Você está na página 1de 4

HORA SANTA DA MISERICÓRDIA

Graças e louvores sejam dados a cada momento, ao santíssimo e diviníssimo sacramento (3x).
Glória ao Pai (3x)
Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-vos. Peço-vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e
não vos amam!
Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo,
Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos
ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Sacratíssimo
Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.

INÍCIO

LEITOR: No início desta Hora Santa queremos nos dirigir a Jesus Sacramentado, o Misericordiosíssimo Salvador,
Aquele que é o rosto da misericórdia do Pai, para podermos contemplá-lo, em sua infinita misericórdia. Como nos
ensina o Santo Padre, o papa Francisco, “Precisamos sempre contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de
alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da
Santíssima Trindade. Misericórdia: é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro” (Misericordiae
vultus).
Portanto, em resposta a esse ato supremo de Deus, que se inclina diante do homem pecador, queremos
oferecer esta Hora Santa em reparação pelos pecados que mais ofendem ao coração de Nosso Senhor. Queremos, a
exemplo de Jesus e unidos ao seu sacrifício redentor, nos oferecermos a Deus, por aqueles que não louvam a Divina
Misericórdia, principalmente por aqueles que abusam dela para se afundarem cada vez mais em seus pecados.
Disse Jesus a Santa Faustina: “Tenho sede. Estou sedento pela salvação das almas. Ajuda-me, minha
filha, a salvar as almas. Une teus sofrimentos à minha paixão e oferece-os ao Pai Celestial pelos pecadores”
(Diário n. 1032). Portanto, inflamados de zelo apostólico, como almas reparadoras, queremos nos oferecer a Deus
inteiramente.
Assim rezou São João Paulo II: “Elevemos as nossas súplicas, guiados pela fé, pela esperança e pela caridade,
que Cristo implantou nos nossos corações. Esta atitude é, ao mesmo tempo, amor para com Deus, que o homem
contemporâneo por vezes afastou tanto de si, que O considera um estranho e de várias maneiras O proclama
‘supérfluo’. É, ainda, amor para com Deus, em relação ao Qual sentimos profundamente quanto o homem
contemporâneo O ofende e O rejeita; e por isso estamos prontos para clamar com Cristo na cruz: ‘Pai, perdoa-lhes,
porque não sabem o que fazem’” (Dives in misericórdia, n. 15).

ORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO – Santo Afonso Maria de Ligório

TODOS: Senhor meu Jesus Cristo, que, pelo amor que tendes aos homens, estais de noite e de dia neste
Sacramento, todo cheio de piedade e de amor, esperando, chamando e recebendo todos os que vêm visitar-vos; eu
creio que estais presente no Santíssimo Sacramento do altar. Eu vos adoro do abismo do meu nada e vos dou graças
por todos os benefícios que me tendes feito; especialmente por vós mesmo dardes a mim neste sacramento, por me
terdes concedido como advogada vossa Mãe santíssima, e por me terdes chamado a visitar-vos nesta igreja.
Eu saúdo, pois hoje, o vosso amantíssimo Coração e a minha intenção é fazê-lo por três motivos: primeiro,
em ação de graças por esta grande dádiva; segundo, para compensar-vos de todas as injúrias que tendes recebido,
neste Sacramento, de todos os vossos inimigos; terceiro, com intenção de adora-vos, nesta visita, em todos os lugares
da terra onde vossa presença sacramental estais menos reverenciada e em maior abandono.
Meu Jesus, eu vos amo de todo o meu coração; pesa-me de ter, no passado, tantas vezes ofendido a vossa
divina bondade. Proponho, com o auxílio de vossa graça, nunca mais ofender-vos para o futuro. E, no presente,
miserável qual sou, eu me consagro todo a vós e renuncio a toda a vontade própria, a todos os afetos e desejos, e a
tudo o que é meu, para vos oferecer. De hoje em diante fazei de mim e de tudo o que me pertence aquilo que for de
vosso agrado.
Só peço o vosso santo amor, a perseverança final e o perfeito cumprimento de vossa vontade. Recomendo-
vos as almas do purgatório, especialmente as mais devotas do santíssimo sacramento e da Bem-aventurada Virgem
Maria. Recomendo-vos também todos os pobres pecadores.
Finalmente, desejo unir, meu querido Salvador, todos os meus afetos com os de vosso amorosíssimo Coração;
e, assim unidos, os ofereço a vosso Eterno Pai e lhe peço em vosso nome, que por vosso amor, os queira aceitar e
atender. Amém.
MOMENTO PENITENCIAL

LEITOR: Como nos ensina o Santo Padre, o papa Francisco, “O perdão é uma força que ressuscita para uma vida
nova e infunde a valentia para olhar o futuro com esperança”. (Misericordiae Vultus, n.10). Portanto, agora façamos
um breve momento de silêncio, de modo a entregarmos a Deus todos os nossos pecados, firmes na esperança de
sermos perdoados.

(Breve instante de silêncio)

TODOS: Ó meu Jesus crucificado, eis o Vosso mísero servo aos vossos pés. Eu me arrependo de tantas
infidelidades e renovo o propósito de Vos amar. Na chaga do Vosso Coração bendito coloco o meu coração, cheio
de fraquezas; perdoai todos os seus pecados e inflamai-o com o Vosso santo amor. Nas chagas das vossas mãos
coloco as minhas mãos; purificai-as também por tanto mal que podem ter feito e tornai-as puras para o Vosso santo
serviço. Nas chagas dos Vossos pés coloco os meus pés; também esses purificai-os com o Vosso Preciosíssimo
Sangue e perdoai os passos que podem ter-Vos ofendido. Tornai, Ó bom Jesus, todo o meu ser numa coisa só
convosco. Fazei que eu Vos seja um fiel servo na terra. E depois deixai que o Vosso servo venha a contemplar-Vos
no Céu. Amém. (Diário de Santa Faustina).

Senhor tende piedade de nós (2x).


Cristo tende piedade de nós (2x).
Senhor tende piedade de nós (2x).

LOUVORES À DIVINA MISERICÓRDIA

LEITOR: O fato de repetirmos continuamente "eterna é a sua misericórdia", como faz o Salmo 136, parece
querer romper o círculo do espaço e do tempo para inserir tudo no mistério eterno do amor. É como se se quisesse
dizer que o homem, não só na história mas também pela eternidade, estará sempre sob o olhar misericordioso do Pai
(Francisco, Misericordiae vultus). Confiantes nesta verdade, recitemos algumas invocações louvando à Divina
Misericórdia:
Disse Santa Faustina:

TODOS: O amor de Deus é a flor e a misericórdia o fruto. Que a alma que desconfia leia estes louvores da
misericórdia e torne-se confiante.

Misericórdia Divina, que brota do seio do Pai, eu confio em Vós.


Misericórdia Divina, atributo máximo de Deus, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, mistério inefável, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, fonte que brota do mistério da Santíssima Trindade, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nenhuma mente, nem humana nem angélica pode perscrutar,
Misericórdia Divina, da qual provém toda a vida e felicidade, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, mais sublime do que os Céus, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, fonte de milagres e prodígios, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que envolve o universo todo, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que desce ao mundo na Pessoa do Verbo Encarnado, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que brotou da chaga aberta do Coração de Jesus, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, encerrada no Coração de Jesus para nós e sobretudo para os pecadores,
Misericórdia Divina, imperscrutável na instituição da Eucaristia, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, na instituição da Santa Igreja, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, no sacramento do Santo Batismo, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, na nossa justificação por Jesus Cristo, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos acompanha por toda a vida, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos envolve de modo particular na hora da morte, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos concede a vida imortal, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos acompanha em todos os momentos da vida, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos defende do fogo do Inferno, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, na conversão dos pecadores endurecidos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, enlevo para os anjos, inefável para os Santos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, insondável em todos os mistérios divinos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que nos eleva de toda miséria, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, fonte de nossa felicidade e alegria, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que do nada nos chama para a existência, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que abrange todas as obras das Suas mãos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que coroa tudo que existe e que existirá, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, na qual todos somos imersos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, doce consolo para os corações atormentados, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, única esperança dos desesperados, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, repouso dos corações, paz em meio ao terror, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, delícia e êxtase dos Santos, eu confio em Vós.
Misericórdia Divina, que desperta a confiança onde não há esperança, eu confio em Vós.

TODOS: Ó Deus eterno, em quem a misericórdia é insondável e o tesouro da compaixão


é inesgotável, olhai propício para nós e multiplicai em nós a Vossa misericórdia,
para que não desesperemos nos momentos difíceis, nem esmoreçamos, mas nos submetamos com grande confiança
à Vossa santa vontade, que é Amor e a própria Misericórdia" (Diário, 949).

MEDITAÇÃO DA PALAVRA – LC 15, 11-32

LEITOR: Disse-lhes Jesus: Um certo homem tinha dois filhos; E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-
me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. E, poucos dias depois, o filho mais novo,
ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo
ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. E foi, e chegou-se a um
dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos. E desejava encher o seu
estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos
jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e
dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos
teus jornaleiros. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima
compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante
ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e
vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e
alegremo-nos; Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-
se. E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. E,
chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro
cevado, porque o recebeu são e salvo. Mas ele se indignou, e não queria entrar. E saindo o pai, instava com ele. Mas,
respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me
deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos; Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens
com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas
coisas são tuas; Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se
perdido, e achou-se.

(Breve momento de silêncio para meditação da Palavra)

TERÇO DA DIVÍNA MISERICÓRDIA

Rezemos agora o terço da Divina misericórdia...

MOMENTO MARIANO

LEITOR: “Ao pé da cruz, Maria, juntamente com João, o discípulo do amor, é testemunha das palavras de
perdão que saem dos lábios de Jesus. O perdão supremo oferecido a quem O crucificou, mostra-nos até onde pode
chegar a misericórdia de Deus. Maria atesta que a misericórdia do Filho de Deus não conhece limites e alcança a
todos, sem excluir ninguém. Dirijamos-Lhe a oração, antiga e sempre nova, da Salve Rainha, pedindo-Lhe que nunca
se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos e nos faça dignos de contemplar o rosto da misericórdia,
seu Filho Jesus” (Francisco, Misericordiae vultus).

Salve Rainha...

LEITOR: E ainda confiantes na proteção daquela que, de modo particular e excepcional — como ninguém mais —
, experimentou a misericórdia e, também de modo excepcional, tornou possível com o sacrifício do coração a sua
participação na revelação da misericórdia divina (João Paulo II, Dives in Misericordia), invoquemos a sua proteção
com a bela oração de são Bernardo de Claraval:

TODOS: Lembrai-Vos, ó piíssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm recorrido
à Vossa proteção, implorado a Vossa assistência e reclamado o Vosso socorro, fosse por Vós desamparado. Animado
eu, pois, com igual confiança, a Vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de Vós me valho, e gemendo
sob o peso dos meus pecados, me prostro aos Vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Filho de
Deus Humanado, mas dignai-Vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que Vos rogo. Amém.

Oração a Nossa Senhora para lutar contra o Oramos pelas mães e pais
aborto que se sentem ameaçados
TODOS: e pressionados em sua gravidez.

Ó Maria, Intercede por eles,


Mãe de Jesus e Mãe de todos nós, para que Deus lhes dê a graça
Hoje nos dirigimos a ti de dizerem SIM
como àquela que disse Sim à Vida. e a coragem para perseverar!

“Tu conceberás e darás à luz um filho”, Que tenham a graça de


disse-te o Anjo. rejeitar a falsa solução do aborto.
Apesar da surpresa e da incerteza
sobre como poderia ser isso, Que possam dizer contigo:
tu disseste SIM: “Faça-se em mim segundo a tu palavra”.
“Faça-se em mim segundo a tu palavra”.
Que experimentem a ajuda do povo cristão
Ó Maria, e conheçam a paz de se fazer a vontade de Deus.
oramos hoje por todas as mães Amém.
que têm medo de ser mães.

ORAÇÃO FINAL

TODOS: Senhor Jesus Cristo, Vós que nos ensinastes a sermos misericordiosos como o Pai celeste, e nos
dissestes que quem Vos vê, vê a Ele. Mostrai-nos o Vosso rosto e seremos salvos. O Vosso olhar amoroso libertou
Zaqueu e Mateus da escravidão do dinheiro; a adúltera e Madalena de colocar a felicidade apenas numa criatura;
fez Pedro chorar depois da traição e assegurou o Paraíso ao ladrão arrependido.
Fazei que cada um de nós considere como dirigida a si mesmo as palavras que dissestes à mulher samaritana: Se tu
conhecesses o dom de Deus!
Vós sois o rosto visível do Pai invisível, do Deus que manifesta Sua onipotência, sobretudo com o perdão e
a misericórdia. Fazei que a Igreja seja no mundo o rosto visível de Vós, Senhor, ressuscitado e na glória. Vós
quisestes que os Vossos ministros fossem também eles revestidos de fraqueza, para sentirem justa compaixão por
aqueles que estão na ignorância e no erro: fazei que todos os que se aproximarem de cada um deles se sintam
esperados, amados e perdoados por Deus.
Enviai o Vosso Espírito e consagrai-nos a todos com a Sua unção, para que o Jubileu da Misericórdia seja
um ano de graça do Senhor e a Vossa Igreja possa, com renovado entusiasmo, levar aos pobres a alegre mensagem
e proclamar aos cativos e oprimidos a libertação; aos cegos restaurar a vista.
Nós Vo-lo pedimos por intercessão de Maria, Mãe de Misericórdia, a Vós que viveis e reinais com o Pai e o
Espírito Santo, pelos séculos dos séculos. Amém.