Você está na página 1de 2
ARTIGOS ALIMENTOS FUNCIONAIS - NUTRACEUTICOS Reson Este trabalho faz uma aborda- ‘gem das caracteristicas dos alimen- tos funcionais, que sao substancias biologicamenteativase os seus efei- tos benéficos a sate. Os alimentos funcionais so es- tudados e desenvolvidos para, além de cumprir sua funcao nutricional basica, também auxiliar na reducdo de doencas cronico-degenerativas. E importante lembrar o fato de que uma vida saudavel depende de uma alimentagao equilibrada; por- tanto os alimentos funcionais nio devem ser considerados apenas para prevenir ou curar doencas. w This work isan approach of the characterisitics of the funcional food, which is its beneficial effect to health. Functional food is studied and developed so that not only fulfills its basic nutricional role but aiso reduces the occurence of chonic- degenerating diseases. Itis important to highlight that a healthly life depends on a balanced diet ‘Therefore the functional food cannot be ecto only considered to prevent or cure nesses, but, most of all, to provide a better quality of lf nutrientes é essencial GF ( para o crescimentoeso- brevivencia dos seres vivos. A ma- neira pela qual os nutrientes tornam- se partes integrantes do organismo e contribuem para 0 seu funciona- mento depende dos processos bioquimicos e fisiolégicos que deter- ‘minam suas acdes (KRAUSE, 1998). Embora ha muito tempo sabe- se que os alimentos tém um papel importante na manutencao da sati- de e na longevidade, nunca, como nas iltimas duas décadas, tem-se pesquisado tanto sobre os seus componentes € stia agao em nosso organismo. Lynn ingestao adequada de Definigdo e caracteristicas Denomina-se ” funcional” todo alimento ou componente de ali- mentos e bebidas que oferecem um beneficio saudavel, além de seu va- | lor nutritivo inerente a sua compo- sicao quimica, podendo desempe- nhar um papel potencialmente be- néfico para a prevencao e trata- mento de doencas (NEUMANN; _ ABREU; TORRES, 2000), (Os principais grupos de compos- tos biologicamente ativos atualmen- te conhecidos sao: fibras soliveis e insoltiveis, flavondides, carotendides, fitoesterdis, fitoestandis, dcidos graxos (w3 e w6), prebidticos e probisticos (TORRES, 2001). © grupo das fibras soliveis (maca, péra, aveia, feijao, ervilha, lentilha) e insohiveis (vegetais, tr go, centeio). As fibras ligam-se aos sais biliares no intestino, diminuin- do sua reabsorcao, 0 que resulta em. menos colesterol disponivel no fi- gado paraa sintese de lipoproteinas (COSTA, 2001). Osefeitos benéficos associadosao seu consumo sao, basicamente, redt- @o do nivel de colesterol sangiiineo e diminuicao do risco de desenvolvi- mento de cancer, decorrente de tiés fatores: capacidade de retencao de substancias toxicas ingeridas ; redu- do do tempo de trinsito intestinal, acarretandoem répida eliminacdodo bolo fecal; formacao de substancias protetoras pela fermentacao bacteria- na dos componentes da fibra (TOR- RES,2001). O grupo dos flavonides per- tence a categoria dos compostos fendlicos, ou polifensis e engloba cerca de 5.000 substancias atual- mente conhecidas, divididas em dois subgrupos: antocianinas e antoxantinas. Possuem intimeras propriedades bioquimicas e farma- colégicas, incluindo efeitos anticar- cinogénicos, antiinflamatérios e an- tialergicos (TORRES,2001), O grupo dos carotencides é com- posto por mais de 1.600 compostos quimicos, cuja principal caracteris- tica é a determinacao de coloracao ‘em determinadas partes do vegetal, como frutos e folhas. Os efeitos terapéuticos da ingestao de alimen- | toscontendo carotendides so decor- een rentes de sua atividade antioxidante eanticarcinogénica, destacando-se o licopeno, o beta-caroteno ea luteina (TORRES, 2001). Dentre os alimentos funcionais do tipo fitonutrientes, os que tem despertado maior interesse por re~ duzirem os niveis de colesterol sao 05 fitoesterdis e fitoestandis (HI- CKS; MOREAU, 2001). Foram identificados esterdis em plantas, entre os quais: o beta-sitoesterol, estigmaesterol e campesterol. Os fitoestandis sao derivados primariamente do milho, arroz, centeio e trigo (HICKS; MO- REAU, 2001). Weststrate e Meijer (1998), com- pararam os efeitos de margarinas enriquecidascom cada vegetal éster de estanol ou éster de sitoestanol (3.3mg/dia) em pacientes hiperco- esterolémicos moderados. Surpre- endentemente os dois ésteres esta- vam igualmente efetivos em dimi- nuir 0 LDL-C no sangue, Recomendagées feitas pela FDA 2000, consistem em incluir éster de estanol em saladas, salgadinhos suplementos dietéticos e éster de esterol somente em saladas. O grupo dos acidos graxos € basicamente composto por lipi- deos poliinsaturados das séries Omega 3 ¢ 6, presentes em peixes de 4gua fria e alguns tipos de ve- getais, cujos principais efeitos t mais de 40 ARTIGOS rapéuticos sao a prevengao de do- encas cardiovasculares e cancer (TORRES, 2001). Otermo probistico foi definido como” organismos vivos que quan- do ingeridos em determinado ni- mero exercem efeitos benéficos & satide” Como fungao funcional be- néfica no organismo os probidticos tém efeito sobre o equilfbrio bacte- iano intestinal, controle de coles- terol e reducao do risco de cancer (BORGES, 2001). Covevesio Os alimentos funcionais , tendo em vista o ntimero crescente de pro- dutos, movimentam um mercado estimado em cerca de US$70 bilhdes ‘em todo o mundo, pela propria defi- nicdo: todo alimento natural pode a principio ser classificado de” funci- onal”, j& que contém, em doses va- ridveis, substancias essenciais a saiide como proteinas, vitaminas e minerais. Deve-se seguir entdo uma dicta balanceada e variada para a manutencao da sauide. Porém ainda nao foram estabe- lecidos niveis adequados de inge tao desses alimentos. Eimportantelembrarquea vida saudavel nao depende somente dos alimentos que sao ingeridos, mas do estilo de vida, hereditariedade e do meio ambiente, nao interferéne DISQUE-DENGUE 0800-7720988 (ligacao gratuita) podendo os alimentos funcionais ser considerados para prevenir ou curar doencas. Rererevcus Bintiwcnarieas: NEUMANN, A. ICP, ABREU, E. TORRES, E.A.ES. Alimen Sauces, Alimentos funcio Farmaco alimentos, Nutracéuticos...Voe? jd owviu falar? Higiene Alimentar, 0. 14, 1.71, p-19- 23, 2000. RES, EALFS. Alimentos em questio: uma abordagem técnica para as Duvidas mais comuns. So Paulo: Ponto Critico.2001 MAHAN, L. K. Krause: alimentos, nutricdo ¢ dietoterapia. 9.ed. So Paulo: Roca,1998 HICKS, KB.; MOREAU, RA, Phytosterols ‘and Phytostanols: Funcional Food Cholesterol Busters, Food Technol, 1855, m1, p.63-66,2001 COSTA, RP, Fibra: inter-relago com a ‘doenga cardigoascular. Qualidade em Alimentacao Nutricao, 1.8, p.9 ,2001 Weststate, [and Meijer, G. Plant sterol- ‘enriched margarines and Reduction of plasma total-and LAD- Colesterol concentrations in normocholesterolaemic and mildly ypercholesterolaemic subjects. Bue J, Clin. Nut, 2. 52, p 334343, 1998, Fuller, R. Probities in man and animals. J appl. Bacterial, «65, p 365-378, 1989, It BORGES, V.C. Probitico: alimentos funcionais. SBNPE, v1, 134, 2001 FDA 200 Food and Drug Administration. Food labcng: Health claims; Plant sterol” stanol esters anc coronary heart dieas Dispontvel em: asso em: jan 2001,