Você está na página 1de 22

A construção da pesquisa

Aula do dia 4 setembro 2017-MTD


Diogo de Moraes – palestra
Procurador de sentido
principais eixos de
uma pesquisa e a lógica que os
une
Algumas condutas que dificultam começar,
ou começar mal, uma pesquisa
(1) conhecer os eixos e as etapas que compõem um projeto de pesquisa; e
(2) compreender a importância do projeto para a realização da pesquisa científica.

Começar, começar mal ou o que fazer?

Segundo Quivy & Campenhoudt (1995, p.10),


linguagem clara e objetiva, mas que ao mesmo tempo
. seja científica,acadêmica

EX:

A escolha das obras para a análise repousa em dois critérios. O primeiro deles, perpassa os artefatos que
pertencem ao substrato cultural de sua época, e que permitem, a sua maneira, análises comparativas dentro
de um mesmo tema. O segundo e último critério empreende um percurso por obras cujas relações são
evidentes, ou seja, supõe-se que o artista se apropriou de elementos constitutivos de outras obras, que
sabemos ter conhecido. (CHRISTO, 2005, p.4)

Num texto científico, cada palavra, cada conceito tem peso, pois
representa um ponto de vista,
uma visão de mundo por parte do pesquisador
Os três grandes eixos da pesquisa
Ruptura
Construção
Constatação
A Questão inicial
Exercício de aplicação: formulação de uma
questão inicial

Fazendo o papel de fio condutor da pesquisa, a questão inicial deve ajudar a


progredir nas leituras e na coleta de dados exploratória. Quanto mais esse “guia” for
preciso, mais rapidamente o pesquisador avançará. Ou seja, é trabalhando e
(re)trabalhando sua questão inicial que o pesquisador conseguirá fazer a ruptura
com as ideias preconcebidas e com a ilusão da transparência. Enfim, existe ainda
uma última razão decisiva para efetuar cuidadosamente este exercício: as hipóteses
de trabalho, que constituem os eixos centrais de uma pesquisa, se apresentam
como propostas de respostas à questão inicial (QUIVY & CAMPENHOUDT, 1995, p.
38).
Exemplos de questão inicial:
A bruxaria e imaginação artística, após 1450.
A bruxa na gravura nórdica.

Literatura sobre mulheres: Michelle Perrot


(autora)
Sorcière volant sur une chèvre, Albrecht Dürer, 1501, gravure, British Museum
Les sorcières de Macbeth, J.M. Rysbrack, 1720-70, dessin, British
Museum
The Weird Sisters. : Henry Fuseli Print made by: John Raphael Smith, 1785 .
http://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=1524
345&partId=1
The Pit of Acheron or the Birth of the
Plagues in England,
Thomas Rowlandson, 1784, gravure et
aquarelle, British Museum
Satan, Sin and Death, James Barry, 1792-95, gravure,
British Museum
Le cercle magique, Edward Burne-Jones,
1882, gouache, Tate Britain
Referências dos slides:

www.diogodemoraes.net