Você está na página 1de 3

Xamãs na Mesa do Café da Manhã

Escrito por Robert Moss


Traduzido por Lael Katharine Keen

Verdadeiros xamãs são sonhdores. Tipicamente, eles ou elas, sao chamados para sua vocação
pelos sonhos. Sonhos fortes, jornadas em sonhos lúcidos para ajudar almas perdidas a
encontrar o caminho, para diagnosticar e tratar doenças e para prever o futuro, são o âmago da
prática deles. Qualquer pessoa que sonha é, como dizem os Kawahiy—um povo indígeno
amazônico—“um pouco xamã”, e nós nos apropriamos do nosso poder xamânico, quando
lembramos dos nossos sonhos, quando trabalhamos com eles e jornamos, com intenção,
dentro do espaço dos sonhos.
Quando começamos a rastrear os nossos sonhos, precisamos desenvolver uma maneira de
compartilhá-los com os outros, uma maneira que empodera a todos e traz a energia e a mágica
do mundo dos sonhos para a vida cotidiana. Eu desenvolvi um método simples para
compartilhar os sonhos que é divertido e seguro e pode ser feito com quase qualquer pessoa
em quase qualquer momento, na mesa do cafe da manhã, no lugar do trabalho, ou mesmo na
fila do supermercado.
Eu chamo este método do “Processo Relâmpago de Trabalhar com os Sonhos”, porque é
rápido como um relâmpago e ajuda a explorar e canalizar a energia do sonho. O intúito deste
método não é de passar por cima de outros técnicas que poderiamos querer usar com os
sonhos. Alguns sonhos precisam que nós os cultivemos no decorrer de um longo tempo, ou que
continuemos alertos para a maneira que os eventos no mundo “acordado” acompanham o
sonho, e com o tempo, revelam o significado dele. Outros sonhos pedem uma jornada
consciente de volta, dentro do espaço do sonho, uma expressão criativa, um teâtro, ou uma
pesquisa de algum elemento revelado.
O que o Processo Relâmpago providencia é uma maneira de compartilhar os sonhos que pode
chegar num fechamento temporário dentro de 5-10 minutos, assim acabando com qualquer
desculpa que não temos tempo para isto. A abordagem também oferece guias claras que
asseguram que não invadimos um a privacidade do outro, e que nunca teremos a presunção de
dizer para uma outra pessoa qual é o significado do sonho dela. Os sonhos pertencem ao
sonhador, e mesmo se somos terapeutas habilidosos, ou psicosensitívos infalíveis, nunca é
permissível tirar o poder do outro, dizendo para ele o significado do sonho dele.
Uma vez que você internaliza os quatro passos do Processo Relâmpago, você estará pronto
para ser guia e embaixador dos sonhos, abrindo um espaço de poder, cura e aventura para os
outros.
Os 4 Passos
1) Pedir para o sonhador contar o sonho como se fosse uma história, tão simplesmente e
claramente quanto possível. Encorajar o sonhador a evitar qualquer tentativa de
interpretaçao, e de contar, em vez de ler o relatório do sonho. Desta maneira ajudamos
cada um a resgatar o seu poder de contador de história. Este, aquí, já é um treinamento
importante para a vida. Quando aprendemos a contar bem os nossos sonhos, estamos
prontos para contar qualquer história que possamos ter a compartilhar com os outros.

2) Fazer algumas poucas perguntas essenciais. A primeira pergunta para fazer sobre
qualquer sonho, é “o que você sentiu, imediatamente ao acordar do sonho?” Os
primeiros sentimentos e sensações são orientações instantâneas para saber se o sonho
foi negativo ou positivo, e se precisa ser lido literalmente, simbolicamente ou como uma
experiência numa realidade separada. Também, queremos fazer a “checagem da
realidade” perguntando o que o sonhador reconhece no sonho que tem a ver com o
resto da vida dele—incluindo os outros sonhos, já que os sonhos frequentemente vem
em séries. Precisamos perguntar se algo do sonho poderia manifestar de alguma
maneira, no futuro, já que os nossos sonhos sempre estão ensaiando o futuro para nós.

3) Agora podemos dizer para o sonhador “Se o sonho fosse meu, eu pensaria em........”
Oferecendo feedback conforme este protocolo podemos dizer quase qualquer coisa que
queremos, já que, ao dizer esta frase, estamos nos apropriando das nossas projeções,
assumindo que estamos falando da nossa experiência e nosso ponto de visto, assim não
nos colocando no lugar de ser um expert. Podemos estar muito distante do sentido que
o próprio sonhador tem do sonho dele, mas mesmo assim, esta prática é útil para ajudar
o sonhador a focar no significado que o sonho tem para ele.

4) Por último, ajudamos o sonhador a encontrar um plano de ação, um caminho para


honrar o sonho, aplicando a orientação recebida deste sonho, e apropriando-si da sua
energia. O plano de açao pode envolver muitas coisas, tais como, pesquisar uma frase
estranha que apareceu no sonho, comer, ou deixar de comer uma certa comida,
expressar criativamente um elemento do sonho, ou revisitar o sonho numa jornada
consciente para resolver um mistério, ir além de um medo, ou simplesmente aproveitar
mais a aventura.

Eu explico mais sobre o Processo Relâmpago de Trabalhar com o Sonho no meu livro The Three
Only Things. Este processo nos dá uma maneira de praticar o trabalho com os sonhos como
uma terapia ou um caminho espiritual cotidiano, que traz energia para qualquer dia e ajuda a
cultivar amizades profundas. Eu creio que seja uma ferramenta vital para o renascimento de
uma cultura sonhadora, no nosso mundo de hoje.