Você está na página 1de 4

A história do canto coral tem suas raízes

intimamente associadas à história da música e da


própria humanidade.
As primeiras melodias foram proferidas durante o
canto coletivo de tribos primitivas em rituais
religiosos para clemência e agradecimento aos
deuses.
A origem da palavra CORAL vem da palavra
KHOROS, do grego, das encenações trágicas do
Teatro Grego e nas funções de adoração religiosa,
nos templos, um grupo de pessoas se apresentava
cantando e dançando juntos (em coro), unidos pela
poesia tendo um cantor principal – Corifeu -nas
antigas tragédias e comédias do teatro grego, era o
chefe do coro, aquele que enunciava partes isoladas
do texto. Era um membro destacado do coro, que
podia dialogar com os atores.
O coro na tragédia grega servia como a consciência
da sociedade e do público. Os gregos cultivaram as
artes com extremo foco, pois a música era
obrigatória na formação do indivíduo, assim como a
educação física e as armas. Dissociado da dança e da
poesia falada, o canto coral tem poucas provas de
sua existência no tempo antigo, como alguns
fragmentos de hinos cantados nos templos gregos e
uma série de salmos inseridos nos cultos do templo
de Jerusalém. Baseamos então, sua existência em
relatos nos papiros, pergaminhos e esculturas dos
templos.
Canto Gregoriano
– É o canto litúrgico introduzido pelo papa Gregório I, um homem que se
dizia servus servorum Dei (servo dos servos de Deus) e que foi Papa de
590 a 604.

Herdeiro de uma grande fortuna e ex-prefeito de Roma, decidiu pela vida


monástica aos 35 anos e transformou suas propriedades em monastérios.
Foi eleito papa a contragosto aos 50 anos e assentou-se na cadeira de Pedro
de 590 a 604, quando morreu.
Manuscrito de Lutero

Martinho Lutero, reformador religioso, também teve papel importante


na evolução da música, ele iniciou o canto coral no século XVI, que é
bem diferente do canto orfeônico.
Porque o canto coral exige mais técnica vocal e conhecimento musical,
por ter um estilo mais difícil. O Coro é o mais antigo entre os grandes
agentes sonoros coletivos. Antigos documentos do Egito e
Mesopotâmia revelam-nos a existência de uma prática coral ligada aos
cultos religiosos e às danças sagradas. O termo Choros possui um
sentido bastante amplo e com o decorrer da história passou por
diversos significados. Lutero era músico, percebeu que através do
canto coral, poderia organizar e propagar em toda Alemanha melodias
populares e o canto gregoriano com o repertório da língua alemã, com
o objetivo de que os fiéis entendessem o que estava sendo cantado e
compreender bem o que se dizia.A prática coral foi cada vez mais se
desenvolvendo e se desligando do Clero. Irmandades foram surgindo
no sentindo de dedicar-se a música. Inicialmente, somente a música
sacra era permitida, mas aos poucos a música profana começou a
fazer parte.A Igreja foi responsável pela conservação e divulgação da
música coral através dos tempos.