Você está na página 1de 76

Livro Eletrônico

Aula 01

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com


Videoaulas - CESPE
Sérgio Mendes

50843516100 - susy darley f c resende


Sérgio Mendes
Aula 01

AULA 01 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - PARTE II


SUMÁRIO
AULA 01 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - PARTE II .................................................... 1
APRESENTAÇÃO DO CONTEÚDO ........................................................................................ 2
1. GERAÇÃO DE DESPESA ................................................................................................ 3
2. DESPESA OBRIGATÓRIA DE CARÁTER CONTINUADO ................................................... 4
3. DESPESAS COM PESSOAL............................................................................................. 9
3.1 Definições ................................................................................................................................ 9
13501
3.2 Limites ................................................................................................................................... 10
3.3 Controle ................................................................................................................................. 19
3.3.1 Referência Constitucional e Ato Nulo de Pleno Direito .................................................................................. 19
3.3.2 Limite de Alerta .............................................................................................................................................. 22
3.3.3 Limite Prudencial ............................................................................................................................................ 23
3.3.4 Limite Ultrapassado ........................................................................................................................................ 24
3.3.5 Exceções aos Prazos p/ Redução das Despesas com Pessoal ......................................................................... 26

3.4 Despesas com a Seguridade Social ........................................................................................ 30


4. MEMENTO LRF: DESPESA PÚBLICA ......................................................................... 33
5. LISTA DE QUESTÕES DESAFIO AFO .......................................................................... 38
6. GABARITO ................................................................................................................. 50
7. QUESTÕES COMENTADAS ......................................................................................... 51

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 1


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Olá amigos! Como é bom estar aqui!


APRESENTAÇÃO DO CONTEÚDO

Quem quer vencer obstáculos deve armar-se da força do leão e


da prudência da serpente.
(PÍNDARO)

Seja persistente, não desista, pois a posse te espera!

O assunto desta aula é o mais cobrado por todas as Bancas! Falaremos da Despesa Pública na LRF.
Trataremos de Geração de Despesa, Despesa Obrigatória de Caráter Continuado e de Despesas
com Pessoal.

E vamos prosseguir no estudo da Lei de Responsabilidade Fiscal!

Não custa relembrar (última vez) que em vários momentos destas aulas de LRF colocarei as
referências dos dispositivos citados nos rodapés das páginas. Isso vai acontecer apenas para que
você saiba a fonte. NÃO é necessário que você perca tempo e vá até a LRF ou até a CF/1988 (ou
até qualquer Lei), pois eu colocarei na íntegra o dispositivo citado, no próprio corpo do texto.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 2


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

1. GERAÇÃO DE DESPESA

A geração de despesa se refere ao aumento de despesa por meio de criação, expansão ou


aperfeiçoamento de ação governamental.
O assunto é tão importante que a LRF determina que a geração de despesas ou assunção de
obrigações que não atendam o disposto nos arts. 16 e 17 serão consideradas não autorizadas,
irregulares e lesivas ao patrimônio público1. Veremos ambos os artigos neste tópico e no próximo.

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da


despesa será acompanhado de2:

I estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-


financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e
financeira com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de
diretrizes orçamentárias.

O referido artigo ainda define despesa adequada com a LOA e despesa compatível com PPA e
LDO3.
 Adequada com a LOA: a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja
abrangida por crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da mesma
espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados
os limites estabelecidos para o exercício.
 Compatível com PPA e LDO: a despesa que se conforme com as diretrizes, objetivos,
prioridades e metas previstos nesses instrumentos e não infrinja qualquer de suas
disposições.

Ressalva-se dessas determinações a despesa considerada irrelevante, de acordo com o que


dispuser a lei de diretrizes orçamentárias.4
Tais normas constituem condição prévia para empenho e licitação de serviços, fornecimento de
bens ou execução de obras, bem como para desapropriação de imóveis urbanos a que se refere o §
3º do art. 182 da CF/1988.5

1
Art. 15 da LRF.
2
Art. 16, caput e § 2º, da LRF.
3
Art. 16, § 1º, da LRF.
4
Art. 16, § 3º, da LRF.
5
Art. 16, § 4º, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 3


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

2. DESPESA OBRIGATÓRIA DE CARÁTER CONTINUADO

Ainda relacionado ao tema geração de despesas, temos que algumas despesas são consideradas
com maior potencial para causar danos ao equilíbrio das contas públicas do que outras. Para essas,
a LRF estabeleceu regras mais rígidas para que se realizem ou sejam aumentadas, especialmente
aquelas que se prolongarem por mais de dois exercícios, como as despesas obrigatórias de caráter
continuado.

a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou


ato administrativo normativo que fixem para o ente a
obrigação legal de sua execução por um período superior
a dois exercícios. Por exemplo, o aumento da
Considera-se obrigatória de
remuneração de servidores públicos.
caráter continuado6:

6
Art. 17, caput, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 4


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A despesa é classificada em duas categorias econômicas:


_ Despesas Orçamentárias Correntes: classificam-se nessa categoria todas as despesas que não
contribuem, diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de capital. Exemplos: pessoal
e encargos sociais, juros e encargos da dívida, aquisição de material de consumo, pagamento de
diárias, etc.
_ Despesas Orçamentárias de Capital: classificam-se nessa categoria aquelas despesas que
contribuem, diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de capital. Exemplos:
investimentos, como a construção de aeroportos; inversões financeiras, como a aquisição de um
prédio já em utilização; amortização da dívida, etc.

São exigências para criação ou aumento das despesas obrigatórias de caráter continuado 7:
 Atos que criarem as despesas ou as aumentarem deverão ser instruídos com estimativas do
impacto orçamentário-financeiro, no exercício que deva entrar em vigor e nos dois
subsequentes.
 Demonstração da origem dos recursos para seu custeio.
 Comprovação de que a criação ou o aumento da despesa não afetará as metas de
resultados fiscais previstas no anexo de metas fiscais da LDO.
 Tal comprovação, apresentada pelo proponente, conterá as premissas e metodologia de
cálculo utilizadas, sem prejuízo do exame de compatibilidade da despesa com as demais
normas do PPA e da LDO.
 Compensação dos seus efeitos financeiros, nos períodos seguintes, pelo aumento
permanente de receita ou pela redução permanente de despesa.

7
Art. 17, §§ 1º, 2º e 4º, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 5


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Considera-se aumento permanente de receita o proveniente da elevação de alíquotas, ampliação


da base de cálculo, majoração ou criação de tributo ou contribuição8. Já a prorrogação de despesa
criada por prazo determinado considera-se aumento da despesa9.
A despesa obrigatória de caráter continuado não será executada antes da implementação das
medidas referidas, as quais integrarão o instrumento que a criar ou aumentar10. Logo, o
administrador público deverá implementar essas medidas antes da criação ou do aumento das
despesas obrigatórias de caráter continuado.
Entretanto, as despesas destinadas ao serviço da dívida e ao reajustamento de remuneração de
pessoal de que trata o inciso X do art. 37 da CF/1988 estão excluídas dessas regras 11. Tal inciso
versa sobre a revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices da
remuneração dos servidores e do subsídio de membro de Poder, de detentor de mandato eletivo,
de Ministros de Estado e de Secretários Estaduais e Municipais. É uma revisão para manter o
poder de compra; logo, reajustes para aumentar o poder aquisitivo, como os que ocorrem em
percentuais acima da inflação do período, devem seguir as regras da LRF.

(CESPE Analista Judiciário - TRE/PE - 2017) A proposta de aperfeiçoamento da ação governamental


dispensa a elaboração de estimativa de impacto financeiro, mas exige a estimativa de impacto
orçamentário.

8
Art. 17, § 3º, da LRF.
9
Art. 17, § 7º, da LRF.
10
Art. 17, § 5º, da LRF.
11
Art. 17, § 6º, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 6


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de:
I estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro
no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com
a LOA e compatibilidade com o PPA e com a LDO.
Resposta: Errada

(CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) A Despesa obrigatória de caráter continuado
corresponde a despesa de capital cuja execução extrapola o exercício.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17, caput, da LRF).
Resposta: Errada

(CESPE Analista Judiciário TRT/8 2016) O ordenador de despesa deve apresentar a estimativa de
impacto orçamentário-financeiro para o exercício seguinte sempre que uma ação governamental
representar o aumento de despesa pública e, sendo possível, o impacto para o exercício posterior.
A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de:
I estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro
no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com
a LOA e compatibilidade com o PPA e com a LDO.
Resposta: Errada

(FGV Analista Legislativo Câmara Municipal de Salvador 2018) As despesas correntes derivadas de
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios são consideradas, de acordo com os preceitos da Lei de Responsabilidade
Fiscal, despesas irregulares e lesivas ao patrimônio público.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17, caput, da LRF).
Resposta: Errada

(FGV Analista de Controle Interno - Pref. do Recife/PE 2014) O aperfeiçoamento de ação


governamental já existente que acarrete aumento de despesas dispensa estimativa do impacto
orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor, bastando constar nos dois
subsequentes.

O aperfeiçoamento de ação governamental já existente que acarrete aumento de despesas exige


estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois
subsequentes.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 7


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Resposta: Errada

(FGV Analista de Controle Interno - Pref. do Recife/PE 2014) A expansão de ação governamental,
ainda que não acarrete aumento de despesas, dispensa estimativa do impacto orçamentário-financeiro
no exercício em que deva entrar em vigor, mas demanda a previsão no exercício financeiro subsequente.

A expansão de ação governamental que acarrete aumento de despesas demanda estimativa do impacto
orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois anos subsequentes. Caso não
acarrete em aumento, não é geração de despesa.
Resposta: Errada

(FCC Analista Judiciário TRT/6 2018) Os efeitos financeiros decorrent à à à à


à à à à à à à à à à à à à
do serviço da dívida, nos termos normatizados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei complementar nº
101/2000), devem ser compensados com aumento permanente de receita ou redução permanente de
despesa.

Na LRF:
Art. 17. Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida
provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um
período superior a dois exercícios.
§ 1º Os atos que criarem ou aumentarem despesa de que trata o caput deverão ser instruídos com a
estimativa prevista no inciso I do art. 16 e demonstrar a origem dos recursos para seu custeio.
§ 2º Para efeito do atendimento do § 1º, o ato será acompanhado de comprovação de que a despesa criada
ou aumentada não afetará as metas de resultados fiscais previstas no anexo referido no § 1º do art. 4º,
devendo seus efeitos financeiros, nos períodos seguintes, ser compensados pelo aumento permanente de
receita ou pela redução permanente de despesa.
Resposta: Certa

(IDECAN - Analista em Orçamento e Finanças - CNEN -2014) C à à àL àO à


Anual, a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja abrangida por crédito genérico,
de forma que somadas todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no
programa de trabalho, não sejam ultrapassados os limites estabelecidos para o exercício.

É adequada com a LOA a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja abrangida por
crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar,
previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados os limites estabelecidos para o exercício (art.
16, § 1º, I, da LRF).
Resposta: Certa

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 8


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

3. DESPESAS COM PESSOAL

3.1 DEFINIÇÕES

O propósito da LRF é a ação planejada e transparente, tendo o objetivo de prevenir riscos e corrigir
desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas. Os meios utilizados para se atingir este
objetivo são o cumprimento de metas de receitas e despesas e obediência a limites e condições
para a dívida pública e gastos com pessoal. Assim, a finalidade da LRF é disciplinar a gestão dos
recursos públicos, atribuindo maior responsabilidade aos administradores públicos.
O termo fiscal congrega todas as ações que se relacionam com a arrecadação e a aplicação dos
recursos públicos. Neste caminho, as despesas com pessoal são as que mais despertam a atenção
da população e dos gestores públicos, em razão de serem as mais representativas em quase todos
os entes, entre os gastos realizados. A preocupação gerada diante do excesso de despesas com
pessoal é objeto de maior detalhamento por meio da LRF. As despesas com pessoal são sempre
despesas correntes.

O somatório dos gastos do ente da Federação com os ativos, os


inativos e os pensionistas, relativos a mandatos eletivos, cargos,
funções ou empregos, civis, militares e de membros de Poder,
com quaisquer espécies remuneratórias, tais como vencimentos
Para os efeitos da LRF, e vantagens, fixas e variáveis, subsídios, proventos da
entende-se como aposentadoria, reformas e pensões, inclusive adicionais,
despesa total com gratificações, horas extras e vantagens pessoais de qualquer
pessoal12: natureza, bem como encargos sociais e contribuições recolhidas
pelo ente às entidades de previdência.

12
Art. 18, caput, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 9


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

As despesas consideradas como indenizatórias não são consideradas espécies remuneratórias, logo
não entram no cálculo do percentual de despesas com pessoal. Exemplo: auxílio-alimentação,
assistência pré-escolar, auxílio-transporte, ajuda de custo para o militar removido para outra
cidade etc.

Os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se


referem à substituição de servidores e empregados públicos serão
à à à à à 13

Por exemplo, a contratação de um professor temporário para uma vaga de professor efetivo em
uma escola é despesa com pessoal para efeitos da LRF, já que se refere à substituição de uma
atribuição de um servidor efetivo. No entanto, a contratação de pessoal para a segurança dessa
mesma escola não é considerada despesa com pessoal, já que em geral não se trata de
substituição de servidores ou empregados públicos. É uma atividade importante, porém acessória,
instrumental ou complementar às atribuições legais da escola, não sendo inerente a categorias
funcionais abrangidas pelo quadro de pessoal.

3.2 LIMITES

Uma novidade da LRF, em relação às leis anteriores de limites para despesas com pessoal, é que os
poderes e as três esferas de governo estão envolvidos nos limites. A limitação visa permitir ao
gestor público que atenda as demandas da população como, por exemplo, saúde e educação, e
não comprometa quase toda sua receita com pagamento de despesas com pessoal.

O conceito de Receita Corrente Líquida (RCL) é importante porque a despesa total com pessoal
será apurada somando-se a realizada no mês em referência com as dos 11 imediatamente
anteriores, adotando-se o regime de competência.14 Para os fins do disposto no caput do art. 169
da Constituição, a despesa total com pessoal, em cada período de apuração e em cada ente da
Federação, não poderá exceder os percentuais da receita corrente líquida, a seguir
discriminados15:

13
Art. 18, § 1º, da LRF.
14
Art. 18, § 2º, da LRF.
15
Art. 19, caput, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 10


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

I – União: 50%.
II – Estados: 60%.
III – Municípios: 60%.

As disposições da LRF obrigam a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios. Nas


referências a estados entende-se considerado o Distrito Federal. Logo, o Distrito Federal deve
observar o limite estabelecido na LRF para a esfera estadual.
No regime de competência, as receitas e despesas são contabilizadas no momento em que são
comprometidas (fato gerador da despesa), independentemente do momento que as receitas
entram ou as despesas saem do caixa. Por exemplo, no regime de competência, adotado para
apuração das despesas com pessoal, o décimo terceiro salário devido aos servidores públicos deve
entrar no cômputo do total de despesas de pessoal do exercício a que se refira (fato gerador da
despesa), ainda que o pagamento seja efetuado, por exemplo, somente no mês de janeiro.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 11


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Na despesa total com pessoal, para fins de verificação dos limites definidos na LRF, não será(ão)
computada(s) a(s) despesa(s)16:
 Com indenização por demissão de servidores ou empregados.
 Relativas a incentivos à demissão voluntária.
 Com convocação extraordinária do Congresso Nacional (a Emenda Constitucional 50/2006
vedou o pagamento de parcela indenizatória em razão de convocação do Congresso
Nacional).
 Decorrentes de decisão judicial e da competência de período anterior ao da apuração a que
se refere o § 2o do art. 1817.
 com pessoal, do Distrito Federal e dos Estados do Amapá e Roraima, custeadas com
recursos transferidos pela União na forma dos incisos XIII18 e XIV19 do art. 21 da CF/1988 e
do art. 3120 da Emenda Constitucional nº 19. Nesses casos, as despesas desses entes não
são pagas com suas próprias receitas e sim da União, logo, não são somadas aos seus limites
de 60%.
 Com inativos, ainda que por intermédio de fundo específico, custeadas por recursos
provenientes:
o Da arrecadação de contribuições dos segurados;
o Da compensação financeira de que trata o § 9º do art. 201 da CF/198821;
o Das demais receitas diretamente arrecadadas por fundo vinculado a tal finalidade,
inclusive o produto da alienação de bens, direitos e ativos, bem como seu superávit
financeiro.

16
Art. 19, § 1º, da LRF;
17
Art. 18, § 2º, da LRF - A despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em referência com as dos onze
imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência.
18
Art. 21, XIII, da CF/1988 - organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios e a
Defensoria Pública dos Territórios.
19
Art. 21, XIV, da CF/1988 - organizar e manter a polícia civil, a polícia militar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal,
bem como prestar assistência financeira ao Distrito Federal para a execução de serviços públicos, por meio de fundo próprio.
20 Art. 31 da EC 19 - Os servidores públicos federais da administração direta e indireta, os servidores municipais e os integrantes
da carreira policial militar dos ex-Territórios Federais do Amapá e de Roraima, que comprovadamente encontravam-se no
exercício regular de suas funções prestando serviços àqueles ex-Territórios na data em que foram transformados em Estados; os
policiais militares que tenham sido admitidos por força de lei federal, custeados pela União; e, ainda, os servidores civis nesses
Estados com vínculo funcional já reconhecido pela União, constituirão quadro em extinção da administração federal, assegurados
os direitos e vantagens inerentes aos seus servidores, vedado o pagamento, a qualquer título, de diferenças remuneratórias.
21
Art. 201, § 9º, da CF/1988 - Para efeito de aposentadoria, é assegurada a contagem recíproca do tempo de contribuição na
administração pública e na atividade privada, rural e urbana, hipótese em que os diversos regimes de previdência social se
compensarão financeiramente, segundo critérios estabelecidos em lei.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 12


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A repartição dos limites globais do art. 19 União (50%), estados (60%), municípios (60%) não
poderá exceder os seguintes percentuais22:
I na esfera federal:
a) 2,5% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas da União.
b) 6% para o Judiciário.
c) 40,9% para o Executivo, destacando-se 3% para as despesas com pessoal decorrentes do que
dispõem os incisos XIII e XIV do art. 21 da Constituição e o art. 31 da Emenda Constitucional nº 19
(acabei de citá-los no rodapé da página anterior), repartidos de forma proporcional à média das
despesas relativas a cada uma destas competências, em percentual da RCL, verificadas nos três
exercícios financeiros imediatamente anteriores ao da publicação da LRF.
d) 0,6% para o Ministério Público da União.

22
Art. 20 da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 13


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

II na esfera estadual:
a) 3% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Estado.
b) 6% para o Judiciário.
c) 49% para o Executivo.
d) 2% para o Ministério Público dos Estados.

Nos Estados em que houver Tribunal de Contas dos Municípios, o percentual definido para o
Legislativo será de 3,4% e do Executivo será de 48,6%, o que corresponde, respectivamente, a
acréscimo e redução de 0,4%.

III na esfera municipal:


a) 6% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Município, quando houver.
b) 54% para o Executivo.

OBSERVAÇÃO: Tribunal de Contas dos Municípios é diferente de Tribunal de Contas do Município.


Há apenas dois Tribunais de Contas do Município, pois há vedação constitucional para a instituição
de Cortes de Contas municipais, ressalvados os Tribunais de Contas do Município de São Paulo e o
do Rio de Janeiro, criados antes da CF/1988. Tais Tribunais têm competência para processar e
julgar contas exclusivamente do município onde foi criado e não dos outros municípios do Estado.
Porém, não há impedimento para que o Estado institua Tribunais de Contas dos Municípios, para
apreciar e julgar exclusivamente as contas dos municípios integrantes de seu território. Mas há

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 14


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

apenas três Tribunais de Contas dos Municípios (Bahia, Pará e Goiás). Os municípios dos outros
estados que não possuem Tribunais de Contas dos Municípios estão sob a jurisdição dos Tribunais
de Contas Estaduais.

Nos Poderes Legislativo e Judiciário de cada esfera, o limite será repartido entre seus ramos
proporcionalmente à média das despesas com pessoal, em percentual da RCL, verificadas nos três
exercícios financeiros imediatamente anteriores ao da publicação da LRF (1997 a 1999) 23. Por
exemplo, o Poder Judiciário do estado X teve como médias nesses três anos as despesas divididas
por três órgãos de tamanho diferentes, A, B e C, na proporção, respectivamente, de 20%, 30% e
50% do gasto com pessoal desse Judiciário Estadual. Como a partir da LRF o limite é de 6% da RCL
para o Judiciário desse Estado, o rateio do limite será da seguinte forma em relação à RCL: 1,2%
para o órgão A; 1,8% para o órgão B e 3% para o órgão C.

Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias, compreendidos os créditos


suplementares e especiais, destinados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, do
Ministério Público e da Defensoria Pública, ser-lhes-ão entregues até o dia 20 de cada mês, em
duodécimos. Para tais fins, a entrega dos recursos financeiros correspondentes à despesa total
com pessoal por Poder e órgão será a resultante da aplicação dos percentuais definidos no art. 20
da LRF.24

Alguns autores acenam com a possibilidade de a LDO estabelecer critérios diferentes da LRF. Mas
essa faculdade que estava no § 6º do art. 20 da LRF foi vetada:
Vetado: § 6º do art. 20: “
caso a lei de diretrizes orçamentárias não
R à à à áà à à à à à à à à à àP à à à
possam ser alterados na Lei de Diretrizes Orçamentárias poderá resultar em demandas ou
incentivo especialmente no âmbito dos Estados e Municípios para que os gastos com pessoal e
encargos sociais de determinado Poder ou órgão sejam ampliados em detrimento de outros, visto
que o limite global do ente da Federação é fixado na Lei Complementar. Desse modo, afigura-se
prejudicado o objetivo da lei complementar em estabelecer limites efetivos de gastos de pessoal
aos Três Poderes. Na linha desse entendimento, o dispositivo contraria o interesse público, motivo
pelo qual sugere- à à à à
Assim, a LDO não pode dispor de forma diferente da LRF.

23
Art. 20, § 1º, da LRF.
24
Art. 20, § 5º, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 15


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

De acordo com o STF, o descumprimento de limites de


A conduta de outros órgãos gastos previstos na legislação orçamentária realizado
sobre os quais o Poder pelos Poderes Legislativo, Judiciário e Ministério Público
Executivo não pode exercer Estaduais, órgãos dotados de autonomia institucional e
ingerência não lhe pode trazer orgânico-administrativa, não pode ensejar a inscrição do
tais consequências danosas. Poder Executivo do estado-membro nos sistemas
restritivos ao crédito utilizados pela União.25

Logo:

(CESPE Analista de Gestão - TCE/PE - 2017) Gastos com passagens e despesas com locomoção para fins
de fiscalização de obra pública em andamento são despesas correntes do grupo pessoal e encargos
sociais, sujeitas aos limites estabelecidos na LRF.

Despesas indenizatórias, como passagens e gastos com locomoção não se enquadram como despesas com
pessoal.
Resposta: Errada

(CESPE Analista de Gestão TCE/PE 2017) Gastos com pessoal e encargos sociais das fundações
públicas federais estão incluídos no limite de despesas de pessoal aplicável à União.

25
ACO 1218, Relator: Min. LUIZ FUX, julgado em 24/06/2015, publicado em DJe-125 DIVULG 26/06/2015 PUBLIC
29/06/2015.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 16


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Segundo o art. 18 da LRF, entende-se como despesa total com pessoal: o somatório dos gastos do ente da
Federação com os ativos, os inativos e os pensionistas, relativos a mandatos eletivos, cargos, funções ou
empregos, civis, militares e de membros de Poder, com quaisquer espécies remuneratórias, tais como
vencimentos e vantagens, fixas e variáveis, subsídios, proventos da aposentadoria, reformas e pensões,
inclusive adicionais, gratificações, horas extras e vantagens pessoais de qualquer natureza, bem como
encargos sociais e contribuições recolhidas pelo ente às entidades de previdência.
Resposta: Certa

(CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo TCE/SC 2016) Os contratos de terceirização de mão de
obra integram o limite de despesas de pessoal, independentemente do tipo de serviço que estiver sendo
terceirizado.

Os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se referem à substituição de servidores e
empregados públicos à à à à à à à à à à à àLRF
Resposta: Errada

(CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) No âmbito da União, despesa relativa a
demissão voluntária é computada no limite de despesa total com pessoal.

As despesas relativas a incentivos à demissão voluntária não são computadas no limite de despesa total
com pessoal (art. 19, § 1º, II, da LRF).
Resposta: Errada

(FGV Analista Legislativo Câmara Municipal de Salvador 2018) Um dos limites impostos aos entes
públicos pela LRF é a despesa com pessoal, individualizada por poder e órgão. No caso do Poder
Legislativo Municipal que tem como referência uma Receita Corrente Líquida de R$ 240 milhões, terá
como limite de despesa com pessoal o valor de R$ 144 milhões.

Na esfera municipal, o limite é de 6% da RCL para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Município,
quando houver. Assim, basta calcular: 6% de 240 milhões = 14,4 milhões.
Resposta: Errada

(FGV Especialista Legislativo ALERJ 2017) Em um determinado ente estadual, o limite da despesa
total com pessoal no âmbito do Poder Legislativo é de 60% para a Casa Legislativa e 40% para o Tribunal
de Contas. Sabendo-se que ao final do terceiro quadrimestre do último exercício financeiro encerrado, o
ente estadual apurou uma receita corrente líquida de R$ 51,25 bilhões, o limite máximo da despesa total
com pessoal da Assembleia Legislativa corresponde a R$ 1.537.500.000.

Na esfera estadual, o limite é de 3 % da RCL para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Estado.
Assim, basta calcular: 3% da RCL = 3% de R$ 51,25 bilhões = 1,5375 Bilhões. Normalmente a questão
terminaria aqui, pois pediria o limite do Poder Legislativo Estadual. Entretanto, esse não foi o pedido da
questão.

Desse valor encontrado (e não em relação à RCL) a questão convencionou que 60% iria para a Assembleia
Legislativa e 40% para o Tribunal de Contas. E a questão pede o limite da Assembleia Legislativa.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 17


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Assim: 60% de 1,5375 Bilhões = 0,9225 Bilhões = R$ 922.500.000

Logo, o limite máximo da despesa total com pessoal da Assembleia Legislativa corresponde a R$
922.500.000.
Resposta: Errada

(FCC Analista Legislativo ALE/SE 2018) O Tribunal de Contas do Estado e a Assembleia Legislativa
têm limites de gastos separados para fins de contabilização do limite de despesas de pessoal da LRF.

O Tribunal de Contas e a Assembleia Legislativa não têm limites de gastos separados para fins de
contabilização do limite de despesas de pessoal da LRF. O Limite de gastos do Poder Legislativo Estadual,
incluindo o TCE, é de 3% da RCL.
Resposta: Errada

(FCC - Analista Judiciário TRF/3 2016) Nos termos da Lei Complementar nº 101/2000, a chamada Lei
de Responsabilidade Fiscal, os limites da despesa total com pessoal da União e do Poder Judiciário
Federal, respectivamente e em percentual da receita corrente líquida em cada período de apuração, são,
em %, 60 e 6.

Os limites da despesa total com pessoal da União e do Poder Judiciário Federal, respectivamente e em
percentual da receita corrente líquida em cada período de apuração, são, em 50% e 6%.
Resposta: Errada

(FCC Procurador de Contas TCM/GO 2015) Na verificação do atendimento do limite de despesa total
com pessoal, no âmbito municipal, em cada período de apuração, deverão ser computadas as despesas
com inativos, ainda quando custeadas por recursos provenientes da arrecadação de contribuições dos
segurados.

Na verificação do atendimento dos limites das despesas com pessoal, não serão incluídas algumas
despesas, entre elas, a que se refere a inativos, ainda que por intermédio de fundo específico, custeadas
à à à à à à à à à à à à àVI à à àLRF
Resposta: Errada

(FCC Auditor Conselheiro Substituto TCM/GO 2015) Tendo em vista a despesa de pessoal, é correto
afirmar que o cálculo sempre abrange onze meses do gasto em questão.

A despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em referência com as dos onze
imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência (art. 18, § 2º, da LRF).
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 18


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

3.3 CONTROLE

3.3.1 Referência Constitucional e Ato Nulo de Pleno Direito

A CF/1988 também trata do assunto despesas com pessoal. Segundo o art. 169, a despesa com
pessoal ativo e inativo da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios não poderá
exceder os limites estabelecidos em lei complementar, que é exatamente o que estudamos na LRF,
por isso nesta aula começamos o estudo da Lei antes da CF/1988.

Art. 169. A despesa com pessoal ativo e inativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios não poderá exceder os limites estabelecidos em lei complementar.
(...)
§ 2º Decorrido o prazo estabelecido na lei complementar referida neste artigo para a adaptação
aos parâmetros ali previstos, serão imediatamente suspensos todos os repasses de verbas
federais ou estaduais aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios que não observarem os
referidos limites.

Assim, todos os entes estão sujeitos aos limites de despesas com pessoal previstos em lei
complementar. Além disso, o § 2º determina que decorrido o prazo estabelecido na Lei
Complementar, ou seja, na LRF, serão imediatamente suspensos todos os repasses de verbas
federais ou estaduais aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios que não observarem os
referidos limites.

Estudamos de forma conjunta o caput e o § 2º do art. 169 da CF/1988. Vamos agora estudar o §
1º.
§ 1º A concessão de qualquer vantagem ou aumento de remuneração, a criação de cargos,
empregos e funções ou alteração de estrutura de carreiras, bem como a admissão ou contratação
de pessoal, a qualquer título, pelos órgãos e entidades da administração direta ou indireta,
inclusive fundações instituídas e mantidas pelo poder público, só poderão ser feitas:

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 19


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

T à à à à à à à à os aumentos de despesas com pessoal,


independentemente da forma ou do órgão, só poderão ser feitos
I – se houver prévia dotação orçamentária suficiente para atender às projeções de despesa de
pessoal e aos acréscimos dela decorrentes;
II – se houver autorização específica na lei de diretrizes orçamentárias, ressalvadas as
empresas públicas e as sociedades de economia mista.

O inciso I determina que para aumentar as despesas com pessoal deve haver dotação na LOA
suficiente para atender as despesas já existentes e ainda aos novos acréscimos. Isso deve ser
prévio, ou seja, antes de o aumento ser efetivamente colocado em prática.
O inciso II determina que para aumentar as despesas com pessoal deve haver autorização
específica na LDO. Entretanto, para apenas esse inciso II, há uma ressalva: as empresas públicas e
as sociedades de economia mista não exigem autorização específica na LDO para aumentar suas
despesas com pessoal.

á à à à à à à à à à à à à à à
CF/1988. Vamos prosseguir.
Conforme o art. 21 da LRF, é nulo de pleno direito o ato que provoque aumento da despesa com
pessoal e não atenda26:
 As exigências de acompanhamento, para a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação
governamental que acarrete aumento da despesa (art. 16): estimativa do impacto
orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes,
e declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e
financeira com a LOA e compatibilidade com o PPA e com a LDO.
 As exigências para a criação das despesas obrigatórias de caráter continuado (art. 17). São
elas: atos que criarem as despesas ou as aumentarem deverão ser instruídos com
estimativas do impacto orçamentário-financeiro, no exercício que deva entrar em vigor e
nos dois subsequentes; demonstração da origem dos recursos para seu custeio;

26
Art. 21, caput, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 20


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

comprovação de que a criação ou o aumento da despesa não afetará as metas de resultados


fiscais previstas no anexo de metas fiscais da LDO; compensação dos seus efeitos
financeiros, nos períodos seguintes, pelo aumento permanente de receita ou pela redução
permanente de despesa.
 O disposto no inciso XIII do art. 37 da CF/1988: a vedação à vinculação ou equiparação de
quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço
público.
 As exigências do § 1º do art. 169 da CF/1988 (já estudadas neste tópico).
 O limite legal de comprometimento aplicado às despesas com pessoal inativo.

Também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos
180 dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão.27 É comum associar
este prazo ao final dos mandatos de quatro anos dos Chefes do Executivo, porém é interessante
observar que a norma também alcança o mandato dos Presidentes de casas legislativas, o qual é de
dois anos. Logo, um Presidente de uma Câmara Municipal, por exemplo, não poderá aumentar a
despesa com pessoal nos 180 dias anteriores ao final do seu mandato de dois anos.

É nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da


despesa com pessoal expedido nos 180 dias anteriores ao
final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão.

27
Art. 21, parágrafo único, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 21


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A verificação do cumprimento dos limites estabelecidos para as despesas com pessoal será realizada
ao final de cada quadrimestre.28 O relatório de gestão fiscal, de periodicidade quadrimestral,
conterá comparativo com os limites de que trata a LRF do montante da despesa total com pessoal,
distinguindo a com inativos e pensionistas.29

Vale ressaltar que, de acordo com a CF/1988, a regra é que o subsídio e os vencimentos dos
ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis30, com algumas ressalvas
constitucionais, nas quais não se inclui a redução consensual dos respectivos vencimentos.
Ressalta-se que a CF/1988 veda a transferência voluntária de recursos e a concessão de
empréstimos, inclusive por antecipação de receita, pelos Governos Federal e Estaduais e suas
instituições financeiras, para pagamento de despesas com pessoal ativo, inativo e pensionista, dos
estados, do Distrito Federal e dos municípios.31

3.3.2 Limite de Alerta

Vamos agora falar dos limites de alerta, prudencial e ultrapassado.

28
Art. 22, caput, da LRF.
29
Art. 55, caput, I, a, da LRF.
30
Art. 37, XV, da CF/1988.
31
Art. 167, X, da CF/1988.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 22


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Compete aos Tribunais de Contas verificar os cálculos dos limites da despesa total com pessoal de
cada Poder e órgão e alertá-los quando constatarem que o montante da despesa total com pessoal
ultrapassar 90% do limite (limite de alerta).32

3.3.3 Limite Prudencial

Se a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite (limite prudencial), são vedados ao Poder
ou órgão que houver incorrido no excesso33:
 Concessão de vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer
título, salvo os derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual,
ressalvada a revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices.
 Criação de cargo, emprego ou função.
 Alteração de estrutura de carreira que implique aumento de despesa.
 Provimento de cargo público, admissão ou contratação de pessoal a qualquer título,
ressalvada a reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas
de educação, saúde e segurança.
 Contratação de hora extra, salvo no caso das situações previstas na lei de diretrizes
orçamentárias e no caso de convocação extraordinária do Congresso Nacional (relembro
que a Emenda Constitucional 50/2006 vedou o pagamento de parcela indenizatória em
razão de convocação do Congresso Nacional).

O limite de alerta ocorre quando os Tribunais de Contas constatam que o montante da despesa
total com pessoal ultrapassou 90% do limite, não havendo nenhuma sanção ou vedação, apenas
um alerta. Já o limite prudencial ocorre quando a despesa total com pessoal excede a 95% do
limite, incorrendo em diversas vedações para o Poder ou órgão que ultrapassar tal percentual.

32
Art. 59, § 1º, II, da LRF.
33
Art. 22, parágrafo único, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 23


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

3.3.4 Limite Ultrapassado

Se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão, ultrapassar os limites definidos (limite
ultrapassado), sem prejuízo das medidas previstas no limite prudencial (citadas acima), o
percentual excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos
um terço no primeiro, adotando-se, entre outras, as providências previstas nos §§ 3º e 4º do art.
169 da CF/198834 (veremos a seguir).
Continuando, para o cumprimento dos limites estabelecidos com base no que estudamos na LRF, a
União, os estados, o Distrito Federal e os municípios adotarão as seguintes providências (são os §§
3º e 4º do art. 169 da CF/1988):
 Redução em pelo menos 20% das despesas com cargos em comissão e funções de
confiança.
 Exoneração dos servidores não estáveis.
 Exoneração de servidor estável, desde que ato normativo motivado de cada um dos
Poderes especifique a atividade funcional, o órgão ou unidade administrativa objeto da
redução de pessoal (Lei federal disporá sobre as normas gerais a serem obedecidas na
efetivação desse dispositivo). O servidor que perder o cargo fará jus a indenização
correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço.

O cargo objeto da redução prevista nos parágrafos anteriores será considerado extinto, vedada a
criação de cargo, emprego ou função com atribuições iguais ou assemelhadas pelo prazo de quatro
anos.

34
Art. 23, caput, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 24


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Não alcançada a redução no prazo estabelecido, e enquanto perdurar o excesso, o ente não
poderá35:
 Receber transferências voluntárias, ressalvadas as destinadas à saúde, à educação e à
assistência social.
 Obter garantia, direta ou indireta, de outro ente.
 Contratar operações de crédito, ressalvadas as destinadas ao refinanciamento da dívida
mobiliária e as que visem à redução das despesas com pessoal.

35
Art. 23, § 3º c/c art. 25, § 3º, ambos da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 25


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

3.3.5 Exceções aos Prazos p/ Redução das Despesas com Pessoal

Estas são as exceções aos prazos do art. 23 da LRF para a redução das despesas com pessoal:

APLICAÇÃO IMEDIATA: as restrições são aplicadas imediatamente se a despesa total com pessoal
exceder o limite no primeiro quadrimestre do último ano do mandato dos titulares de Poder ou
órgão.36

SUSPENSÃO: na ocorrência de calamidade pública reconhecida pelo Congresso Nacional, no caso


da União, ou pelas Assembleias Legislativas, na hipótese dos estados e municípios; e em caso de
estado de defesa ou de sítio decretado na forma da constituição, enquanto perdurar a situação,
serão suspensas a contagem dos prazos e as disposições estabelecidas no artigo. 37

DUPLICAÇÃO: já em caso de crescimento real baixo ou negativo do Produto Interno Bruto (PIB)
nacional, regional ou estadual por período igual ou superior a quatro trimestres, os prazos do
artigo serão duplicados. Entende-se por baixo crescimento a taxa de variação real acumulada do
PIB inferior a 1%, no período correspondente aos quatro últimos trimestres. Nessa hipótese,
continuarão a ser adotadas as medidas previstas no limite prudencial (citadas em tópicos
anteriores). 38

36
Art. 23, § 4º, da LRF.
37
Art. 65, I e parágrafo único, da LRF.
38
Art. 66, caput e § 1º, da LRF

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 26


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

(CESPE Analista de Controle Externo - TCE/PE - 2017) Situação hipotética: No final do primeiro
quadrimestre de 2017, as despesas com pessoal do Poder Executivo do município AB estavam no
patamar de 52% de sua receita corrente líquida. Assertiva: Nessa situação, o município deverá reduzir o
excedente dessas despesas nos dois quadrimestres seguintes, sendo a redução de, no mínimo, um terço
no primeiro deles.

De acordo com o art. 23 da LRF, se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão referido no art. 20,
ultrapassar os limites definidos no mesmo artigo, sem prejuízo das medidas previstas no art. 22, o
percentual excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço
no primeiro.
Se as despesas com pessoal do Poder Executivo do Município estavam em 52% da RCL e o limite total é
54% da RCL, significa que o município não ultrapassou o seu limite. Na verdade, ele ultrapassou apenas o
limite prudencial (95% do limite de 54%, o que dá 51,3%), o que enseja diversas restrições, mas não a de
redução nos dois quadrimestres seguintes. Logo, não há percentual excedente para ser eliminado.
Resposta: Errada

(CESPE Procurador do Município de Fortaleza - 2017) De acordo com a LRF, é vedada a realização de
transferência voluntária ao ente federativo que exceder o limite da despesa total com pessoal no
primeiro quadrimestre do último ano do mandato do titular do Poder Executivo, mas não é vedada a
contratação de operação de crédito.

No art. 23 da LRF:
§ 3º Não alcançada a redução no prazo estabelecido, e enquanto perdurar o excesso, o ente não poderá:
I - receber transferências voluntárias;
II - obter garantia, direta ou indireta, de outro ente;
III - contratar operações de crédito, ressalvadas as destinadas ao refinanciamento da dívida mobiliária e as
que visem à redução das despesas com pessoal.
§ 4º As restrições do §3º aplicam-se imediatamente se a despesa total com pessoal exceder o limite no
primeiro quadrimestre do último ano do mandato dos titulares de Poder ou órgão referidos no art. 20.

Logo, é vedada a realização de transferência voluntária ao ente federativo que exceder o limite da despesa
total com pessoal no primeiro quadrimestre do último ano do mandato do titular do Poder Executivo, mas
também é vedada a contratação de operação de crédito.
Resposta: Errada

(CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) Sempre que verificar que as despesas de
pessoal de Poder Executivo estadual atingiram o limite prudencial 95% do limite máximo das despesas
com pessoal , o TCE deverá emitir alerta sobre esse fato, na forma da LRF.

Sempre que verificar que as despesas de pessoal de Poder Executivo estadual atingiram o limite de alerta
90% do limite máximo das despesas com pessoal , o respectivo tribunal de contas deverá emitir alerta
sobre esse fato, na forma da LRF.
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 27


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

(FCC Analista Legislativo ALE/SE 2018) Um determinado Estado apresenta Receita Corrente Líquida
de 1 bilhão de reais no último relatório divulgado pelo Poder Executivo, enquanto a despesa total com
pessoal do único Tribunal de Contas Estadual, para o mesmo período, foi de 5 milhões de reais,
mantendo percentual histórico. Uma comissão foi criada no âmbito da Assembleia Legislativa, tendo
apurado que, nos últimos 12 meses, houve execução de 6 milhões de reais com servidores efetivos, 16
milhões de reais com servidores de provimento em comissão e 6 milhões de reais com contratos de
terceirização de mão de obra referentes à substituição de servidores. Nesse caso, não há qualquer
impedimento à nomeação de servidores aprovados em concurso público já homologado.

Gastos com pessoal do Legislativo:


TCE = 5 milhões
Assembleia = 6MI + 16MI + 6MI = 28 Milhões
Total = 33 Milhões

O Limite de gastos do Poder Legislativo Estadual, incluindo o TCE, é de 3% da RCL = 3% de 1 bilhão = 30


milhões.

Logo, o limite de gastos com despesas de pessoal, no caso relatado, teria sido excedido em 3 milhões.
Assim, existe impedimento à nomeação de servidores. Se a despesa total com pessoal exceder a 95% do
limite (limite prudencial), são vedados ao Poder ou órgão que houver incorrido no excesso, entre outros,
provimento de cargo público, admissão ou contratação de pessoal a qualquer título, ressalvada a reposição
decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas de educação, saúde e segurança.
Resposta: Errada

(FCC Analista Judiciário TRE/SP - 2017) A despesa total com pessoal, de determinado órgão federal,
referente ao segundo quadrimestre de 2016, excedeu em R$ 70.000 o limite máximo estabelecido no
artigo 20 da Lei Complementar nº 101/2000. Considerando-se que o limite máximo da despesa total com
pessoal é de R$ 680.000, o limite prudencial, segundo a Lei Complementar nº 101/2000, corresponde, em
R$, a 646.000.

Limite prudencial = 95% do limite total = 95% de R$680.000


Limite prudencial = R$646.000.
Resposta: Certa

(FCC - Analista Judiciário TRF/3 2016) É vedado ao Poder que exceder a 90% do limite para a despesa
com pessoal a criação de cargo, emprego ou função.

É vedado ao Poder que exceder a 95% do limite para a despesa com pessoal a criação de cargo, emprego
ou função.
Resposta: Errada

(FCC - Analista Judiciário TRF/3 2016) A Lei Complementar nº 101/2000, no que se refere ao controle
da despesa com pessoal, estabelece que, em regra geral, é permitida a contratação de qualquer espécie
de operação de crédito, ainda que extrapolado 100% do limite para a despesa com pessoal e não tenha
ocorrido a recondução no prazo previsto em lei.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 28


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Em regra geral, não é permitida a contratação de operação de crédito quando extrapolado o 100% do
limite para a despesa com pessoal e não tenha ocorrido a recondução no prazo previsto em lei. As
exceções são as operações de crédito destinadas ao refinanciamento da dívida mobiliária e as que visem à
redução das despesas com pessoal.
Resposta: Errada

(FGV Analista Legislativo Câmara Municipal de Salvador 2018) O Município de Pinhas, ao elaborar o
Demonstrativo da Despesa com Pessoal referente ao 1º quadrimestre de 2017, previsto na Lei de
Responsabilidade Fiscal, inesperadamente descobriu que ultrapassou os 95% do limite definido no Art.
20 da LRF. Diante dessa situação, o Município ficou vedado de realizar provimento de cargo público,
ressalvada a reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas de
educação, saúde e segurança.

Se ultrapassado 95% do limite, fica vedado o provimento de cargo público, ressalvada a reposição
decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas de educação, saúde e segurança.
Resposta: Certa

(FGV Analista Legislativo Câmara Municipal de Salvador 2018) Em um ente municipal, ao final do 2º
trimestre de um exercício, a despesa total com pessoal atingiu o montante de R$ 3.900.733.200,00,
sendo que o limite máximo admitido era de R$ 3.714.984.000,00. De acordo com as disposições da LRF,
no quadrimestre seguinte essa despesa deverá ser reduzida em pelo menos R$ 46.437.300,00.

O gasto total com pessoal ultrapassou o limite máximo em 3.900.733.200 3.714.984.000 = 185.749.200.

Segundo o art. 23 da LRF se a despesa total com pessoal ultrapassar os limites, o percentual excedente
deve ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço no primeiro.
Assim, 1/3 de 185.749.200 = 61.916.400,00
Resposta: Errada

(FGV Analista Legislativo Câmara Municipal de Salvador 2018) Os dados a seguir foram extraídos do
Relatório de Gestão Fiscal Consolidado de um município referente ao exercício de 2016.

A partir da análise dos dados e à luz das regras fiscais aplicáveis, é correto afirmar que o Poder
Legislativo ultrapassou apenas o limite prudencial.

Vamos calcular para os dois Poderes para melhor fixação do conteúdo.


O limite total dos municípios é de 60% em relação à RCL.
Os limites por Poder dos Municípios em relação à RCL:
a) 6% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Município, quando houver.
b) 54% para o Executivo.
Limite Máximo de Despesa com Pessoal (Executivo).

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 29


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

5.292.000.000 x 54% = 2.857.680.000


Limite Máximo de Despesa com Pessoal (Legislativo).
5.292.000.000 x 6% = 317.520.000
O Poder Legislativo ultrapassou o limite máximo de despesa com pessoal (logo, ultrapassou todos os
demais limites).

Para a fixação do conteúdo:


Limite Prudencial (95% do Limite Máximo)
Executivo: 2.857.680.000 x 95% = 2.714.796.000
Legislativo: 317.520.000 x 95% = 301.644.000
O Poder Legislativo ultrapassou o limite prudencial.

Logo, o Poder Legislativo ultrapassou o limite máximo de despesa com pessoal e não apenas o limite
prudencial.
Resposta: Errada

3.4 DESPESAS COM A SEGURIDADE SOCIAL

Nenhum benefício ou serviço relativo à Seguridade Social poderá ser criado, majorado ou
estendido sem a indicação da fonte de custeio total, atendidas ainda as exigências do art. 17, o
qual trata das despesas obrigatórias de caráter continuado.39

Nenhum benefício ou serviço relativo à Seguridade Social poderá ser criado, majorado ou
estendido sem a indicação da fonte de custeio total.

A Seguridade Social compreende o benefício ou serviço de saúde, previdência e assistência social,


inclusive os destinados aos servidores públicos e militares, ativos e inativos, e aos pensionistas. 40
No entanto, é dispensada da compensação por aumento permanente de receita ou pela redução
permanente de outras despesas se o aumento de despesa decorrer de:41

I – concessão de benefício a quem satisfaça as condições de habilitação prevista na legislação


pertinente;
II – expansão quantitativa do atendimento e dos serviços prestados;
III – reajustamento de valor do benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real.

39
Art. 24, caput, da LRF.
40
Art. 24, § 2º, da LRF.
41
Art. 24, § 1º, da LRF.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 30


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

É dispensado da compensação referida no art. 17 (dentre outros, o aumento permanente de


receita e a redução permanente de despesa) o aumento de despesa decorrente de reajustamento
de valor do benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real (art. 24, § 1º, III, da LRF).

(CESPE TFCE TCU 2012) O reajustamento do valor de benefício da seguridade social, a fim de
preservar o seu valor real, deve apresentar a origem dos recursos para o seu custeio e os seus efeitos
financeiros nos períodos seguintes, que devem ser compensados pelo aumento permanente de receita e
pela redução permanente de despesa da previdência.

É dispensado da compensação referida no art. 17 (dentre outros, o aumento permanente de receita e a


redução permanente de despesa) o aumento de despesa decorrente de reajustamento de valor do
benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real (art. 24, § 1º, III, da LRF).
Resposta: Errada

(CESPE Especialista FNDE 2012) Por constituírem despesa de natureza social, os benefícios relativos
a seguridade social podem ser criados sem a identificação da respectiva fonte de custeio.

De acordo com o art. 24 da LRF, nenhum benefício ou serviço relativo à Seguridade Social poderá ser
criado, majorado ou estendido sem a indicação da fonte de custeio total, atendidas ainda as exigências do
art. 17, o qual trata das despesas obrigatórias de caráter continuado.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 31


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Resposta: Errada

(FUNRIO Diversos Cargos de Nível Superior INSS 2014) O Art. 24 da Lei Complementar N° 101, de 4
àM à à à à à à à à à à à à à à à
criado, majorado ou estendido sem a indicação da fonte de custeio total, nos termos do § 5° do art. 195
da Constituição, atendidas as exigências do art. 17, da mesma Lei, que trata das despesas obrigatórias e
à à“ à à à à à à à à à à à à à de
despesas decorrentes de concessão de benefício a quem satisfaça as condições de habilitação prevista na
legislação pertinente.

É dispensada da compensação por aumento permanente de receita ou pela redução permanente de outras
despesas se o aumento de despesa decorrer de concessão de benefício a quem satisfaça as condições de
habilitação prevista na legislação pertinente, entre outros.
Resposta: Certa

(FCC Procurador de Contas - TCE/SP 2011) As regras sobre a seguridade social previstas na Lei de
Responsabilidade Fiscal são aplicadas a benefícios ou serviços de saúde, previdência e assistência social,
excluindo-se os destinados aos servidores públicos e militares, ativos e inativos, e aos pensionistas.

As regras sobre a seguridade social previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal são aplicadas a benefícios ou
serviços de saúde, previdência e assistência social, inclusive os destinados aos servidores públicos e
militares, ativos e inativos, e aos pensionistas (art. 24, § 2°).
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 32


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

4. MEMENTO LRF: DESPESA PÚBLICA

GERAÇÃO DE DESPESA

Serão consideradas não autorizadas, irregulares e lesivas ao patrimônio público a geração de despesa
ou assunção de obrigação que não atendam o disposto nos arts. 16 e 17 da LRF.

A CRIAÇÃO, EXPANSÃO OU APERFEIÇOAMENTO DE AÇÃO GOVERNAMENTAL QUE ACARRETE


AUMENTO DA DESPESA SERÁ ACOMPANHADO DE:

I estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos


dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e
financeira com a LOA e compatibilidade com o PPA e com a LDO.

DESPESA ADEQUADA COM A LOA E COMPATÍVEL COM PPA E LDO

DESPESA ADEQUADA COM A LOA: a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja
abrangida por crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da mesma espécie,
realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados os limites
estabelecidos para o exercício.

DESPESA COMPATÍVEL COM PPA E LDO: a despesa que se conforme com as diretrizes, objetivos,
prioridades e metas previstos nesses instrumentos e não infrinja qualquer de suas disposições.

DESPESA OBRIGATÓRIA DE CARÁTER CONTINUADO

São as despesas correntes derivadas de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que
fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

São exigências para criação ou aumento das despesas obrigatórias de caráter continuado:
 Atos que criarem as despesas ou as aumentarem deverão ser instruídos com estimativas do
impacto orçamentário-financeiro, no exercício que deva entrar em vigor e nos dois
subsequentes;
 Demonstração da origem dos recursos para seu custeio;
 Comprovação de que a criação ou o aumento da despesa não afetará as metas de resultados
fiscais previstas no anexo de metas fiscais da LDO;
 Compensação dos seus efeitos financeiros, nos períodos seguintes, pelo aumento
permanente de receita ou pela redução permanente de despesa.

Não será executada antes da implementação das medidas referidas, as quais integrarão o
instrumento que a criar ou aumentar.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 33


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

As destinadas ao serviço da dívida e ao reajustamento de remuneração de pessoal de que trata o


inciso X do art. 37 da CF/1988 estão excluídas dessas regras.

Considera-se aumento permanente de receita o proveniente da elevação de alíquotas, ampliação da


base de cálculo, majoração ou criação de tributo ou contribuição. Já a prorrogação de despesa criada
por prazo determinado considera-se aumento da despesa.

DESPESAS COM PESSOAL

É o somatório dos gastos do ente da Federação com os ativos, os inativos e os pensionistas, relativos
a mandatos eletivos, cargos, funções ou empregos, civis, militares e de membros de Poder, com
quaisquer espécies remuneratórias, tais como vencimentos e vantagens, fixas e variáveis, subsídios,
proventos da aposentadoria, reformas e pensões, inclusive adicionais, gratificações, horas extras e
vantagens pessoais de qualquer natureza, bem como encargos sociais e contribuições recolhidas pelo
ente às entidades de previdência.

LIMITES DAS DESPESAS COM PESSOAL EM RELAÇÃO À RCL

UNIÃO ESTADOS MUNICÍPIOS

50% 60% 60%

LIMITES GLOBAIS POR ESFERAS

FEDERAL ESTADUAL MUNICIPAL

Legislativo (TCU): 2,5% Legislativo (TCE): 3%


Legislativo (TCM): 6%
Judiciário: 6% Judiciário: 6%

Executivo: 40,9% Executivo: 49%


Executivo: 54%
MPU: 0,6% MPE: 2%

Nos Estados em que há TC DOS MUNICÍPIOS, os limites serão:


Legislativo = 3,4% e Executivo = 48,6%.

A verificação do cumprimento dos limites será ao final de cada quadrimestre.

LIMITE DE ALERTA: compete aos Tribunais de Contas verificar os cálculos dos limites da despesa total
com pessoal de cada Poder e órgão e alertá-los quando constatarem que o montante da despesa total
com pessoal ultrapassar 90% do limite.

LIMITE PRUDENCIAL: Se a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite, são vedados ao Poder
ou órgão que incorrer no excesso:

Concessão de vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer título, salvo

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 34


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

os derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual, ressalvada a revisão geral


anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices;

Criação de cargo, emprego ou função;

Alteração de estrutura de carreira que implique aumento de despesa;

Provimento de cargo público, admissão ou contratação de pessoal a qualquer título, ressalvada a


reposição de aposentadoria ou falecimento de servidores das áreas de educação, saúde e segurança;

Contratação de hora extra, salvo no caso das situações previstas na LDOs e no caso de convocação
extraordinária do Congresso Nacional (a EC 50/2006 vedou o pagamento de parcela indenizatória em
razão de convocação do Congresso Nacional).

LIMITE ULTRAPASSADO: se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão, ultrapassar os limites
definidos, sem prejuízo das medidas previstas no limite prudencial (citadas acima), o percentual
excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço no
primeiro, adotando-se, entre outras, as providências previstas nos §§ 3º e 4º do art. 169 da CF/1988:

Redução em pelo menos 20% das despesas com cargos em comissão e funções de confiança.

Exoneração dos servidores não estáveis.

Exoneração de servidor estável, desde que ato normativo motivado de cada um dos Poderes
especifique a atividade funcional, o órgão ou unidade administrativa objeto da redução de pessoal. O
servidor que perder o cargo fará jus a indenização correspondente a um mês de remuneração por
ano de serviço.

A concessão de qualquer vantagem ou aumento de remuneração, a criação de cargos, empregos e


funções ou alteração de estrutura de carreiras, bem como a admissão ou contratação de pessoal, a
qualquer título, pelos órgãos e entidades da administração direta ou indireta, inclusive fundações
instituídas e mantidas pelo poder público, só poderão ser feitas se houver:

Prévia dotação orçamentária suficiente para atender às projeções de despesa de pessoal e aos
acréscimos dela decorrentes;

Autorização específica na LDO, ressalvadas as empresas públicas e as sociedades de economia mista.

SEGURIDADE SOCIAL

A Seguridade Social compreende o benefício ou serviço de saúde, previdência e assistência social,


inclusive os destinados aos servidores públicos e militares, ativos e inativos, e aos pensionistas.

Nenhum benefício ou serviço relativo à seguridade social poderá ser criado, majorado ou estendido
sem a indicação da fonte de custeio total, atendidas ainda as exigências do art. 17 da LRF, o qual
trata das despesas obrigatórias de caráter continuado.

No entanto, é dispensada da compensação por aumento permanente de receita ou pela redução

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 35


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

permanente de outras despesas se o aumento de despesa decorrer de:

Concessão de benefício a quem satisfaça as condições de habilitação prevista na legislação


pertinente;

Expansão quantitativa do atendimento e dos serviços prestados;

Reajustamento de valor do benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 36


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 37


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

5. LISTA DE QUESTÕES DESAFIO AFO

Segue a lista de questões para testar seus conhecimentos agregados no decorrer da aula. No próximo
título estarão as questões com comentários do professor.

Dica: para potencializar seus estudos e memorização indicamos que resolva os exercícios anotando seu
gabarito a fim de que no momento da repetição você consiga visualizar seus pontos falhos na matéria e
reforça-los. O ideal é criar um calendário para refazer os exercícios periodicamente. Por exemplo: você
estuda a aula e resolve os exercícios, verifica o gabarito os pontos que errou, acertou ou teve dúvidas e,
a seguir as questões comentadas para entender os motivos de acertos e erros ou esclarecer as dúvidas.
No decorrer de algumas semanas repita as questões e compare ao final, seus erros e acertos com a
primeira vez que resolveu as questões. Assim saberá quais itens do conteúdo você realmente apreendeu
e quais serão necessários revisar de uma forma mais aprofundada. E depois de alguns dias repita
novamente. Você poderá utilizar os mementos para auxiliá-lo nas revisões e complementá-lo conforme
suas necessidades.
Bora praticar!

Gabarito prontinho para Desafio. Boa Sorte! Rumo ao seu sonho!

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 38


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

DATA:
Questões Gabarito Dúvida Questões Gabarito Dúvida Questões Gabarito Dúvida Questões Gabarito Dúvida

01 26 51 76
02 27 52 77
03 28 53 78
04 29 54 79
05 30 55 80
06 31 56 81
07 32 57 82
08 33 58 83
09 34 59 84
10 35 60 85
11 36 61 86
12 37 62 87
13 38 63 88
14 39 64 89
15 40 65 90
16 41 66 91
17 42 67 92
18 43 68 93
19 44 69 94
20 45 70 95
21 46 71 96
22 47 72 97
23 48 73 98
24 49 74 99
25 50 75 100

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 39


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

GERAÇÃO DE DESPESA E
DESPESA OBRIGATÓRIA DE CARÁTER CONTINUADO

1) (CESPE Analista Judiciário Administrativa - TRE/PE - 2017) A proposta de aperfeiçoamento da


ação governamental dispensa a elaboração de estimativa de impacto financeiro, mas exige a estimativa de
impacto orçamentário.

2) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) As despesas públicas, correntes ou de


capital, que ultrapassem o exercício financeiro subsequente, serão consideradas como obrigatórias de
caráter continuado.

3) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) A Despesa obrigatória de caráter


continuado corresponde a despesa de capital cuja execução extrapola o exercício.

4) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) O ordenador de despesa deve


apresentar a estimativa de impacto orçamentário-financeiro para o exercício seguinte sempre que uma
ação governamental representar o aumento de despesa pública e, sendo possível, o impacto para o
exercício posterior.

5) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo TCE/SC 2016) Se determinado órgão público assinar
contrato que crie obrigação legal para o ente público por período superior a dois exercícios financeiros, os
efeitos financeiros da medida poderão ser compensados pela redução permanente da despesa
orçamentária.

6) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo Direito - TCE/SC 2016) Para licitar serviços, é
imperioso que o ordenador de despesas do órgão licitante declare que os gastos atrelados ao futuro
contrato estarão adequados à lei de orçamento e compatíveis com o plano plurianual e com a lei de
diretrizes orçamentárias.

7) (CESPE Analista Judiciário Administrativo - TRE/GO 2015) Considere a seguinte situação


hipotética. Determinada administração propôs, no projeto de lei do orçamento anual, aumento anual do
salário pago a seus servidores, em caráter geral e uniforme, a partir do exercício subsequente, mas não
encaminhou, com a proposta, estimativa específica do impacto orçamentário-financeiro que esse aumento
pode provocar. Nessa situação, a matéria pode ser aprovada por não ferir a LRF.

8) (CESPE Técnico da Administração Pública TCDF 2014) Suponha que determinado órgão público
pretenda estender programa de capacitação de produtores agropecuários para alcançar um público maior
que os atuais beneficiários. Nessa situação, a expansão pretendida somente poderá ser realizada se o
ordenador de despesa declarar formalmente que o objeto de dotação específica é suficiente, ou que está
abrangido por crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da mesma espécie, realizadas e
a realizar, previstas no programa de trabalho, não se ultrapassem os limites estabelecidos para o exercício.

9) (CESPE Analista Administrativo ANTAQ 2014) Com base nas disposições da Lei de
Responsabilidade Fiscal (LRF), o reajuste na remuneração de servidores públicos federais somente poderá
ser concedido se o ato de concessão vier acompanhado da comprovação de que a despesa aumentada não
afetará as metas de resultados fiscais.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 40


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

10) (CESPE Analista Finanças e Controle - MPU 2013) O PPA não é considerado instrumento
impeditivo do aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa, desde que o
ordenador da despesa declare que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com a lei
orçamentária anual.

11) (CESPE Auditor de Controle Externo Direito - TCE/RO 2013) Aumento de despesa considerado
relevante pela lei de diretrizes orçamentárias, como a realização de licitação para a aquisição de bens de
alto valor, deve ser acompanhado de demonstração do impacto-financeiro no orçamento em vigor e nos
dois subsequentes, não sendo necessária a declaração de responsabilidade por parte do ordenador de
despesa sobre compatibilidade e adequação.

12) (CESPE Auditor de Controle Externo Direito - TCE/RO 2013) Despesa obrigatória de caráter
continuado é a despesa corrente oriunda de lei, de medida provisória ou de ato administrativo normativo
que fixe para o ente estatal a obrigação legal de executá-la por um período superior a dois exercícios.

13) (CESPE - Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Propriedade Industrial Gestão


Financeira - INPI 2013) Os efeitos financeiros dos atos que criam as despesas obrigatórias de caráter
continuado devem ser compensados, nos períodos seguintes, pelo aumento permanente de receita ou pela
redução permanente de despesa.

14) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) Somente no caso de despesa obrigatória
de caráter continuado, é facultada a declaração do ordenador da despesa decorrente de ação
governamental que acarrete aumento de despesa de que o aumento é orçamentária e financeiramente
adequado em relação à lei orçamentária anual e compatível com o plano plurianual e a lei de diretrizes
orçamentárias (LDO).

15) (CESPE Analista Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) O ordenador de despesas de um


órgão público assinou contrato decorrente de licitação, cujo objeto constituía os serviços de terceirização
de mão de obra para a manutenção técnica de computadores. A vigência do contrato era de doze meses e
a previsão de pagamento de prestações fixas era mensal. Com base nessa situação hipotética, julgue o item
seguinte: A despesa decorrente do contrato deve ser considerada despesa obrigatória de caráter
continuado.

16) (CESPE - Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Propriedade Industrial Gestão


Financeira - INPI 2013) Os investimentos constantes do PPA são considerados despesas obrigatórias de
caráter continuado.

17) (CESPE Técnico FNDE 2012) É obrigatória e de caráter continuado a despesa corrente cuja
obrigação de execução, legalmente regulamentada, supere dois exercícios.

18) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) Não se obriga a apresentação, por parte do gestor público, da
estimativa do impacto orçamentário-financeiro de aumento de despesas, no exercício em que esse
aumento entrar em vigor e nos dois subsequentes, quando esse aumento for considerado irrelevante.

19) (CESPE - Analista Judiciário - Contabilidade - TRE/ES 2011) Despesa pública com prazo certo para
ser interrompida não pode ser considerada despesa obrigatória de caráter continuado, ainda que tenha de
ser executada em mais de um exercício financeiro.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 41


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

20) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Considera-se obrigatória e de caráter
continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que
fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

21) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) No caso de um ente da federação sancionar lei que permita que
uma despesa corrente possua período de execução superior a dois exercícios, essa despesa será
classificada como obrigatória de caráter continuado.

22) (CESPE Procurador ALES 2011) Para fins da LRF, considera-se adequada com a LOA somente a
despesa pública objeto de dotação específica e suficiente para a sua realização.

23) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Se uma lei municipal determinar, por exemplo, a
construção de um hospital público por período superior a dois exercícios financeiros, então as despesas
correspondentes a essa obra devem ser consideradas obrigatórias de caráter continuado.
==34bd==

24) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Entre outras determinações, a LDO estabelece
limites e condições para a expansão das despesas obrigatórias de caráter continuado.

25) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) De acordo com a LRF, a contratação de serviços, por
meio de licitação, que acarrete aumento de despesa deve vir precedida de demonstrativo da estimativa do
impacto orçamentário financeiro apenas do exercício em que deva entrar em vigor a referida despesa, bem
como da declaração de responsabilidade do ordenador de despesa.

26) (CESPE - Analista de Economia - MPU - 2010) Despesa obrigatória de caráter continuado é aquela
derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixe para o ente a obrigação legal
de sua execução por um período superior a dois exercícios e para a qual não haja a necessidade de
demonstração da origem dos recursos envolvidos em seu custeio.

27) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) Considera-se obrigatória de caráter continuado a
despesa corrente derivada de lei, de medida provisória ou de ato administrativo normativo que fixe para o
ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

28) (CESPE Oficial Técnico de Inteligência Administração - ABIN 2010) Caso acarrete aumento de
despesa, uma proposta de reestruturação de órgão público deve ser encaminhada ao Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão, juntamente com a documentação necessária a sua aprovação e com a
estimativa de seu impacto orçamentário-financeiro, que deve conter as premissas e memória de cálculo
utilizadas, bem como o quantitativo de cargos ou funções a serem criados ou providos.

29) (CESPE Analista Finanças e Contabilidade - FINEP - 2009) Os municípios com população inferior a
cinquenta mil habitantes podem usufruir de regras especiais de aplicação das determinações constantes na
LRF, entre as quais inclui-se a dispensa da estimativa de impacto orçamentário no caso de criação de
despesa obrigatória de caráter continuado.

30) (CESPE Advogado da União 2009) A revisão geral anual da de que, para o aumento da despesa,
seja demonstrada a origem dos recursos para seu custeio.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 42


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

31) (CESPE Advogado da União 2009) A ação governamental que cria despesa por lei pode, a
qualquer tempo, ser executada, antes mesmo de ser compensada com o acréscimo da receita naquele
exercício, quando não devidamente prevista na lei orçamentária.

32) (CESPE Advogado da União 2009) É condição prévia para empenho e licitação de serviços criados
por ação governamental nova, a declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação
orçamentária e financeira com todos os tipos de orçamentos.

33) (CESPE Analista Administrativo ANTAQ 2009) Além de estabelecer regras para a realização das
chamadas despesas obrigatórias de caráter continuado, a LRF atribuiu às leis de diretrizes orçamentárias a
competência para definir limites e condições para a expansão dessas despesas.

DESPESAS COM PESSOAL

34) (CESPE Analista de Gestão - Administração - TCE/PE - 2017) Gastos com passagens e despesas com
locomoção para fins de fiscalização de obra pública em andamento são despesas correntes do grupo
pessoal e encargos sociais, sujeitas aos limites estabelecidos na LRF.

35) (CESPE Analista de Controle Externo - Contas Públicas - TCE/PE - 2017) Situação hipotética: No
final do primeiro quadrimestre de 2017, as despesas com pessoal do Poder Executivo do município AB
estavam no patamar de 52% de sua receita corrente líquida. Assertiva: Nessa situação, o município deverá
reduzir o excedente dessas despesas nos dois quadrimestres seguintes, sendo a redução de, no
mínimo, um terço no primeiro deles.

36) (CESPE Analista de Gestão Julgamento TCE/PE 2017) Gastos com pessoal e encargos sociais
das fundações públicas federais estão incluídos no limite de despesas de pessoal aplicável à União.

37) (CESPE Procurador do Município de Fortaleza - 2017) De acordo com a LRF, é vedada a realização
de transferência voluntária ao ente federativo que exceder o limite da despesa total com pessoal no
primeiro quadrimestre do último ano do mandato do titular do Poder Executivo, mas não é vedada a
contratação de operação de crédito.

38) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) No âmbito da União, despesa relativa a
demissão voluntária é computada no limite de despesa total com pessoal.

39) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo TCE/SC 2016) Os contratos de terceirização de mão
de obra integram o limite de despesas de pessoal, independentemente do tipo de serviço que estiver
sendo terceirizado.

40) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) No estabelecimento dos percentuais
máximos da receita corrente líquida a serem gastos na despesa com pessoal, a LRF retira do cômputo da
classificação os valores destinados ao pagamento de contribuição previdenciária.

41) (CESPE Agente Administrativo - DPU 2016) A CF não estabelece limite de despesas com pessoal
ativo e inativo.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 43


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

42) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) Sempre que verificar que as despesas
de pessoal de Poder Executivo estadual atingiram o limite prudencial 95% do limite máximo das
despesas com pessoal , o TCE deverá emitir alerta sobre esse fato, na forma da LRF.

43) (CESPE Analista Finanças e Controle - MPU 2015) Em função da autonomia dos poderes, o
Poder Executivo não poderá fixar limites de gastos com pessoal do Poder Judiciário.

44) (CESPE Auditor Governamental CGE/PI - 2015) A despesa com pessoal, classificada como
despesa de custeio, limita-se ao percentual de 50% da receita corrente líquida em cada estado da
Federação, apurado segundo o regime de competência.

45) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de Responsabilidade
Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados em percentuais da
receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de despesa de pessoal
são as indenizações por demissão voluntária de servidores e empregados.

46) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de Responsabilidade
Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados em percentuais da
receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de despesa de pessoal é
o pagamento de aposentadorias custeadas por recursos de arrecadação de contribuições dos segurados.

47) (CESPE Consultor de Orçamentos Câmara dos Deputados 2014) As despesas de indenização
por demissão de empregados não são computadas no limite de despesa total com pessoal definido em lei.

48) (CESPE Analista Técnico-Administrativo - SUFRAMA 2014) É nulo de pleno direito o ato de que
resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta dias anteriores ao final do mandato
do titular do respectivo poder ou órgão.

49) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de Responsabilidade
Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados em percentuais da
receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de despesa de pessoal
são os contratos de terceirização de mão de obra em substituição a servidores e empregados.

50) (CESPE Administrador Polícia Federal 2014) As despesas decorrentes do programa de incentivo
à demissão voluntária de determinado órgão público estão excluídas do limite de despesas de pessoal do
referido órgão.

51) (CESPE Analista Administrativo Administrativa - ANTT 2013) Eventuais indenizações por
demissão de servidor ou incentivos relativos à demissão voluntária devem ser computados, para efeitos da
LRF, no cálculo dos limites com gastos de pessoal.

52) (CESPE Analista Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) O ordenador de despesas de um


órgão público assinou contrato decorrente de licitação, cujo objeto constituía os serviços de terceirização
de mão de obra para a manutenção técnica de computadores. A vigência do contrato era de doze meses e
a previsão de pagamento de prestações fixas era mensal. Com base nessa situação hipotética, julgue o item
seguinte: os valores correspondentes ao contrato devem ser contabilizados como outras despesas de

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 44


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

pessoal e integrarão o limite de despesas de pessoal e encargos sociais previsto na Lei de Responsabilidade
Fiscal.

53) (CESPE Analista Judiciário Administrativa CNJ - 2013) Considere que uma prefeitura tenha
iniciado programa de demissão voluntária para não ultrapassar os limites com gastos com pessoal
definidos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Nessa situação, os gastos com o programa deverão
compor a base de cálculo da despesa total com pessoal, o que diminui a eficácia da iniciativa para resolver
o problema, uma vez que serão afetados os limites de gastos impostos pela LRF.

54) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/10 Prova cancelada - 2013) É estabelecido pela
LRF que na esfera estadual, o limite para despesa com pessoal do Poder Judiciário será de 3% sobre a
receita corrente arrecadada no período determinado para o controle.

55) (CESPE Técnico Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) Na União, nos estados, no Distrito
Federal e nos municípios, a Lei de Diretrizes Orçamentárias estabelece parâmetros com vistas à fixação, no
projeto de Lei Orçamentária, dos montantes relativos a despesas com pessoal e a outras despesas
correntes.

56) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) É nulo de pleno direito o ato que resulte
em aumento de despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta dias imediatamente anteriores ao do
final do mandato do titular de órgão do Poder Executivo.

57) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) O não recebimento de transferências
voluntárias é penalidade a que está sujeito o órgão ou poder que, tendo excedido o limite de gasto com
pessoal, não reduza o percentual excedente do limite de despesa com pessoal.

58) (CESPE Analista Administrativo Contábeis - ANTT 2013) O servidor estável que perder o cargo
em razão do cumprimento dos limites de despesa com pessoal da União fará jus à indenização
correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço.

59) (CESPE Contador - TJ/RR 2012) Será considerado nulo o ato que provocar aumento da despesa
com pessoal e não atender ao limite legal de comprometimento aplicado às despesas com pessoal inativo.

60) (CESPE TFCE TCU 2012) O reajustamento do valor de benefício da seguridade social, a fim de
preservar o seu valor real, deve apresentar a origem dos recursos para o seu custeio e os seus efeitos
financeiros nos períodos seguintes, que devem ser compensados pelo aumento permanente de receita e
pela redução permanente de despesa da previdência.

61) (CESPE Especialista FNDE 2012) Por constituírem despesa de natureza social, os benefícios
relativos a seguridade social podem ser criados sem a identificação da respectiva fonte de custeio.

62) (CESPE Auditor Substituto de Conselheiro TCE/ES 2012) É dispensada a compensação para o
aumento de despesa, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, se o reajuste do valor do benefício da
seguridade social destinar-se a preservar seu valor real.

63) (CESPE Especialista FNDE 2012) De acordo com determinação constitucional, a despesa da
União, dos estados, dos municípios e do Distrito Federal com pessoal ativo e inativo não pode ultrapassar

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 45


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

limite fixado em lei complementar, encontrando-se, entre as providencias autorizadas para o controle da
despesa que eventualmente extrapolar esse limite, a redução de despesas com cargos em comissão e
funções de confiança e a exoneração de servidores não estáveis, vedada a exoneração daqueles que já
tiverem alcançado a estabilidade.

64) (CESPE - Analista em Ciência e Tecnologia Contabilidade CAPES - 2012) A LRF determina que as
despesas relativas aos incentivos à demissão voluntária sejam computadas no cálculo do limite da despesa
total com pessoal da União, dos estados e dos municípios.

65) (CESPE Especialista FNDE 2012) A apuração da despesa total com pessoal deve ser realizada
mediante o regime de caixa.

66) (CESPE Administrador - TJ/RR 2012) Na programação e execução orçamentária e financeira de


gastos orçamentários com pessoal, o Poder Judiciário estadual deverá respeitar o teto máximo de 6% da
receita corrente líquida do orçamento do Estado.

67) (CESPE Técnico FNDE 2012) A despesa total com pessoal dos Executivos municipais limita-se a
metade da receita corrente liquida.

68) (CESPE Auditor Substituto de Conselheiro TCE/ES 2012) Conforme a LRF, a despesa total com
pessoal, em cada período de apuração e em cada ente da Federação, não poderá exceder 50% e 60% da
receita corrente líquida, respectivamente, para a União e para os estados e municípios. Na verificação do
atendimento desses limites, não se computam as despesas com inativos, ainda que por intermédio de
fundo específico, custeadas por recursos provenientes da arrecadação de contribuições dos segurados.

69) (CESPE TFCE TCU 2012) A apuração de gastos com pessoal será feita com base em um período
de 12 meses. Assim, as demonstrações de limites com despesas de pessoal do primeiro e do segundo
quadrimestres somarão despesas com pessoal relativas a dois exercícios financeiros.

70) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Se, com o objetivo de aumentar a despesa de
pessoal, determinado prefeito municipal assinar um decreto no mês de junho do ano de conclusão de seu
mandato, tal ato deve ser considerado regular, de acordo com o que dispõe a LRF.

71) (CESPE Procurador ALES 2011) Os gastos com pessoal da administração pública dizem respeito
ao próprio estado moderno. Sem eles inexiste gestão pública, e sua magnitude e complexidade exigem do
legislador permanente atenção e prevenção, tal sua histórica dificuldade de controle. Para tanto, a CF e a
LRF estabelecem limite prudencial para despesa total com pessoal em 95% do limite total fixado na LRF,
obrigando o tribunal de contas a suspender aumentos com pessoal dos poderes ou órgãos
correspondentes quando esse limite for ultrapassado.

72) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Considera-se nulo o ato de prefeito que
reajustar o vencimento dos servidores municipais em 25%, resultando em aumento de despesa com
pessoal, no penúltimo mês de seu mandato.

73) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Para efeito da apuração do limite máximo previsto
pela LRF, o décimo terceiro salário devido aos servidores públicos deve entrar no cômputo do total de

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 46


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

despesas de pessoal do exercício a que se refira, ainda que o pagamento seja efetuado, por exemplo,
somente no mês de fevereiro.

74) (CESPE Procurador ALES 2011) Os gastos com pessoal da administração pública dizem respeito
ao próprio estado moderno. Sem eles inexiste gestão pública, e sua magnitude e complexidade exigem do
legislador permanente atenção e prevenção, tal sua histórica dificuldade de controle. Para tanto, a CF e a
LRF fixam o limite legal de comprometimento às despesas com pessoal inativo equivalente ao pessoal
ativo.

75) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) A despesa total com pessoal, para os efeitos da LRF, será
apurada somando-se a despesa realizada no mês em referência com as despesas dos doze meses
imediatamente anteriores, adotando-se o regime de caixa.

76) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) Considerando-se que, em determinado município brasileiro, a
despesa pública com pessoal corresponda a 55% da receita corrente líquida, é correto afirmar que essa
despesa ultrapassa o limite previsto na LRF.

77) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Para realização de despesa com o
pessoal, o Poder Legislativo do Distrito Federal deve observar o limite estabelecido na Lei de
Responsabilidade Fiscal para o legislativo da esfera municipal.

78) (CESPE AUFC TCU 2011) Os parâmetros para os poderes e órgãos destinados a orientar a
fixação dos montantes relativos a despesas com pessoal devem incluir os serviços de terceiros.

79) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) Os valores gastos com serviços prestados por
empresas contratadas para a terceirização de mão de obra e que se refiram à substituição de servidores e
empregados públicos devem ser contabilizados como despesas de capital.

80) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) No Distrito Federal (DF), o controle para a verificação
do cumprimento do limite da despesa total com pessoal deve ser realizado ao final de cada quadrimestre.

81) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Embora a admissão ou a contratação de pessoal
a qualquer título possa ser proibida antes que o órgão público atinja o limite de despesas de pessoal, a
exoneração de servidores não estáveis por excesso de despesa somente é possível depois que esse limite
for ultrapassado.

82) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) Caso a despesa total com pessoal exceda a 95% do
limite imposto na LRF, é vedado ao poder público o provimento de cargo público, com exceção da
reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidor público.

83) (CESPE - Administrador - Ministério da Previdência Social - 2010) Combinando-se as disposições


constitucionais com as da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), constata-se que mesmo os servidores
estáveis podem perder seus cargos, na hipótese de as despesas de pessoal ultrapassarem determinados
limites, o que, entretanto, poderia ser evitado no caso de redução consensual dos respectivos
vencimentos.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 47


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

84) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) As despesas relativas às pensões, por não
constituírem gastos com servidores inativos, não fazem parte da limitação de despesas de pessoal prevista
na LRF.

85) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Se determinado órgão público for obrigado a
pagar a seus servidores vantagens ou indenizações decorrentes de decisões judiciais, então ele deve,
obrigatoriamente, excluir esses valores no cálculo de sua despesa total com pessoal para efeito da
aplicação do limite imposto pela LRF.

86) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) A despesa total com pessoal da União não deve
ultrapassar a 50% da sua receita corrente líquida.

87) (CESPE - TFCE - TCU - 2009) Se o aumento acentuado e inesperado do número de matrículas na
rede pública de ensino obrigar a administração a efetuar a contratação de novos professores mediante
terceirização, as despesas daí decorrentes terão de ser enquadradas entre as despesas de pessoal e
computadas para efeito de cálculo do respectivo limite.

88) (CESPE Analista Administração - FINEP - 2009) Com exceção das prestações destinadas aos
idosos, nenhum benefício ou serviço relativo à seguridade social pode ser criado, majorado ou estendido
sem a indicação da fonte de custeio total.

89) (CESPE Contador FUB 2009) A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) considera como baixo
crescimento a variação real acumulada do PIB abaixo de 1% em dois trimestres consecutivos ou em quatro
alternados no intervalo de dois anos.

90) (CESPE Inspetor de Controle Externo TCE/RN 2009) A LRF prevê a aplicação de restrições à
gestão de recursos públicos, ainda que o limite de despesas de pessoal não tenha sido atingido.

91) (CESPE Advogado da União 2009) A contratação de hora extra é vedada, por qualquer motivo,
quando a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite do órgão ou poder.

92) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) Na verificação do atendimento dos limites
definidos na LRF, para despesas com pessoal, devem ser computadas despesas relativas a incentivos à
demissão voluntária.

93) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) Segundo a LRF, a União não pode realizar despesa
com pessoal em percentual superior a 50% da receita corrente líquida, nela incluídas as despesas de
indenização por demissão de servidores ou empregados.

94) (CESPE - Analista Administrativo - ANATEL - 2009) As despesas com pessoal, pagas à conta de
despesas de exercícios anteriores, decorrentes de decisão administrativa ou judicial e relativas aos cinco
exercícios anteriores, serão normalmente computadas para efeito de cálculo dos limites fixados para cada
ente e cada um dos Poderes.

95) (CESPE - TFCE - TCU - 2009) Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias destinadas ao
pagamento de pessoal e encargos sociais do TCU serão entregues em duodécimos de igual valor, até o dia
20 de cada mês.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 48


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

96) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) A despesa total com pessoal será apurada pela
soma no mês em referência com as previstas para os onze meses imediatamente subsequentes.

97) (CESPE - AUFC - TCU - 2008) Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão
computadas as despesas com indenização por demissão de servidores, as relativas à demissão voluntária e
as decorrentes dos contratos de terceirização de mão-de-obra referentes a substituição de servidores e
empregados públicos.

98) (CESPE - Analista Judiciário - STF - 2008) Na hipótese de a receita corrente líquida da União atingir,
em determinado período, R$ 400 bilhões, a despesa de pessoal do Poder Judiciário não poderá exceder R$
14,4 bilhões.

99) (CESPE - Analista Judiciário Controle Interno - TJDFT - 2008) Na repartição dos limites das despesas
de pessoal na esfera federal, o TJDFT se inclui no percentual de 6% atribuído ao Poder Judiciário, que estão
compreendidos nos 50% da receita corrente líquida da União.

100) (CESPE Economista MTE 2008) No estado em que haja tribunal de contas dos municípios, o
limite de despesas de pessoal referente a esse tribunal deve integrar o limite correspondente ao Poder
Legislativo estadual.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 49


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

6. GABARITO

Questões Gabarito Questões Gabarito Questões Gabarito Questões Gabarito


01 E 26 E 51 E 76 E
02 E 27 C 52 E 77 E
03 E 28 C 53 E 78 E
04 E 29 E 54 E 79 E
05 C 30 C 55 E 80 C
06 C 31 E 56 C 81 C
07 C 32 C 57 C 82 E
08 C 33 E 58 C 83 E
09 E 34 E 59 C 84 E
10 E 35 E 60 E 85 E
11 E 36 C 61 E 86 C
12 C 37 E 62 C 87 C
13 C 38 E 63 E 88 E
14 E 39 E 64 E 89 E
15 E 40 E 65 E 90 C
16 E 41 C 66 C 91 E
17 C 42 E 67 E 92 E
18 C 43 C 68 C 93 E
19 E 44 E 69 C 94 E
20 C 45 E 70 C 95 E
21 C 46 E 71 E 96 E
22 E 47 C 72 C 97 E
23 E 48 C 73 C 98 E
24 E 49 C 74 E 99 E
25 E 50 C 75 E 100 C

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 50


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

As questões estão em ordem decrescente do ano


do concurso a que se referem, ou seja, as mais
recentes são as primeiras. Assim, caso tenha pouco
tempo para estudar as questões comentadas,
estude até onde for possível, começando a partir da
primeira questão.

7. QUESTÕES COMENTADAS

GERAÇÃO DE DESPESA E
DESPESA OBRIGATÓRIA DE CARÁTER CONTINUADO

1) (CESPE Analista Judiciário Administrativa - TRE/PE - 2017) A proposta de aperfeiçoamento da


ação governamental dispensa a elaboração de estimativa de impacto financeiro, mas exige a estimativa
de impacto orçamentário.

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de:
I estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-
financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira
com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes
orçamentárias.
Resposta: Errada

2) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) As despesas públicas, correntes ou


de capital, que ultrapassem o exercício financeiro subsequente, serão consideradas como obrigatórias de
caráter continuado.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17, caput, da LRF).
Resposta: Errada

3) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) A Despesa obrigatória de caráter


continuado corresponde a despesa de capital cuja execução extrapola o exercício.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17, da LRF).
Resposta: Errada

4) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) O ordenador de despesa deve


apresentar a estimativa de impacto orçamentário-financeiro para o exercício seguinte sempre que uma
ação governamental representar o aumento de despesa pública e, sendo possível, o impacto para o
exercício posterior.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 51


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de:
I estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-
financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira
com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes
orçamentárias.
Resposta: Errada

5) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo TCE/SC 2016) Se determinado órgão público
assinar contrato que crie obrigação legal para o ente público por período superior a dois exercícios
financeiros, os efeitos financeiros da medida poderão ser compensados pela redução permanente da
despesa orçamentária.

Se determinado órgão público assinar contrato que crie obrigação legal para o ente público por período
superior a dois exercícios financeiros, estaremos diante de uma despesa obrigatória de caráter continuado.
Os efeitos financeiros da medida poderão ser compensados nos períodos seguintes pelo aumento
permanente de receita ou pela redução permanente de despesa (art. 17, caput e § 2º, da LRF).
Resposta: Certa

6) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo Direito - TCE/SC 2016) Para licitar serviços, é
imperioso que o ordenador de despesas do órgão licitante declare que os gastos atrelados ao futuro
contrato estarão adequados à lei de orçamento e compatíveis com o plano plurianual e com a lei de
diretrizes orçamentárias.

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de:
I - (...)
II declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira
com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes
orçamentárias.

Tais normas constituem condição prévia para empenho e licitação de serviços, fornecimento de bens ou
execução de obras, bem como para desapropriação de imóveis urbanos.
Resposta: Certa

7) (CESPE Analista Judiciário Administrativo - TRE/GO 2015) Considere a seguinte situação


hipotética. Determinada administração propôs, no projeto de lei do orçamento anual, aumento anual do
salário pago a seus servidores, em caráter geral e uniforme, a partir do exercício subsequente, mas não
encaminhou, com a proposta, estimativa específica do impacto orçamentário-financeiro que esse
aumento pode provocar. Nessa situação, a matéria pode ser aprovada por não ferir a LRF.

A exigência de estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e


nos dois subsequentes não se aplica às despesas destinadas ao serviço da dívida nem ao reajustamento de
remuneração de pessoal de que trata o inciso X do art. 37 da Constituição (art. 17, § 6º, da LRF).

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 52


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Logo, nessa situação, de aumento anual do salário pago a servidores, em caráter geral e uniforme, a
matéria pode ser aprovada por não ferir a LRF.
Resposta: Certa

8) (CESPE Técnico da Administração Pública TCDF 2014) Suponha que determinado órgão
público pretenda estender programa de capacitação de produtores agropecuários para alcançar um
público maior que os atuais beneficiários. Nessa situação, a expansão pretendida somente poderá ser
realizada se o ordenador de despesa declarar formalmente que o objeto de dotação específica é
suficiente, ou que está abrangido por crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da
mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não se ultrapassem os limites
estabelecidos para o exercício.

No que tange à geração de despesa, é adequada com a LOA a despesa objeto de dotação específica e
suficiente, ou que esteja abrangida por crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da
mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados os
limites estabelecidos para o exercício.
Resposta: Certa

9) (CESPE Analista Administrativo ANTAQ 2014) Com base nas disposições da Lei de
Responsabilidade Fiscal (LRF), o reajuste na remuneração de servidores públicos federais somente
poderá ser concedido se o ato de concessão vier acompanhado da comprovação de que a despesa
aumentada não afetará as metas de resultados fiscais.

As despesas destinadas ao reajustamento de remuneração de pessoal de que trata o inciso X do art. 37 da


CF/1988 estão excluídas dessas regras. É uma revisão para manter o poder de compra; logo, reajustes para
aumentar o poder aquisitivo, como os que ocorrem em percentuais acima da inflação do período, devem
seguir as regras da LRF.
Assim, é incorreto à à à àsomente à à à à à à à à
tipo de reajuste.
Resposta: Errada

10) (CESPE Analista Finanças e Controle - MPU 2013) O PPA não é considerado instrumento
impeditivo do aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa, desde que o
ordenador da despesa declare que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com a lei
orçamentária anual.

O ordenador da despesa deve declarar que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com a lei
orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias.
Resposta: Errada

11) (CESPE Auditor de Controle Externo Direito - TCE/RO 2013) Aumento de despesa
considerado relevante pela lei de diretrizes orçamentárias, como a realização de licitação para a
aquisição de bens de alto valor, deve ser acompanhado de demonstração do impacto-financeiro no
orçamento em vigor e nos dois subsequentes, não sendo necessária a declaração de responsabilidade
por parte do ordenador de despesa sobre compatibilidade e adequação.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 53


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Consoante o art. 16 da LRF, a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete
aumento da despesa será acompanhado de:
I - estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro no
exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II - declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com
a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias.

Assim, a declaração do ordenador é obrigatória quando houver a criação, expansão ou aperfeiçoamento


de ação governamental que acarrete aumento da despesa.
Resposta: Errada

12) (CESPE Auditor de Controle Externo Direito - TCE/RO 2013) Despesa obrigatória de caráter
continuado é a despesa corrente oriunda de lei, de medida provisória ou de ato administrativo
normativo que fixe para o ente estatal a obrigação legal de executá-la por um período superior a dois
exercícios.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17 da LRF).
Resposta: Certa

13) (CESPE - Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Propriedade Industrial Gestão


Financeira - INPI 2013) Os efeitos financeiros dos atos que criam as despesas obrigatórias de caráter
continuado devem ser compensados, nos períodos seguintes, pelo aumento permanente de receita ou
pela redução permanente de despesa.

São exigências para criação ou aumento das despesas obrigatórias de caráter continuado:
_ Atos que criarem as despesas ou as aumentarem deverão ser instruídos com estimativas do impacto
orçamentário-financeiro, no exercício que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes.
_ Demonstração da origem dos recursos para seu custeio.
_ Comprovação de que a criação ou o aumento da despesa não afetará as metas de resultados fiscais
previstas no anexo de metas fiscais da LDO.
_ Tal comprovação, apresentada pelo proponente, conterá as premissas e metodologia de cálculo
utilizadas, sem prejuízo do exame de compatibilidade da despesa com as demais normas do PPA e da LDO.
_ Compensação dos seus efeitos financeiros, nos períodos seguintes, pelo aumento permanente de receita
ou pela redução permanente de despesa.
Resposta: Certa

14) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) Somente no caso de despesa obrigatória
de caráter continuado, é facultada a declaração do ordenador da despesa decorrente de ação
governamental que acarrete aumento de despesa de que o aumento é orçamentária e financeiramente
adequado em relação à lei orçamentária anual e compatível com o plano plurianual e a lei de diretrizes
orçamentárias (LDO).

Consoante o art. 16 da LRF, a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete
aumento da despesa será acompanhado de:

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 54


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

I - estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro no


exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II - declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com
a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias.

Assim, a declaração do ordenador é obrigatória quando houver a criação, expansão ou aperfeiçoamento


de ação governamental que acarrete aumento da despesa.
Resposta: Errada

15) (CESPE Analista Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) O ordenador de despesas de um


órgão público assinou contrato decorrente de licitação, cujo objeto constituía os serviços de terceirização
de mão de obra para a manutenção técnica de computadores. A vigência do contrato era de doze meses
e a previsão de pagamento de prestações fixas era mensal. Com base nessa situação hipotética, julgue o
item seguinte: A despesa decorrente do contrato deve ser considerada despesa obrigatória de caráter
continuado.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17 da LRF).

Logo, a despesa decorrente do contrato não deve ser considerada despesa obrigatória de caráter
continuado, pois a vigência do contrato era de doze meses.
Resposta: Errada

16) (CESPE - Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Propriedade Industrial Gestão


Financeira - INPI 2013) Os investimentos constantes do PPA são considerados despesas obrigatórias de
caráter continuado.

Segundo o art. 17 da LRF, considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de
lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua
execução por um período superior a dois exercícios.

Os investimentos são despesas de capital.


Resposta: Errada

17) (CESPE Técnico FNDE 2012) É obrigatória e de caráter continuado a despesa corrente cuja
obrigação de execução, legalmente regulamentada, supere dois exercícios.

Segundo o art. 17 da LRF, considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de
lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua
execução por um período superior a dois exercícios.
Resposta: Certa

18) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) Não se obriga a apresentação, por parte do gestor público, da
estimativa do impacto orçamentário-financeiro de aumento de despesas, no exercício em que esse
aumento entrar em vigor e nos dois subsequentes, quando esse aumento for considerado irrelevante.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 55


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Ressalva-se das determinações no que tange a geração de despesa aquela considerada irrelevante, de
acordo com o que dispuser a lei de diretrizes orçamentárias.
Resposta: Certa

19) (CESPE - Analista Judiciário - Contabilidade - TRE/ES 2011) Despesa pública com prazo certo para
ser interrompida não pode ser considerada despesa obrigatória de caráter continuado, ainda que tenha
de ser executada em mais de um exercício financeiro.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17 da LRF). Logo, se ultrapassar dois exercícios, ainda que com prazo certo, a
despesa será considerada despesa obrigatória de caráter continuado.
Resposta: Errada

20) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Considera-se obrigatória e de caráter
continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que
fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

Segundo o art. 17 da LRF, considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de
lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua
execução por um período superior a dois exercícios.
Resposta: Certa

21) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) No caso de um ente da federação sancionar lei que permita
que uma despesa corrente possua período de execução superior a dois exercícios, essa despesa será
classificada como obrigatória de caráter continuado.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios (art. 17 da LRF).
Resposta: Certa

22) (CESPE Procurador ALES 2011) Para fins da LRF, considera-se adequada com a LOA somente
a despesa pública objeto de dotação específica e suficiente para a sua realização.

É adequada com a LOA a despesa objeto de dotação específica e suficiente, ou que esteja abrangida por
crédito genérico, de forma que, somadas todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar,
previstas no programa de trabalho, não sejam ultrapassados os limites estabelecidos para o exercício.
Resposta: Errada

23) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Se uma lei municipal determinar, por exemplo, a
construção de um hospital público por período superior a dois exercícios financeiros, então as despesas
correspondentes a essa obra devem ser consideradas obrigatórias de caráter continuado.

Segundo o art. 17 da LRF, considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de
lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua
execução por um período superior a dois exercícios.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 56


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

A construção de um hospital público é despesa de capital.


Resposta: Errada

24) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Entre outras determinações, a LDO estabelece
limites e condições para a expansão das despesas obrigatórias de caráter continuado.

A própria LRF é que define limites e condições para a expansão das despesas obrigatórias de caráter
continuado.
Resposta: Errada

25) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) De acordo com a LRF, a contratação de serviços, por
meio de licitação, que acarrete aumento de despesa deve vir precedida de demonstrativo da estimativa
do impacto orçamentário financeiro apenas do exercício em que deva entrar em vigor a referida
despesa, bem como da declaração de responsabilidade do ordenador de despesa.

A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será
acompanhado de estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto
orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes, bem como de
declaração do ordenador da despesa.
Resposta: Errada

26) (CESPE - Analista de Economia - MPU - 2010) Despesa obrigatória de caráter continuado é aquela
derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixe para o ente a obrigação legal
de sua execução por um período superior a dois exercícios e para a qual não haja a necessidade de
demonstração da origem dos recursos envolvidos em seu custeio.

Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou
ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período
superior a dois exercícios. No entanto, uma das exigências para criação ou aumento das despesas
obrigatórias de caráter continuado é a demonstração da origem dos recursos envolvidos em seu custeio.
Resposta: Errada

27) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) Considera-se obrigatória de caráter continuado a
despesa corrente derivada de lei, de medida provisória ou de ato administrativo normativo que fixe para
o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

Segundo a LRF:
Art. 17. Considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida
provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um
período superior a dois exercícios.
Resposta: Certa

28) (CESPE Oficial Técnico de Inteligência Administração - ABIN 2010) Caso acarrete aumento de
despesa, uma proposta de reestruturação de órgão público deve ser encaminhada ao Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão, juntamente com a documentação necessária a sua aprovação e com

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 57


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

a estimativa de seu impacto orçamentário-financeiro, que deve conter as premissas e memória de


cálculo utilizadas, bem como o quantitativo de cargos ou funções a serem criados ou providos.

Consoante o art. 16 da LRF, a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete
aumento da despesa será acompanhado de estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo
utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois
subsequentes; e da declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária
e financeira com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de
diretrizes orçamentárias.
As demais informações da questão, como envio ao Ministério do Planejamento, não constam da LRF,
porém estão corretas.
Resposta: Certa

29) (CESPE Analista Finanças e Contabilidade - FINEP - 2009) Os municípios com população inferior
a cinquenta mil habitantes podem usufruir de regras especiais de aplicação das determinações
constantes na LRF, entre as quais inclui-se a dispensa da estimativa de impacto orçamentário no caso de
criação de despesa obrigatória de caráter continuado.

Os municípios com população inferior a cinquenta mil habitantes podem usufruir de regras especiais de
aplicação das determinações constantes na LRF, como no que se refere a apuração semestral dos limites da
dívida consolidada. Não se inclui nas regras especiais a dispensa da estimativa de impacto orçamentário no
caso de criação de despesa obrigatória de caráter continuado.
Resposta: Errada

30) (CESPE Advogado da União 2009) A revisão geral anual da remuneração de servidores públicos
é uma exceção à necessidade de que, para o aumento da despesa, seja demonstrada a origem dos
recursos para seu custeio.

As despesas destinadas ao serviço da dívida e ao reajustamento de remuneração de pessoal de que trata o


inciso X do art. 37 da CF/1988 estão excluídas das regras da LRF no que tange às despesas obrigatórias de
caráter continuado.

Tal inciso versa sobre a revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices da
remuneração dos servidores e do subsídio de membro de Poder, de detentor de mandato eletivo, de
Ministros de Estado e de Secretários Estaduais e Municipais.

É uma revisão para manter o poder de compra; logo, reajustes para aumentar o poder aquisitivo, como os
que ocorrem em percentuais acima da inflação do período, devem seguir as regras da LRF.
Resposta: Certa

31) (CESPE Advogado da União 2009) A ação governamental que cria despesa por lei pode, a
qualquer tempo, ser executada, antes mesmo de ser compensada com o acréscimo da receita naquele
exercício, quando não devidamente prevista na lei orçamentária.

Consoante o art. 16 da LRF, a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete
aumento da despesa será acompanhado de:

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 58


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

I - estimativa, com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentário-financeiro


no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes;
II - declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com

Tais normas constituem condição prévia para empenho e licitação de serviços, fornecimento de bens ou
execução de obras, bem como para desapropriação de imóveis urbanos a que se refere o § 3º do art. 182
da CF/1988. A geração de despesas ou assunção de obrigações que não atendam o disposto nos arts. 16 e
17 da LRF serão consideradas não autorizadas, irregulares e lesivas ao patrimônio público.

Ressalva-se dessas determinações a despesa considerada irrelevante, de acordo com o que dispuser a lei
de diretrizes orçamentárias.
Resposta: Errada

32) (CESPE Advogado da União 2009) É condição prévia para empenho e licitação de serviços
criados por ação governamental nova, a declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem
adequação orçamentária e financeira com todos os tipos de orçamentos.

Na LRF:
Art. 16. A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa
será acompanhado de:
I - estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois
subseqüentes;
II - declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação orçamentária e financeira com
a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias.

As normas do caput constituem condição prévia para empenho e licitação de serviços, fornecimento de
bens ou execução de obras (art. 16, § 4º, I, da LRF).
Resposta: Certa

33) (CESPE Analista Administrativo ANTAQ 2009) Além de estabelecer regras para a realização
das chamadas despesas obrigatórias de caráter continuado, a LRF atribuiu às leis de diretrizes
orçamentárias a competência para definir limites e condições para a expansão dessas despesas.

A própria LRF é que define limites e condições para a expansão das despesas obrigatórias de caráter
continuado.
Resposta: Errada

DESPESAS COM PESSOAL

34) (CESPE Analista de Gestão - Administração - TCE/PE - 2017) Gastos com passagens e despesas
com locomoção para fins de fiscalização de obra pública em andamento são despesas correntes do grupo
pessoal e encargos sociais, sujeitas aos limites estabelecidos na LRF.

Despesas indenizatórias, como passagens e gastos com locomoção não se enquadram como despesas com
pessoal.
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 59


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

35) (CESPE Analista de Controle Externo - Contas Públicas - TCE/PE - 2017) Situação hipotética: No
final do primeiro quadrimestre de 2017, as despesas com pessoal do Poder Executivo do município AB
estavam no patamar de 52% de sua receita corrente líquida. Assertiva: Nessa situação, o
município deverá reduzir o excedente dessas despesas nos dois quadrimestres seguintes, sendo a
redução de, no mínimo, um terço no primeiro deles.

De acordo com o art. 23 da LRF, se a despesa total com pessoal, do Poder ou órgão referido no art. 20,
ultrapassar os limites definidos no mesmo artigo, sem prejuízo das medidas previstas no art. 22, o
percentual excedente terá de ser eliminado nos dois quadrimestres seguintes, sendo pelo menos um terço
no primeiro.
Se as despesas com pessoal do Poder Executivo do Município estavam em 52% da RCL e o limite total é
54% da RCL, significa que o município não ultrapassou o seu limite. Na verdade, ele ultrapassou apenas o
limite prudencial (95% do limite de 54%, o que dá 51,3%), o que enseja diversas restrições, mas não a de
redução nos dois quadrimestres seguintes. Logo, não há percentual excedente para ser eliminado.
Resposta: Errada

36) (CESPE Analista de Gestão Julgamento TCE/PE 2017) Gastos com pessoal e encargos sociais
das fundações públicas federais estão incluídos no limite de despesas de pessoal aplicável à União.

Segundo o art. 18 da LRF, entende-se como despesa total com pessoal: o somatório dos gastos do ente da
Federação com os ativos, os inativos e os pensionistas, relativos a mandatos eletivos, cargos, funções ou
empregos, civis, militares e de membros de Poder, com quaisquer espécies remuneratórias, tais como
vencimentos e vantagens, fixas e variáveis, subsídios, proventos da aposentadoria, reformas e pensões,
inclusive adicionais, gratificações, horas extras e vantagens pessoais de qualquer natureza, bem como
encargos sociais e contribuições recolhidas pelo ente às entidades de previdência.
Resposta: Certa

37) (CESPE Procurador do Município de Fortaleza - 2017) De acordo com a LRF, é vedada a
realização de transferência voluntária ao ente federativo que exceder o limite da despesa total com
pessoal no primeiro quadrimestre do último ano do mandato do titular do Poder Executivo, mas não é
vedada a contratação de operação de crédito.

No art. 23 da LRF:
§ 3º Não alcançada a redução no prazo estabelecido, e enquanto perdurar o excesso, o ente não poderá:
I - receber transferências voluntárias;
II - obter garantia, direta ou indireta, de outro ente;
III - contratar operações de crédito, ressalvadas as destinadas ao refinanciamento da dívida mobiliária e as
que visem à redução das despesas com pessoal.
§ 4º As restrições do §3º aplicam-se imediatamente se a despesa total com pessoal exceder o limite no
primeiro quadrimestre do último ano do mandato dos titulares de Poder ou órgão referidos no art. 20.

Logo, é vedada a realização de transferência voluntária ao ente federativo que exceder o limite da despesa
total com pessoal no primeiro quadrimestre do último ano do mandato do titular do Poder Executivo, mas
também é vedada a contratação de operação de crédito.
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 60


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

38) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) No âmbito da União, despesa relativa
a demissão voluntária é computada no limite de despesa total com pessoal.

As despesas relativas a incentivos à demissão voluntária não são computadas no limite de despesa total
com pessoal (art. 19, § 1º, II, da LRF).
Resposta: Errada

39) (CESPE Auditor Fiscal de Controle Externo TCE/SC 2016) Os contratos de terceirização de
mão de obra integram o limite de despesas de pessoal, independentemente do tipo de serviço que
estiver sendo terceirizado.

Os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se referem à substituição de servidores e
empregados públicos à à à à à à à à à à à àLRF
Resposta: Errada

40) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/8 2016) No estabelecimento dos percentuais
máximos da receita corrente líquida a serem gastos na despesa com pessoal, a LRF retira do cômputo da
classificação os valores destinados ao pagamento de contribuição previdenciária.

Cuidado! Para a apuração das despesas com pessoal, a LRF não retira do cômputo da classificação os
valores destinados ao pagamento de contribuição previdenciária, ou seja, a parte patronal que é paga pelo
ente público por cada servidor ativo no momento em que ele recebe sua remuneração não é excluída da
apuração das despesas com pessoal. O que não entra no cálculo é o gasto com inativo decorrente de
fundos próprios.
Resposta: Errada

41) (CESPE Agente Administrativo - DPU 2016) A CF não estabelece limite de despesas com
pessoal ativo e inativo.

A CF não estabelece limite de despesas com pessoal ativo e inativo e sim determina que uma Lei
Complementar deva estabelecer esses limites. Tal lei é a LRF.
Resposta: Certa

42) (CESPE Auditor - Conselheiro Substituto TCE/PR 2016) Sempre que verificar que as despesas
de pessoal de Poder Executivo estadual atingiram o limite prudencial 95% do limite máximo das
despesas com pessoal , o TCE deverá emitir alerta sobre esse fato, na forma da LRF.

Sempre que verificar que as despesas de pessoal de Poder Executivo estadual atingiram o limite de alerta
90% do limite máximo das despesas com pessoal , o respectivo tribunal de contas deverá emitir alerta
sobre esse fato, na forma da LRF.
Resposta: Errada

43) (CESPE Analista Finanças e Controle - MPU 2015) Em função da autonomia dos poderes, o
Poder Executivo não poderá fixar limites de gastos com pessoal do Poder Judiciário.

O limite de gastos com pessoal de todos os Poderes está na LRF.


Resposta: Certa

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 61


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

44) (CESPE Auditor Governamental CGE/PI - 2015) A despesa com pessoal, classificada como
despesa de custeio, limita-se ao percentual de 50% da receita corrente líquida em cada estado da
Federação, apurado segundo o regime de competência.

A despesa com pessoal, classificada como despesa corrente, limita-se ao percentual de 60% da receita
corrente líquida em cada estado da Federação, apurado segundo o regime de competência.
Resposta: Errada

45) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de


Responsabilidade Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados
em percentuais da receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de
despesa de pessoal são as indenizações por demissão voluntária de servidores e empregados.

Na verificação do atendimento dos limites definidos para as despesas com pessoal, não serão computadas
as despesas relativas a incentivos à demissão voluntária (art. 19, § 1º, II, da LRF).
Resposta: Errada

46) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de


Responsabilidade Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados
em percentuais da receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de
despesa de pessoal é o pagamento de aposentadorias custeadas por recursos de arrecadação de
contribuições dos segurados.

Na verificação do atendimento dos limites definidos para as despesas com pessoal, não serão computadas
as despesas com inativos, ainda que por intermédio de fundo específico, custeadas por recursos
provenientes da arrecadação de contribuições dos segurados (art. 19, § 1º, VI, a, da LRF).
Resposta: Errada

47) (CESPE Consultor de Orçamentos Câmara dos Deputados 2014) As despesas de indenização
por demissão de empregados não são computadas no limite de despesa total com pessoal definido em
lei.

Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão computadas, entre outras, as despesas
com indenização por demissão de servidores ou empregados.
Resposta: Certa

48) (CESPE Analista Técnico-Administrativo - SUFRAMA 2014) É nulo de pleno direito o ato de que
resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta dias anteriores ao final do
mandato do titular do respectivo poder ou órgão.

Também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos 180
dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão (art. 21, parágrafo único, da LRF).
Resposta: Certa

49) (CESPE Analista Judiciário Administração e Contábeis TJ/CE 2014) A Lei de


Responsabilidade Fiscal instituiu limites para a despesa total com pessoal e encargos sociais baseados

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 62


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

em percentuais da receita corrente líquida. Um tipo de gasto que deve ser incluído no montante total de
despesa de pessoal são os contratos de terceirização de mão de obra em substituição a servidores e
empregados.

São também despesas com pessoal os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se
à à à à à à à à“ à à à O àD à
àP
Resposta: Certa

50) (CESPE Administrador Polícia Federal 2014) As despesas decorrentes do programa de


incentivo à demissão voluntária de determinado órgão público estão excluídas do limite de despesas de
pessoal do referido órgão.

Os incentivos relativos à demissão voluntária não devem ser computados, para efeitos da LRF, no cálculo
dos limites com gastos de pessoal.
Resposta: Certa

51) (CESPE Analista Administrativo Administrativa - ANTT 2013) Eventuais indenizações por
demissão de servidor ou incentivos relativos à demissão voluntária devem ser computados, para efeitos
da LRF, no cálculo dos limites com gastos de pessoal.

As indenizações por demissão de servidor ou os incentivos relativos à demissão voluntária não devem ser
computados, para efeitos da LRF, no cálculo dos limites com gastos de pessoal.
Resposta: Errada

52) (CESPE Analista Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) O ordenador de despesas de um


órgão público assinou contrato decorrente de licitação, cujo objeto constituía os serviços de terceirização
de mão de obra para a manutenção técnica de computadores. A vigência do contrato era de doze meses
e a previsão de pagamento de prestações fixas era mensal. Com base nessa situação hipotética, julgue o
item seguinte: os valores correspondentes ao contrato devem ser contabilizados como outras despesas
de pessoal e integrarão o limite de despesas de pessoal e encargos sociais previsto na Lei de
Responsabilidade Fiscal.

São despesas com pessoal os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se referem à
substituição de servidores e empregados públicos. No entanto, a contratação de mão de obra para a
manutenção técnica de computadores não é considerada despesa com pessoal, já que em geral não se
trata de substituição de servidores ou empregados públicos.
Resposta: Errada

53) (CESPE Analista Judiciário Administrativa CNJ - 2013) Considere que uma prefeitura tenha
iniciado programa de demissão voluntária para não ultrapassar os limites com gastos com pessoal
definidos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Nessa situação, os gastos com o programa deverão
compor a base de cálculo da despesa total com pessoal, o que diminui a eficácia da iniciativa para
resolver o problema, uma vez que serão afetados os limites de gastos impostos pela LRF.

Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão computadas, entre outras, as despesas
relativas à demissão voluntária.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 63


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Resposta: Errada

54) (CESPE Analista Judiciário Administrativa TRT/10 Prova cancelada - 2013) É estabelecido
pela LRF que na esfera estadual, o limite para despesa com pessoal do Poder Judiciário será de 3% sobre
a receita corrente arrecadada no período determinado para o controle.

Na esfera estadual, o limite para despesa com pessoal do Poder Judiciário será de 6% sobre a receita
corrente líquida arrecadada no período determinado para o controle (art. 20, II, b, da LRF).
Resposta: Errada

55) (CESPE Técnico Judiciário - Administrativa TRT/17 2013) Na União, nos estados, no Distrito
Federal e nos municípios, a Lei de Diretrizes Orçamentárias estabelece parâmetros com vistas à fixação,
no projeto de Lei Orçamentária, dos montantes relativos a despesas com pessoal e a outras despesas
correntes.

É a Lei de Responsabilidade Fiscal que estabelece parâmetros para as despesas com pessoal.
A faculdade de a LDO estabelecer critérios diferentes da LRF, que estava no § 6º do art. 20 da LRF, foi
vetada.
Assim, a LDO não pode dispor de forma diferente da LRF.
Resposta: Errada

56) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) É nulo de pleno direito o ato que resulte
em aumento de despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta dias imediatamente anteriores ao do
final do mandato do titular de órgão do Poder Executivo.

Também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos 180
dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão (art. 21, parágrafo único, da LRF).
Resposta: Certa

57) (CESPE Analista Administrativo Direito - ANTT 2013) O não recebimento de transferências
voluntárias é penalidade a que está sujeito o órgão ou poder que, tendo excedido o limite de gasto com
pessoal, não reduza o percentual excedente do limite de despesa com pessoal.

Não alcançada a redução no prazo estabelecido, e enquanto perdurar o excesso, o ente não poderá,
dentre outras restrições, receber transferências voluntárias, ressalvadas as destinadas à saúde, à educação
e à assistência social.
Resposta: Certa

58) (CESPE Analista Administrativo Contábeis - ANTT 2013) O servidor estável que perder o
cargo em razão do cumprimento dos limites de despesa com pessoal da União fará jus à indenização
correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço.

Para o cumprimento dos limites estabelecidos com base na LRF, a União, os estados, o Distrito Federal e os
municípios adotarão as seguintes providências (são os §§ 3º e 4º do art. 169 da CF/1988):
_ Redução em pelo menos 20% das despesas com cargos em comissão e funções de confiança.
_ Exoneração dos servidores não estáveis.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 64


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

_ Exoneração de servidor estável, desde que ato normativo motivado de cada um dos Poderes especifique a
atividade funcional, o órgão ou unidade administrativa objeto da redução de pessoal. O servidor que perder o
cargo fará jus a indenização correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço e o cargo objeto
da redução será considerado extinto, vedada a criação de cargo, emprego ou função com atribuições iguais
ou assemelhadas pelo prazo de quatro anos.
Resposta: Certa

59) (CESPE Contador - TJ/RR 2012) Será considerado nulo o ato que provocar aumento da despesa
com pessoal e não atender ao limite legal de comprometimento aplicado às despesas com pessoal
inativo.

É nulo de pleno direito o ato que provoque aumento da despesa com pessoal e não atenda, entre outros, o
limite legal de comprometimento aplicado às despesas com pessoal inativo (art. 21, II, da LRF).
Resposta: Certa

60) (CESPE TFCE TCU 2012) O reajustamento do valor de benefício da seguridade social, a fim de
preservar o seu valor real, deve apresentar a origem dos recursos para o seu custeio e os seus efeitos
financeiros nos períodos seguintes, que devem ser compensados pelo aumento permanente de receita e
pela redução permanente de despesa da previdência.

É dispensado da compensação referida no art. 17 (dentre outros, o aumento permanente de receita e a


redução permanente de despesa) o aumento de despesa decorrente de reajustamento de valor do
benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real (art. 24, § 1º, III, da LRF).
Resposta: Errada

61) (CESPE Especialista FNDE 2012) Por constituírem despesa de natureza social, os benefícios
relativos a seguridade social podem ser criados sem a identificação da respectiva fonte de custeio.

De acordo com o art. 24 da LRF, nenhum benefício ou serviço relativo à Seguridade Social poderá ser
criado, majorado ou estendido sem a indicação da fonte de custeio total, atendidas ainda as exigências do
art. 17, o qual trata das despesas obrigatórias de caráter continuado.
Resposta: Errada

62) (CESPE Auditor Substituto de Conselheiro TCE/ES 2012) É dispensada a compensação para o
aumento de despesa, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, se o reajuste do valor do benefício da
seguridade social destinar-se a preservar seu valor real.

É dispensado da compensação referida no art. 17 (dentre outros, o aumento permanente de receita e a


redução permanente de despesa) o aumento de despesa decorrente de reajustamento de valor do
benefício ou serviço, a fim de preservar o seu valor real (art. 24, § 1º, III, da LRF).
Resposta: Certa

63) (CESPE Especialista FNDE 2012) De acordo com determinação constitucional, a despesa da
União, dos estados, dos municípios e do Distrito Federal com pessoal ativo e inativo não pode
ultrapassar limite fixado em lei complementar, encontrando-se, entre as providencias autorizadas para o
controle da despesa que eventualmente extrapolar esse limite, a redução de despesas com cargos em

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 65


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

comissão e funções de confiança e a exoneração de servidores não estáveis, vedada a exoneração


daqueles que já tiverem alcançado a estabilidade.

Para o cumprimento dos limites estabelecidos com base na LRF, a União, os estados, o Distrito Federal e os
municípios adotarão as seguintes providências (são os §§ 3º e 4º do art. 169 da CF/1988):
_ Redução em pelo menos 20% das despesas com cargos em comissão e funções de confiança.
_ Exoneração dos servidores não estáveis.
_ Exoneração de servidor estável, desde que ato normativo motivado de cada um dos Poderes especifique a
atividade funcional, o órgão ou unidade administrativa objeto da redução de pessoal. O servidor que perder o
cargo fará jus a indenização correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço e o cargo objeto
da redução será considerado extinto, vedada a criação de cargo, emprego ou função com atribuições iguais
ou assemelhadas pelo prazo de quatro anos.

Logo, é possível a exoneração de servidores estáveis.


Resposta: Errada

64) (CESPE - Analista em Ciência e Tecnologia Contabilidade CAPES - 2012) A LRF determina que as
despesas relativas aos incentivos à demissão voluntária sejam computadas no cálculo do limite da
despesa total com pessoal da União, dos estados e dos municípios.

Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão computadas, entre outras, as despesas
relativas à demissão voluntária.
Resposta: Errada

65) (CESPE Especialista FNDE 2012) A apuração da despesa total com pessoal deve ser realizada
mediante o regime de caixa.

A despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em referência com as dos 11
imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência.
Resposta: Errada

66) (CESPE Administrador - TJ/RR 2012) Na programação e execução orçamentária e financeira de


gastos orçamentários com pessoal, o Poder Judiciário estadual deverá respeitar o teto máximo de 6% da
receita corrente líquida do orçamento do Estado.

Segundo o art. 20 da LRF, a repartição dos limites globais do art. 19 União (50%), estados (60%),
municípios (60%) não poderá exceder os seguintes percentuais:
(...)
II na esfera estadual:
a) 3% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Estado.
b) 6% para o Judiciário.
c) 49% para o Executivo.
d) 2% para o Ministério Público dos Estados.
Nos Estados em que houver Tribunal de Contas dos Municípios, o percentual definido para o Legislativo
será de 3,4% e do Executivo será de 48,6%, o que corresponde, respectivamente, a acréscimo e redução de
0,4%.
Resposta: Certa

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 66


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

67) (CESPE Técnico FNDE 2012) A despesa total com pessoal dos Executivos municipais limita-se
a metade da receita corrente liquida.

Segundo o art. 20 da LRF, a repartição dos limites globais do art. 19 União (50%), estados (60%),
municípios (60%) não poderá exceder os seguintes percentuais:
(...)
III na esfera municipal:
a) 6% para o Legislativo, incluído o Tribunal de Contas do Município, quando houver.
b) 54% para o Executivo.
Resposta: Errada

68) (CESPE Auditor Substituto de Conselheiro TCE/ES 2012) Conforme a LRF, a despesa total com
pessoal, em cada período de apuração e em cada ente da Federação, não poderá exceder 50% e 60% da
receita corrente líquida, respectivamente, para a União e para os estados e municípios. Na verificação do
atendimento desses limites, não se computam as despesas com inativos, ainda que por intermédio de
fundo específico, custeadas por recursos provenientes da arrecadação de contribuições dos segurados.

A despesa total com pessoal, em cada período de apuração e em cada ente da Federação, não poderá
exceder os percentuais da receita corrente líquida, a seguir discriminados:
I União: 50%.
II Estados: 60%.
III Municípios: 60%.

Na despesa total com pessoal, para fins de verificação dos limites definidos na LRF, consoante o § 1º
também do art. 19, não será(ão) computada(s) a(s) despesa(s), entre outras, com inativos, ainda que por
intermédio de fundo específico, custeadas por recursos provenientes da arrecadação de contribuições dos
segurados; da compensação financeira entre os diversos regimes de previdência social para efeito de
aposentadoria, assegurada a contagem recíproca do tempo de contribuição na Administração Pública e na
atividade privada, rural e urbana, segundo critérios estabelecidos em lei; das demais receitas diretamente
arrecadadas por fundo vinculado a tal finalidade, inclusive o produto da alienação de bens, direitos e
ativos, bem como seu superávit financeiro.
Resposta: Certa

69) (CESPE TFCE TCU 2012) A apuração de gastos com pessoal será feita com base em um
período de 12 meses. Assim, as demonstrações de limites com despesas de pessoal do primeiro e do
segundo quadrimestres somarão despesas com pessoal relativas a dois exercícios financeiros.

Primeiro, temos que saber que o exercício financeiro inicia em 1º de janeiro e termina em 31 de dezembro.

Segundo, devemos saber que a despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em
referência com as dos 11 imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência.

Assim, as demonstrações de limites com despesas de pessoal do primeiro e do segundo quadrimestres


somarão despesas com pessoal relativas a dois exercícios financeiros, ou seja, do exercício em curso e do
exercício anterior. Por exemplo, se queremos verificar os limites no segundo quadrimestre de 2012,

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 67


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

consideraremos de 1º de setembro de 2011 a 31 de agosto de 2012. São dois exercícios financeiros: 2011 e
2012.
Resposta: Certa

70) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Se, com o objetivo de aumentar a despesa de
pessoal, determinado prefeito municipal assinar um decreto no mês de junho do ano de conclusão de
seu mandato, tal ato deve ser considerado regular, de acordo com o que dispõe a LRF.

É nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos 180 dias
anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão (art. 21, parágrafo único, da LRF). O
ato editado no mês de junho é regular, pois está fora do período mencionado.
Resposta: Certa

71) (CESPE Procurador ALES 2011) Os gastos com pessoal da administração pública dizem
respeito ao próprio estado moderno. Sem eles inexiste gestão pública, e sua magnitude e complexidade
exigem do legislador permanente atenção e prevenção, tal sua histórica dificuldade de controle. Para
tanto, a CF e a LRF estabelecem limite prudencial para despesa total com pessoal em 95% do limite total
fixado na LRF, obrigando o tribunal de contas a suspender aumentos com pessoal dos poderes ou órgãos
correspondentes quando esse limite for ultrapassado.

Os Tribunais de Contas atuam no limite de alerta. Têm como competência verificar os cálculos dos limites da
despesa total com pessoal de cada Poder e órgão e alertá-los quando constatarem que o montante da
despesa total com pessoal ultrapassar 90% do limite.
Não há determinação para que os Tribunais de Contas suspendam aumentos no limite prudencial. Na
verdade, se a despesa com pessoal ultrapassar 95% do limite já há uma vedação direta ao Poder ou órgão
para concessão de vantagem, aumento, reajuste ou adequação de remuneração a qualquer título, salvo os
derivados de sentença judicial ou de determinação legal ou contratual, ressalvada a revisão geral anual,
sempre na mesma data e sem distinção de índices.
Resposta: Errada

72) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Considera-se nulo o ato de prefeito
que reajustar o vencimento dos servidores municipais em 25%, resultando em aumento de despesa com
pessoal, no penúltimo mês de seu mandato.

É nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos cento e oitenta
dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder ou órgão. Logo, é nulo o ato de prefeito
que reajustar o vencimento dos servidores municipais, resultando em aumento de despesa com pessoal,
no penúltimo mês de seu mandato.
Resposta: Certa

73) (CESPE Analista Contabilidade - ECB 2011) Para efeito da apuração do limite máximo
previsto pela LRF, o décimo terceiro salário devido aos servidores públicos deve entrar no cômputo do
total de despesas de pessoal do exercício a que se refira, ainda que o pagamento seja efetuado, por
exemplo, somente no mês de fevereiro.

No regime de competência, as receitas e despesas são contabilizadas no momento em que são


comprometidas (fato gerador da despesa), independentemente do momento que as receitas entram ou as

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 68


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

despesas saem do caixa. Por exemplo, no regime de competência, adotado para apuração das despesas
com pessoal, o décimo terceiro salário devido aos servidores públicos deve entrar no cômputo do total de
despesas de pessoal do exercício a que se refira (fato gerador da despesa), ainda que o pagamento seja
efetuado, por exemplo, somente no mês de janeiro.
Resposta: Certa

74) (CESPE Procurador ALES 2011) Os gastos com pessoal da administração pública dizem
respeito ao próprio estado moderno. Sem eles inexiste gestão pública, e sua magnitude e complexidade
exigem do legislador permanente atenção e prevenção, tal sua histórica dificuldade de controle. Para
tanto, a CF e a LRF fixam o limite legal de comprometimento às despesas com pessoal inativo
equivalente ao pessoal ativo.

A preocupação gerada diante do excesso de despesas com pessoal é objeto de maior detalhamento por
meio da LRF, inclusive com a fixação de limites. Entretanto, não há dispositivo que fixa o limite legal de
comprometimento às despesas com pessoal inativo equivalente ao pessoal ativo.
Resposta: Errada

75) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) A despesa total com pessoal, para os efeitos da LRF, será
apurada somando-se a despesa realizada no mês em referência com as despesas dos doze meses
imediatamente anteriores, adotando-se o regime de caixa.

Segundo o art. 19 da LRF, a despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em
referência com as dos 11 imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência.
Resposta: Errada

76) (CESPE Assistente - CNPq - 2011) Considerando-se que, em determinado município brasileiro, a
despesa pública com pessoal corresponda a 55% da receita corrente líquida, é correto afirmar que essa
despesa ultrapassa o limite previsto na LRF.

No âmbito do município, o limite da despesa pública com pessoal corresponde a 60% da receita corrente
líquida. Logo, se a despesa for inferior a tal percentual, a despesa ainda não ultrapassou o limite.
Resposta: Errada

77) (CESPE Analista Judiciário Administrativo STM - 2011) Para realização de despesa com o
pessoal, o Poder Legislativo do Distrito Federal deve observar o limite estabelecido na Lei de
Responsabilidade Fiscal para o legislativo da esfera municipal.

As disposições da LRF obrigam a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios. Nas referências a
Estados entende-se considerado o Distrito Federal. Logo, o Poder Legislativo do Distrito Federal deve
observar o limite estabelecido na LRF para o legislativo da esfera estadual.
Resposta: Errada

78) (CESPE AUFC TCU 2011) Os parâmetros para os poderes e órgãos destinados a orientar a
fixação dos montantes relativos a despesas com pessoal devem incluir os serviços de terceiros.

São despesas com pessoal os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se referem à
substituição de servidores e empregados públicos. A expressão "serviços de terceiros" é bem abrangente,

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 69


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

incluindo substituições e outros serviços. Logo, é incorreto afirmar que os serviços de terceiros entram nos
parâmetros para orientar a fixação dos montantes relativos a despesas com pessoal.
Resposta: Errada

79) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) Os valores gastos com serviços prestados por
empresas contratadas para a terceirização de mão de obra e que se refiram à substituição de servidores
e empregados públicos devem ser contabilizados como despesas de capital.

São também despesas com pessoal os valores dos contratos de terceirização de mão de obra que se
referem à substituição de servidores e empregados públicos à“ à à à O àD à
àP àL à à àcorrentes.
Resposta: Errada

80) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) No Distrito Federal (DF), o controle para a
verificação do cumprimento do limite da despesa total com pessoal deve ser realizado ao final de cada
quadrimestre.

Em todos os entes a verificação do cumprimento dos limites estabelecidos será realizada ao final de cada
quadrimestre.
Resposta: Certa

81) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Embora a admissão ou a contratação de
pessoal a qualquer título possa ser proibida antes que o órgão público atinja o limite de despesas de
pessoal, a exoneração de servidores não estáveis por excesso de despesa somente é possível depois que
esse limite for ultrapassado.

A admissão ou a contratação de pessoal a qualquer título pode ser proibida antes que o órgão público
atinja o limite de despesas de pessoal, ainda no limite prudencial. Já a exoneração de servidores não
estáveis por excesso de despesa somente é possível depois que esse limite for ultrapassado.
Resposta: Certa

82) (CESPE Procurador Federal AGU 2010) Caso a despesa total com pessoal exceda a 95% do
limite imposto na LRF, é vedado ao poder público o provimento de cargo público, com exceção da
reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de servidor público.

Caso a despesa total com pessoal exceda o limite prudencial de 95%, é vedado ao poder público o
provimento de cargo público, com exceção da reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento de
servidor público apenas das áreas de educação, saúde e segurança.
Resposta: Errada

83) (CESPE - Administrador - Ministério da Previdência Social - 2010) Combinando-se as disposições


constitucionais com as da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), constata-se que mesmo os servidores
estáveis podem perder seus cargos, na hipótese de as despesas de pessoal ultrapassarem determinados
limites, o que, entretanto, poderia ser evitado no caso de redução consensual dos respectivos
vencimentos.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 70


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

Combinando-se as disposições constitucionais com as da LRF, constata-se que mesmo os servidores


estáveis podem perder seus cargos, na hipótese de as despesas de pessoal ultrapassarem determinados
limites (limite ultrapassado).
No entanto, segundo a CF/1988, o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos
são irredutíveis. Não poderá haver redução dos respectivos vencimentos, mesmo que vise evitar a
exoneração.
Resposta: Errada

84) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) As despesas relativas às pensões, por não
constituírem gastos com servidores inativos, não fazem parte da limitação de despesas de pessoal
prevista na LRF.

Segundo o art. 18 da LRF, para os efeitos dessa Lei Complementar, entende-se como despesa total com
pessoal: o somatório dos gastos do ente da Federação com os ativos, os inativos e os pensionistas, relativos
a mandatos eletivos, cargos, funções ou empregos, civis, militares e de membros de Poder, com quaisquer
espécies remuneratórias, tais como vencimentos e vantagens, fixas e variáveis, subsídios, proventos da
aposentadoria, reformas e pensões, inclusive adicionais, gratificações, horas extras e vantagens pessoais
de qualquer natureza, bem como encargos sociais e contribuições recolhidas pelo ente às entidades de
previdência.

Logo, as despesas relativas às pensões também fazem parte da limitação de despesas de pessoal prevista
na LRF.
Resposta: Errada

85) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Se determinado órgão público for obrigado a
pagar a seus servidores vantagens ou indenizações decorrentes de decisões judiciais, então ele deve,
obrigatoriamente, excluir esses valores no cálculo de sua despesa total com pessoal para efeito da
aplicação do limite imposto pela LRF.

Na despesa total com pessoal, para fins de verificação dos limites definidos na LRF, não serão computadas
as despesas decorrentes de decisão judicial e da competência de período anterior ao da apuração da
despesa total com pessoal. No entanto, as despesas com pessoal decorrentes de sentenças judiciais no
período de apuração serão incluídas no limite do respectivo Poder ou órgão.
Logo, se determinado órgão público for obrigado a pagar a seus servidores vantagens ou indenizações
decorrentes de decisões judiciais, então ele deve verificar o período e determinar se vai excluir ou incluir
esses valores no cálculo de sua despesa total com pessoal para efeito da aplicação do limite imposto pela
LRF.
Resposta: Errada

86) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) A despesa total com pessoal da União não deve
ultrapassar a 50% da sua receita corrente líquida.

No caso da União, a despesa total com pessoal, em cada período de apuração, não poderá exceder a 50%
da RCL.
Resposta: Certa

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 71


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

87) (CESPE - TFCE - TCU - 2009) Se o aumento acentuado e inesperado do número de matrículas na
rede pública de ensino obrigar a administração a efetuar a contratação de novos professores mediante
terceirização, as despesas daí decorrentes terão de ser enquadradas entre as despesas de pessoal e
computadas para efeito de cálculo do respectivo limite.

Caso determinado órgão público mantenha contrato de terceirização de mão-de-obra para uma atividade
que consta das atribuições dos cargos do quadro de pessoal do órgão em questão, como é o caso de
professores da rede pública, as despesas do contrato de terceirização devem ser contabilizadas como
outras despesas de pessoal.
Resposta: Certa

88) (CESPE Analista Administração - FINEP - 2009) Com exceção das prestações destinadas aos
idosos, nenhum benefício ou serviço relativo à seguridade social pode ser criado, majorado ou estendido
sem a indicação da fonte de custeio total.

De acordo com o art. 24 da LRF, nenhum benefício ou serviço relativo à Seguridade Social poderá ser
criado, majorado ou estendido sem a indicação da fonte de custeio total. Não há exceção das prestações
destinadas aos idosos.
Resposta: Errada

89) (CESPE Contador FUB 2009) A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) considera como baixo
crescimento a variação real acumulada do PIB abaixo de 1% em dois trimestres consecutivos ou em
quatro alternados no intervalo de dois anos.

Entende-se por baixo crescimento a taxa de variação real acumulada do PIB inferior a 1%, no período
correspondente aos quatro últimos trimestres.
Resposta: Errada

90) (CESPE Inspetor de Controle Externo TCE/RN 2009) A LRF prevê a aplicação de restrições à
gestão de recursos públicos, ainda que o limite de despesas de pessoal não tenha sido atingido.

Há limites de alerta e prudencial, que são formas de controle ainda que o limite de despesas com pessoal
não tenha sido atingido.
Resposta: Certa

91) (CESPE Advogado da União 2009) A contratação de hora extra é vedada, por qualquer motivo,
quando a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite do órgão ou poder.

Se a despesa total com pessoal exceder a 95% do limite (denominado de limite prudencial), é vedado ao
Poder ou órgão que houver incorrido no excesso, entre outros, a contratação de hora extra, salvo no caso
das situações previstas na lei de diretrizes orçamentárias.
Logo, a contratação de hora extra é vedada, mas há exceção, quando a despesa total com pessoal exceder
a 95% do limite do órgão ou poder.
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 72


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

92) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) Na verificação do atendimento dos limites
definidos na LRF, para despesas com pessoal, devem ser computadas despesas relativas a incentivos à
demissão voluntária.

Para fins de verificação dos limites definidos na LRF, não serão computadas, entre outras, as despesas
relativas a incentivos à demissão voluntária.
Resposta: Errada

93) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) Segundo a LRF, a União não pode realizar
despesa com pessoal em percentual superior a 50% da receita corrente líquida, nela incluídas as
despesas de indenização por demissão de servidores ou empregados.

Segundo a LRF, a União não pode realizar despesa com pessoal em percentual superior a 50% da receita
corrente líquida.
Entretanto, para fins de verificação dos limites definidos na LRF, não serão computadas, entre outras, as
despesas com indenização por demissão de servidores ou empregados.
Resposta: Errada

94) (CESPE - Analista Administrativo - ANATEL - 2009) As despesas com pessoal, pagas à conta de
despesas de exercícios anteriores, decorrentes de decisão administrativa ou judicial e relativas aos cinco
exercícios anteriores, serão normalmente computadas para efeito de cálculo dos limites fixados para
cada ente e cada um dos Poderes.

As despesas com pessoal decorrentes de sentenças judiciais no período de apuração serão incluídas no
limite do respectivo Poder ou órgão.
No entanto, não serão computadas as despesas decorrentes de decisão judicial e da competência de
período anterior ao da apuração da despesa total com pessoal somando-se a realizada no mês em
referência com as dos onze imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência. Logo, essas
devem ser excluídas do cálculo.

Assim, as despesas com pessoal, pagas à conta de despesas de exercícios anteriores, decorrentes de
decisão administrativa ou judicial e relativas aos cinco exercícios anteriores, não serão normalmente
computadas para efeito de cálculo dos limites fixados para cada ente e cada um dos Poderes.
Resposta: Errada

95) (CESPE - TFCE - TCU - 2009) Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias destinadas ao
pagamento de pessoal e encargos sociais do TCU serão entregues em duodécimos de igual valor, até o
dia 20 de cada mês.

Os recursos correspondentes às dotações orçamentárias, compreendidos os créditos suplementares e


especiais, destinados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, do Ministério Público e da
Defensoria Pública, ser-lhes-ão entregues até o dia 20 de cada mês, em duodécimos. Para tais fins, a
entrega dos recursos financeiros correspondentes à despesa total com pessoal por Poder e órgão será a
resultante da aplicação dos percentuais definidos no art. 20 da LRF. Não serão duodécimos de igual valor.
Resposta: Errada

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 73


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

96) (CESPE Procurador de Contas TCE/ES 2009) A despesa total com pessoal será apurada pela
soma no mês em referência com as previstas para os onze meses imediatamente subsequentes.

Segundo o art. 19 da LRF, a despesa total com pessoal será apurada somando-se a realizada no mês em
referência com as dos 11 imediatamente anteriores, adotando-se o regime de competência.
Resposta: Errada

97) (CESPE - AUFC - TCU - 2008) Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão
computadas as despesas com indenização por demissão de servidores, as relativas à demissão voluntária
e as decorrentes dos contratos de terceirização de mão-de-obra referentes a substituição de servidores e
empregados públicos.

Na verificação da despesa total com pessoal da União, não serão computadas, entre outras, as despesas
com indenização por demissão de servidores e as relativas à demissão voluntária. No entanto, são
computadas as decorrentes dos contratos de terceirização de mão-de-obra referentes à substituição de
servidores e empregados públicos.
Resposta: Errada

98) (CESPE - Analista Judiciário - STF - 2008) Na hipótese de a receita corrente líquida da União atingir,
em determinado período, R$ 400 bilhões, a despesa de pessoal do Poder Judiciário não poderá exceder
R$ 14,4 bilhões.

Na esfera federal, o limite é de 6% da RCL para o Judiciário. Logo, na hipótese de a receita corrente líquida
da União atingir, em determinado período, R$ 400 bilhões, a despesa de pessoal do Poder Judiciário não
poderá exceder a 6% do total, ou seja, R$ 24 bilhões.
Resposta: Errada

99) (CESPE - Analista Judiciário Controle Interno - TJDFT - 2008) Na repartição dos limites das
despesas de pessoal na esfera federal, o TJDFT se inclui no percentual de 6% atribuído ao Poder
Judiciário, que estão compreendidos nos 50% da receita corrente líquida da União.

O TJDFT, apesar de ser do Poder Judiciário, é incluído no percentual de 40,9% atribuído ao Poder
Executivo, que estão compreendidos nos 50% da RCL da União.
Compete à União organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério Público do Distrito Federal e dos
Territórios e a Defensoria Pública dos Territórios (art. 21, XIII, da CF/1988).
Resposta: Errada

100) (CESPE Economista MTE 2008) No estado em que haja tribunal de contas dos municípios, o
limite de despesas de pessoal referente a esse tribunal deve integrar o limite correspondente ao Poder
Legislativo estadual.

Segundo o art. 20 da LRF, nos estados em que haja Tribunal de Contas dos Municípios, o limite de gastos
com pessoal será computado juntamente com o do Poder Legislativo, que é aumentado de 3% para 3,4%
da RCL do estado.
Resposta: Certa

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 74


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende
Sérgio Mendes
Aula 01
13501

E aqui concluímos mais uma aula!

Se ainda ficou com alguma dúvida


ou quer uma alternativa para um
melhor aprendizado, assista aos
vídeos disponíveis na área do
aluno referentes aos temas desta
nossa aula e/ou acesse ao fórum
de duvidas.

Não é o mais forte ou o mais inteligente que sobrevive, mas o que melhor se adapta às
mudanças. (Charles Darwin)

Espero você futuro servidor público em nossa próxima aula!


Dicas literárias:

Atenção Plena, de Mark Williams


Com 200 mil exemplares vendidos, este livro de meditações
apresenta uma série de práticas simples para expandir sua
consciência e quebrar o ciclo de ansiedade, estresse, infelicidade e
exaustão. Este método ajuda a trazer alegria e tranquilidade para sua
vida, permitindo que você enfrente seus desafios com uma coragem
renovada. O livro apresenta um curso de oito semanas com
exercícios e meditações diárias que vão ajudá-lo a se libertar das
pressões cotidianas, a se tornar mais compassivo consigo mesmo e a
lidar com as dificuldades de forma mais tranquila e ponderada.

Finanças Públicas (LRF) p/ SEFAZ-DF (Auditor Fiscal) Com Videoaulas - CESPE 75


www.estrategiaconcursos.com.br 75
50843516100 - susy darley f c resende