Você está na página 1de 9

CLARETIANO CENTO UNIVERSITÁRIO

TERCEIRO PORTIFÓLIO
PROJETO DE PRÁTICA: O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL E O
CUIDAR E EDUCAR COMO ASPECTOS INDISSOCIÁVEIS

Aracaju
2018
Projeto de prática: O currículo na Educação Infantil e o cuidar e educar como aspectos
indissociáveis

Atividade apresentada ao Centro


Universitário Claretiano para a
disciplina Educação de Crianças, Jovens e
Adultos e Psicologia do Desenvolvimento,
como requisito parcial para obtenção de
avaliação.
Profª. Dra. Lilian Paula D. Bérgamo.

Aracaju
2018
INTRODUÇÃO

O presente Projeto de prática intitulado “O currículo na Educação Infantil e o cuidar e


educar como aspectos indissociáveis”, foi realizado na Creche Municipal Professora Gislene
Costa, situada no município de Ribeirópolis, Sergipe, e teve como objetivo abordar os
conteúdos da Unidade 3, da disciplina Educação de Crianças, Jovens e Adultos e Psicologia do
Desenvolvimento, relacionando com os aspectos identificados no ambiente escolar o no
currículo da escola sobretudo, nos aspectos o cuidar e educar, a na organização do tempo e
espaço. Todos esses aspectos devem serão levantados a partir da investigação do currículo
escolar na educação infantil recorrendo a uma leitura do seu Projeto Político Pedagógico e de
sua função no espaço educativo.

A partir disso, vimos que o PPP é um instrumento que reflete a proposta educacional da
escola, e que é através dele que a comunidade escolar pode desenvolver um trabalho, cujas
responsabilidades pessoais e coletivas são assumidas para execução dos objetivos
estabelecidos. Assim, quando a Constituição da República Federativa do Brasil, em seu Artigo
250, fala “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e
incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu
preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (BRASIL, 2018),
devemos perceber que é através desses dois instrumentos, PPP e Currículo, que a escola deve
ser pensada e construída. Essa construção deve ser idealizada e realizada em cima da
observação, reflexão do cotidiano infantil e de seu meio social, pois o educador nunca poderá
se esquecer de que tem um papel político de transformação na sociedade. É preciso ter
consciência de que sempre haverá uma concepção de educação educativa implícita no ato
educativo, mesmo que os membros da comunidade escolar não tenham a plena consciência
disso. Por isso, essa questão precisa ser discutida e esclarecida para que os controles sociais
sejam uma realidade dentro do processo educativo.

Infelizmente essa não é uma realidade das escolas brasileira sobretudo das públicas,
afinal, é muito comum encontrar escolas onde o PPP é construído para atender a um conjunto
de escolas perdendo assim, seu caráter único que associa os termos escola e identidade.
Segundo Emanuelle Oliveira (2018), “Um projeto é um esforço temporário empreendido cujo
objetivo é criar um novo produto, serviço ou processo. O Projeto Político Pedagógico é um
instrumento que reflete a proposta educacional da escola. É através dele que a comunidade
escolar pode desenvolver um trabalho coletivo, cujas responsabilidades pessoais e coletivas são
assumidas para execução dos objetivos estabelecidos”. Essa construção deve ser idealizada e
realizada em cima da observação, reflexão do cotidiano infantil e de seu meio social, pois o
educador nunca poderá se esquecer de que tem um papel político de transformação na
sociedade. É preciso ter consciência de que sempre haverá uma concepção de educação
educativa implícita no ato educativo, mesmo que os membros da comunidade escolar não
tenham a plena consciência disso. Por isso, essa questão precisa ser discutida e esclarecida para
que os controles sociais sejam uma realidade dentro do processo educativo.

Dessa forma, enquanto o PPP tem a função de propor uma forma de organizar o trabalho
pedagógico visando uma superação dos conflitos, buscando rechaçar as relações competitivas,
corporativas e autoritárias na tentativa de acabar com a rotina do mundo interno da instituição,
o currículo escolar norteia todo o trabalho desenvolvido na escola, tendo em vista as
características do mundo e da sociedade atual, refletido na visão de mundo expressado nos
documentos orientadores por meio das formas efetivas de ação dos agentes educacionais e,
dessa forma, dos valores, normas, hábitos, atitudes que governam as relações escolares, sempre
numa relação de consonância com o PPP. Pensar em currículo é pensar sobre o que trabalhar
com as crianças da Educação Infantil, levantando questões como quem são as crianças, como
elas aprendem, como elas se desenvolvem, o que deve nortear minhas escolhas, legislação e
proposta pedagógica, quais as necessidades e interesses dessas crianças e por fim, quem será
protagonista nesta construção.

DESENVOLVIMENTO

Ao visitar a Creche Municipal Professora Gislene Costa, situada no município de


Ribeirópolis, Sergipe, aplicamos o Projeto “O currículo na Educação Infantil e o cuidar e
educar”. Com a diretora de férias, tivemos a contribuição da coordenadora que prontamente
respondeu algumas questões levantadas acerca do tema e disponibilizou os documentos que
norteiam o funcionamento da escola. Durante as visitas, percebemos como os diversos aspectos
do mundo e da comunidade local são trabalhados. Que existe muita boa vontade em mostra,
ouvir, e sobretudo em atender pessoas que possam contribuir com a melhoria das condições de
atendimento de uma educação de qualidade e, foi com essa energia que fomos recepcionados
na Instituição e autorizados a construir o algo que fosse importante não só para a formação do
profissional enquanto estudante, mais que também pudesse levar os profissionais da escola a
refletirem sobre o andamento do processo educativo e tudo que o cerca.
Desse modo, iniciamos os trabalhos de investigação e observação e apresentamos agora
os resultado relacionando, com conteúdo estudados e com o que foi apurado durante o período
de visitas.

A primeira pergunta levantada aborda a temática: Como devemos pensar o currículo na


Educação Infantil?

Segundo a diretora, pensar em currículo é pensar sobre o que trabalhar com as crianças
da Educação Infantil levantando questões como quem são as crianças, como elas aprendem,
como elas se desenvolvem, o que deve nortear minhas escolhas, legislação e proposta
pedagógica, quais as necessidades e interesses dessas crianças e por fim, quem será protagonista
nesta construção.

Ao conversar com professores e coordenadores, verificamos que esse levantamento é feito


ainda durante o período de matrícula, quando é feita uma análise das crianças que fizera a
rematrícula, nesses casos já existe um conhecimento do aluno e de suas necessidades, e de
alunos novos. Neste caso, ainda no ato da matrícula, é feita uma entrevista com os pais onde
são passadas informações sobre a criança e a expectativa dos pais na matrícula. Também são
realizadas reuniões com professores onde são tratadas questões de aprendizagem e
desenvolvimento das crianças para que haja a garantia de que todas as crianças estão sendo
contempladas no currículo escolar.

A segunda pergunta questiona: Em qual concepção de criança o currículo da escola está


embasado?

A resposta foi que o currículo está organizado para o trabalho com a criança de 03 a 05
anos em jornada parcial atendendo no cuidar e educar de forma indissociável, oportunizando
diversas experiências e respeitando a criança como um sujeito de direitos considerando por fim,
sua realidade sociocultural, de suas famílias e da comunidade em que a instituição está inserida,
bem como, selecionar conteúdos que ampliem o universo cultural das crianças na perspectiva
de sua formação humana.

De fato, ao observar os documentos da escola, pudemos observar que a atual gestão está
atualizando os documentos que norteiam o funcionamento da Instituição na busca por melhor
atender a comunidade na qual está inserida. Existe ainda uma boa vontade muito grande em
adequar a realidade praticada com o que está escrito nos documentos escolares. Segundo o que
levantamos quando conversamos com professores, essa é uma prática muito comum nas escolas
da rede.

Na pergunta seguinte levantamos os questionamentos acerca de Como o desenvolvimento


da criança é trabalhado, estimulado? E como as áreas do conhecimento (linguagem,
matemática, artes) são trabalhadas de acordo com o currículo proposto?

Para a diretora, o processo de desenvolvimento e aprendizagem das crianças na Educação


Infantil, o lúdico, o movimento e as brincadeiras são fundamentais, pois é através delas, que as
crianças criam condições de desenvolver as suas capacidades, formam conceitos, criam as suas
hipóteses, selecionam ideias, estabelecem relações lógicas, integram percepções e se
socializam. Dessa forma, podem ser trabalhadas as diversas áreas do conhecimento através da
exploração da linguagem, raciocínio lógico, e do afeto entre as crianças.

Ao assistir as aulas pudemos observar o quanto de fato o lúdico, o movimento e as


brincadeiras são trabalhados e respeitados dentro daquilo que é planejado e desenvolvido por
toda a equipe da escola. Todos os ambientes da escola são explorados para proporcionar
aprendizagens significativas aos alunos um exemplo do que pudemos ver foi a visita dos alunos
de 4 anos a horta localizada na parte de traz da escola onde pudemos notar muita participação,
interatividade e sobretudo, muita felicidade entre as crianças proporcionando por fim, o prazer
no ensinar e no aprender.

Como é visto o cuidar e o educar no currículo da escola? O que significa o cuidar e o


educar?

Na educação infantil é preciso que o professor integre as funções de cuidar e educar as


crianças propiciando situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma
integrada.

Cuidar e o educar significa estabelecer uma visão integrada de desenvolvimento da


criança com base em concepções que respeitem a diversidade, o momento e a realidade,
peculiares à infância. Cuidar e educar implica reconhecer que o desenvolvimento, a construção
dos saberes, a constituição do ser não ocorre em momentos e de maneira compartimentada

A seguir, a diretora foi questionada sobre como deve ser pensada a organização do tempo
e do espaço na educação infantil?
A resposta foi que deve ser pensada a partir do planejamento feito pela equipe pedagógica
e professores que é traduzido no plano anual de trabalho e no plano de aula. E comentou
afirmando que essa rotina traz segurança aos professores e oportunidade as criança para melhor
aproveitamento do espaço e do tempo que passa na escola.

De fato o que pudemos observar é que o planejamento feito pela equipe pedagógica e
professores não se trata apenas de um documento que vai para a gaveta e não é aplicado, na
escola em questão, o plano é seguido e revisado sempre que há necessidade e isso é refletido
no desempenho de alunos e professores que conseguem tirar aproveito de tudo que a escola tem
a oferecer, mesmo que o tudo seja o mínimo necessário para o funcionando.

Por fim, foi questionado qual o papel do professor (pedagogo) na organização do tempo
e espaço oferecido às crianças na educação infantil?

Respondeu que o papel do professor é essencial para o bom funcionamento e desempenho


das atividades propostas, pois por meio da mediação das atividades propostas e aplicação do
que foi planejado e traduzido em seu plano de ensino o professor organização da rotina da
escola e orienta as crianças no tempo e no espaço.

Todo esse respeito e confiança de fato se reflete no ambiente escolar onde professores são
ouvidos, respeitado e reconhecidamente fundamentais no processo.

DISCUSSÃO

Ao tratar da proposta pedagógica e currículo na educação infantil, devemos ter em mente


que são documentos que informam e norteia as ações construídas no currículo infantil e, sendo
assim, é necessário que cada instituição produza sua própria proposta pedagógica afinal, é
através dela que a comunidade escolar pode desenvolver um trabalho cujas responsabilidades
pessoais e coletivas são assumidas para execução dos objetivos estabelecidos. Devemos
perceber também que é através desses dois instrumentos que a escola deve ser pensada e
construída e para isso, é imprescindível que todo o processo de construção seja idealizada e
realizada e/ou revisada frequentemente e ainda, que tudo seja feito em cima da observação,
reflexão do cotidiano infantil e de seu meio social.

Dessa forma, sendo o PPP o instrumento que tem a função de propor uma forma de
organizar o trabalho pedagógico visando uma superação dos conflitos, buscando rechaçar as
relações competitivas, corporativas e autoritárias na tentativa de acabar com a rotina do mundo
interno da instituição, e o currículo escolar o instrumento que norteia todo o trabalho
desenvolvido na escola, tendo em vista as características do mundo e da sociedade atual,
refletido na visão de mundo expressado nos documentos orientadores por meio das formas
efetivas de ação dos agentes educacionais e, dessa forma, dos valores, normas, hábitos, atitudes
que governam as relações escolares, devemos pensar o PPP e o currículo na perspectiva de
trabalhar com as crianças da Educação Infantil levantando questões como as que quem são as
crianças, como elas aprendem, como elas se desenvolvem, o que deve nortear minhas escolhas,
legislação e proposta pedagógica, quais as necessidades e interesses dessas crianças e por fim,
quem será protagonista nesta construção.

Na Creche Municipal Professora Gislene Costa, pudemos observar que o currículo está
organizado para o trabalho com a criança de 03 a 05 anos em jornada parcial, com participação
ativa da comunidade escolar nas diversas atividades desenvolvidas. A escola estimula o
processo de desenvolvimento e aprendizagem das crianças fazendo uso recursos que utilizam o
lúdico, o movimento e as brincadeiras que são ferramentas fundamentais para o processo, pois
é através delas que as crianças criam condições de desenvolver as suas capacidades, formam
conceitos, criam as suas hipóteses, selecionam ideias, estabelecem relações lógicas, integram
percepções e se socializam. Dessa forma, ao explorar tais atividades, as diversas áreas do
conhecimento são trabalhadas através da exploração da linguagem, raciocínio lógico, e do afeto
entre as crianças.

Portanto, a instituição busca trabalhar olhando para além das funções de educar, busca
oferecer recursos para que o educador tenha a possibilidade de unir as funções de cuidar e
educar propiciando situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma
integralizada as crianças. Neste caso, o cuidar e o educar significa que deve ser estabelecida
uma visão integrada de desenvolvimento da criança com base em concepções que respeitem a
diversidade, o momento e a realidade peculiares à infância. Cuidar e educar implica portanto,
reconhecer que o desenvolvimento, a construção dos saberes, e a constituição do ser não
ocorrem em momentos distintos mais sim de maneira integralizada. Entretanto o sucesso desse
processo a escola tem que dá prioridade a organização do tempo e do espaço, nesse contexto o
currículo deve ser pensado a partir do planejamento feito pela equipe pedagógica e professores
e traduzido no plano anual de trabalho e no plano de aula. Essa rotina possibilita aos educadores
a segurança e o domínio essenciais para o bom funcionamento e desempenho das atividades
propostas pois, por meio da mediação das atividades propostas e aplicação do que foi planejado
e traduzido em seu plano de ensino, o professor consegue organizar a rotina da escola e orientar
as crianças para que estes tenham a oportunidade de aproveitar ao máximo o espaço e o tempo
em que passa na escola.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Constituição Federal. Disponível em:


https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_05.10.1988/ind.asp. Acesso em
18/10/2018.
OLIVEIRA, Emanuelle. Projeto Político Pedagógico. Disponível em:
https://www.infoescola.com/educacao/projeto-politico-pedagogico/. Acesso em 18/10/2018.

SILVA, Otavio Henrique Ferreira da; SOARES Ademilson de Sousa. Contextos do projeto
político-pedagógico na educação infantil. Disponível em:
https://rbeducacaobasica.com.br/contextos-do-projeto-politico-pedagogico-na-educacao-
infantil /. Acesso em 18/10/2018.

ANDRADE Lucimary Bernabé Pedrosa de, SOUZA Tatiana Noronha de. Fundamentos da
educação infantil: Caderno de Referência de Conteúdo. Batatais. 2013. Claretiano.

SANTOS, Amarildo Inácio dos. A nova base nacional comum curricular: Uma análise da
exclusão dos termos gênero e orientação sexual à luz de MICHEL FOUCAULT. Disponível
em:
https://www.researchgate.net/publication/323644136_A_NOVA_BASE_NACIONAL_COM
UM_CURRICULAR_UMA_ANALISE_DA_EXCLUSAO_DOS_TERMOS_GENERO_E_
ORIENTACAO_SEXUAL_A_LUZ_DE_MICHEL_FOUCAULT. Acesso em 17/09/2018.

GONTIJO, Cláudia Maria Mendes. Base nacional comum curricular (BNCC): Comentários
críticos. Disponível em: https://novaescola.org.br/bncc/conteudo/1/conheca-e-entenda-as-
competencias-gerais-da-bncc. Acesso em 17/09/2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Disponível em:


http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/base/o-que. Acesso em 17/09/2018.