Você está na página 1de 2

TRAJETÓRIAS DA CRÍTICA LITERÁRIA FEMINISTA NO BRASIL

Emanuela Siqueira
Julia Raiz

Ementa:

A sistematização da crítica literária feminista no Brasil como campo de estudo está estreitamente
ligada à tradução de textos, principalmente de língua inglesa e francesa, sobre autoria de mulheres,
o que marca, neste contexto, uma relação indissociável entre crítica e tradução. No final dos anos
1980, os esforços para que essas discussões chegassem às universidades brasileiras foram
protagonizados por grupos diversos de pesquisadoras, professoras, poetas, tradutoras, artistas, as
quais enfrentaram tanto a resistência acadêmica, quanto a falta de investimentos e incentivos às suas
pesquisas. Ainda hoje, apesar da potencialidade da crítica literária feminista ao inaugurar maneiras
outras de abordar/interferir no texto literário e pensar a escrita, poucos cursos de Letras brasileiros
oferecem ao corpo discente disciplinas que considerem a crítica feminista. Pensando não apenas na
lacuna histórica, mas também na emergência de tal debate estético-político, propomos leitura e
reflexão sobre as trajetórias da crítica feminista no Brasil. A recente edição do compêndio
“Traduções da Cultura” (2017, Editora Mulheres), que abrange perspectivas críticas dos anos 1970
até 2010, será nossa principal referência. Pretendemos ler em conjunto, além dos ensaios e artigos
traduzidos e a produção de pesquisadoras brasileiras da área, poemas, textos em prosa e dramáticos
escritos por autoras em contextos distintos. O objetivo principal desse grupo de estudo é apresentar
e discutir as diversas, tensionadas e perspicazes trajetórias da crítica literária feminista e como estas
se configuram na conjuntura brasileira. Acreditamos que estudando juntas/os poderemos pensar
possibilidades empolgantes para a crítica literária dentro de uma perspectiva diacrônica. Além das
referências iniciais descritas nesta proposta, ofereceremos leituras complementares sobre os
assuntos tratados.

Cronograma de Execução:
Encontro 1: Quando da morte acordamos: a escrita como re-visão (1973), Adrienne Rich
Encontro 2: O riso da medusa (1975), Hélène Cixous
Encontro 3: Literatura e mulher: essa palavra de luxo (1979), Ana Cristina Cesar
Encontro 4: Infecção na sentença: a escritora e a ansiedade de autoria (1979), Sandra Gilbert &
Susan Gubar
Encontro 5: Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo (1981),
Gloria Anzaldúa
Encontro 6: A crítica feminista no território selvagem (1982), Elaine Showalter
Encontro 7: Quem tem medo de Virginia Woolf? Leituras feministas de Woolf (Introdução, 1985),
Toril Moi
Encontro 8: Repensando a história literária (1987), Ria Lemaire
Encontro 9: Repensando, a partir do feminismo, os estudos literários latino-americanos (1999)
Nara Araujo
Encontro 10: Literatura (1999), Gayatri Chakravorty Spivak
Encontro 11: Corpos colonizados, leituras feministas (2011), Susana Bornéo Funck
Encontro 12: Literatura afrofeminina: interrogando e pluralizando femininos (2012), Ana Rita
Santiago

Dia da semana: Quinta-feira


Horário: 18h às 20h
Datas de início e término: 23/08 a 29/11

Referências bibliográficas:

ANZALDÚA, Glória. Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro
mundo. Trad. Édna de Marco. Revista de estudos feministas, v. 8, n. 1. Florianópolis: 2000.
Disponível em <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/9880/9106>.
BRANDÃO, Izabel; CAVALCANTI, Ildney; DE LIMA COSTA, Claudia; A. LIMA, Ana Cecília
(Org.). Traduções da Cultura: Perspectivas críticas feministas (1970-2010). Florianópolis:
EDUFAL; Editora da UFSC, 2017.
CESAR, Ana Cristina. Crítica e tradução. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.
DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado.
Vinhedo, Horizonte / Rio de Janeiro, Editora da UERJ, 2012.
FELSKI, Rita. Gender of Modernity Cambridge/London; Harvard University Press. 1995.
(Introdução e Capitulo 1 de Tradução de Joana d’Arc Martins Puppo). Disponível em
https://pt.scribd.com/doc/150967457/O-Genero-da-Modernidade-Rita-Felski-Traducao-Introducao-
Mitos-do-Moderno-Joana-Pupo>.
FUNCK, Susana B. Crítica literária feminista: uma trajetória. Florianópolis: Insular, 2016.
HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Tendências e impasses – o feminismo como crítica da
cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.
SANTIAGO, Ana Rita. Literatura afrofeminina: interrogando e pluralizando femininos in Vozes
literárias de escritoras negras. Cruz das almas: Editora UFRB, 2012.