Você está na página 1de 3

As rochas, arquivos que relatam a História da Terra

As rochas integram a geosfera. São massas sólidas formadas por


minerais, cujas características e condições em que foram geradas as
inserem num tipo dos seguintes:
- Sedimentares
- Magmáticas
- Metamórficas

→ Rochas Sedimentares
As rochas sedimentares constituem apenas 5% da crosta terrestre
(continental e oceânica), embora cubram cerca de 75% da área dos
continentes. Estas formam-se a partir de matéria proveniente de outras
rochas ou da atividade de seres vivos. Têm origem à sua superfície ou
próximo dela. A formação das rochas sedimentares tem as seguintes
etapas:
→ Sedimentogénese (alteração da rocha-mãe até à obtenção de
sedimentos)
- Meteorização: é um conjunto de transformações mineralógicas,
químicas e na estrutura/textura das rochas provocadas pelos
agentes da meteorização, por exemplo, a água, o vento e os seres
vivos. A meteorização pode ser química (quando se fala na
transformação dos minerais noutros mais estáveis às novas
condições) ou física (no que diz respeito à desagregação
mecânica).
- Erosão: consiste na separação dos detritos da rocha, pelos
agentes erosivos.
- Transporte: é, tal como o nome indica, o transporte dos materiais
resultantes da meteorização e da erosão. Consoante a
capacidade do agente de transporte (vento, água, seres vivos…),
os detritos podem ser transportados mais ou menos rápido e
durante mais ou menos tempo.
- Sedimentação: é o depositar dos sedimentos, quando as
condições assim o permitirem. Cada camada horizontal de
sedimentos depositados chama-se estrato.
→ Diagénese
- Compactação: é a compressão dos sedimentos, para que fiquem
mais pequenos. Com a ajuda das substâncias dissolvidas na água
que passa pelos sedimentos, vão ficando mais compactas
- Desidratação: essa mesma água acaba por evaporar, tornando os
sedimentos secos
- Cimentação: com a ajuda da água e das suas substâncias,
forma-se um cimento natural que une todos os sedimentos.

Após todas estas etapas, forma-se uma rocha sedimentar.


As rochas sedimentares dividem-se em três tipos:
- Detríticas: são constituídas por detritos de outras rochas
- Consolidadas (sofrem diagénese), como o arenito e o argilito
- Não consolidadas (não sofrem diagénese), como a areia e a
argila
- Quimiogénicas: resultam da precipitação química, como o calcário
e o sal-gema (cloreto de sódio precipitado)
- Biogénicas: têm origem em seres vivos, como por exemplo o
carvão e o petróleo

→ Rochas Magmáticas
As rochas magmáticas resultam da consolidação do magma, que pode
acontecer no interior ou no exterior da Terra. Dividem-se então em dois
grupos:
- Intrusivas/Plutónicas: consolidam no interior da Terra, lentamente,
dando tempo aos minerais para crescerem e serem bem visíveis a
olho nu. Afloram à superfície pela erosão do solo que se encontra
em cima das mesmas. Alguns exemplos são o granito (claro) e o
gabro (escuro).

- Extrusivas/Vulcânicas: consolidam no exterior, rapidamente,


ficando com cristais pouco visíveis. Formam-se muitas vezes nas
erupções vulcânicas, em que o magma arrefece rapidamente e
consolida. Alguns exemplos são o basalto (escuro) e o riolito
(claro).
→ Rochas Metamórficas
Este tipo de rochas resulta de rochas preexistentes, sejam elas
sedimentares, magmáticas ou mesmo metamórficas, que sofreram
metamorfismo e recristalização, sem nunca ter chegado ao estado de
fusão.
As rochas metamórficas podem ser originadas por dois processos:
- Metamorfismo de contacto (uma intrusão magmática numa rocha
sedimentar, que forma uma rocha metamórfica), que origina o
mármore, por exemplo (magma+calcário)
- Metamorfismo regional (num limite convergente, em que a pressão
é bastante elevada), como exemplo o xisto ou as gnaisses

As rochas metamórficas podem ainda ser ou não foliadas, isto é,


apresentar camadas - os minerais alinham-se por causa da pressão. As
rochas metamórficas foliadas são as que se formam no metamorfismo
regional.

→ Ciclo das Rochas


Chama-se ciclo das rochas ou litológico ao conjunto de transformações
do material rochoso no decurso das quais as rochas são geradas,
alteradas e destruídas por processos ocorrentes no interior e na
superfície terrestre.
O sistema hidrológico, cuja fonte de energia é o sol, é um agente da
geodinâmica externa, que influencia os processos externos do ciclo. À
superfície terrestre ocorrem principalmente os fenómenos ligados à
formação das rochas sedimentares.
Já o sistema tectónico, cuja fonte é a energia geotérmica, influencia os
processos internos. Estes incluem a transformação de outras rochas em
rochas metamórficas, a fusão das mesmas para se misturarem com os
magmas e a formação das rochas magmáticas.

Alice Correia
2017