Você está na página 1de 3

FIGURAS DE LINGUAGEM

1 - FIGURAS DE LINGUAGEM: São recursos estilísticos que conferem efeitos expressivos


aos textos.

2 – FIGURAS DE PALAVRAS
2.1 - METÁFORA: É uma comparação que não apresenta conectivo comparativo.

Ex. Meu sorriso é uma fenda escavado no chão

2. 2 - COMPARAÇÃO: é uma comparação com a presença de conectivo comparativo.

Ex. Nero foi cruel como um monstro. (como, tal qual)

3. 3 - METONÍMIA: Empregar uma palavra por outra.

Ex. Comi um prato de macarrão; Um Picasso foi vendido; A Inglaterra amanheceu triste

3. 4 – CATACRESE: É uma metáfora morta.

Ex. O pé da mesa está quebrado. Estou com uma dor na batata da perna.

3. 5 - ANTONOMÁSIA (quando se refere a pessoa) e perífrase (quando se refere a coisa) É


usar uma expressão consagrada que remete a outro termo.

Ex. Visitarei a Cidade Luz (Paris). Os quatro rapazes de Liverpool tocarão hoje (The Beatles).

3. 6 – SINESTESIA: É a mescla de sentidos. (é misturar olfato, Tato, visão, audição)

Ex. Um áspero sabor de indiferença a atormentava.

Sua voz doce e aveludada era uma carícia em meus ouvidos.

3 – FIGURAS DE CONSTRUÇÃO
3. 1 – ELIPSE: É a omissão de um termo facilmente subtendido pelo contexto.

Ex. *E espero tenha sido a última. (omitiu-se é conjunção integrante que) ...espero que
tenha...

* Perguntei-lhe quando voltava. Ele disse que não sabia. (aqui se omitiu toda uma oração
"quando voltava"

3. 2 – ZEUGMA: É omissão de um termo já mencionado no texto. É muito comum em


Orações comparativas.

Ex. Paulo concluirá o curso em dezembro; João, em março. (como ficaria o trecho sem o
zeugma: Paulo concluirá o curso em dezembro João, concluíram o curso em março).

3. 3 – PLEONASMO: É o emprego de palavras redundantes.


Ex. E rir meu riso e derramar meu pranto.

A mim resta- me a independência para chorar.


3. 4 - POLISSÍNDETO: É a repetição de conectivos. É figura mais comum em poesias.

Ex. Fui cisnei, e Lírio, e água, e catedral.

Minha parte é nula. Nem glória, nem amores, nem santidade, nem heroísmo.

3. 5 - ASSÍNDETO: É a ausência de conectivos.

Ex. O sol brilhou, o Galo Cantou, o dia começou. "Nada de conectivos aí no meio".

3.6 - INVERSÃO: Consiste em um inverter a ordem dos termos da oração.

Ex. Ouviram do Ipiranga as margens plácidas de um povo heroico brado retumbante. (como
ficaria na ordem direta)

As margens plácidas do Ipiranga (sujeito) ouviram (verbo) o brado retumbante de um povo


heroico (o objeto direto).

3. 7 - ANACOLUTO: É o rompimento do fio da frase.

Ex. Umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas, de tão
imprestáveis. (reparem que a frase tem uma linha até guarda-roupa quando então ela pega um
novo rumo).

3. 8 - SILEPSE: Consiste em estabelecer a concordância verbal com uma ideia subentendida


na oração, e não com os termos expressos.

Ex. Os professores devemos sempre estudar muito. (De pessoa)

Porto Alegre está preparada para o inverno. (De gênero)

3. 9 - ANÁFORA: É a repetição de um mesmo termo no início da frase.

Ex. Será só imaginação? Será que nada vai acontecer? Será que é tudo isso em vão? Será que
vamos conseguir vencer?

4 - FIGURAS DE PENSAMENTO

4. 1 - ANTÍTESE: É o contraste Entre palavras de sentidos opostos.

Ex. Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios. Como eram possível
beleza e * horror* vida e * morte** harmonizarem se assim no mesmo quadro?

4. 2 - APÓSTROFE: É a invocação de algo ou alguém pelo narrador.

Ex. Deus! Ó Deus! Onde Estás que não respondes?

Minha senhora, Dona , um menino nasceu: o mundo tornou a começar.

4. 3 – EUFEMISMO: É a suavização de um termo desagradável. Exemplos:

Ex. O jurista faltou com a verdade. (mentiu) Ele foi desta para melhor. (morreu)
4. 4 - GRADAÇÃO: É a ordenação de palavras de sentido ascendente ou descendente.

Ex. Quando contrariado, costuma xingar , fingir mágoa, render-se .


4. 5 – HIPÉRBOLE: É o exagero.

Ex. Estávamos mortos de fome. Ela derramou um mar de Lágrimas.

4. 6 – IRONIA: Consiste em dizer o contrário do que se pensa, produzindo um efeito


sarcástico e humorístico.

Ex. Fizeste um excelente serviço. (Mas o serviço foi horrível)

Há recessão, há desemprego, há miséria, mas tudo está sobre o controle de geniais


economistas.

4. 7 - PARADOXO (Oxímoro): É a criação de um contrassenso.

Ex. Valentia covarde assaltar e matar pessoas indefesas.

Amor é contentamento descontente.

4. 8 – PERSONIFICAÇÃO: Consiste em atribuir predicados de seres animados a seres


inanimados.

Ex. O luar acariciava os jardins e as flores dançavam.

O rio falava e o vento respondia.

5 - FIGURAS DE SOM

5. 1 – ALITERAÇÃO: É a repetição de sons consoantes.

Ex. Chove chuva, chove sem parar.

O rato roeu a roupa do rei de Roma.

5. 2 – ASSONÂNCIA: É a repetição de sons vogais.

Ex. O que o vago e incógnito desejo

De ser eu mesmo de meu ser me deu.

5. 3 – ONOMATOPÉIA: Consiste na imitação de sons.

Ex. Vrum ! Passou o carro.

Ela vivia resmungando NHEM-NHEM-NHEM.. .

5. 4 – PARANOMÁSIA: É ordenar palavras de sons parecidos, mas de significados diferentes.

Ex. Penso , Passo e Peço .

Violência , viola , Violeiro .