Você está na página 1de 1

DATA: / /2019

BIMESTRE: (1) (2) (3) (4)

DICIPLINA: TURMA:

PROFESSOR:
ALUNO:
Danças Primitivas Definição
A Dança é uma representação artística que acompanha o homem desde os povos primitivos. Isso pode ser
comprovado a partir dos registros rupestres encontrados nas paredes das cavernas em sítios arqueológicos espalhados
pelo mundo, desenhos representando com clareza o que era almejado por eles. A partir dessa arte, o homem acaba por
inaugurar uma forma de se comunicar e estruturar uma sociedade.
Uma necessidade interior, muito mais próxima do campo espiritual que do físico, foi o que motivou o homem a
dançar utilizando-se do movimento como um veículo para a liberação de sua vida interior. Esses sentimentos estão
intimamente ligados com a necessidade material do homem primitivo. Necessidade de amparo, abrigo, alimento, defesa,
conquista, de procriação, saúde, comunicação e principalmente de desvendar os mistérios do mundo à sua volta.
Segundo diversos relatos pode-se chegar à conclusão que o homem primitivo dançava por infinitos motivos
como: caçada, colheita, alegria, tristeza, rituais aos seus Deuses, casamento, homenagem à natureza, anúncio de guerra,
entre outros.

Aspectos e Elementos da Dança Primitiva


 Formas: círculos, linhas, desenhos, etc.
 Movimentos: saltos, giros.
 Ornamentos: vestes de adereços (cabeças e peles de animais).
 Imitativas: resultado da observação do mundo exterior com a tentativa de imitá-lo.
 Interpretativas: resultado da observação do mundo exterior com a tentativa de representá-lo.
 Abstratas: formas ilimitadas, executadas em torno de fogueiras.
 Estáticas: invocar divindades.
 Acrobáticas: dança alegre, como forma de agradecimento.
 Convulsivas: movimentos espasmódicos, levando à estados mórbidos.
 Místicas: dança dedicada à religião (dança sacra).
 Profanas: dança social ou teatral (como divertimento).
Ele acreditava que suas danças tinham o poder sobre elementos da natureza e que cada vez que dançava alcançava com
mais facilidades seus objetivos.

9000 e 8000 a.C. – Eras Paleolítica e Mesolítica


Nessa época, o homem era nômade, logo se deslocava constantemente à procura de alimentos. Período
também conhecido como Pedra Lascada, é quando nossos ancestrais começaram a desenvolver instrumentos de caça
feitos de madeira, ossos e passaram a dominar o uso do fogo. Tudo era produzido no espaço por onde passavam,
plantavam e pescavam frutos colhidos da natureza, sendo assim suas danças eram relacionadas aos elementos da
natureza. Eles acreditavam a Dança espantava os elementos naturais que poderiam prejudicar de alguma forma sua
sobrevivência. A arte nesse período era denominada Arte Mágica, o homem compreendia que ela lhe possibilitaria uma
relação mais estreita com a natureza e que ele próprio poderia usar suas representações para exercer influencias sobre o
mundo que o rodeava.
Em cavernas como as da Serra da Capivara, no Piauí, no Brasil, Fulton’s Rock, na África do Sul, Altamira, na
Espanha e Lascaux, na França podemos conhecer muitos desenhos dessas eras. Representações de pessoas dispostas
em roda, em volta de animais, vestindo suas peles e imitando os movimentos dos animais.

6500 a.C. – Período Neolítico


Nesse período o homem deixa de ser nômade, fixando assim sua residência em um determinado local. Também
conhecida como Pedra Polida, nessa época o homem passa a produzir instrumentos de caça mais eficientes e começa a
criar animais e plantar alimentos para o seu próprio consumo, inaugurando assim a agricultura e a pecuária. A partir disso
suas danças começam a tomar um caráter de gratidão, celebração e fertilidade.
É importante ressaltar que no período Neolítico, o homem começa a saber e relacionar as questões de tempo.
Descobrem que nascem, crescem e morrem, a partir daí se inaugura a religião e suas danças começam a tomar outro
rumo, partindo da ideia que agora o mundo seria mediado pelos Deuses.
O Período Neolítico, ou das últimas culturas de tribo, já começou a apresentar os dois tipos de cultura distintas que se
completam, e mais, que só existe um em função do outro: a cultura campesina e a senhorial e a dança dos virtuoses, pagos
para se exibirem para quem tem o poder ou o dinheiro. (CAMINADA, 1999, p.24).

Referências
 História da Dança. Dança Primitiva. Disponível em: <http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?
conteudo=102#primitiva>. *Acesso em: 5 maio. 2013.
 PORTINARI, Maribel. História Da Dança. 2° ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.