Você está na página 1de 3

Titulo:

O PROJETO AGRO HORTA: TECNOLOGIAS SOCIAIS PARA A


SUSTENTABILIDADE RURAL COMO FERRAMENTA ARTICULADORA ENTRE
ESCOLA/COMUNIDADE/PIBID.

Resumo:
Este trabalho visa compreender a articulação entre escola/comunidade/PIBID a partir
de um olhar reflexivo sobre as atividades desenvolvidas no Projeto Agro Horta:
Tecnologias Sociais para a sustentabilidade rural pelos bolsistas do PIBID/Diversidade
da UFRB em parceria com professores do Colégio Estadual Professora Maria José de
Lima Silveira- CEPMJLS, no município de Feira de Santana/Bahia.

Introdução:

A Educação do Campo é uma política que diz respeito à luta popular pela
ampliação, acesso, permanência e direito à escola pública de qualidade, compreendendo
o camponês e os trabalhadores rurais como sujeitos de direitos.
O Projeto tem como público alvo os alunos das turmas do 6º B, 8º B 9º B 9º C
do Ensino Fundamental do CEPMJLS, juntamente com a comunidade local envolvendo
as áreas de ciências da natureza e matemática. Inicialmente os bolsistas realizaram o
diagnóstico na comunidade com o objetivo de melhor conhecer os seus aspectos:
históricos, culturais, de produção, entre outros.
Para garantir uma melhor execução da proposta foi necessário o
desenvolvimentos das seguintes atividades: Apresentação do Projeto para comunidade
escolar; Lançamento/divulgação do Projeto – blog e cartazes; Mesa-redonda – A Horta
na comunidade – (agrônomo); Pesquisa de campo junto a comunidade sobre o cultivo
de hortas (plantio/colheita e tecnologia utilizada); Campanha de arrecadação de garrafas
PET / DESINFETANTE; Oficinas: Horta do plantio e colheita, Horticultura e
Alimentação Saudável; Criação da Horta/cuidados e controle; Mostra de trabalhos no
auditório;
Objetivo:

O Projeto Agro Horta tem como objetivo Promover estudos, pesquisas, debates e
atividades sobre as questões agroecológica, alimentar e das relações de trabalho no
campo, através da criação de uma horta e do uso da tecnologia sustentável envolvendo
as diferentes áreas do conhecimento, em especial as áreas de matemática e ciências.

Metodologia e matérias:
A experiência foi desenvolvida no período de abril a novembro de 2014, a partir da
metodologia da pesquisa-ação, qualitativa e avaliativa neste processo foram
desenvolvidas reuniões de planejamento entre discentes da UFRB, docentes do
CEPMJLS e supervisora do PIBID-diversidade, oficinas, mesa-redonda, mostra de
trabalho.
As atividades foram executadas no CEPMJLS com alunos do ensino fundamental.
Usamos materiais: orgânicos, didáticos e humanos além de experimentação no fazer a
horta com tecnologias sociais.

Resultados e discursões
Articulação dos bolsistas do PIBID e professores da escola junto à comunidade escolar
e local. Aprendizagem e contribuição no fortalecimento da relação dos aluno/ escola/
PIBID/ comunidade.
Valorização dos conhecimentos já existente entre os alunos, e durante as oficinas e a
oportunidade de discutir e estudar sobre algo da vivência deles fazendo o contraponto
com as áreas de conhecimento de ciências da natureza e matemática.

Considerações finais
De modo geral, as ações empreendidas pelo PIBID/Diversidade no CEPMJLS
oportunizou aos licenciandos uma visão ampla sobre o processo educacional, a partir
do desenvolvimento das atividades na escola em especial o Projeto: Agro Horta desde
o planejamento das ações até o desenvolvimento das mesmas. O acompanhamento das
atividades do projeto e a análise dos depoimentos dos envolvidos indicam uma
articulação entre escola/comunidade/bolsistas do PIBID que favorece o diálogo e a
troca de conhecimentos.
Referência
ARROYO, Miguel G. CALDART, Roseli S.MOLINA, Monica C. (orgs) Por uma Educação do Campo.
Petrópolis, Rio de janeiro: Vozes, 2004.

Dicionário da Educação do Campo. / Organizado por Roseli Salete Caldart, Isabel Brasil Pereira,
Paulo Alentejano e Gaudêncio Frigotto. –Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde
Joaquim Venâncio.

PENTEADO, Silvio Roberto, Horta Domestica e Comunitária sem Veneno-Cultivo em Pequenos


Espaços /Campinas-SP 2010.