Você está na página 1de 15

ANTIGUIDADE

#Estudo da Antiguidade

- Oriental: Egito; Mesopotâmia; Hebreus; Persas, Fenícios, Índia, China (Oriente).


- Clássica: Grécia e Roma (Ocidente).

- Fontes: escavações arqueológicas de objetos, monumentos, documentos oficiais (leis,


decretos, contratos, rotas comerciais, etc), livros, pinturas, esculturas, etc.

#Civilização: relaciona-se ao produto material e cultural do trabalho humano e


transformações da natureza, como formas de organizações sociais, políticas e simbólicas
construídas pelo homem. Nesse sentido, a civilização não é um estágio avançado que
todos os povos necessitam alcançar. Há dessa forma, a ideia de diferentes culturas que
podem ser comparadas, mas não hierarquizadas, classificando-as como melhores, piores
ou mais avançadas.

- Visão eurocêntrica de superioridade civilizacional.

O SURGIMENTO DAS CIDADES

- “uma revolução, transformou pequenas aldeias de agricultores autossuficientes em


cidades populosas.” – Gordon Childe.

- As primeiras cidades nasceram na região conhecida como crescente fértil (Egito e


Mesopotâmia), há cerca de 10 mil anos. (Em 1800 a taxa mundial de urbanização era de
2%, em 2014 54% e a estimativa para 2050 é de 66% - ONU. No Brasil é de 85%).

- A revolução agrícola viabilizou o acúmulo de alimentos, o que possibilitou uma nova


organização social do trabalho, com a especialização de funções e tarefas.

- Caça/Coleta – Agricultura/Pecuária – Sedentarismo/Aldeias – Cidades.


CIVILIZAÇÕES DA ANTIGUIDADE ORIENTAL
- Organização política com regras e governantes para fazer cumpri-las;
- Projetos de construções como: canais de irrigação, templos, pirâmides, portos, pontes,
mercados, palácios, muralhas;
- Burocracia com funcionários públicos e militares;
- Religião vinculada ao poder político;
- Produção artística com grande significado e que perdure ao longo do tempo, dando
coesão a identidade de um povo;
- Sistema de escrita próprio;
- Desenvolvimento do comércio com troca de produtos e matérias-primas;
- Grandes descobertas e invenções como: a roda, barco a vela, metalurgia, animais de
tração, etc;
- Integração e nova forma de organização social.

EXERCÍCIOS

1 – O que é Civilização?

2 – Qual a importância do surgimento das cidades?

3 – Discorra sobre uma das características gerais das civilizações da Antiguidade


Oriental.

A MESOPOTÂMIA

- Situa-se na região do Oriente Médio, entre os rios Tigre e Eufrates. Mesopotâmia


significa terra ou região entre rios. Atualmente encontra-se localizada no território onde
hoje é o Iraque e o Irã.
- Vários povos habitaram a região, entre eles: os sumérios, os babilônicos, os assírios, os
caldeus, os amoritas e os acádios.
#Política

- As cidades eram governadas por patesis, misto de chefes militares e sacerdotes, que
exerciam o controle sobre a população, cobrando impostos e administrando obras;
- Os povos sumérios inventaram a escrita cuneiforme com o objetivo de registrar as
transações comerciais;
- Em 2400 a.C os acádios dominaram a região incorporando a cultura suméria, e
possuindo a supremacia por três séculos;
- Em 1950 a.C após uma série de invasões dos povos amoritas, alterou-se a supremacia
política na região;
- O amorita Hamurabi, que governou de 1810 a.C até 1750 a.C criou o denominado
Primeiro Império Babilônico, que ia do golfo pérsico até a Assíria. A cidade de Babilônia
foi um dos principais centros urbanos e políticos da Antiguidade;
- Hamurabi estabeleceu um código de leis, conhecido como “Código de Hamurabi”, que
previa penas para crimes domésticos, comerciais, sobre a propriedade, herança,
escravidão e falsas acusações. As punições eram baseadas na chamada “lei do talião”,
tendo como princípio o “olho por olho, dente por dente”;
- Entre 1307 a.C e 609 a.C a hegemonia foi do povo assírio, que possuem um forte caráter
militar;
- Os caldeus por sua vez fundaram o Segundo Império Babilônico, que durou entre 604
a.C e 561 a.C, tendo como um de seus principais governantes o Rei Nabucodonosor;
- No século VI a.C, por meio do comando do Rei Persa Ciro, o Grande, a Babilônia foi
integrada ao Império Persa.
EXERCÍCIOS

1 – Qual a importância dos Rios Tigre e Eufrates para o surgimento e


desenvolvimento da Mesopotâmia?

2 – O que eram os patesis na sociedade mesopotâmica e quais eram suas funções?

3 – No que consistia o chamado Código de Hamurabi? Em qual princípio era


baseado?

4 – Qual povo da Mesopotâmia inventou a escrita e qual sua importância?

#Economia, sociedade e cultura

- Instabilidade política e geográfica, em virtude de sua localização (entre dois desertos) e


o regime de chuvas irregular nos rios Nilo e Eufrates, que causava inundações e secas;
- Sistema hidráulico: drenagem de pântanos; construção de diques e barragens com o
objetivo de conter inundações e armazenar água para épocas de seca;
- Formação de grandes núcleos urbanos com mais de mil habitantes;
- As cidades tinham função militar e se destinavam a proteger a riqueza gerada pela
agricultura, bem como controlar politicamente a região;
- A principal atividade econômica era a agricultura, mas o comércio e o artesanato
também se desenvolveram significativamente. Havia o uso de moeda (cobre e prata) como
instrumento de compra e venda de produtos;
- As lideranças (políticos) eram responsáveis por cuidar dos canais de irrigação, da justiça
e da burocracia existente;
- Não havia separação entre a vida política e religiosa. A religião mesopotâmica servia
como ligação entre a população e os governantes. Os sacerdotes (templos) tinham uma
função política importante, enquanto o governante (palácio) era o representante dos
deuses;
- O governo era despótico (poder absoluto e arbitrário), centralizado e teocrático (forma
de governo onde poder político está baseado no poder religioso) e a sociedade estamental;
- Os administradores cuidavam do recolhimento dos impostos e da distribuição dos
excedentes agrícolas;
- O trabalho era compulsório (servidão coletiva e pagamento de corveia ao rei), havendo
o regime de escravidão para os presos de guerra;
- A religião era politeísta (existiam vários deuses que representam as forças da natureza);
- Os deuses habitavam os Zigurates (Templos em forma de pirâmides que também
abrigavam celeiros e oficinas);
- Por meio da observação do céu os mesopotâmicos desenvolveram princípios da
astronomia e astrologia, elaborando também um calendário com 12 meses e a semana
com 7 dias;
- Avanços na matemática com o desenvolvimento dos cálculos algébricos, a divisão do
círculo em 360 graus e o cálculo da raiz quadrada e cúbica que possibilitaram o avanço
das obras e construções;
- Grande avanço na literatura com poemas e narrativas, como a Epopeia de Gilgamesh;

EXERCÍCIOS

1 – Qual era a importância da religião na sociedade mesopotâmica?

2 – Como se constituía a sociedade mesopotâmica?

3 – Qual a função dos Zigurates na civilização mesopotâmica?

4 – Quais as principais descobertas e avanços conquistados pelos povos da


Mesopotâmia?
OS EGIPCÍOS

- A civilização egípcia nasceu as margens do Rio Nilo, no extremo nordeste da África,


bem próximo ao deserto.

- Os egípcios se beneficiavam da proximidade com o rio, que durante os períodos


chuvosos tinha suas margens elevadas e depositava húmus, que por sua vez fertilizava o
solo. Quando as chuvas acabavam e as águas do rio baixavam, era possível plantar com
abundância.

- A primeira forma de organização dos egípcios eram os nomos, onde eram coordenados
os trabalhos de construção e plantação, sob a administração dos nomarcas.

- Em 3500 a.C com o desenvolvimento das obras de irrigação e drenagem, bem como os
conflitos para unificação dos nomos, foi criado o Alto Egito, ao sul, e o Baixo Egito, ao
norte, na região do delta do Nilo.

- “A unificação, lenta e com dificuldade, decorreu de um processo em que a centralização


administrativa passou a ser necessária para a maior racionalização do trabalho. Mesmo
assim, durante muito tempo, Alto e Baixo Egito constituíram-se como dois países quase
separados, governados de forma central.” – Jaime Pinsky (p. 94).

- Em 3200 a.C houve a unificação de todos os nomos e a criação de um Estado egípcio,


que passou a ser governado pela figura do Faraó.

EXERCÍCIOS

1 – Qual a importância do Rio Nilo para a civilização egípcia?

2 – O que eram os nomos e qual a função dos nomarcas no Egito antigo?

3 – Como se deu o processo de unificação da civilização egípcia?


#Economia, sociedade e cultura

- O modelo de trabalho predominante no Egito era o da servidão coletiva, ou seja, os


camponeses eram obrigados a realizar grandes obras de irrigação, que tinham a
coordenação do Estado, bem como a construção de depósitos, templos, palácios e outros
monumentos.

- O Egito era um grande produtor de cereais, em especial trigo, algodão, linho e papiro,
este último utilizado para se fabricar um papel de mesmo nome. Além disso havia a
criação de cabras, carneiros e gansos. Em virtude das oportunidades oferecidas pelo Rio,
havia muita pesca e fabricação de barcos para utilizar como forma de deslocamento.

- A organização social egípcia era bem rígida e a partir da unificação, o Faraó passou a
concentrar todos os poderes e grande parte das terras. O estado era centralizado baseado
em uma monarquia teocrática. O faraó era a expressão da própria divindade.

- “Vida, rio, deus, faraó – num certo nível tudo se confundia, tudo era a mesma coisa.
Graças ao poder divino do faraó as colheitas são abundantes: o Nilo, ponto de partida de
toda a prosperidade, tem de respeitá-lo.” – Jaime Pinsky (p. 96).

- O faraó é além de sacerdote, chefe militar, o juiz supremo, centralizador, divino,


absoluto.

- Os antigos nomarcas vinham logo abaixo do Faraó, detendo muita influência sobre a
estrutura social, sendo nomeados como administradores de cidades e aldeias, bem como
arrecadador de impostos e cumpridor das decisões do Faraó.

- Logo depois vinham os sacerdotes, depois os funcionários públicos e em seguida os


chefes militares. Os escribas vinham logo em seguida e tinham a importante função do
conhecimento da escrita hieroglífica e dos registros administrativos do Estado. Eram os
funcionários do poder central, responsável pela articulação entre as ordens dadas e sua
execução, que fiscalizavam os campos, conferiam rebanhos, orientavam construções e
transmitiam normas.
- Ainda na camada intermediaria estavam os comerciantes e na base dessa pirâmide social
estava os camponeses e artesãos, que deviam servir ao Faraó com trabalho e os
pagamentos de impostos.

EXERCÍCIOS

1 – O que era o modelo de trabalho de servidão coletiva no Egito antigo?

2 – Qual era a importância do Faraó na civilização egípcia?

3 – Qual era a função dos escribas no Egito antigo?

- A religião egípcia era politeísta e tinha uma importante função de manter a estabilidade
daquela sociedade.

- As técnicas desenvolvidas para a construção de templo religiosos e funerários, e obras


hidráulicas, representaram um importante avanço na arquitetura e engenharia.
Construções ousadas nos dias de hoje são denominados de “obras faraônicas”.

- Os estudos de astronomia dos egípcios ajudaram a criar o calendário solar composto de


doze meses com trinta dias cada.
- A arte egípcia era voltada quase que exclusivamente para a representação religiosa de
deuses, sem muita profundidade e elaboração.

- Religião, ciência e arte, tem uma estreita e significativa ligação entre os egípcios.

- A escrita egípcia se desenvolveu de três maneiras:

. Hieroglífica: era a mais antiga, composta de mais de seiscentos caracteres e considerada


sagrada;
. Hierática: uma evolução da hieroglífica;
. Demótica: mais recente e popular, formada por cerca de 350 sinais.

#A temporalidade da história egípcia

- Antigo Império (3200 a.C – 2300 a.C)

- Médio Império (2000 a.C – 1580 a.C)

- Novo Império (1580 a.C – 25 a.C)

- Em quase 3000 anos de história, revoltas, conquistas e invasões estrangeiras, o Egito foi
governado por faraós de 26 dinastias.

- Seu declínio final se deu em 525 a.C com a invasão dos Persas. Após isso, a história
egípcia é marcada por influência de vários povos, que introduziram diversos aspectos
culturais de outras culturas como a grega, cristã-romana e árabe-mulçumana.

EXERCÍCIOS

1 – Qual a importância da religião para os egípcios? E qual sua relação com a arte?

2 – Como se desenvolveu a escrita na civilização egípcia?


HEBREUS

- Os hebreus destacam-se por serem o primeiro povo a adotar o chamado monoteísmo


ético, religião que cultua apenas um Deus e exige um comportamento ético de seus
seguidores, agindo de maneira correta e justa. Disso resulta o cristianismo, o judaísmo e
o islamismo.

- A principal fonte de estudo sobre os Hebreus é a Bíblia, especialmente a parte do antigo


testamento.

- Inicialmente os Hebreus habitaram a cidade de Ur, no sul da Mesopotâmia. Abraão teria


sido seu primeiro grande líder ou patriarca. Pregava o culto a um Deus único, que teria
prometido uma terra, onde “jorrava leite e mel”, ou seja, abundante e fértil. Essa promessa
levou Abraão a conduzir o povo Hebreu até a terra de Canaã, atual território de Israel, se
estabelecendo lá em torno de 2000 a.C.

- O patriarca Abraão, foi sucedido por Isaac e Jacó, sendo que deste último descenderam
os grupos que originaram as “12 tribos de Israel”.

- Em virtude de dificuldades econômicas, muitos Hebreus migraram para o Egito, sendo


posteriormente escravizados. Séculos depois, os Hebreus fugiram do Egito sob a
liderança do profeta Moisés, evento conhecido como Êxodo. Durante a fuga Javé (Deus),
teria ditado à Moisés os “12 mandamentos”, um conjunto de leis que o povo Hebreu
deveria seguir.

- Durante 40 anos os Hebreus caminharam pelo Deserto (geração do deserto) até chegar
à Palestina sob a liderança de Josué e dos juízes, que eram chefes militares com
atribuições religiosas. Ao chegar, conquistaram a cidade de Jericó vencendo os Filisteus.

EXERCÍCIOS

1 – O que é o monoteísmo ético?

2 – Como se deu a formação do povo Hebreu?


- Em 1010 a.C, ocorreu a unificação das 12 tribos sob a liderança de Saul, que se tornou
o primeiro rei dos Hebreus (monarquia). Há a transição de uma sociedade tribal, com
ausência de propriedade particular dos bens de produção, sem poder central e métodos
coercitivo de trabalho, para uma sociedade monárquica centralizada, que exige mão de
obra de trabalho disciplinada.

- Davi, que sucedeu a Saul no trono, formou as bases do Estado hebraico, com um governo
centralizado, exercito permanente e uma organização burocrática, tornando Jerusalém a
capital de Israel.

- Sob o governo de Salomão, filho de Davi, o estado de Israel alcançou seu apogeu, com
grande desenvolvimento comercial. Foi nesse período que foi construído o Templo de
Salomão, em uma tentativa de aproximação com Deus. Foi Salomão também que
introduziu a figura sacerdotal na religião hebraica, com o objetivo de criar uma forte
relação de dependência entre o povo e o poder político, por meio dos rituais religiosos.

- Com a morte de Salomão, deu início a uma disputa pela sucessão do trono, o que causou
a divisão dos hebreus em dois reinos, o de Israel com a capital em Samaria e o de Judá,
com capital em Jerusalém.

- Após essa divisão houve a invasão estrangeira, inicialmente comandada pelos assírios e
posteriormente pelos babilônicos, sob o comando do Rei Naducodonosor, que saqueou
Jerusalém, destruiu o Templo de Salomão e escravizou alguns hebreus.
EXERCÍCIOS

1 – O que ocorre com a unificação das 12 Tribos de Israel?

2 – Quais os acontecimentos no reinado do Rei Salomão?


FENÍCIOS

- A Fenícia situava-se ao norte da Palestina, onde hoje está localizado o Líbano. Foi
ocupada por volta de 3000 a.C por povos semitas, que desenvolveram a agricultura, se
destacando também pelo comércio marítimo, o artesanato e a produção de tecidos e
corantes.

- Os fenícios estavam organizados em cidades-Estado, e estabeleceram rotas comerciais


em todo o mediterrâneo, que originaram povoados e cidades.

- Criaram um alfabeto fonético que posteriormente foi apropriado por gregos e romanos
como base do alfabeto ocidental.

- A religião fenícia era politeísta e cultuavam vários Deuses.

EXERCÍCIOS

1 – Qual a principal característica do povo fenício?

2 – Qual a contribuição mais importante legada pelo povo fenício aos gregos e
romanos?

PERSAS

- A civilização Persa estava localizada onde hoje é o atual Irã e começou a se formar por
volta de 2000 a.C.

- Ciro, o Grande, rei da Persia, unificou o território e submeteu os povos vizinhos,


posteriormente iniciando o processo de expansão e conquista que formaria o Império
Persa, que se constituiu em um dos maiores Impérios do mundo, dominando Egito,
Fenícia, Mesopotâmia, Palestina, chegando até a Índia.

- A estratégia de Ciro era se aliar aos povos dos territórios conquistados, ao invés de
simplesmente submetê-los.
- O período de maior crescimento do Império Persa, foi durante o reinado de Dario I, que
dividiu o império em satrapias, ou províncias, que tinham os sátrapas com a função de
cobrar impostos. Durante seu reinado, foram construídas diversas estradas, que ligavam
os principais centros urbanos do império (Susa, Pasárgada e Persépolis). Constituiu ainda,
um eficiente sistema de correios e implantou uma moeda chamada de dárico.

- Assim como em outros povos o regime de trabalho era o da servidão coletiva, ou seja,
a população era obrigada a prestar determinados serviços ao Estado de forma obrigatória.

- Com um grande e poderoso exército criado com fins expansionistas, o Império Persa
travou várias batalhas, entre elas contra a Grécia no século V a.C, ficando conhecidas
como Guerra Médicas.

- Os Persas incorporaram a cultura de outros povos, como a escrita cuneiforme


mesopotâmica.

- Sua religião era dualista, baseada na crença da existência de duas divindades opostas:
Ormuz-Mazda, deus do bem, da luz e do mundo espiritual; e Arimã, deus do mal e das
trevas. O imperador seria o representante do bem na terra, fato que demonstra a estreita
ligação entre religião e poder político.

EXERCÍCIOS

1 – Quais os povos dominados e conquistados pelo Império Persa?

2 – O que eram as satrapias e qual a função dos sátrapas?

3 – O que foram as Guerras Médicas?

4 – Como era a religião no Império Persa?