Você está na página 1de 25

XXXXX- EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Aula 4: A GESTÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA INTERNACIONAL


A Gestão de Eficiência Energética Internacional
♦ Estados Unidos da América - EUA:

Southwest Energy Efficiency Project – SWEEP (Projeto de Energia Eficiente para


o Sudoeste).

Foco→ Legislação estatal, programas de EE das concessionárias, construção de


códigos de energia, diagnósticos de potencial de EE, co-geração e retrofits em
edificações.

Retrofit→ subs tuição de máquinas e equipamentos pouco eficientes por


outros de maior eficiência em termos de consumo de energia.

2
A Gestão de Eficiência Energética Internacional

♦ Estados Unidos da América - EUA:

3
A Gestão de Eficiência Energética Internacional

♦ Outros países:

4
A Gestão de Eficiência Energética Internacional
♦ Panorama Mundial da Eficiência Energética no Setor Industrial

Estados Unidos da América - EUA:

- Consumo de energia elétrica na indústria→ 33,3%, sendo: metais (3%), químicas


(8%), produtos naturais (3%), refinarias (7%) e minerais não metálicos (1%);
- Programa de Tecnologias Industriais (Industrial Technologies Program - ITP);
- Foco→ Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), implantação e disseminação de novas
tecnologias de EE nos processos industriais específicos de cada seguimento.
Diagnóstico energético e boas práticas de operação.

5
A Gestão de Eficiência Energética Internacional

- Alocação de recursos→ Parcerias entre Governo e industrias.

- Metas e Economia de Energia Obtida:


Visa uma economia de energia a curto, médio ou longo prazo em
cerca de 40% do total produzido;
Comercializar mais de 10 tipos de tecnologias em EE industrial;
Proporcionou redução de 30% na intensidade de energia
utilizada nas indústrias. Total de $457 milhões em demanda evitada
e $10 milhões em economias de energia.

6
A Gestão de Eficiência Energética Internacional
♦ Panorama Mundial da Eficiência Energética no Setor Industrial
Canadá:
- Programa de Conservação de Energia para a Indústria Canadense (Canadian
Industry Program for Energy Conservation - CIPEC);
- Foco→ Projetos para a redução da emissão de gases do efeito estufa, P&D
de processos, tecnologias de energia limpa e retrofits.
- Alocação de recursos→ Parcerias entre Governo e industrias.
- Metas e Economia de Energia Obtida:
Redução do uso da energia nas indústrias de 5% a 35%;
Reduziu o consumo de energia de 8,7% entre 1990 e 2003;
Evitou $3,4 bilhões em compra de energia em 2003.

7
A Gestão de Eficiência Energética Internacional
♦ Panorama Mundial da Eficiência Energética no Setor Industrial
Japão:
- Consumo de energia elétrica na indústria→ 50%.
- Lei de Conservação de Energia do Japão/Centro de Conservação de
Energia do Japão (ECCJ).
- Foco→ Diagnós co energé co, consultoria e treinamento em EE,
workshops, tecnologias de EE e utilização de ESCOs.
Alocação de recursos→ Total de 200 milhões de ienes para projetos e
1,68 bilhão de ienes para expansão da EE.
- Metas e Economia de Energia Obtida:
Indústrias de: aço, químicas e papel/celulose devem reduzir o
consumo em torno de 10% entre 1990 e 2010. A indústria de
cimento deve reduzir o consumo em 3%.
8
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor
Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará

- Crescimento industrial brasileiro nos nove primeiros meses de 2006→


2,7%;

- Crescimento industrial paraense→ 15,2%, sustentado pelo


desempenho positivo das indústrias de extração mineral (15,0%) e de
madeira (3,2%);

- A Região Norte responde por 11,3 % do consumo de eletricidade


industrial no Brasil.

9
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no
Setor Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará
♦ A Gestão Energética nas Indústrias do
Estado do Pará
Total de indústrias (2003)→ 4.042
Segmentos mais significativos

10
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no
Setor Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará

♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará


- O estado possui 4 pólos industriais: Marabá, Icoaraci, Anandideua e Barcarena - Região
Metropolitana de Belém;

- As maiores consumidoras de energia estão no sudeste e sudoeste do estado: Companhia


Vale do Rio Doce – CVRD (710.858,37 MWh em 2006), Alumínio Brasileiro – ALBRÁS
(6.378.006,88 MWh) e Alumina do Norte do Brasil – ALUNORTE (1.362.436,10 MWh);

- No mercado consumidor da Rede Celpa 3.971 indústrias consumiram 269.389 MWh em


2006.

11
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor
Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará

Atuações do PROCEL INDÚSTRIA:

- Na área de pesquisa→ Criação do Laboratório de Tecnologias Avançadas em Eficiência Energé ca para


Sistemas Motrizes Industriais na UFPa.
Laboratório → Capacitação de alunos através de estudos da EE nos 4 sistemas de cargas mais u lizados na
indústria.

Sistema de compressão de ar e
Sistema de exaustão e transporte por correia. 12
bombeamento.
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de
Caso no Estado do Pará

♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Atuações do PROCEL INDÚSTRIA:

- Na área de capacitação→Treinamento de Mul plicadores para disseminar a cultura da


EE na utilização dos motores elétricos na indústria.

Potencial de EE nas indústrias:

- Caso prático 1 (Indústria do segmento de alimentos/trigo):


Consumo médio mensal→ 399.384,92 kWh;
Uso da energia→ motores;
Problemas diagnos cados→ ultrapassagem de demanda contratada e consumo
13
excessivo de reativos.
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de
Caso no Estado do Pará
♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Atuações do PROCEL INDÚSTRIA:

Ações de EE→ Subs tuição do acionamento de 11 máquinas, através de um único eixo


pelo acionamento individual, por motores de alto rendimento;

Resultado esperado→ Redução no consumo em torno de 12 % (47.926,19 kWh/mês) e


redução de 73 kW de demanda.
A redução do consumo seria superior se outros focos de desperdício na indústria
fossem investigados, pois as ações foram direcionadas somente aos sistemas motrizes.
14
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará
♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Atuações do PROCEL INDÚSTRIA:

- Caso prático 2 (Indústria do segmento de plásticos/sacos e garrafas):


Consumo médio mensal→ 85.524,08 kWh;
Uso da energia→ motores;
Problemas diagnos cados→ altos índices de distorção harmônica no barramento
de alimentação do processo produtivo, com índices médios de 5,5 % e máximos de
6,5 %. Isto interfere na eficiência dos motores.

15
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de Caso no Estado do Pará
♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Atuações do PROCEL INDÚSTRIA:

Ações de EE→ Subs tuição dos motores por outros de menor potência e maior
eficiência.

Resultado esperado→ Redução no consumo em torno de 2.611,10 kWh/mês e


redução de 16,1 kW de demanda. A gestão considera somente os sistemas motrizes.

16
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de Caso
no Estado do Pará

♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Estimativa do Potencial de Economia de Energia Elétrica nos Segmentos Industriais de Alimento e


Plástico do Pará

Em relação ao Consumo Total Es mado→ Economia de energia em torno de


12%, considerando somente os segmentos referidos.
Países desenvolvidos como Canadá, Japão e Dinamarca perseguem uma
redução de 5% a 15% no uso da energia elétrica na indústria.
17
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de Caso no
Estado do Pará
♦ A Gestão Energética nas Indústrias do Estado do Pará

Ações propostas para alavancar a EE no Pará:

-Criação de uma Agência especial para a gestão energética no estado, que em parceria
com a Federação das Indústrias, teria uma linha de ação especial que coordenaria uma
sociedade entre Governo, indústrias e concessionária de energia para a execução de
diagnósticos energéticos, a aplicação de recursos para retrofitis em motores e P&D de
processos, entre outros;

- Compartilhamento dos custos com a gestão energética industrial entre os parceiros


da sociedade;

- Criação de um Pacote de Impostos diferenciados que incentivasse a manutenção de um


consumo de energia eficiente na indústria (indústrias pertencentes a classes mais
eficientes pagariam menos impostos). 18
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de
Caso no Estado do Pará

♦ Ações de Eficiência Energética Propostas ao Setor Industrial Brasileiro


Ao Governo Federal/Estadual caberia:

♦ Tratar a EE como mercadoria que possui custos de produção, tanto em termos


econômicos como em termos ambientais;
♦ Buscar novas fontes para o setor de provimento de energia, garantindo um
fornecimento de qualidade, com poucas perdas, a custos razoáveis para os
consumidores;
♦ Investir na educação, incentivando o consumidor a ter um pensamento de
utilização inteligente da energia, porém sem prejudicar ou restringir as necessidades
destes;
♦ Mediar os interesses entre as concessionárias (interessadas em lucrar cada vez
mais com a venda de energia), os consumidores (interessados em pagar uma tarifa
menor) e a preservação do meio ambiente;
19
Alternativas para uma Gestão Energética mais Eficiente no Setor Industrial - Estudo de
Caso no Estado do Pará

♦ Ações de Eficiência Energética Propostas ao Setor Industrial Brasileiro

Ao Governo Federal/Estadual caberia:

♦ Incentivar a criação de uma de Sociedade Público-Privada para a EE no setor industrial


(composta por governo, entidades de classe, universidades, associações etc.). Esta deverá
ser apoiada por uma Lei de EE Industrial, a qual não só regularia as ações de eficiência no
setor, mas também promoveria a utilização de equipamentos mais eficientes nos
processos de produção, os quais seriam desenvolvidos no país com recursos oriundos da
própria parceria (por exemplo: fornos e caldeiras).
Esta lei ainda classificaria as indústrias por Classes de EE, de acordo com os resultados de
economia obtidos por estas e criaria um Órgão responsável pela apuração dos resultados
obtidos. Os custos seriam repartidos entre os “parceiros” e a participação das ESCOS seria
ampliada. 20
ALTERNATIVAS PARA UMA GESTÃO ENERGÉTICA MAIS EFICIENTE NO SETOR INDUSTRIAL
- ESTUDO DE CASO NO ESTADO DO PARÁ
♦ Ações de Eficiência Energética Propostas ao Setor Industrial Brasileiro

Às indústrias caberiam:

♦ O treinamento de seus funcionários na utilização da gestão energética bem como a


disseminação de ações de boas práticas de eficiência;
♦ A utilização dos equipamentos eficientes bem como suas manutenções. Estas ações
se tornariam parte da organização institucional da indústria e os casos de sucesso
seriam divulgados em workshops do setor;

Às concessionárias de energia caberiam:

♦ A conscientização de que a redução no desperdício traz a possibilidade de negociar


mais energia, para um maior número de consumidores, sem a necessidade de grandes
investimentos.
21
EXERCÍCIO 08
Elabore questões contextualizadas, utilizando sua internet, para as questões abaixo:
• Japão
• O que é o programa TOP RUNNER?
• É um programa que qualifica os produtos e o mais eficiente energeticamente se torna
referencia, assim produtos da mesma categoria precisam atender características
semelhantes. É estipulado um prazo para adequação e os produtos que não conseguem
se adequar não podem mais ser comercializados.
• Quais os incentivos que o governo do Japão ofereceu para que a indústria se
modernizasse e para que a população soubesse como poupar energia e utilizá-la de
forma racional?
• Foram disponibilizados para a indústria empréstimos a juros baixos, redução fiscal para
produtos que economizam energia, incentivo ao desenvolvimento tecnológico e apoio a
projetos de pesquisa e desenvolvimento
• Em relação à parte social, qual é o conselho responsável pelas campanhas de
conscientização sobre a conservação de recursos naturais?
• Conselho para a promoção da energia.
22
• Canadá
• Qual a função do departamento de eficiência energética
do Canadá?
• É o responsável por programar e gerir os programas do
governo canadense na área de eficiência energética.
• Qual o objetivo do programa ecoenergia?
• Incentivar a indústria a adotar processos mais eficientes.

• Qual a função da agencia de eficiência energética do
Canadá?
• Promover a eficiência energética e o desenvolvimento
de novas tecnologias na província de Quebec.
23
• Bibliografia básica:
• PANESI.Andre RQuinteros. Fundamentos de eficiencia energetica:industrial comercial e residencial.
Ensino profissional, 2006
• Reis. Lineu Belico dos. Matrizes Energéticas: conceitos e usos em gestao e planejamento. Manole,
• ALDABO.Ricardo. Qualidade na energia eletrica. Artliber, 2001
• Bibliografia complementar:
• MARQUES. Milton Cesar Silva. Conservacao de energia: eficiencia energetica de equipamentos e
instalacoes. FUPAI, 2006
• Reis. Lineu Belico dos; Cunha. Eldis Camargo Neves da. Energia Elétrica e Sustentabilidade: aspectos
tecnológicos socioambientais e legais.
• Manole, REIS.Lineu Belico dos. Energia recursos naturais e a pratica do desenvolvimento sustentavel.
Manole, 2005
• ROMERO. Marcelo de Andrade. Eficiencia energetica em edificios. Manole, 2012
• PROCOBRE. Manual de harmonicas em instalacoes eletricas. Instituto Brasileiro do Cobre, 2001

24
Assuntos da próxima aula:

1. Revisões.