Você está na página 1de 7

2ª PARTE

PROJETO DE PESQUISA

Para a apresentação de um projeto de pesquisa é necessário se ter os objetivos bem determinados, assim
como o plano de coleta e análise de dados. A redação do projeto exige que se disponha de informações seguras,
acerca de todos esses tópicos. Pode ocorrer que em algumas situações se faça necessário apresentar por escrito
as intenções de pesquisa. Neste caso, redigi se um projeto provisório, que mais adequadamente deve ser
denominado anteprojeto.
Existem vários tipos de projetos de pesquisas, logo, não pode haver uma padronização, contudo é possível
elencar os principais elementos que devem aparecer na maioria dos modelos de projetos de pesquisa; tais como:
Tema, Problema, Justificativa, Objetivo Geral, Objetivos Específicos, Hipótese, Metodologia, Referencial Teórico,
Delimitação (objeto de estudo).
Evite começar os objetivos com os verbos: Conhecer e Perceber, pois dão ideia de amplitude, dificultando a
implantação da pesquisa.

TIPOLOGIA DE PROJETOS

1- Projeto de Intervenção: É um projeto que pode ser desenvolvido na área educacional ou organizacional para
promover uma intervenção no foco do problema, alterando a organização e a operação do sistema com a função
de resolver ou atender as necessidades que atende.
2- Projetos de Pesquisa: Projeto que visa obter conhecimentos sobre determinado problema verificando e
apurando soluções através de experimentações.
3- Projetos de Desenvolvimento (ou de Produto): São projetos internos de uma sistema buscando inovar em
seus produtos e atividades.
4- Projetos de Ensino: São projetos educacionais que visam promover melhorias no processo de ensino
aprendizagem, envolvendo uma ou mais disciplinas. Realizados por professores.
5- Projetos de Aprendizagem ou de Trabalho: São projeto realizados por alunos no âmbito escolar com a
finalidade de desenvolver-se em determinados pontos de uma disciplina.

MODELO DO PROJETO DE PESQUISA

• TEMA (O que se quer estudar):


DEVE SER COLOCADO O FATO, FENÔMENO OU ASSUNTO SOBRE O QUAL SE PRETENDE
DESENVOLVER O TCC, DENTRO DA SUA ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO.

• DELIMITAÇÃO DA PESQUISA (Objeto de Estudo):


RECORTE DO SEU TEMA DE PESQUISA. APONTE O FOCO CENTRAL DE REALIZAÇÃO DO SEU TRABALHO.

• PROBLEMA (Pergunta geradora de inquietação que norteia o trabalho):


É MOLA PROPULSORA DE TODO O TRABALHO, A PARTIR DO QUAL SE DIRECIONA O PROCESSO DE
ESCRITA DO TCC.

• HIPÓTESES (Suposições admissíveis para a causa do problema):


AQUI DEVE SER COLOCADO QUAL É (OU QUAIS SÃO) A(S) POSSÍVEL(IS) CAUSA(S) DO PROBLEMA. É A
SUA OPINIÃO, O QUE VOCÊ ACHA SOBRE O PROBLEMA.
2
• JUSTIFICATIVA (Por que realizar a pesquisa?):
DIANTE DO TEMA E DO PROBLEMA APRESENTADOS, DEVE-SE DIZER AQUI QUAL A IMPORTÂNCIA DE
REALIZAÇÃO DA PESQUISA E QUAL A RAZÃO QUE O/A LEVOU A PESQUISAR O TEMA.

• OBJETIVO GERAL (O que queremos realizar?):


DEVE-SE DIZER QUAL A PRINCIPAL META DO TRABALHO.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS ( apresentam, de forma pormenorizada, detalhada, as ações que se pretende


alcançar )
ESTABELECE SE ESTREITA RELAÇÃO COM AS PARTICULARIDADES RELATIVAS À TEMATICA
TRABALHADA.

• METODOLOGIA (Passo-a-passo para a confecção do TCC):


DEVE SER COLOCADA EM TÓPICOS A MANEIRA, O COMO VOCÊ VAI DESENVOLVER SEU
TRABALHO/TCC. VOCÊ DEVE EXPLICITAR O(S) TIPO(S) DE METODOLOGIA(S) EMPREGADOS NA
CONSTRUÇÃO DO ARTIGO. EX: (QUALITATIVA, QUANTITATIVA, ETNOGRÁFICA, BIBLIOGRÁFICA, DE
CAMPO...).

• REFERENCIAL TEÓRICO (Bibliografia inicial para pesquisa / levantamento bibliográfico):


DEVEM SER LISTADOS OS TEXTOS, LIVROS E AUTORES QUE VOCÊ LEU OU VAI LER PARA DAR
SUPORTE TEÓRICO AO SEU TCC.

EXEMPLO VAZADO DE MATRIZ ANALÍTICA


O pré-projeto ou plano de estudos é o espaço para você expor suas ideias, temas e objetivos de
pesquisa. Precisão e clareza são pontos positivos na avaliação. Como um plano, esse nosso projeto é dividido nos
seguintes itens:

1. TEMA:

Educação de Jovens e Adultos na contemporaneidade

1.1 PROBLEMA:

Por que a Educação de Jovens e Adultos em inúmeras situações não recebe o apoio necessário do poder
público interferindo diretamente no processo de alfabetização dos educandos dessa modalidade?

2. JUSTIFICATIVA:

Infere-se que o aludido Projeto apresenta como tema ‘’ Educação de Jovens e Adultos na
contemporaneidade’’. Deste modo, o mesmo apresenta-se uma visão de que, a Educação de Jovens e Adultos é
um elemento da importância da sociedade que encontra-se desestabilizada diante a defasagem na leitura e escrita,
todavia verifica que para ampliar seu desenvolvimento a mesma precisa ser oferecida de forma prazerosa e
transformadora.

3
Consequentemente, faz-se indispensável o aprendizado, por isso que a partir dele os educandos serão
estimulados espontaneamente a constituir, transformar e abranger conceitos e assim, interagir com o mundo. Logo,
constata que, o aprendizado só ocorre de forma significativa quando interage com as dificuldades que os jovens e
os adultos sofrem, assim faz sentido e trás considerações que se profere com as informações que já possui. Infere
que, através da leitura, há perspectivas dos educandos se afastarem dos atos graves, induzindo-os a serem mais
críticos e apresentando uma visão vasta sobre a sociedade.
Corrobora-se que, o objetivo deste estudo é consentir aos educandos analogia com o aprendizado para
assim, colaborar na aprendizagem, consentindo assim o desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem,
provocando a probabilidade da capacidade e habilidades para que torne-se leitores e aprendentes frequentes e
prazerosos, induzindo o mesmo a vislumbrar sobre seus atos, permitindo que eles partilhem de acontecimentos
de comunicação oral e escrita. Portanto, este Projeto apresenta como objetivo principal acordar, nos educandos,
o gosto como o prazer e a valorização que a mesma traz em suas vidas. Portanto, incumbe ao educador, estimular
o prazer em ler e assim promover o interesse para ampliar sua habilidade autora, dando-lhes a mesma
oportunidade de apostar novos conhecimentos que procedam em prática e assim, interagir-se perante a sociedade
permitindo uma ampla e abrangente aprendizagem.

3. OBJETIVOS:

3.1 Objetivo Geral:

Consentir aos educandos a possibilidade da aprendizagem através da Educação de Jovens e Adultos,


possibilitando que a mesma capacite os educadores para o desenvolvimento no processo de ensino aprendizagem,
facilitando assim, a probabilidade da capacidade e habilidades para que torne-se aprendentes e leitores assíduos
e prazerosos.

3.2 Objetivos Específicos:

 Estimar nos educandos o prazer da aprendizagem para o desenvolvimento em sala de aula.


 Analisar a contribuição da modalidade EJA como fator essencial no processo ensino aprendizagem;
 Analisar e validar as capacidades e habilidades ampliadas com relação ao desempenho dos educandos da
EJA no processo de ensino aprendizagem.

4. METODOLOGIA:

Infere que, esse projeto de pesquisa foi desenvolvido como um estudo qualitativo de cunho bibliográfico
que, por meio desta metodologia, compreendem-se a valorização e desenvolvimento da Educação de Jovens e
Adultos e sua relação com a educação básica apresentando assim, subsídios para instigar o educando na
concepção de aprendizagem.
Segundo GIL (2008) “as fontes de pesquisa têm como missão fornecer as respostas das quais os
pesquisadores necessitam para a dissolução do problema”. As obras referenciadas neste trabalho são fontes para
captação de meios para a discussão das ideias que serão base auxiliadora para o desenvolvimento dos objetivos.
Portanto, com relação à pesquisa bibliográfica ela será organizada através da consulta a vários autores,
procurando embasamento teórico para o seu desenvolvimento, pois a mesma tem fundamentos úteis na expedição
do assunto a ser abordado, com o desígnio de viabilizar embasamentos e informações levando em consideração
as ideias de autores renomados que tratam da temática em questão.

4
De acordo com Lakatos (2005, p. 185) a pesquisa bibliográfica poderá ser entendida como:

A pesquisa bibliográfica, ou de fontes secundarias, abrange toda bibliografia já


tornada pública em relação ao tema de estudo, desde publicações avulsas, boletins,
jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, material cartográfico etc., até
meios de comunicação orais: radio, gravações em fita magnética e audiovisuais:
filmes e televisão. Sua finalidade é colocar o pesquisador em contato com tudo o que
foi escrito, dito ou filmado sobre determinado assunto, inclusive conferencias seguidas
de debates que tenham sido transcritos por alguma forma, quer publicados, quer
gravados.

Baseado nas palavras da autora percebe-se que os trabalhos embasados neste tipo de pesquisa são
elaborados através de material que já foi publicado e que servirão de base para enriquecer todo e qualquer
trabalho.
Constata-se que, sua forma de abordagem é qualitativa porque os dados obtidos não podem ser
quantificáveis e consenti a interação entre os conteúdos pesquisados, com recorte para a abrangência, em termos
empírico e teórico correspondente ao objeto da investigação, pois a abordagem qualitativa se aprofunda no mundo
dos significados (MINAYO, 2012, p.62).

5. REFERENCIAIS TEÓRICOS:

Constata que, o presente trabalho situa-se em um estudo sobre a seriedade da Educação de Jovens e
Adultos. Contudo, toda revelação sobre a alfabetização e a educação para jovens e adultos está retrocedida aos
movimentos decorrentes da história, onde se permeiam as adequadas circulações da educação popular e todas
as políticas educacionais alusivas a essa construção histórica, como também se alude à reorganização política
social centrada dentro da resolução vigente nacional.
Deste modo, a Educação de Jovens e Adultos tem se isolado como alvo de interesses e movimentos
caracterizados na história da educação. Identifica-se em cada ocasião grupos econômicos, políticos partidários,
de educadores e intelectuais, vinculados a distintos movimentos sociais e composições internacionais, num exato
embate político e ideológico, em volta da requisição ou não de deliberar políticas e desempenhos para esta área.
Salienta-se que, Freire apresenta sua contribuição trazendo este novo espírito da época que acabou
por se tornar um marco teórico na Educação de Adultos, ampliando uma metodologia própria de trabalho, que
vinculava pela primeira vez a especificidade dessa Educação em relação a quem educar, para que e como educar,
a partir do início de que a educação era uma ação política, podendo servir tanto para a dependência como para a
liberação do povo.
Compreende-se que, o novo modelo pedagógico fundamentava-se num novo acordo de relação entre
a problemática educacional e problemática social. Confinando das percepções do adulto aperfeiçoando sobre o
mundo, através da ponderação e da ação, garantia a relação dialógica educando/educador: os sujeitos se
desenvolviam por meio da problematização das condições visíveis de vida de cada grupo de trabalho, ampliando
suas visões críticas, desenvolvendo suas aparições de mundo, expondo a palavra cheia de vida e do seu
conhecimento, implantada num conjunto cultural que faz do homem sua própria beneficência ou crueldade.
Corrobora-se que, nessa “sociedade em tráfico”, Freire buscou revelar o papel político que um a
educação pode decorrer a realizar, e desempenha sempre na construção de outra sociedade, a “sociedade aberta”.
Assim, na sua percepção “a constituição de uma nova sociedade não poderá ser gerida pelas elites influentes,
incapazes de proporcionar os embasamentos de uma política de reformas, porém apenas pelas massas populares
que são a única forma adequada de atuar a mudança”. (FREIRE, 1983,p.34).

5
Constata-se que, o primeiro papel da EJA diz consideração ao direito de todas as pessoas à
educação e é denominada de função reparadora:

[...] a função reparadora da EJA, no limite, significa não só a entrada no circuito dos
direitos civis pela restauração de um direito negado: o direito a uma escola de
qualidade, mas também, o reconhecimento daquela igualdade ontológica de todo e
qualquer ser humano. Desta negação, evidente na história brasileira, resulta uma
perda: o acesso a um bem real, social e simbolicamente importante. (CURY, 2000, p.
6).

Portanto, vale salientar que a função reparadora vai além de ter direitos, mas, de serem
reconhecidos, pois, não adianta ter direitos e não saber como deliberar o mesmo. No entanto, na Educação de
Jovens e Adultos hoje, proporciona aos seus educandos reconhecer e lutar por todos seus direitos perante a
sociedade.
Assim, a Constituição vigente trouxe extraordinários avanços para a EJA. No artigo 208 dessa Carta
Magna foi obrigado o direito à educação para todos, abrangendo jovens e adultos que não apresentaram a
oportunidade de cursar a escola na idade própria, estando o Estado responsabilizado por sua oferta pública,
gratuita e universal (BRASIL, 1998). Além disso, as acomodações transitórias dessa Constituição instituíram que,
em dez anos, necessita erradicar o analfabetismo e universalizar o Ensino Fundamental no País (HADDAD; DI
PIERRO, 2000)

6. CRONOGRAMA

No cronograma o pesquisador deverá fazer um planejamento das atividades ao longo do tempo que você
dispõe para a pesquisa. Ele é uma excelente ferramenta para controlar o tempo de trabalho e o ritmo de produção.

7. REFERÊNCIAS

CURY, C. R. J. (Relator). Parecer n. 11/2000 do Conselho Nacional de Educação. Diretrizes curriculares


nacionais para a educação de jovens e adultos. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja/legislacao/ parecer_11_ 2000. pdf. Acesso em: 16/04/2017
FREIRE, P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social / Antônio Carlos Gil. - 6. ed. - São Paulo: Atlas,
2008.
HADDAD, S. (Coord.). Educação de jovens e adultos no Brasil (1986-1988). Brasília: MEC/Inep, Comped, 2002.
Disponível em: http://www.uems.br/propp/conteudopos/ceja/Educ_Jovens_Adultos_Est_Conhecimento.pdf
Acesso em: 16/04/2017.

6
LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia cientifica/ Marina de Andrade Marconi, Eva Maria Lakatos.
– 6. ed – São Paulo: Atlas, 2005.
VIGOTSKY, L. S. A Formação social da mente. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.