Você está na página 1de 10

AULA TEÓRICA – SISTEMA SANGUÍNEO 2 - 23/08/2010

Então na aula passada a gente viu caracteristicas gerais, composição e aí entramos no que
nós chamamos de hematopoiese. Então nós vimos que o sangue é originado de três ciclos diferentes
ao longo da nossa vida, então o primeiro local de produção das células sanguineas ocorre na parede
do saco vitelinico. Então essa é considerada o que nós chamamos de fase fetal, onde ocorre então a
primeira diferenciação de células sanguineas e a formação nessa etapa aqui de apenas eritrócitos.
Então ainda nós temos células que não são células como as da vida adulta, ainda não possuem
núcleo, não são produzidas nessa fase as celulas brancas, ou leucocitos. E essa fase fetal termina
quando está pronto, organizado, o fígado fetal. Então isso ocorre aproximadamente até o segundo,
terceiro mês de vida intra uterina. Então o saco vitelinico na verdade nem vai mais existir naquela
caracteristica inicial, e o figado então passa a ser o principal ciclo de formação das células
sanguineas. Então nessa fase também ocorre a formação dos leucocitos, que são as células brancas
de defesa. O baço também é um local de produção dessas células e do baço também ocorre apenas a
diferenciação de eritrocitos. Enquanto isso está ocorrendo, já está sendo formado um tecido ósseo.
Então a partir do 3 mês nós já teremos a formação de um tecido ósseo e por volta do sétimo mês de
vida intra uterina nós teremos então a medula óssea já estabelecida, formada, seja as vermelhas ou
as brancas sendo formado na medula óssea ou medula hematogênica e esse local será o local de
produção das nossas células sanguíneas até o fim da vida. Então a partir do sétimo mês de vida intra
uterina até o momento da morte do individuo, ou seja, até na vida adulta o local de produção será na
medula hematogênica. Obviamente não ocorre a partir desse instante da formação da medula óssea
e o estabelecimento como sítio de formação o fígado e o baço perdem a função e não tem mais
capacidade de células vermelhas nem de brancas. O figado e o baço vão ter outras funções.
Vimos então que todas as células do sangue se originam de uma célula comum, a “stem
cell”, que é traduzida para célula pluripotente. Observem, não é toti, porque toti é apenas o óvulo
fecundado e as 4 primeiras células derivadas da primeira e segunda divisão. Ela é pluri porque é
capaz de originar uma população diferente de células, mas não é capaz de originar todas as células
do organismo. Ela é capaz de originar todas as células da linhagem sanguinea. Ela dá origem as
células mãe que vão ser do tipo multipotente porque ainda podem originar células unipotentes.
Então eu tenho a célula mãe multipotente linfóide que dará origem aos linfócitos e a célula mãe
mieloide que dará origem a célula mãe mielóide unipotente. Esta está representada como uma célula
mãe unipotente no esquema, mas nós temos que lembrar que existe uma célula mãe unipotente para
megacariócitos, para eritrocitos, para granulocitos e para monócitos. Então cada uma daquelas
células que nós vamos observar na série eritrocitica e leucocitica com exceção do linfocito possui
uma célula mãe unipotente. Então deixar isso bem claro pra que não haja confusão. Observem, esse
tipo de esquema que é o mesmo esquema que está no Junqueira, tá no Ross, ele não deixa isso claro.
Ele coloca uma stem cell mieloide ele não coloca o grau de diferenciação, ele já coloca direto
eritrócitos, megacariócito, granulócito, macrofagos não deixando então aquela explicação
intermediária.
Bom, o que faremos agora? Agora nós faremos um estudo individual de cada uma dessas
células que compõe o tecido sanguineo. Essas células nós vamos fazer de duas formas, nós vamos
estuda-las hoje do ponto de vista teórico e posteriormente nós teremos então uma aula prática onde
vcs vão então baseado nas caracteristicas estudadas aprender a identificar cada uma dessas células.
Então a primeira caracteristica que permite a distinção entre leucócitos e eritrócitos é a ausencia de
núcleo dos eritrocitos. Então é o primeiro critério sempre que nós vamos observar. Então nós temos
as células divididas em duas linhagens, a linhagem que é denominada de eritrocitica ou
simplesmente eritrocitos ou globulos vermelhos ou hemaceas. Então qualquer uma dessas grafias
elas são utilizadas e corretas e uma segunda linhagem celular que nós chamamos de série
leucocitica ou leucocitos ou globulos brancos. Então o primeiro critério sempre de estudo será
identificar essas duas familias celulares e isso é muito simples, rapido e basico. Nós sempre
utilizaremos o critério presença ou ausencia de núcleo, as hemaceas são sempre anucleadas quando
estamos examinando o sangue periferico. Então como em 99 por cento dos casos nós estamos
estudando o sangue periférico, e não retirado de extração de medula, essas células serão
reconhecidas porque são células anucleadas, enquanto os leucocitos são sempre nucleados. Os
leucocitos, cada uma das familias, apresentam uma morfologia nuclear caracteristica. Então eu
tenho 4 leucócitos, eu vou reconhece-los pelo formato do nucleo, eles tem nucleos sempre
caracteristicos pra cada uma das familias celulares por isso nós dizemos que os leucocitos são
polimorfonucleares, ou seja, eles têm caracteristicas diferentes em relação a morfologia do núcleo,
por isso vc vai encontrar sempre o termo polimorfonuclear sempre associado a leucocito.
Nós vamos começar então com o eritrócito, então nós tamos nessa familia celular que é
constituida simplesmente pelo eritrocito e que é a célula mais abundante em todo o esfregaço
porque ela é a mais abundante também na amostra sanguinea. Como nós vimos lá na outra aula,
quando nós fazemos um hematocrito, 52 por cento do volume é constituido por hemaceas, entao na
verdade ela é a mais abundante e quando ela está circulante no sangue ela tem a forma do que nós
chamamos de disco biconcavo. Então quando observada no seu plano lateral, ela terá esta forma de
um disco biconcavo. Quando observada frontalmente, superficialmente, essa concavidade vai criar
um efeito que vai dar a impressão de que ela tem um buraco, um halo, ela fica parecendo uma
rosquinha, mas isso é um efeito fisico porque a luz chega aqui mais rapidamente do que aqui e isso
cria um efeito fisico que dá essa forma de halo. Ela é uma célula anucleada como nós já diziamos e
desprovida de organelas. Ela não tem nenhuma organela, não é que ela tem pouca, ela não tem
organela, todas as suas organelas sofreram autolise e foram eliminadas dessa célula. A membrana
plasmática é rica em enzimas que vão atuar como componente funcional. O que isso significa? Ela
não tem núcleo, vamos pensar aqui, ela portanto não faz mais sintese de proteinas, ela é disprovida
de organelas, inclusive de mitocondrias que é responsável pela obtenção de energia, portanto a sua
membrana vai atuar como um componente funcional , todas as proteinas importantes vão estar
ancoradas na MP. Essa célula vai ser por exemplo a energia que ela utiliza vai ser sempre obtida a
partir de via glicolitica e não da via oxidativa, o que isso significa? Que ela não tem mitocondria,
não faz respiração celular, obtem energia necessária atraves da glicolise. Ela é altamente
especializada no transporte de gases, ela se torna especializada devido a uma grande presença de
hemoglobina. Todas essas mudanças observadas, como por exemplo ausencia de núcleo, ausencia
de organelas, membrana altamente especializada, tudo isso é resultado de uma especialização, ou
seja, um grau de diferenciação que permite que ela seja altamente especializada no transporte.
Raciocinio básico assim, pra que eu transporte eu tenho que ter muito espaço. A hemacea, eu quero
que vocês imaginem, vai ter que em muitos momentos passar por um capilar que é constituido por
uma única célula, lembram? Uma única celula, portanto ela terá que ter uma alta capacidade de
mudar a sua forma pra que ela possa transitar nesses pequenos capilares. Então ela tem que ter um
grande espaço e uma alta capacidade de mudança de forma. Isso na verdade reflete o alto grau de
especialização dessa célula e a especialização ocorre quando e aonde? Ocorre na medula
hematogênica durante o processo que nós denominados de hematopoiese. No caso da hemacea ou
eritrocito, nós chamamos de eritropoiese que é o processo pelo qual ocorre a formação e a
diferenciação dessa célula. Só quando ela está madura, pronta, especializada, e o que é ser
especializada? Sem nucleo, sem organelas e com grande quantidade de hemoglobina é que ela e
liberada no sangue periferico pra cumprir sua principal função, qual é sua função? Transporte de
gases respiratorios. Ela tem uma vida média de 120 dias, então esse tempo é relativamente curto se
você lembrar da quantidade de células que nós temos que ter pra manter a homeostase, por isso
essas células são produzidas numa velocidade extremamente grande na medula hematogenica pra
repor sempre essa renovação celular e toda a produção de eritrocitos é regulada por hormonios,
sendo que o principal hormonio que regula a produção pra eritrocitos é a eritropoitina e uma das
regiões que produz é a medula renal. Então a eritropoitina é uma substancia extremamente
importante pra essa síntese.
Devido a essas caracteristicas, ausencia de organelas principalmente, a hemacea tem sido a
principal fonte de estudo das Mcelulares. Então alguém pensou assim, quando eu tenho uma celula
eucarionte, eu tenho ali membrana de todas as organelas, membranas plasmáticas, quando eu vou
extrair um fragmento dessas membranas eu não sei de qual membrana eu estaria trabalhando,
porque teoricamente todas as membranas tem igual estrutura e composição. E aí lembraram então,
poxa mas a hemacea não tem nenhuma organela, então se eu quero estudar a composição de uma
membrana delimitante e suas caracteristicas funcionais a melhor célula modelo é a hemacea e além
disso nós temos que contar com sua fácil obtenção. Então qualquer um consegue uma amostra de
hemaceas. Essas hemaceas quando colocadas em meio hipertonicos, ou hipotonicos, eu consigo
produzir fragmentos facilmente dessas hemaceas e esses fragmentos são puros, são membranas
plasmáticas ou delimitantes puras. Esses fragmentos são chamadas de ghost (não sei se é isso) e eles
são utilizados pra estudar então a MP. A partir daí então é que se conheceu as caracteristicas da MP
de forma mais profunda. Nós sabemos então, vemos aqui a mebrana de composição lipoproteica,
bicamada lipidica, a grande quantidade de proteinas e principalmente as proteinas transmembranas
que ancoram a rede de filamentos de actina que permitem o movimento contratil ou o movimento
que possibilita o deslocamento da célula. Então todo esse conhecimento da banda 3, da espectrina,
que permitem o entendimento de como ocorre as mudanças da forma celular foram obtidas através
das hemáceas que contribuem até hoje para esse conhecimento da membrana celular. Aqui nós
temos então uma vista da MO que é como observaremos nas nossas laminas, de um esfregaço de
sangue periferico que nós podemos observar então o aspecto da hemacea. Nessa caso aqui todas as
hemaceas estão como se você tivesse aqui a sua lamina e a hemacea tivesse apoiada dessa forma
assim na lamina, então quando ela está apoiada dessa forma assim na lamina, devido a um efeito
fisico nós teremos como rsultado esse aspecto aqui que é o aspecto de halo, quando ela está de lado
ou em outra posição esse halo não aparece. Então nós podemos ter as duas observações em uma
unica célula, isso aqui não é patologia, é uma caracteristica geral É importantissimo entender isso
aqui pra patologia, por quê? Porque existem várias doenças que alteram as hemaceas e que criam
aspectos semelhantes a esse aqui, não iguais, semelhantes, então é importante conhecer esse aspecto
normal pra entender as diferenças.
Aqui nós temos uma MEV que está com cor feita por computador obviamente porque isso
aqui é ME, e nós podemos observar então o formato de disco biconcavo com maior facilidade. Nós
temos uma série de termos associados as hemacias, como por exemplo, a eritrocitose que é o
aumento dos números de hemaceas no sangue e eritroblastenia que é a diminuição do número dos
precurssores, ou seja, das células que dão origem as hemaceas lá na medula hematogenica. Primeira
coisa que eu gostaria muito que vocês entendessem é a associação dessas caracteristicas da hemacea
com o que nós já estudamos na bio cel e em outros capitulos. Bom, primeira pergunta que a gente
tem que ter capacidade de responder: em que ponto essa célula perde nucleos e organelas? Em que
ponto do desenvolvimento ela perde nucleos e organelas? Qual a origem da hemoglobina que está
presente no seu citoplasma e que a torna eficiente no transporte de gases? Então essas duas
perguntas são importantissimas e nos ligam a conteudos passados. Então a hemacea como toda
célula vai se originar lá na medula hematogenica a partir de uma célula mãe. Então nós temos lá a
stem cell, essa stem cell vai dar origem a dois tipos de células como nós vimos, a mieloide e a
linfoide. No caso aqui nós vamos pegar a celula mae mieloide, essa célula mãe mielóide vai originar
uma célula unipotente, mas mãe dos eritrocitos, ou seja, o eritroblasto. Então essa célula mãe do
eritrocito vai sofrer divisão e vai originar uma célula. Essa célula agora ela vai ter que sofrer uma
série de etapas de diferenciação celular que vai torna-la uma hemacea funcional. Pra ela ser uma
hemacea funcional ela tem que ter no seu citoplasma hemoglobina. Nós vamos pensar lá no futuro,
eu vou pegar esse eritroblasto inicial, aqui está o núcleo dele e ela vai iniciar o seu processo de
difrenciação, ela lá na frente quando madura precisa de hemoglobina e portanto a primeira coisa que
vai acontecer é ativação do DNA, transcrição dos RNAs necessários para a síntese proteica, esses
RNAs vão atravessar os poros nucleares e no citoplasma haverá a formação de um complexo de
síntese. E agora? Ela não terá peptidio sinal porque a hemoglobina é uma proteina citoplasmática,
ela será sempre sintetizada em ribossomos livres e depositada no próprio citoplasma da célula.
Então nós teremos aqui uma atividade marcante de transcrição e síntese dos componentes do
complexo de sintese. Então nós teremos uma grande quantidade de ribossomos livres, a quantidade
de ribossomos livres é tão grande que essa célula quando observada ao MO com as colorações de
rotina ela apresenta um citoplasma com uma marcante basofilia. Observa aqui a quantidade de
basofilia, tudo isso é resultado de uma grande quantidade de ribossomos que vão ser montados aqui.
Pra que tanto ribossomo? Pra produzir uma grande quantidade de hemoglobina e essa hemoglobina
produzida será acumulada no citoplasma celular. Ao mesmo tempo que isso está acontecendo, todo
esse nucleo celular vai perder sua capacidade, ele vai sofrer o que nós chamamos de picnose, ele vai
se desintegrando, então ele produz uma grande taxa de transcrição, acumula esses ribossomos já no
citoplasma e ele começa a sofrer degradação. Ao mesmo tempo que isso está ocorrendo, a
hemoglobina está sendo sintetizada e acumulada no citoplasma e a hemoglobina dá reação positiva
a eosina, ela é eosinófila e portanto nós vamos tendo lentamente uma mudança no padrão de
coloração. Então nós vamos tendo um citoplasma que vai lentamente deixando de ser basofilo para
ser eosinofilo, lembrando, os ribossomos tem uma taxa de atuação e depois de uma quantidade de
ciclos de sintese ele sofre degradação. Então você tem que imaginar esse processo ocorrendo tudo
ao mesmo tempo, primeira coisa, ocorreu uma alta taxa de transcrição, o citoplasma ficou repleto de
ribossomos, eles predominam. Professora, mas não tão fazendo sintese? Tão, mas a qauntidade de
hemoglobina ainda é menor, então eu ainda tenho basofilia. Ao longo do tempo o nucleo vai
desintegrando e nós teremos uma mudança do citoplasma que então deixa aquela caracteristica bem
basofila, observem, ele já tem um tom diferente. Com mais alguns dias, nós teremos então todo esse
nucleo degradado e a partir dessa degradação nós ficaremos com uma célula sem núcleo mas ainda
com uma grande quantidade de ribossomos. Essa célula, quando observada no microscopio, não sei
como eles conseguiram ver uma especie de rede dentro dela e esse aspecto é que deu o nome de
reticulocito, na verdade a ultima etapa antes dessa célula ser lançada na corrente sanguinea. Então
aqui o eritrocito maduro caracteristico do sangue periferico. Aqui nós já temos uma célula sem
nucleo e aqui uma célula anucleada onde todo ribossomo praticamente já degradou e o citoplasma
está repleto de hemoglobina. Então essa célula já se tornou altamente especializada, por quÊ?
Porque praticamente todo o espaço dentro dela está sendo usado para o transporte de hemoglobina,
quanto maior a taxa de hemoglobina maior a eficiencia do transporte de gases, só que ela paga com
uma consequencia, ela não tem capacidade nenhuma de reciclar seus componentes, de se renovar.
Então seus componentes tendem a “envelhecer”, se tornar não funcionais e essa célula vai morrer
em 120 dias por uma capacidade de se renovar. Por que que ela não pode se renovar? Porque ela
não tem mais nucleo, não tem mais informação genética pra transcrever e pra originar as proteinas.
Então essas fases da eritropoiese, a gente não precisa se preocupar até porque isso muda de livro pra
livro e na área médica as vezes vocês usam termos difrentes, então o que eu quero de vcs é o
entendimento da onde vem essa hemoglobina, a gente tem as respostas mais absurdas do mundo
quando a gente pergunta da onde vem a hemoglobina, tem gente que diz que vem do figado, outros
dizem que a célula absorve do transporte, e não deem risada não que isso veio da prova da medicina
do ano passado depois de assistir aula, então assim é importante que a gente entenda. A
hemoglobina é uma proteina citoplasmatica resultado do processo de sintese que ocorre durante o
periodo de diferenciação celular das hemaceas, isso tudo ocorre aonde? Na medula hematogenica,
naquela ambiente que a gente descreveu.
Quais dessas células podem ser vistas no esfregaço sanguineo? Dependendo do estado de
saúde do individuo, nós podemos observar a partir desta etapa, dessas duas etapas, nós já podemos
observar na corrente sanguinea dependendo do estado de saúde. Se o individuo estiver totalmente
saudavel, nós veremos eritrocitos e alguns poucos reticulocitos, se você pegar um exame sanguineo,
um hemograma, você vai ver que tem inclusive o item reticulocito lá no seu hemograma, deve ter
uma célula duas naquela contagem, poucos reticulocitos é absolutamente normal. O normoblasto já
é indicativo de patologia, não é possível que ele esteja no esfregaço sanguineo em condições de
normalidade. Então vamos lá medicina, em que condições nós poderiamos encontrar grandes
quantidade de reticulócito no esfregaço sanguineo ou no hemograma? Exatamente, quando não da
tempo de terminar a diferenciação celular. Mas me diga mais, por que não daria tempo de terminar a
diferenciação celular? Porque tá precisando de uma grande quantidade de hemaceas, a demanda de
hemaceas tá muito grande. A gente não tá tendo aula de patologia mas em quais condições muito
frequentes nós poderíamos ter essa caso? Hemorragia, anemia nem tanto, porque anemia se
caracteriza pela baixa quantidade de hemoglobina em algumas hemaceas, anemia depende muito,
São mais de 20 tipos de anemia, então eu não gosto muito de citar o exemplo de anemia porque a
gente pode tá incorrendo em erro. Mas hemorragia com certeza, então quando o individuo tá tendo
uma hemorragia, o hemograma vai demonstrar uma grande quantidade de reticulocitos e em alguns
casos mais graves até a presença de normoblastos, por quê? Porque o processo tem que ser
acelerado, então essa ultima etapa final da diferenciação ocorre no sangue circulante, caso de
hemorragia caracteristico, em algumas anemias também. Só que como anemia é um capítulo a
parte, por exemplo, a hemoglobina é uma proteina que contém, ela na verdade é uma heme proteina,
ela tem o grupo heme associado, ou seja, ferro, então quais são as consequencias para esse processo
pro individuo que não faça a ingestão correta de ferro? O ferro ele é necessário para a sintese da
hemoglobina, então o individuo vai produzir hemaceas com uma menor quantidade de
hemoglobina, é a conhecida como anemia ferropriva. Ele pode ter uma diminuição no número geral
de hemaceas? Em geral tem, então são as duas consequencias, um numero menor de hemaceas e
cada hemacea com uma quantidade menor de hemoglobina, diminuindo por isso a quantidade de
oxigenio transportado. Por que que o individuo que tem anemia é em geral aquele cara que dorme
muito, tá sempre cansado, não tem força pra nada, desanimo só, qual é a relação disso? Falta
oxigenação e energia e? Eu quero a resposta completa, a associação completa, ano passado me
deram as respostas tudo pela metade, eu quero inteira. Ele não tem transporte suficiente de
oxigenio, portanto o suporte de oxigenio para as mitocondrias é menor, se é menor tem menor
produção de ATP e isso gera então falta de energia para o individuo, eu quero o raciocionio
completo.
Qual a origem do ferro que é utilizado pelas hemaceas? Esse ferro tem duas origens, a
primeira origem é ingesta alimentar, então nós temos que ingerir uma certa quantidade de ferro
diária pra manter esse processo em homeostase, alguns alimentos como feijão couve que são ricos
em ferro. Tem aquela história de colocar prego na panela, hoje em dia não adianta nada porque o
prego é de aço, é uma liga. Em 1900 e bolinha era normal o pessoal usar panelas de ferro e nessas
panelas se colocava efetivamente um prego lá, mas aquilo lá antigamente, hoje a panela não é de
ferro e o prego é aço, não tem nada a ver. E a outra parte do ferro que nós utilizamos ele é reciclado
dentro do nosso organismo, então toda hemacea depois de 120 dias ao passar pelo baço
principalmente que é o principal sitio de degradação de hemaceas, ela é reconhecida como uma
célula velha, como que ela é reconhecida? Porque determinados componentes de membrana deixam
de ser eficientes e passam a ser marcadores de membrana, então ela é reconhecida como uma célula
velha e ela é degradad por macrofagos, quando ela é quebrada, essa hemoglobina é quebrada
também em seus dois componentes, o componente que nós chamamos de globina, a parte proteica, e
o grupamento heme. Esse grupamento heme é reciclado em parte do figado, então ele vai corrente
sanguinea, sangue, figado, figado ele vai ser redistribuido, medula ósssea e será reutilizado. E a
parte proteica é degrada na bilerrubina, figado novamente, parte dela é levada para a corrente
sanguinea e eliminada via urina, na verdade o amarelo da tua urina é resultado da presença do
componente bilerrubina. É como quando você faz um hematoma, quando você faz um hematoma
primeiro fica roxo, que é o rompimento do vaso e a saída da hemácea para o tecido conjuntivo, essa
hemacea começa a degradar, autólise, porque ela não vive fora do vaso sanguineo, quando ela sofre
autólise fica roxo. Dois dias depois tá que cor? Amarelado, é a quebra da hemoglobina e liberação
da bilerrubina, a bilerrubina é que dá o amarelado que aí o macrofago ai fazer o resto da fagocitose.
A pergunta da renata é, uma pessoa que muda pra diferentes altitudes, o que que vai
acontecer? Nós temos sempre uma capacidade de se adaptar, então se eu me mudo pra La Paz, o
que que vai acontecer? Lá você tem uma menor quantidade de oxigenio disponivel, então você tem
que ter um número maior de hemaceas. Muitos atletas utilizam fazer treinamentos em altas atitudes,
porque quando eles descem a nível do mar, tem um maior rendimento. Um outro truque utilizado
por atletas e que hoje é considerado doping, mas que é muito utilizado, é a alto transfusão. Então
dez dias antes retira-se sangue, guarda o sangue e um dia antes da competição você faz a transfusão
do seu próprio sangue, com isso você aumenta a quantidade de hemaceas, o seu volume de
hemoglobina, e portanto aumenta sua capacidade de transportar oxigenio, de produzir ATP e de ter
uma maior quantidade de energia pro exercicio fisico pra uma pessoa normal. Homens possuem
uma quantidade maior de hemoglobinas, então eles também tem essa capacidade de ter uma
resistencia maior, tudo é biológico, essa resistencia é maior. Algumas atletas fazem essa transfusão
de sangue a nível masculino, ou também é considerado doping tomar o hormônio que estimula a
produção de hemaceas, que é a eritropoitina. Fazer uso da eritropoitina é considerado doping porque
você aumenta o seu nível, a quantidade de hemaceas e portanto tu aumenta automaticamente teu
rendimento energético.
“Professora, depois que a hemoglobina é produzida, ela fica em vesículas?” Não, fica no
citoplasma, se vocês lembrarem lá da bioquimica, a hemoglobina é uma proteina em estrutura
quartenária, entao ela se associa, são 4 cadeias proteicas, ela não fica dentro de vesiculas, ela não é
delimitada por membrana. Esse site aqui não tá na aula original porque eu achei esse site depois que
eu coloquei a aula no portal, mas é um site extremamente legal pra vocês brincarem com ele. Esse
site possibilita, é um atlas de hematologia, ele mostra foi daí que eu tirei essa imagem nova, e
observem que passando aqui você vai conseguir observar todas essas células que a gente tá
discutindo e aí ele começa a mostrar todas as patologias, todas as formas possiveis que as células
podem adquirir devido a determinada patologia. Www.cienciasnews.com.br é um atlas só de
hematologia.
Aqui nós temos então uma sequencia dessas células, observem que de figura pra figura tem
diferença, e aqui nós temos então as fases da hemacea que vão determinar o processo de
difrenciação celular.
Bom, e os leucocitos? Os leucocitos são as células brancas, ou globulos brancos, ou
simplesmente células de defesa. Lembrando então que eles escreveram esse nome porque quando
observadas ao MO nem com corante eles não são vistos. Era muito legal antigamente, nós
tiravamos sangue de todo mundo, pegava o sangue, colocava na lamina e faia esse experimento. Ou
seja, você observava o sangue sem corante e aí você só vê o quê? Hemaceas, e aí posteriormente
ocê pinga uma gota de corante e começa a visualizar os leucocitos. Então sem corante ele não é
visivel porque é uma célula sem cor, por que ele é sem cor? Porque ele não possui o pigmento
hemoglobina que dá a cor, então eles são incolores, possuem sempre forma esferica, o padrão de
normalidade, e são as células que são capazes de se movimentar e penetrar no tecido conjuntivo.
Então os leucocitos são as células que nós classificamos como células migratórias do tecido
conjuntivo, este movimento é denominado de diapedese e esse movimento ocorre por entre o
espaço existente entras as células endoteliais. Qualquer livro de patologia vai dizer que os
leucocitos passam por poros, tá errado, eu não aceito, e vai passar pelo espaço existente entre duas
células endoteliais e penetram no tecido conjuntivo, quando se observou essas células ao MO, e
observava então que no citoplasma dessas células, de algumas, eram observados granulos enquanto
que em outras células não. Então a presença ou ausencia de granulos visiveis ao MO promoveu essa
classificação, então hoje nós podemos dizer assim, os leucocitos são classificados em 2 grupos, os
granulocitos e os agranulocitos. Essa classificação a gente não pode esquecer ela foi feita em 1900 e
bolinha e com base em observações feitas ao MO, hoje essa classificação é praticamente inválida
dentro da bio cel, porque todos tem granulos quando observados ao MET, mas é o certo é o que é
usado é a tradição da literatura. Então eles são classificados em granulócitos e agranulócitos com
base em observações ao MO, ou seja, visivel ao MO. Os leucocitos são sempre células nucleadas,
lembra lá no comecinho, são sempre células esfericas e nucleadas. O corante mais tradicional é o
corante chamado de (não entendi) e o melhor corante é o chamado de (não entendi também), tanto
faz, qualquer outro corante de sangue sempre será uma mistura de um corante básico com um
corante de caracteristicas da eosina, se ele não é eosina ele tem as caracteristicas da eosina. Ele
sempre tem um componente básico, se não ele não é um bom corante pro sangue. Por que
medicina? Por que todo corante utilizado em esfregaço sanguineo possui como componente um
corante basico? Porque eu tenho que corar o nucleo pra distinguir leucocitos de eritrocitos e por que
mais? Porque o núcleo de cada um tem uma caracteristica, então muito mais que observar o nucleo
eu tenho também que identificar qual tipo de leucocito pelo nucleo, você poderia me dizer: é
professora, mas nenhum leucocito vai ter a forma de uma hemacea mesmo sem corante. Depende,
você entra naquele atlas lá e você vai ver que as hemaceas podem dependendo da patologia adquirir
formas muito diferentes e portanto você precisa do corante pra identificar. Então na verdade os
globulos brancos são sempre células esfericas, em condições de normalidade, sempre maior que as
hemaceas. Todos eles possuem nucleo e esses nucleos são caracteristicos pra cada tipo de leucocito,
então eu olho pro leucocito falo isso aqui é um linfócito. Por quê? Porque todo linfócito possui um
nucleo que ocupa 90 por cento do volume celular, então isso se torna automatico na leitura de uma
lamina, é automatico e muito fácil. Nós temos alguns termos associados muito comuns que é a
leucocitose que é o aumento do número de leucocitos, o individuo pode apresentar uma leucocitose
em que situações? Inflamações, infecções, qualquer reação que eu tenha que aumentar a eficiencia
do sistema de defesa, e a leucopenia que é um termo também bastante conhecido inclusive da
população e é considerado uma patologia do trabalho, principalmente de individuos que trabalham
em postos de gasolina. Já escutaram falar disso? Individuos que trabalham em postos de gasolina
eles tem leucopenia, é uma patologia bastante séria, por que? Porque eu tenho uma diminuição total
do número de leucocitos e o individuo fica sem sistema de defesa ou com o sistema de defesa
comprometido. Essa leucopenia é causada por componentes que são inalados durante o
abastecimento dos carros, isso já foi caso de saúde publica, hoje tá bastante controlado.
Bom, esses leucocitos tem capacidade então de fazer a diapedese, então o que vem a ser a
diapedese? A diapedese é a migração dessa célula do vaso sanguineo através do espaço existente
entre duas células endoteliais até o tecido conjuntivo que é o local do sítio de infecção. Então isso
aqui a gente viu acho que na 2 semana de aula, no capitulo de membranas, nós vimos então que as
células endoteliais tem a capacidade de expressar proteinas que atuam como receptores de
membrana para oligossacaridios especificos presentes na membrana plasmática dos leucócitos.
Então vamos traduzir tudo isso? Isso aqui é um capilar, os capilares tão no tecido conjuntivo, o
capilar é constituido por celulas endoteliais , eu to falando de capilar continuo, porque no fenestrado
não ocorre esse mecanismo dessa forma, se é capilar continuo essas células tão unidas por zonulas
de oclusão como toda célula epitelial, ela não tem complexo unitivo completo ela só é mantida
unida por uma zonula de olusão. Se você lembrar da zonula de oclusão, são as ocludinas que se
ligam no espaço extracelular, então não existe uma adesão a placa proteica nem nada. Este capilar tá
no tecido conjuntivo e no tecido conjuntivo nós temos fibras, nós temos células, e entre essas
células nós temos por exemplo macrofagos. Então em caso de infecção, ou de alteração desse
tecido, a primeira celula a ser ativada é o macrofago, esse macrofago vai fazer o quê? Fagocitose,
então ele vai se movimentar por quimiotaxia até o local do agente invasor e ele vai começar a fazer
fagocitose, mas ao mesmo tempo ele vai liberar substancias que nós chamamos de mediadores
químicos de ação local, entre elas uma substancia da classe das citocinas. Essas citocinas vão atuar
onde? Vão atuar nas células endoteliais que agora vão expressar, ou seja, inserir na MP receptores
de membrana plasmática. Esses receptores de MP, o que é um receptor? Uma proteina do tipo
transmembrana capaz de reconhecer uma substancia especifica, o que que ele vai reconhecer? Ele
vai reconhecer componentes do glicocalix, do neutrofilo ou das outras células, então aqui tá
demonstrado o neutrofilo com o seu glicocalix, ele tem um açucar e esse açucar vai ser reconhecido
pelo receptor de membrana. O que que nós temos que entender? Por que eu não tenho receptor o
tempo todo? Nós temos uma célula de defesa que quando ativada libera uma substancia e aí sim nós
teremos o receptor, ou seja, a célula vai se deslocar pro local necessário no momento necessário pra
realizar sua função. Uma outra coisa que nós temos que lembrar, em geral essa infecção não atua só,
outro dia eu tava conversando com alguém da turma fora do horário, processo inflamatório é uma
vida pra você estudar, são varios fatores que atuam simultaneamente, além da liberação dessa
citocina várias outras células estão envolvidas, mas essas substancias liberadas também vão causar
uma vasdilatação pra diminuir a velocidade da passagem das células do sangue praquela região,
então eu tenho uma diminuição dessa velocidade, o que possibilita então a adesão dessa molécula, a
etapa que nós chamamos de rolamento e a transposição. Aqui nós temos qual componente celular
envolvido diretamente? O citoesqueleto, não há como sem atuação do citoesqueleto essa célula
passar por esse pequeno espaço que vai ser aberto aqui, essas células são mantidas unidas por
junções de oclusão e esses sinalizadores químicos e sinalizadores quimicos liberados pelo proprio
neutrofilo abrem essa junção de oclusão, a célula passa e automaticamente ela se fecha novamente.
Então o processo é bem regulado. Aqui nós temos algumas etapas, então aqui o neutrofilo com seus
receptores de membrana, ele promove a etapa que nós chamamos de rolamento, ele rola em cima
das células endoteliais e em seguida então ele promove a ligação. Observem que essa ligação,
vários receptores de membrana estão envolvidos inclusive aqueles que vão possibilitar a abertura da
zonula de oclusão e a sua passagem, então nós temos após a ligação a ancoragem, então ele vai ficar
ancorado, e essa ancoragem vai então possibilitar a passagem por esse pequeno espaço. No
momento dessa passagem, esse neutrofilo sofre uma mudança da sua forma, da sua organização
interna que é resultado da despolimerização dos componentes do citoesqueleto, um movimento
extremamente fantastico. Da pra ver isso na MO? Acontecendo obviamente não, nós conseguimos
observar etapas do processo, em condiçoes de normalidade se vc lembrar das laminas que vc viu até
agora de vasos sanguineos, as células do sangue são observadas na região central da luz dos vasos,
elas não estão aderidas a paredes dos vasos, é uma coisa bastante diferenciada. Quando está
ocorrendo movimento de diapedese, nós observamos célula aderidas ao vaso. Essa etapa aqui
caracteriza etapa de adesão ou de rolamento, a gente não consegue definir, mas é muito
caracteristico, então ano que vem na patologia você vai ter que observar um tecido como esse e
dizer que tá ocorrendo diapedese, bom como isso? Porque as células estão aderidas a parede do
vaso e em condiçoes normais elas estariam na luz do vaso. A partir de hoje quando você tiver vendo
qualquer lamina, nós vamos chamar a atenção pra isso, ó observa como estão as células do vaso,
elas podem estar todas juntas, mas todas juntas no meio, bem na região central do vaso, então isso
daqui é um caso já de migração. E aqui o que nós chamamos então de invasão leucocitária, ou
infiltração leucocitária. Isso aqui é um tecido conjuntivo, tá normal? Obviamente não, qual é a
caracteristica de um tecido conjuntivo? Célula separadas por uma grande quantidade de material
extracelular e o que eu observo aqui? Uma grande concentração de células, quando eu observo, vc
vai aprender posteriormente, essas células vc vai ver aqui linfócitos em quantidade, neutrofilos em
quantidade, depois que vc aprender a identificar as células do sangue, então vc observa e vê
linfócito, neutrofilos, eusinofilos em grande quantidade, aqui ocorreu uma invasão leucocitária, isso
aqui é o primeiro sinal do quê? De uma reação inflamatória,, então é um quadro que a partir de hj vc
olha na tua lamina, vc vai ver um monte pq os ratos utilizados na nossa lamina normal eles são
todos com pereba, se vc olhar o pancreas o pancreas tinha focos de infecção, a traqueia tinha focos
de infecção, então nós temos como uma caracteristica pra identificação. Observa esse vaso
sanguineo, eu tenho aqui uma artéria, isso aqui é tecido conjuntivo, observem então a quantidade de
células aqui e observem aqui as hemaceas formando aquele aglomerado que a gente observa na luz
do vaso e leucoitos na parede do vaso e na região externa uma grande quantidade de leucocitos,
então você também caracteriza um processo inflamatório.
Aqui nós temos duas imagens de ME mostrando então e aqui foi feito uma reação de
imunocitoquimica pra ME com marcação com particulas de ouro coloidal e nós observamos a
particula de ouro coloidal se liga de forma seletiva ao receptor de membrana, então essa parte
pretinha aqui que tá a reação negra aqui mostrando que os leucocitos se aderem, que existem
receptores de membrana nessa região, a parte de rolamento e aqui a fase de passagem. Observem
aqui, aqui é uma célula e aqui é outra célula e aqui está o neutrofilo, isso que vocês tão observando
aqui é o nucleo do neutrofilo, então ele está a metade dessa célula está em um compartimento e a
outra metade está no outro compartimento, imaginem a forma de ampulheta, ela passa como se
fosse uma gota, a comparação que nós podemos fazer é de um elefante passando por baixo de uma
porta, então ele teria que mudar todo a sua forma, esse videozinho aqui do youtube mostra então
algumas etapas dessa infiltração. Aqui nós teremos então o vaso sanguineo, observem a etapa do
rolamento e a etapa que ele está passando, então ninguém hoje em dia tira isso do nada, hoje essas
tecnicas são fantasticas pra demonstrar a passagem. Eu acho isso tudo fantastico, e eu acho que esse
tipo de imagem, dese que eu deixei aqui vcs vão poder observar varios outros, apesar de ser efeito
de animação, aqui ele tá fazendo a fase de rolamento, os receptores tão sendo expressos, ele vai
fazer a adesão, observe a ligação com os receptores, a ativação do neutrofilo e após essa ativação
toda celula tem uma resposta celular. A resposta celular seria a liberação de substancias que vão
abrir a passagem, vão abrir a passagem entre as duas células do capilar e em seguida então essa
célula vai promover a mudança, a alteração do citoesqueleto e sua entrada para o tecido conjuntivo.
Aqui seriam as fibras do tecido conjuntivo. Se nesse caso, o processo inflamatório for agudo nós
teremos o que nós chamamos de um edema porque houve a saída de plasma pro tecido conjuntivo,
esse edema vai facilitar essa movimentação dessas células aqui pro tecido conjuntivo. Porque vc
não pode esquecer que a matriz não fibrosa é uma geleca que impede a movimentação dessas
células pro tecido conjuntivo.
Bom, a partir daí nós temos então uma tarefa que é compreender as caracteristicas e funções
de cada um dos leucocitos, é logico que a gente vai ver isso de uma forma não tão profunda,
lembrando que vcs vão ver isso em varias outras disciplinas. Então os leucocitos são divididos em
granulocitos e agranulocitos, tarefa numero um saber identificar os granulocitos. Lembra que eu
falei pra vcs de um truque, porque depois no final do bimestre, são 6 capitulos, cada capitulo tem
oito celulas então na hora pode dar um branco. Então quem são os granulocitos? Os granulocitos
foram observados devido a reação ao corante, então aquele que tem reação positiva a um cortante
basico, foi chamado de basofilo. O que tem reação positiva ao corante eosina foi chamado de
eosinofilo, e aquele que não tem reação ao corante é o neutrofilo. Portanto todo granulocito tem
filo, enquanto os agranulocitos não terão filo, são os monocitos e os linfocitos. Então quem são os
granulocitos? Aqueles que apresentam granulos quando observados ao MO, esses granulos podem
ter reação positiva caracteristica da familia dos basofilos, reação positiva eosina caracteriza os
eosinofilos e reação neutra que caracteriza os neutrofilos. Então o que que é um neutrofilo? É um
granulocito da familia dos leucocitos, esses neutrofilos podem ser identificados sempre no
esfregaço sanguineo devido a uma caracteristica muito básica, a morfologia do nucleo. Ele tem o
que nós chamamos de nucleo multiloculado. Então ele tem um nucleo que é dividido em lobulos,
qual é a melhor forma de vc entender isso aqui? Bolinha de aniversário de criança, aquela que o
cara pega, torce e faz um cachorrinho, então vc imagina um nucleo, ele foi na forma primeiramente
de bastão, exatamente isso, na forma de basttão, esse bastão ao longo do tempo se torce e é
fragmentado mas é mantido unido. Então cada uma daquela torcida é um lobulo, então quando nós
olhamos essa célula dependendo da idade dela ela tem um numero variado de lobulos. Então
quando ela é muito jobem ela não é nem denominada de neutrofila, ela é chamada de bastonete, já
olharam um hemograma? Tem lá sempre quantos bastonetes, o que que é bastonete? Neutrofilo
jovem, por que bastonete? Porque eles não sabiam que era neutrofilo jovem, olhavam no esfregaço
sanguineo e viam um nucleo na forma de bastão, isso aqui é um neutrofilo extremamente jovem, a
medida que ele vai se tornando maduro na circulação, esse nucleo vai sofrendo a formação de
lobulos. Então nós temos nucleos com 2, 3,4 e até 5 lobulos que é a fase onde ele está bem velhinho
já, ele está pronto para ser substituido por outra célula, então os nucleos são formados por 2 a 5
lobulos, esses lobulos quando nós olhamos na MO parece que tá solto, mas nunca está, por que
parece que tá solto? Porque essas pontes que ligam um lobulo a outro são mto finos e dependendo
da qualidade da lamina vc não observa essas pontes finas. Ele va ter uma grande quantidade de
granulos, esses granulos são reação negativa ao corante eosina e ao corante basico e eles só podem
ser observados com outros corantes, professora então ele não é neutro? Ele é neutro em relação a
eosina e ao componente azul, isso aqui tudo em termos muito antigos. E a ME mostrou que na
verdade esses granulos são lisossomos. Então quando foi observado essas células, quando foi dada
essa terminologia era 1800 e alguma coisa, os lisossomos foram as ultimas organelas a serem
identificadas e estudadas, a descrição de um lisossomo ocorreu em 1960 e foi a unica organela que
não foi descoberta pela bio cel e sim pela bioquimica. Então quando se observa uma célula na ME o
lisossomo não tem caracteristica diferencial nenhuma, ele parece uma vesicula, e ele foi por muito
tempo confundido com uma vesicula, uma vesicula repleta de alguma substancia. A bioquimica
fazendo fracionamento celular descobriu a existencia das enzimas hidroliticas e a partir daí é que
identificaram os lisossomos e suas funções. Então na verdade o conhecimento de lisossomo é muito
posterior ao conhecimento dessas células e desses granulos e por isso não muda, mas hoje nós
sabemos que todos esses granulos presentes no neutrofilo são lisossomos, qual a justificativa
medicina para a presença dessa grande quantidade de lisossomos no citoplasma do neutrofilo?
Porque eles são celulas com função fagocitária, então todas essas granulações são lisossomos e
dentro deles uma grande quantidade de enzimas hidroliticas. Dentro desses lisossomos nós temos
então enzimas hidroliticas com inumeros funções, como por exemplo a lisoenzima com
caracteristica bactericida, hoje se postula que o neutrofilo consiga promover a liberação de alguns
desses granulos, de alguns desse lisossomos que ele libere por exocitose e que não tenha a função
apenas de fagocitose, mas na nossa literatura eles tão restritos a fagocitose. Então eles são capazes
de emitir pseudopodo e fagocitar microorganismos invasores. Ano que vem ou esse ano se vc for a
um livro de patologia, vc vai encontrar duas situações que são contraditorias ao que eu to falando
pra vcs e o que eu peço pra vcs é que vcs leiam alguma coisa além do que eu to falando pra que vcs
vejam que a bio cel não tá inventando coisas. Primeiro, o livro de patologia diz que o neutrofilo
passa por poros através da membrana plasmática, vcs acham isso correto? Não, obviamente não.
Segunda coisa que eles dizem que o neutrofilo faz fagocitose na corrente sanguinea. Impossível,
impossivel, pra fazer fagocitose ele tem que obrigatoriamente emitir pseudopodos, pra emissão dos
pseudopodos a célula tem que estar sobre um substrato, ela não consegue na corrente sanguinea
fazer fagocitose, a fagocitose não ocorre em meio liquido, a célula tem que ter um substrato aí ela
vai emitir o que nós chamamos de contato focal, vai ocorrer a despolimerização seletiva da actina
que vai transformar o citoplasma em gel e vai ocorrer então uma movimentação pra frente, se isso
não ocorre, não ocorre.. Então professorinha da onde eles tiraram isso? Eles tiraram isso de algum
momento da onde eles confundiram isso com alguns macrofagos presentes lá no capilar fenestrado,
mas lá ele tá num substrato, ele não tá na corrente sanguinea, então o neutrofilo só faz fagocitose
quando presente no tecido conjuntivo. Então isso é distinto, nós temos 2 neutrofilos, o que está
circulante e o que está ativado no tecido conjuntivo com capacidade de fazer fagocitose. Esse
neutrofilo pode ser identificado com grande facilidade, o nucleo dele possui 5 lobulos, pode possuir
3 lobulos e ele pode também quando observado ao ME levar então uma pessoa a promover uma
confusão muito grande. Observem essa célula, o nucleo possui 6 nucleos? Não né, o que aconteceu
aqui? Plano de corte, então não existe no sangue uma célula, isso aqui é imagem de atlas, aqui vc tá
vendo a ponte citoplasmática, nas nossas laminas vc não vai ver a ponte citoplasmática, então vc
tem que ter o conceito de que não existem celulas no sangue binucleadas ou multinucleadas, toda
imagem de esfregaço sanguineo que resultar nessa suposição é um artefato da tecnica, é o plano de
corte. No sangue so existem celulas anucleadas que são as hemaceas e células com único nucleo
que são os leucocitos, só que esses nucleos podem apresentar polimorfismo caracteristico de cada
célula, de cada elemento.