Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

CENTRO DE TECNOLOGIA
ENGENHARIA CIVIL

Outubro de 2013
Fortaleza - CE

EDITAL – CAMPEONATO DE PONTE DE MACARRÃO

Art. 1º. A Universidade Federal do Ceará (UFC) promoverá o III Campeonato de Ponte
de Macarrão, que será realizada na III Semana de Engenharia Civil, e ocorrerá dia 07 de
novembro de 2013 no Campus do Pici. A tarefa proposta é a construção e o teste de
carga de uma ponte treliçada feita de macarrão do tipo espaguete e cola. A equipe
deverá ler atentamente a este Edital antes de fazer sua inscrição, pois a competição será
regida de acordo com as normas aqui determinadas e o descumprimento destas será
punido de acordo com o capítulo VII. Qualquer problema, dúvida ou ocorrência não
contemplada neste regulamento, deverá ser analisada pela comissão de fiscalização, e a
decisão final sobre o assunto em questão caberá ao(s) organizador(es) do campeonato e
à comissão avaliadora.

CAPÍTULO I - OBJETIVOS

Art. 2º. O campeonato tem como objetivos estimular a criatividade e a participação dos
alunos em trabalhos em grupo, ampliando também os conceitos aplicados à Engenharia
Civil.
CAPÍTULO II – AS INSCRIÇÕES

Art. 3º. Entre os dias 04 e 08 de novembro de 2013 ocorrerá a III Semana de


Engenharia Civil que incluirá como programação o III Campeonato de Ponte de
Macarrão. A Comissão do campeonato informa que estão abertas, a partir do dia 19 de
Outubro de 2013, as inscrições para a participação no campeonato. As inscrições
poderão ser feitas até o dia 01 de novembro de 2013.

§ 1º. Estarão possibilitadas as inscrições no campeonato exclusivamente pelo site da


Semana de Engenharia Civil (www.petcivil.ufc.br/sec). A inscrição da equipe será
confirmada mediante ao pagamento da taxa de R$ 20,00, feita na sala do PET Civil –
UFC, bloco 708, Campus do Pici até o dia 01 de novembro de 2013.

§ 2º. Caso a equipe já inscrita desista de participar da competição, o dinheiro não será
reembolsado.

§ 3º. O número de equipes inscritas será limitado em 20 vagas.

Art. 4º. O número de integrantes permitido será de 3 a 5 por equipe, formados por
acadêmicos regularmente matriculados nos cursos de Engenharia Civil ou
Estradas e Edificações de qualquer universidade pública ou privada.

§ 3º. Alunos organizadores da III Semana de Engenharia Civil não poderão participar do
campeonato.

Art. 5º. Para efetuar as inscrições das equipes, será necessário o nome do grupo, o nome
completo de cada integrante e o comprovante de matrícula dos mesmos em algum dos
cursos citados no Art. 4º. O comprovante de matrícula deverá ser entregue junto ao
pagamento da taxa de inscrição.

Art. 6º. Cada equipe poderá competir com apenas 1 (uma) ponte.

Art. 7º. As equipes regularmente inscritas concorrerão ao prêmio de R$ 2.500,00 (dois


mil e quinhentos reais) para o primeiro colocado e R$ 500,00 (quinhentos reais) para o
segundo colocado, além disso, todos os participantes receberão um certificado de
participação.

CAPÍTULO III – MATERIAL PERMITIDO PARA A CONSTRUÇÃO DA


PONTE

Art. 8º. O material permitido para a construção da ponte será o seguinte:

I) Macarrão do tipo espaguete, número 7, da marca Barilla;


II) Colas epóxi do tipo massa (Ex: Durepoxi, Polyepox, Poxibonder, etc);
III) Colas epóxi do tipo resina (Ex: Araldite, Polipol, colamix, etc);
IV) Cola quente em pistola;
V) Tubo de PVC para água fria de ½’’ de diâmetro e 20 cm de comprimento;
VI) Uma barra de aço de construção de 8mm de diâmetro de comprimento igual à
largura da ponte.

§ 4º. A comissão organizadora do concurso fornecerá a cada equipe, no período de


inscrições, a barra de aço com 20 cm de comprimento para aplicação da carga e o tubo
de PVC. Os equipamentos, os utensílios e o restante do material necessário para a
construção da ponte devem ser providenciados pelas equipes.

CAPÍTULO IV- NORMAS PARA CONSTRUÇÃO DA PONTE

Art. 9º. A ponte deverá ser indivisível, de tal forma que partes móveis ou encaixáveis
não serão admitidas.

Art. 10º. O peso da ponte, considerando apenas o macarrão e a cola, não deverá exceder
900 g. O peso da barra de aço e do tubo de PVC não será contabilizado.

Art. 11º. A ponte só poderá receber revestimento ou pintura com as colas permitidas.
Art. 12º. A ponte deverá ser capaz de vencer um vão livre de 1m podendo estender-se a
1,10m, estando apoiada livremente nas suas extremidades, de tal forma que a fixação
das extremidades não será permitida.

Art. 13º. Na parte inferior de cada extremidade da ponte, deverá ser fixado um tubo de
PVC para facilitar o apoio destas extremidades sobre as faces dos blocos que servirão de
apoio.

Art. 14º. A altura máxima da ponte, medida verticalmente desde seu ponto mais baixo
até o seu ponto mais alto, não deverá ultrapassar 50 cm.

Art. 15º. A ponte deverá ter uma largura mínima de 5 cm e máxima de 20 cm, ao longo
de todo seu comprimento.

Art. 16º. Para que possa ser realizado o teste de carga da ponte, ela deverá ter fixado, na
região correspondente ao centro do vão livre, no sentido transversal ao seu comprimento
e no mesmo nível das extremidades apoiada, uma barra de aço de construção de 8 mm
de diâmetro e de comprimento igual à largura da ponte através desta barra.

CAPÍTULO V- NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DAS PONTES

Art. 17º. Cada grupo deverá entregar, até o dia 06 de novembro de 2013, o projeto
da ponte com as seguintes informações:
I) Nome do grupo;
II) Nome da Instituição;
III) Componentes do grupo: nomes e períodos;
IV) Desenho da ponte;
V) Carga de ruptura estimada;
VI) Peso estimado;
VII) Dimensões.

Um modelo de projeto será disponibilizado pela comissão organizadora.


Art. 18º. Cada grupo deverá enviar um vídeo de 2 a 5 minutos à comissão organizadora,
para o e-mail ponte.sec@gmail.com, exibindo a equipe construindo a ponte, e
explicando o motivo da escolha da estrutura.

CAPÍTULO VI – NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TESTES DE CARGA

Art. 19º. A ordem da realização dos testes de carga das pontes de cada grupo
corresponderá conforme o sorteio que ocorrerá no dia da competição.

Art. 20º. Pelo menos um integrante da equipe deverá apresentar-se 8h no dia da


competição, no local pré-definido pela organização do evento, com a ponte pronta. Será
dada uma tolerância de até 30 (trinta) minutos além do horário citado anteriormente. As
equipes que não comparecerem ao local e horário determinado serão eliminadas.

Art. 21º. Apenas um membro de cada grupo realizará o teste de carga na ponte.

Art. 22º. Membros da comissão de fiscalização do concurso procederão à pesagem e


medição da ponte e à verificação do cumprimento das prescrições deste regulamento
minutos antes da realização do teste de carga.

Art. 23º. A carga inicial a ser aplicada será de 2,650 kg (2 kg referentes aos pesos
colocados e 650 g referente ao gancho que deverá ser pendurado ao ponto de aplicação
de massa). Se após 30 segundos a aplicação da carga a ponte não apresentar danos
estruturais, será considerado que a ponte passou no teste de carga mínima, e ela estará
habilitada para participar do teste da carga de colapso.

Art.24º. Se a ponte passar no teste da carga mínima, as cargas posteriores serão


aplicadas em incrementos definidos pelo membro do grupo que está realizando o teste.
Será exigido um mínimo de 10 segundos entre cada aplicação de incremento de carga.

Art. 25º. Será considerado que a ponte atingiu o colapso se ela apresentar severos danos
estruturais menos de 10 segundos após a aplicação do incremento de carga. A carga de
capacidade portante oficial da ponte será a última carga que a ponte foi capaz de
suportar durante um período de 10 segundos, sem que ocorressem severos danos
estruturais.

Art.26º. Se na aplicação de um incremento de carga ocorrer a destruição do ponto de


aplicação da carga, será considerado que a ponte atingiu o colapso, pela impossibilidade
de aplicar mais incrementos de carga (ainda que o resto da ponte permaneça sem
grandes danos estruturais).

Art. 27º. Após o colapso de cada ponte, os restos da ponte testada poderão ser
examinados por membros da comissão de fiscalização do concurso, para verificar se, na
sua construção, foi utilizada apenas os materiais permitidos. Caso seja const atada a
utilização de materiais não permitidos, a ponte estará desclassificada.

CAPÍTULO VII – PENALIDADES

Art. 28º. O não cumprimento das normas aqui estabelecidas será punido de formas
distintas, que variam de acordo com a gravidade da falta, que poderá ser leve, média,
grave ou gravíssima. Segue abaixo a lista de faltas e suas respectivas punições:
Falta Categoria Punição
Exceder o limite de peso em até 50 g. Leve Serão descontados 0,25
pontos da nota final
Exceder o limite de peso entre 50 e 100 g Média Serão descontados 0,50
pontos da nota final
Exceder o limite de peso entre 100 e 150 g Grave Serão descontados 1,0
pontos da nota final.
Atraso, na apresentação, além da tolerância. Gravíssima Eliminação
Exceder o limite de peso acima de 150 g Gravíssima Eliminação
Não vencer o vão de 1 m Gravíssima Eliminação
Exceder qualquer limite relativo às medidas Gravíssima Eliminação
(largura, comprimento ou altura)
Não enviar o projeto e o vídeo, como Gravíssima Eliminação
solicitado nos Artigos 17º e 18º.
CAPÍTULO VIII – JULGAMENTO

Art. 29º. O julgamento será realizado por uma comissão avaliadora formada por
professores da Universidade Federal do Ceará.

Art. 30º. O resultado final deverá ser apresentado logo após os testes de carga.

Art. 31º. Como critérios gerais de julgamento dos trabalhos apresentados serão
considerados os quesitos: estética, carga máxima suportada e peso próprio.

§ 5ª. A nota final, caso não haja punições, será dada pela seguinte fórmula:

𝑁 = 2. 𝐶1 + 8. 𝐶2

Onde N é a nota geral da equipe – que vai de 0 a 10, C1 o quesito equivalente a estética
e C2 o quesito equivalente a resistência da ponte.

§ 6ª. A nota C1 possui valores entre 0 (zero) e 10 (dez).

§ 7ª. A nota C2 é calculada do seguinte modo:


𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 𝑠𝑢𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑑𝑎
𝑝𝑒𝑠𝑜
𝐶2 = 10 ∙
𝑐𝑎𝑟𝑔𝑎 𝑠𝑢𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑑𝑎
𝑝𝑒𝑠𝑜 𝑚á𝑥

carga suportada
Onde é a resistência da ponte, indicada pela relação entre a carga que a
peso

estrutura irá suportar antes de romper, dada em kg e seu peso próprio, dado em g e
carga suportada
máx é a maior relação obtida.
peso

Art. 32º. Em caso de empate de duas ou mais pontes com a mesma nota final, será
utilizado como primeiro critério de desempate a maior carga de colapso suportada. Caso
haja persistência, o desempate será pelo menor peso próprio da ponte. Se ainda assim,
houver empate, o critério utilizado será o de estética. Caso todos os requisitos de
desempate ainda resultem em um empate, o vencedor deverá ser escolhido pela
comissão avaliadora do evento, utilizando o critério que considerar válido .

Art. 33º. Desse modo, a ponte que obtiver a maior nota final será a vencedora.

CAPÍTULO IX – CONSIDERAÇÕES FINAIS

Art. 34º. Os autores declaram que o(s) trabalho(s) entregue(s) é(são) fruto(s) de sua(s)
legítima(s) criatividade(s) e autoria(s), não configurando plágio nem violação a
qualquer direito de propriedade intelectual de terceiros, eximindo a organização do
evento e todos envolvidos de qualquer responsabilidade decorrente da inveracidade
desta declaração;

Art. 35º. Os autores, desde já, autorizam a organização do concurso a divulgar os seus
protótipos – por qualquer meio, bem como fotografias, tanto das suas obras como suas e
a qualquer tempo;

Art. 36º. A premiação ocorrerá ao término do julgamento, no local do evento;

Art. 37º. Será responsabilidade da equipe danos ou perdas, totais ou parciais, que
possam ocorrer com os trabalhos concorrentes; por ocasião do manuseio, pesagem,
ensaios, etc.

Art. 38º. A organização do concurso não se responsabilizará por acidentes na confecção


dos protótipos ou qualquer outra situação decorrente do desafio que venham a ocorrer
com o uso de equipamentos, máquinas, etc..

Art. 39º. Este regulamento foi redigido com base nos editais dos campeonatos de ponte
de macarrão da UDESC – Joinville, da UFJF e da UFRGS.

§ 8ª. Como fonte principal foi utilizado o edital confeccionado pela UDESC – Joinvile,
Coordenador Geral do evento Diogo Jucemar da Silva, email: secodesafio@gmail.com.
Art. 40º. A comissão organizadora reserva-se no direito de anular qualquer
dos trabalhos que não respeitem todos os requisitos do regulamento.

Art. 41º. Qualquer esclarecimento e mais informações sobre o campeonato podem


ser solicitados através do e-mail ponte.sec@gmail.com.

Art. 42º. Qualquer alteração ou acréscimo neste edital será divulgado com
antecedência às equipes participantes.

CAPÍTULO X - ANEXO

Figura 1: Esquematização da Ponte.

Figura 2: Esquematização dos apoios.

Você também pode gostar