Você está na página 1de 4

Casos e Formas de Resolver (Limites)

• Passos
1. Substituir a variável diretamente e ver se dá certo.
2. Se o valor ficar 0/0, tentar fazer por outra forma.
3. 0/x = 0; x/0 = não existe.
1 caso

Tirar as raízes da equação para fatorar; Eliminar o fator em comum; Aplicar o valor do
limite.

2 caso

Aplicar o cubo da diferença na equação de cima e fatorar em baixo; Eliminar o fator


em comum; Aplicar o valor do limite.

Aplicar o cubo da soma na equação de baixo; Elimar o fator em comum; Aplicar o valor
do limite.
CUBO DA SOMA = (a+b) (a² - ab + b²)
CUBO DA DIFERENÇA = (a-b) (a² + ab + b²)
3 caso
Racionalizar a raiz trocando o sinal de quem está fora; Aplicar a² - b² no produto;
Mexer com a equação de cima; Eliminar o fator em comum; Aplicar o valor do limite.

Racionalizar a raiz trocando o sinal de quem está fora; Aplicar a² - b² no produto;


Mexer com a equação de baixo; Eliminar o fator em comum; Aplicar o valor do limite.
4 caso

Aplicar o cubo da diferença, inicia sempre tirando a raiz do a³-b³; Elimina fator em
comum; Aplica o limite.
5 caso
Em casos onde limite tende ao infinto, você isola a variável de maior expoente,
dividindo o resto da expressão por está.

Em casos onde o produtor estiver fatorado, você volta ele a estado de equação do 2
grau.
6 caso

Em casos que tende ao infinito e não tem nenhum número fora da raiz, aplicar essa
propriedade:
𝒃
√𝒂 + 𝒃 = 𝒂 × (𝒏ú𝒎𝒆𝒓𝒐 𝒅𝒂 𝒇𝒓𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒅𝒐 𝒂 + )
𝒂
Após fazer isso, eliminar fator em comum e aplicar o valor do limite.

Racionalizar; Aplicar o a²-b²; Aplicar a raiz; Aplicar o valor do limite.

Casos e Formas de Resolver (Derivada)

Caso (A)
Regra do Quociente

𝒇(𝒙) 𝒇′ (𝒙). 𝒈(𝒙) − 𝒇(𝒙). 𝒈′(𝒙)
[ ] =
𝒈(𝒙) (𝒈(𝒙))²
Descobrir a derivada da equação de cima e de baixo; aplicar na fórmula; Assim você
encontra o M; Agora só aplicar na fórmula da reta (y-y0) = m(x-x0).
Caso (B)
Apenas fazer derivação pela regra do tombo e aplicar na fórmula da reta.
Caso (C)
𝒏 𝟏⁄ −𝟏⁄ 𝟏
Lembrar da propriedade, √𝒂 = 𝒂 𝒏; 𝒙 𝟐 = 𝟏 e vice-versa.
𝒙 ⁄𝟐
Nessa se aplica a REGRA DA CADEIA, onde depois de derivar, você tem que multiplicar
pela derivada do que está dentro.