Você está na página 1de 19

ECONOMIA

Prof. Ms, Paulo Henrique Maravieski Brambilla


paulo.brambilla@pucpr.br ; professor.brambilla@gmail.com
(43) 99149-5566
ECONOMIA

Problemas econômicos fundamentais

Necessidades Humanas: Ilimitadas / Infinitas.


Versus
Recursos Produtivos (Fatores de Produção)
(Recursos naturais, Mão de Obra, Capital)
Limitados e Finitos

Problema
Escassez: natureza limitada dos recursos da sociedade.
(restrição física dos recursos)
2
ECONOMIA

Problemas econômicos fundamentais


O QUE e QUANTO produzir ?
A sociedade deve produzir mais bens de consumo ou bens de
capital, e quanto ?

COMO produzir ?
Questão de eficiência produtiva. Capital ou mão-de-obra
intensiva.

PARA QUEM produzir ?


Como será a distribuição de renda gerada pela atividade
econômica. Quais os setores beneficiados.
3
ECONOMIA

Excesso de demanda (escassez de oferta)

Formam-se filas

Tendência ao aumento de preços Até o equilíbrio

Existirá concorrência entre consumidores para compra.


ECONOMIA

Excesso de oferta (escassez de demanda)

Formam-se estoques

Redução de preços Até o equilíbrio

Existirá concorrência entre empresas para vender os


bens aos escassos consumidores.
ECONOMIA

Agentes Econômicos

Famílias Empresas
É proprietária e faz a Oferta dos fatores de Demanda e transforma os fatores de
produção (mão-de-obra, terra, produção. (mão-de-obra, terra,
capital) capital)
ECONOMIA

Oferta de bens Mercado de Demanda de bens


e serviços Bens e Serviços e serviços

O que e quanto
produzir
Empresas Como Famílias
produzir
Demanda de Para quem
serviços dos produzir Oferta de
fatores de serviços dos
produção. Mercado de fatores de
(mão-de-obra, terra, produção
capital) Fatores de
Produção
ECONOMIA

Sistema Econômico
Economia de Mercado e Centralizada
Mercado Centralizada

Propriedade Privada X Propriedade Pública


Problemas econômicos fundamentais resolvidos

pelo mercado pelo orgão central

Maior eficiência alocativa Maior eficiência distributiva


ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção

Gráfico que mostra as várias combinações de produto


que a economia pode produzir potencialmente, dados
os fatores de produção e a tecnologia disponíveis.

É a fronteira máxima que a economia pode produzir,


dados os recursos produtivos limitados. Mostra as
alternativas de produção da sociedade, supondo os
recursos plenamente empregados.

9
ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção
Modelo: 2 bens utilizando em conjunto todos os Fatores de Produção
Quantidade
Produzida (bem y )

ymax
x=0

Quantidade
xmax Produzida (bem x)
y=0

A CPP mostra o tradeoff da sociedade, ou seja, a obtenção de alguma coisa, está


sujeita a abrir mão de outra. “Nada é de graça”!
Razão da Concavidade: lei dos custos de oportunidade crescentes, devido à
inflexibilidade dos custos de produção.
10
ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção

Lei dos custos de oportunidade crescentes:


Dadas como inalteradas as capacidades tecnológicas e de
produção de uma economia e estando o sistema a operar a níveis
de pleno emprego, a obtenção de quantidades adicionais de
determinada classe de produto implica necessariamente a redução
das quantidades de outra classe.

Em resposta a constantes reduções impostas à classe que estará


sendo sacrificada, serão obtidas quantidades adicionais cada vez
menos expressivas da classe cuja produção estará sendo
aumentada, devido à relativa e progressiva inflexibilidade dos
recursos de produção disponíveis e em uso.

11
ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção
Os pontos da CPP representam as possíveis combinações dos fatores de produção na
obtenção dos bens x e y.

A: capacidade ociosa (ineficiência). Neste Quantidade


ponto o custo de oportunidade é zero, Produzida (bem y )
pois não é necessário sacrifício de recursos ymax
produtivos para aumentar a produção de x=0
•B •D
um bem, ou mesmo, dois bens.

B e C: Não há como produzir mais, sem •C


reduzir a produção do outro. Combinações •A
de produto; (Nível de produto Eficiente
/Pleno Emprego). Quantidade
xmax Produzida (bem x)
D: Nível impossível de produção. Posição y=0
inalcançável no período imediato. Depende
de fatores como inovação tecnológica.
12
ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção
Os pontos da CPP representam as possíveis combinações dos fatores de produção na
obtenção dos bens x e y.
Quantidade
Produzida (bem y )
Deslocamentos positivos: decorrem da
expansão ou melhoria dos fatores de
produção disponíveis (Crescimento ymax
Econômico). Inovações tecnológicas: com x=0 •D
•B
a mesma quantidade de insumos obtém-se
maior quantidade de produtos
•C Deslocamentos

•A Positivos

Deslocamentos negativos: decorrem da


Deslocamentos
redução, sucateamento ou progressiva Negativos
desqualificação do fatores de produção
xmax Quantidade
disponíveis.
y=0 Produzida (bem x)

13
ECONOMIA
Curva (Fronteira) de Possibilidade de Produção:
Custo de Oportunidade / Custo alternativo / Custo implícito

É o grau de sacrifício que se faz ao optar pela produção de um bem, em termos da


produção alternativa sacrificada. O custo de alguma coisa é o que você desiste para
obtê-la.
Quantidade
Produzida (bem y )
Trade off
ymax
+ Produto x
B→C x=0
- Produto y 450 • B (150; 450 )
•D
250 • C ( 200; 250 )
Custo de Oportunidade •A

C → B  custo de oportunidade de
Quantidade
200 unidades de y é 50 de x.
150 200 xmax Produzida (bem x)
y=0

14
ECONOMIA

Aspecto Econômico
Aspecto Político Aspecto Social

Realidade
Aspecto Material do
Objeto

Aspecto Histórico Aspecto Demográfico


Aspecto Geográfico 15
ECONOMIA
Autonomia e Inter-relação: Economia e Direito

Leis Anti-truste: atuam sobre as estruturas de mercado,


assim como o comportamento das empresas.

Agências de Regulamentação: ditam as regras de atuação


em determinadas áreas (ex.: petróleo, telecomunicações,etc)

Constituição Federal: Determina a competência para


execução de política econômica. Estabelece os direitos e
deveres dos agentes econômicos.

16
ECONOMIA
Divisão do Estudo Econômico
Microeconomia: é o ramo da Teoria Econômica que estuda o
funcionamento do mercado de um determinado produto ou grupo de
produtos, ou seja, o comportamento dos compradores
(consumidores) e vendedores (produtores) de tais bens.

Estuda o comportamento de consumidores e produtores e o mercado


no qual interagem. Preocupa-se com a determinação dos preços e
quantidades em mercados específicos.

Ex.: Evolução dos preços internacionais do café brasileiro. O nível


de vendas no varejo, numa capital.

17
ECONOMIA
Divisão do Estudo Econômico

Macroeconomia: é o ramo da Teoria Econômica que


estuda o funcionamento como um todo, procurando
identificar e medir as variáveis (agregadas) que
determinam o volume da produção total (crescimento
econômico), o nível de emprego e o nível geral de preços
(Inflação) do sistema econômico, bem como a inserção
do mesmo na economia mundial.

18
ECONOMIA
Divisão do Estudo Econômico

Desenvolvimento Econômico: estuda modelos de


desenvolvimento que levem à elevação do padrão de vida
(bem estar) da coletividade. Questões estruturais, de longo
prazo (crescimento da renda per capita, distribuição de
renda, evolução tecnológica).
Economia Internacional: estuda as relações de troca
entre países (transações de bens e serviços e transações
monetárias). Trata-se da determinação da taxa de câmbio,
do comércio exterior e das relações financeiras
internacionais. 19