Você está na página 1de 13

Disciplina: Políticas, práticas e instituições para a educação da infância

Professor responsável: Contato


Claudia Panizzolo claudiapanizzolo@uol.com.br
Mirian Jorge Warde mjwarde@uol.com.br
Ano Letivo: 2014 Semestre: Primeiro
Carga horária: 60 horas
Créditos: 4 créditos para disciplinas
Horário: Quinta-feira, das 9 às 13 horas

EMENTA
Investiga o processo de construção da história do atendimento às crianças, analisando
aspectos como: origens, funções, concepções e práticas pedagógicas envolvendo as
políticas de educação e de assistência. As práticas e os dispositivos atuais e históricos de
conformação das crianças entre os quais se incluem a família e a escola, seus espaços,
tempos e agentes, o currículo, as práticas educativas, a formação e atuação de
educadores, as brincadeiras, as concepções e as políticas públicas para a infância.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ALANEN, L. Teoria do bem-estar das crianças. Cadernos de Pesquisa, São Paulo,
v.40,nº141. 2010.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300005&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300005.
ABRAMOWICZ, A.; OLIVEIRA, F. de, RODRIGUES, T. C. A criança negra, uma
criança e negra. Disponivel em:
http://www2.cndp.fr/revueVEI/158/varia_en_ligne_A_CRIANCA_NEGRA.pdf
ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.
BOTO, C. O desencantamento da criança: entre a Renascença e o Século das Luzes.
FREITAS, M. C. de; KUHLMANN JUNIOR, M. (orgs). Os intelectuais na História
da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 11- 60
CÂMARA, S. Por uma acção preventiva e curativa da infância pobre: os discursos
jurídico-educativos no Brasil e em Portugal nas décadas de 1910- 1920. LOPES, A.;
FARIA FILHO, L. M. de; FERNANDES, R.(orgs). Para a compreensão histórica da
infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 263-282.
CARVALHO, M. C. de. Pedagogia da Escola Nova, produção da natureza infantil e
controle doutrinário da escola. FREITAS, M. C. de; KUHLMANN JUNIOR, M.
(orgs). Os intelectuais na História da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 373-408
FALEIROS, V. de P. Infância e processo político no Brasil. RIZZINI, I., PILOTTI, F.
(orgs) A Arte de governar crianças, a história das políticas sociais, da legislação e
da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009, p. 33- 96
FERREIRA, A.; GONDRA, J. Idades da vida, infância e a racionalidade médico:
higiênica em Portugal e no Brasil (séculos XVII- XIX). LOPES, A.; FARIA FILHO,
L. M. de; FERNANDES, R. (orgs). Para a compreensão histórica da infância. Belo
Horizonte: Autêntica. 2007. p. 127-146
FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2007.
GONDRA, J. Filhos da sombra: os “engeitados” como problema da “Hygiene” no
Brasil. FARIA FILHO, L. M. de (org). A infância e sua educação; materiais, práticas
e representações (Portugal e Brasil) Belo Horizonte: Autentica. 2004. p. 125-142
GOUVÊA, M. C. A literatura como fonte para a história da infância: possibilidades e
limites. LOPES, A.; FARIA FILHO, L. M. de; FERNANDES, R. (orgs). Para a
compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 19-38
HEYWOOD, C. Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.
KUHLMANN JUNIOR, M. A circulação das idéias sobre a educação das crianças ;
Brasil, início do século XX. FREITAS, M. C de; KUHLMANN JUNIOR, M. (orgs).
Os intelectuais na História da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 459- 503
KUHLMANN JUNIOR, M; FERNANDES, R. Sobre a história da infância. FARIA
FILHO, L. M. de (org). A infância e sua educação; materiais, práticas e
representações (Portugal e Brasil) Belo Horizonte: Autentica. 2004. p. 15-34
KUHLMANN JUNIOR, M. Infância e Educação (1820-1950): comparação e
classificação. LOPES, A.; FARIA FILHO, L. M. de; FERNANDES, R. (orgs). Para a
compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 185- 198
MARCHI, R.de C. Gênero, infância e relações de poder: interrogações
epistemológicas. Cadernos Pagu (37), julho-dezembro de 2011: 387-406.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
83332011000200016
MONARCHA, C. Revista do Jardim da Infância: uma publicação exemplar
MONARCHA, C.(org.) Educação da infância brasileira 1875-1983) Campinas :
Autores Associados, 2001, p.81-120
MONTANDON, C. Sociologia da infância: balanço dos trabalhos em língua inglesa.
Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 33-60, mar. 2001.
MOURA, E.B.B.de. Crianças operárias na recém-industrializada São Paulo. DEL
PRIORE, M.(org) História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto.2000, p. 259-
288
NARODOWSKI, M., BAQUERO, R. ¿Existe la Infancia?, Revista del Instituto de
Investigación en Ciencias de la Educación, n. 11, p. 35-45, 1994.
NARODOWSKI. M. Os pedagogos lancasterianos e a infância. FREITAS, M. C.de;
KUHLMANN JUNIOR, M. (orgs). Os intelectuais na História da infância. São Paulo:
Cortez. 2002. p. 221-244
PESSOA, A. Arquivos, espólios e história da Educação. LOPES, A.; FARIA FILHO,
L.M.de; FERNANDES, R. (orgs). Para a compreensão histórica da infância. Belo
Horizonte: Autêntica. 2007. p. 67- 72
PROUT, A. Reconsiderando a nova sociologia da infância. Cadernos de Pesquisa,
v.40, n.141, p.729-750, set./dez. 2010.
QVORTRUP, J. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e pesquisa,
vol.36, n.2, p. 631-644, Maio/Ag. 2010.
QVORTRUP, J. Infância e política. Cadernos de Pesquisa, São Paulo , v. 40, n.
141, Dec. 2010 .Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300006&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300006.
RIZZINI, I. Crianças e menores- do Pátrio Poder ao Pátrio Dever; um histórico da
legislação para a infância no Brasil. RIZZINI, I.; PILOTTI, F. (orgs) A Arte de
governar crianças, a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à
infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009, p. 97-149.
ROSEMBERG, F.; MARIANO, C.L.S.. A convenção internacional sobre os direitos
da criança: debates e tensões. Cadernos de Pesquisa, São Paulo , v. 40, n. 141, Dec.
2010 . Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300003&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300003.
SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da
infância. Educação e Sociedade., vol.26, no.91, p.361-378, Ago 2005.
SIROTA, R. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do
olhar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 7-31, mar. 2001.
VEIGA, C G. Infância e modernidade: ações, saberes e sujeitos. FARIA FILHO, L.
M. de (org). A infância e sua educação; materiais, práticas e representações (Portugal
e Brasil) Belo Horizonte: Autentica. 2004. p. 35- 82
VEIGA, C. G. Cultura escrita: representações da criança e o imaginário de infância.
Brasil, século XIX. LOPES, A.; FARIA FILHO, L.M. de; FERNANDES, R. (orgs).
Para a compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 39- 66
WARDE, M. J. Repensando os estudos sociais de história da infância no Brasil.
Perspectiva, v. 25, n. 1, p.21-39, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ALANEN, L. Rethinking childhood. Acta Sociologica, Göteborg, Sweden, v. 31, n. 1, p.
53-67, 1988.
BECCHI, E; JULIA, D. (Orgs). Histoire de l’enfance em Occident. Paris: Ed Du Seuil,
1998. 2 volumes.
BECCHI, E. Il bambino di ieri: breve storia di una storiografia. Studi sulla Formazione,
n. 1, p. 7-21, 2010.
BECCHI, E. Retórica de infância. Perspectiva, n. 22, p. 63-95, 1994.
BECCHI, E. I bambini nella storia. Roma: Editori Laterza, 1994.
CADERNO DE PESQUISAS. Fundação Carlos Chagas, São Paulo. vol. 40, no.141,
dez. 2010. Tema em Destaque - Estudos Sobre a Infância e Direitos da Criança
CADERNO DE PESQUISAS. Fundação Carlos Chagas, São Paulo. vol.43, no.148,
jan./abr. 2013. Avaliação da Qualidade de Educação Infantil.
CHAMEL, L. Imagens de crianças e crianças nas imagens: representações da infância
na iconografia pedagógica nos séculos XVII e XVIII. Educação & Sociedade, vol.25,
no.86, p.57-74, Abr 2004.
CUNNIGHAM, H. Histories of childhood. The American Historical Review,
Washington, DC, v. 103, n. 4, p. 1195-1208, oct 1998.
CUNNIGHAM, H. Children and Childhood in Western Society Since 1500. Harlow,
England: Pearson Longman, 2005.
EDUCAÇÃO E PESQUISA. USP. São Paulo, v.26, n.1, jan./jun. 2000. Em Foco: A
infância na história.
EDUCAÇÃO & SOCIEDADE. Cedes, Campinas. v.26 n.91 maio/ago. 2005.
Dossiê:"Sociologia da infância: pesquisas com crianças"
EDUCAÇÃO EM REVISTA. UFMG. Belo Horizonte. Vol. 26, n. 1, abr. 2010. Dossiê
[sobre infância].
FASS P. S. (ed.). Encyclopedia of children and childhood: in history and society,
Volume 1. New York...: Macmillan Reference USA, 2004.
<http://www.gmu.ac.ir/download/booklibrary/elibrary/Encyclopedia%20of%20Children
%20and%20Childhood%20in%20History%20and%20Society%20Volume%201%20(A
-E).pdf>
FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2005.
FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 2009.
FREITAS, M. C. (org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez;
Bragança Paulista: EdUSF,2001.
GOUVEA, M. C. S. de. A escolarização da meninice nas minas oitocentistas: a
individualização do aluno. VEIGA, C.G.; FONSECA, T.N. (orgs). História e
historiografia da educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.
GOUVEA, M. C. S. de. A escrita da história da infância: periodização e fontes. In:
SARMENTO, M, GOUVEA, M. C. S. de. Estudos da infância. Petrópolis: Vozes,
p.97-118. 2008.
GOUVEA, M. C. S. de; SIMÕES, F. A escolarização da criança: as diferentes infâncias
no projeto educacional na província mineira (1830-1892). In: Anais do II Congresso
Brasileiro de História da Educação. Goiânia, 2002, CD-Rom.
GOUVEA, M. C. S. de. Tempos de aprender-a produção histórica da idade escolar.
Revista Brasileira de História da Educação. Campinas: Autores Associados, p.265-
288,n. 8, jul/dez.2004.
GOUVEA, M. C. S. de. A escrita da história da infância: periodização e fontes.
SARMENTO, M; GOUVEA, M.C.S.de (orgs). Estudos da infância; educação e práticas
sociais. Petrópolis: Vozes, 2008.
GUTMAN, M.; CONINCK-SMITH, N. de. Designing Modern Childhoods History,
Space, and the Material Culture of Children. New Brunswick, NJ : Rutgers University
Press, 2008.
JAMES, A.; PROUT, A. (Ed.). Constructing and reconstructing childhood. London:
Falmer Press, 1990.
JAMES, A. Hierarchy, boundary, and agency: toward a theoretical perspective on
childhood. Sociological Studies of Children, Greenwich, Conn, v. 7, p. 77-100, 1995.
JAMES, A. Childhood: toward a theory of continuity and change. The Annals of the
American Academy of Political and Social Science, Philadelphia, Pa, v. 575, n. 1, p. 25-
37, May 2001.
JAMES, A.; JENKS, C.; PROUT, A. Theorizing childhood. Cambridge: Polity Press,
1998.
KESSEN, W. The American child and Other Cultural Inventions. American
Psychologist, Washington, DC, v. 34, n.10, p. 815-820, oct. 1979.
KOOPS, W. Historical developmental psychology: some introductory remarks.
International Journal of Behavioral Development, Concordia, Canada, v. 19, n. 2, p.
369 – 372, jun. 1996.
KUHLMANN JUNIOR, M. Infância e educação infantil. Porto Alegre: Mediação.
1998.
MANSON, M. História do brinquedo e dos jogos, brincar através dos tempos. Lisboa:
Editorial Teorema.
MARCÍLIO, M. L. História social da criança abandonada. São Paulo: Hucitec, 1999.
MORRISON, H. (ed.). The Global History of Childhood Reader. London, New York:
Routledge. 2012.
NARODOWSKI, M. Infança e Poder. Conformação da Pedagogia Moderna. Bragança
Paulista, SP: Editora Universidade de São Francisco, 2001.
PANIZZOLO, C. Educar na infância: os intelectuais e a circulação de ideias sobre a
educação das crianças. In: II Encontro de História da Educação do Estado do Rio de
Janeiro, 2010, Rio de Janeiro - RJ. Anais do II Encontro de História da Educação do
Estado do Rio de Janeiro, 2010. v. 1. p. x-xx.
PANIZZOLO, C. Infância, modernidade e educação: a leitura entre a disseminação e a
interdição. Revista de Educação FABE, v. 1, p. 57-64, 2010.
PRIORE, M. del (Org.). História da criança no Brasil. São Paulo: Contexto, 1992.
POLAKOW, V. The erosion of childhood. Chicago: University of Chicago Press, 1992.
POLLOCK, L. A. Forgotten children: parent-child relations from 1500 to 1900.
Cambridge: [Cambridgeshire]; New York : Cambridge University Press, 1987.
POLLOCK, L. A. A Lasting relationship: parents and children over three centuries.
Hanover, NH: University Press of New England, 1987.
POSTMAN, N. O Desaparecimento da Infância. Rio de Janeiro: Grafhia Editorial,
1999.
PROUT, A. The future of childhood: towards the interdisciplinary study of children.
London: Routledge Falmer, 2005.
PROUT, A. Researching children as social actors: an Introduction to the children 5-16
programme. Children & Society, London, v. 16, p. 67-76, apr. 2002.
QVORTRUP, J. The sociology of childhood: essential readings. Brookfield, VT: Gregg
Revivals, 1982.
QVORTRUP, J. Childhood as a social phenomenon: lessons from an international
project. Vienna: European Centre, 1993. (Eurosocial Report, 47).
QVORTRUP, J. A tentação da diversidade e seus riscos. Educação & Sociedade, vol.
31, n. 113, p. 1121-1136, Dez. 2010.
REVISTA EDUCACIÓN Y PEDAGOGÍA. Universidad de Antioquia - Facultad de
Educación, Colombia, n. 60, 2011, Nuevas infancias y adolescencias.
<http://aprendeenlinea.udea.edu.co/revistas/index.php/revistaeyp/issue/view/1008/show
Toc>
RIZZINI, I. (Org.). A criança no Brasil hoje: desafio para o terceiro milênio. Rio de
Janeiro: Univ. Sta. Úrsula, 1993.
RIZZINI, I. (Org.). Crianças desvalidas, indígenas e negras: cenas da Colônia, do
Império e da República. Rio de Janeiro: Univ. Sta. Úrsula, 2000.
RIZZINI, I. FONSECA, M.T. da (org.). Bibliografia sobre a história da criança no
Brasil. Marília: Unesp, 2001.
SCHULTZ, J. A. The knowledge of childhood in the German middle ages: 1100-1350.
Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1995.
SILVA, L. S. P; LOPES, J. J. M. Pesquisas com crianças e infâncias: tendências e
desafios contemporâneos. Educação em foco, v.13,n 2, set/fev 2008/2009.
STEAMS, P. N. Childhood in World History. London and New York: Routledge, 2006
VASCONCELLOS, V. (org). Educação da infância- história e política. Rio de Janeiro:
DP&A, 2005.
VEIGA, C. G. As crianças na História da Educação. In: SOUZA, G. de. (org). Educar
na infância; perspectivas histórico-sociais. São Paulo: Contexto.
p.21-40. 2010.
WARDE, M. J. ; PANIZZOLO, C. Adolescentes e suas más companhias: lunáticos,
criminosos e desviados sexuais: para uma história da adolescência. In: VIII Congresso
Luso-Brasileiro de História da Educação, 2010, São Luis - MA. Anais do VIII
Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. São Luis - MA: EDUFMA, 2010.
v. 1.
WARDE, M. J.; PANIZZOLO, C. (orgs) Dossiê “Imagens da infância”. No prelo.
WOODS, R. Did Montaigne love his children? Demography and the hypothesis of
parental indifference. Journal of Interdisciplinary History, Cambridge, Ma, v. 33, n. 3,
p. 421-442, Nov. 2003.

CONTEÚDO:
1. Criança e infância: disputas entre campos de conhecimento e de poder.
2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância. Tendências das
pesquisas sociais sobre a infância.
3. Políticas de educação e de assistência à criança.

AVALIAÇÃO:
Será baseada nas leituras da disciplina e em trabalhos escritos a serem solicitados ao
longo do curso e ao término.

CRONOGRAMA:
1ª aula: Apresentação do curso. Orientação das atividades e das avaliações.

2ª aula: 1. Criança e infância: disputas entre campos de conhecimento e de poder.


Leitura básica: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.
Cap. I. Verdade e Poder.
3ª aula: 1. Criança e infância: disputas entre campos de conhecimento e de poder.
Leitura básica: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.
Cap. XVII A governamentalidade.
4ª aula: 1. Criança e infância: disputas entre campos de conhecimento e de poder.
Leitura básica: ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro:
Zahar, 1981.(íntegra)
5ª aula: 1. Criança e infância: disputas entre campos de conhecimento e de poder.
Leitura básica: HEYWOOD, C. Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.
(íntegra)
6ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A SOCIOLOGIA DA
INFÂNCIA.
Leituras básicas:
MONTANDON, C. Sociologia da infância: balanço dos trabalhos em língua inglesa.
Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 33-60, mar. 2001. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/cp/n112/16100.pdf
SIROTA, R. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do olhar.
Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 7-31, mar. 2001. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/cp/n112/16099.pdf
QVORTRUP, J. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e pesquisa, vol.36,
n.2, p. 631-644, Maio/Ag. 2010. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/ep/v36n2/a14v36n2.pdf
7ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A SOCIOLOGIA DA
INFÂNCIA.
Leituras básicas:
ABRAMOWICZ, A.; OLIVEIRA, F. de, RODRIGUES, T. C. A criança negra, uma
criança e negra. Disponivel em:
http://www2.cndp.fr/revueVEI/158/varia_en_ligne_A_CRIANCA_NEGRA.pdf
MARCHI, R.. de C. Gênero, infância e relações de poder: interrogações
epistemológicas. Cadernos Pagu (37), julho-dezembro de 2011: 387-406.
Disponiível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
83332011000200016
SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da
infância. Educação e Sociedade., vol.26, no.91, p.361-378, Ago 2005. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/es/v26n91/a03v2691.pdf
8ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A SOCIOLOGIA DA
INFÂNCIA.
Leituras básicas:
NARODOWSKI, M., BAQUERO, R. ¿Existe la Infancia?, Revista del Instituto de
Investigación en Ciencias de la Educación, n. 11, p. 35-45, 1994.
PROUT, A. Reconsiderando a nova sociologia da infância. Cadernos de Pesquisa, v.40,
n.141, p.729-750, set./dez. 2010.Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n141/v40n141a04
WARDE, M. J. Repensando os estudos sociais de história da infância no Brasil.
Perspectiva, v. 25, n. 1, p.21-39, 2007.Disponível em:
http://www.perspectiva.ufsc.br/perspectiva_2007_01/3-Mirian.pdf
9ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A HISTÓRIA DA
INFÂNCIA
Leituras básicas:
BOTO, C. O desencantamento da criança: entre a Renascença e o Século das Luzes.
FREITAS, Marcos Cezar de; KUHLMANN JUNIOR, Moyses. (orgs). Os intelectuais
na História da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 11- 60
KUHLMANN JUNIOR, M. A circulação das idéias sobre a educação das crianças ;
Brasil, início do século XX. FREITAS, Ma C de; KUHLMANN JUNIOR, M. (orgs).
Os intelectuais na História da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 459- 503
KUHLMANN JUNIOR, M; FERNANDES, R. Sobre a história da infância. FARIA
FILHO, Luciano Mendes de (org). A infância e sua educação; materiais, práticas e
representações (Portugal e Brasil) Belo Horizonte: Autentica. 2004. p. 15-34
VEIGA, C G. Infância e modernidade: ações, saberes e sujeitos. FARIA FILHO,
Luciano Mendes de (org). A infância e sua educação; materiais, práticas e
representações (Portugal e Brasil) Belo Horizonte: Autentica. 2004. p. 35- 82
10ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A HISTÓRIA DA
INFÂNCIA
Leituras básicas:
CÂMARA, Sonia. Por uma acção preventiva e curativa da infância pobre: os discursos
jurídico-educativos no Brasil e em Portugal nas décadas de 1910- 1920. LOPES,
Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; FERNANDES, Rogerio (orgs). Para a
compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 263-282.
FARIA FILHO, Luciano Mendes de; FERNANDES, Rogerio (orgs). Para a
compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 127-146
FERREIRA, António; GONDRA, Jose. Idades da vida, infância e a racionalidade
médico: higênica em Portugal e no Brasil (séculos XVII- XIX). LOPES, Alberto;
GONDRA, Jose Gonçalves. Filhos da sombra: os “engeitados” como problema da
“Hygiene” no Brasil. FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org). A infância e sua
educação; materiais, práticas e representações (Portugal e Brasil) Belo Horizonte:
Autentica. 2004. p. 125-142
MONARCHA, Carlos. Revista do Jardim da Infância: uma publicação exemplar
MONARCHA, Carlos(org) Educação da infância brasileira 1875-1983) Campinas :
Autores Associados, 2001, p.81-120
11ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A HISTÓRIA DA
INFÂNCIA
Leituras básicas:
CARVALHO, Marta Chagas de. Pedagogia da Escola Nova, produção da natureza
infantil e controle doutrinário da escola. FREITAS, Marcos Cezar de; KUHLMANN
JUNIOR, Moyses. (orgs). Os intelectuais na História da infância. São Paulo: Cortez.
2002. p. 373-408
MOURA, Esmeralda Blanco Bolsonaro de. Crianças operárias na recém-industrializada
São Paulo. DEL PRIORE, Mary (org) História das crianças no Brasil. São Paulo:
Contexto.2000, p. 259-288
NARODOWSKI. Mariano. Os pedagogos lancasterianos e a infância. FREITAS,
Marcos Cezar de; KUHLMANN JUNIOR, Moyses. (orgs). Os intelectuais na História
da infância. São Paulo: Cortez. 2002. p. 221-244
12ª aula: 2. Modos de representar, pensar, idealizar, conceituar a infância.
Tendências das pesquisas sociais sobre a infância: A HISTÓRIA DA
INFÂNCIA
Leituras básicas:
GOUVÊA, Maria Cristina. A literatura como fonte para a história da infância:
possibilidades e limites. LOPES, Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de;
FERNANDES, Rogerio (orgs). Para a compreensão histórica da infância. Belo
Horizonte: Autêntica. 2007. p. 19-38
KUHLMANN JUNIOR, Moyses. Infância e Educação (1820-1950): comparação e
classificação. LOPES, Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; FERNANDES,
Rogerio (orgs). Para a compreensão histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica.
2007. p. 185- 198
PESSOA, Ana. Arquivos, espólios e história da Educação. LOPES, Alberto; FARIA
FILHO, Luciano Mendes de; FERNANDES, Rogerio (orgs). Para a compreensão
histórica da infância. Belo Horizonte: Autêntica. 2007. p. 67- 72
VEIGA, Cynthia Greive. Cultura escrita: representações da criança e o imaginário de
infância. Brasil, século XIX. LOPES, Alberto; FARIA FILHO, Luciano Mendes de;
FERNANDES, Rogerio (orgs). Para a compreensão histórica da infância. Belo
Horizonte: Autêntica. 2007. p. 39- 66

13ª aula: 3- Políticas de educação e de assistência à criança.


Leituras básicas:
FALEIROS, Vicente de Paula. Infância e processo político no Brasil. RIZZINI, Irene,
PILOTTI, Francisco (orgs) A Arte de governar crianças, a história das políticas sociais,
da legislação e da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009, p. 33- 96
RIZZINI, Irene. Crianças e menores- do Pátrio Poder ao Pátrio Dever; um histórico da
legislação para a infância no Brasil. RIZZINI, Irene, PILOTTI, Francisco (orgs) A Arte
de governar crianças, a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à
infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009, p. 97-149.
14ª aula: 3- Políticas de educação e de assistência à criança.
Leituras básicas:
ALANEN, Leena. Teoria do bem-estar das crianças. Cadernos de Pesquisa, São Paulo
, v. 40, n. 141, Dec. 2010 .Disponível em:
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300005&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300005.
QVORTRUP, Jens. Infância e política. Cadernos de Pesquisa, São Paulo , v. 40, n.
141, Dec. 2010 .Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300006&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300006.
ROSEMBERG, Fúlvia; MARIANO, Carmem Lúcia Sussel. A convenção internacional
sobre os direitos da criança: debates e tensões. Cadernos de Pesquisa, São Paulo , v.
40, n. 141, Dec. 2010 . Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-
15742010000300003&lng=en&nrm=iso>. access on 06 Feb. 2014.
http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742010000300003.

15ª aula: Fechamento do curso. Avaliação.