Você está na página 1de 7

Qual é o melhor argumento bíblico para a crença das Testemunhas no sono da alma?

Um espectador de John Ankerberg Show pergunta: "Qual é o melhor argumento bíblico para a
crença das Testemunhas de Jeová no sono da alma?"

Existem 3 passagens que imediatamente vêm à mente. Há mais, mas estes são bastante claros
em abordar a questão. Em, o filho de David morreu e quando ele foi dito sua resposta foi:

“Mas agora ele morreu; por que eu deveria jejuar? Posso trazê-lo de volta? Eu irei a ele, mas
ele não voltará para mim.

Que Davi declarou que ele “irá a ele” assume que ele está conscientemente em algum lugar
para onde Davi irá. A segunda passagem é em 2 Coríntios 5: 6-10, onde o apóstolo Paulo
compara estar presente no corpo versus estar ausente do corpo, mas presente com o Senhor.
Ele escreve no versículo 8:

somos de boa coragem, eu digo, e prefiro preferir estar ausente do corpo e estar em casa
com o Senhor

Novamente, ele supõe que algo sobrevive à morte do corpo e fica imediatamente "em casa
com o Senhor".

Talvez a passagem mais poderosa esteja em João 2: 19-22, onde Jesus falou do Seu corpo
como o templo e disse no verso 19:

Jesus lhes respondeu: “Destrua este templo e em três dias eu o levantarei”.

Esta é uma grande passagem, pois nos permite saber que algo sobrevive à morte do corpo
para que Jesus levante o Seu corpo, o qual Ele claramente afirmou que faria, Ele ainda
precisaria estar “acordado” e vivo em algum lugar fora do corpo. Também nos diz que Ele seria
o único a levantá-lo e demonstrar que Ele é realmente Deus.

--------------------------
HERESIA DA ALMA DORMIR

Dr. Mike Johnston

“A heresia de uma idade torna-se a ortodoxia da próxima” Helen Keller - Optimism (1903)

Falsos mestres proclamando falsos ensinos sempre existiram na igreja e continuarão ao longo
dos últimos dias (1Tm 4: 1; 2Pe 2: 1-3). Por que eles não são vistos com mais frequência,
lamentam a vergonhosa temperatura espiritual de muitos cristãos que simplesmente não
estão preparados para discernir entre “o espírito da verdade e o espírito do erro” (1 João 4: 6).

Hermenêutica vs. Heresia

Hermenêutica é o nome fantasia dado à ciência da interpretação bíblica. Em termos leigos, ela
é formada por princípios bíblicos consistentes, obrigatórios a uma abordagem completa e
equilibrada da interpretação das Escrituras através do estudo: o cenário original do escritor e
do destinatário; a língua original (para incluir vocabulário, gramática e estilo); a intenção
original do Livro ou passagem; e o contexto mais restrito (imediato) e mais amplo (canônico)
de uma passagem. Em resumo, aderir a princípios hermenêuticos sólidos alimentará sua alma
enquanto protege você de heresia.

Origem da Heresia do Sono da Alma

A frase “sono da alma”, por si só, não é um termo bíblico. Na verdade, você nunca encontra a
alma ligada a dormir em qualquer lugar da Bíblia. Na verdade, é uma heterodoxia híbrida
inventada a partir do eufemismo bíblico para a aparência de sono do corpo na morte (2
Samuel 7:12; 2Pe 3: 4) que foi sequestrada por hereges.

--------------------------------------------

Um estudo da história da igreja prova que o sono da alma não tem raízes na ortodoxia cristã e
não há lugar na exegese sólida. E nos primeiros três séculos da igreja, a ascendência imediata
da alma ao Paraíso (aka Céu) na morte (Lucas 23:43) nunca foi questionada. Então, de acordo
com o historiador Philip Schaff, o sono da alma fomentou na mente de um especioso panteísta
do século IV chamado Arnóbio. Desde então, a pobre exegese tem sido o principal mecanismo
que os adormecidos da alma empregaram na manutenção de seu ardil. Hoje seus campeões
são dignos de nota: ateus, Testemunhas de Jeová, Cristadelfistas, Armstrongismo da velha
escola e adventistas do sétimo dia. Fale sobre uma tripulação espúria!
Como a hermenêutica nos ensina a examinar contextos históricos e contextuais ao interpretar
as Escrituras, precisamos primeiro entender as cinco divisões separadas que compõem os 66
livros: os livros de lei, os livros de história, os livros de profecia, as epístolas (história e
doutrina). ) e os livros da sabedoria.

Um lugar que os sonhadores de alma adoram dançar está nos livros de sabedoria, incluindo
Eclesiastes. Eclesiastes, embora totalmente inspirado, é escrito de uma perspectiva terrena -
não eterna (ou celestial). Ele literalmente arranca a máscara do mais sábio mortal, que a partir
das primeiras palavras admite estar fora de comunhão com Deus (Ec 1: 1-3, 14). Seus
pensamentos freqüentemente refletem a mesma mentalidade fatalista tão prevalente nos
tempos judaicos do Antigo Testamento:

“Para o que se une a todos os vivos há esperança: porque um cão vivo é melhor do que um
leão morto. Porque os vivos sabem que morrerão; mas os mortos não sabem nada, nem têm
mais uma recompensa; porque a memória deles é esquecida ”(Ec 9: 4-6). Este verso dá
esperança às almas dormentes e outros que ignoram o contexto da opinião de Salomão como
Albert Barnes sabiamente observa:

“A última cláusula do Ecc. 9: 6 indica que o escritor limita suas observações sobre os mortos à
sua porção ou relação com este mundo. ”(Notas de Albert Barnes sobre a Bíblia)

Revelação Progressiva

Alguém uma vez brincou: “O Novo está no Velho escondido; o Velho está no Novo revelado.
”Na hermenêutica, isso é chamado de“ revelação progressiva ”. Veja como isso funciona.

Enquanto os 39 Livros do AT e os humanos penman foram totalmente inspirados, seu conceito


de certas doutrinas foi um pouco difundido por trás de tipos e sombras (Isaías 9: 2; 42:16;
Marcos 4:16) não totalmente compreendido até a conclusão do Novo Testamento. Cânon do
Testamento (Hb 8: 5). Isso obviamente incluía seu conhecimento da morte. Eles estavam
errados? Não, eles estavam meramente expressando opiniões baseadas na luz que Deus lhes
deu para disseminar Sua verdade para aquela dispensação em particular.

-----------------------------------------

Morte como entendida no Antigo Testamento

Como dito anteriormente, de modo geral, os judeus eram fatalistas acreditando em um futuro
- embora de ressurreição geral: “Vossos mortos viverão, junto com meu corpo morto, eles se
levantarão.
. . . e a terra expulsará os mortos ”(Is 26:19). Para eles, a morte era solitária, sombria e um
tanto temerosa:

Davi lamentou: "Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro se te agradecerá" (Sl 6:
5).

Jó angustiado: “Não são poucos os meus dias? cessa, pois, e deixa-me, para que eu me console
um pouco. Antes que eu vá, de onde não voltarei, sim, para a terra das trevas e para a sombra
da morte; Uma terra das trevas, como a própria escuridão; e da sombra da morte, sem
qualquer ordem, e onde a luz é como a escuridão ”(Jó 10: 20-22).

Mesmo que esses homens amem o Senhor com todo o seu ser, eles parecem ter sido quase
sufocados em um manto de desespero ao contemplarem sua própria morte.

Morte como revelada no Novo Testamento

Na época de Cristo, a doutrina da ressurreição dos mortos era uma questão altamente
debatida. Filósofos gregos como Sócrates, Platão, Aristóteles e Epicuro haviam lançado
filosofias tortuosas que desviaram o foco de Deus para o homem e do eterno para o temporal.

Quando o NT foi escrito - e uma nova dispensação se desdobrou - Deus começou a


desembrulhar os preciosos mas um tanto obscuros segredos guardados no AT (1 Coríntios 2:
7). Não é de surpreender que isso se tornou uma revelação surpreendente para os judeus do
Antigo Testamento, “que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão”
(Hb 2:15).

Uma pessoa que o Espírito Santo escolheu para revelar esses mistérios foi um brilhante
erudito do Antigo Testamento que conhecemos como o apóstolo Paulo (1 Co 2: 7; 15:51; Ef 1:
9; 3: 3). Curiosamente, enquanto os ensinamentos de Paulo, em alguns aspectos, refletiam o
pensamento do Antigo Testamento em relação aos corpos adormecidos na morte (1 Coríntios
11:30; 1 Tessalonicenses 4:14), quando Deus revelou até 14 livros do Novo Testamento a
Paulo, Ele também deu-lhe uma nova compreensão do que acontece com o espírito e a alma
na morte; que se ausentem do corpo e se apresentem ao Senhor (2 Co 5: 8; Fp 1:21). Daquele
ponto em diante, Paulo ensinou que a morte não deveria ser temida, mas vista com
antecipação e esperança um pouco como uma graduação (1 Co 15: 54-55). Isto, naturalmente,
atraiu a ira de seus antigos associados do Sinédrio, que agora procuravam matá-lo por ensinar
tais coisas (Atos 9:23; 26:21).
5 Grandes Verdades Refutar o Sono da Alma

Existe uma doutrina errônea conhecida como “ressurreição geral, julgamento geral” que
ensina que um dia todos os mortos ao longo da história serão despertados de seu sono e
convocados ao Grande Trono Branco (Apoc. 20: 11-15), onde permanecerão. diante de Deus
para entrar no céu ou no lago de fogo.

Se isso é verdade, e as Escrituras provam que não é verdade, todo santo da história deve estar
dormindo em algum lugar esperando julgamento. E, no entanto, esse não é o caso, como
veremos no testemunho de Jesus e vários santos que morreram e ainda estavam muito vivos.

Observe, se quiser, as cinco grandes verdades bíblicas que facilmente repudiarão a heresia do
sono da alma:

VERDADE # 1: A Bíblia refuta o sono da alma em que Deus é Deus dos vivos, não dos mortos!
Visto que Deus é vida e a fonte de toda a vida (Gênesis 1:20; Dt 30:20; João 1: 4; 14: 6), fora
Dele é considerada a morte (Ef 2: 1,5). Perto do fim do seu ministério físico na terra, Jesus foi
confrontado pelos saduceus liberais sem Deus que levaram os judeus a acreditar que não havia
ressurreição futura. Certa vez, enquanto tentavam prendê-lo, indagaram com desinteresse
sobre o status do casamento na vida após a morte. É claro que Jesus localizou o estratagema e
os chamou de ignorantes, os quais não apenas costuraram suas bocas, mas sem dúvida
ajudaram a selar Seu destino:

“Não tendes lido o que vos foi dito por Deus, dizendo: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de
Isaque e o Deus de Jacó? Deus não é o Deus dos mortos, mas dos vivos ”(Mateus 22: 31-32).

O que isto significa? Se você acredita no sono da alma, isso não significa nada. Se você crê em
Jesus, entende que isso significa que esses patriarcas (Abraão, Isaque e Jacó), juntamente com
todos os santos da história, estiveram vivos - não dormindo - todos esses anos (ver Lucas 16:
22-31; Apocalipse 4). : 4, etc).

VERDADE # 2: Jesus refutou o sono da alma prometendo que nunca morreríamos! Em uma
promessa pública, Jesus prometeu: “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou
tem a vida eterna e não entrará em condenação; mas passou da morte para a vida ”(João
5:24). Mais tarde, Jesus disse: "Se alguém guardar as minhas palavras, nunca verá a morte"
(João 8:51). Mais uma vez, a integridade de Cristo está em jogo aqui. Toda pessoa que ouviu o
Senhor proferir esta promessa morreu e seus corpos foram enterrados. À luz disso, se Jesus
estivesse se referindo à morte do corpo como os que dormem as almas são forçados a manter
- e em vista do fato de que todos aqueles corpos de discípulos eventualmente morreram
(adormeceu) - isso não faria mentiroso nosso Salvador?
---------------------------

VERDADE # 3: Paulo refutou o sono da alma quando ensinou que a ausência do corpo é estar
presente com o Senhor! Como dissemos anteriormente, os escritores do Antigo Testamento
operavam sob a desvantagem da luz limitada e, portanto, viam a ressurreição como um
acontecimento único para o futuro.

Paulo, um rabino convertido, recebeu revelação adicional, acrescentando luz ao que se sabia
sobre o estado intermediário do corpo e da alma na morte. Lembre-se, ele tinha
experimentado uma viagem ao paraíso, então ele sabia em primeira mão quão real e
magnífico era (1 Coríntios 12: 2). Ele ensinou mais sobre morte e ressurreição do que qualquer
outro escritor bíblico. Embora ele concordasse com os escritores do Antigo Testamento de que
a morte provocava a aparição de um corpo adormecido (1 Coríntios 15: 6; 1 Tessalonicenses
4:14), ele nunca deixou implícito que um corpo adormecido trouxesse uma alma adormecida
ou espírito. sempre. Por favor, considere a Palavra de Deus aqui:

“Enquanto estamos em casa no corpo, estamos ausentes do Senhor: estamos confiantes, digo,
e estou disposto a estar ausente do corpo e a estar presente com o Senhor (2 Co 5: 6, 8). ).
Você viu esse reforço? Então, para não confundir seus leitores, ele disse de um jeito, depois
repetiu de outra maneira. No corpo, longe do Senhor. Com o Senhor, longe do corpo. Quanto
mais claro pode ficar? Então, três anos depois, esse pensamento cativante surgiu novamente
em uma carta aos filipenses. “Porque eu estou em um estreito entre dois, tendo o desejo de
partir e estar com Cristo; que é muito melhor: no entanto, habitar na carne é mais necessário
para você ”(Filipenses 1: 23-24). Mais uma vez, afastar-se da terra (a morte) é estar com Cristo.
Não há sono de alma, não há espera de uma ressurreição geral, e não há confusão para
aqueles que não estão ligados pelas tradições falaciosas de ladinos religiosos que continuam a
manter um feitiço sobre seus discípulos enganados.

VERDADE # 4: Hebreus refuta o sono da alma ensinando que os espíritos daqueles que
morreram existem agora mesmo no céu! “Mas vós chegastes ao monte Sião e à cidade do
Deus vivo, a Jerusalém celestial e a uma inumerável companhia de anjos, à assembléia geral e
à igreja dos primogênitos, que estão escritos no céu, e a Deus, Juiz de todos e para os espíritos
dos justos aperfeiçoados, e para Jesus, o mediador do novo pacto, e para o sangue da
aspersão, que fala melhor do que o de Abel ”(Hb 12: 22-24).

VERDADE # 5: A Bíblia sistematicamente refuta o sono da alma em pelo menos 15 ocasiões


separadas, o que novamente prova conclusivamente que se trata de um erro grave e mal
preparado!

Samuel, o Profeta, não estava dormindo (1 Samuel 28: 7-19)

Moisés e Elias não estavam dormindo (Mt 17: 1-4)

O ladrão na cruz não dormiu (Lucas 23:43)


Quando Estêvão foi apedrejado, seu corpo dormiu, mas o Senhor recebeu seu espírito (Atos
7: 59-60)

A filha do Espírito de Jairo não estava dormindo (Lucas 8: 51-54)

Abraão, Lázaro e o homem rico não estavam dormindo (Lucas 16: 20-31)

Os santos do Antigo Testamento não estavam dormindo (Mt 27: 52-53)

As almas em Sheol / Hades Cristo pregou para não dormir (Efésios 4: 8-10)

A Grande Nuvem de testemunhas não está dormindo (Hebreus 11-12)

Os santos celestiais não estão dormindo no arrebatamento (1Co 15: 51-53; 1Ts 4:16)

Os anciãos da Revelação de João não estão dormindo (Apocalipse 4: 4, 10)

As almas da tribulação martirizada não estão dormindo (Apoc. 6: 9-11; 20:11)

A grande multidão resgatada da grande tribulação não está dormindo (Ap 7: 9, 14)

O exército de retorno dos santos celestiais não está dormindo na Revelação de Cristo
(Apocalipse 19: 11-14)

Jesus Cristo, as primícias da ressurreição não está dormindo

RESUMO: Se o sono da alma é verdadeiro, Jesus era um mentiroso, Mateus era mentiroso,
Lucas mentiroso, João mentiroso, Paulo mentiroso, Judas mentiroso, o livro do Apocalipse e,
de fato, toda a Bíblia nada mais é do que uma coleção de mentiras escritas por um grupo
prevaricante de lobos cruéis.

Por outro lado, se o que Jesus ensinou, João ensinou e Paulo ensinou repetidas vezes é tão
verdadeiro quanto acreditamos que é, a escolha clara para você será refutar e rejeitar a
heresia do sono da alma e abraçar a Palavra de Deus que claramente promete nós que “estar
ausente do corpo é estar presente com o Senhor” (2 Co 5: 8).