Você está na página 1de 31

UNID 4 – Noções de Seletividade e Coordenação

Prof. MSc. Engº Eduardo Esteves


NOÇÕES DE SELETIVIDADE E COORDENAÇÃO COM RELÉS DE SOBRECORRENTE

1 – Conceitos Fundamentais

Seletividade
É a capacidade que possui o sistema de proteção de selecionar a parte danificada do circuito e retirá‐la de serviço sem
alterar os circuitos em condições normais.

Coordenação
Ato ou efeito de dispor dois ou mais dispositivos de proteção em série, de forma a atuarem em uma sequência de
operação preestabelecida garantindo a seletividade da proteção.

Tipos de seletividade:
• Seletividade amperimétrica;
• Seletividade cronológica;
• Seletividade lógica.
➢ Seletividade Amperimétrica:

❑ É utilizada quando existe uma impedância muito grande


entre os pontos em que se está fazendo a seletividade.

A corrente de falta vista pelo dispositivo de proteção à


montante é muito maior que aquela vista pelo dispositivo
de proteção instalado à jusante. Enquadram-se aqui os
dispositivos instantâneos instalados no primário de
transformadores.

As correntes de curto‐circuito (CS) (circuit-short)


crescem à medida que o ponto de defeito
aproxima‐se da fonte de suprimento.
➢ Seletividade Cronométrica:

É realizada aplicando intervalos de tempo entre os dispositivos


de proteção situados à jusante e à montante, de forma que se
garanta que eles irão operar de forma seletiva e coordenada.

• A diferença dos tempos de disparo de duas proteções


consecutivas corresponde a:

∆𝑡 = 𝑡𝑎𝑏𝑒𝑟𝑡𝑢𝑟𝑎 𝑑𝑖𝑠𝑗𝑢𝑛𝑡𝑜𝑟 + 𝑡𝑖𝑛𝑐𝑒𝑟𝑡𝑒𝑧𝑎 𝑑𝑒 𝑎𝑡𝑢𝑎çã𝑜 𝑑𝑎𝑠 𝑝𝑟𝑜𝑡𝑒çõ𝑒𝑠

∆𝑡 é o intervalo de coordenação, com valor entre 0,2 e 0,5 s. • Para uma falta em D:
P4 deve atuar em 0,1 s;
• Qual é o intervalo de coordenação mostrado no exemplo (figura)?
Caso P4 falhe, P3 atua em 0,5 s;

Caso P4 e P3 falhem, P2 deve atuar em 0,9 s;

Caso P4, P3 e P2 falhem, P1 deve atuar em 1,3 s;


➢ Seletividade Lógica (SL):

A seletividade lógica é aplicada por meio de relés


digitais que permitem que as unidades situadas mais
próximas da falta possam eliminá-la em um tempo
muito pequeno, normalmente entre 50 ms e 100 ms.

Consiste em Lógica de Bloqueio (intertravamento) de


dispositivos de proteção, através de envio de sinais
digitais de bloqueio de um relé digital a outro de modo
a se garantir a seletividade.
2. Filosofia para o cálculo de ajustes de proteção de sobrecorrente em Linhas

2.1 Unidades Temporizadas

2.1.1 Escolha do Tape

2.1.1.1 Para faltas entre fases


✓ Escolha do Tape: considerar o sistema com geração mínima, para faltas localizadas duas barras à frente.
Exemplo:
Relé da barra II – Deve operar para falhas até a barra IV

2.1.1.2 Para faltas à terra

Para o cálculo do tape usa-se somente o 3I0 (corrente de sequência zero) proveniente de faltas monofásicas.

✓ Escolha do Tape: sistema com geração mínima, para faltas localizadas duas barras à frente.
Quando se tratar de relé de neutro / terra, os tapes a serem escolhidos poderão ser os menores dentre os
existentes, uma vez que as correntes de cargas, normalmente equilibradas, não irão causar operação indevida
destas unidades.
2.1.2 Escolha da curva “Time Dial Setting” (TDS) VI
carga
Inicia-se pela unidade mais próxima da
carga e parte-se de um tempo previamente
escolhido (t) ou convencionado.
VI

Sendo o relé 1 (barra V) o mais próxima da carga


carga:

A proteção que vai coordenar com o relé da


barra V, é a da barra III (duas barras antes).

O tempo (t), previamente escolhido,


corresponde ao tempo de operação da
unidade 1 para uma falta na barra VI. VI

Escolhido o TDS, calcula-se o tempo de


operação (t’) da unidade 1, para uma falta
próxima ao relé 1.
Para o Relé R2

Para a escolha do TDS de R2 (t”), soma-se ao tempo t’ um tempo de coordenação Δt: Δt = D + O + F

D – tempo de abertura do 52- b, após receber comando de abertura;


O – “overtravel” do relé 2;
F – fator de segurança

Utiliza-se Δt entre 0,3 e 0,5 segundos. t"

Calcula-se 𝑡" 𝑡" = 𝑡′ + ∆𝑡 ∆t

De posse de t’’ repete-se para o relé 2, o mesmo


raciocínio feito para o tempo t em relação ao relé 1.

Normalmente são suficientes apenas dois pontos


para o traçado das curvas.
2.2 Unidades Instantâneas (UI)
2.2.1 Escolha da corrente de operação
• A UI de cada relé é ajustada para proteger
somente a sua linha.

✓ Para manter a coordenação desejada, a UI do relé 2, não deverá operar para faltas além da barra III, como
também a UI do relé 1 não deverá operar para falhas além da barra II.

• Ajuste da UI

𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑖𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡â𝑛𝑒𝑜 = 𝐼𝑐𝑐3∅ 𝑎 85% 𝑑𝑎 𝐿𝑇)


EXERCÍCIO 1 - Um transformador de 20 MVA, trifásico, alimenta um barramento
de 11kV através de um disjuntor, onde admite-se sobrecarga de 30%. Do
barramento, através de disjuntores, saem vários alimentadores. O TC do
transformador (51-2) e alimentadores (51-1) tem relações 1000/5 A e 400/5 A,
respectivamente, e alimentam relés de sobrecorrente tipo CO-8, de fab.
Westinghouse. O relé do alimentador mais carregado (51-1), onde ocorre um
defeito trifásico de 5.000 A, está regulado para 1,25 In X 0,3 s, onde In = 5 A.
Usando um degrau de tempo de 0,5 s entre os relés em cascata, pede-se
calcular os demais ajustes da proteção.
Dados:
Tapes disponíveis para o relé CO-8: 4, 5, 6, 8, 10, 12 e 16 A.
Curva de tempo-corrente.
• Para o relé 51-1:

O relé está ajustado para 1,25 x In, resultando a corrente


vista pelo relé 51-1:

𝐼𝑅 51−1 = 1,25 × 𝐼𝑁 = 1,25 × 5 = 6,25 𝐴

Relé 51-1 ⟹ tape 8A.

Múltiplo da corrente de falta (5000 A):


𝐼𝑐𝑐 5000
𝑀= = = 7,81 𝐴
𝑅𝑇𝐶 𝑡𝑎𝑝𝑒 51−1 400
( )×8
5

Entrando nas curvas do relé CO-8, com t = 0,3 e


m=7,81 resulta o ajuste para a alavanca de tempo:

𝐷𝑇51−1 = 1

Então, o ajuste do relé 51-1 será:

𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟖 𝑫𝑻𝟓𝟏−𝟏 = 𝟏
• Para o relé 51-2:

Corrente secundária nominal com sobrecarga (30%) no O tempo de operação do relé 51-2, será correspondente ao tempo
transformador: ajustado do relé 51-1, adicionado ao degrau de temporização fixado:

𝑆 20000 𝑡51−2 = 0,3 + 0,5 = 0,8 𝑠


𝐼𝑁𝑇 = = 1,3 = 1360 𝐴
3×𝑉 3 × 11
Entrando nas curvas do relé CO-8, com t = 0,8 e m = 3,12 tira-se o
𝐼𝑐𝑐 𝑚í𝑛 𝑛𝑜 𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎
1,4 𝑎 1,5 𝐼𝑛𝑜𝑚𝑖𝑛𝑎𝑙 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤ ajuste da alavanca de tempo:
1,5

5000. 3ൗ2 𝐷𝑇51−2 = 1


1360 1,5
≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤
1000/5 1000/5

6,81 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤ 14,4 𝐴

Relé 51-2 ⟹ tape 8A.

Múltiplo com a falta de 5000A: Logo, o ajuste do relé 51-2 é


𝐼𝑐𝑐 5000
𝑀= = = 3,12 𝐴 𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟖 𝑫𝑻𝟓𝟏−𝟐 = 𝟏
𝑅𝑇𝐶 𝑡𝑎𝑝𝑒 51−2 1000
( )×8
5
Observação.
A proteção e coordenação contra faltas à terra (relé 51N) é feita analogamente, sendo o ajuste do relé de
terra feito, por exemplo, para (0,1-0,3) In.

EXERCÍCIO 1- Considerando o exercício 1, e acrescentando relé de terra (neutro) na saída do


transformador e na saída dos alimentadores, ajustar esses relés (tapes de 0,5; 0,6; 0,8; 1,0; 1,5; 2,0; 2,5 A)
do tipo CO-8, para corrente de falta à terra de 850 A, considerando um ajuste de 0,3 In X 0,3 s, e adotando
os mesmos TC´s.
• Para o relé 51-1N: • Para o relé 51-2N:
𝐼𝑅𝑁 51−1𝑁 = 0,30 × 𝐼𝑁 = 0,30 × 5 = 1,5 𝐴 𝐼𝑅𝑁 51−2𝑁 = 0,30 × 𝐼𝑁 = 0,30 × 5 = 1,5 𝐴

Relé 51-1N ⟹ tape 1,5 A. Relé 51-2N ⟹ tape 1,5 A.

Múltiplo com a falta de 5000 A: Múltiplo com a falta de 850 A:

𝐼𝑐𝑐 850 𝐼𝑐𝑐 850


𝑀= = = 7,08 𝐴 𝑀= = = 2,83 𝐴
𝑅𝑇𝐶 𝑡𝑎𝑝𝑒 51−1𝑁 400 1000
( ) × 1,5 𝑅𝑇𝐶 𝑡𝑎𝑝𝑒 51−1𝑁 ( ) × 1,5
5 5
Entrando nas curvas do relé CO-8, com t = 0,3 e M =
𝑡51−2𝑁 = 0,3 + 0,5 = 0,8 𝑠
7,08 resulta o ajuste para a alavanca de tempo:

𝐷𝑇51−1𝑁 = 1 Entrando nas curvas do relé CO-8, com t = 0,8 s e M = 2,83 tira-se o
ajuste da alavanca de tempo:
Então, o ajuste do relé 51-1N será: 𝐷𝑇51−2𝑁 = 0,5

𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟏, 𝟓 𝑫𝑻𝟓𝟏−𝟏𝑵 = 𝟏 Então, o ajuste do relé 51-2N será: 𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟏, 𝟓 𝑫𝑻𝟓𝟏−𝟐𝑵 = 𝟎, 𝟓


3. Aplicação da coordenação com relés digitais

✓ Curvas características de operação em relés digitais.

Os relés digitais, operam executando algoritmos.

A curva de atuação destes relés é obtida através de uma 𝐾


função matemática padronizada, do tipo da equação ao lado, 𝑡𝑎𝑡𝑢𝑎çã𝑜 _𝑟𝑒𝑙é = 𝑇𝑐𝑢𝑟𝑣𝑎 +𝐿
𝑀𝛼 − 𝛽
onde as constantes são definidas por normas.

𝑡𝑎𝑡𝑢𝑎çã𝑜 _𝑟𝑒𝑙é - Tempo de atuação do relé em segundos.

𝑇𝑐𝑢𝑟𝑣𝑎 - Tempo das curvas de tempo do relé eletromecânico (DT).

𝐼𝑠 𝐼𝑃 𝐼𝑠 – Corrente secundária que entra no relé.


𝑀ú𝑙𝑡𝑖𝑝𝑙𝑜 (𝑀) 𝑀=𝐼 = (𝑅𝑇𝐶).(𝐼
𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒_𝑟𝑒𝑙é 𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒𝑟𝑒𝑙é )
𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒_𝑟𝑒𝑙é - Corrente de tape.

𝐾, 𝛼, 𝛽 e L - Coeficientes padronizados por normas, dado pela tabela a seguir.


𝑲 𝑲
𝒕𝒂𝒕𝒖𝒂çã𝒐 _𝒓𝒆𝒍é = 𝑻𝒄𝒖𝒓𝒗𝒂 +𝑳 = + 𝑳 .DT
𝑴𝜶 −𝜷 𝑴𝜶 −𝜷 Exemplo: aplicação de curva utilizando a norma IEC.
𝑻𝒄𝒖𝒓𝒗𝒂 = 𝑫𝑻

Nos modernos relés digitais que não estão sujeitos às limitações dos
relés eletromecânicos, as curvas de atuação começam no múltiplo 1,1.

As normas recomendam que o intervalo de coordenação entre relés


digitais deve ser de 0,25 segundos.
EXERCÍCIOS
1ª) Um relé de sobrecorrente digital instalado no primário de um transformador de 13,8 / 0,48 kV - 1500 kVA e
impedância de curto-circuito de 5%, deve coordenar com outro situado a jusante (no secundário), também digital, cujo
tempo de atuação é de 0,3 segundos. A corrente de curto-circuito secundária, referida ao primário do transformador, é
de aproximadamente 1255 A. Sabendo-se que o ajuste de pick-up deste relé é de 90 A primários, e que a curva que deve
ser utilizada é IEC-MI (Muito Inversa), calcular o dial de tempo.

Solução: Cálculo do Tempo de atuação de 51 -2:

Múltiplo da corrente de ajuste


(tomado no lado primário do TC):

𝐼𝑃
𝑀= 𝑅𝑇𝐶 × 𝑇𝑎𝑝𝑒 = 90
(𝑅𝑇𝐶 × 𝑇𝑎𝑝𝑒)

1255
𝑀= = 13,94
90
13,5 13,5 13,5
𝑡 = 𝐷𝑇. +0 𝑡= . 𝐷𝑇 𝑡= . 𝐷𝑇
𝑀1 − 1 13,94 − 1 12,94

13,5 𝑡 = 0,25 + 0,3 = 0,55 𝑠


𝑡 = 𝐷𝑇.
𝑀−1
13,5
0,55 = . 𝐷𝑇 𝐷𝑇 = 0,53
12,94
Figura para o exemplo
t (s) t (s)

0,3 S 0,3 S

90 A 1255 A I (A) 90 A 1255 A I (A)

Fig. 1 – O relé 1 opera em 0,3 s para Fig. 2 – Com 1255 A o relé 2 irá Fig. 3 – Considerando o intervalo de
1255 A operar em quanto tempo? coordenação (por norma) em 0,25 s, o
tempo de atuação do relé 2 será 0,55 s.
O intervalo de coordenação entre
relés digitais é de 0,25 segundos. 13,5
𝑡= . 𝐷𝑇
12,94
O relé 51-2 deve ser ajustado para
operar em 0,55 segundos (0,30s +
13,5
0,25s). 0,55 = . 𝐷𝑇 𝐷𝑇 = 0,53
12,94
“Trabalho Individual”

Este trabalho faz parte da lista de exercícios para ser entregue no dia da AV1. As regras estão contidas na
lista de exercícios.

O trabalho consta de duas questões a serem resolvidas.

A primeira questão se divide em duas partes. Na primeira parte (sub item a), o problema está resolvido e a
segunda parte (sub item b), caberá ao aluno resolver. Para isto é necessário estudar a primeira parte da questão.

A segunda questão se divide em duas partes. Na primeira parte, o problema está resolvido e a segunda parte
caberá ao aluno resolver. Para isto é necessário estudar a primeira parte da questão.
Considerações iniciais

Fator de Assimetria
A corrente de pick-up da Unidade Instantânea
(𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 ) é calculada de acordo com relação:

𝐾 × 𝐼𝑐𝑠
𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 = 𝐹𝑎 × 𝐼𝑐𝑠 ⇒ 𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 =
𝑅𝑇𝐶

𝐼𝑐𝑠 é a corrente de curto-circuito simétrica.

𝑲 é chamado Fator de Assimetria ( 𝑭𝒂 ) da


corrente de curto-circuito.

Normalmente 𝑲 = 𝟏.
Porém, para relés localizados próximos a
barramentos de geração forte, onde é
acentuada a assimetria da corrente de curto-
circuito devido às reatâncias das máquinas, o
valor de 𝑲 é função de 𝑿Τ𝑹.
Proteção de Linhas por Relés de Sobrecorrente – Seletividade e Coordenação

“Trabalho Individual”
1ª) Aplicação da coordenação com relés digitais

Determinar os ajustes dos relés de sobrecorrente instalados de conformidade com


o diagrama elétrico da Fig.
Será utilizado um relé digital de sobrecorrente 7IVD de fabricação ZIV, cuja corrente
nominal é de 5 A, com ajuste de tempo tomado em degraus de 0,5 A.
A corrente de curto-circuito fase e terra, valor mínimo, no lado de 69 kV é de 400 A.
Na média tensão, a corrente de curto-circuito, valor mínimo, é de 212 A.
Admite-se:
- Fator de assimetria de 1,30;
- Que o tempo máximo permitido para o relé do disjuntor D1 é de 0,5 s (função
de retaguarda da MT);
- Que o tempo ajustado no relé de retaguarda da barra de 69kV é de 0,7 s.
- Uma sobrecarga de 50%.
- Desequilíbrio de neutro de 20%.
- Valores disponíveis de RTC de 69kV: 200/300/400-5A
- Será utilizada a curva de tempo inversa, mostrada na pag. seguinte.
- Norma: IEC
𝐾
𝑡𝑎𝑡𝑢𝑎çã𝑜 _𝑟𝑒𝑙é = 𝑇𝑐𝑢𝑟𝑣𝑎 +𝐿
𝑀𝛼 − 𝛽
a) Lado de alta do TFF (Disjuntor D1)
• RTC
20.000
Pela carga: In = = 167,3 A RTC = 200-5 = 40:1 A
3  69

Pela corrente de curto-circuito simétrico – lado 69kV:

602.000 I cs 5.037
I cs = = 5.037 I tc = = = 252
3  69 Fs 20
Fs = 20 (fator de sobrecorrente)

Comparando-se as correntes primárias (de carga e da falta): a


situação adequada é a segunda (252 A), já que para a primeira
situação (167,3 A) o TC irá saturar para a corrente de falta.
Então:

RTC = 300-5 = 60:1


Tiempo en Segundos


1000

Proteção de fase - unidade temporizada


𝐼𝑐𝑢𝑟𝑡𝑜−𝑐𝑖𝑟𝑐𝑢𝑖𝑡𝑜 𝑚í𝑛𝑖𝑚𝑜 𝑛𝑜 𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎
1,4 𝑎 1,5 𝐼𝑛𝑜𝑚𝑖𝑛𝑎𝑙 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤
1,1
100

(OBS: o fator 1,1 diz respeito a relé digital).

167,3 400ൗ
1,5 × ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤ 60
60 1,1 10

Indices
4,18 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤ 6,06 → 𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟒, 𝟐
1
0,9
0,8
0,7
0,6
0,5

Múltiplo da corrente de acionamento para a corrente de curto-circuito:


1
0,4

0,3

0,5 0,2

𝐼𝑃 5.037
𝑀= = = 19,9 → 𝑴 = 𝟏𝟗, 𝟗 0,1

𝑅𝑇𝐶 × 𝑇𝑎𝑝𝑒 60 × 4,2 0,05


0,1

Com M = 19,9 e T = 0,5 s (tempo máximo – dado no problema):


→ 𝑪𝒖𝒓𝒗𝒂 = 𝟎, 𝟐 0,01

0,1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 20

Veces el Valor de Ajuste


....Proteção de fase - unidade temporizada Tiempo en Segundos
1000

𝑴 = 𝟏𝟗, 𝟗 𝑪𝒖𝒓𝒗𝒂 = 𝟎, 𝟐
𝐾
Tempo de atuação do relé: 𝑡𝑎𝑡𝑢𝑎çã𝑜 _𝑟𝑒𝑙é = 𝑇𝑐𝑢𝑟𝑣𝑎 +𝐿
𝑀𝛼 − 𝛽 100

10

Indices

1
0,9
0,8
0,7
0,6
0,5
1
0,14
0,4

𝑇 = 0,2 × + 0 = 0,454 s 0,5


0,3

19,90,02 −1 0,2

0,454 s < 0,5 s t = 0,4 s 0,1

0,05
0,1

Considerando o tempo de coordenação entre os relés = 0,7 s (dado no


problema)

∆𝒕 = 𝟎, 𝟕 − 𝟎, 𝟒 = 𝟎, 𝟑 𝒔. 0,01

0,1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 20

Veces el Valor de Ajuste


Proteção de Linhas por Relés de Sobrecorrente – Seletividade e Coordenação

• Proteção de fase - unidade instantânea

𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 = 𝐹𝑎 × 𝐼𝑐𝑠 = 1,3 × 5037 = 6.548𝐴


𝐼𝑃 6.548
𝑀= = = 26 → 𝑴 = 𝟐𝟔
𝑅𝑇𝐶 × 𝑇𝑎𝑝𝑒 60 × 4,2

Como FS=20, [𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 = 6.548 ] é maior que 20 x 300 (FS x Corrente prim. do TC) O TC irá saturar

Valor máximo da corrente para que o TC não sature: 20 × 300 𝑐𝑜𝑟𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 𝑝𝑟𝑖𝑚á𝑟𝑖𝑎 𝑑𝑜 𝑇𝐶 = 6.000 𝐴

A UI deve cobrir 85% (critério normalmente adotado):

6000 × 0,85 → 𝑴 = 𝟐𝟎
𝑀= = 20,23 (M =20 é o limite máximo da curva apresentada)
60 × 4,2
Logo, a corrente de ajuste da U.I. será: 𝐼𝑎𝑗 𝑈𝐼 = 20 × 4,2 = 84𝐴 𝐼𝑎𝑗 𝑈𝐼 = 84 𝐴

(4,2 é o tape da unidade temporizada, já calculado)


Proteção de Linhas por Relés de Sobrecorrente – Seletividade e Coordenação

• Proteção de neutro - unidade temporizada

𝑲𝒏 é 𝑜 𝑓𝑎𝑡𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑑𝑒𝑠𝑒𝑞𝑢𝑖𝑙í𝑏𝑟𝑖𝑜 𝑑𝑎𝑑𝑜 𝑑𝑜𝑝𝑟𝑜𝑏𝑙𝑒𝑚𝑎: 20%.

K n  I n 0,20  167,3
I aj = = = 0,55 → 𝑻𝒂𝒑𝒆 = 𝟎, 𝟓𝟓
RTC 60

Múltiplo da corrente de acionamento para a corrente de curto-


circuito fase-terra mínimo:

I ft 400
M = = = 12 → 𝑴 = 𝟏𝟐
RTC  I aj 60  0,55
0,3
Entrando na curva com M = 12 e considerando o tempo
de coordenação entre os relés, ∆𝒕 = 𝟎, 𝟕 − 𝟎, 𝟒 = 𝟎, 𝟑 𝒔

→ Curva 0,1.

12
Proteção de Linhas por Relés de Sobrecorrente – Seletividade e Coordenação

• Proteção de neutro - unidade instantânea


b) Lado de baixa do TFF (Disjuntor D2)
𝐼𝑐𝑐 𝑎𝑠𝑠 = 𝐹𝑎 × 𝐼𝑐𝑠 = 1,3 × 400 = 520𝐴
Seguir o mesmo método adotado para
Lembrando que o TAP selecionado foi 0,55 e RTC = 300/5, então: o Disjuntor D1.

𝐼𝑃 520 (segunda parte da questão, que


𝑀= = = 15,7 → 𝑴 = 𝟏𝟓
𝑅𝑇𝐶 × 𝑇𝑎𝑝𝑒 60 × 0,55 deverá ser resolvida pelo aluno)

𝑽𝒆𝒓𝒊𝒇𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝑴 = 𝟏𝟓: 60 × 15 × 0,55 = 495 𝐴

O valor de 495 é maior do que os 400 A estipulado no problema.


Logo, pode-se diminuir M para 12:

𝑽𝒆𝒓𝒊𝒇𝒊𝒄𝒂𝒏𝒅𝒐 𝑴 = 𝟏𝟐: 60 × 12 × 0,55 = 396 𝐴

O valor de 396 é bem próximo de 400 A estipulado no problema.


𝑳𝒐𝒈𝒐: → 𝑴 = 𝟏𝟐

Adotando-se M = 12, tem-se: 𝐼𝑎𝑗 𝑈𝐼 = 0,55 × 12 𝑰𝒂𝒋 𝑼𝑰 = 𝟔, 𝟔𝑨


“Trabalho Individual”
2ª) No esquema unifilar da Fig., a linha de transmissão
A-B, 88 kV, 31 km de comprimento, tem impedância
0,5 ohms/km.
O gerador G, representando o equivalente do sistema,
tem X”d = 0,10 pu na base 100 MVA e 88 kV.

Na subestação abaixadora B, o setor B1 de 88/3,8 kV


tem três transformadores de 12 MVA cada, e o setor
B2 de 88/13,2 kV tem três transformadores de 8 MVA
cada.

O disjuntor 52A é para 600 A, tem TC nas buchas com


relações 120/100/60:1 A, e relés com as seguintes
características:

- A unidade temporizada do relé de sobrecorrente (51)


de fase tem tapes de 4, 5, 6, 8, 10, 16 A.

- A unidade instantânea (50 é regulada continuamente


em 4-100 A).
• Sabe-se ainda que:
i) O relé temporizado da barra B, para um curto-
circuito trifásico nessa barra, opera em 20 ciclos;
ii) O tempo de abertura do disjuntor 52B é de 5 ciclos;
iii) Deve-se considerar uma margem de tempo de 20
ciclos para a graduação do relé 51 da barra A;
iv) O relé de sobrecorrente é do tipo CO-8 da
Westinghouse.
• Considerar fator de assimetria igual a 1,6 .

• Pede-se calcular:
a) A relação em que o transformador de corrente do disjuntor da
barra A deverá ser ligado;
b) O tape da unidade temporizada do relé 51 da barra A;
c) A Dispositivo de tempo (DT) do relé 51 da barra A.
d) A graduação da unidade instantânea do relé 50 da barra A.
2ª QUESTÃO - DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO Escolha da RTC para o disjuntor 52-A

𝐼𝑐𝑐 𝑚í𝑛𝑖𝑚𝑜 𝑛𝑜 𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎 Calcule o ajuste de tape do relé 51-A:


1,4 𝑎 1,5 𝐼𝑛𝑜𝑚𝑖𝑛𝑎𝑙 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤
1,5 𝐼𝑐𝑐 𝑚í𝑛𝑖𝑚𝑜 𝑛𝑜 𝑓𝑖𝑛𝑎𝑙 𝑑𝑎 𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎
1,4 𝑎 1,5 𝐼𝑛𝑜𝑚𝑖𝑛𝑎𝑙 ≤ 𝐼𝑎𝑗𝑢𝑠𝑡𝑒 𝑑𝑜 𝑟𝑒𝑙é ≤
1,5
A resposta será 𝑡𝑎𝑝𝑒 = 6 𝐴;
a) Montar o circuito e Calcular a corrente de curto-circuito
no extremos da linha. Determine o DT do relé 51-A
Para um defeito na barra do extremo da linha, o relé 51-
A deve atuar após uma temporização (tempo do relé B +
tempo de abertura do disjuntor + tempo graduação do
relé da barra A). Observe que o tempo em ciclos dado
deverá ser transformador para segundo.
Montar o circuito e calcular a corrente de curto-circuito
no extremos da linha. A resposta será 𝐷𝑇 = 1,5 𝐴;

A reatância do gerador foi dada e para a da linha basta multiplica a O ajuste da unidade instantânea: deve ser considerada
quilometragem pela reatância dada no problema, resultado em ohm. uma cobertura de 85% da linha comfato de assimetria
Após, achar a impedância base e calcula a reatância da linha em pu. dado no problema:
Achar a corrente em pu e posteriormente em Amperes; para isso,
tomar os valores de base dado (88 kV) e o total em MVA. A resposta A resposta será 𝐼 = 29,92 𝐴;
será 𝐼𝑐𝑐 = 2200𝐴;

Você também pode gostar