Você está na página 1de 28

Planejamento e Logística de Canteiros de Obra

FTC - Faculdade de Tecnologia e Ciências


Curso de Engenharia Civil
MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA
Disciplina - Construção Civil I
Conceitos Planejamento de Canteiro
Básicos de Obras
É o planejamento do layout e da logística
das suas instalações provisórias, instalações
de segurança e sistema de movimentação e
armazenamento de materiais.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Conceitos
Básicos Planejamento do layout
Envolve a definição do arranjo físico de
trabalhadores, materiais, equipamentos,
áreas de trabalho e de estocagem.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Conceitos
Básicos Planejamento logístico
Estabelece as condições de infraestrutura
necessárias para o desenvolvimento do
processo produtivo. Por exemplo: as
condições de armazenamento e
transporte de materiais.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Conceitos
Básicos Planejamento de segurança
É fundamental a organização e gestão no canteiro,
de modo a prevenir acidentes e doenças
ocupacionais, além de manter de forma adequada
o meio ambiente de trabalho

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


PLANEJAMENTO DE UM
CANTEIRO DE OBRAS
AS DUAS PRINCIPAIS DIRETRIZES:
➢ OPERACIONAL: compreende todos os
processos e sistematizações dos serviços;
➢ FÍSICO E FINANCEIRO: a locação das
atividades e sua relação de custos.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Em uma primeira análise
▪ Elencar as premissas operacionais;
▪ Optar pelo processo de construção;
▪ Projetar o layout do canteiro de obras;
▪ Escolher os equipamentos para a execução da obra;
▪ Estabelecer as etapas da obra;
▪ Prever as necessidades de mão de obra, quantitativa e
qualitativamente;
▪ Prever os recursos financeiros necessários.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Objetivos do planejamento
1. Obter a melhor utilização do espaço físico
disponível, de forma a possibilitar que
homens e máquinas trabalhem com
segurança;
2. Promover operações eficientes e seguras
e manter alta a motivação dos
empregados;
3. Minimizar distâncias de transporte,
minimizar tempos de movimentação de
pessoal e materiais, minimizar manuseios
de materiais e evitar obstruções ao
movimento de materiais e equipamentos.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


TIPOLOGIA DOS
CANTEIROS DE OBRAS
Outro aspecto relevante ao estudo do canteiro
é justamente referente à sua tipologia, pois a
mesma será fundamental na elaboração do
projeto do canteiro, sendo específico para
cada projeto.

Com relação à tipologia, os canteiros de obras


podem ser:
❑ Restritos;
❑ Longos e estreitos e,
❑ Amplos.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Canteiros Restritos
Podem ser encontrados com maior
frequência nos grandes centros das cidades
ou onde o custo por área construída é mais
elevado, tendo em vista que neste caso as
edificações ocupam geralmente o terreno
total.

É necessário ter uma atenção e um cuidado


em especial no planejamento de canteiros
restritos, demonstrando clareza e
objetividade nos critérios adotados.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Canteiros Amplos
São aqueles no qual a edificação ocupa uma
pequena parte do terreno completo,
contribuindo com espaços significantes para o
fluxo de materiais e pessoas, disponibilização
de áreas para estocagem e recebimento..

Em geral, esses canteiros apresentam grandes


máquinas e, durante vários momentos, há a
necessidade de interagir com outras pessoas e
entidades que não participam diretamente da
obra, como prefeituras, polícia de trânsito e
cidadãos comuns.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Canteiros
Longitudinais
Os canteiros longos e estreitos, tambem conheicidos
como longitudinais podem ter características do tipo
restrito ou amplo.
A diferenciação se dá principalmente na
complexidade da organização física, pois a
movimentação no canteiro é mais difícil e as
distâncias de percursos ficam maiores.
Como exemplos, podemos citar a construção de
rodovias, obras pluviais e sanitárias urbanas.
Em geral, esse tipo de canteiro é estreito,
dificultando o fluxo adequado de pessoas,
equipamentos e materiais.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Planejamento prévio
▪ ESTUDOS PRELIMINARES
✓ Estudo com o cliente
✓ Exame local do terreno
✓ Limpeza do terreno
✓ Levantamento topográfico
✓ Nivelamento
▪ TRABALHOS PRELIMINARES
✓ Terraplenagem
✓ Instalação da obra
✓ Locação da obra
✓ Traçado

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Montagem da infraestrutura
MOBILIZAÇÃO Analisar as vias de acesso, locais para a
instalação dos escritórios e áreas de vivência,
DE além do tipo de equipamento que será utilizado
CANTEIROS para o transporte de materiais.

Acessos ao canteiro de obras


Analisar se há mais de uma rua de acesso, qual
o nível de implantação do empreendimento em
relação ao nível dessa via, qual o tráfego da rua
etc.

O recomendável é criar pelo menos dois portões:


um para acesso de pessoas e outro para
descarga de caminhões.

Espaço técnico-administrativo móvel


A localização da área de escritórios e
almoxarifado varia de canteiro para canteiro.
Quando há espaço disponível que não interfira
na obra, adota-se uma estrutura fixa.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Mobilização do Canteiro
✓ Tapumes de fechamento;
✓ Escritórios administrativos;
✓ Almoxarifados e depósitos de materiais;
✓ Instalações de luz, água.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


As instalações de infraestrutura podem ser
Instalações consideradas como os pressupostos básicos
para um desenvolvimento adequado de uma
de obra.
Infraestrutura

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Fornecimento de Água
Diversas atividades necessitam diretamente do abastecimento de água na obra,
como exemplo a preparação de argamassa e lavagem das ferramentas.
Nas áreas de vivência as instalações hidro sanitárias precisam de uma
distribuição de água que atenda aos requisitos de vasão mínimos para banheiros.
A demanda do abastecimento pode ser analisada com valores médios de
referência (tabela 1).

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Conjunto de áreas destinadas à execução e
apoio dos trabalhos da indústria da construção,
NR 1367 dividindo-se em áreas operacionais e áreas de
(NBR12.284) vivência.

Área de vivência em
canteiros de Obras

Condições e
Meio Área de trabalho fixa e temporária, onde se
Ambiente de
Trabalho na desenvolvem operações de apoio e execução
Indústria da de uma obra.
Construção

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Análise operacional.
✓ Abandono de operações desnecessárias;
✓ Opção por materiais adequados;
✓ Redução de tempos - tempo de espera para se iniciar uma
atividade;
✓ Melhoria das condições de trabalho;
✓ Interrelações ordenadas entre diversas operações;
✓ Racionalização dos locais de trabalho;
✓ Intensa prevenção de acidentes;
✓ Racionalização do fluxo de materiais e distribuição dos
equipamentos;
✓ Controle de qualidade.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


2ª ETAPA DO Cuidados para êxito e atendimento
PLANEJAMENTO aos parâmetros estabelecidos:

✓ Mobilidade total para a utilização dos


equipamentos;
✓ Evitar congestionamento dos equipamentos;
EDIFICAÇÃO DO ✓ Facilidade de acesso às redes de energia
EMPREENDIMENTO elétrica, água, drenagem, etc.;
✓ Utilização do espaço, visando a facilidade de
movimentação de veículos, caminhões, etc.;
✓ Racionalização da movimentação dos materiais
evitando, sempre que possível, a estocagem de
materiais;
✓ Utilização adequada das áreas que se
encontram disponíveis;
✓ Distribuição racional dos espaços afins e
atividades semelhantes;

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


2ª ETAPA DO ✓ Proximidade física das áreas do canteiro de obra
PLANEJAMENTO com as áreas que dependem do evento a ser
produzido;
✓ Facilidade para percorrer as áreas de serviço;
✓ Facilidade do fluxo de itens de abastecimento à
mão de obra, tais como: martelo, colher de
pedreiro, vibrador, etc.
EDIFICAÇÃO DO ✓ Aplicação de higiene e segurança do trabalho,
EMPREENDIMENTO
visando meios de limpeza, tratamentos,
condições sanitárias, equipamentos de proteção,
saídas de emergência;
✓ Estudo em detalhes, da localização de escritórios,
vestiários, almoxarifados, manutenção, refeitório,
etc., tendo como objetivo a racionalização do
arranjo do canteiro de serviço;
✓ Pessoal para segurança.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Norma do Ministério do Trabalho
que estabelece diretrizes de
ordem administrativa,
planejamento e organização, com
o objetivo de implantar medidas
de controle e sistemas
preventivos de segurança nos
processos.

Condições e
Meio Ambiente
de Trabalho na
Indústria da
Construção
Área de trabalho fixa e temporária, onde se
desenvolvem operações de apoio e execução
de uma obra.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Normatiza sobre os procedimentos, dispositivos e atitudes a
serem observados para cada uma das atividades que se
desenvolvem em um canteiro de obras.

São 27 capítulos dedicados a como garantir a segurança do trabalho,


dentre os principais presentes no sumário, estão:
✓Demolição; ✓ Andaimes e Plataformas de Trabalho;
✓Escavações, Fundações e Desmonte ✓ Alvenaria, Revestimentos e
de Rochas (NR-22); Acabamentos;
✓Armações de Aço; ✓ Instalações Elétricas (NR-10);
✓Estruturas de Concreto; ✓ Máquinas, Equipamentos e
✓Estruturas Metálicas; Ferramentas Diversas (NR-12);
✓Op. de Soldagem e Corte a Quente; ✓ EPI (NR-6);
✓Proteção contra Quedas de Altura ✓ Transporte de Trabalhadores em
(NR-35); Veículos Automotores;
✓Movimentação e Transporte de ✓ Proteção Contra Incêndio (NR-23);
Materiais e Pessoas (NR-11); ✓ Sinalização de Segurança;
✓ Treinamento.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Programa de Condições e Meio
Ambiente de Trabalho na Indústria
PCMAT da Construção.
PCMAT nos estabelecimentos com 20
trabalhadores ou mais, contemplando os
aspectos da NR 18 outros dispositivos
complementares de segurança.
PCMAT:
➢ Deve contemplar as exigências contidas na NR 9 –
PPRA.
➢ Deve ser mantido na obra à disposição dos órgãos
competente, MTE e etc.
➢ Deve ser elaborado por profissional legalmente
habilitado na área de segurança do trabalho.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Programa de Condições e Meio
Ambiente de Trabalho na Indústria
PCMAT da Construção.
Integram o PCMAT:
➢ Memorial sobre condições e meio ambiente de
trabalho:
» riscos de acidentes; » doenças do trabalho; » medidas
preventivas.
➢ Projeto de execução das proteções coletivas - etapas de
execução da obra;
➢ Especificação das proteções coletivas e individuais;
➢ Cronograma de implantação das medidas preventivas;
➢ Layout inicial do canteiro de obras;
➢ Programa educativo:
» prevenção de acidentes; » doenças do trabalho; » carga
horária.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


Condições de Conforto aos
Trabalhadores - Áreas de vivência:

Os canteiros de obras devem


dispor de:
➢ Instalações Sanitárias;
➢ Vestiário;
➢ Local de Refeições;
➢ Cozinha, quando houver preparo de refeições;
➢ Alojamento;
➢ Lavanderia;
➢ Área de lazer;
➢ Ambulatório: 50 ou mais trabalhadores.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA


NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE
TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
http://trabalho.gov.br/images/Documentos/
SST/NR/NR18/NR18atualizada2015.pdf

http://www.fundacentro.gov.br/

http://www.abnt.org.br/

Obrigado!!
MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA
Referências Milito, José Antônio de. TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E
CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. Apostila. 1999.
Bibliográficas: BAUER, L. A ,Falcão. Materiais de Construção. Editora Pini. São Paulo
1995 .
ABNT NBR 12284:1991 - ABNT/NB 1367 - Áreas de vivência em
canteiros de obras - Procedimento.
Norma Regulamentadora Nº 18 - Condições e Meio Ambiente de
Trabalho na Indústria da Construção. Disponível em:
http://trabalho.gov.br/seguranca-e-saude-no-trabalho. Acesso em: 10
de novembro de 2018.
Planejamento de canteiros de obra e gestão de processos / Tarcisio
Abreu Saurin [e] Carlos Torres Formoso. — Porto Alegre : ANTAC, 2006.
— (Recomendações Técnicas HABITARE, v. 3).
PEREIRA, Caio. Canteiro de obras: tipos, elementos e exigências da NR-
18. Escola Engenharia, 2018. Disponível em:
https://www.escolaengenharia.com.br/canteiro-de-obras/. Acesso em:
16 de agosto de 2018.

MARCOS BARBOSA – SEME ENGENHARIA

Você também pode gostar