Dessa
forma, nossa premissa aqui é promover a conscientização e o debate sobre o papel que
a ciência geográfica tem na dinâmica geopolítica, ao servir como instrumento político,
militar e social aos interesses do Estado, em suas relações de poder interestatais e com
a população, a partir de uma perspectiva mundial e globalizada.A metodologia aplicada
na pesquisa é baseada na revisão bibliográfica de pensadores como Yves Lacoste, com
sua obra “A Geografia – isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra” (1976)
e Claude Raffestin, com sua obra “Por uma Geografia do Poder” (1980), buscando
contextualizar essas obras com os dias atuais, e correlacionar com a obra de outros
autores. Além disso, o mapeamento e pesquisa de fatos históricos que se inserem na
temática investigada serão abordados. Portanto, a condição da ciência geográfica que
a configura como uma arma geopolítica nas mãos do poder estatal através de séculos,
nos leva a uma percepção crítica da própria geografia e seu uso como ciência de guerra.
Isso permite alcançar um olhar livre de estigmatizações conformistas, e nos traz a
responsabilidade de denunciar e expor essa condição. Estudar essa natureza política
da geografia se torna imprescindível para compreender a formação do atual espaço
geográfico globalizado e a dinâmica geopolítica que controla nossa sociedade e o nosso
futuro.
Palavras-chave: Ciência geográfica; Poder estatal; Geopolítica
Barra do Piraí 13

4. Identificação das Fontes de Poluição Hídrica: Um


Estudo de Caso a Partir do Distrito de Vargem Alegre-
Barra do Piraí/Rj

Autor: Cíntia Barreira Martins Carvalho


Orientador: Pablo Jordão da Silva

A água é o elemento fundamental à vida, se caracterizando como elemento


insubstituível em diversas atividades humanas mantendo o equilíbrio do meio ambiente.
O acelerado crescimento populacional tem conduzido o aumento da demanda por água,
o que vem ocasionando, em várias regiões, problemas de escassez desse recurso. Por
sua vez, a descarga de efluentes domésticos, sem o devido tratamento, hoje em dia são
as fontes que mais poluem os rios. Para melhor identificar as fontes de poluição hídrica
de origem doméstica, lançada no trecho do rio Paraíba do Sul no Distrito de Vargem
Alegre-Barra do Piraí – RJ essa pesquisa tem como objetivo analisar as mudanças de
qualidade das águas através do marco temporal compreendido entre os anos de 2015
e 2018, este último marcando o início das atividades de monitoramento da Estação
58315100 / ANA / Vargem Alegre, monitorada pela CEDAE e de acordo com os
parâmetros de qualidade da água dispostos pelo CONAMA. Dentre os parâmetros
químicos que revelam as fontes de poluição estão a DBO (Demanda Bioquímica de
Oxigênio) e o OD (Oxigênio Dissolvido), que apresentam o nível de poluição orgânica
de origem doméstica em um corpo d’água. A pesquisa é quantitativa e serão utilizados
dados de gabinete como IBGE, CONAMA, ANA, SNIS e Plano Diretor municipal,
tratamento de dados por pesquisas bibliográficas e artigos já publicados. Neste trecho
do rio Paraíba do Sul, onde ocorre o despejo de esgoto domestico, é possível notar uma
carga de poluição bem significativa, que tanto prejudica este manancial bem como causa
impactos que podem afetar a qualidade da água ou mesmo inviabilizar o seu uso para
abastecimento humano, acarretando danos à saúde da população que são submetidos
ao efeito desta poluição.

Palavras-chave: Rio Paraíba do Sul, efluente doméstico, carga orgânica


14 Barra do Piraí

5. O Livro Didático e as Novas Tecnologias no Ensino da


Geografia

Autor: Cláudia Pires de Brito


Orientador: Pablo Jordão da Silva

O presente trabalho direciona-se para o Livro Didático (LD), suas deficiências e


sua utilidade diante das novas geotecnologias enquanto recurso didático disponível aos
alunos dos anos finais do ensino fundamental. A pesquisa tenciona avaliar a relevância
de usar o LD que mesmo passando por avaliações e revisões ainda chega às escolas com
erros, o gasto com publicações que muitas vezes não atendem a comunidade escolar
a que se destina e o desperdício de livros sendo descartados no lixo ainda embalados.
Diante das novas tecnologias entre elas celular, smartphone, tablet, laboratório de
informática, fica latente que não podem ser ignoradas pois assim como se modifica a
forma de ler, modifica-se também a forma de ensinar. A interatividade e a motivação
que as geotecnologias despertam nos alunos mostram que essas ferramentas vieram
para ficar e o ensino-aprendizagem de Geografia não pode ficar aquém. Ao longo de
oito décadas do Programa Nacional do Livro Didático (PNDL) muito se tem feito em
prol de aperfeiçoamento e avaliações, entretanto o questionamento que se faz é se o LD
ainda deve persistir no seu intuito de levar informações e conhecimentos para as salas
de aula do mesmo modo que vem fazendo desde o século passado. Deve se levar em
consideração que o gasto de dinheiro público com a aquisição e distribuição é uma soma
exorbitante. Aliando-se a esse fato temos o desperdício de livros não utilizados. Para
demonstrar os objetivos citados referentes ao tema como fonte primária utilizaremos
questionários com alunos e professores do 9º ano do ensino fundamental, entrevistas
com professores e como fonte secundária faremos a pesquisa em artigos científicos
que corroborem a questão, assim teremos uma tese com perspectivas quantitativa com
dados mensuráveis que obteremos dos questionários e qualitativa através da pesquisa
bibliográfica. Destarte tencionamos mostrar como o uso das novas tecnologias além
de mais atraentes aos alunos, geram mais informações e envolvimento nas práticas
pedagógicas.
Palavras-chave: Livro Didático; Tecnologias; Ensino de Geografia
Barra do Piraí 15

6. As Transformações Socioambientais
Ocorridas na Cidade de Barra do Piraí
Estudo de Caso: Apa Municipal Horto Florestal

Autor: Cristiane de Souza Lopes


Orientador: Pablo Jordão da Silva

O presente trabalho tem como objetivo identificar as transformações


socioambientais ocorridas no espaço geográfico da cidade de Barra do Piraí, com uma
atenção especial voltada para a APA Municipal Horto Florestal e como elas impactaram
a comunidade do entorno dessa área. Entendemos transformações socioambientais
como um processo de mudanças ocorridas num determinado espaço de tempo, em
algum lugar ou determinada região envolvendo a relação entre o indivíduo e o meio
ambiente. Levamos em consideração o conceito de paisagem que é uma das categorias
da Geografia que nos possibilita identificar as transformações socioambientais
ocorridas, no bairro Represa, onde se encontra o objeto de estudo. Evidenciar que
a transformação da natureza, também modifica a paisagem que sofre processos de
atuações antigas, remodelados e modificados por uma nova atuação é a contribuição
que essa pesquisa pode dar a sociedade e ao meio científico, por partir de uma escala
local que pode servir de comparativo com outras escalas de análise espacial. A questão
ambiental se apresenta quanto ao conceito norteador que deveria ser o ponto crucial das
políticas públicas do município no tocante a conservação dos recursos naturais dessa
APA. Muitos foram os fatores que motivaram a realização dessa pesquisa: o fato dessa
localidade ser uma área de proteção ambiental das mais importantes da cidade, por
ser uns dos corredores de biodiversidades que integram a Mata Atlântica ao Tinguá
- Bocaína, por ser importante ponto de ligação e conter vários fragmentos de Mata
Atlântica que não são estudados ou preservados adequadamente, além da topofilia e
das histórias e mitos que eram contados sobre o local. Observamos nessa pesquisa que
ao alterar a natureza no espaço geográfico do Horto Florestal com a construção da
represa que fornece água ao bairro, a paisagem modificou-se o que levou a degradação
do meio ambiente e isso influenciou a dinâmica local mudando a configuração social,
cultural, econômica e até mesmo política.
Palavras-chave: Transformações socioambientais, Barra do Piraí, Questão Ambiental.
16 Barra do Piraí

7. Transformações do Espaço Rural Fluminense:


O Exemplo do Rio Rural no Município de Barra
do Piraí - Rio de Janeiro

Autor: Daniela Meirelles Maia


Orientador: Glaucio José Marafon

Em análise ao espaço rural fluminense, pode-se observar que atualmente o Estado


do Rio de Janeiro apresenta uma taxa de urbanização de aproximadamente 95%. Porém,
o foco da investigação é a transformação do espaço rural fluminense, com maior foco
no município de Barra do Piraí, localizado na região do Médio Paraíba, importante
palco do Ciclo do Café. Com o declínio do café, o estado e também o município foco
passam a se dedicar a diferentes atividades agropecuárias, que a partir de então passa
a ter menor representatividade da economia local. A partir disso, a área rural barrense
passa por fortes crises, e com a desvalorização da atividade e do produtor rural, há
um perceptível encolhimento da atenção do poder público em tal área. Diante dessa
realidade de abandono, a partir de 2014 a Secretaria de Agricultura do Rio de Janeiro,
em parceria com o Banco Mundial, iniciou o processo de implantação do Programa
Rio Rural no município, com execução da EMATER-RIO. Utilizando Microbacias
como unidade de planejamento, o Rio Rural promove a disponibilização de incentivos
a fundo perdido aos produtores rurais através de projetos individuais e coletivos, com
intuito de investimento à propriedade rural, com a prerrogativa de uma contrapartida
ambiental sustentável por parte do beneficiário. A microbacia como área territorial
de ação possui capacidade de elencar elementos sociais, econômicos e ambientais.
Contemplar esses três setores de desenvolvimento permite a visão sistemática para a
articulação das ações necessárias ao desenvolvimento do programa concomitante ao
desenvolvimento local. A valorização do produtor rural como protagonista das ações
é de fundamental importância para o sucesso do desenvolvimento do Rio Rural na
Microbacia. A EMATER promove ações para o protagonismo dos produtores rurais
junto ao programa no território, já que os sujeitos são levados a refletir para além
das questões econômicas e passam a integrar o desenvolvimento coletivo, atuando na
construção da compreensão destes sujeitos e seu lugar no mundo.
Palavras-chave: Barra do Piraí; Microbacia; Rio Rural
Barra do Piraí 17

8. Readaptação dos Professores de Geografia do Ensino


Fundamental e Médio diante dos Avanços Tecnológicos,
e a Globalização

Autor: Eliete Lima

A presente pesquisa tem como objetivo principal problematizar questões referentes


as dificuldades e possibilidades em relação ao uso dos recursos didáticos nas aulas de
Geografia.Ao mesmo tempo em que defendemos esta prática, a resistência na utilização
destes materiais por parte de docentes, também é relevante, seja por desinformação ou
mesmo por medo do novo e despreparo diante dos novos recursos disponíveis.Encarar
novos desafios muita das vezes causa um certo receio por parte dos professores e nos
desafios da prática permanecer no conteudismo, na memorização e no distanciamento
da realidade dos alunos se torna prático, porém essas questões vem mudando a cada dia,
devido aos avanços das tecnologias e dos meios de comunicação.A formação docente,
que por vezes pode apresentar dificuldades em absorver estas novas demandas do
cotidiano escolar, é um fator muito importante nessa discussão. É neste aspecto que se
pretende ajustar o foco desse estudo. Entender porque, embora a Geografia ofereça
um imenso potencial em relação ao uso de materiais didáticos, percebe-se que, muitos
professores se recusam a utilizar as novas metodologias tecnológicas oferecidas.Os
professores que se articulam com novas ferramentas tecnológicas e as incorporam no
processo de ensino aprendizagem, têm condições de promover a igualdade e a qualidade
na educação, além de aproximar a escola ao universo do aluno. A Geografia moderna
consiste em uma dinâmica interdisciplinar que permite interagir com outras disciplinas,
como a História, Economia, Biologia entre outras, e desse modo ela analisa e tenta
explicar o espaço no e em qual o homem vive e produz. Também se preocupa com o meio
ambiente, com o aumento da população, com a urbanização e todo esse contexto gera
muitas discussões e críticas sobre essas questões. De acordo com esta perspectiva, a
prática docente não pode se resumir somente à matéria, em si mesma é preciso ir além,
do quadro, do giz, do livro didático, despertar o interesse do aluno, mostrar a ele que o
conhecimento não é algo pronto, mas sim, o que pode ser construído, revisto, pensando
na sua realidade e valorizando os seus conhecimentos.Pensando nisso, pretende-
se contribuir com esse campo de análise porque, torna-se cada vez mais relevante a
necessidade de repensar os métodos pedagógicos na Geografia, perante os avanços
tecnológicos e a globalização, de maneira que a informação se espalha e se difunde em
uma grande velocidade, graças aos avanços dos recursos tecnológicos de informática
e de telefonia, da cada vez maior possibilidade de acessibilidade da internet por parte
de docentes e alunos, assim, percebe-se cada vez menos espaços para professores que
insistem em permanecer engessados no sistema tradicional, não buscando uma contínua
formação e atualização de estratégias e recursos que tornam o ensino-aprendizagem
mais atraente.
18 Barra do Piraí

9. A Interdisciplinaridade da Educação Ambiental e a


Geografia. Estudo de Caso na Escola Municipal Cecílio
Barbosa da Paixão.

Autor: Elisiane Silva Cardoso


Orientador: Cíntia de Andrade Correa

Justifica-se a importância da temática sobre educação ambiental na visão


integradora professor e aluno, compreendendo o tempo e espaço vivido, que tem
destaque a escola como forma de integrar atividades de sala de aula com atividades
extracurriculares, como as aulas de campo. A importância da educação ambiental na
prática docente é uma tentativa da sociedade que requer pela formação dos docentes
levando em conta o trabalho interdisciplinar no currículo escolar. A problemática
envolve todo embasamento dado por lei, onde autores como Crespo, Dias Freire e Raquel
Bento que nos trazem esse enriquecedor conhecimento na área da interdisciplinaridade.
Os objetivos serão avaliados a partir da integração dos conteúdos educacionais e sua
importância na abordagem da educação ambiental no âmbito formal e não formal. Para
confirmação da tendência sobre a interdisciplinaridade em sala de aula, utilizamos o
método quantitativo, através de questionários de múltipla escolha abertas e fechadas
aos professores da rede. Os resultados parciais contam com 10 professores que se
disponibilizaram a realizar este questionário, que ainda não foi concluído com o número
exato de tendências em sala de aula. A pesquisa se encontra em desenvolvimento.
Compreendemos que os resultados obtidos são dados por demandas culturais e
históricas da humanidade que vem perdurando ao longo dos anos, consequentemente
identificando algumas dificuldades ao se pensar em educação ambiental interdisciplinar
ao gerir assuntos deste tema o mais cedo possível na vida escolar.

Palavras-chave: Interdisciplinaridade, educação ambiental, sustentabilidade


Barra do Piraí 19

10. Africanidades Brasileiras a Herança da Colonização

Autor: Elizabeth Carla de Oliveira Viana


Orientador: Gabriel Fortunato

A diversidade cultural da África repercutiu na diversidade dos escravos,


integrantes de diferentes etnias que refletiam nos diversos idiomas e trouxeram muitas
tradições; da mesma forma que a cultura a indígena, a cultura africana foi geralmente
eliminada pelos colonizadores. Na colônia, os escravos aprendiam o português, eram
batizados com nomes portugueses e obrigados a se converter ao catolicismo. Os
africanos contribuíram para a cultura brasileira em uma enormidade de aspectos: dança,
música, religião, culinária e idioma, eles foram escravizados sempre muito criticados
pelos colonizadores; na sua fé, na maneira de cantar, dançar, na sua alimentação e em
seu comportamento social, foram séculos de sofrimentos e lutas pela liberdade, mas
essa liberdade não deve se limitar somente a assinatura do documento da Lei Áurea,
muito pelo contrário, essa liberdade deve ser conquistada no sentido mais amplo da
palavra, liberdade que não veio com a assinatura do documento da Lei Áurea.O negro
não conseguiu o devido valor e ainda é escravo de preconceitos e discriminações,a luta
do negro pela sua liberdade não acabou.Existe orgulho do brasileiro pela sua herança
cultural?É preciso conhecer e difundir a cultura africana para que a partir desta
possamos conhecer a nossa própria cultura, pesquisar cada elemento da cultura africana
que foi inserido no Brasil e a contribuição recebida pela região Sudeste. É preciso fixar
que a cultura africana não está presente somente na culinária, idioma,música, dança ou
religião, ela está presente no Brasil até a atualidade, representada nos em alguns ritos
religiosos, jogos como a capoeira, nas danças como samba e lambada, entre outros. A
contribuição do negro está presente em inúmeros segmentos da nossa cultura.

Palavras-chave: Cultura africana; Liberdade; Herança cultural


20 Barra do Piraí

11. O Ensino de Geografia, Aliado a Educação Ambiental e


a Sustentabilidade no Ensino Fundamental - Anos Finais

Autor: Fernando Jorge André


Orientador: Patrícia Quadros Gondim Leite

Nos dias atuais, a sociedade passa por enumeras mudanças, não só no meio social
com também político, econômico, climático, etc. Chegam com precisão e rapidez, todas
as informações necessárias as pessoas devido a vinda da tecnologia. Tal fato, traz suas
positividades e suas negatividades, pois nossos adolescentes em transição, precisam
de informações que mantenham viva sua cidadania, que gerem conhecimentos, que
tragam questionamentos que acabem com sua curiosidade e de acordo com a LDB,
art. 22 “ A Educação Básica tem por finalidade desenvolver o educando, assegurando-
lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe
meios de progredir no trabalho e em estudos posteriores”. (2017,p. 17). O presente
trabalho tem como objetivo criar no ambiente escolar ações e projetos que estimulem
a curiosidade dos alunos através da temática em se trabalhar a Educação Ambiental,
ligada a sustentabilidade, dentro da disciplina de Geografia. Cria-se vertentes inseridas
nos tópico que fazem ligação com o ambiente como a Cartografia ou a Geografia da
população, esta última ligada à mudanças ambientais, como barragens, por exemplo. Tal
trabalho tem como objetivo inserir a Educação Ambiental, na parte de sustentabilidade,
em salas de aula de séries finai, proporcionando a diversificação de aprendizado desse
alunos, já que o mesmo assunto irá proporcionar aulas no próprio campo. Foi observado
em salas de aula que a deficiência nos alunos em relação a falta de entendimento sobre
Educação Ambiental e sustentabilidade, muitos não sabem o que é e nem aplicar no dia
a dia, já que não é oferecido tal transformação para a melhoria não só para os alunos,
como para o meio ambiente, o que tem uma importância enorme nos dias atuais.
Palavras-chave: Sustentabilidade; Educação Ambiental; Geografia
Barra do Piraí 21

12. A Importância da Abordagem de Temas Ligados a


Educação Ambiental nas Escolas: Um Estudo sobre
como o Tema é Abordado no Município de Barra Mansa

Autor: Izabel Cristine da Silva Dias


Orientador: Cintia de Andrade Correa

Neste trabalho apresentaremos a evolução da Educação Ambiental no Brasil


e no mundo, expondo de que forma essas questões começaram a ser abordadas, as
inquietações e posteriores conferências que deram origem a um debate mundial sobre
este assunto. Mesmo que só tenha tomado força a partir da década de 1960, quais
os avanços foram alcançados no intuito de reduzir os impactos ambientais causados
pelas políticas e ações capitalistas e como se posiciona principalmente nosso país com
relação a conservação e preservação do meio ambiente. A partir daí analisaremos o
currículo mínimo do ensino fundamental do município de Barra Mansa bem como
do Estado do Rio de Janeiro e as ações que ambos têm desenvolvido nas escolas no
sentido de conscientizar os alunos dos problemas ambientais causados pela degradação
e esgotamento dos recursos minerais. Embora não seja atualmente uma disciplina,
mas um conteúdo que pode transitar por várias disciplinas, será levantada qual
importância e a força da Educação Ambiental em ambiente escolar e de que forma
os alunos estão recebendo essas informações, uma vez que o aluno pode ser visto
como agente multiplicador, levando para o ambiente familiar, informações e ações
que impactem positivamente no meio ambiente. Sendo assim, buscaremos com essa
pesquisa informações sobre a forma como as diferentes esferas de governo tratam este
assunto em âmbito educacional. Durante a elaboração deste trabalho, serão realizadas
visitas e entrevistas em algumas escolas da rede municipal e estadual de ensino e
serão analisadas a opinião de autores como Genibaldo Freire Dias e Isabel Cristina de
Moura Carvalho, publicações do Ministério da Educação (MEC) e leis publicadas pelo
Governo Federal. É possível notar, a partir daí, que no município em questão as ações
ainda são bem incipientes e que pouco é investido e feito no sentido de despertar nos
alunos as preocupações necessárias com um futuro sustentável.

Palavras-chave: educação ambiental; escolas; Barra Mansa


22 Barra do Piraí

13. Impacto Ambiental Causado por Pedreira

Autor: José Carlos Gonçalves da Silva


Orientador: Raphael Andrade

Este trabalho de campo, não obstante ao tema de ser uma pesquisa in loco
de uma área de preservação ambiental ao qual foi primeiramente analisada com a
intenção de apenas reconhecer os tipos de minerais que foram ou estão sendo nela
extraídos, seu comércio, para onde são levados e em quais quantidades, e tendo seu
levantamento após pesquisa funcionado como uma observação de destruição ambiental.
O trabalho versou sobre a pesquisa propriamente dita, porém, tentou mostrar o que
de real está acontecendo em uma área que está sendo destruída pela ação humana
com fins comerciais lamentáveis em todos os sentidos. Para análise desta pesquisa de
campo e de gabinete, foram utilizados mapas da região, mapas aéreos adquiridos via
Google Earth, entrevistas com moradores, trabalhadores e análises de campo, fotos, e
artigos científicos relacionados com a questão explorada. O que caracteriza o impacto
ambiental, não é qualquer alteração nas propriedades do ambiente, mas as alterações
que provoquem o desequilíbrio das relações constitutivas do ambiente. A pesquisa nos
levou a análise inicialmente de possíveis causas e efeitos danosos que as atividades de
extração mineral neste local causaram ao meio ambiente e mais adiante se encaminhou
também no sentido de uma análise de agravos à saúde e segurança das pessoas das
comunidades do entorno da pedreira (problemas socioambientais) visto que já se
passaram nove anos desde o início das atividades extrativistas naquele território e
muito pouco em termos sociais e de saúde pública foi feito.
Palavras-chave: Impacto ambiental, Pedreira.Contradição, Devastação
Barra do Piraí 23

14. Mobilidade Urbana: Desafios, Avanços e Perspectivas

Autor: José Carlos Silva

O presente trabalho aborda o tema mobilidade urbana, dividido em três aspectos


principais, os desafios, os avanços e as perspectivas. A priori é feita uma análise dos
aspectos gerais da mobilidade urbana, de modo que seja possível introduzir o leitor
na problemática apresentada. Quanto aos desafios, serão abordadas as questões
relativas às dificuldades que se enfrenta ao tentar alcançar uma mobilidade urbana
de qualidade no Brasil, dentre essas problemáticas estão à expansão urbana, que tem
ocorrido de forma expressiva e desordenada nas ultimas décadas, e que por falta de
investimento dos gestores públicos e pela falta de política aplicada tem se tornado
um grave problema a ser corrigido no país. Além disso, será abordada a questão do
meio ambiente, que tem sofrido os maiores impactos da alta emissão dos poluentes
causados pelo enorme volume de veículos que transitam todos os dias nas ruas das
cidades brasileiras. Abordando as causas e as conseqüências dessa trágica realidade,
que se instaurou no cotidiano das pessoas. Outro desafio apontado aqui é a questão
da ineficiência do transporte público brasileiro, uma questão que precisa ser tratado
com certa urgência nos debates políticos, mas que no geral é ignorado. A segunda
perspectiva sobre o tema da mobilidade urbana é a dos avanços nessa área. A legislação
urbanística será apresentada como um ganho nesse sentido. Dentre essa legislação
serão estudados o Plano Diretor, o Estatuto da Cidade, a Lei do Perímetro Urbano,
a Lei de Uso e Ocupação do Solo, o Código de Posturas e a Lei de Acessibilidade. O
terceiro e ultimo aspecto da mobilidade urbana estudado é o das perspectivas, falando
daquilo que se espera melhorar nesse setor, como a melhoria no transporte público,
que pode ser o aumento da eficiência da rede de transporte público, o valor do tempo
das pessoas, o descaso com a malha ferroviária no município de Barra do Piraí e estado
do Rio de Janeiro.

Palavras-chave: Desafios; avanços e perspectivas


24 Barra do Piraí

15. Microbacia Hidrográfica do Ribeirão Preto Poluição


e Características Físicas

Autor: Lidia Ramos Bertell

Com a chegada dos portugueses, o meio natural começou a ser degradado, poluído,
desmatado, explorado e desconsiderado. Pois os portugueses apenas se importavam com
seus interesses econômicos.As terras Resendenses, foram desbravadas no ano de 1744.
O principal motivo para ter ocorrido esse desbravamento, foi o crescente interesse, da
época, por pedras preciosas.Em 1912, o processo de industrialização nacional chegou à
Resende. E a partir da industrialização, nota-se que o índice de desmatamento e poluição
aumentou drasticamente. Causando vários problemas ambientais, que observamos
hoje.Portanto a degradação da microbacia hidrográfica do Ribeirão Preto, se deve
principalmente, pela influência e o acontecimentos desses fatos Históricos. Degradação
essa, que será evidenciada e argumentada, juntamente com todos os problemas que
decorreram dessa degradação que infelizmente se realizou de maneira intensa no
Ribeirão Preto, no munícipio de Resende-Rj.Com a chegada da urbanização, áreas
antes preservadas, perdem espaço para o homem, e os interesses dos homens entram
em conflito direto com o natural. Para controlar e administrar essa urbanização, é
necessário investimento e planejamento prévio. População e meio ambiente, sofrem por
conta de maus planejamentos. O que vem a causar poluição, inundações, mau cheiro,
disseminação de doenças e proliferação de animais peçonhentos e insetos.Dentro de
áreas urbana, as bacias hidrográficas são extremamente modificadas, pelo despejo de
esgoto, descarte inadequado de lixo nos recursos hídricos ou em suas margens, aterros,
retificação do curso dos rios, canalização, eliminação de áreas de inundações, destruição
dos ecossistemas e pela retirada da mata ciliar.Na microbacia hidrográfica do Ribeirão
Preto, infelizmente, podemos identificar todos esses processos, que prejudicam a
população e o Ribeirão Preto, que se encontra em uma situação lamentável por conta
da poluição, urbanização e o desinteresse da população e dos governantes, em tomar
atitudes que ajudem na sua recuperação.

Palavras-chave: poluição hídrica; Ribeirão Preto; urbanização


Barra do Piraí 25

16. Para Além dos Muros da Escola: Características que


Influenciam o Desempenho Escolar em Anchieta – Rj.

Autor: Lilian Rodrigues Ribeiro Soares.


Orientador: Rosimar Barbosa

Essa monografia está sendo realizada para identificar quais são os fatores que
influenciam o desempenho escolar dos alunos, a partir de um estudo de caso em uma
escola do bairro de Anchieta, localizada no município do Rio de Janeiro. Será realizado
um levantamento juntamente com o aluno e a direção da escola para identificar as
principais causas que levam os alunos a ter sucesso ou fracasso em seu rendimento
escolar, procurando entender, assim a dinâmica do cotidiano escolar dos alunos.Com
objetivo de analisar os fatores que afetam o desempenho escolar dos alunos, traçando
um comparativo entre os estudantes que moram na proximidade da U.E, com os alunos
que moram mais distantes, as quais residendem em comunidades como: Chapadão,
Village e outros. Com isso identificar os perfis socioeconômico dos alunos da U.E,
analisar o indice de evasão escolar fazendo uma comparação com os alunos que moram
nos condomínios, com os alunos que moram nas comunidades, avaliar a influência
da família no rendimento escolar dos alunos e representar as áreas em torno da
escola, destacando os condomínios e as comunidades localizada próxima a Unidade
Escolar.Para tentar entender um pouco mais dessa realidade, e além de responder
aos questionamentos efetuados e cumprir os objetivos propostos, foi realizado uma
pesquisa de campo com aplicação de questionários e entrevista previamente elaborado,
a qual será respondido pelos alunos residentes tanto nos condomínios, quanto nas
comunidades citadas, com o intuito de conhecer melhor suas condições de vida e seus
rendimentos escolares; pretende-se ainda fazer uso das potencialidades tecnológicas,
através de um aplicativo para mapear as comunidades e os condomínios existentes
próximos a U.E.Na pesquisa de informações sobre a temática desse trabalho, foi
observado: Que a família é fundamental no processo de ensino-aprendizado, observei
que a equipe pedagógica se mostra dedicada aos alunos, nas soluções de problemas
as quais lhe são apresentados. A equipe pedagógica tem estudado e está pesquisando
meios de como trabalhar com os alunos que tiveram rendimentos I (insuficiente). A
equipe pedagógica passou a propor a esses alunos com rendimento I, reforço escolar
na matéria a qual o aluno não teve um bom rendimento. Ainda está sendo pesquisado a
forma de locomoção dos alunos que moram distantes das rendondeza da U.E, os tipos
de transporte público que os mesmos utilizam, o tempo do percurso, e o intervalo de
tempo que o transporte passará novamente, para justificar os frequentes numeros de
atrasos.
Palavras-chave: Desempenho escolar; Rendimento escolar; Ensino-aprendizado.
26 Barra do Piraí

17. O Perfil da Comunidade Escolar a Partir do Uso de


Geotecnologias: Estudo de Caso na Rede Municipal
de Educação de Piraí/Rj

Autor: Luciano Pereira Geraldo


Orientador: Pablo Jordão da Silva

Vários são os indicadores que buscam contribuir de forma mais direta para o
desenvolvimento de uma educação de qualidade para escolas da rede pública. Dentre
eles, podemos elencar: as vulnerabilidades sociais, falta de planejamento adequado e
os baixos indicadores nas avaliações externas. Muitas escolas estão despreparadas
para uma melhoria na realidade educacional em função da ausência de dados. Elas não
possuem informações necessárias para a construção do projeto pedagógico a partir da
sua realidade local, onde os discentes estão inseridos. Por sua vez, a pouca informação
ou a negligencia destas informações, impactam negativamente na qualidade do ensino.
Essa pesquisa visa traçar um perfil socioeconômico associado à realidade das escolas
buscando compreender a relação entre essa realidade social onde o aluno está inserido e
os indicadores de desempenho escolar associados. Para isso, serão levantados os dados
através de consulta à legislação vigente, os dados oficiais que tratam o socioeconômico
bem como entrevistas nas escolas envolvidas. Os dados serão apresentados na forma
de mapas com o objetivo de auxiliar o planejamento escolar e suas possíveis adaptações
curriculares e práticas voltadas à realidade na qual ela se insere. A proposta submete-
se ao planejamento estruturado partindo do estudo de indicadores que forneçam
dados qualitativos e quantitativos, propondo melhorar o atendimento ao público deste
universo escolar. A análise busca considerar que uma escola possa classificar o lugar no
qual ela está inserida, através de práticas que visem mitigar o que é posto dentro de sua
realidade social. As geotecnologias buscam viabilizar esta consolidação de informações,
com esta grande diversidade de informações físicas e teóricas que, após serem tratadas
ou mineradas, nos darão um aporte bastante rico para ser trabalhado na criação de um
planejamento escolar.
Palavras-chave: perfil do aluno, marco situacional, geotecnologias, projeto politico
pedagógico (PPP).
Barra do Piraí 27

18. A Representação do Continente Africano nos Livros


Didáticos de Geografia

Autor: Lucimara Rosa de Carvalho


Orientador: Gabriel Siqueira

Os africanos contribuíram para a formação da identidade cultural brasileira.


Eles chegaram no território brasileiro, por meio de embarcações que deram início ao
comércio de escravos no Brasil. Foram 300 anos de escravidão, em que a população
negra escravizada, era tratada de forma desumana. Após muitos anos de luta, pressões
e persistência dos escravos pelo fim da escravidão, aos poucos o regime foi perdendo
forças e chegando gradualmente ao fim. A Leia Aurea, assinada pela princesa Isabel,
veio para dar sustentação jurídica ao fim de um sistema escravista, que na prática já
vinha acontecendo. Mas mesmo depois da “liberdade”, a desigualdade se manteve. A luta
atual é contra o racismo e para alcançar o espaço na coletividade de forma igualitária.
A escola é uma instituição que pode contribuir para a superação do preconceito racial,
pois a mesma tem um importante papel social: a formação do cidadão.A Lei 10.639 foi
criada para ajudar a combater o racismo e resgatar a história do povo africano através do
conhecimento. A presente lei foi sancionada em 2003, por meio da luta do Movimento
Negro no Brasil. Está lei modifica a LDB, reforça a importância e obrigatoriedade no
ensino da cultura africana no currículo da educação brasileira. Portanto, começou-se
uma preocupação em relação a forma que é abordado nas escolas os conhecimentos
sobre o povo africano e se o mesmo está contribuindo para a superação ou fortalecimento
do racismo. Depois que a lei foi sancionada ocorreram algumas mudanças, e o livro
didático de geografia (disciplina que tem grande importância no ensino da cultura
africana) sofreu algumas modificações. Porque o Programa Nacional do Livro Didático
(PNLD) passou a atender a exigências da lei, tendo uma preocupação maior em relação
as abordagens estereotipadas. Mas o livro didático de geografia, necessita ainda de
mudanças, por exemplo, mais riqueza de informações ao abordar assuntos sobre a
população africana e sobre o continente. Estas mudanças precisam acontecer também
na formação dos professores (universidades), pois os mesmos têm autonomia para fazer
as interferências e acrescentar informações importantes que talvez não estão contidas
no livro.
Palavras-chave: livro didático de geografia; lei 10.639/03; racismo
28 Barra do Piraí

19. Os Impactos da Desinformação de Elementos Básicos no


Ensino de Geografia

Autor: Marly Guimarães de Almeida

Ao longo do estágio realizado no Colégio Estadual José Fonseca, localizado


no município de Valença – RJ, diversas experiências e aprendizados puderam ser
absorvidos. Porém, diversas falhas no âmbito ensino-aprendizagem puderam ser
observadas. É inegável a existência de um afastamento entre o aluno e a disciplina
de Geografia, seja pela dificuldade, por parte dos alunos, de associação de conceitos
básicos abordados, falta de interesse dos mesmos nas aulas de Geografia, ou, até
mesmo, por uma metodologia de ensino que poderia ser melhorada. Neste trabalho,
portanto, deseja-se compreender melhor a realidade escolar, desde a compreensão e
ponto de vista dos alunos do 6º ano, do ensino fundamental, quanto a metodologia
utilizada pelos professores. Serão também investigadas as dificuldades de utilizar novas
práticas metodológicas no ensino da Geografia na escola onde a pesquisa foi realizada.
Para tal, será utilizada uma revisão na literatura buscando entender os principais
problemas enfrentados atualmente no ensino da Geografia, no ponto de vista do aluno
e do professor, e as ferramentas alternativas para melhoria do aprendizado, associada
a questionários, respondidos por alunos e professores, através dos quais procurou-
se encontrar respostas para os questionamentos formulados. O uso de metodologias
alternativas, possivelmente despertaria um maior interesse e uma visão diferente,
reduzindo, assim, a dificuldade que os mesmos possuem com a disciplina. Porém,
aplicar metodologias alternativas, em diversos momentos, requerem maiores recursos
financeiros, incentivos e infraestrutura por parte do colégio, o que demonstra que o
professor nem sempre consegue atingir sua meta.
Palavras-chave: Aprendizado, Ensino de Geografia.
Barra do Piraí 29

20. O Bairro: Uma Análise Geográfica

Autor: Paulo Tarcísio Carvalho Neto


Orientador: Mônica Sampaio Machado

A discussão do bairro orienta nossos objetivos, bem como toda pesquisa


bibliográfica e de campo. O interesse em investigar a problemática do bairro sustenta-
se numa análise geográfica pertinente em relação à dinâmica urbana, sendo um recorte
imediato a nós no cotidiano e que influencia diretamente nossas relações sociais e nossa
vida como um todo. A análise do bairro não é tarefa simples, já que em muitos casos
há diferenças ou divergências no seu reconhecimento pelos sujeitos e instituições, seja
em relação às suas características ou sua delimitação. A partir de revisão bibliográfica
de trabalhos inseridos na temática notamos que vários são os fatores de definição e uso
do bairro, dentre eles: o sítio ou relevo em que se situa, a função, o conteúdo social,
a paisagem, a historicidade, a orientação, a segregação sócio-espacial, e a questão
da identidade, ligada ao reconhecimento e pertencimento. Já em pesquisa de campo,
utilizando-se do recorte do bairro carioca de Santa Teresa, inclinamo-nos, a partir de
entrevistas, buscar apreender sobre como os sujeitos concebem e definem o bairro na
sua vivência. Posteriormente, confrontamos as definições encontradas na bibliografia
com as informações captadas em campo, a cargo de saber se há alguma relação ou
convergência entre o conhecimento formal e o informal no esforço de definição do
bairro. É importante salientar que não se pretende hierarquizar os saberes, mas sim
operar um modesto esforço no sentido de investigar como os saberes se expressam e
como (e se) eles se complementam. Buscamos estudar o bairro não com a pretensão de
resolver algum problema, mas sim com o intuito de explorar o tema a fim de entender
mais sobre a cidade e sobre a apreensão dela, além de exercitar nossa análise geográfica.
Palavras-chave: Bairro; Santa Teresa; Rio de Janeiro
30 Barra do Piraí

21. O Descarte de Resíduos Sólidos no Município de Barra


do Piraí: Algumas Considerações

Autor: Richtiele Rocha de Jesus Cardoso


Orientador: Pablo Jordão da Silva

A produção de resíduos sólidos é um problema que vem se agravando com o


tempo, por meio do aumento da população e do fácil acesso ao consumo, tornando
os itens descartáveis e gerando cada vez mais problemas ambientais. A cidade de
Barra do Piraí ainda não possui um plano de gestão integrada de resíduos sólidos.
Todavia, o plano foi iniciado e não finalizado. Esse plano é de grande importância para
todas as cidades, pois através dele o município consegue minimizar alguns problemas
relacionados aos resíduos sólidos. O descarte de resíduos sólidos no município de Barra
do Piraí é feito atualmente na cidade de Vassouras, no aterro sanitário do Convale
(Consórcio Intermunicipal de Gestão de Resíduos Sólidos do Vale do Café). Contudo,
antes do descarte ser feito em Vassouras, o mesmo era feito na Fazenda da Mansão
Celestial em Barra do Piraí, através de um aterro controlado. Expirado seu prazo de
utilização e por força da legislação ambiental, passou para a cidade de Barra Mansa até
que o aterro sanitário do Convale ficasse pronto. O presente trabalho tem por objetivo,
analisar a logística que conduz a coleta e o descarte dos resíduos sólidos com vias de
identificar se existem providências para um descarte adequado. A pesquisa tem um viés
qualitativo e usa os procedimentos de entrevista, levantamento da literatura pertinente
ao tema, e etapa de campo. Os resultados obtidos até o presente momento revelam que
existem alguns desafios a serem superados visando adequar o descarte dos resíduos
sólidos com o que é previsto na legislação ambiental. A coleta e o transporte são
essenciais nesse sentido, e a localização do aterro sanitário não favorece a logística por
se localizar distante de algumas áreas consolidadas do ponto de vista da urbanização.
Por essa razão, o transporte dos resíduos pode colaborar para a poluição dos solos e
dos recursos hídricos uma vez que tal aterro se encontra distante do centro urbano do
Distrito-Sede de Barra do Piraí.
Palavras-chave: Resíduos Sólidos; Descarte; Coleta de Lixo.
Barra do Piraí 31

22. A África nos Livros Didáticos de Geografia do 3º Ano:


Uma Análise a partir da Lei 10.639/03

Autor: Roberta Pereira Fernandes de Azevedo


Orientador: Gabriel Siqueira Corrêa

A geografia como ciência que constrói visões de mundo, é responsável por


abordar e problematizar diversos espaços pelo globo. Um desses espaços é a África,
continente que ainda é confundido com um país, apesar de seu tamanho e centralidade
na própria projeção de Mercator. Além desta confusão, é frequente a associação com
aspectos negativos. Entre os mais comuns temos: fome, miséria, doenças, guerras,
subnutrição, alto índice de mortalidade infantil. Uma das principais fontes dessas
representações se encontra nas produções cinematográficas, que dificilmente mostram
aspectos diferentes das características retratadas acima. Filmes como: O último rei da
Escócia, Hotel Ruanda, Diamante de Sangue, Jardineiro Fiel, parecem se repetir na
abordagem de miséria, fome e guerra, enclausurando a diversidade africana em apenas
uma realidade imutável. Uma possibilidade para se combater a visão eurocêntrica sobre
a África é através da análise dos materiais didáticos, verificando se estão dentro dos
parâmetros da Lei 10.639/03 e se está abordando e problematizando o espaço africano
nos livros didáticos. Para análise, utilizaremos de três livros didáticos de editoras
diferentes, aprovados no Plano Nacional de Livro Didático (PNLD) do ano de 2018.
Aspectos que serão verificados de forma minuciosa encontram-se, os econômicos,
sociais, culturais, ambientais e principalmente o político. Verificando conjuntamente
que tipo de discurso os discentes estão sendo expostos e se apresentam as sinuosidades
históricas-geográficas que este continente foi exposto. Com esse trabalho será possível
apresentarmos uma amostra de como o continente vem sendo representado, quais
temas são abordados quando se fala de África, que países são citados, e quais as imagens
ilustram o espaço africano.
Palavras-chave: África; Lei 10.639/03; Livros didáticos.
32 Barra do Piraí

23. Análise de Impactos Ambientais em Área de Aterro


Controlado Inativo no Município de Barra do Piraí-Rj

Autor: Simone dos Santos Gomes Silva

A destinação de resíduos sólidos em lixão é uma atividade que causa desequilíbrio


ambiental e compromete a saúde publica. O aumento da população e o consumo
desenfreado de produtos e materiais trazem significativas transformações ambientais
que têm se tornado um dos maiores desafios do planeta. O presente trabalho tem como
analisar os impactos ambientais gerados por um antigo aterro controlado no município
de Barra do Piraí para gerar informações sobre a degradação e a política de recuperação
de área no local. Até 2006, segundo a secretaria de meio ambiente do município, a
área era um lixão e depois foi transformada em aterro controlado, sendo desativada
em 2012. Na busca de amenizar os impactos ambientais e recuperar a degradação da
área, órgãos municipais buscam a elaboração de um projeto para melhoria da área. Os
aterros controlados ainda que desativados trazem danos ao meio ambiente e a sociedade
em geral. Sua presença gera impactos negativos como: poluição do solo, água e ar;
dissemina doenças por meio de micro vetores e macro vetores degrada a paisagem, etc.
Além da poluição visual e mau cheiro, causando relevante degradação ambiental. Mas o
problema não termina por ai, o gás do aterro pode continuar a ser gerado e o chorume
pode chegar atingir o lençol freático, trazendo grandes conseqüências para a população
terrestre. Analisar os impactos ambientais em área de aterro controlado inativo para
gerar informações sobre a política de recuperação da área degradada no despejo de
resíduos sólidos urbanos no município de Barra do Piraí, assim, como Identificar a
definição de aterros controlados, identificar a área degradada no município para
coletar dados para verificar possíveis informações em plano de recuperação, investigar
quais são os principais impactos ocorridos nos últimos dez anos de gestão municipal e
mostrar a importância da disposição final dos resíduos sólidos são objetivos de estudos
do projeto.Será realizadas visitas ao lixão do município, visitas aos órgãos responsáveis
pela gestão dos resíduos municipais para criação de um banco de dados.
Palavras-chave: Aterro controlado; Impacto ambiental; Resíduos sólidos;
Barra do Piraí 33

24. O Ensino em Geografia pelo EJA no Colégio Estadual


Joaquim de Macedo

Autor: Vítor Hugo Kelly de Souza


Orientador: Ibsen Everton da Costa dias

O EJA, representa uma importante ferramenta de inclusão e cidadania, pois


educar jovens e adultos ,não se restringe somente a tratar de conteúdos intelectuais,
mas implica em lidar com valores, com formar de respeitar e reconhecer as diferenças. E
como o objeto de estudo da Geografia ser o espaço geográfico , que nada mais é do que
o resultado da produção da sociedade em seu curso histórico, o que consequentemente
vincula a disciplina geográfica a ideia de cidadania. Ou seja , ensinar Geografia é
uma prática política.O objetivo geral da pesquisa ´é o entrelaçamento do EJA , com a
Geografia, pois é de importância fundamental , a análise dos dados referentes ao ensino
de jovens e adultos por parte da disciplina geográfica, e por outro lado a conscientização
desses alunos de sua cidadania.Como recorte escolhi um colégio estadual do município
de Barra do Piraí, no interior do estado do Rio de Janeiro , para verificar e analisar como
esse estudo é conduzido, detectar carências e se possível indicar caminhos possíveis
para uma melhora desse ensino.A metodologia qualitativa, com as entrevistas com
os alunos e professores , e a quantitativa com o levantamento de dados estatísticos
referentes a evasão, classe social, se somam para uma análise elaborada do atual cenário
do ensino de jovens e adultos no país.Observamos que ao longo dos anos o EJA passou
por diversas reformulações, no entanto alguns problemas permaneceram , como livros
descontextualizados com a realidade do alunado, alto índice de evasão escolar e falta de
profissionais voltados para essa área , constituem os maiores problemas no ensino de
jovens e adultos.Essa discussão é fundamental , e a Geografia deve ser a porta voz nessa
busca por melhorias. A observação em um colégio estadual serve como parâmetro para
uma visão nacional do EJA , com o intuito de apontar caminhos para uma melhoria
nesse ensino e por consequência conseguir incluir verdadeiramente essas pessoas na
sociedade.

Palavras-chave: Cidadania; Educação; Inclusão


Campo Grande
Campo Grande 35

25. Análise Comparativa entre Estatuto da Cidade,


Plano Diretor e o Plano Diretor da Estância Balneária
de Caraguatatuba

Autor: Anderson Silva de Souza


Orientador: Fabrizio Barros

As cidades brasileiras possuem como marca registrada as diferenças, especialmente


aquelas negativas. Estas mesmas diferenças negativas nas cidades brasileiras são grandes
produtoras e reprodutoras dos problemas dessas cidades. Apesar da insistência desses
problemas, não podemos dizer que não houve abordagem nem falta de investimentos
por parte do Poder Público em relação à maioria desses problemas. Ainda assim,
como pode-se constatar facilmente nas cidades, infelizmente tais esforços têm sido
insuficientes. A citar como exemplo e como objeto de estudo desta monografia, o Plano
Diretor é um dos instrumentos criados pelo país com objetivo de mitigar, eliminar e
prevenir os problemas inerentes às urbes brasileiras, visando seu desenvolvimento e
a Reforma Urbana. O presente trabalho tem o enfoque no Plano Diretor. Tem como
objetivo traçar um panorama não-exaustivo do Plano Diretor da Estância Balneária
de Caraguatatuba, município do Estado de São Paulo, Brasil, conforme estipulado
e previsto na Lei Federal n° 10.257, de 10 de julho de 2001, o Estatuto da Cidade,
seguindo-se os métodos crítico-dissertativo, comparativo e quantitativo. O presente
trabalho visa ser parte de uma proposta mais ampla para a análise científica do próprio
desenvolvimento do Plano Diretor desse município, a análise de seus diagnósticos
e prognósticos, sua aplicabilidade e eficiência de acordo com os objetivos da própria
legislação do Plano e do Estatuto da Cidade.O panorama a ser apresentado segue uma
metodologia desenvolvida em tese de Pós-Graduação de Claudio Martinelli Murta e
comparações diretas desenvolvidas pelo próprio autor dessa monografia, bem como
análises críticas apenas pontuais, por não serem o foco da pesquisa. Ao traçar-se o
panorama do Plano Diretor da Estância Balneária de Caraguatatuba, SP, o presente
trabalho possibilita que:Se compreenda sua estrutura;Se conheçam suas áreas de
atuação;Se conheçam quais os instrumentos previstos no Estatuto da Cidade que o
município em questão adotou e como os adotou;Se conheçam as partes inerentes ao
Plano, como o Zoneamento Municipal e as propostas de desenvolvimento da cidade;Se
faça uma caracterização do mesmo;Se esclareçam suas diretrizes e parâmetros;Se
conheçam as instrumentações técnicas, legais e administrativas, menos financeiras e
orçamentárias.
Palavras-chave: Plano Diretor; Estatuto da Cidade; Caraguatatuba; Planejamento Urbano
36 Campo Grande

26. O Ensino da Cartografia em Sala de Aula


no Ensino Médio

Autor: Aniel da Silva Souza


Orientador: Wilson Messias dos Santos Junior

As representações espaciais acompanham o homem desde a sua evolução. São


símbolos e desenhos que possibilitavam sua posição e localização no espaço. Neste
contexto, as atividades escolares no que se diz a respeito às representações espaciais
em livros, seja este didático ou não, têm sido muito utilizados nos últimos anos. O uso
da geotecnologia no dia a dia dos estudantes vem tendo cada vez mais importância
no atual mundo globalizado. Desta forma, o objetivo desta pesquisa é em destacar a
importância na transmissão da ciência da cartografia em sala de aula, de forma que se
produzam atividades que possibilitem o pensamento crítico do aluno na linguagem
cartográfica, onde muitas informações, processos e fenômenos são disseminados no
espaço corroborando o uso da cartografia como um importante instrumento para
o entendimento na ocupação no espaço geográfico e na educação contemporânea.
Foi a partir da dificuldade observada (durante o Estagio Supervisionado em sala de
aula) de professores, em utilizar recursos e práticas para a melhor compreensão do
aluno da linguagem cartográfica, que instiga a produção deste tema. A metodologia
proposta para esta pesquisa pode ser dividida em elaborar atividades capazes de serem
realizadas pelos alunos como elaboração de mapas, evidenciando a rosas dos ventos,
a localização espacial com o uso do “GPS” e escala cartográficas, destacando o uso
da ciência na construção do conhecimento, levantamento biográfico (livros, teses,
artigos acadêmicos), estudo de campo. Cabe resaltar que uso da tecnologia como:
celulares, imagens satélites, Google maps e outras ferramentas são inegáveis, pois
são instrumentos de intercomunicação que transmitem informações além de que tais
aparatos tecnológicos podem ser usados como vantagens motivadora e inovadora
estreitando o relacionamento professor e aluno, passando ambos a compartilhar a
realidade, podendo levar os alunos a igualar os diferentes ritmos de aprendizagem.
Espera-se com essa pesquisa que os alunos tenham um melhor entendimento no uso
da linguagem cartográfica e dos fenômenos espaciais.
Palavras-chave: Ensino-aprendizagem. Cartografia. Geotecnologia.
Campo Grande 37

27. Panorama Geográfico e Ambiental das Sub-Bacias


dos Rios Carioca e das Tintas, e sua Aplicação
no Ensino da Geografia

Autor: Arthur Felipe Melo Mazzini da Silva


Orientador: Joseane Ribeiro Santos

As sub-bacias do Rio Carioca e do Rio das Tintas, pertencentes a região


hidrográfica da baía de Guanabara, apesar de estarem localizadas em áreas de distintos
padrões espaciais, econômicos e sociais da cidade do Rio de Janeiro, tiveram grande
importância para a formação urbana e crescimento das localidades ao seu entorno,
sejam como fontes de abastecimento de água potável, no desenvolvimento industrial, ou
simplesmente na composição da paisagem destas regiões, contudo, ambas atualmente
se encontram em um mesmo cenário de degradação ambiental e poluição de suas
águas, sendo consideradas depósitos de esgoto e resíduos sólidos. O presente trabalho
visa apresentar um breve diagnóstico geográfico e ambiental destas duas sub-bacias,
analisando a importância de seus estudos junto aos alunos do primeiro ano do ensino
médio do Colégio Estadual Leopoldina as Silveira, localizado no Bairro de Bangu – RJ.
Abordando os principais conceitos geográficos e as definições geomorfológicas, como
forma de auxiliar na identificação das principais causas e resultados da deterioração
destes rios, e, como a aplicação dos conceitos interligados a bacia hidrográfica são
essenciais para a compreensão da relevância e preservação dos recursos hídricos,
que são fundamentais para a disponibilização da água potável, portanto são também
responsáveis pela manutenção da vida na terra. Aplicando aos discentes recursos
didáticos de ensino, que atrelados a práticas pedagógicas, possibilitem à assimilação e
compreensão dos conceitos trabalhados com menor complexidade, ressaltando através
do trabalho de campo e do uso da cartografia, através de atividades com os alunos
utilizando mapas topográficos, a relevância destes estudos para a conservação dos
recursos hídricos.
Palavras-chave: Bacias Hidrográficas; Geografia; Recursos Hídricos
38 Campo Grande

28. Lugar Mangue: Interpretando os Sentidos de Lugar


em Homens e Caranguejos de Josué de Castro

Autor: Carlos Alberto Quirino


Orientador: Jean Lucas da Silva Brum

O presente projeto tem por objetivo a investigação da afetividade dos personagens


do lugar mangue, na obra homens e Caranguejos de Josué de Castro. O projeto buscará
responder como se dava a vivência, desses personagens no mangue, que apesar de ser
um lugar inóspito e degradante, havia afeição pelo lugar. Mostrar ainda o porquê João
Paulo personagem principal da obra, perguntava a seus pais de não poder morar nos
jardins da área nobre do grande Recife. Mostrar a segregação em que esses personagens
passavam na favela dos Afogados. O como se deu a ocupação espacial no manguezal
na favela dos Afogados, que ficava, entranhado entre o oceano e o rio Capibaribe e o
Beberibe na grande Recife. Mostrar o porque aquele lugar, ainda que fosse um lugar
degradante, era considerado como paraíso para os moradores da Aldeia teimosa.
Mostrar ainda como esses personagens disputavam com os caranguejos o espaço do
lugar mangue e que os mesmos eram como irmãos de leite, que disputavam da lama
os seus sustentos. A pesquisa também buscará responder, que a obra era na realidade
uma autobiografia do autor, visto que, o mesmo quando estava na grande Recife, tinha
afeição pelo lugar e as pessoas que viviam no mangue. O como os personagens usavam
aquela lama fedida e inóspita para a pesca do caranguejo e ainda a visão de João Paulo,
que visualizava os cavaleiros da miséria que fazia da lama suas armaduras e que os
mesmos eram seus heróis, que seriam eles que iriam fazer a revolução, tão indagada
por Cosme, um paralítico que adquiriu Beribéri na região amazônica, devido a extração
da borracha, por falta de vitamina B1. A pesquisa buscará responder ainda em que os
personagens da obra vieram de diferentes, biomas e que se refugiaram no mangue,
por uma vida menos sofrida e que apesar do mangue da Aldeia Teimosa, ser um lugar
degradante e inóspito, mais para esses personagens, era um lugar de grande afetividade.
Palavras-chave: Lugar, Mangue, afetividade.
Campo Grande 39

29. O Impacto da Construção do Arco Metropolitano


do Rio De Janeiro para o Aumento da Violência Urbana
no Município de Japeri – Rj

Autor: Daiane Arantes Pereira Rodrigues


Orientador: Jean Lucas da Silva Brum

Durante os anos 2000, a cidade de Japeri foi impactada por um projeto do governo
federal para a implantação do Arco Metropolitano do Rio de Janeiro. Com a construção
iniciada em 2008, o AMRJ, corta o município, entre o centro de Japeri e o centro de
Engenheiro Pedreira (Distrito de Japeri). Após sua construção, o Arco foi marcado
pelo abandono e aumento da violência.Este projeto visa promover a pesquisa e análise
do atual cenário social do município de Japeri dentro da problemática da violência,
pois após a construção do Arco Metropolitano, os índices de violência dentro de Japeri
subiram.O objetivo geral desta monografia é investigar os impactos causados pelo
Arco Metropolitano para o aumento da violência no município de Japeri. E os objetivos
específicos são: Entender qual a ligação da construção do Arco Metropolitano com
o aumento da violência no município de Japeri; Conhecer os fatores que levaram ao
aumento da violência em Japeri, através do Arco Metropolitano; Pesquisar os índices
de violência antes e depois da construção do Arco Metropolitano em Japeri; Investigar
medidas que possam minimizar ou solucionar a violência urbana intensificada mediante
construção desta rodovia.A metodologia é dividida em análise quantitativa (bases de
dados sobre violência urbana, Japeri) e qualitativa (Trabalho de campo, para saber
na prática como foi a construção do AMRJ, a visão dos moradores sobre o aumento
da violência urbana), e revisão bibliográfica, com a exploração dos aspectos teóricos
e empíricos da pesquisa.Sabe- se que, segundo o IPEA e o Fórum Brasileiro de
Segurança pública, Japeri ficou em 6° lugar no Atlas da violência 2018. Já em 2013 o
mesmo município estava na posição 31° pelo número de assassinatos no Estado do Rio
de Janeiro, de acordo com os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade e do
Ministério da saúde, o que influencia negativamente na eficácia de diversos serviços
públicos, inclusive a educação.
Palavras-chave: Japeri; impacto; violência.
40 Campo Grande

30. Lixo Organico: Transformando um Problema


em Solução

Autor: Daniel Novais Coutinho Filho


Orientador: Fabrizzio Barros

O presente trabalho tem por objetivo, dar um início em um problema que hoje
representa 52% do total de lixo que produzimos, isto é, o lixo orgânico. Como ainda
estamos na fase de projeto, não temos dados senão os que encontramos nos órgãos
oficiais, e em paralelo de projeto que já fazem a reciclagem deste lixo e o reaproveitam
de diversas formas. Uma delas é a ideia de telhados verdes em shoppings, onde antes
era só concreto, agora se ocupam estes espaços com hortas que inclusive ajudam na
melhora da alimentação dos funcionários do shopping, através do substrato feito dos
restos de alimento das praças de alimentação. Porem a ideia não é que fiquemos apenas
nas empresas, mas sim expandir este projeto, utilizando o conceito de transversalidade,
para desde a sala de aula criarmos uma consciência cidadã, onde o aluno desde infância
entenda que ele é responsável pelo ambiente em que vive e que suas atitudes em conjunto
com as das demais pessoas e empresas são a única possibilidade de uma recuperação do
meio ambiente. Sendo assim nos utilizaremos de conceitos da geografia como paisagem
e espaço geográfico, o primeiro se dá devido a mudança que daremos na diminuição da
poluição visual causada pelo lixo nos bairros e nos lixões a céu aberto, o segundo por
que trataremos como forma de observar como este espaço geográfico se comportará
diante da mudança de posturas das pessoas, sendo assim qualquer mudança que as
pessoas implementem para mudar os fixos, no caso os pontos de lixo, os lixões e etc.
em como isto mudará o comportamento dos fluxos.
Palavras-Chave: Lixo orgânico; Lixões; Transversalidade, Paisagem.
Campo Grande 41

31. Características e Contradições dos Serviços de


Saneamento Básico na Comunidade da Rocinha – Rj

Autor: Francisco Félix da Silva


Orientador: Paulo Roberto Palhares

Esta presente pesquisa terá como finalidade abordar as questões relacionadas


ao saneamento básico na comunidade da Rocinha, objetivando descrever e averiguar
as características e contradições dos serviços de saneamento na comunidade, em um
recorte temporal que será delimitado de 1988 a 2018. Para a execução da pesquisa em
estudo, há utilização de pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo, material fotográfico,
assim como também analise documental e entrevistas. Os elementos e fatores a serem
abordados e relacionados na pesquisa, sobre a temática do saneamento básico local,
serão: tratamento e coleta de esgoto – averiguar se há na comunidade da Rocinha,
politicas públicas e ações governamentais para melhorar o dimensionamento e
descarte adequado do esgoto ou ainda se a sociedade local sugere alguma alternativa
para o problema, fornecimento de água encanada potável – verificar se há uma justa
distribuição de água potável para a população da comunidade, se a água é de qualidade,
assim como mapear os sub-bairros da comunidade em que há uma maior dificuldade e
escassez de água, manejo dos resíduos sólidos – verificar se há na Rocinha, projetos de
reciclagem, descarte adequado dos resíduos excedentes do reaproveitamento do lixo,
como também pontos de coleta seletiva e por último o manejo das águas pluviais – se
há alguma iniciativa de se fazer a captação da água da chuva para uso doméstico, se
as obras de infraestruturas atendem e mitigam os possíveis problemas causados pelos
temporais que ocorrem na cidade do Rio de Janeiro. O desenvolvimento da pesquisa
terá como referenciais teóricos principais o projeto Prourb da UFRJ, Henri Lefebvre,
trabalhos do acadêmico Roberto Lobato Correa, assim como das renomadas instituições
brasileiras como a ANA e o IBGE.
Palavras-Chave: Saneamento básico; Rocinha; Infraestrutura local
42 Campo Grande

32. Aplicação da Teoria Demográfica Malthusiana


com o Uso do Filme Vingadores Guerra Infinita
como Recurso Didático

Autor: Gabriela de Lima Nunes


Orientador: Isaac Rosa

Esta pesquisa visa analisar o uso de filme como recurso didático a fim de
colaborar com o ensino de conceitos da Geografia, aos alunos do Ensino Médio, nesta
pesquisa mais especificamente, será trabalhado o conteúdo da Geografia da População-
Teorias Demográficas: Malthusianismo- Conceito do qual se faz presente na recente
longa metragem, Vingadores Guerra Infinita (EUA, 2018). Tem por objetivo também
instigar o uso de Blockbusters, onde estes podem ser ótimas ferramentas, a fim de
despertar o interesse dos alunos, e uma vez que se estimule o debate, muitos conceitos e
conhecimentos podem ser aprendidos. A metodologia empregada consiste em primeira
instância em pesquisas bibliográficas, sendo um dos principais autores base deste
trabalho: Leonardo Name. Posteriormente foi realizada uma pesquisa qualitativa com
aplicação de questionários para quatro turmas do 1º ano do ensino médio do Colégio
Estadual Julia Kubistchek, localizado no centro do Rio de Janeiro, a fim de compreender
se houve respostas positivas a proposta empregada. Da qual foi realizada no dia 10 de
outubro de 2018, e com base nos dados coletados, já é possível afirmar uma resposta
favorável à proposta deste trabalho. Houve aplicação de dois questionários um pré-
aula/exibição do filme e outro pós-aula/exibição do filme. Ao todo foram 115 alunos
que participaram da pesquisa, e a resposta mais positiva dos dados coletados foi de
que dos 115 alunos, 91 não sabiam o que era Malthusianismo, contudo, pós- aula com
breve explicação do conceito e exibição do filme, 102 alunos passaram a compreender
o conceito, sem mencionar o amplo, positivo e entusiasmado debate em aula fomentado
por essa diferenciada proposta. Portanto conclui-se que é sim possível considerar o
universo fílmico, mesmo de filmes mais despretensiosos como os Blockbusters, como
questão a ser problematizada pela Geografia, assim como também, por outras ciências
sociais. E por ser filmes desta natureza tende-se a despertar com mais facilidade o
interesse dos alunos, e estimular um saudável debate em aula.

Palavras-chave: Cinema; Recurso Didático; Malthusianismo.


Campo Grande 43

33. O Conceito de Território na Saúde Pública:


O Caso da Colônia Juliano Moreira

Autor: Ismael Weslley de Souza Tinoco


Orientador: Fabiane Bertoni dos Reis Soares

Resumo: Meu projeto de pesquisa pretende estabelecer uma análise da adoção


do conceito geográfico de território para os estudos em Saúde Pública no tocante à
elaboração de políticas públicas desenvolvidas pelo Estado brasileiro na construção
do modelo institucional de assistência aos pacientes psiquiátricos do Hospital-
Colônia Juliano Moreira, situado em Jacarepaguá-RJ. O recorte temporal do trabalho
contemplará a fundação do Hospital-Colônia Juliano Moreira em 1924 até os anos 2000,
com a implementação da lei da Reforma Psiquiátrica 10.216/2001 e o seu processo
gradual de desinstucionalização da assistência aos pacientes psiquiátricos. Neste
sentido, o objetivo central do trabalho é investigar em que medida o conceito território
da Geografia oferece sentidos as diferentes configurações no contexto institucional das
políticas públicas de saúde presentes no Hospital-Colônia Juliano Moreira. Entendendo
o caráter polissêmico do conceito território, adotaremos a definição do geógrafo Rogério
Haesbaert a partir do viés multidimensional oferecido ao termo: 1) o território como
expressão politica; é o território institucional visto como um espaço-poder delimitado e
controlado através do qual se exerce o poder do Estado e dos seus agentes; 2) o território
como expressão simbólico-cultural; é o espaço visto como produto da apropriação
simbólica de um grupo por um espaço vivido, da territorialidade, nesse caso: médicos,
corpo técnico e pacientes da Colônia Juliano Moreira; 3) o território visto como
expressão econômica; como produto das relações espaciais econômicas desenvolvidas
a partir do espaço, como a (re)funcionalização econômica do espaço hospitalar; 4) o
território visto como rede, como elemento intraescalar do ação-reação do poderes, dos
discursos verticais e nas horizontalidades de tratamento na territorialização da política
nacional de saúde. Com isso, visamos demonstrar a contribuição teórica do conceito de
território para os campos da Geografia da Saúde e Saúde Pública e a partir do debate
entender o processo de desterritorizalização do tratamento da doença mental no Brasil
pela implementação da lei da Reforma Psiquiátrica 10.216/2001.
Palavras-chave: Território, Saúde, Colônia Juliano Moreira.
44 Campo Grande

34. Igualdade de Gênero: Uma Perspectiva


para o Desenvolvimento Sustentável

Autor: Juliene Lemos Saback


Orientador: Wilson Messias

Ainda que a Constituição Federal de 1988 garanta direitos iguais a todos os


cidadãos brasileiros, é notório que homens e mulheres não desfrutam de benefícios,
obrigações e influências iguais, tendo em vista o processo histórico de construção da
sociedade, levando a um desequilíbrio que interfere no desenvolvimento sustentável
do país. Com isso, expor os problemas sociais referentes à questão de gênero como a
desigualdade salarial, a violência sofrida pela mulher, entre outros, pode proporcionar
uma reflexão sobre possíveis mudanças no comportamento diário destes atores. A
igualdade de gênero é um fator que interfere diretamente em melhoria de qualidade de
vida populacional, assim como em aspectos culturais, de consumo, familiar, ambiental,
por exemplo. O debate acerca das questões de gênero se faz necessário pois não há
como se pensar em uma comunidade sustentável se existem diferenças entre homens
e mulheres. É preciso compreender que homens e mulheres são capazes de realizar
as mesmas tarefas, tanto no mercado de trabalho, no convívio social quanto nos
afazes domésticos. A partir disto exposto, o trabalho tem como objetivo analisar as
características da disparidade entre homens e mulheres no mercado de trabalho, em
especial na região sudeste do Brasil, a fim de identificar quais as áreas de atuação
profissional de maior disparidade, verificar o grau de escolaridade e a diferença salarial
entre homens e mulheres, assim como identificar a diferença entre mulheres brancas e
negras no mercado de trabalho. Para apresentar os resultados esperados, será realizada
uma compilação de informações extraídas a partir das bases de dados do IBGE e de
investigação bibliográfica de processos socioculturais.
Palavras-chave: Igualdade de gênero; Desenvolvimento sustentável; Desigualdade
Campo Grande 45

35. O Ensino da Geografia e a Educação Ambiental


Aplicados ao Estudo do Manguezal de Guaratiba
no Ensino Médio

Autor: Kátia Isabel Louzada Tostes


Orientador: Wilson Santos Messias

Esta pesquisa procura apresentar a importância do estudo do Ecossistema do


Manguezal no âmbito da Geografia. A pesquisa se atentará à primeira série do Ensino
Médio aproveitando o Currículo Mínimo sobre Biomas, na Unidade Escolar local CIEP
Roberto Burle Marx, localizado no bairro de Guaratiba. Possui como objetivo principal
compreender e refletir sobre o ensino da Geografia deste ecossistema e a percepção da
Educação Ambiental neste espaço no âmbito escolar. O manguezal é um ecossistema
do entorno dos estudantes da Unidade Escolar Roberto Burle Marx e percebe-se que
muitos estudantes não conhecem sua Geografia. O Espaço Geográfico como objeto de
estudo aliado aos conceitos da Geografia como Lugar, Paisagem, Região e Território
são ferramentas primordiais para a condução da presente pesquisa. As metodologias a
serem utilizadas serão as pesquisas, entrevistas e questionários aos alunos, professores
e responsáveis no contexto da Unidade Escolar local, bem como o estudo de campo e
estudo das bibliografias indicadas sobre o Manguezal. Este trabalho pretende levantar
a importância para a localização geográfica do manguezal, fazendo breve comparação
com outros manguezais localizados no Estado do Rio de Janeiro. As reflexões e
estudo desta pesquisa se debruçarão à preocupação com o estudo da geografia Física
do manguezal na caracterização do solo, encontro das águas fluviais e marítimas e
o clima, bem como sua interação com a geografia humana, cultural e urbana. Sendo
o manguezal um local de sustento de muitas pessoas da comunidade Ribeirinha, a
Geografia econômica, uso e ocupação do solo, especulação imobiliária, questões
ambientais e preservação do Sítio Arqueológico dos Sambaquis, fazendo alusão à
Educação Patrimonial, são questões a serem levantadas. Considera-se pertinente esta
pesquisa pela motivação aos alunos e profissionais da área para o entendimento da
relevância do estudo da Geografia desse ecossistema, ressaltando a importância de sua
preservação e mesmo recuperação, fazendo uso da ação local na prática da Educação
Ambiental.
Palavras-chave: Manguezal; Barra de Guaratiba; Educação ambiental
46 Campo Grande

36. A Educação Ambiental no Ensino de Geografia

Autor: Levi Gonçalves Ferreira


Orientador: Patrícia Moreira Mendonça e Silva

O presente resumo tem por finalidade apresentar o processo histórico de


surgimento e evolução da educação ambiental no Brasil e no mundo, sendo o Brasil o
qual darei maior ênfase, sobretudo, destacando nossa realidade escolar no contexto da
E.A na contemporaneidade.Ao longo do trabalho irei analisar os documentos oficiais
que garantem a promoção da educação ambiental, como os parâmetros curriculares
nacionais, a base nacional comum curricular e as legislações Estadual e Municipal do
Rio de Janeiro.Além destes aspectos, abordarei também uma interface dos conteúdos
do currículo básico de geografia, além da educação ambiental e a aula de campo em
geografia aplicado ao ensino da educação ambiental, trazendo conhecimento aos
leitores desta pesquisa das formas de se aplicar a educação ambiental, tanto da maneira
mais tradicional, através da aula expositiva dialogada, como também pela prática de
campo, tornando a aula mais motivante e menos monótona, levando o discente ao
encontro dos problemas ambientais e as formas de mitigá-los.Como objetivo deste
estudo, destaco a necessidade contemporânea de aprofundarmos o conhecimento do
discente sobre a temática ambiental, além de possibilitar um estudo mais aprofundado
sobre o tema que possa garantir a futuros professores e interessados no tema um
maior conhecimento sobre a educação ambiental no Brasil e no mundo, de forma a
possibilitar ao docente ou leitor deste trabalho, uma maneira de aplicar o conhecimento
aqui adquirido no ensino da E.A.A metodologia aplicada para confecção desta pesquisa
foi a de revisão bibliográfica, a qual busquei diversos registros ao longo da história da
educação ambiental no mundo, de forma a balizar este estudo com referenciais fortes e
permitir uma complementação dos estudos já realizados dentro desta temática.Como
resultados, pude exemplificar, examinando do currículo básico do Estado do Rio de
Janeiro para o 6º ano do ensino fundamental que podemos utilizar a Educação ambiental,
considerando seu caráter transversal, em todos os bimestres do ano, o que torna-se
possível em todas as séries do ensino fundamental II e ensino médio, possibilitando ao
docente uma prática mais voltada para este tema tão caro na contemporaneidade.

Palavras-chave: Educação ambiental; Educação; Geografia.


Campo Grande 47

37. (Re)Existir no Lugar: Análise do Processo de Remoção


da Vila Autódromo — Rj

Autor: Maria Clara Rodrigues Garcia


Orientador: Jean Brum

A presente pesquisa tem como objetivo analisar a resistência como elemento


de superação à condição de submissão dos moradores da Vila Autódromo imposta
pelo Urbanismo Olímpico durante o processo de remoção forçada da comunidade.
De 2009 a 2015, cerca de 2 mil moradores da Vila Autódromo, localizada na Zona
Oeste do Rio de Janeiro, foram destituídos do seu direito à moradia. O confronto entre
moradores da comunidade e a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro sustentaram
um embate marcado pela materialização da destruição não somente do espaço em sua
concretude, mas também da história de vida, da memória dos moradores. A partir do
processo de remoção, foi potencializado nos moradores possibilidades de reinventar o
seu espaço vivido ao explorar o sentimento coletivo de pertencimento e de luta pelo
seu lugar na cidade. Ao ser escolhida sede dos Jogos Olímpicos, a cidade Rio de Janeiro
descortinou conflitos inerentes à reprodução do processo de acumulação capitalista
para atender o boom do mercado imobiliário na Barra da Tijuca. As consequências
são sentidas majoritariamente no plano do Lugar, pois é nele que se evidencia os
múltiplos efeitos da relação escalar entre Global e Local no mundo contemporâneo.
Para alcançar os resultados esperados, será realizado entrevistas com moradores da
Vila Autódromo e investigação bibliográfica. Desse modo, torna-se possível coletar
dados para verificar o papel da Geografia Humanista no desenvolvimento da pesquisa
e analisar as intersubjetividades que caracterizam o Lugar e o (re)existir ao longo do
processo de remoção. A partir de subsídios existentes na Geografia Humanista, será
possível compreender como as práticas sociais que emergiram na dimensão do vivido
da comunidade edificaram o sentido de (re)existir dos moradores na afirmação da sua
identidade com o Lugar a fim de superar normas impostas pela classe dominante que
opera no urbano para atender a manutenção da acumulação capitalista.
Palavras-chave: Remoção; Vila Autódromo; Lugar
48 Campo Grande

38. A Utilização do Samba-enredo na Prática Docente no


Ensino da Geografia

Autor: Michel Rêgo Lãçzynski Monteiro


Orientador: Aline Kelly da Silva Faria

Ensinar é uma arte. Paulo Freire, em seu livro Pedagogia do Oprimido, afirmava
que “ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua
própria produção ou a sua construção” e está nas mãos do professor se desvencilhar
das amarras da educação bancária, fazendo uso de práticas pedagógicas que se tornem
um diferencial na vida escolar. Ciente de que a música é uma poderosa ferramenta
didática e com base nas Leis Federais nº 11.769, de 18 de agosto de 2008, que decreta
que a música passe a ser conteúdo obrigatório do componente curricular da Educação
Básica e nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que obriga a inclusão nos currículos oficiais
da rede de ensino a temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, foi escolhido como
objeto desta pesquisa por sua riqueza cultural e histórica, com letras que retratam
a sociedade brasileira, sua história, costumes, paisagens e outras características, o
subgênero samba-enredo, com canções apresentadas anualmente pelas agremiações
carnavalescas. O objetivo geral desta pesquisa é mostrar a importância do uso da
música, com ênfase no subgênero musical samba-enredo, no ensino da Geografia e os
específicos são: a) destacar a relevância cultural do samba-enredo; b) promover o uso
do samba-enredo no ensino da Geografia; c) buscar exemplos relevantes de sambas-
enredo para o ensino da Geografia; d) investigar se a questão religiosa pode representar
resistência ao uso do samba-enredo nas aulas. A pesquisa inicialmente será composta
por dois questionários, um direcionado a alunos de diversas idades e classes sociais e
outro a docentes sobre suas percepções sobre o uso da música e do samba-enredo como
recurso didático nas aulas de geografia. Em um segundo momento, será proposta uma
atividade didática com a utilização prática do samba-enredo em uma turma do ensino
médio de escola a ser definida, buscando as impressões dos estudantes e profissionais
sobre a atividade. Salienta-se que a pesquisa ainda se encontra em andamento e ainda
não há resultados a serem apresentados.
Palavras-chave: Educação; Música; Samba
Campo Grande 49

39. O Sentido do Mapa nos Desenhos Infantis

Autor Paloma Danielle Barra Machado Coelho


Orientador: Rodrigo Batista Lobato

O processo de globalização e os avanços das tecnologias de informação,


principalmente com desenvolvimento do acesso às mídias, permitiram que os desenhos
animados infantis recebessem cada vez mais destaque nos meios de comunicação e no
cotidiano dos telespectadores. Logo, muitos desenhos passaram a ser produzidos com
uma função instrutiva e não apenas como uma forma exclusiva de entretenimento.
Os desenhos animados representam um conjunto de estímulos visuais, auditivos,
reflexivos de mensagens e informações sobre diferentes contextos. De maneira geral,
demonstram situações do cotidiano. Como hipótese, tem-se aqui que o sentido de mapa
dos desenhos infantis possui um caráter Tradicional, entretanto, atinge o objetivo de
fazer uma Iniciação Cartográfica, pois permite que a criança compreenda conceitos
básicos cartográficos. Sendo assim, esse trabalho tem objetivo de analisar como o mapa
é apresentado nos desenhos infantis, no qual está se debruçando na temática da educação
cartográfica. Cabe-nos também apresentar os objetivos secundários, que são: Analisar
se o sentido de mapa dos desenhos é o mesmo da cartografia tradicional; Analisar
os limites e possibilidades de seu uso em sala de aula; e Compreender o conceito de
Iniciação Cartográfica. Além da pesquisa bibliográfica foram selecionados desenhos
que estão sendo analisados pelo grupo de pesquisa Pangeia, no qual eu faço parte.
Inicialmente chegamos a uma listagem dos desenhos que iremos trabalhar. É preciso
ressaltar que de maneira geral, o sentido de mapa dos desenhos apresenta um caráter
Tradicional, vinculado a conceitos pré-definidos e baseados em uma Cartografia com
a preocupação em decorar locais; utilizar de mapas mudos; valorizar a localização e
orientação; no qual o mapa não é visto como uma linguagem. Apesar disso, a criança
nesse momento tem como noção a partir dos desenhos o conceito mais básico de mapa,
sendo que este é uma referência do mundo real. A cartografia nos desenhos infantis não
precisa ser tão preocupada com a precisão cartográfica ou conceitos mais complexos,
a mesma cumprindo a seu papel nessa faixa etária com crianças que ainda não foram
para a escola.
Palavras-chave: Desenhos infantis; Ensino de Cartografia; Mapa Infantil
50 Campo Grande

40. Geografia e Tecnologia: Uma Aliança para a Sala de Aula

Autor: Renan Carlos dos Santos


Orientador: Monalisa Magalhães

Atualmente é sabido que o mundo real e o mundo virtual estão muito


próximos, visto que não há de se ver pessoas sem um smartphone ou algum meio de
acesso à internet por perto. A sociedade tecnológica e conectada aconteceu devido
ao exponencial crescimento da tecnologia nos últimos 30 anos, mas, em especial, nos
últimos 10 anos, com a implementação das redes sociais e com a popularização da
internet e dos meios de comunicação. Hoje em dia, se manter desconectado é fugir
à regra. No tocante a educação, o professor ao adequar seus métodos e sistemas de
ensino. O uso de tecnologia na educação, principalmente dos computadores, tablets e
celulares. A sala de aula passa a ser concebida com o objetivo de atender as demandas
da sociedade informatizada, como uma necessidade da modernidade, seria um erro
ingênuo acreditar que a escola deve permanecer com sua estrutura tradicional de ensino,
perante as constantes demandas surgidas na sociedade ao longo dos anos. A tecnologia
na educação, portanto, é uma nova maneira de se encarar os desafios impostos sobre
a sociedade. Um contato útil desde cedo com computadores e celulares podem ser um
grande diferencial para uma futura pessoa, para que ela não utilize os diversos gadgets
disponíveis em seu cotidiano para apenas tarefas fúteis. A geografia se apresenta como
uma disciplina dinâmica, onde se pode transpassar o ensino quantitativo ou de análise
antropológica da sociedade, visto que tal disciplina como ciência também se relaciona,
intimamente, com a conexão entre o homem e o espaço, visando estudas as dinâmicas
das diversas transformações que formam o mundo. Assim, é possível incorporar o
uso das Tecnologias da Informação e Comunicação - TIC’s no ensino da geografia,
construindo conhecimentos dos conceitos geográficos, como paisagem, lugar, espaço,
território, e, trazer tais conteúdos ao cotidiano do aluno, mostrando, por meio das
TIC´s, é possível aproximar a geografia com o cotidiano de cada um, usando exemplos
próximos e assim fazendo os alunos como agentes sociais.

Palavras-chave: Geografia; Tecnologia; Ensino; TIC´s


Natividade
52 Natividade

41. A Importância da Aula de Campo no Ensino


de Geografia para os Alunos do 7º Ano
do Ensino Fundamental

Autor: Bruna Aparecida da Silva


Orientador: Josué Fortini Moraes

A geografia, é uma ciência que enquanto disciplina, estuda a sociedade através


das relações sócio espaciais. Ou seja, ela abrange tanto aspectos da superfície terrestre,
como a ação do ser humano perante a sociedade. Diante disso, pode-se de dizer que
a Geografia é uma disciplina muito importante, pois é através dela que podemos
conhecer e compreender nosso planeta terra. Esse projeto tem como objetivo mostrar
a importância das aulas de campo, para os alunos do 7º ano do ensino fundamental,
onde o local de estudo será o Colégio Estadual Flávio Ribeiro de Rezende, e verificar se
os professores do colégio realizam aulas diferenciadas com seus alunos, ou não, e seus
motivos. O sétimo ano, é uma série que aborda muitos fatores físicos da geografia, visto
que muitos fatores abordados seriam encontrados aqui mesmo em Natividade, Rio de
Janeiro. O objetivo geral deste trabalho é reconhecer a importância da aula de campo
para o ensino de Geografia para os alunos do 7º ano do ensino fundamental, e também
identificar como as aulas de campo ajudam no aprendizado dos alunos. Pretende-se
analisar se os professores utilizam a aula de campo como instrumento pedagógico e
investigar se os alunos do 7º ano do Colégio Flávio Ribeiro de Rezende possuem aulas
de campo e identificar diferentes paisagens em Natividade, Rio de Janeiro para estudos
de campo. Para alcance dos resultados será feita um revisão bibliográfica sobre o que
muitos autores pensam a respeito da prática da aula de campo. O projeto irá contemplar
fotos de alguns pontos de Natividade que podem ser utilizados para estudo de campo.
Também caberá uma conversa com os professores titulares de geografia do colégio
Flávio Ribeiro de Rezende, do 7º ano do ensino fundamental. Os alunos também iram
participar dessa conversa, de modo que eles apontem se já participaram ou não de uma
aula de campo e se foi benéfico tanto para eles ou para os professores. Os resultados
serão analisados e discutidos.
Palavras-chave: Geografia; aula de campo; 7º ano.
Natividade 53

42. O Turismo no Município de Varre-Sai:


Suas Principais Contribuições para a Economia Local.

Autor: Luciana Barsani Vieira Moreira


Orientador: Márcia Mello

O presente trabalho tem como objetivo destacar os pontos turísticos localizados


no município, e sua contribuição para a economia local, investigando o início e qual
foi o seu crescimento nos últimos anos. Além da produção cafeeira, outro importante
segmento da economia municipal que vem crescendo é o turismo sendo a atração de
maior destaque o Festival do Vinho. Após a emancipação do município, em 1991, o
Serrano Esporte Clube transferiu a responsabilidade da realização para a Prefeitura
Municipal, que incorporou definitivamente ao seu calendário de eventos, sendo
realizado no ultimo domingo do mês de julho. Outro ponto turístico que chama
atenção pela sua decoração é o Betos Bar,localizado no Largo de Santa Filomena,por
ser todo decorado com sapatos doados pelos freqüentadores o que atraiu a curiosidade
dos municípios vizinhos.A pousada Velho Moinho que está localizada na zona rural,
recebeu este nome devido à proprietária ter recebido o local como herança de família, e
existia apenas a ruína do casarão e o velho moinho onde sempre ia buscar fubá quando
era criança, surgiu assim à idéia de colocar o nome no lugar. A primeira coisa que fez
foi tentar restaurá-lo com as próprias madeiras velhas encontradas no local. O assunto
abordado no projeto de pesquisa sobre o município de Varre-Sai é sobre o turismo e
suas principais contribuições para economia local que tem grande potencial para ser
referencia na região. A pesquisa tem como marco histórico o ano de 1976, época que
se iniciou o festival de vinho que existe até hoje. Conclui-se através de resultados
parciais que o turismo é uma área que vem ganhando destaque no decorrer dos anos,
provocando uma maior movimentação na economia local, gerando novos empregos,
movimentação do comércio e resgate histórico e cultural.
Palavras-chave: Economia, turismo e município.
54 Natividade

43. A Utilização de Documentários para o Ensino da


Geografia: Estudo da Questão aa Água na Sociedade

Autor: Sonia Aparecida Borges de Freitas


Orientador: Marcelo Sotratti

O presente estudo fará uma abordagem com relação ao uso de filmes nas aulas
de geografia, com um foco nas discussões sobre a qualidade ambiental dos rios nos
espaços urbanos. O uso de documentários em sala de aula se constitui numa das
vertentes das novas linguagens no ensino, que apesar de ser um recurso antigo, a
escola o descobriu com atraso, no entanto tem feito uso dessa ferramenta que pode
auxiliar os educadores a dinamizar o currículo. A fim de trabalhar este assunto, se fará
um levantamento bibliográfico em livros, revistas e sites sobre o assunto em questão.
Após a fundamentação teórica, será explicitado as resenhas dos documentários com
respectivas analises dos mesmos, e por fim a aplicação de um plano de atividades para
as turmas de terceiro ano do ensino médio, usando os documentários visando trabalhar
as questões envolvendo o meio ambiente. Refletir sobre a geografia enquanto ciência
social que promove interação com questões como a problemática ambiental e política
com a função de auxiliar na formação de valores da cidadania para que o aluno adquira
o perfil de cidadão pleno, com atitudes conscientes, críticas e autônomas, desenvolveu-
se uma proposta de ação voltada para a conscientização dos alunos do Ensino Médio
sobre a importância da água para a sociedade contemporânea, voltada para agir em
favor da identificação e transformação da sociedade nos aspectos que se apresentarem
necessários, com ações de reflexão que visem abranger o território a nível local,
nacional e mundial.
Palavras-chave: Ensino de Geografia. Cidadania. Filmes. Geografia.Rios Urbanos.
Natividade 55

44. A Importância dos Laços Afetivos e as Elucidades no


processo Ensino-Aprendizagem do Aluno do 6º (Sexto
Ano) do Ensino Fundamental nas Aulas de Geografia

Autor: Wilma Boechat de Souza Soares


Orientador: Neimar Salgado de Souza.

A relação estabelecida entre a afetividade e o processo de ensino e aprendizagem,


está inteiramente ligada ao desenvolvimento do educando. Para o processo ensino-
aprendizagem, com foco na importância da afetividade e do diálogo como recurso
motivacional para a relação professor-aluno. Esse trabalho visa refletir sobre o
papel da família e dos professores no desenvolvimento afetivo dos alunos do 6º ano
na disciplina de geografia, porque são eles, enquanto sujeitos mais experientes, que
organizam o processo de aprendizagem. O trabalho justifica-se por investigar as
relações entre os estágios da infância e pré-adolescência na faixa etária de 11 a 12 anos,
o qual se inicia com a saída da criança do 1º ciclo, indo a busca de novas possibilidades
de conhecimento, ou seja, a inserção do 2º ciclo. Metodologia que será utilizada é o
levantamento bibliográfico, tendo como aportes teóricos Carvalho (1995), Tiba (1998),
Zagury (1997, 1999 2000), Lívia de Oliveira (percepção e conceitos geográficos, )Freire
(1999, 2003), Foucault (2008, 1987), entre outros. Da mesma forma será utilizada na
metodologia a entrevista com professores de geografia que atuam no 6º (sexto) ano
do ensino fundamental, numa escola municipal em Itaperuna-RJ (Escola Municipal
Humberto de Campos- situada no Bairro Cidade Nova), a fim de coletar dados a
respeito da importância da afetividade no processo de ensino e de aprendizagem na
alfabetização geográfica.

Palavra-chave: Afetividade. Ensino da geografia. Motivação


56 Natividade

45. O Papel da Escola Diante dos Desafios da Educação


Ambiental em Itaperuna

Autor: Sandro Silva


Orientador: Neimar Salgado

Itaperuna é conhecida por suas altas temperaturas no verão e nos últimos anos,
vem sofrendo com a estiagem. Possui apenas 4% de remanescente florestal e ainda
não trata seu esgoto sanitário. Diante disso, este artigo pretende investigar como
estão sendo trabalhadas estas e outras importantes questões ambientais, pelas escolas
itaperunenses. Também deseja conhecer a formação acadêmica dos profissionais da
educação e como é tratado a temática da Educação Ambiental no respectivo currículo
escolar. A escola cumpre um papel fundamental de conscientizar não apenas seus alunos,
mas toda a sociedade, sobre a importância do uso adequado dos recursos naturais e sua
preservação, bem como sua recuperação quando for o caso. Todas as grandes conferências
ambientais realizadas pela ONU destacaram a importância de uma Educação em
questões ambientais para as atuais e futuras gerações. É importante também frisar
que a Educação Ambiental precisa ser trabalhada num contexto interdisciplinar,
procurando englobar todas as disciplinas e, não somente as tradicionais matérias de
Geografia, Biologia, etc. A investigação foi feita através de um trabalho de campo
onde se propôs um questionário para avaliar a formação dos docentes sobre o tema da
Educação Ambiental e como o assunto é abordado pelo currículo da escola. A pesquisa
também se pautou em diversos estudos já realizados sobre os problemas ambientais de
Itaperuna e de publicações de órgãos governamentais municipais, estaduais e federais.
Os resultados, embora ainda parciais, demonstram que boa parte dos profissionais não
dominam com facilidade o tema Educação ambiental e muitos carecem de formação na
área. Acham importante o tratamento interdisciplinar do assunto, porém, raras vezes
o fazem dessa forma. É possível concluir, ainda que de maneira parcial, que os docentes
necessitam de formação e atualização sobre a temática. As escolas deveriam além de
implementar na prática a Educação ambiental interdisciplinar, promover eventos como
palestras e debates para conscientizar e despertar na sociedade a preocupação constante
com a preservação do meio ambiente.
Palavras-chave: Educação ambiental; Itaperuna; interdisciplinaridade
Natividade 57

46. O Uso do Projeto de Microbacias Hidrográficas para o


Desenvolvimento Rural: Microbacia Hidrográfica Barro
Vermelho/Varre-Sai/Rj

Autor: Enila Oliveira dos Santos


Orientador: Marcelo Antonio Sotratti

Esta pesquisa acadêmica tem como pretensão descrever o que é espaço rural
e como ele veio se desenvolvendo ao longo dos anos, abordando como as mudanças
adquiridas interferiram na sociedade e no meio ambiente, os impactos deixados pelo
modelo de modernização do campo e a busca por um modelo de desenvolvimento mais
sustentável, com isso o destaque desta pesquisa será o projeto de desenvolvimento rural
sustentável baseado em Microbacias Hidrográficas- Rio Rural do Estado do Rio de
Janeiro, onde o lócus investigativo utilizado neste estudo foi a Microbacia Hidrográfica
Barro Vermelho no município de Varre- Sai/RJ, para entender como o projeto funcionou
e se foi satisfatório para os produtores da região. O objetivo principal é compreender
a importância de projetos como este na tentativa de melhorar a vida dos pequenos
agricultores e conscientizar sobre as questões ambientais, pois espaço rural foi marcado
por muito tempo por atividades agrícolas, no qual eram realizadas em família onde estas
eram auto-suficientes, tudo o que faziam era para consumo próprio e não visavam lucro
e renda. Com o passar dos anos e com a intervenção capitalista surgiram mudanças
neste espaço, transformando-o, onde atualmente o rural passou a ser composto por
novas atividades não agrícolas, como turismo rural. Por tanto, as atividades do campo
passaram a ser fonte de lucro e renda onde aquele sistema de produção familiar e auto-
suficiente ficou esquecido, abrindo espaço para uma nova agricultura, onde é realizada
de forma intensiva e consumista, com isso re-configurou este espaço, na tentativa de
trazer o tão sonhado desenvolvimento rural. A partir disso encontramos desafios e
problemas socioambientais. Na tentativa de mitigar estes impactos foram realizadas
propostas para atender estas questões, surgindo uma preocupação com o meio ambiente
e com os problemas sociais como êxodo rural. Surgindo a luta por sustentabilidade e
um desenvolvimento sustentável e digno para todos, despertando a sociedade sobre os
problemas ambientais, onde foram discutidas metas através do relatório de Brundland
no ano de 1987, conhecido como “Nosso Futuro Comum”.
Palavras-chave: Espaço rural. Desenvolvimento sustentável. Microbacias hidrográficas.
58 Natividade

47. A Importância do Ensino de Geografia


em Santa Clara, Porciúncula – Rj

Autor: Fabiana Aparecida De Souza Daniel


Orientador: Neimar Salgado De Souza

Esse artigo tem como principal ponto de partida sensibilizar e aprofundar a


importância do ensino de Geografia nas escolas, principalmente o ensino de Geografia
no terceiro distrito de Porciúncula, Santa Clara. O surgimento desse tema veio com
a necessidade de pensar, como o ensino poderia, ou pode ser evoluído, com práticas e
exercícios mais complexos, que instigam os alunos a investigar, a debater o assunto
mais a fundo. Para que aja a construção de um olhar crítico dos alunos. O presente
artigo busca fazer uma reflexão sobre a relação entre o modelo prático e o modelo
teórico, onde a necessidade de se ensinar somente o que está na apostila, no caso
teórico, mas também o prático deve ser apresentado de uma forma dinâmica aos alunos.
Iremos tratar de assuntos como a evolução desse ensino, nas escolas, sua importância,
e seus benefícios para a sociedade. O grande desafio a ser enfrentado pelo ensino nesse
momento seria o modo como esse conhecimento é transmitido, e a falta de interesse
dos alunos. Esses desafios estão caminhando para serem solucionados, através de novos
métodos de ensino que estão sendo criados, para facilitar esse processo. E necessário
deixa claro que o ensino da Geografia e de muita importância, pois nos mostra através
de seus conteúdos, um novo olhar sobre o meio em que o ensino da Geografia na
escola dever ter uma missão de transmitir conhecimento de forma com que os alunos
possam relacionar, o que aconteceu no passado, com o que esta acontecendo nos dias
de hoje. Esse processo faz com que os alunos possam fazer essa relação, e aprender que
o passado, faz parte de nosso presente, e do nosso futuro.
Palavras-chave: Ensino de Geografia; Escola; Santa Clara
Natividade 59

48. O Transporte Público como Estruturador


do Espaço de Santa Clara, Porciúncula – Rj

Autor: Giane Carla Da Conceição Silva


Orientadora: Vânia Regina Jorge Da Silva

O presente artigo irá desenvolver um trabalho sobre como o transporte público


coletivo pode ser um estruturante do espaço de Santa Clara, 3º Distrito do Município
de Porciúncula-RJ, sabendo que este desenvolve um papel de grande importância para
toda a população santa-clarense, principalmente para aqueles que não possuem veículo
próprio e precisam de melhores ofertas de serviços gerais, como saúde, educação e
porque não dizer para o laser. O objetivo principal desta pesquisa está em realizar uma
análise de como o transporte coletivo pode ser um estruturante do espaço de Santa
Clara, assim sendo temos como objetivos secundários, conhecer a história do transporte
público coletivo do referido Distrito, evidenciar a importância que este exerce sobre a
população e identificar o trajeto realizado pelo coletivo de Santa Clara. A metodologia
utilizada foi primeiramente a busca por dados sobre o transporte na prefeitura de
Porciúncula. Em um segundo momento foi realizada uma entrevista, com o responsável
pela empresa Auto Viação Porciúncula, a empresa responsável pelo coletivo de Santa
Clara para busca de informações gerais sobre o serviço, incluindo história, trajeto, preço
de passagens etc. Em um terceiro momento, desenvolvi entrevistas com a população de
Santa Clara, através de um questionário qualitativo, composto por perguntas abertas
e fechadas com o intuito de saber a opinião dos moradores sobre o transporte coletivo.
As entrevistas foram realizadas durante 10/09/2018 á 24/10/2018, onde foram
entrevistadas 50 pessoas residentes do Distrito. Os resultados indicam através da
entrevista feita com a população, que o transporte coletivo é sim importante para Santa
Clara, entretanto sabendo que foram várias as melhorias indicadas pela comunidade,
sendo a mais citada, a possibilidade de mudança de horários de circulação do coletivo.
Conclui-se que, esta pesquisa será de suma importância para a população de Santa
Clara que necessitam do transporte público coletivo, já que fica evidente que este meio
é claramente importante para a realização de ofertas variadas de serviços, sendo a
principal dela por motivos de saúde.
Palavras-chave: Transporte público coletivo; Santa Clara; Geografia
60 Natividade

49. A Fotografia como Recurso Didático em Geografia na


Valorização do Município de Natividade – Rj

Autor: José Ricardo Barros


Orientador: Josué Fortini

O presente artigo aborda o uso da fotografia como fonte histórica através da


pesquisa para reviver a história e consequentemente os estudos geográficos como
um importante papel na recuperação das memórias sociais, econômicas, políticas,
ambientais e culturais. Com o objetivo central este estudo apresenta o aprofundamento
do conhecimento em torno do uso do recurso fotográfico, através de comparações
fotográficas de um determinado espaço geográfico como ferramenta na interlocução
entre a geografia acadêmica, pela geografia cultural e a geografia escolar, pela utilização
da fotografia como recurso didático pedagógico em geografia, nos mais diversos
aspectos, como uma ligação direta entre momentos e épocas diferentes. A descoberta,
o encontro e a intercomunicação entre linguagens visuais que podem ser retiradas
e transformadas em escritas, pinturas e atrevidamente em sons a partir da visão do
observador através do seu mapa mental. Assim, no espaço urbano, pela valorização do
município de Natividade, localizado na Região Noroeste do Estado do Rio de Janeiro,
conhecer e estudar a ligação direta da cidade com os cidadãos, promovendo junto ao
ensino didático da geografia um ambiente coletivo onde cada aluno passe a ser um
agente conhecedor e responsável pelo seu território e sua cidadania, apresentado
através da construção de um “Almanaque Geográfico Informativo de Natividade” aplicado
aos estudos na educação básica. Salientando o dever e obrigação dos professores, em
todas as disciplinas, em formar cidadãos que conheçam a sua cidade, e que trabalhem
pelo seu desenvolvimento chamando a atenção para o direito à cidade garantida na
“Carta Mundial do Direito à Cidade”.
Palavras-chave: Fotografia, geografia cultural, mapa mental, lugar, cidade.
Natividade 61

50. As Práticas Rudimentares e os Desafios da Agricultura


Familar Cafeeira na Microrregião de Varre–Sai / Rj e
Santa Clara (3º Distrito De Porciúncula – Rj)

Autor: Paloma Teixeira Pizano.

O presente trabalho se centra fundamentalmente na contradição entre a riqueza


gerada pela produção cafeeira e a vida simples dos agricultores. Tendo como cenário
a microrregião compreendida pelo município de Varre Sai – RJ e o distrito de Santa
Clara pertencente ao município de Porciúncula - RJ, área onde se concentra a maior
parte da produção cafeeira fluminense e ainda de forma manufaturada. O texto foi
construído a partir de uma análise crítica dos fatores que dificultam o acesso do
pequeno produtor, na maioria das vezes agricultor familiar, à mecanização do cultivo
e da colheita, e logística para escoamento da produção, o que por conseguinte impacta
na produtividade e no valor do produto. Outrossim, o trabalho contextualizou
tais questões com aspectos sociais e culturais locais. Para tanto se utilizou como
roteiro cronológico a seguinte estruturação lógica: Em primeiras linhas buscou –se
demonstrar a origem do café no Estado do Rio de Janeiro e no espaço geográfico
sob estudo, em seguida debruçou-se efetivamente sobre dados estatísticos capazes de
demonstrar a importância econômica da produção cafeeira, sobretudo na economia
local, ato contínuo se adentrou a distribuição dos recursos gerados pela monocultura
in casu e como o agricultor saí prejudicado nesse processo, trabalhando-se a busca pelos
motivos que geram tal discrepância quanto a renda de quem produz e de quem vende
o produto final. Como ferramentas metodológicas o estudo bibliográfico de obras
históricas e contemporâneas e técnicas de laboratório, com a observação e coleta de
dados e material fotográfico em diversas propriedades rurais.
Palavras-chave: agricultura familiar- café – práticas rudimentares – manufatura – renda
62 Natividade

51. As Tranformaçoes Ocorridas na Cidade de Varre–Sai/Rj


com o Processo de Colonização uma Contribuição
na Agricultura do Município

Autor: Alana Aparecida Rodolphi Gualandi


Orientador: Márcia Aparecida Pereira de Mello

O presente projeto de pesquisa tem o intuito de analisar o processo de colonização


da cidade de Varre-Sai/RJ enfatizando suas contribuições na agricultura do município
e na expansão urbana. O município é caracterizado pela maior colônia de descendentes
italianos do estado, que vieram no auge da economia cafeeira no país. A cidade também
contou com a presença de outros colonizadores europeus como: portugueses, sírios e
libaneses. Diante do grande número de colonizadores surge o interesse em investigar
qual o papel que tiveram na formação do município. O município se destaca na produção
de café, sendo atualmente o maior produtor do Estado do Rio, considerado a Capital
do Café do Estado. O recorte temporal da pesquisa abrange de 1831 quando iniciou-
se o processo de colonização, até dias atuais. Nesse trabalho pretende-se identificar os
colonizadores vindos da Europa e relacionar as culturas implantadas no município e
o processo de urbanização. A metodologia utilizada é a Revisão Bibliográfica, tendo
como referência Milton Santos, Rosane Bartholazzi e Marcelo Lobato Corrêa. Conta
também com relatos e entrevistas com antigos moradores, além de busca em fontes
particulares e bibliotecas. Os dados obtidos serão analisados de forma qualitativa. Os
resultados parciais indicam que os colonizadores trouxeram grande contribuição para
a agricultura local, sendo a cultura do café a principal. Trouxe também contribuição
na formação da cidade, através da doação de uma porção de terras de um colonizador
italiano, José Lanes Brandão, forma-se o vilarejo de São Sebastião do Varre-Sai, que em
1991 foi elevado à categoria de município, constituindo a cidade de Varre Sai. Conclui-
se através de resultados parciais que os imigrantes tiveram significativa participação
na formação econômica e cultural do município de Varre Sai.
Palavras-Chave: Colonizadores; Agricultura; Expansão Urbana
Natividade 63

52. Agricultura em Detrimento a Pecuária: uma Proposta


de Desenvolvimento Social e Redução dos Impactos
Ambientais no Município de Bom Jesus do Itabapoana/Rj

Autor: Everton Ribeiro Pimentel


Orientador: Neimar Salgado de Souza

Apesar da pecuária bovina ser de longe a atividade mais importante para o


agronegócio internacional, seja por sua alta rentabilidade ou aspectos sazonais
favoráveis, a medida que se expande, cresce também os impactos ambientais ocasionados
pelo cultivo desordenado e até mesmo sobre condições impróprias, cada vez mais
frequentes em algumas regiões. Este estudo visa retratar o impacto ambiental oriundo
desta atividade e seu avanço sobre as áreas agrícolas no município de Bom jesus do
Itabapoana-RJ e seus arredores, atravéz da análise da paisagem natural. No município
em questão, a proporção de grandes latifundiários é minúscula em comparação aos
minifundiários, que não despunham de recursos para expandir suas terras e alcançar
patamares substanciais de produção. Restando a eles apenas a possibilidade de se
adaptarem ao manejo da mini-pecuária e a insuficiente agricultura de subsistência,
muitas das vezes condicionada pelo incentivo governamental escasso. A pecuária bovina
acarreta entre outros problemas, a degradação ambiental, seja para suprir as suas
demandas de pastagens e fontes hídricas, ou para a agricultura não alimentícia como
o cultivo de cereais para ração, a substituição da cobertura vegetal nativa, a prática de
queimadas, os processos de grilagens, a compactação do solo derivada do deslocamento
dos rebanhos, o que dificulta a infiltração de água e promove o assoreamentos da
superfície, etc… Como exemplo de vegetação não nativa podemos citar o capim
braquiária, planta invasora de vegetação agressiva oriunda da África, que por suas
qualidades xerófilas (nessecitando de pouca água) acabam dominando totalmente
o ambiente que invade. Outro aspecto facilmente identificado são as desigualdades
socioeconômicas produzidas pela distribuição de renda irregular, pelo avançado índice
de desemprego nesta região. Através de pesquisas bibliográficas em gabinete que estão
sendo realizadas durante o processo de produção deste trabalho, tornar-se explícito
que, apesar de sua larga vantagem econômica, a expansão da pecuária no município,
tem acarretado mais problemas do que soluções e a proposta de maior investimento
para o setor agrícola tem a contribuir não só para o desenvolvimento igualitário social
em questão, como também para o controle e preservação ambiental remanescente.
Palavras-chave: Agropecuária, Impacto Ambiental, Desenvolvimento Sustentável.
64 Natividade

53. As Mudanças Ocorridas no Espaço Geográfico de


Bom Jesus do Itabapoana-Rj: Com a Chegada da
Infraestrutura no Campo

Autor: Ana Terezinha de Jesus Souza


Orientador : Márcia Aparecida Pereira de Mello

O presente trabalho, tem a finalidade de, mostrar, como o avanço tecnológico


das últimas décadas vem trazendo melhorias de infraestruturas para o município de
Bom Jesus do Itabapoana, localizado ao Noroeste do estado do Rio de Janeiro, onde as
inovações foram chegando ao longo dos anos, ocasionando progresso na mobilidade,
comunicação e informação ao homem campo. Nesse trabalho pretende-se avaliar
os benefícios desse fenômeno, justificar a volta do homem ao campo, comparar o
crescimento tecnológico dos últimos tempos e mostrar os pontos positivos e negativos
dessas inovações à população rural, que será feito através de, pesquisa qualitativa,
utilizando revisão bibliográfica realizada em internet, livros e artigos, e também em
órgãos municipais , fontes particulares e pesquisas de campo com moradores que
vivenciaram esse período de mudanças, entre outros, que tratem do assunto abordado,
no período de tempo mencionado. Pretende-se reunir informações relevantes ao
desenvolvimento e demonstração do trabalho. Ao realizar algumas pesquisas percebe-
se que, as melhorias advindas da infraestrutura, chega de maneira desigual nos distritos,
devido a localização de cada um, chegando primeiro aos distritos de fácil acesso e depois
para os outros, como: rede de telefonia fixo e móvel, pavimentação de vias térreas,
construção de pousadas, salão de beleza, minimercados, lojas de vestuários, transporte
público, aumento no número de motocicletas e automóvel de passeio entre outros o que
atraem o homem de volta ao campo. Até aqui os resultados encontrados servem como
embasamento para o que se pretende chegar, já que esse trabalho se encontra em fase
de produção.
Palavras-chave: Infraestrutura; Homem; Campo.
Natividade 65

54. Os Fluxos Migratórios no Século XXI no Município


de Natividade/Rj

Autor: Vanessa Arenari de Siqueira


Orientador: Neimar Salgado de Souza

O fluxo migratório é constante em nosso país, cada vez mais os jovens abandonam
suas cidades interioranas rumo às cidades mais urbanizadas que oferecem mais
oportunidades. Natividade vem sofrendo fortemente com o êxodo rural nos últimos anos.
A cidade é pequena, de baixa urbanização e com pouco mais de quinze mil habitantes.
Tem perdido boa parte de sua população jovem que não enxerga oportunidade de
crescer permanecendo na mesma. Esta pesquisa objetiva entender o que leva esses
jovens a saírem de suas pequenas cidades rumo a cidades mais urbanizadas e quais as
consequências deste fato para o município. Para tanto será necessário uma profunda
pesquisa bibliográfica com base em artigos científicos e textos encontrados em bancos
de dados idôneos na internet como: Google Acadêmico, Scielo, Periódico Capes,
Repositório Aberto (UAB). Far-se-á necessário, também, um levantamento de dados
populacionais obtidos através do IBGE e uma pesquisa de campo com a realização de
questionários junto aos jovens da cidade. Uma cidade grande e mais urbanizada possui
muitos atrativos, desde oportunidades de estudo e trabalho a eventos e movimentos
culturais que atraem os mais jovens. É preciso entender essas necessidades dos mais
jovens e buscando soluções para a diminuição destes fluxos migratórios. É preciso
um olhar crítico a esta situação, cada vez mais os jovens pensam em sair da cidade,
pois não conseguem enxergar perspectiva para ali permanecerem. Os resultados ainda
que parciais, demonstram a necessidade das autoridades governamentais perceberem
o quão danosa essa situação será para o futuro da cidade, uma vez que essas perdas
podem trazer baixo investimento externo para a mesma.
Palavras-Chaves: Êxodo rural. Fluxos migratórios. Movimentos populacionais.
66 Natividade

55. Educação e Gestão Ambiental no Atual Estágio de


Desenvolvimento: em Foco as Resoluções Conama
(1984-2012)

Autor: Bruno Mazoto Barros


Orientador: Marcia Aparecida Pereira de Mello

O presente trabalho tem como objetivo descrever como o planeta todos os dias
sofre modificações em diferentes escalas, passando o ser humano a se confrontar com
o meio, a criar cada vez mais ambientes degradados, e insustentáveis. Entender e saber
“ler” o meio em transformação é tarefa da Geografia na medida em que estuda a relação
homem/meio e as nuances do espaço geográfico. É preciso cada vez mais debater a
educação e principalmente a gestão ambiental, de forma que se possa aurir do atual
período defasagens com relação à prática ambiental. Na atualidade muito se fala
sobre questões ambientais, reuniões globais são frequentes, porém a atuação na vida
da sociedade nem sempre ocorre. Para entender o porquê da não materialização de
projetos busca-se expor o que diferentes autores retratam sobre os estudos ambientais,
a fim de que se questione a atuação da sociedade frente à degradação do meio. O saber
geográfico apresenta-se vinculado às ações antrópicas, às possibilidades do homem
sobre o meio, na política do ser e principalmente na estruturação do homem enquanto
ambientalmente correto. O Brasil é um dos únicos países do mundo a ter um órgão
colegiado atuante como o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) a discutir
a ação do homem moderno sobre o meio, com auxílio do poder estatal. Ao se confrontar
com as recorrentes modificações dos espaços o que antes se encontrava disperso e
privado de grandes espessuras passa a ter interligações e se apresentar em profundo
“transformar”. Entender os espaços atuais sobre a visão das resoluções CONAMA
faz emergir o papel de se estabelecer limites de poluição, a importância de áreas de
preservação permanente, unidades de conservação e criação de conciência ambiental.
A educação se torna parte fundamental onde desde as séries iniciais até a graduação
abordar esdudos do meio é primordial, a fim de se criar um novo ordenamento, uma
globalização com menos desastres naturais e mais sustentável, para um futuro seguro.
Palavras-chave: Educação, Gestão, Estatal, CONAMA.
Natividade 67

56. O Estado Mínimo Está na Mesa: Os Impactos


do Neoliberalismo na Agricultura Brasileira

Autor: Luciano Rezende Moreira


Orientador: Neimar Salgado de Souza

O presente projeto parte de um acúmulo de estudos acerca da questão agrária no


Brasil e no mundo, sobretudo a partir da ascensão do neoliberalismo. Visa transitar pelas
áreas das Ciências Agrárias (Agronomia), navegando pelas Ciências Sociais Aplicadas
(Administração), sob o olhar crítico da Geografia, de acordo com a formação acadêmica
do autor. Parte-se da premissa que o neoliberalismo não é um fenômeno novo no Brasil
ou no mundo. Pelo contrário, desde os finais dos anos 1980 exerce grande influência na
política; ora de forma mais intensa, ora de maneira mais branda. Mas seus princípios
básicos em torno do Estado Mínimo, desregulamentação da economia, abertura das
fronteiras comerciais, entre outras bandeiras, sempre estiveram presentes. Assim,
assistimos ao encolhimento do Estado Nacional, a incorporação de empresas brasileiras
pelas gigantes do setor, o protecionismo da agricultura pelos governos estrangeiros e
a completa desnacionalização das cadeias produtivas ligadas ao agronegócio brasileiro,
atingindo em cheio desde o mais humilde camponês ao mais abonado empresário rural.
Com o objetivo de aprofundar o debate sobre a questão agrária no Brasil, debruçando
sobre o importante tema da desnacionalização da agropecuária brasileira promovido
pela aplicação das teses neoliberais, facilitando a entrada de multinacionais no setor,
este trabalho faz alguns questionamentos no intuito de lançar luzes a este importante
tema, tais como o histórico e o impacto da desnacionalização das cadeias produtivas
da agropecuária brasileira, envolvendo atividades dos setores primário, secundário e
terciário. Objetiva, portanto, analisar o processo de desnacionalização da agropecuária
brasileira em curso a partir da implementação e aprofundamento das teses neoliberais
no Brasil. Para isto, é conduzida uma pesquisa bibliográfica, reunindo ideias, conceitos
e opiniões de diferentes fontes, com o intuito de subsidiar o debate sobre o impacto do
neoliberalismo na agropecuária brasileira, sobretudo no que diz respeito ao processo
de desnacionalização, seguindo os preceitos do estudo exploratório, através de revisão
de literatura especializada do tema proposto e materiais diversos encontrados em
distintas mídias.
Palavras-chave: Questão agrária; Neoliberalismo; Agronegócio; Estado mínimo
68 Natividade

57. IMPACTOS AMBIENTAIS GERADOS PELAS BARRAGENS


NO DISTRITO DE CALHEIROS, BOM JESUS DO
ITABAPOANA

Autor: Eny de Jesus Souza

O presente trabalho tem o objetivo de analisar os impactos ambientais causados pela


construção de barragens no trecho do Rio Itabapoana que banha o Distrito de Calheiros
no município de Bom Jesus do Itabapoana, RJ, identificando os principais problemas
causados ao meio ambiente e à população local debatendo medidas minimizadoras
e preventivas para o assunto em questão.A metodologia utilizada é a pesquisa em
gabinete, consultando referências bibliográficas, levantamentos de sites da prefeitura
municipal, do IBG e do Observatório Socioambiental de Barragens. Será também
realizada pesquisa em campo para que seja possível realizar o registro de imagens de
pontos diferentes do rio. Os resultados serão apresentados de forma qualitativa.Com a
necessidade crescente de substituir a matriz energética que dependia especialmente da
queima de combustíveis fósseis, por uma fonte renovável, a construção de hidrelétricas
teve grande difusão e aceitação no Brasil, principalmente por ser um país com volumes
significativos de recursos hídricos. O Rio Itabapoana comporta cinco Hidrelétricas
em seu curso e quatro destas estão dentro dos limites territoriais do Município de Bom
Jesus do Itabapoana. No Distrito de Calheiros se localiza a Pequena Central Hidrelétrica
Calheiros, construída na década de 2000, tendo como parte do empreendimento uma
barragem que represa grande volume d’água, ocasionando vários impactos ambientais
desde o momento de sua instalação até os dias atuais prejudicando a fauna e flora que
dependem das características climáticas, pedológicas e hidrológicas desta região para
existir.É possível concluir mesmo que parcialmente, que a construção de barragem
principalmente na extensão do Rio Itabapoana, teve graves consequências ao solo, a
vegetação e espécies de animais prejudicando toda a comunidade que depende direta
ou indiretamente deste para sua sobrevivência.
Palavras-chaves: Impacto Ambiental, barragens, pesquisa
Niterói
70 Niterói

58. Enchentes no Bairro da Praça da Bandeira – Rj:


Causas, Consequências E Intervenções

Autor: Ana Paula Leite Cortegiano


Orientador: Fábio Guimarães Oliva

As enchentes na cidade do Rio de Janeiro configuram-se como um problema que


está condicionado a fatores climáticos, características do relevo e ações antrópicas.
Determinadas áreas da cidade concentram um número elevado destes fatores e tornam-
se locais mais suscetíveis a episódios de enchentes. Um desses locais é o bairro da
Praça da Bandeira. A escolha do bairro como área de estudo apoia-se no fato de que
o mesmo é alvo recorrente de enchentes, tornando-se quase emblemático. Outro fator
que é a sua localização, pois liga a zona sul e o centro à zona norte e ao subúrbio da
cidade configurando-se como importante elo por onde circulam milhares de pessoas
todos os dias. Deste modo, a presente pesquisa tem como objetivo geral caracterizar
as causas e as consequências das enchentes e a eficácia das intervenções realizadas
no decorrer dos últimos cinco anos no bairro da Praça da Bandeira. Os objetivos
específicos são: analisar as causas das enchentes no bairro em questão e apresentar os
efeitos desses eventos de enchentes para os habitantes locais. Neste contexto, faz-se
necessária uma síntese das últimas intervenções realizadas na área que tiveram como
intuito a minimização dos impactos oriundos destes eventos. O presente trabalho,
com relação à sua natureza, trata-se de uma pesquisa básica pura. Sua abordagem,
pode ser considerada quali-quantitativa, pois envolve a apreciação de informações
encontradas em registros bibliográficos e documentais e a coleta e análise de dados
estatísticos sobre o assunto. Quanto ao objetivo, é uma pesquisa descritiva. No tocante
procedimental, pode-se classificar a presente pesquisa como bibliográfica, documental
e levantamento de campo. Os resultados foram colhidos a partir de pesquisa em
jornais e em dados pluviométricos, confrontados com pesquisa bibliográfica, além da
verificação da percepção dos moradores sobre as enchentes no bairro, através de um
questionário semiaberto respondido on-line. Os dados foram tabulados, transcritos e
analisados como forma de obter um panorama sobre esses eventos. Observa-se que
existem causas naturais para as enchentes, contudo as ações antrópicas contribuem
para o aumento dos impactos sobre a população. As intervenções realizadas não foram
concluídas não sendo possível avaliar sua eficácia frente às chuvas.
Palavras-chave: Enchentes. Praça da Bandeira (RJ). Obras de drenagem.
Niterói 71

59. Do Rural ao Urbano: A Invernada dos Afonsos na


História da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro

Autor: Caio Henrique Valente do Nascimento


Orientador: Camila da Silva Vieira

O presente estudo versa sobre a história da Polícia Militar do Estado do Rio


de Janeiro, sua presença e ocupação no subúrbio carioca, e foi motivado pela minha
experiência como policial militar e pela curiosidade sobre as implicações geográficas
entre a corporação e o espaço por ela ocupado. Nesse contexto, o objeto de pesquisa se
restringe à Fazenda dos Afonsos e seu uso, bem como o processo de evolução urbana
e mudanças de forma e função que sofreu ao longo do tempo. O recorte temporal
se inicia nas primeiras ocupações do terreno já como fazenda no século XVIII até o
ano de 1958, com a transferência da Escola de Oficiais para a fazenda, última grande
transformação de sua função, que se mantém até os dias atuais. Face ao exposto, o
presente estudo visa conhecer as condições de ocupação de fazenda dos Afonsos, seus
antecedentes e usos até chegar à condição atual. Pretende ainda identificar as fases
de ocupações da fazenda dos Afonsos por parte do Estado, as motivações e seus usos
em diálogo com o rural e o urbano. Para cumprir o que pretende, utiliza o método de
estudo de caso, considerando-o como mais adequado para dar conta de um objeto de
pesquisa tão especifico, já que consegue abarcar dentro das Ciências Sociais, aspectos
organizacionais que influenciaram o uso/transformação do espaço. As técnicas de
pesquisa bibliográfica e documental se complementam, favorecendo a investigação
do objeto de pesquisa, que busca a partir de autores da Geografia e da História a
base da investigação das interfaces geográficas, na formação/transformação do espaço
da Fazenda dos Afonsos e ainda nos documentos oficiais e relatos institucionais que
contextualizaram os estudos sobre o tema. Até o momento, pode-se dizer que o estudo
da evolução urbana da Fazenda dos Afonsos se mostra como um evento destacado,
já que se desenvolveu sob a administração pública, bem como, possibilitou diversas
reverberações no bairro a que veio a pertencer.
Palavras-chave: Fazenda dos Afonsos; Polícia Militar; Transformação no espaço
72 Niterói

60. Estudo da Avaliação Preliminar de Risco (Apr) em


Atividades Ecoturísticas na Trilha do Pico da Tijuca –
Parque Nacional da Tijuca (Pnt) – Rj

Autor: Cristiane Ribeiro Fragoso Neves


Orientador: Vivian Castilho da Costa

Atualmente o turismo de aventura e o ecoturismo estão em crescimento no interior


de unidades de conservação onde encontram-se atividades de caminhadas ecológicas
em trilhas.  No entanto, os riscos de acidentes e segurança aos seus usuários não vem
sendo estudado de forma abrangente pelos gestores de áreas protegidas. Este trabalho
de pesquisa tem como foco analisar e mensurar quais são os riscos ambientais e de
segurança aos visitantes ao realizarem atividades de caminhada na trilha do Pico da
Tijuca no Parque Nacional da Tijuca (PNT), situada no município do Rio de Janeiro. A
pesquisa se configura em uma abordagem qualitativa buscando em livros, teses, pesquisa
de campo e entrevistas, e aplicação do método de Análise Preliminar de Riscos (APR)
na trilha do Pico da Tijuca.  Através das entrevistas com o guia de turismo e com o
funcionário do PNT, constata-se que há riscos em realizar atividades de visitação nas
trilhas, tanto por acidentes, quanto pela violência. No entanto, no Setor A do PNT os
acidentes que ocorrem são de danos leves e os assaltos são raros. Mas, o principal temor
relatado pelos usuários da trilha do Pico da Tijuca é a queda.  O método APR na trilha
para o Pico da Tijuca, confirmou que o principal risco que pode ocorrer com os usuários
na trilha é a queda, além de perder-se, escorregar, torcer o pé, queda de troncos e
galhos das árvores, assaltos e picadas de animais peçonhentos. Foram observados
pontos com riscos tais como raízes de árvores caídas, fragmentos de rocha no leito da
trilha que podem causar tropeções e torção.  Conclui-se que atividades de caminhada
na trilha para o Pico da Tijuca oferecem realmente riscos de acidentes, apesar do risco
de violência ainda ser considerado irrelevante por seus usuários. Os guias reconhecem
também que há a necessidade de cuidado, atenção e postura consciente por parte dos
usuários ao andar na natureza. Cabe também aos gestores do PNT, manter políticas
de planejamento que garantam segurança preventiva e de monitoramento com
regularidade em todas as trilhas existentes na unidade de conservação.
Palavras-chave: Riscos, Trilhas, Acidentes, Parque Nacional da Tijuca, Pico da Tijuca.
Niterói 73

61. Desenvolvimento Urbano de Itaipuaçu: Um Olhar sobre


as Políticas Públicas nos Últimos 10 Anos.

Autor: Izabel Abreu de Oliveira Gomes


Orientador: Leandro Gondim Monteiro

O presente trabalho refere-se ao estudo realizado no município de Maricá, com


especial atenção ao distrito de Itaipuaçu, onde pretende-se analisar se as políticas
públicas desenvolvidas pelo poder público em nesta localidade, nos últimos dez anos,
são efetivas no atendimento às demandas da população. A cidade de Maricá, localizada
na Região Metropolitana do estado do Rio de Janeiro, tem apresentado notórias
transformações em seu espaço geográfico durante a última década, permitidas através
da arrecadação dos Royalties referentes à extração de Petróleo. Para o desenvolvimento
do estudo em tela, será apresentado um panorama das transformações ocorridas no
espaço urbano do município nos últimos anos, de que forma essas transformações
ocorreram no Distrito de Itaipuaçu, as políticas públicas desenvolvidas para essa
localidade, por fim, a importância desse desenvolvimento para a comunidade local e
todo o município. Assim, esse estudo que tem base na análise empírica de observações
a cerca do desenvolvimento, de ordem econômica, social, habitacional, cultural, de
serviços e comércio, crescimento populacional, urbano e paisagístico do distrito de
Itaipuaçu, busca por meio da pesquisa exploratória, descrever as características do
processo de urbanização, apontar suas causas e efeitos. Neste sentido, serão coletados
dados bibliográficos, através do site oficial da Prefeitura, pelos agentes que compõem
o Poder Executivo do município, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística,
de autores que tratam da temática da urbanização e planejamento territorial, bem
como a realização de pesquisa qualitativa, por meio de questionários, com os agentes
transformadores do espaço, a fim de buscar conhecimento necessário para a construção
da investigação da proposta. Espera-se com essa pesquisa, avaliar as políticas públicas
implantas em Itaipuaçu, se tais procedimentos atendem a crescente demanda da
população e através dessa análise propor medidas a nortear futura atuação dos órgãos
públicos nesta localidade.
Palavras-chave: Desenvolvimento urbano; Políticas públicas; Itaipuaçu
74 Niterói

62. O Meio Ambiente suas Normas e o Trato com os


Sepultamentos no Parque Cemiterial do Caju.

Autor: José Carlos Almeida Maia


Orientador: Leandro Gondim Monteiro

Minha pesquisa se baseia nos cuidados com que os sepultamentos são realizados
nos cemitérios do bairro do Caju. Registro as diversas maneiras de sepultamentos
praticados nesse recorte e faço um comparativo sobre as formas que estão de acordo
com as normais de proteção ao meio ambiente e as que não se enquadram. Sabemos
hoje, graças a Arqueologia, que desde os primórdios, ainda na idade da pedra, sempre
existiu um cuidado especial com os sepultamentos humanos. Nesse período específico
muitos fósseis foram encontrados em posição fetal que identifica já nessa época todo um
cuidado com o falecido. Os anos se passaram, as civilizações foram sendo descobertas
e os cuidados com os sepultamentos foram se ampliando. Sepultar para não atrair
animais ferozes, queimar ou mumificar o morto junto com seus pertences, sepultar
dentro de uma catedral religiosa por ser um nobre, realizar festas suntuosas só porque
o defunto é rico são alguns dos cuidados referentes aos sepultamentos que atravessaram
os tempos, porém nota-se, que cuidados com a natureza e com o meio ambiente ainda
não eram citados. Na realidade por muitos anos pouco se falou em poluição através dos
sepultamentos. No Brasil somente a partir da homologação da Resolução CONANA
335/2003 de 03 de abril de 2003, o marco regulatório ambiental do setor é que se
começa a vislumbrar meios para evitar a contaminação do ar, rios e mares através
da decomposição cadavérica não regulamentada e torna-se fundamental a discussão
sobre esses maus sepultamentos que contaminam o meio ambiente. O suporte teórico
desse trabalho baseia-se nas publicações das resoluções do CONAMA referentes ao
tema e de teóricos como Andrade (2007) e Castro (2008) que auxiliam através de seus
estudos as formas positivas e não poluentes dos sepultamentos nos dias de hoje. Para se
tentar chegar às conclusões, esta pesquisa esta utilizando o método do Estudo de Caso
com clara delimitação espacial e o método qualitativo com entrevistas realizadas com
gestores dos cemitérios existentes dentro do perímetro do recorte. Espera-se através
dessa pesquisa tornar conhecidas as espécies de sepultamento existentes no Caju e os
que podem ser considerados saudáveis ao meio ambiente.
Palavras-chave: Cemitério; Poluição; Prevenção.
Niterói 75

63. Caracterização da Demanda de Reabilitação Produtiva e


Ambiental em Espaços Rurais do Município de Cunha – SP

Autor: Jorcelino Rinalde de Paulo


Orientador: Glaucio José Marafon

Levando em consideração o emergente cenário de degradação de áreas rurais


pertencentes ao Vale do Paraíba Paulista, este estudo busca caracterizar a demanda
por reabilitação produtiva e ambiental em ambientes rurais do município de Cunha –
SP, que em uma visão sustentável, poderia ser palco de ampla produção agropecuária
e madeireira, além de uma série de outros produtos de origem alimentícia e florestal.
No entanto, o que se percebe em seu território é uma significativa parcela de terras
subutilizadas e com pouco resultado produtivo, o que denota um acelerado processo de
degradação. Deste modo, a realização de pesquisas que busquem identificar espaços rurais
nestas condições reflete uma importante contribuição para a elucidação de demandas
por recuperação socioeconômica e ambiental previstas na Lei nº 12.651 de 2012, que
regulamenta a adequação e regularização ambiental de todas as propriedades rurais
do país. Nesse sentido, a metodologia empregada para identificação das deficiências na
produção rural do município consistiu na realização de análises comparativas entre a
produção da pecuária leiteira de Cunha e a dos municípios de Pindamonhangaba e Araras,
bem como entre a produção da atividade de silvicultura de Cunha e a dos municípios
de Botucatu e Itatinga. Os resultados apontados demonstram que essas atividades
possuem alta demanda por reabilitação produtiva e ambiental no município de Cunha,
e que o mesmo é dotado de vastas terras subutilizadas e com baixa produtividade
agropecuária. Por fim, esta pesquisa pretende colaborar para o desenvolvimento de
propostas sustentáveis que possam equacionar soluções socioeconômicas e ambientais
com vistas à reabilitação das áreas rurais degradadas no território cunhense.
Palavras-chave: Reabilitação Produtiva, Município de Cunha - SP, Vale do Paraíba Paulista
76 Niterói

64. Restinga e Resort: Prováveis Consequências da


Especulação Imobiliária Estrangeira na Região da Apa
de Maricá e seus Habitantes

Autor: Jose Humberto de Souza Rodriguez


Orientador: Vanessa Jorge de Araújo (UERJ)

Este presente trabalho de pesquisa apresenta uma análise das possíveis


consequências da construção e instalação de um complexo turístico financiado por
capital estrangeiro na região da APA de Maricá, no estado do Rio de Janeiro, localizada
na restinga formada entre a lagoa de Maricá e o oceano atlântico que além de abrigar
diversas espécies endêmicas da fauna e da flora fluminense, também é o lar e fonte
de renda para os seus habitantes a saber: os índios da aldeia “Tekoa Ka’ Aguy Ovy
Porã” – Aldeia Mata Verde Bonita em tupi-guarani – e os pescadores da colônia de
Zacarias. A partir de revisão bibliográfica, análise documental e por intermédio de
pesquisas de campo, questionários e entrevistas realizadas aos índios e aos pescadores
residentes na área da restinga, pode-se constatar a real preocupação com relação à
perda de suas moradias para a construção do resort que segundo previsões iniciais
ocuparia cerca de 60% da área da APA de Maricá, área esta que provê além do sustento
à aldeia indígena por intermédio da caça, plantações de mandioca e pesca no canal de
Itaipuaçu que margeia a aldeia, é de essencial importância aos pescadores de Zacarias,
que há várias décadas dependem da área de preservação onde estão instalados para a
prática da pesca, principal atividade comercial da região. O projeto do resort de luxo
que será construído por um consórcio empresarial ibero-americano possui cerca de 840
hectares de área construída e tem capacidade estimada para cerca de 20.000 pessoas,
espera movimentar a economia maricaense, que é um dos municípios no entorno do
COMPERJ e possui uma das maiores receitas em “royalties” do estado. Espera-se, com
esta pesquisa, trazer uma reflexão acerca das consequências que a construção do resort
de luxo poderá causar às comunidades locais, além de ponderar os prós e contras de sua
construção ao município de Maricá como um todo.
Palavras-chave: APA de Maricá, Resort, Pescadores de Zacarias
Niterói 77

65. Dinâmica Climática e Poder Público: Análise sobre


a Atuação da Prefeitura de Petrópolis Visando a
Contenção de Enchentes e Deslizamentos de Terra.

Autor: José Antônio Santos.


Orientador: Leandro Gondim Monteiro.

A presente pesquisa tem por objetivo investigar como se dá a dinâmica climática


no município de Petrópolis (RJ), com foco no comportamento do índice pluviométrico
ao longo das últimas décadas, e quais são as consequências espaciais de tal dinâmica.
A motivação do nosso trabalho relaciona-se aos últimos eventos relacionados ao
comportamento atmosférico registrados no município, que, com a intensificação das
chuvas, percebe-se consequentemente a elevação do número de casos de enchentes e a
intensificação do movimento de massa, o que lamentavelmente provoca tragédias sociais
imensuráveis. A geografia é uma ciência que se propõe a entender a configuração do
espaço por intermédio das relações entre a sociedade e o meio circundante, portanto, à
luz da climatologia geográfica e da geografia urbana, pretendemos investigar quais ações
têm sido implementadas pelo poder público no sentido de impedir que novos desastres
ocorram, além de identificar se há ou não uma relação entre os eventos catastróficos e o
modelo de desenvolvimento urbano ensejado no município. Pretendemos fazer uso do
método do estudo de caso, bem como uma ampla pesquisa bibliográfico e o uso de dados
secundários do IBGE e do Inemet. Alguns autores serão de fundamental importância
para o desenvolvimento das nossas pesquisas, dentre eles podemos destacar: Ayoade,
Milton Santos, José Antonio Teixeira Guerra e Henry Acselrad. Como objetivo
específico é nossa intenção pesquisar sobre cidades onde ocorrem questões similares
a de Petrópolis, bem como as atitudes tomadas nas esferas governamentais visando
mitigar as consequências decorrentes da intensa atividade pluviométrica.
Palavras-Chave: Chuvas, Poder Público,Urbanização.
78 Niterói

66. Estudo de Caso sobre os Impactos Ambientais


Ocorridos na Praia da Macumba - Rj

Autor: Laélcio Vasconcelos Junior


Orientador: Ângelo Fernando Pereira

O uso da orla como espaço de apropriação, promoveu um intenso processo de


urbanização dos bairros litorâneos do Rio de Janeiro. Sendo assim, sua balneabilidade,
a promoção turística, os eventos artísticos e culturais fizeram com que suas praias
passassem a ser frequentadas por milhões de pessoas. Por essa razão, obras estruturais
foram sendo realizadas, modificando a paisagem da orla ao longo dos tempos.
A pesquisa inicia apresentando o panorama histórico evolutivo, sobre o processo de
urbanização da cidade até chegar na área de estudo em questão, destacando aspectos
específicos da zona costeira do Recreio dos Bandeirantes, descrevendo suas
características, bem como a composição da vegetação de restinga, a fim de demonstrar
sua importância para a preservação e manutenção do bioma e do ecossistema daquela
região. Consistiu em levantar as causas e consequências dos impactos ambientais, mais
especificamente, da erosão costeira ocorrida na praia da Macumba, segundo a ótica de
um especialista e de frequentadores do referido espaço praial. A metodologia adotada
se classifica como: pesquisa bibliográfica, documental e de campo, tratando-se de um
estudo de caso sobre os impactos ocorridos na orla da praia, com base no encontro
realizado com o Profº Paulo Cesar Rosman do Departamento Recursos Hídricos e
Meio Ambiente – Poli/Engenharia Costeira e Oceanográfica – COPPE/UFRJ e na
aplicação de questionário direcionado aos frequentadores do ambiente de estudo.O
resultado obtido aponta a necessidade da devolução de areia ao ambiente praial; do
reflorestamento da vegetação de restinga e do pré-dimensionamento das estruturas
dos guias correntes, bem como a falta de percepção dos frequentadores para os danos
causados.Com base nos estudos realizados e nas fontes pesquisadas, concluímos que a
perda da faixa de areia da praia da Macumba tem sua origem no canal de Sernambetiba,
pois os estudos já realizados apontam que o mesmo fica totalmente assoreado na maior
parte do tempo e isso causa represamento das suas águas interiores. Logo, apoiado nos
resultados obtidos na pesquisa de campo, podemos afirmar que a realidade detectada
no espaço de estudo, não difere daquelas pontuadas pelos autores pesquisados ao se
referirem as orlas das praias brasileiras, como um todo.
Palavras-chave: Erosão; Ambiental; Restinga
Niterói 79

67. A Paisagem Local, Segundo a Concepção dos


Estudantes do Curso Normal do Instituto de
Educação Clélia Nanci

Autor: Marcia Joaquim da Silva


Orientador: Monalisa Magalhães

O presente trabalho apresenta a concepção de paisagem local, segundo os


estudantes do 2º e 3º anos do ensino médio, na modalidade Curso Normal (formação
de professores), do Instituto de Educação Clélia Nanci (IECN). A ideia de realização
desta pesquisa é resultado da observação da pesquisadora. A percepção sobre o lugar
de vivência demonstrada por futuros docentes, que residem em São Gonçalo, região
metropolitana do Estado do Rio de Janeiro é alvo de atenção. A problematização
da percepção dos estudantes nasce do desejo de compreender a contribuição da
Geografia na formação do “olhar geográfico” de futuros docentes a partir da relação
que estabeleceram e estabelecem com a paisagem que os circundam. A pesquisa tem
como objetivo investigar a concepção de paisagem dos estudantes, oportunizando uma
reflexão sobre a paisagem local, que se integra ao espaço geográfico, através da busca
de uma maior sensibilidade para com a realidade, apreendida de diferentes pontos de
observação e que assume dimensões distintas, entendida de forma complexa e dinâmica.
O procedimento investigativo na concepção do trabalho tem como fio condutor uma
abordagem Humanística, ou seja, a fenomenologia, através da proposta formulada
por Edmund Husserl. No desdobramento da pesquisa foram empregados alguns
instrumentos, tais como: pesquisa bibliográfica, entrevista, fotografia e produção textual,
contemplando a descrição da essência do fenômeno, o objeto da pesquisa. O resultado
do trabalho demonstra que os sujeitos da pesquisa, na sua maioria, compreenderam
o conceito de paisagem, empregando-o nas produções realizadas, possibilita uma
aproximação significativa entre os sujeitos envolvidos e a realidade local vivenciada
pelos participantes, bem como propicia a realização de inferências sobre a utilização do
conceito de paisagem pelos futuros docentes que irão atuar na educação infantil e séries
iniciais do ensino fundamental. No desvendar do horizonte da pesquisa, a concepção de
paisagem, sujeito e objeto tocaram-se de forma significativa, na formação de sentidos,
tarefa posta à descrição, que se funde no ato de reflexão. A reflexão emergi a partir das
vivências singulares que marcam a trajetória dos sujeitos históricos que se encontram
no percurso do presente trabalho de pesquisa e significam uma experiência coletiva
que flui de dentro da escola para o cotidiano dos estudantes.
Palavras-chave: paisagem; fenomenologia; ensino de Geografia.
80 Niterói

68. Estereótipos de Pobreza e Miséria do Continente


Africano nos Livros Didáticos de Geografia

Autor: Misma Dinã Moreira Ribeiro de Oliveira


Orientador: Camila da Silva Vieira

Tendo em vista o contexto da utilização dos livros didáticos no processo de


ensino-aprendizagem, a motivação central deste estudo é fruto de uma inquietação
sobre a abordagem do continente africano nos livros didáticos de Geografia. Essa
motivação surgiu durante os estágios supervisionados obrigatórios para o curso de
Licenciatura em Geografia do CEDERJ, cujo objetivo é conhecer contexto escolar
e observar o processo do ensino-aprendizagem em sala de aula, na disciplina de
Geografia. O estágio foi iniciado em meados do ano de 2017 no Colégio Estadual Raul
Vidal, localizado no município de Niterói, estado do Rio de Janeiro. Nesse sentido, o
presente trabalho pretende analisar como os conteúdos do continente africano estão
inseridos nos livros didáticos destinados ao 9° ano do segundo segmento do Ensino
Fundamental. Tem como base a Lei 10.639/03 alterada pela Lei 11.645/08, que
tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em
todas as escolas públicas e particulares do ensino fundamental até o ensino médio. E
propõe que o ensino sobre a África tem como desafio romper com a dicotomia entre
os estereótipos de inferioridade de seu continente e demostrar os aspectos positivos
do continente. Para essa análise, são utilizados os princípios dos PCN’s (Parâmetros
Curriculares Nacionais) para o ensino da Geografia e a BNCC (Base Nacional Comum
Curricular) que funciona como base norteadora dos currículos dos sistemas e redes
de ensino, além do PNLD – Programa Nacional do Livro Didático. Com base nesses
insumos, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre a África na sala de aula e uma
análise de conteúdo qualitativa dos livros didáticos selecionados. A partir das análises
realizadas, foi possível observar que: No primeiro livro analisado (1997), o continente
africano foi abordado de forma detalhada nos 4 últimos capítulos, esclarecendo os
principais aspectos: naturais, geopolíticos, humanos e econômicos através de figuras,
gráficos e imagens; no segundo livro analisado (2005), a África é abordada de forma
curta em apenas um capítulo no contexto da Guerra Fria; no terceiro livro analisado
(2015), o continente africano volta a ser apresentado de forma mais aprofundada, sendo
discriminados pontos relevantes e temas econômicos e políticos.
Palavras-chave: África; Pobreza; Geografia; Livro Didático
Niterói 81

69. Territórios Violentos: Impactos na Sala de Aula.

Autor: Mylene Cassimiro de Castro.


Orientador: Leandro Gondim Monteiro.

Nos últimos dois anos, tive a oportunidade de trabalhar em Niterói, com os


alunos da Rede Pública Municipal de ensino, justamente com os estudantes que mais
apresentam dificuldades de aprendizado, nas chamadas “turma de aceleração.” Essa
“classe de aceleração” foi elaborada para corrigir a distorção idade- série em relação
à aprendizagem, com propostas diferenciadas para resgatar o aluno da evasão escolar,
em razão do sentimento de fracasso constante em relação à repetência de série. O
que mais me chamou atenção, nesse tempo que leciono, são os casos de violência
relatados diariamente em sala de aula e sala dos professores, vivenciadas por crianças
e adolescentes que moram em territórios reconhecidamente com histórico de conflitos
urbanos dos mais diversos tipos como: guerra entre traficante e polícia, abusos
sexuais e conflitos domésticos. Além disso, observa-se também dificuldades com
alimentação, lazer, saneamento básico e outras condições fundamentais para qualidade
de vida, e consequentemente um melhor desempenho com as atividades escolares.
A evidente relação dessas violências sofridas pelos alunos no seu cotidiano, com o
desempenho deles na escola, me motivou a escolher esse tema para a monografia.
Adotamos nesta pesquisa o método do estudo de caso, e pretendemos investigar como
a arte, unida aos conceitos geográficos, podem resgatar o sentido de pertencimento
nos lugares onde vivem os discentes. Para o alcance de tais objetivos nos baseamos nas
concepções de autores como Paulo Freire, Roberto Lobato, Corrêa, Marcelo Lopes de
Souza e Yi-Fu Tuan.
Palavras-chave: violência, território, urbano, aprendizagem, comunidade.
82 Niterói

70. Manifestações Político Eleitorais: Uma Análise da


Ascensão da Extrema Direita

Autor: Phelipe Borges Alves da Silva


Orientador: Victor Barreto Cabral de Melo

O presente resumo é resultado do projeto de pesquisa de monografia que tem como


objetivo analisar o cenário político atual. Observa-se que uma parcela da população, seja
via redes sociais ou no contato do cotidiano tem se demonstrado favorável a aceitação
e reverberado o crescimento dos discursos de extrema direita vistos no Brasil. Esse
fenômeno pode ser observado também em outros lugares do mundo, como no caso das
eleições presidenciáveis da França que tinha como candidata as eleições a polêmica
candidata Marine Le Pen  e com governos de caráter nacionalista e/ou conservadores,
como na Rússia, Turquia, Indonésia e mesmo nos Estados Unidos, por exemplo. Esse
projeto tenta compreender através de fatores pretéritos e atuais que propiciaram a
disseminação, o crescimento e o apoio de uma expressiva parcela da população aos
discursos ideológicos propagados pela extrema direita, com recorte espacial a
perspectiva local, no bairro Miriambi. Para compreender esse fenômeno político
geográfico atual foi realizada pesquisa com levantamento de material bibliográfico
sobre o tema, que propiciou a estruturação conceitual do trabalho. Posteriormente, foi
aplicado questionário às vésperas do processo eleitoral do primeiro turno, para se ter
uma maior acurácia das opiniões políticas dos entrevistados no bairro Miriambi, no
Município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O questionário
visou coletar dados para análise da propagação da extrema direita e como esta ideologia
se apresenta no espaço geográfico. Buscando fazer uma análise em âmbito local
observando os traços da ideologia de extrema direita e buscando entender os diversos
fatores que levam muitas pessoas a acreditar e depositar sua esperança nos discursos
nacionalistas, autoritários e conservadores. O presente trabalho busca compreender,
portanto, elementos que compõem o momento político atual e fazer uma reflexão
acerca das causas e influências da ascensão da extrema direita nessa parcela do espaço
geográfico Gonçalense.
Palavras-Chave: Extrema Direita; Ideologia; Espaço.
Niterói 83

71. A Transgressão dos Blocos Não Oficiais do Rio na


Reinvenção da Ocupação do Carnaval de Rua

Autor: Rafael Pereira Nunes


Orientador: Gilmar Mascarenhas

A trabalho apresenta diversas características do carnaval de rua, do passado e do


presente, que se manifestam através dos blocos alternativos ou não oficiais, propondo
debater essas demonstrações através de conceitos e concepções geográficas urbanas.
Os elementos apresentados vão se desenvolver numa luta permanente dos blocos pelo
direito aos espaços públicos para a ocupação cultural, seja através de cortejos ou seja
através dos bailes carnavalescos, levando em consideração as relações subjetivas; de
identidades, representatividades e significações na construção do lugar comum. A
importante presença do negro na criação e construção dessa festa, o que acaba trazendo
elementos fundamentais para entendermos perseguições e cerceamentos. Por outro
lado, o artigo também analisa as imposições do poder público, ao longo dos últimos
anos, na tentativa de determinar um controle sobre os blocos de conjunto, oficiais
ou não, e as respostas dadas por eles a essas determinações. Por fim, as limitações e
contradições inseridas nesses processos de disputas, de mediações e de rupturas. O
caminho a percorrer será através do levantamento de registros bibliográficos, analises
de legislações que normatizaram o carnaval no passado e no presente, incluindo as
de caráter racista que surgiram para diminuir ou anular o protagonismo dos negros
nas criações e manutenções de particularidades dos festejos. Esperamos com a obra
aproximar as diferentes formas de ocupações urbanas através dos festejos carnavalescos
ao longo da história, com diversas contradições, por entre algumas categorias e conceitos
geográficos, apontando as diferentes normatizações que interferiram na liberdade,
na espontaneidade e no lúdico dessa grandiosa festa. São necessários ainda muitos
estudos envolvendo diferentes áreas do conhecimento para entendermos a fundo o
que representa de forma ampla o carnaval. Sendo assim, todas as contribuições são
fundamentais para entendermos nossa própria construção social através dessa festa.
Palavras-chave: carnaval; bloco; cidade; território; lugar; decreto
84 Niterói

72. Distribuição Geoespacial dos Instrumentos de Cultura:


Uma Análise no Município do Rio de Janeiro

Autor: Raphael do Nascimento Martins


Orientador: Fábio Guimarães Oliva

A Constituição brasileira, em seu artigo 216, garante a implementação de um


Sistema Nacional de Cultura que coordene, dentre outros trabalhos, o repasse dos
investimentos destinados a Cultura para os Municípios que assinam acordo de
cooperação. Desta maneira, os municípios conveniados recebem apoio institucional e
financeiro por parte do Ministério da Cultura para suporte aos seus instrumentos de
cultura, tais como: bibliotecas, centros culturais, museus, pontos de memória, teatros
públicos. Idealmente, espera-se que os instrumentos de cultura, pelo menos os que
são, de certa forma, financiados com recursos públicos, estejam geograficamente
distribuídos considerando as regiões de maior densidade demográfica. Partindo da
questão “Os instrumentos de cultura são distribuídos geograficamente de acordo com
a densidade demográfica ou seguem alguma outra lógica espacial?”, será conduzida
uma investigação onde serão utilizados os dados abertos que o município do Rio de
Janeiro divulga sobre os equipamentos de cultura. A escolha do Rio de Janeiro como
objeto de análise se faz razoável devido a sua reconhecida identidade enquanto polo
cultural no cenário nacional, bem como por ser também reconhecida por sua destacada
desigualdade social e por estar conveniada com o Ministério. Para fazer esta investigação,
será conduzida uma pesquisa que fará uso dos dados oficiais disponibilizados pelo
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre distribuição da população
no Rio de Janeiro divulgados por setor censitário, tomando como base o último censo
populacional realizado. Tais dados serão sistematizados em um Sistema de Informação
Geográfico (SIG) open source. Depois georreferenciar os equipamentos de cultura
que são mantidos por recursos públicos, utilizando como base os dados oficiais do
Ministério da Cultura e do Instituto Pereira Passos do Rio de Janeiro (IPP). A partir
dos resultados obtidos, será analisada a distribuição encontrada quanto à estrutura
interna das cidades, pensando se as áreas centrais e periféricas recebem o tratamento
devido e homogêneo. Se necessárias, as devidas críticas serão apresentadas e tentar-
se-á mensurar a desigualdade socioespacial no que tange ao investimento em cultura.
Palavras-chave: Instrumentos de Cultura, Georreferenciamento; Desigualdade
socioespacial
Niterói 85

73. A Dinâmica do Espaço Urbano: Transformação


de uma Indústria em Condomínio Clube Residencial
no Bairro da Penha/Rj

Autor: Renata Baptista Machado Torres


Orientador: Juliana Ferreira Romeiro

O espaço urbano é produzido pela interação de diferentes tempos e agentes que


atendem lógicas que se dão em escalas além das locais. O bairro da Penha na cidade do
Rio de Janeiro, por exemplo, teve sua paisagem marcada pela fábrica Cortume Carioca
S.A., inaugurada no ano de 1920, período este em que há considerável expansão das
áreas industriais da cidade no sentido Zona Norte e na região Metropolitana no sentido
Baixada Fluminense, impulsionada pela abertura da Estrada de Ferro Leopoldina.
Tal empreendimento com expressiva dimensão territorial com imóveis entre
administração, parque fabril, mercado para funcionários e laboratório de pesquisas,
transformou o bairro atraindo novos investimentos imobiliários, como a construção
dos conjuntos habitacionais dos Institutos de Previdência. Porém o fechamento de
várias fábricas da Zona norte, a partir da década de 1970, incentivadas pela criação
dos Distritos Industriais na Zona Oeste, e por questões ambientais, como no caso da
Cortume Carioca S.A., marca uma refuncionalização destes espaços. Na Penha, agora
então área periférica e concentradora de favelas dominadas por facções criminosas, o
espaço fabril se transforma em condomínio residencial fechado seguindo uma lógica
de habitat nucleado, onde o medo e o sentimento de insegurança influenciam as formas
de moradia, e acarretam uma autossegregação. Neste contexto, emergem novos
promotores imobiliários na região como as construtoras, os bancos de financiamento e
o próprio poder público, que ressignifica aquele espaço. Este trabalho tem como objetivo
analisar tal processo de transformação, assim como entender que fatores colaboraram
para a criação de uma área residencial controlada no bairro. A pesquisa, ainda em fase
inicial, recorre à literatura sobre transformações do espaço urbano, à evolução urbana
da cidade do Rio de Janeiro e ao seu histórico processo de favelização e marginalização.
Palavra-chave: espaço urbano, bairro penha, condomínio clube, autossegregação.
86 Niterói

74. O Trabalho de Campo Acessível como Recurso Didático:


Exercitando o Olhar Geográfico

Autor: Sandra dos Santos Braga


Orientador: Camila da Silva Vieira

A Geografia utiliza desde o seu surgimento, o trabalho de campo como recurso


didático e prática fundamental, pois ele é o contato do homem com o espaço e ajuda a
desenvolver a percepção/olhar geográfico. No ensino da Geografia, a aula de campo
dá ao educando subsídios para melhor compreender os assuntos relacionados à
ciência, sendo prática investigativa e exploratória, executada fora do ambiente escolar,
trazendo maior dinâmica e estímulo ao processo de ensino/aprendizagem. Entretanto,
a maioria dos trabalhos de campo nos cursos de Geografia estão ligados a ambientes
mais propícios aos estudos de aspectos físicos na natureza e acabam sendo mais
frequentes em áreas eventualmente de difícil acesso, como parques, florestas, serras
e morros. Nesse sentido, acredita-se que esse tipo de atividade acaba requerendo uma
certa desenvoltura física do participante, afetando a atuação de participantes que não
possuam tais requisitos físicos ou que tenham restrições de acessibilidade. Tentando
desenvolver esta problemática, pretende-se lançar um olhar mais acurado para a cidade
como um objeto de estudo da Geografia, com o intuito de estimular o desenvolvimento
do olhar geográfico, a partir do trabalho de campo acessível como um recurso didático.
Para isso, será feito um levantamento bibliográfico sobre trabalho de campo como
recurso didático, acessibilidade no trabalho de campo de Geografia e aspectos de
utilização de trabalhos de campo em Geografia Urbana. Além disso, será proposta uma
atividade de campo exploratória para desenvolver o olhar geográfico, mas localizada
em uma via urbana de fácil acesso da cidade de Niterói, reiterando que o espaço urbano
também pode ser um proveitoso instrumento de aproximação do homem com o meio
e do aluno com o conteúdo estudado em sala de aula. Nessa atividade exploratória,
serão realizadas fotografias e anotações que serão importantes para demonstrar a
possibilidade de exercício do olhar geográfico. Até o momento de elaboração desse
projeto, foi identificado um trajeto urbano que liga três bairros de Niterói (Fonseca,
Cubango e Santa Rosa), de fácil acesso, rodeado por encostas e vegetação, onde é
possível identificar as peculiaridades produzidas pela relação homem/sociedade e meio
ambiente, apresentando condições ideais para execução de uma atividade de campo.

Palavras-chave: Trabalho de campo; Recurso Didático; Olhar geográfico


Niterói 87

75. Transformação na Paisagem do Bairro Venda Velha,


São João de Meriti

Autor: Silvana Pagliasse da Silva


Orientador: Camila da Silva Vieira

O bairro Venda Velha, situado no município de São João de Meriti, vizinho ao


município do Rio de Janeiro, está localizado próximo a importantes vias de acesso
(rodovia Presidente Dutra, Linha Vermelha e Avenida Brasil) e, por isso, vem
despertando interesse econômico e valorização de seu território nos últimos anos.
Como exemplos, houve a instalação no bairro de um grande shopping center, um
posto de serviços do Detran, um condomínio de casas de padrão superior às demais
do mesmo bairro, além de algumas empresas, caracterizando assim, um processo de
transformação em sua paisagem. Nesse sentido, o presente trabalho pretende elucidar
como as transformações que vem ocorrendo no bairro Venda Velha (do início de 2017
até os dias atuais) estão afetando sua dinâmica espacial. Para cumprir o que pretende, o
presente trabalho busca: Analisar quais direitos dos cidadãos estão sendo resguardados
e quais estão sendo subtraídos dentro desta nova paisagem que vem se construindo;
investigar quem são os atores sociais envolvidos nesse processo; verificar se houve
participação popular no processo de decisão; discutir questões de valor de uso, valor de
troca e planejamento urbano. Como forma de desenvolver as questões pretendidas será
realizado um estudo de caso, um método útil quando o fenômeno a ser estudado é amplo
e complexo, não podendo ser analisado fora de seu contexto. Para isso, será realizado
um levantamento junto à Prefeitura Municipal de São João de Meriti e à Associação
de Moradores (através da técnica de entrevistas), colhendo informações e imagens que
permitam identificar as mudanças que estão ocorrendo, suas consequências, os agentes
modificadores da paisagem e a existência de políticas públicas em prol dos habitantes
dessa localidade. Até o momento, em virtude das obras que estão sendo realizadas no
bairro Venda Velha, foram verificadas apenas uma grande quantidade de poeira nos
períodos secos e lama pelas ruas e casas próximas nos períodos chuvosos, trazendo
grandes transtornos e prejuízos à população. Assim, verifica-se que em detrimento do
valor de uso e do direito à cidade pela população, o valor de troca vem obtendo maior
relevância no bairro, servindo aos interesses do capital.
Palavras-chave: Transformação; Paisagem; Direito à cidade
88 Niterói

76. Alfabetização Cartográfica de Alunos com Dislexia e


Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (Tdah)

Autor: Sandro Nunes


Orientador: Vinicius Seabra

As dificuldades de aprendizagem são um grande desafio para estudantes,


responsáveis e professores. Identificá-las, compreendê-las e buscar soluções para o
problema exigem esforço ainda maior da escola inclusiva que se deseja. Para alguns
alunos, o baixo rendimento em Geografia vem da dificuldade em ler e interpretar
enunciados de questões e da impossibilidade de manter a concentração em tarefas,
sobretudo nas mais longas e complexas. A causa pode ser a presença de dois transtornos
neurobiológicos de origem genética que acometem muitas pessoas em todo o mundo:
a dislexia e o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, ou TDAH. Este
trabalho visa a trazer a discussão sobre estes transtornos de aprendizagem para dentro
da Geografia. Pretende-se fazer uso da Cartografia na mitigação das dificuldades de
aprendizado em alunos portadores dos transtornos em questão. Isto se dará a partir das
seguintes etapas: a identificação de problemas de aprendizagem, do dimensionamento
da importância de um diagnóstico correto e da mitigação das dificuldades. Em um
momento no qual está em evidência o debate sobre a escola democrática, a aceitação
de diferenças e a inclusão, esta discussão se faz extremamente necessária. O suporte
teórico deste trabalho consiste nas publicações de estudiosos sobre transtornos de
aprendizagem como Silva (2003) e sobre Cartografia como Passini (2012). Para se
chegar às devidas conclusões elaborou-se pesquisa qualitativa através de questionário
com pais e responsáveis de alunos do sexto ano do ensino fundamental das redes
pública e particular da zona norte do município do Rio de Janeiro. Foi promovida,
ainda, aplicação de atividades alternativas que pudessem aumentar o interesse e
melhorar o rendimento em Geografia. Incentivando a reflexão sobre a importância do
diagnóstico correto e sobre práticas que sejam capazes de ajudar os alunos a superarem
suas limitações e desenvolverem suas potencialidades, vemos que tipo de contribuição
pode vir da Geografia. A pesquisa realizada mostra que iniciativas como o uso da
Alfabetização Cartográfica de modo direcionado aos alunos especiais pode favorecer
sua inclusão.
Palavras-chave: Aprendizagem; Cartografia; Criança.
Niterói 89

77. Contribuições do Professor de Geografia para Alunos


com Necessidades Educativas Especiais: Um Estudo de
Caso em Maricá/Rj

Autor: Silvana dos Santos Moraes.


Orientador: Leandro Gondim Monteiro.

A motivação para o desenvolvimento deste trabalho advém da participação em


reuniões de Conselho de Classe em escolas da rede pública do município de Maricá /
RJ nas quais foram identificadas várias indignações e indagações a respeito de como
lidar com crianças com necessidades educativas especiais. Nas concepções de muitos
profissionais de ensino, os alunos com alguma necessidade educativa especial não
aprendem e ainda atrapalham os outros discentes da turma. É importante destacar
que segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDBN Nº 9394/96), a educação
especial é uma modalidade de ensino que deverá ser oferecida, preferencialmente, nas
redes regulares de ensino e contemplará o educando com deficiência, transtornos
globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação. Destaca-se ainda que a
educação é uma ferramenta que proporciona o educando a interagir com o meio em que
vive e a instituição em que é ofertada deverá criar pontes para que se estreite a relação
de aprender e ensinar. Ainda nesse contexto, Costella & Shaffer (2013), defendem que
“para compreender as responsabilidades da escola em possibilitar a participação dos
indivíduos na sociedade e na construção da vida democrática, é necessário começar
refletindo sobre o que legitima a escola” (COSTELLA & SHÄFFER, 2013, p.16). Desta
forma, colaborar para formação dos educandos com necessidades educativas especiais
é um grande desafio para qualquer professor. Considerando o exposto, pretendemos
desenvolver uma pesquisa que tenha por principal objetivo detectar as ferramentas que
o professor de geografia pode fazer uso no sentido de contribuir para com a formação
dos alunos portadores de necessidades especiais. Pretendemos fazer uso do método
de estudo de caso para o enfrentamento deste tema, tendo por referencial teórico
contribuições de autores como Milton Santos, Tomoko Paganneli, Costella & Shaffer,
além de outros importantes autores.
Palavras-chave: Geografia, Necessidades especiais, Inclusão.
90 Niterói

78. Mobilidade Urbana: Uma Análise sobre as


Consequências Socioespaciais do Vlt.

Autor: Vinícius Soares Fernandes de Freitas.


Orientador: Leandro Gondim Monteiro.

A mobilidade urbana vem sendo tema recorrente na grande mídia tradicional e


tecnológica, através das redes sociais, como desafio enfrentado, sobretudo, nas grandes
cidades, que influencia a atividade socioeconômica e a qualidade de vida das pessoas.
De fato, as metrópoles e todas as suas subdivisões compõem a rede urbana que, sendo
interligada, consegue se dinamizar economicamente no espaço. Neste aspecto, os
modais de transporte urbano são os objetos utilizados para o fluxo de pessoas em
suas atividades de trabalho e devem integrar bairros, cidades e estados espacialmente.
Considerando a importância de um transporte eficiente de massa, este projeto de
pesquisa consiste em investigar a mobilidade urbana na cidade do Rio de Janeiro, e as
consequências socioespaciais da implementação do VLT. O veículo leve sobre trilhos foi,
sem dúvida, um dos investimentos promovidos pelo poder público que mais chamaram
a atenção da população fluminense. Isto porque boa parte do legado olímpico ficou
em boa parte restrito à Barra da Tijuca, pouco impactando positivamente a vida dos
trabalhadores, que tanto necessitam de um sistema de transportes eficaz e integrado.
Nossa hipótese é a de que o VLT, de certa forma, pode ser considerado como um avanço
no sentido da intermodalidade e da acessibilidade ao local de trabalho e aos serviços
situados na capital fluminense. A partir do método do estudo de caso, e do método
quali-quantitativo, pretendemos compreender os impactos decorrentes da implantação
do VLT. Neste sentido, nos apropriaremos das contribuições de autores como Milton
Santos, Maurício de Abreu e Mauro Kleiman.
Palavras-chave: Mobilidade, Intermodalidade, VLT.
Niterói 91

79. A Importância de Josué de Castro para o Ensino de


Geografia.

Aluno: Wesley Carneiro da Silva.


Orientador: Leandro Gondim Monteiro.

Ao analisarmos os livros didáticos de Geografia, podemos observar que não há


menção aos grandes teóricos da disciplina. O que há (e se há), são notas de rodapé muito
resumidas, que não dão aos alunos subsídios suficientes, ou mesmo não lhes instigam
a curiosidade no sentido de buscar naquela referência - naquela pequena “nota” - algo
maior sobre aquele autor, sobre seu objeto de estudo. Ou seja, além de não constar, as
possíveis notas não encantam o olhar dos alunos. O professor subsidiado pelo livro
didático deve ser, segundo Alves (2017) um professor de espantos. Ainda, segundo o
autor, o conhecimento está acessível através dos meios tecnológicos, como a internet,
por exemplo. Por isso o professor tem que ser aquele que vai causar espanto nos alunos,
pois as respostas estão acessíveis a todos. Nesse sentido o livro de didático é o ponto de
interseção entre o professor e o aluno. Esse mesmo livro deve conter subsídios para que
o professor possa aprofundar os conteúdos, e trazer à tona a figura de proeminentes
personagens do mundo geográfico. Como pano de fundo da nossa abordagem trazemos
a importância de Josué de Castro para o universo escolar. Inicialmente, com formação
em medicina, tornou-se geógrafo pela ocasião da publicação dos seus livros, o mais
importante deles é a Geografia da Fome, livro de grande impacto nacional, visto que a
fome era tida como tabu nos meios acadêmicos e sociais da época. Devido a precariedade
de muitas unidades escolares espalhadas pelo território nacional, o livro didático
é o meio mais utilizado, mais comum e o mais acessível. Mediante tal constatação,
pretendemos desenvolver uma pesquisa que considere a importância do livro didático
como importante componente de um processo complexo de ensino aprendizado,
e investigar o porquê da ausência de autores clássicos da Geografia, como Josué de
Castro, em parte considerável dos livros didáticos. A partir do método da pesquisa
bibliográfica, pretendemos demonstrar o quanto o pensamento de José de Castro é
atual, sobretudo para se entender as dinâmicas sociais do território brasileiro.

Palavras-chave: Ensino, Livro Didático, Geografia.


Nova Friburgo
Nova Friburgo 93

80. Os Impactos Socioespaciais do Embargo Econômico Imposto


a Cuba pelos Estados Unidos da América no Período de
1960 - 2017: Uma Revisão Integrada da Literatura

Autor: Aldo Bittencourt da Silveira


Orientador: Raphael de Andrade Ribeiro.

A área deste estudo é a Geografia política. Trata-se de revisão teórica onde será
realizada uma investigação de como o embargo imposto a ilha de Cuba após a revolução
cubana de 1959 tem ao longo dos anos transformado e moldado não só o espaço físico,
mas também o modo de vida da população cubana. A justificativa para a elaboração
desta pesquisa é tida na importância de se analisar como as relações geopolíticas
influenciam na formação do espaço sóciogeográfico. Deste modo faz-se necessário
averiguar a influência norte americana na América Latina, viabilizando o surgimento
de novos estudos a partir deste. Apontar a base da economia cubana após o embargo;
Descrever os Efeitos para Cuba da ruptura com os Norte americanos e União com os
soviéticos; Investigar Quais foram as consequências de Cuba ter aderido o socialismo
como sistema socioeconômico; Identificar as relações diplomáticas que cuba mantem
com outras nações. O estudo caracteriza-se como descritivo e utilizará o método da
revisão integrada da literatura que, aliás, já foi iniciada. Etapas do método: Identificação
do tema e seleção da hipótese ou questão da pesquisa; Busca de artigos científicos nas
bases de dados da plataforma CAPES, Scielo e O Repositório Aberto; Estabelecimento
dos critérios de inclusão e exclusão. Critérios de inclusão: estudos disponíveis na
íntegra nas bases de dados, publicados em português, dos últimos dez anos (2008-
2018) que apresentem como tema ou objeto de estudo: O embargo econômico imposto
pelos Estados Unidos a Cuba. Critérios de exclusão: Artigos em inglês ou em outros
idiomas. Definição das informações a serem extraídas dos estudos selecionados e por
fim Avaliação dos estudos incluídos na análise, seguida pela interpretação dos mesmos,
Através da discussão dos principais achados. A pesquisa apresenta até o momento
resultados parciais, pois o trabalho está em andamento.
Palavras-chave: Embargo econômico; Cuba; Estados Unidos da América.
94 Nova Friburgo

81. As Características da Industrialização do Município de


Nova Friburgo/ Rj e Seus Impactos no Arranjo Espacial

Autor: Alessandra de Almeida Silva


Orientador: Hermes Polleti Pereira

A concepção do espaço é muito ampla antes o que era natural foi sendo alterada
por objetos cada vez mais artificiais de acordo com o avanço técnico- cientifico e
informacional o espaço é moldado de acordo com a época, sociedade e de sua interação
entre todos os elementos que o compõem. O espaço mostra-se inteiramente dinâmico,
estando sempre na esfera da dependência de ações e relações com seus objetos. Em
meio aos inúmeros fatores responsáveis. a ação humana transforma o meio natural e as
praticas sociais influenciam moldam e interagem, ou seja, são interligados e dinâmicos
surgindo novos objetos a cada época que irão se juntar com os outros e também modificar
o todo. O objetivo deste trabalho e pesquisar sobre o espaço geográfico principalmente
o fabril e sua alteração de função seguindo novos modelos e atividades de trabalho. O
foco desta pesquisa está em conhecer como começou a história da industrialização, os
principais ramos desta atividade, fazendo relações com o espaço geográfico que está
inserido e sua reestruturação com o passar do tempo. Pesquisa sobre quando e como
ocorreu o processo de industrialização principalmente a têxtil em Nova Friburgo,
colher dados, fotografias que possibilitem a analise do espaço, através de acervos da
cidade, jornais e artigos e internet. Também será realizada levantamento de dados
e pesquisa sobre a criação do tecnopolo em Nova Friburgo (RJ), junto a Firjan e ao
Senai. O município de Nova Friburgo é considerado um local que concentra atividades
de produção têxtil, sendo importante pela produção nacional de modo intima nos país.
O município de Nova Friburgo é considerado um local que concentra atividades de
produção têxtil, sendo importante pela produção nacional de modo intima nos país.
Palavras-chave: Indústria. Espaço. Transformação.
Nova Friburgo 95

82. A Aplicação Efetiva de Políticas Públicas no Âmbito da


Gestão Ambiental e Sustentabilidade: Um Estudo de Caso
na Gestão Pública Municipal da Cidade de Nova Friburgo/Rj

Autor: Aline Duarte Buccedi Justiniano


Orientador: Vania Heringer

Oito anos após maior tragédia climática da história do país, ocorrida na Região
Serrana do Rio de Janeiro e ainda se espera alívio e auxílio à grande parte das vítimas,
que temem novas tragédias, em especial, os moradores da cidade de Nova Friburgo.
Várias ações foram potencializadas em caráter urgente pelo Governo Federal com
apoio das esferas Estadual e Municipal, como a criação de parques fluviais e entrega de
novas moradias. A explicação para tragédias dessa amplitude se justifica pela falta de
gestão ambiental nas cidades. Nesse contexto, o presente trabalho partiu da hipótese de
superar as dificuldades em proporcionar a atenção continuada as questões ambientais
pós desastre com a análise da aplicação efetiva de algumas políticas públicas municipais
elaboradas através do Plano Metas e Gestão, bem como se as mesmas estão se mostrando
eficazes e suficientes frente ao bem-estar dos moradores da cidade de Nova Friburgo,
visando melhor qualidade de vida para a população frente à atual Gestão Pública
Municipal da cidade. A pesquisa parte de um breve histórico da situação da cidade
antes de 2011, caracterizando políticas municipais elaboradas para a gestão ambiental,
levanta quais políticas foram implementadas, avalia se estas políticas estão cumprindo
de forma satisfatória seu papel, identifica políticas que ainda não foram implementas e
por qual motivo e avalia se existe necessidade de formulação/reformulação de novas
políticas. A pesquisa será descritiva com análise de documentos e bibliografia por
meio de uma técnica chamada “Policy Analysis”, que tem sido utilizada nos estudos
sobre políticas públicas. Esse método mostra quais são as dimensões fundamentais
para se entender a efetividade e implicações de determinadas políticas. E ainda, como
procedimento técnico um estudo de caso em Nova Friburgo. Acreditamos ser um bom
assunto a ser estudado pois existe uma séria preocupação popular envolvida. Ao final
da pesquisa receio encontrar resultados um tanto negativos quanto a extenuar os
problemas levantados.
Palavras-chave: Gestão Ambiental; Sustentabilidade; Políticas Públicas
96 Nova Friburgo

83. Bens Culturais, Materiais e Imateriais: a Formação da


Identidade Cultural do Município de Duas Barras – Rj

Autor: Ariane de Carvalho Flôres Maia


Orientador: Artur Schausltz P. Faustino

Por estarem presentes no cotidiano e nas raízes culturais de uma localidade,


muitas vezes os bens culturais materiais e imateriais são despercebidos como partícipes
no processo de formação da identidade de uma cultura local, porém quais são as relações
que podemos estabelecer entre uma cultura local e os bens materiais e imateriais? Como
os bens materiais e imateriais contribuem para a formação, manutenção e fortalecimento
da identidade cultural de um município? E de que forma os bens culturais contribuem
para a construção do sentimento de pertencimento e consequentemente valorização da
cultura local? Estas são algumas das questões que permeiam o desenvolvimento deste
projeto. A pesquisa ocorrerá no centro histórico da cidade de Duas Barras, apontando
para a importância histórica e cultural de algumas das construções que são tombadas
pelo IPHAN ou então por decretos ou leis municipais. Abordaremos também algumas
festas e tradições do município, no sentido de verificar suas contribuições para a
cultura local. Por se tratar de uma pesquisa sobre tradições e valores culturais na
construção da identidade cultural, pretende-se fazer um apanhado histórico fazendo
um paralelo sobre as tradições da cidade que se mantiveram e algumas que foram
sendo modificadas. Nesta pesquisa estudaremos as relações que podemos estabelecer
entre a construção da identidade cultural do povo bibarrense e seus bens culturais,
materiais e imateriais. Buscaremos identificar algumas das relações entre a identidade
local e os bens culturais como forma de valorização cultural e identificar alguns
dos bens culturais, materiais e imateriais, que auxiliam na formação cultural desse
povo. Para o desenvolvimento deste trabalho usaremos como metodologia a pesquisa
histórico-bibliográfica em livros, jornais, sites e revistas, entrevista(s) /aplicação de
questionários a moradores antigos da cidade, a turistas que vêm constantemente ao
município e a pessoas que se mudaram recentemente para Duas Barras. Será feito o
levantamento de material fotográfico antigo, pesquisa de campo para colher material
fotográfico recente e o que mais se julgar necessário para elaboração da parte teórica e
conceitual do presente trabalho.

Palavras-chave: Bens culturais; Identidade cultural; Duas Barras


Nova Friburgo 97

84. As Interações Espaciais Decorrentes da Produção


Familiar em Nova Friburgo: O Exemplo da Amorango

Autor: Camila Herdy Almeida Sanches


Orientador: Felipe Amaduro

Os espaços agrários são muito importantes para a ciência geográfica uma vez
que detêm três categorias de análise muito presentes em seus estudos, sendo elas: a
terra (podendo ser interpretada como território ou espaço geográfico), o capital e o
trabalho. Junto a isso temos, também, os avanços tecnológicos provenientes do processo
de globalização que vêm alterando cada vez mais a dinâmica desses espaços. Dessa
maneira, apesar de serem marcados pelas práticas tradicionais de agricultura, os locais
de produção familiar já contam, atualmente, com diversos níveis de tecnologias em
suas propriedades. Esse processo de constante transformação na dinâmica espacial faz
com que os espaços agrários contemporâneos se tornem ótimos objetos de pesquisa.
Nova Friburgo segue essa tendência. O município tem a agricultura familiar como
modelo produtivo predominante e possui destaque em áreas como a floricultura,
olericultura e fruticultura. Essa relevância no setor deve-se à modernização das formas
de cultivo que têm aumentado e melhorado os resultados da produção. Na fruticultura,
especificamente, ainda há destaque para o cultivo de morangos que, através da
Associação de Produtores de Morango de Nova Friburgo (Amorango), chega a uma
produção de quinhentas toneladas ao ano. Cabe ressaltar que, o município possui a maior
rede associativista do país, contando com cerca de trinta associações de agricultores.
Portanto, pode-se perceber que o espaço agrário local possui grande importância
econômica. Dessa forma, a Amorango tem sido um dos atores chave nas mudanças da
prática agrária municipal, visto que tem sido uma geradora de oportunidades para as
famílias envolvidas. Nesse sentido, o projeto de monografia tem como finalidade revelar
a importância socioeconômica da associação no município através da explicitação das
interações e redes espaciais nas quais a mesma encontra-se envolvida. Para isso as
ferramentas utilizadas serão a revisão bibliográfica, utilizando autores aclamados na
área da Geografia Agrária, o levantamento de dados, nos órgãos públicos competentes
e o trabalho de campo, junto aos produtores e representantes da Amorango.
palavras-chave: Geografia Agrária; associativismo; agricultura familiar
98 Nova Friburgo

85. Manifestações Culturais em Cachoeiras de Macacu- Festa


da Igreja Católica de Sant’anna

Autor: Danielly Custódio dos Reis


Orientador: Arthur Schausttz P. Faustino

A presente pesquisa tem como finalidade apresentar a Manifestações Culturais


da Cidade de Cachoeiras de Macacu, localizada no estado do Rio de Janeiro. O mesmo
tem com ponto de partida analisar as questões relacionadas A Festa da Igreja Católica
de Sant’Ana, à qual se trata de uma festa que repassada de gerações em gerações pela
comunidade local e demais membros da sociedade macacuana. A Festa trás em sua
dimensão a devoção a Nossa Senhora de Sant’ Ana de Japuíba, distrito de Cachoeiras
Macacu. A mesma acontece nos dias 26 de Julho de todos os anos e se propaga por
vários dias, onde fazem barracas, sorteio de prêmios, shows, almoços comunitários e
etc, em prol de arrecadação para a comunidade que enfrenta problemas de restauração.
A pesquisa se atentará para entender melhor como essa festa se iníciou, o porque do
declínio dela ao longo dos últimos dez anos e de que maneira isso acarreta problemáticas
para a situação econômica da cidade. A pesquisa irá apresentar As Manifestções
Culturais de Cacheoiras de Macacu o declínio da proporção da Festa de Nossa Senhora
Sant’Ana durante os últimos dez anos. A localiodade da pesquisa se encontra no
distrito de Japuíba onde se encontra a Paróquia de Nossa Senhora, as informações que
serão levantadas também acontecerão dentro dessa comunidade à qual possuem maior
conhecimento e informações plausíveis que possibilitem a desenvoltura do trabalho de
campo. Observa-se que nos últimos dez anos a dmensão da festa teve um declínio muito
intrigante, que despertou esse olhar para se entender o que provocou essa situação, se
foi por motivos religiosos como por exemplo o aumento das igrejas evangélicas nos
arredores da comunidade, ou se foi por motivos indeterminados que analisaremos no
decorrer do aprofundamento da pesquisa.
Nova Friburgo 99

86. O Processo de Urbanização e os Principais Problemas


Socioambientais Urbanos do Município de Nova
Friburgo após o Século XX

Autor: Diego Asth da Silva


Orientador: Hermes Polleti Pereira

O Trabalho apresenta como objetivo analisar mudanças urbanísticas e sociais


no município de Nova Friburgo. A urbanização do final do século XX foi marcada
por profundas diferenças entre os habitantes das cidades de países desenvolvidos e
de países subdesenvolvidos e pela existência de duas novas categorias na hierarquia
urbana: as cidades globais e as megacidades. A globalização ou a internacionalização da
economia agravou as desigualdades entre as cidades de diversos países. A urbanização
nos países em desenvolvimento está sendo muito intensa, a industrialização de alguns
países (caso do BRASIL) e os inúmeros problemas enfrentados pela população rural
(concentração de terra, desemprego, e falta de política adequada) levaram ao grande
e, sobretudo rápido crescimento de sua população urbana. No século XIX, a principal
atividade econômica da cidade foi à produção do café, a produção cafeeira também
foi responsável para a urbanização da cidade que servia de rota entre o produtor da
cidade de Cantagalo até o porto do Rio de Janeiro. A partir do ano de 1910, os alemães
introduziram uma forte cultura alemã e Nova Friburgo entra na era da industrialização,
a cidade ganha a Fábrica de Rendas Arp do proprietário Julius Arp, Fábrica Filó do
empresário Otto Siens e a Fábrica Ypú de Propriedade de Maximilliam Falck. Durante
o século XX, a cidade de Nova Friburgo cresce econômica mente através de diversas
indústrias metal mecânica e da moda intima, com todo esse crescimento populacional
surgem os seus problemas socioambientais por todos os distritos da cidade. Nesse
trabalho foram apresentados os problemas dos movimentos de massas nas encostas
da cidade e a ocupação próxima aos leitos do rio Bengalas, nos estudos apresentados
foram demostrados que a cidade sempre conviveu com esses problemas devido a sua
formação geológica, que muitos dizem ser um fundo de vale. Na tragédia de 2011, a
cidade sofreu diversos tipos de deslizamentos em encostas que resultaram em diversas
mortes, sem falar das corriqueiras cheias do principal rio da cidade provocadas ao
longo do século XXI. Nesse estudo de pesquisa apresentamos os problemas no trânsito
da cidade.
Palavras-chave: Urbanização; Nova Friburgo; Socioambientais.
100 Nova Friburgo

87. Discutir a Geomorfologia na Catástrofe de 2011


no Bairro Córrego D’antas em Nova Friburgo – Rj

Autor: Erik Berger da Silva Gnapp


Orientador: Hermes Polleti Pereira

O trabalho focaliza na discussão sobre a influência da geomorfologia em eventos que


culminaram nos efeitos causados por uma soma de fatores geomorfológicos, climáticos
e antrópicos, vinculando um olhar geográfico a um contexto geomorfológico e urbano,
com o intuito de contribuir com a sociedade no sentido de relacionar a dinâmica das
encostas, dos relevos, dos solos e muitos outros fatores de encontro com as necessidades
e ambições das cidades que apresentam um inchaço exponencial dado ao crescimento
de sua população e a necessidade de avançar para áreas que deveriam ser analisadas à
luz da geomorfologia, com o intuito de mitigar a perda de vidas humanas e os danos
socioambientais, como os ocorridos em 2011, onde as características geomorfológicas
são bem aparentes e notórias em todo esse cenário.Conhecer mais sobre a dinâmica
geomorfológica da terra traz um entendimento e uma compreensão da dinamicidade
dos elementos da natureza, fato essencial em diversas situações de risco (enchentes,
enxurradas deslizamentos/escorregamentos) advindas dos fenômenos naturais tão
comuns em um planeta extremamente ativo em seus processos endógenos e exógenos.
Foram realizadas pesquisas bibliográficas e qualitativas, com apanhados de dissertações
de mestrado, teses de doutorado e análise de dados socioeconômicos, inclusive com a
utilização de livros e artigos científicos.Também foram feitas coletas e comparações de
dados quanto às precipitações pluviométricas da região durante o evento e em períodos
anteriores. Foram realizadas campanhas de campo no bairro Córrego D’antas – Nova
Friburgo, onde buscou-se observar cicatrizes de movimentos de massa remanescentes,
bem como analisar as formas do relevo, tais como grau de declividade de vertentes,
extensão de vertentes, e o uso e ocupação do solo predominante nestas áreas.Foram
feitas pesquisas de campo para obtenção de fotografias para demonstrar cursos d’água
e a proximidade destes às encostas íngremes em uma configuração de risco iminente,
bem como entrevistas com moradores do bairro e alguns ligados à agricultura, Os
resultados apresentados até o momento consistem na situação fática das relações entre
o evento e os efeitos causados pela mescla de vários fatores geomorfológicos, climáticos
e socioeconômicos.
Palavras-chave: Geomorfologia. Urbano. População.
Nova Friburgo 101

88. O Ensino de Geografia no Contexto Escolar Brasileiro

Autor: Eudiane Maia da Silva


Orientador: Rildo de Almeida

O presente trabalho se propõe a refletir sobre o ensino de Geografia nas


escolas brasileiras, contextualizá-lo no espaço-tempo, refletir sobre o currículo e as
metodologias de ensino, identificar os objetivos de aprendizagem, as competências
e as habilidades que se espera alcançar, que tipo de aluno se espera formar, o quê
(e de que que maneira) pode ser feito para alcançar esses objetivos no/do processo
de ensino-aprendizagem em Geografia, entre outras questões. Tudo isso à luz dos
Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) para o ensino de Geografia e embasamento
teórico pautado em uma rica bibliografia que conta com autores renomados na área de
ensino de Geografia como a autora Lana de Souza Cavalcanti, Yves Lacoste, François
Audigier, Pontuschka, Paganelli e Cacete entre outros. Logo, a metodologia utilizada
será a pesquisa bibliográfica. Essa reflexão visa, entre outras coisas, compreender quais
são as dificuldades que precisam ser superadas nos dias atuais para que esse ensino
possa contribuir na formação da cidadania e principalmente no pensamento crítico e
reflexivo do educando para que ele possa ser capaz de interferir no meio e transformar
o meio em que vive. O ensino de Geografia nas escolas deve desenvolver a autonomia
e o senso crítico para a compreensão do raciocínio geográfico, como também, permitir
a construção de argumentos baseados em informações geográficas, promovendo a
consciência socioambiental e o respeito à biodiversidade. Cabe à disciplina de Geografia
um papel importante na formação do cidadão, tanto pelos assuntos abordados quanto
pelos conceitos que ela trata. Assim, um dos maiores desafios, senão o maior deles
é fazer da Geografia uma disciplina interessante que se relacione com a sociedade e
que seja o resultado da interação e integração entre o espaço primitivo e o espaço
constantemente transformado pelo homem.
Palavras-chave: Geografia; Escola; Ensino-aprendizagem.
102 Nova Friburgo

89. Geografia dos Esportes e Metrópoles: Um Olhar sobre a


Hierarquia das Cidades Através do Futebol Brasileiro

Autor: Henrique Ramos Monnerat Rodrigues


Orientador: Gilmar Mascarenhas de Jesus

Historicamente, a diferente apropriação do território brasileiro fez com que o


desenvolvimento da região centro-sul fosse diferenciado, principalmente, pela produção
cafeeira e por ser o berço da industrialização brasileira. Desde o início essas regiões foram
foco nacional de atração populacional, investimentos econômicos e desenvolvimento
urbano. Dando origem a uma rede urbana altamente concentradora, na qual as grandes
cidades são os nós deste território em rede. O futebol, como uma construção social,
assim como as cidades, é capaz de criar e desconstruir territorialidades, permitindo
o fortalecimento de alguns poucos clubes de futebol em detrimento de outros. Desta
forma, demonstra os efeitos da “metropolização do futebol”, através de um predomínio
dos clubes das cidades de grande porte. No intuito de quantificar este domínio e
demonstrar a correlação entre a região de melhor desempenho no futebol brasileiro
com a região concentrada do país, pontuamos a performance dos clubes brasileiros em
competições nacionais e internacionais desde 2003 até 2017, ou seja, por um período
de 15 anos, no qual as competições esportivas do país e subcontinentais passaram a
premiar os clubes por seus desempenhos e méritos técnicos e não por questões políticas.
Percebemos, então, o amplo domínio da região centro-sul do país também no cenário
esportivo do futebol, com predomínio na participação e nos resultados obtidos. Além
do fato de que apenas 25 cidades estiveram presentes nos principais campeonatos de
futebol no decorrer destes anos, e que destas, a maioria se localiza na região concentrada
do país, com índices econômicos bastante dinâmicos. Apesar dos múltiplos fatores
envolvidos que devem ser considerados, chegamos a uma correlação bem próxima
entre as ferramentas fornecidas por tais metrópoles e o sucesso dos clubes de futebol,
cabendo atenção especial aos fatores históricos e socio-econômicos da formação destas
cidades. Com algumas excessões, as principais metrópoles do país apresentam um
maior número de representantes na elite do futebol brasileiro e a melhor performance
futebolística.
Palavras-chave: Futebol, Meio técnico-científico, Metrópole, Hierarquia urbana.
Nova Friburgo 103

90. Feira Agroecológica em Teresópolis:


Uma Alternativa para Agricultura Familiar

Autor: Jedelaine Nogueira Corguinha


Orientador: Vania da Silva Heringer Sanches

Este trabalho aborda a Feira Agroecológica de Teresópolis/RJ que tem como


modelo de produção, produtos puramente orgânicos, com cultura de vegetais e frutas
isentos de adição de agrotóxicos, com produção de Agricultura familiar, que promove
a geração de renda das famílias envolvidas e faz uso de práticas menos agressiva à
natureza. Tendo como objetivo geral da pesquisa refletir a agricultura familiar dos
agricultores da associação da feira agroecológica e sua influência na dinâmica do
espaço agrário de Teresópolis/RJ. Para atender o objetivo proposto primeiramente
é importante destacar a agricultura familiar; enfatizar a importância da agricultura
familiar para oferta de alimentos saudáveis; contextualizar a Feira Agroecológica
de Teresópolis/RJ e sua importância para os agricultores e consumidores e realçar
o desenvolvimento sustentável para a preservação do meio ambiente e qualidade de
vida. Para tal, o procedimento metodológico foi de revisão bibliográfica, de natureza
qualitativa, empregando-se os conhecimentos científicos já publicados. E, para que seja
possível verificar a percepção dos agricultores cooperados da Associação Agroecológica
de Teresópolis/RJ e suas práticas agrícolas, será aplicado um roteiro de entrevista
com ênfase na agricultura familiar e sua influência na dinâmica do espaço agrário
de Teresópolis/RJ. A análise realizada na revisão bibliográfica leva-nos a perceber
que sistemas sustentáveis de produção de frutas e hortaliças orgânicas têm em seus
objetivos a utilização racional dos recursos naturais, bem como a possibilidade para
o desenvolvimento socioeconômico das comunidades rurais, além de contribuir para
a manutenção da rede de interações da produção vegetal com o ecossistema. Assim,
esperamos verificar através da entrevista com os cooperados qual a relevância da Feira
Agroecológica em Teresópolis visando uma economia solidária que envolve preço
justo, solidariedade, desenvolvimento sustentável, respeito ao meio ambiente e geração
de renda das famílias dos pequenos produtores.
Palavras-chave: Agricultura familiar; Práticas agrícolas; Economia solidária.
104 Nova Friburgo

91. Tema: A Identidade Cultural da População Cordeirense


Vinculada a Exposição Agropecuária de Cordeiro

Autor: Jennifer Gonçalves Silva

Este projeto busca pesquisar o conjunto de costumes e tradições da população


cordeirense, as quais são transmitidas de geração em geração, especificamente associado
às feiras culturais exibidas nas edições anuais do evento Exposição Agropecuária de
Cordeiro. No dia 25 de maio de 2016, foi sancionada pelo governador em exercício
Francisco Dornelles, a Lei Estadual 7.285/2016 que conferiu ao município de Cordeiro
o título de Cidade Exposição. A iniciativa partiu de um projeto de lei do deputado
estadual Thiago Pampolha e a lei definitiva foi publicada na edição do dia 30 de maio do
Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Sendo assim, podemos considerar tamanha
representatividade do evento local que, no ano de 2017 realizou a sua septuagésima
quinta edição. Também no ano de 2016, foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada
pelo prefeito em exercício Leandro Monteiro, a Lei Nº 2078/2016, validando o Plano
Municipal de Cultura. Dentro das providências previstas em lei, temos sete setores que
abrangem as feiras culturais. Tais são expostas somente por cidadãos cordeirenses no
evento anual. De tal modo, é possível observar a crescente valorização dos expectadores
do evento pelas feiras de cunho local. É perceptível que além de expectadores, são
também consumidores dos produtos confeccionados. Por isso, o interesse em saber,
reconhecer, dimensionar e divulgar o papel da Exposição Agropecuária de Cordeiro, de
suas feiras culturais, isto é, do espaço para a construção e valorização da cultura local.
Nova Friburgo 105

92. Geografia e Enem: Reflexões Sobre a Abordagem dos


Conteúdos e a Construção do Conhecimento Geográfico

Autor: Kátia da Silva Barcelos


Orientador: Aline Kelly da Sila Faria

O Exame Nacional do Ensino Médio vem ao longo dos anos alcançando níveis
significativos de importância, chegando atualmente a ser a principal forma de ingresso
ao nível superior, assim, seu reconhecimento como influente instrumento avaliativo
é inegável, sendo percebido como forma de analisar a apreensão do conteúdo pelos
estudantes. O ensino médio, por sua vez, é o momento de efetivar os conceitos que
foram construídos no decorrer da vida acadêmica do estudante. Em Geografia, este
momento, deve consolidar nos indivíduos a capacidade de perceber os conflitos sociais,
analisar aspectos socioeconômicos e políticos e, compreender fenômenos geográficos
em diferentes contextos e paisagens, apropriando-se do espaço a partir de diferentes
escalas. Considerando a importância ímpar dessa avaliação na dinâmica educacional,
faz-se necessário reconhecer o efeito do processo de avaliação da aprendizagem
geográfica desenvolvido através do Exame Nacional do Ensino Médio e seus possíveis
reflexos no desenvolvimento da percepção geográfica dos alunos, buscando interpretar
dados estatísticos de aproveitamento dos conteúdos geográficos e compará-los com
as concepções de professores e alunos, identificar a proposta pedagógica que oferece
suporte a promoção da percepção do espaço geográfico e verificar outras formas de
realizar avaliações da disciplina de Geografia em sala de aula. Atingir aos objetivos
propostos demandará a realização de pesquisa bibliográfica em material impresso e
eletrônico somada à pesquisa de campo do tipo exploratória e descritiva, com abordagem
qualitativa por meio de acompanhamento e entrevista centrada no tema, com alunos
e professores do 3º ano do ensino médio. Os dados analisados, fundamentados em
pressupostos teóricos, buscarão retratar a utilização dos preceitos de uma avaliação
sistêmica nas escolas e as contribuições para a prática docente.
palavras-chave: Enem; conceitos; Geografia
106 Nova Friburgo

93. A Importância e a Necessidade do Investimento em


Agricultura Orgânica

Autor: Marcia Aparecida de Mattos


Orientador: Juliana Ferreira Romeiro

A utilização intensa de fertilizantes químicos e o uso abusivo de agrotóxicos na


agricultura tradicional vem causando a perda do solo e da biodiversidade. Também a
contaminação das águas, dos alimentos e do ar tem causado doenças e até óbitos em
seres humanos. Ainda há a questão das sementes geneticamente modificadas e suas
consequências para o equilíbrio dos ecossistemas. Diante desses fatos verifica-se que
o modelo atual de agricultura atende muito mais às demandas do sistema capitalista e
preocupa-se muito pouco com a natureza e a saúde dos seres vivos.Com a intenção de
refletir e analisar uma modalidade agrícola que seja menos agressiva ao meio ambiente,
mais comprometida com a saúde dos indivíduos, será elaborado um estudo em uma
propriedade particular que produz alimentos orgânicos. No campo de pesquisa será
analisada a hipótese da agricultura orgânica trazer mais beneficies ao solo, às águas,
às culturas agrícolas e aos seres vivos que a agricultura química, modelo tradicional
do Brasil, dentre os anos de 1960 e 1970, no advento da Segunda Revolução Agrícola,
conhecida como Revolução Verde. Os referenciais bibliográficos serão utilizados
para reflexão e análise das ideias das obras dos estudiosos sobre o assunto, artigos
publicados em sites da internet e em periódicos do Ministério da Agricultura. Mediante
a discussão de dados entre as ideias dos referenciais teóricos e a justaposição com as
informações coletadas no campo de pesquisa será refletido o processo da produção
orgânica de alimentos para suprir às necessidades nutricionais dos seres humanos, sem
causar sérios impactos ao meio ambiente, procurando conservá-lo para que as gerações
futuras tenham acesso a um meio físico-natural preservado e, ainda, à disposição
alimentos saudáveis.
Palavras-chave: Agricultura orgânica; meio ambiente; sustentabilidade
Nova Friburgo 107

94. Educação Ambiental: Desafios e Perspectivas por um


Currículo Escolar Sustentável

Autor: Mylena Vidal Hernandes da Silva


Orientador: Cíntia Correa

Quando falamos de educação ambiental é muito importante termos em mente


determinados conceitos fundamentais para a reflexão e construção desse processo
educacional que é tão importante para o desenvolvimento do pensamento crítico acerca
da sustentabilidade. Ao analisarmos o modo de organização da sociedade moderna,
chegamos ao conceito de liquidez que é fundamental para pensarmos na relação que
estamos assumindo com o ambiente a nossa volta. Toda a necessidade de consumo,
pautada em um fetiche pela mercadoria, fez com que de certa maneira, passássemos a
viver produzindo muitos itens desnecessários e descartáveis. É importante que o homem
passe a se enxergar como parte do meio ambiente, rompendo com o pensamento de que
o meio natural é composto apenas por fauna e flora. Para tal, a educação ambiental
precisa ser o eixo integrador que irá transitar no currículo escolar como ferramenta
de mudança capaz de dialogar com todas as disciplinas ministradas na escola e ainda
ser capaz de transpor os muros escolares, afetando toda a comunidades escolar. Precisa
estar presente na cultura da escola, para que seja possível desenvolver a reflexão acerca
de uma possível conscientização por parte dos atores envolvidos para que entendam que
reciclar, preservar e recriar são necessários para a manutenção de sua própria vida e de
seus semelhantes. Portanto, é importante compreendermos que a educação ambiental
é capaz de desenvolver não só um conhecimento voltado para a área técnica, mas é
também capaz de influenciar em nossas ações e atitudes e todo um contexto social onde
este indivíduo está inserido e com certeza promovendo uma consciência de cidadania
que pode ser muito mais ampla, efetiva e sustentável contribuindo assim para o real
desenvolvimento que esperamos da sociedade. Ainda temos um longo caminho, devido
a falta de políticas públicas pautadas na discussão do meio ambiente e é fundamental
entendermos que a educação ambiental precisa ser repensada dentro da escola, sendo
pautada de uma forma que dialogue diretamente com o projeto político pedagógico da
escola e o currículo escolar.
Palavras-chave: Meio ambiente; Educação ambiental; Currículo escolar.
108 Nova Friburgo

95. Recursos Midiáticos e a Dinamização


do Ensino de Geografia

Autor: Natatsha Marques Lessa


Orientador: Felipe Amaduro Gonçalves

Atualmente a escola precisa oportunizar um espaço onde os alunos possam, desde


cedo, e sob orientação adequada, demonstrar competências e habilidades essenciais
para atuarem no presente mundo globalizado, onde a tecnologia tem proporcionado
diferentes formas de comunicação e informação em alta velocidade e exigido novas
posturas e conhecimentos. Tais recursos tecnológicos são de fácil acesso de todos e, se
utilizado de maneira correta, potencializam e facilitam o aprendizado dos mais variados
conteúdos educacionais.As hipóteses levantadas são de que a tecnologia, em especial,
os recursos midiáticos em geral, desde os mais simples como o material impresso,
o rádio, a TV, o aparelho de DVD, aos mais sofisticados como computador, tablets e
smartphones, podem possibilitar práticas mais dinâmicas, criativas e motivadoras aos
educandos, uma vez que já possuem aparelhos modernos, os smartphones, que além
de possuírem recursos sofisticados, acessam a rede mundial de dados sem restrição
a conteúdos. A pesquisa documental será utilizada como revisão bibliográfica, com
consulta em diversos livros, revistas e sites, a fim de embasar com rigor científico este
trabalho. Em um cenário onde a tecnologia se faz presente no cotidiano dos alunos, é
importante que professores utilizem diferentes formas para explorar os conhecimentos
de forma lúdica, criativa e dinâmica, oportunizando aulas mais atraentes e prazerosas,
fazendo com que o aluno busque o conhecimento, tornando-se autor no seu processo
de aprendizagem.Com o avanço tecnológico e científico, unidos ao barateamento
dos computadores e o acesso à Internet, novas estratégias puderam ser construídas
para transformar o cotidiano das escolas. Além dos recursos físicos do computador,
é possibilitado a alunos e professores maior interação entre si e outras escolas em
tempo real ou não, utilizando-se de chats, fóruns, e-mails ou sites de colaboração e de
redes sociais, como a Wikipedia, o Facebook, o Twitter, sem contar o aplicativo de envio
de mensagens instantâneas, como Whatsapp, com intuito de antecipar o tema que será
abordado nas aulas, aguçando a curiosidade e busca por informações a fim de fomentar
possíveis debates.
Palavras-chave: Tecnologia; Internet; Dinamização
Nova Friburgo 109

96. O Importante Papel da Coleta Seletiva para Amenizar


Contaminações Ambientais Causados pelo Lixo
Doméstico – A Problemática do Lixo

Autor: Orlando Rosembergue Guimarães.


Orientador: Juliana Ferreira Romeiro

O lixo tem sido uma problemática, urbana, rural, cultural e social, pois, quando
alguém descarta o lixo de forma desordenada, está levando para si problemas como
doenças, roedores, baratas, etc.O intuito deste artigo é levar à reflexão do papel da
coleta seletiva, ou como o lixo que descartamos pode ser prejudicial ao meio ambiente
e a nossa saúde. O lixo com o seu chorume pode poluir o lençol freático, o ar ao ser
queimado, fora os materiais que podem levar séculos para se decompor.No decorrer do
projeto pudemos ressaltar os tipos de lixo, os tipos corretos de descarte, mostrando
por foto o resultado de pesquisa de campo, o descarte incorreto do lixo. Destacou-se
que, para se entender tal problemática, nossa posição tem quer global, ou seja, como
nos afeta a nível de planeta, país, cidade, bairros e nossas casas. A verdade é que é um
trabalho de conscientização de todo um povo e cultura. Porque além do lixo ser fruto
também do consumismo geral, existe em torno disso o lado social, tanto de população
e autoridades.Haja vista a coleta de lixo feita nas cidades, onde se nota a mistura do lixo
ao ser jogado no caminhão e prensado dentro dele. Ali não se separa plástico, metal,
papel, baterias e lixo doméstico.A reciclagem pôde ser retratada no exemplo visto em
minha cidade quando desde de 2008 e até os dias de hoje se aproveitam de garrafas pet
para enfeitar a cidade para o Natal ao mesmo tempo em que temos um aterro sanitário
por vezes perigoso.Foi constatado que há muito a se fazer, apesar de termos uma visão
mais ambiental hoje do que há 40 anos atrás.
Palavras-chave: Chorume, consumismo e reciclagem.
110 Nova Friburgo

97. Geografia e Educação Ambiental: A Relevância


Contemporânea da Educação Ambiental
nos Conteúdos de Geografia

Autor: Pâmela Guimarães Oliveira


Orientador: Rildo de Almeida

Este trabalho tem como objetivo apresentar a importância da Educação Ambiental


dentro dos conteúdos de Geografia. E ainda entender como a Geografia e a Educação
Ambiental estão relacionadas e porque devem permanecer unidas durante todo processo
de ensino, auxiliando na construção da cidadania e senso crítico dos alunos. Diante dos
diversos problemas ambientais ocorridos nos últimos anos, verificou-se a importância
de analisarmos a Geografia e a Educação Ambiental no desenvolvimento do ser humano
seja no ambiente escolar ou no cotidiano das pessoas. Entendendo como a Geografia
e seus conteúdos podem contribuir para o desenvolvimento da Educação Ambiental
e seus objetivos a curto e longo prazo. Assim realizou-se uma pesquisa bibliográfica
sobre a Educação Ambiental no Brasil, baseando-se na legislação e na obra de autores
que fundamentam o papel da escola e principalmente da Geografia como ferramenta
para o desenvolvimento da Educação Ambiental e também o desenvolvimento de
projetos pedagógicos e atividades que desenvolvem a Educação Ambiental na escola.
Dessa forma a análise da problemática ambiental ganha grande destaque na disciplina
de Geografia pois englobam questões que fazem parte tanto da parte física quanto
da parte humana desta disciplina. Por isso quando trabalhadas juntas a Geografia e a
Educação Ambiental se tornam relevantes, pois se propõem a discutir sobre questões
sociais e ambientais que fazem parte da sociedade contemporânea. Assim, conclui-se
que a Educação Ambiental desenvolvida a partir dos conteúdos de Geografia tem o
objetivo de orientar e auxiliar os alunos no desenvolvimento da cidadania e do senso
crítico, incentivando a construção do respeito com o meio ambiente, a valorização do
espaço e a solidariedade uns com os outros, assim como auxiliar o desenvolvimento
de atividades e projetos dedicados a Educação Ambiental proporcionando aos alunos
uma aprendizagem didática e de qualidade. Valorizando o desenvolvimento sustentável
chamando atenção para nosso estilo de vida atual e questionando o que deixaremos para
o futuro.
Palavras-chave: Geografia. Educação Ambiental. Ensino.
Nova Friburgo 111

98. A Cartografia no Ensino de Geografia


nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental

Autor: Rosalva da Penha Veloso


Orientador: Vânia da Silva Heringer

A Cartografia no ensino da Geografia tem função de contribuir no


desenvolvimento do raciocínio espacial dos estudantes. Conhecê-la, é importante para
a compreender das relações entre espaço e tempo, estudar o ambiente em que vive
e possibilitar orientação e mobilidade fornecendo subsídios para essas necessidades.
O objetivo desse trabalho é compreender e analisar a importância e aplicação da
Cartografia no ensino de Geografia nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental , para
isso será realizada pesquisas bibliográficas no PCN, em artigos e livros pertinentes
ao assunto e na proposta curricular da cidade. Também será realizado um trabalho
de campo investigativo em salas de aula, entrevistas com professores do primeiro ao
quinto ano da rede municipal de Nova Friburgo nas seguintes escolas: C.M. Juscelino
Kubitscheck de Oliveira; E.M. Dante Magliano; E.M. São judas Tadeu e E.M. Vargem
Alta. O tema se justifica nas propostas para os anos iniciais, minha experiência como
professora a quinze anos, observando e contribuindo para o processo de construção
do conhecimento dos alunos e com as atividades produzidas em aula pelos mesmos,
ponderando as dificuldades e a dedicação docente na superação do desafio constante
de ensinar. Trilhar esse caminho e ter a oportunidade de observar como os professores
estão realizando trabalhos cartográficos com seus alunos, é uma grande oportunidade
de compreender o conhecimento que possuem sobre o assunto e como o empregam
nas aulas de Geografia, levando em consideração os diversos tipos de formação que
possuem, que podem ser a nível médio do curso Normal, a pós-médio, graduação,
ser pós-graduado, ter algum curso de extensão referente, ou até mesmo não ser
atualizado. Como todos os professores das séries iniciais trabalham com seus alunos
todas as disciplinas e buscam seu desenvolvimento integral, a criatividade e dedicação
ao trabalho, são itens importantes para superar desafios e tornar o processo de ensino
aprendizagem prazeroso e significativo.
Palavras-chave: Geografia. Cartografia. Séries Iniciais.
112 Nova Friburgo

99. Territórios e Política Patrimonial em Nova Friburgo:


O Olhar do Géografo Inserido nas Relações de Afeto
e Negociações

Autor: Ruan Carlo Fonseca Coelho


Orientador: Felipe Amaduro Gonçalves

Em um contexto de desenvolvimento sustentável e valorização da diversidade


cultural de uma Cidade, é necessário tenhamos instrumentos que salvaguardes os
bens imateriais e materiais (através de inventário, registro, tombamento, vigilância).
Portanto com a atuação da sociedade civil, a fim de inventariar o que ela acha de devida
proteção, e o fomento para tal pertencimento, faz-se imprescindível o olhar do geógrafo,
com seu conhecimento sobre a relação do homem com meio, em seu contexto teórico
conteúdistico sobre: território; topofilia, apropriação do espaço; Direito à cidade;
Planejamento Estratégico e os interesses dos Agentes do Capital, correlacionando as
áreas de Geografia Urbana com o estudo historiográfico e cultural sobre a preservação
do Patrimônio. Trazendo à tona a literatura de autores como David Harvey, Nestor
Cancliní, Henry Lefevbre, Rogério Proença Leite, entre inúmeros outros que serão
segmentados, os quais coloco em minha hipótese central que: a pressão de ocupação
do solo urbano, como inevitável no desenvolvimento do capitalismo, é o centro das
principais dificuldades e polêmicas na política patrimonial, onde o olhar do geógrafo
não deve ser de neutralidade institucional, visto que é crucial a nossa tarefa de procurar
compreender os diferentes pontos de vista em jogo. Daí também que é importante a
referenciação de alguns teóricos como George Simmel, no que se refere ao processo de
negociação e de conflitos da realidade local, em fenômenos representativos da cultura
do friburguense, pois sabe-se que as políticas de preservação se inserem num neste
jogo de interesses, entre diferentes segmentos na definição dos critérios de seleção,
na atribuição de valores e nas práticas de proteção de bens e manifestações culturais
acauteladas. Situação determinada, entre outras causas, pelo assimétrico e desigual
processo de desenvolvimento socioeconômicas. Esse quadro acaba por originar um
desequilíbrio de representatividade em termos de origem étnica, social e cultural, o que
provoca, por sua vez uma crise de legitimidade e uma baixa identificação da população,
em alguns casos. Nesse sentido, é fundamental conceber as práticas educativas em sua
dimensão política, a partir da percepção de que tanto memória como o esquecimento
são produtos sociais.
Palavras-chave: Patrimônio Cultural; Território; Participação social
Nova Friburgo 113

100. A Urbanização do Rio de Janeiro no Século XX:


A Reforma Pereira Passos e Rodrigues Alves

Autor: Thaimy Luiza da Silva Pereira


Orientador: Rildo de Almeida

O tema da monografia é “A Urbanização do Rio de Janeiro no século XX: a reforma


Pereira Passos e Rodrigues Alves”. Este tema tem como principal enfoque em abordar
a respeito da Reforma Pereira Passos e Rodrigues Alves. Além disso, o tema tenta
fazer uma ponte sobre a reforma de Paris e como essa influência serviu de inspiração
nas reformas brasileiras. O propósito geral do tema é descrever os principais aspectos
que envolvem a cidade do Rio de Janeiro tendo como enfoque a urbanização presente
no século XX. E já os propósitos específicos são de evidenciar a urbanização da
cidade do Rio de Janeiro no século XX tendo como enfoque a Reforma Pereira Passos
e Rodrigues Alves. Também como propósito específico de discutir sobre a reforma
Pereira Passos no início do século XX. Além disso, o presente trabalho consiste numa
revisão bibliográfica baseada na análise de autores. Com isso, o levantamento de dados
demonstrou que o Rio de Janeiro no final do século XIX apresentava problemas de
infraestrutura levando a necessidade de uma reforma sendo esta influenciada pela
reforma de Paris. Além disso, esta revisão foi satisfatória, pois através dela se teve
uma melhor compreensão do tema e das reformas realizadas. Neste sentido, os autores
possuem sua importância no sentido de ampliar o conhecimento. Portanto, o tema tem
como ênfase em dar mais importância à reforma Pereira Passos e de como esta levou a
construção de grandes avenidas e possibilitou o alargamento de ruas, bem como levou
ao embelezamento da cidade, a higienização e a modernidade. Sendo assim, a reforma
Pereira Passos levou a demolir habitações coletivas precárias (como os cortiços). Desta
forma, a reforma Rodrigues Alves teve também sua importância na medida em que
através dela houve a reforma do Porto. Cabe ressaltar que estas reformas tiveram como
inspiração a reforma de Paris, pois foi através desta reforma que houve as reformas
brasileiras.
Palavras-chave: Reformas; Pereira Passos; Rodrigues Alves
Três Rios
Três Rios 115

101. Desafios e Realidades do Estudante da Zona Rural em


Duas Escolas da Zona Urbana do Município de Paraíba
do Sul – Rj

Autor: Mariana Silva Barros Xisto


Orientador: Jandira Cristina Novaes Mendes

O diálogo com os estudantes do campo nos oferece alguns sinais para entender
como se dá a relação desses estudantes com a escola urbana. Compreender o saber que
se forma na escola da cidade. Como acadêmica de Geografia tive a possibilidade de
observar que com o fechamento das escolas na zona rural os alunos foram deslocados
para as escolas da cidade, assim enfrentando grandes desafios constantemente, como a
locomoção do meio de transporte escolar, a convivências com os outros alunos, a forma
de se comunicar com os profissionais da escola, assim abrangendo a aprendizagem. Com
isso chegar aos pontos positivos que a escola da cidade pode proporcionar.A pesquisa
tem por objetivo geral analisar a relação dos estudantes residentes da zona rural que
estão involuntariamente inseridos em escolas da zona urbana, que neste caso, duas
escolas da rede municipal de Paraíba do Sul/RJ, e por objetivo específico identificar
o desafio e a realidade que esses alunos enfrentam para poder estudar, identificar o
eixo campo cidade e como isso está relacionado à Geografia, analisar como ocorre a
inserção dos estudantes no âmbito escolar, investigar qual é a importância da educação
para esses alunos. A pesquisa se enquadra dentro da análise de casos, que diante da
condição social, cultural e político em que a escola, os profissionais e o currículo estão
inseridos, no qual é essencial que o questionamento seja alcançado para poder entender
as disputas pelo território escolar. Para alcançar o objetivo proposto, será necessário
um levantamento de dados sobre os alunos que residem na zona rural e estudam em
escolas da zona urbana no município de Paraíba do Sul-RJ. A pesquisa será feita através
de estudo de caso, fazendo questionamento em duas escolas municipais, onde os nomes
das escolas não foram citados para que não haja exposição das mesmas, assim referindo
como escola A e B. A abordagem escolhida é a qualitativa, buscando entender como
fica a qualidade do ensino-aprendizagem na Geografia, a pesquisa pode ser classificada
como exploratório, pois analisará a relação campo cidade referente a esses alunos.
Palavras-chave: educação, zona rural e zona urbana.
116 Três Rios

102. Agricultura Familiar:


Como Permanecer no Campo em Petrópolis?

Autor: Bianca Santiago Trindade


Orientador: Marcelo Antonio Sotratti

Com a implantação do sistema capitalista, foram criadas políticas de investimentos


que se adequavam apenas ao perfil de grandes produtores (fazendeiros) que possuíam
grandes vantagens para conseguir empréstimos enquanto os pequenos produtores
estavam cada vez mais fadados a deixar além de suas terras, toda sua cultura e herança
para trás. Assim muitos deles se viram obrigados ao êxodo rural. Abandonando toda
uma cultura herdada de gerações para buscar um meio de sobreviver através de trabalhos
na cidade. A área escolhida para o desenvolvimento do projeto é o Brejal, Posse 5°
distrito de Petrópolis – RJ. A região contribui de grande forma para a economia do
município já que é o maior produtor de orgânicos do Estado do Rio de Janeiro e que hoje
carrega o título de Capital estadual dos produtos orgânicos segundo o artigo primeiro
da Lei 8118/18 de 25 de Setembro de 2018. Hoje, principalmente nesta localidade
há um grande incentivo, pelo menos por parte dos próprios produtores familiares,
para que seus filhos e netos se mantenham no ramo em vez de migrarem para a zona
urbana em busca de emprego. A justificativa para a realização do projeto decorre
de entender as formas de investimento que o setor de produção recebe dos próprios
pequenos produtores e das esferas municipais e estaduais, entender se existe alguma
preocupação por parte das autoridades políticas para a manutenção e progresso do
setor. Assim os principais objetivos deste projeto estão em compreender a importância
da agricultura familiar para os produtores, para os consumidores e para o meio
ambiente. Em incentivar os jovens a permanecer neste método de produção que traz
inúmeros benefícios e conhecer as dificuldades diárias e a longo prazo, enfrentadas pelos
produtores familiares (como deslocamento, vias, comercialização etc). Da metodologia
temos: organizar todo o conteúdo teórico adquirido através do que pensam outros
autores como: SILVA, MARAFON, SCHNEIDER, SOTRATTI etc. Iniciar algumas
visitas de campo, realizar diálogos/entrevistas com alguns produtores, fotografar suas
lavouras e mapear as áreas de produção do Brejal.
Palavras-chave: Agricultura Familiar; Produção Orgânica; Cultura.
Três Rios 117

103. A Importância da Área de Proteção Ambiental (Apa)


Vale do Morro da Torre para a Cidade de Três Rios

Auto: Bárbara Baptista Silva


Orientador: Taiana Evangelista dos Reis

O presente texto monográfico tem o tema a Importância da Área de Proteção


Ambiental APA Vale do Morro da Torre para a cidade de Três Rios. A Área de
Proteção Ambiental pertence à categoria das Unidades de Conservação (UCs) de
uso sustentável. O tema deste trabalho vem relatar a importância de uma Área de
Proteção Ambiental para a cidade. APA Vale do Morro da Torre está localizada na
cidade de Três Rios – RJ. O tema escolhido trata da importância da APA para a cidade e
demonstrar problemas concernentes ao seu pleno desenvolvimento.O objetivo principal
do trabalho é analisar os problemas ambientais presentes na APA Vale do Morro da
Torre, Três Rios – RJ. Quanto aos objetivos específicos sãoFazer um levantamento da
importância da APA Vale do Morro da Torre para a cidade de Três Rios;Investigar
quais são problemas ambientais que existem na APA Vale do Morro da Torre;Propor
medidas de planejamento que possa ser aplicada na APA de forma a oferecer subsídios
ao manejo da áreaDepois de definido os objetivos, a metodologia utilizada para realizar
este trabalho foi uma pesquisa de campo onde se pode constatar a falta de políticas
públicas que corroborem a preservação do local, bem como para a divulgação do mesmo
junto à comunidade trirriense. Essa pesquisa de campo foi à ida à APA. Vale do Morro
da Torre juntamente com a ambientalista da cidade de Três Rios, Simone Carvalho.
Outro método utilizado foi através de um estudo de cunho bibliográfico, analisando
diversos trabalhos que falem sobre assuntos semelhantes. Foi feito um estudo e uma
leitura sobre as leis que definem e protegem Áreas de Proteção Ambiental. Com isso
ao longo do trabalho será mostrado os problemas que cercam a APA Vale do Morro da
Torre e sugestões para o planejamento e proteção da área. Ao longo do trabalho pode-
se observar que não há fiscalização e planejamento da APA Vale do Morro da Torre,
com isso, como sugestões para resolver os problemas vislumbrados encontra-se uma
maior participação da prefeitura local no que diz respeito à fiscalização do local.
Palavras-chave: Unidade de Conservação. Área de Proteção Ambiental APA Vale do
Morro da Torre
118 Três Rios

104. Desenvolvendo Atitudes e Ações que Possam Contribuir


para a Coleta Seletiva na Cidade de Petrópolis

Autor: Edson Glicério Borsari


Orientador: Paulo R. Palhares

Sabemos que na atualidade temos vários problemas ambientais, sendo o foco


dessa pesquisa os problemas relacionados ao lixo urbano. Problemas esses que se
intensificaram após a revolução industrial no século XVIII, sendo sucedida depois pela
segunda e terceira fases dessa revolução. Como consequência, surgiram variados tipos
de produtos que impulsionados pelo sistema econômico do capitalismo, estimularam
uma sociedade de consumo. Com esse consumo, surgiram vários problemas ambientais,
entre eles o que fazer com tantos objetos descartados pelas atividades humanas. Tendo
como o foco da pesquisa a cidade de Petrópolis, foi feito um levantamento de como
a cidade tem lidado com essa questão do lixo através da coleta seletiva, como meio
de encaminhar esses resíduos para um destino mais adequado e através da lei da
política nacional de educação ambiental - lei nº 9.795 de 27 de abril de 1.999 - no
qual autoridades e ONGs tentam achar soluções para minimizar o impacto ambiental,
entre elas, incentivar educação ambiental nas escolas como meio de tornar cidadãos
mais consciente para a preservação do meio ambiente. Com base nessa lei, e como
futuro professor de geografia, pretendo desenvolver atitudes e ações que contribuam
para a coleta seletiva, pois a CONDEP, órgão que presta serviço para a prefeitura
e desenvolve esse trabalho, mas não atinge todos os moradores dos bairros. Tendo
como objetivo geral: propor ideias ao engajamento da sociedade como um todo,
na conservação e melhoria do meio ambiente, agindo dentro ou fora da instituição
educacional, de maneira formal ou informal. Tendo como objetivo específico: propor
ideias para sensibilizar cada indivíduo, no sentido de que todos nós somos responsáveis
por desenvolver atividades e ações para melhorar o local em que moramos, podendo
ser de maneira individual ou coletiva, ou seja, para melhorar o meio ambiente, devendo
começar por nós mesmos. Os métodos utilizados nessa pesquisa foram leitura de livros,
jornais diversos, revistas e entrevistas.
Palavras-chave: Problemas ambientais - Educação ambiental – Coleta seletiva
Três Rios 119

105. Pólo Cederj Três Rios – Democratizando o Ensino


Superior através da Sua História.

Autor: Gilmar Monteiro Pereira Corrêa


Orientador: Roseli Domingos

Sendo morador do município de Três Rios desde a década de 70, no ano de


1990 cheguei à idade em que o jovem começa a procurar seu caminho profissional.
Neste momento me deparei com um problema antigo: tínhamos que escolher entre
a opção de morar em outra cidade para cursar uma faculdade, ou fazer a graduação
em locais como Juiz de Fora, Petrópolis, Valença ou Vassouras, enfrentando viagens
diárias. Os estudantes que optavam por estudar residindo em outro município em sua
maioria, depois de formados, não retornavam à cidade natal.Em 1993 fui aprovado no
vestibular da Universidade FAA em Valença, para o curso de Direito. Cursei um ano
e meio, depois abandonei por não aguentar a viagem de ida e volta, que durava em
media três horas, e assim trabalhando durante o dia a jornada era exaustivaNo final
da década de 90, foi aberto em nosso município um Campus da Universidade Federal
Rural do Rio de Janeiro, com os cursos de Ciências Econômicas e Administração.
Este foi o pontapé inicial para não termos a obrigatoriedade de sair do município ou
enfrentar longa jornada para buscar a formação superior.No ano de 2001, acontece
o primeiro vestibular do CEDERJ, do qual o Pólo Três Rios faz parte desde o inicio.
Neste momento inicia-se o foco da minha pesquisa, que tem o objetivo de fazer um
levantamento de como o Pólo Três Rios tem influência na democratização do Ensino
Superior em nossa região. A metodologia consiste em entrevistas com personalidades
que fizeram parte da criação da unidade, assim como outros profissionais que integram
a estrutura atual; entrevistas com calouros e levantamento de dados disponíveis que
demonstrem a abrangência do pólo na educação das cidades da região e o impacto na
vida acadêmica dos graduandos e graduados desta unidade.
120 Três Rios

106. Direito à Moradia: Uma Análise da


Comunidade da Favelinha

Autor: Juliane Abrahão de Mattos Moura


Orientador: Rosângela de Fátima Campos Ribeiro

A pesquisa tratou de analisar o direito à moradia, fazendo uma análise da


infraestrutura habitacional da Comunidade da Favelinha. Esta comunidade é localizada
em uma área limítrofe entre os municípios de Três Rios e Paraíba do Sul. O objetivo
central da pesquisa é compreender o direito à moradia como um direito que envolve
tanto os elementos de sua infraestrutura quanto elementos externos a estrutura
física da habitação. Na tentativa de alcançar de forma satisfatória o objetivo geral,
foram traçados alguns objetivos específicos. O primeiro passo foi analisar o conceito
de espaço, sob a ótica de ser um produto social, entendendo assim de que forma o
homem contribuiu para a atual composição do cenário urbano. Também foi discutido
os reflexos da produção capitalista do espaço, analisando os atores envolvidos nesta
produção e a segregação residencial. O conceito de favela como uma comunidade
foi discutido, levando em consideração sua característica de autoconstrução. Como
último objetivo foi investigado acerca da infraestrutura da Comunidade da Favelinha.
As primeiras pesquisas serviram para dar suporte ao referencial teórico da pesquisa,
utilizando obras de autores que tratam da temática da produção do espaço e da
dinâmica das cidades. Como parte da pesquisa de campo, foram feitas entrevistas com
os moradores da comunidade e a pessoas que contribuem para melhorar as condições
de infraestrutura da área onde a comunidade habita. A pesquisa encontra-se quase
concluída, contudo já foi possível obter conclusões bastante elucidativas sobre o tema.
Com a pesquisa de campo foi possível validar as discussões do referencial teórico, no
que diz respeito a importância de elementos externos a habitação para os moradores. A
comunidade possui escassas opções de lazer, problemas graves em épocas de enchente,
recorrentes falta de água, ruas em estado de precariedade, os moradores se sentem
inseguros, maioria das casas em situações irregulares de posse e se sentem deixados
de lado pelo poder público. Pode-se concluir que para a satisfação plena do direito à
moradia é necessário também uma infraestrutura adequada em seu entorno.
Palavras-chave: Direito à moradia; Infraestrutura; Elementos externos
Três Rios 121

107. Geografia: Adequações e Estratégias de Ensino para


Alunos com Necessidades Especiais

Autor: Lais de Souza Silva Stefani


Orientador Roseli Domingos Lima Cordeiro

A pesquisa tem como objetivo analisar as estratégias de Ensino usadas por


professores de Geografia da rede pública no Ensino Fundamental para ensinar alunos
portadores de necessidades especiais. O estudo de campo envolveu três professores
da rede pública e seus alunos. Estudantes diagnosticados com o transtorno do
Espectro Autista, síndrome de Down e Paralisia Cerebral. A metodologia usada
para o desenvolvimento do trabalho foi quantitativa. Utilizei de entrevistas para os
levantamentos de dados. Usei de observações e pesquisas bibliográficas para obtenção
dos dados. De inicio abordei o meu interesse nesta pesquisa e a importância de um
desenvolvimento consistente e eficaz das técnicas de ensino para alunos portadores de
deficiências especiais. Levantei as problemáticas que envolvem a não atenção e aplicação
correta dessas técnicas de Ensino. Após desenvolvi a metodologia e apresentei um
relatório das minhas observações ás visitas nas escolas. Analisei os dados coletados
ao longo da pesquisa os quais revelam que os professores do Ensino Fundamental
estão tendo dificuldades para trabalhar o conteúdo de suas aulas para alunos com
necessidades especiais, o resultado da pesquisa também mostra que professores de
escolas especializadas possuem mais habilidade para trabalhar com estes alunos. O
trabalho mostra também que é possível desenvolver uma metodologia de Ensino mais
ampla e assertiva para alunos com necessidades especiais e que mesmo com dificuldades
é possível que tenham um bom desempenho. Espero com esse trabalho diminuir o
preconceito e a visão de incapacidade de alunos portadores de deficiência e incentivar
professores e pesquisadores a buscarem se especializar e a concluíram mais pesquisas
voltadas a área da Educação Especial.
Palavras-chave: Alunos portadores de necessidades especiais; Transtorno do Espectro
Autista; Síndrome de Down; Paralisia Cerebral; Educação Especial.
122 Três Rios

108. Economia Cafeeira e os Desdobramentos Demográficos


no Brasil Abolicionista no Século XIX

Autor: Marcelo Penna da Silva


Orientador: João Eduardo Alves Pereira

O presente trabalho visa a compreender o processo migratório presenciado no


Império brasileiro no século XIX. Parte-se por base a tratar da economia cafeeira,
que contribuiu para a Região Sudeste consolidar-se como centro econômico, e assim
como, para a ocorrência de intensos fluxos demográficos nacionais e internacionais. A
partir de uma análise metodológica quantitativa, caracterizou-se o processo migratório
brasileiro após a extinção do tráfico negreiro e com o fortalecimento do tráfico
interprovincial, ao mesmo tempo em que se ingressavam contingentes de trabalhadores
europeus não portugueses pelo processo imigratório. Isso ocorria também em um
contexto de difusão de uma proposta do branqueamento demográfico. Dessa forma,
em análise do Meio Técnico, sob a perspectiva de periodização dos meios por Milton
Santos, o Território do Café foi demarcado e atraiu grande contingente demográfico.
Assim, a compreensão entre capitalismo e a demografia brasileira, com foco no Sudeste
demarcado pelo Território do Café, assim a análise da quantificação da população
brasileira, com base nos dados do período pré-censitário, pré-estatístico e proto-
estatístico, baseado em estudos de Giorgio Mortara, e a partir de então o Recenseamento
de 1872 e o Censo de 1890, a fim de que fosse possível traçar o comparativo proposto
através de gráficos para demonstrar o contingente demográfico diferencial no Sudeste.
Dessa forma, a comprovar-se que o Sudeste como centro econômico nacional. Assim,
elencou-se nesta pesquisa o atual Vale do Café como uma rugosidade do Território do
Café Fluminense a fim de demonstrar com a queda da atividade cafeeira, na década de
1930, a desterritorialização e, na atualidade, a reterritorialização a partir da atividade
cultural.
Palavras-chave: Demografia; Território do Café; Escravidão; Imigrante; Segundo Reinado.
Três Rios 123

109. O Complexo do Acari – Numa Abordagem Geográfica


sobre a Formação do Território e a Origem do Termo
Complexo de Favelas

Autor: Marcos da Silva Miranda


Orientador: Rosângela de Fátima Campos Ribeiro

Território: muito aplicado no âmbito da política, o território é entendido


comumente como uma área balizada por fronteiras. No entanto, nem sempre esses
limites fronteiriços são visíveis ou bem engendrados. Na maioria das abordagens
geográficas, o conceito de território está relacionado com uma relação de poder. É,
portanto, uma área apropriada, uma porção do espaço geográfico onde há uma relação
hierárquica estabelecida. O território possui uma característica importante, a sua
pluralidade em termos de classificação e de escala: ele pode compreender desde uma área
muito restrita, como uma rua ou um terreno qualquer, até uma coalizão internacional
composta por forças militares de diversos países. Ao mesmo tempo, seus tipos envolvem
territorialidades militares, jurídicas (vinculadas ao Estado), naturais, culturais e até
criminais, como os territórios do tráfico de drogas ou de grupos mafiosos. A ciência
geográfica aprofunda cada vez mais em abordagens pertinentes e necessárias sobre
os impactos desses fenômenos vivenciadas cotidianamente por milhões de pessoas
em todo o mundo. Diante dessa necessidade e dos graves problemas presentes nas
grandes cidades, o trabalho em questão vem subsidiar com fundamentações teóricas
a situação vivida em uma das maiores cidades do Brasil e do mundo, o Rio de Janeiro,
tendo como objetivo mostrar a dificuldade de delimitação territorial do Complexo do
Acari, onde e quando surge o termo “Complexo de Favelas”, umas das maiores regiões
de favelas da cidade, e com um dos mais baixos IDH do município a partir do Atlas
do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013 divulgado pelo Programa das Nações
Unidas para o Desenvolvimento - PNUD, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada -
IPEA e Fundação João Pinheiro - FJP, com dados extraídos dos Censos Demográficos
de 1991, 2000 e 2010.

Palavras-chave: Território; Favela; Complexo do Acari.


124 Três Rios

110. A Importância do Sítio Arqueológico Toca do Índio para


o Município de Chiador – MG

Autor: Marcos Vinicius Dimas Lemos


Orientador: Taiana Evangelista Reis

A arqueologia é considerada uma das ciências primordiais no entendimento e


estudo do passado do homem, assim como suas obras ao longo da ocupação evolutiva
na Terra, através dos vestígios encontrados em sítios arqueológicos, como também
obtém a relevante função de preservar os patrimônios históricos arqueológicos. Os
sítios arqueológicos são amparados por lei, pois contém parte da história e da cultura
remota da população que antes o habitavam, permitindo estudos e análises dos povos
antigos até a história atual. Contido em um das cidades da Zona da Mata Mineira, o
sitio arqueológico Toca do Índio está localizado no município de Chiador, o entorno de
sua localização no passado era coberto pela Mata Atlântica, e hoje dá lugar a pastagem.
Mesmo sendo um dos poucos exemplares contidos na região da Zona da Mata Mineira
que contém pintura rupestre, o sítio Toca do Índio encontra-se abandonado a mercê
das depredações naturais e antrópicas. As preocupações a partir da observação das
dificuldades enfrentadas referente à falta de comprometimento e medidas protetoras
com o sitio, fizeram com que a pesquisa abarcasse distintos assuntos, e tendo como
objetivo principal do presente trabalho, o entendimento de como a presença relevante
do Sítio Toca do Índio contribui para o município de Chiador. A fundamentação teórica
ocorreu por meio de pesquisas bibliográficas, e campos realizados durante os anos de
2017 e 2018 para a coleta de dados como a geolocalização do sítio. Partes desses dados
foram usadas no sofware gratuito Qgis, juntamente das bases de dados disponíveis
no IBGE para a confecção dos mapas, eles foram fundamentais para análises críticas
durante a pesquisa. Para chegar ao resultado final da pesquisa, foram feitas análises dos
conhecimentos teóricos e práticos em campo, onde ao final da pesquisa se observou que
o presente trabalho contribuirá para a divulgação do sítio arqueológico Toca do Índio
por meio de relatos e registros, como também poderá ser um relevante fator potencial
para parte do desenvolvimento local do município de Chiador, e principalmente sua
possível proteção, pois com o passar dos anos, caso nada for feito o Sítio Toca do Índio
será apenas uma lembrança.
Palavras-chave: Sítio Arqueológico; Chiador; Turismo.
Três Rios 125

111. Impactos Ambientais Gerados pela Interdição e Abandono do


Lixão Ilegal em Área Verde em Paraíba do Sul. Uma Chance
de Recuperação e uma Proposta de um Aterro Independente.

Autor: Midiã da Costa Ribeiro da Silva


Orientador: Lúcio Paulo Gouvea

Na cidade de Paraíba do Sul, há anos existe um lixão ao qual fica localizado na


estrada da barrinha, um dos acessos da cidade. No entanto em 2014 foi decretado que
lixões passariam a ser ilegais, desde então o mesmo continuou com seu funcionamento.
Até que em maio de 2018 foi interditado pelo inea. Vendo a realidade do lixão pode-se
perceber que tem a probabilidade de uma recuperação do local, pois o mesmo encontra-
se em uma localidade de muita área verde, assim como a construção de um aterro
sanitário próprio na cidade. A prefeitura obtém recursos financeiros destinados ao
meio ambiente, com planejamento e profissionais capacitados esses recursos podem
ser usados para recuperação da área e futuramente a construção de um aterro sanitário
próprio. O objetivo é que as autoridades vejam o impacto ambiental que esse lixão
interditado está causando a natureza e tracem um plano para retirada dos restos de
lixo que ainda estão no local, à recuperação dessa área e a construção de um aterro
sanitário próprio.Foram levantadas algumas informações que servem de apoio para
a pesquisa, visita ao local, contato com inea, contato com o setor de meio ambiente,
contato com algumas pessoas que mantem o mesmo interesse que o trabalho propõe.
Uma visita ao inea é uma proposta do projeto, sendo realizada poderá se ter acesso
ao relatório que foi feito pelos técnicos no dia da interdição, para assim obter maiores
informações de como os mesmo destacam a situação do local.Percebe-se um imenso
descaso dos setores responsáveis com a situação do local, os mesmos alegam que não
tem projeto para recuperação da área, pois custa caro, não tem planos para um futuro
aterro sanitário próprio o que para eles também custa caro, e alegam que a prefeitura
não dispõe de recursos para realizar essas ações.
Palavras-chave: Impactos; Recuperação; Aterro sanitário
126 Três Rios

112. Análise de Risco Ambiental num Espaço Urbano


na Cidade: Vila Izabel, Três Rios – Rj

Autor: Nilton José Gabriel


Orientador: Cintia de Andrade Corrêa

Pretendemos apresentar nesse Projeto, um trabalho de pesquisa delineada


focada no loteamento Sebastião do Norte, área urbana da cidade incorre portanto,
várias moradias que suponhamos haver certo grau de risco. Assim, nesse projeto
podemos, descobrir e compreender o critério adotado deste logradouro, quais
argumentos prosseguem nas decisões dos investimentos destas área, pois, no futuro
será problema com à sociedade. Tanto para os que estão construindo, quanto aos
que residem nas partes baixa. Portanto, será importantedescobrir nesse espaço as
implicações das construções e de como são adquiridas as documentação de
liberações, mitigar conhecimentohistóricos dessa localização num período correspondente
entre 2010 a 2017,analisar de forma adequada as características deabrangências, das
atividades relacionadas ao modelo atuante desse loteamento residencial
para a cidade no bairro de Vila Izabel, num rápido crescimento urbano, área
de produção familiar que segundo Garcia (2003), descrever o histórico de
inicio desse Loteamentotornara-se, importante para nossa compreensão da situação dos
impactos ambientais em que o próprio ser humano é vítima. O modelos de utilização
tecnológicas para elaboração do trabalho como: da identificação de mapas, fotos etc.,
dessa localidade da cidade, processo de injustiça socioeconômica para o Município
de Três Rios. Também, em nosso projeto norteará base teórica como: engenheiros
arquitetônicos, sociólogos geógrafos que, de acordo com Santos (2007) e Fernandes (
1980), torna importante a disseminação desta área, parajuntos com poder público, agir
com as soluções de segurança e prevenção nos processos de impactos ambientais na
escala de ocorrência e de abrangência desses agentes causadores
Palavras-chaves: Loteamento, riscos ambientais, compreender.
Três Rios 127

113. Dinâmica Urbana e Ambiental às Margens do Rio


Paraíba do Sul: Ocupação do Bairro Santa Josefa
em Paraíba do Sul – Rj

Autor: Paulo José Oliveira Silva


Orientador: Cintia de Andrade Corrêa

Conforme ocorre em diversas cidades, com o crescimento da localidade urbana, a


população vai se deslocando das áreas rurais para as áreas urbanas, em busca de melhores
condições de vida. O bairro Santa Josefa, localizado na periferia do Município de Paraíba
do Sul, pertencente à Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, é composto, em sua
maioria, por população com baixo poder aquisitivo, onde conta com residências simples
e apresenta características de crescimento sem planejamento prévio. Este fato fora
observado nesta pesquisa, onde o fluxo migratório, somado ao habitual crescimento
demográfico, resultou no aumento da população do bairro, fazendo com que também
aumentasse o número de moradias e, conseqüentemente, culminasse em construções
de residências às margens do Rio Paraíba do Sul, sem que fossem observados diversos
fatores inerentes a manutenção de condições adequadas das relações homem x meio
ambiente na localidade alvo desse estudo. De uma forma geral o objetivo dessa pesquisa
foi fazer um Levantamento das ocupações às margens do Rio Paraíba do Sul, no bairro
Santa Josefa. De uma maneira mais específica, no decorrer do estudo apontamos, por
meio documental, as características demográficas, sociais e ambientais que permeiam
o bairro e o município ao qual está inserido, bem como, Analisar o planejamento das
ações governamentais para atenuar os riscos à ocupação ribeirinha daquela região. Fora
utilizada uma análise baseada em documentos cedidos pela Prefeitura do Município de
Paraíba do Sul, como o Plano Diretor; documentos da Estratégia Saúde da Família e
da Secretaria Municipal de Saúde, como perfil epidemiológico e social da população do
município e do bairro Santa Josefa, mapas e imagens de satélite desenvolvido e fornecido
pela empresa “Google”, através do aplicativo “Google Earth”, bem como, informações
colhidas em documentos disponíveis na internet, como artigos acadêmicos e dados do
IBGE, para direcionar o referencial conceitual.
Palavras-chave: Moradias, margem, Bairro Santa Josefa, Rio Paraíba do Sul.
128 Três Rios

114. Projeto Educacional Horário Integral da Secretaria


Municipal de Educação de Nova Iguaçu – Uma
Abordagem Geográfica entre Escola e Bairro.

Autor: Alex Ferreira Agustinho


Orientador: Vânia Regina Jorge da Silva

A geografia enquanto ciência desde seu surgimento se preocupa com a relação


do homem e o ambiente bem como suas inter-relações e transformações, provocada
pelo processo de desenvolvimento da humanidade. Como disciplina escolar, a geografia
possui um papel fundamental na formação de alunos críticos, capazes de perceber e
compreender as modificações ocorridas no seu espaço vivido, no seu bairro e na escola,
ambientes que fazem parte de seu dia a dia. O presente projeto de monografia se refere
à proposta de trabalho com os conceitos geográficos segundo os seguintes autores,
Fremont (1980), com o conceito de espaço vivido, Tuan (1980) quanto ao conceito
de bairro, Oliveira (2006) trabalhando com o conceito de mapa mental e percepção
ambiental através da temática de bairro e escola. Nesse caso, cada aluno produzirá
um mapa mental sobre o espaço em que vive, sua compreensão sobre o bairro e a
escola. Pretende-se assim, averiguar o aumento de sua capacidade de reflexão sobre os
conceitos geográficos no que diz respeito ao espaço escolar de seu bairro valorizando o
papel que esses exercem na sua vida cotidiana. Nessa Perspectiva, a atividade de campo
proporcionará uma visão além dos muros da escola, podendo ser observado o bairro
de Vila Nova em Nova Iguaçu, no qual se localiza a Escola Municipal Capistrano de
Abreu. De modo que, o projeto proposto será importante para ampliar os conceitos
científicos e geográficos dos alunos e sua capacidade de percepção sobre a preservação
do espaço onde se vive e também dos cuidados com o ambiente escolar.
129 Três Rios

115. A Influência da Estrutura Escolar no Processo de Ensino


e Aprendizagem: Uma Análise de Escolas Urbanas e
Rurais da Rede Municipal de Ensino da Cidade de
Paraíba do Sul – Rj e Suas Implicações na Instrução da
Geografia nos Anos Finais do Ensino Fundamental

Autor: Rogê Brigues Nunes da Silva


Orientador: Roseli Domingos Lima Cordeiro

A satisfação nos resultados de quaisquer atividades humanas está relacionada


às condições dos espaços em que são desenvolvidas. Esta preocupação se estende às
escolas, visto que imprimem a finalidade de transmitir conhecimentos e cultura. Assim,
os ambientes escolares devem estar devidamente apropriados para que se possibilite
condições adequadas e satisfatórias ao processo de ensino e aprendizagem. O trabalho
está sendo constituído por levantamentos bibliográficos e trabalhos de campo feitos
em prédios escolares da rede de ensino municipal que oferecem a etapa dos anos finais
do ensino fundamental e também na modalidade de Educação de Jovens e Adultos
(EJA), quando existente, em espaços urbanos e rurais do município de Paraíba do Sul/
RJ, avaliando parâmetros qualitativos e quantitativos no uso dos recursos educacionais
para a percepção e registro de possíveis dissenções em suas realidades. As dificuldades
enfrentadas pelo ensino da Geografia e os motivos que a colocam como sendo uma
das disciplinas de maior desinteresse nas opiniões dos estudantes estão pautadas
principalmente em três situações: materiais, ambientais e didáticas. Diante disso, cria-
se então, o ambiente perfeito para o desinteresse e desentusiasmo dos agentes mais
fortemente engajados neste processo: os alunos e professores. Desta forma, e com
o objetivo de mitigar os efeitos negativos que estropiam quase que por completo a
simbiose do conforto no ambiente escolar com as práticas de ensino necessários, é que
os desafios da integração entre estes dois polos se manifestam, gerando empecilhos
de difícil saneamento. Nesta perspectiva, é importante frisar que tais reveses não
são insolucionáveis, embora, à primeira vista, pareçam entregues às desistências e
submissões da ascendência dos discursos prolixos que insistem no mantimento de suas
influições gestacionais e políticas que em nada contribuem para o levante educacional em
que, por outro lado, são necessárias ações próximas, simples e de fácil consecução, como
afronta aos discursos desprovidos de empenho e freiadores da inovação que a educação
exige e merece. É neste contexto que esta pesquisa se manifesta: documentar que a
simplicidade de ações quando bem gerenciadas, dimanam resultados surpreendentes,
não só na maestria e laboração do ensino da Geografia, mas como subsídio de relevante
importância para a educação como um todo.
Palavras-chave: Arquitetura, Espaços escolares, Ensino e aprendizagem e Geografia.
130 Três Rios

116. O Uso da Geografia como Ferramenta de Auxílio para


Monitoramento de Aedes Aegypti e Aedes Albopictus nos Bairros
Volante e Vieira Cortez no Município de Paraíba do Sul – Rj

Autor: Alessandro de Oliveira da Silva


Orientador: Rosângela de Fátima C. Ribeiro

Diante dos casos confirmados de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes


aegypti no município de Paraíba do Sul, em especial nos bairros Volante e Vieira Cortez,
sendo este um ambiente rural, mosquitos do gênero Aedes vem causando grande
problema de saúde publica. Século XIX, iniciou os primeiros trabalhos da Geografia
Médica, voltados à estudar a distribuição regional das doenças, empregando recursos
cartográficos.A Geografia Médica passou a fazer parte do ensino da medicina no
momento em que pacientes foram indagados a respeito de onde viviam. Essa informação
era utilizada na elaboração de diagnósticos. Assim, os pacientes poderiam ser orientados
a procurar tratamentos para suas doenças mudando seu estilo de vida ou ambiente, na
busca de um clima diferente. A dengue é uma doença arbovirosa que possui como
característica, dores de cabeça intensas, dores musculares e nas articulações, erupções
cutâneas ocasionadas pelo rompimento de vasos sanguíneos, porém a confirmação da
doença é feita através da sorologia onde é identificada a presença do vírus ou a presença
dos anticorpos.O objetivo do estudo é analisar as áreas de preferência do mosquito,
identificar projetos e métodos de prevenção feitos pela Secretária de Saúde entender o
papel da geografia nesse processo de pluralidade com a saúde, para tentar monitorar
e hábitos do Aedes Aegypti, nos bairros de zona rural e zona urbana, de Paraíba
do Sul, (RJ). Para atingir os objetivos serão realizadas coletas de dados de outros
autores, e dados da Secretária de saúde, trabalho de campo pesquisa com moradores e
professores orientadores. Busco mostrar que a geografia pode se trabalhar com a saúde
como ferramenta fundamental para o controle territorial, climático e mapas de áreas
de risco a dengue é uma doença emergente, na qual evidencia à população do espaço
urbano, especialmente por sua urbanização acentuada, pelo aumento da densidade
populacional, e situação sócio-econômica que está vinculada à expectativa de vida.
Palavras-chave: Arbovirosa; Pluralidade; Aedes Aegypti
Três Rios 131

117. As Mudanças do Cotidiano Petropolitano a partir da


Problemática na Rua Coronel Veiga

Autor: Azorílio Ferreira do Valle.


Orientador: Taiana Evangelista dos Reis.

A cidade de Petrópolis – RJ é conhecida por apresentar um clima com


temperaturas baixas, mas além desta, outra característica faz parte do cotidiano
petropolitano: as chuvas. Em uma de suas vias esse tipo de atividade exógena no período
em que ocorre de forma intensa, desenvolve-se uma problemática que afeta toda a sua
extensão, os cidadãos que a utilizam, além de moradores de bairros próximos. A Rua
Coronel Veiga liga a zona sul ao centro da cidade, possui residências e comércios,
recebe um grande fluxo de pedestres e automóveis diários e ano após ano apresenta
a mesma atividade de inundação ocorrida nesses períodos quando as chuvas são mais
volumosas e agressivas. A problemática se desenvolve a partir da estreita seção de
escoamento e do raso fundo que o rio Quitandinha que se encontra presente em toda
a lateral da via possui, não suportando a quantidade de água que recebe nos períodos
chuvosos; somado ao desenvolvimento urbano não acompanhado, onde ocorreu o
estreitamento da margem do rio e a fixação de residências e comércios que atrapalham
o escoamento de água; além da ocorrência da supracitada: chuvas. Essa situação será
abordada a partir das atividades ocorridas dentro dos últimos cinco anos, fazendo uso
de notícias presentes em veículos de comunicação. A importância da rua para o fluxo
da cidade desperta um interesse para observar a modificação da paisagem e como a
sua dinâmica diária é afetada por esse problema. Os moradores e o poder público são
pontos importantes para entender o contexto histórico da rua e o desenvolvimento de
medidas para a solução desse problema tão presente na cidade. A partir de analise de
textos, questionário sobre os principais prejuízos a quem a utiliza, pesquisa empírica e
o contexto histórico da via, o trabalho pretende apresentar quais os resultados desse
problema na vida do petropolitano, assim como desenvolver possíveis soluções para a
problemática.

Palavras-chave: chuvas, cotidiano, urbano.


132 Três Rios

118. Análise Geográfica Sobre a Gestão do Lixo no Distrito de


Inconfidência no Município de Paraíba do Sul – Rj.

Autor: Wiliam Argon de Andrade


Orientador: Jandira Cristina de Novaes Mendes

Esta pesquisa é sobre a gestão do lixo rural no município de Paraíba do Sul,


tendo como área de estudo o recorte espacial do distrito de Inconfidência. Distrito de
características rurais, sendo constituído por algumas comunidades. A pesquisa buscou
captar dados sobre como as pessoas que vivem na área rural cuidam do lixo, procurou
obter informações sobre os serviços públicos de coleta prestados pela municipalidade
e ainda apontar melhorias necessárias no contexto educacional e ambiental, para que a
população residente nestas áreas não seja tratada de forma inferior, comparando com a
população das áreas urbanas, que são atendidas por uma quantidade maior de serviços
públicos. Utilizando das duas escolas que atendem os alunos do Ensino Fundamental do
distrito, com escolas em Inconfidência (Sebollas) e Sardoal, foi aplicado um questionário
com 12 perguntas referentes ao tema, pedido que se respondesse com a ajuda de um
responsável em casa, recolhido e feito a contagem das respostas. Algumas das questões
se referiram aos dados da casa questionada como números de moradores e tempo de
residência no local. Outras perguntas foram referentes à produção, coleta e qualidade
dos serviços prestados. A Educação Ambiental, reciclagem e conhecimento sobre a
questão também foram alvos da pesquisa, que de forma receptível, todos colaboraram.
Alguns resultados foram positivos como, por exemplo, a quantidade de pessoas que usam
do serviço de coleta da prefeitura, mostrando que hábitos como queimadas e descarte
em locais impróprios já estão sendo mudados. Mostrou também a falta de projetos e
incentivos a Educação Ambiental, fator essencial para a diminuição do lixo gerado, a
separação dos materiais recicláveis e a busca pelo ambiente saudável e equilibrado. A
pesquisa tem um importante papel na sociedade e esta, por se tratar do descarte do lixo
na área rural, mostra que não o lixo produzido no meio rural não podem ser ignorados,
apesar de ser em menor quantidade, e que seus impactos causados na natureza podem
ser enormes, trazendo prejuízos aos moradores desta área e também os da área urbana,
pois as relações estão próximas, tornando uma independente da outra.
Três Rios 133

119. O Processo de Expansão Urbana no Bairro


Quitandinha em Petrópolis – Rj: Análise dos Impactos
Socioambientais em Áreas de Risco

Autor: Weslei Peter de Oliveira


Orientador: Michele Silva

A cidade de Petrópolis está localizada a 838 metros acima do nível do mar, o


munícipio faz parte da região de serrana do Estado do Rio de Janeiro, de acordo com
o último censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística
(IBGE), indica que o município tem 295.917 habitantes (IBGE, 2010) sendo o
Munícipio mais populoso da região serrana do Estado do Rio de Janeiro. Assim como
diversas cidades no Brasil, Petrópolis sofreu um crescimento urbano desorganizado
e sem uma fiscalização eficaz e necessária para a prevenção de desastres em áreas de
risco, principalmente nas encostas. O objetivo deste trabalho é analisar o processo de
expansão urbana no bairro Quitandinha, considerando as moradias em áreas de risco.
Visando atingir os objetivos específicos, analisar os processos históricos de ocupação
urbana no bairro Quitandinha, identificando os impactos socioambientais do passado
aos dias atuais será desenvolvido um levantamento bibliográfico sobre o conceito de
socioambiental e também sobre o processo histórico de urbanização de Petrópolis. Para
objetivo específico de Compreender como a valorização imobiliária vem ocasionando
impactos socioeconômicos e socioambientais consistirá em levantamento de dados
sobre a especulação imobiliária da cidade. Em relação ao objetivo específico Identificar e
mapear as ocupações em áreas consideradas de risco terá como objetivo os trabalhos de
campo para o reconhecimento das áreas de risco do Bairro Quitandinha, identificando
os impactos socioambientais, será elaborada a identificação e o mapeamento das
ocupações em áreas de risco, utilizando ferramentas de geoprocessamento como
QGIS. A pesquisa encontra-se em fase inicial, os resultados serão obtidos no primeiro
semestre de 2019.
Palavras-chave: Áreas de Riscos; Urbanização; Impactos socioambientais.
134 Três Rios

120. A Importância da Unidade de Conservação Pedra


das Flores para o Município de São José do Vale do
Rio Preto – Rj

Autor: Rosana Muniz Chaves


Orientador: Taiana Evangelista dos Reis

A atual situação do planeta no cenário ambiental nos mostra uma grande


necessidade de se investir em técnicas que possibilitem o uso racional e sustentável
dos recursos naturais. O mundo tem sofrido com essa grande exploração, o que se
faz necessário criar estratégias para amenizar essa realidade, sobretudo as que sejam
nocivas ao meio ambiente, e que, ao mesmo tempo, sejam atrativas à população. As
Unidades de Conservação têm sido uma das principais estratégias para mudar essa
realidade, pois elas contribuem para a preservação e conservação do meio ambiente,
onde além de transformar um determinado local em área protegida, as UCs oferecem
também à população, uma oportunidade de conhecer e valorizar o meio ambiente local,
mas a falta de interesse de alguns órgãos públicos tem facilitado a ação antrópica nessas
áreas, levando assim a sua destruição por desmatamento, queimadas, entre outros. Este
trabalho tem como objetivo mostrar a importância da Unidade de Conservação Pedra
das Flores para o município de São José do Vale do Rio Preto – RJ, conseguinte, tem-
se como objetivos específicos: Promover a valorização da Unidade de Conservação
Pedra das Flores; Reconhecer o potencial da UC como atrativo turístico para a cidade;
Discutir medidas para sua conservação e preservação. A metodologia aplicada a este
trabalho, como instrumento principal de pesquisa, foi a pesquisa quantitativa, realizada
através de um questionário que foi distribuído a 50 pessoas residentes do município, o
que diagnosticou a importância que a população dá a Unidade de Conservação Pedra
das Flores, pois mostrou através dos resultados que a população tem uma grande
preocupação com a UC e vê nela um potencial turístico para o município, na finalidade
de não só atrair pessoas de fora para a cidade, mas também como uma estratégia de
preservação.
Palavras-chave: Unidades de Conservação; Pedra das Flores; Turismo
Três Rios 135

121. Segregação e Desigualdades Socioespaciais no Bairro


Tijuca: Zona Norte da Cidade do Rio de Janeiro

Autor: Terezinha de Oliveira Silva Viana


Orientador: Ulisses Fernandes

Cada área de uma cidade cresce em um ritmo diferenciado. A produção do espaço


urbano é dinâmica e cria bairros e cidades socialmente distintas. Alguns fatores como
investimentos públicos de infraestrutura e ofertas de trabalhos, em uma área específica
de uma região, contribuem para essa que essa região se torne mais atraente para ser
habitada. Pode haver uma atração populacional para certas áreas em detrimento de
outras, fazendo surgir contradições como segregação e desigualdades socioespaciais.
O objetivo da pesquisa de monografia, é produzir um pequeno retrato socioespacial
do bairro Tijuca, situado na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Espaço onde
uma malha urbana ordenada, dotada de infraestrutura e amenidades, mistura-se a
aglomerados que se equilibram na maioria de forma precária em suas encostas. Na
tentativa de compreender como se manifesta tal dinâmica espacial, a pesquisa busca
investigar, a partir de índices socioeconômicos, os perfis dos atores-moradores desses
espaços híbridos e análise dos índices sociais: renda, escolaridade, saneamento básico
como, rede de abastecimento de água e esgotamento sanitário, tanto das áreas planejadas,
como das áreas ocupadas irregularmente. A ideia de fazer o trabalho aqui mencionado
tornou-se atrativa a partir da vivência desta pesquisadora no bairro supracitado. É essa
dimensão empírica e a percepção da desigualdade social presente, evidenciada, a priori,
por sua paisagem, é que justifica a escolha como objeto de pesquisa. A metodologia
utilizada foi pesquisa e levantamento bibliográfico de gabinete, pesquisa bibliográfica
de fontes primárias e secundárias – livros, artigos e sites – acerca da cidade do Rio de
Janeiro e, mais especificamente do bairro Tijuca. Tal pesquisa também incluiu consultas
a bancos de dados estatísticos e censitários provenientes do Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística (IBGE) e Instituo Pereira Passos. É a partir dessa conjuntura
que a questão central do presente trabalho, de fato, apurou como desigualdades se
expressam nas áreas do bairro, por meio da da redução e exclusão de acesso aos
serviços supracitados, nas contradições em moradia.
Palavras-chave: Segregação, desigualdade socioespacial, Tijuca.
136 Três Rios

122. Impactos Ambientais e Sociais pelo Uso de Agrotóxicos


na Bacia Hidrográfica do Rio Manso – Paraíba do Sul – Rj

Autor: Yasmin de Souza e Souza


Orientador: Cintia de Andrade Correa

Atualmente a maioria das atividades rurais faz o uso de algum meio de


modernização agrícola. Na agricultura em específico a maioria dos métodos de cultivo
passou a utilizar mais intensamente agrotóxicos, seja para o aumento da produtividade
ou para o combate a insetos que venham a prejudicar os alimentos produzidos,
porem o uso desenfreado dos mesmos causam impactos na área de atuação dessas
plantações como também nas pessoas envolvidas nessa atividade, seja de forma direta,
por trabalhar na área ou de forma indireta que seria a população residente ao redor
dessas plantações. Desta maneira esse trabalho tem por objetivos analisar os impactos
ambientais e sociais causados pelo uso dos agrotóxicos na bacia hidrográfica do Rio
Manso, nas lavouras de maracujá e tomate, área de estudo. Usando-se de métodos de
pesquisa a contextualização bibliográfica da modernização agrícola, pesquisa em campo
para reconhecimento da área de estudo e formação de questionários e entrevistas. Os
resultados esperados nesse trabalho são: apontamentos na questão ambiental por não
ser feito a rotação de áreas, o que causa a degradação dos solos e a poluição por parte
do descarte irregular das embalagens desses produtos químicos. Na questão social
apontamentos em relação à contaminação dos produtores rurais de forma direta,
pelo uso incorreto dos equipamentos de proteção individual e de forma indireta pela
contaminação por águas e produtos com determinados agrotóxicos. Apontamentos dos
possíveis impactos ambientais e sociais que o uso desses agrotóxicos estão causando na
bacia hidrográfica do Rio Manso. Esse trabalho vem a contribuir para a conscientização
da população em geral que dera acesso ao conteúdo do mesmo e mais especificamente a
população envolvida na área de estudo, assim podendo prevenir futuros impactos.
Palavras-chave: Agrotóxicos; Bacia hidrográfica do Rio Manso; Impactos ambientais e
sociais