Você está na página 1de 5
Ementa de Curso/Linha: HCA Período: 2017.2 Disciplina: HISTÓRIA E CRÍTICA DA ARTE CONTEMPORÂNEA 1

Ementa de Curso/Linha: HCA

Período: 2017.2

Disciplina: HISTÓRIA E CRÍTICA DA ARTE CONTEMPORÂNEA 1

Código: BAC770 (mestrado) / BAC816 (doutorado)

Nome do Curso: Experimentar o experimental: onde a pureza é um miSto introdução aos estudos expositivos e à crítica de arte no Brasil

Professores: Ivair Reinaldim e Michelle Sommer

EMENTA: O curso concentra-se em estudos expositivos e crítica de arte, a partir da produção artística brasileira dos anos 60 e 70, e depois. Norteado pela pergunta lançada pelo crítico Mário Pedrosa (1900-1981) – ‘Para quem, para onde, e para que ou por quê?-, questionam-se os endereçamentos das produções artísticas e críticas, ao revisitar cânones expositivos e suas instâncias de legitimação. Nas transições do 'moderno' para o 'contemporâneo', o curso objetiva igualmente debater a inserção da arte indígena e afrodescendente como parte integrante da historiografia da arte no Brasil.

PROGRAMA DO CURSO:

1. Confrontando as ‘origens’ do experimental na produção artística brasileira.

2. Estudos expositivos & crítica de arte: reverenciando e devorando cânones - de para : 60 e 70, e depois.

3. O que há de ‘brasilidade’ na singularidade da experimentação.

BIBLIOGRAFIA:

- MÁRIO PEDROSA:

PEDROSA, Mário. Arte, necessidade vital. Rio de Janeiro: Editora da Casa do Estudante do Brasil, 1949.

PEDROSA, Mário. Dimensões da arte. Brasília: Ministério da Educação e Cultura, 1964.

PEDROSA, Mário. A opção brasileira. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1966.

AMARAL, Aracy (ed.). Mário Pedrosa, mundo, homem, arte em crise. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.

PEDROSA, Mário. Arte/forma e personalidade. São Paulo: Kairós Livraria e Editora, 1979.

PEDROSA, Mário. A crise mundial do imperialismo e Rosa Luxemburgo. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1979.

PEDROSA, Mário. Museu de Imagens do Inconsciente. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1980.

PEDROSA, Mário. Sobre o PT. São Paulo: CHED Editorial, 1980.

AMARAL, Aracy (ed.). Mário Pedrosa, dos murais de Portinari aos espaços de Brasília. São Paulo: Editora Perspectiva, 1981.

FIGUEIREDO, Carlos Eduardo de Senna (ed.). Mário Pedrosa, retratos do exílio. Rio de Janeiro:

Edições Antares, 1982.

Mário Pedrosa, arte, revolução, reflexão [catálogo de exposição], Curadoria de Franklin Pedrosa e Pedro Vasquez.

Mário Pedrosa, arte, revolução, reflexão [catálogo de exposição], Curadoria de Franklin Pedrosa e Pedro Vasquez. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 1991.

José Castilho Marques Neto (ed.), Mário Pedrosa e o Brasil. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori (ed.). Mário Pedrosa: Política das artes, textos escolhidos I. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1995.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori (ed.). Mário Pedrosa: Acadêmicos e Modernos, textos escolhidos III. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Mário Pedrosa: Modernidade cá e lá, textos escolhidos IV. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000.

ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Mário Pedrosa: itinerário critico. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

FILHO, César Oiticica Filho. Mário Pedrosa: Encontros. Rio de Janeiro: Beco do Azougue Editorial, 2013.

MAMMI, Lorenzo (ed.), Mário Pedrosa: Arte. Ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

FERREIRA, Glória and HERKENHOFF, Paulo (ed.). Mário Pedrosa, primary documents, (New York: The Museum of Modern Art, 2015.

A los artistas del mundo… [catálogo de exposición], Museo de la Solidaridad Salvador Allende, (México: Editorial RM, 2016).

ESTUDOS EXPOSITIVOS & CRÍTICA DE ARTE

Afterall

/

Exhibition

Histories.

Fonte:

<

Anais do Colóquio História da Arte em exposições: modos de ver e exibir no Brasil.

Campinas: Unicamp, 2014,

<

p.

4.

Disponível

em:

AMARAL, A. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira (1930-1970). São Paulo:

Nobel, 1984.

BARTHOLOMEU, Cezar; ARAÚJO, Inês e DUARTE, Ronald. Dossiê NAVILOUCA. Em: Arte & Ensaios | revista do ppgav/eba/ufrj | n. 21 | dezembro 2010. Disponível em:

Araujo_e_Ronald_Duarte.pdf Acesso em: 28 junho 2017.

BASBAUM, Ricardo (org.). Arte contemporânea brasileira: texturas, dicções, ficções, estratégias. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001.

BASBAUM, Ricardo. “Quem é que vê nossos trabalhos?”, in Criação e Crítica Seminários Internacionais Museu Vale 2009, (Org.) Glória Ferreira e Fernando Pessoa, Vila Velha: Museu Vale; Rio de Janeiro: Suzy Muniz Produções, 2009.

BASBAUM, Ricardo. Bioconceitualismo: exercícios, aproximações e zonas de contato . Texto apresentado no III Simpósio

BASBAUM, Ricardo. Bioconceitualismo: exercícios, aproximações e zonas de contato. Texto apresentado no III Simpósio Internacional LaVitS Vigilância, Tecnopolíticas, Territórios. Rio de Janeiro, Maio 2015.

BRETT, Guy. Brasil experimental: arte/vida: proposições e paradoxos. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2005.

CYPRIANO, Fabio e MARINS DE OLIVEIRA, Mirtes (org). História das Exposições casos exemplares. São Paulo: Educ, 2016.

FERREIRA, Glória (org.). Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006.

GULLAR, Ferreira. Cultura posta em questão: vanguarda e subdesenvolvimento: ensaios sobre arte. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.

HUCHET, Stéphane. Intenções espaciais: a plástica exponencial na arte, 1900- 2000. Belo Horizonte: C/Arte, 2012.

LOPES, Fernanda. Área experimental: Lugar, espaço e dimensão do experimental na arte Brasileira dos anos 1970. São Paulo: Prestígio Editorial, 2013. Disponível em: <

970 >. Acesso em: 28 junho 2017.

LOPES, Fernanda. Centro Brasileiro de Crítica de Arte CBCA. p. 106-121. Em: Arte & Ensaios | revista do ppgav/eba/ufrj | n. 28 | dezembro 2014. Disponível em:

MARINCOLA, Paula. What Makes a Great Exhibition? Questions of Practice. Philadelphia:

Philadelphia Exhibitions Initiative, 2007.

MANEN, Martí. Salir de la exposición (si es que alguna vez habíamos entrado). Bilbao:

Consonni, 2012

MOSQUERA, Geraldo. A África na arte da América Latina. Em: Arte & Ensaios | revista do ppgav/eba/ufrj | n. 29 | junho 2015. p. 157-171. Disponível em:

mosquera.pdf Acesso em: 28 junho 2017.

OITICICA, Hélio. Experimentar o experimental. Publicado originalmente na Revista Navilouca,

<

1974.

362&tipo=2 >. Acesso em: 28 junho 2017.

Disponível

em:

Aspiro ao Grande Labirinto. Rio de Janeiro, Editora Rocco, 1986.

OSÓRIO, Luiz Camillo. Olhar à margem: caminhos da arte brasileira. São Paulo: Sesc-SP:

Cosac Naify, 2016.

REINALDIM, Ivair. Espaço Arte Brasileira Contemporânea. Em: Arte & Ensaios | revista do

ppgav/eba/ufrj | n.

p. 112-139. Disponível em:

20

|

julho

2010.

Acesso em: 28 junho 2017. SHEIKH, Simon. Instituindo a instituição . Artigo publicado originalmente em

Acesso em: 28 junho 2017.

SHEIKH, Simon. Instituindo a instituição. Artigo publicado originalmente em Performing the Institution(al), volume 2, 2012; Kunsthalle Lissabon, Lisboa. Disponível em:

https://desarquivo.org/node/1624/ Acesso em: 28 junho 2017.

SMITH, Terry. Thinking Contemporary Curating. Independent Curators Internacional (ICI), New York: 2012.

SOMMER, Michelle Farias. Teoria (provisória) das exposições contemporâneas. Tese apresentada ao Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAV/UFRGS) como exigência parcial para obtenção do título de

doutor. Porto Alegre,

>. Acesso em: 28 junho 2017.

<

2016.

Disponível

em:

WRIGHT, Stephen. Toward a Lexicon of Usership. Published on the occasion of U Museum of Arte Útil Van Abbemuseum, Eindhoven 7th December 2013 30th March 2014. <

usership.pdf > < https://vimeo.com/51807245 > Acesso em: 28 junho 2017