Você está na página 1de 2

Especialista revela 4 técnicas de memorização

Renato Alves, especialista em memória, mostra métodos para eliminar o branco


da memória na hora da prova

São Paulo - À primeira vista, a lista quilométrica de assuntos exigidos pelos


concursos públicos pode desesperar até o mais confiante dos candidatos. Afinal,
diante dela, sempre fica a sensação de que o tempo para estudo é insuficiente
e de que o "branco da memória" é inevitável.

Mas é possível gerenciar esses riscos. Para Renato Alves, um dos principais
especialistas em memorização do país, a receita é simples: basta uma boa dose
de organização e disposição para estudar da maneira correta.

Entre uma palestra e outra, Alves, que é recordista brasileiro de memorização,


revelou alguns segredos sobre como guardar todo conteúdo exigido pelo
concurso e como tornar sua rotina de estudos mais eficiente.

Quer mesmo eliminar o branco da memória da sua lista de pesadelos pré-exame


de concurso público? Então, confira as dicas nas próximas páginas

 2. 1. Organize-se

Sua meta é chegar no dia do concurso com todos os assuntos em mente? Então,
desde já, aprenda a calcular a equação exata entre os minutos disponíveis para
o estudo e o conteúdo exigido pela banca examinadora.

"O mais desanimador para um candidato é sentar na mesa e se perguntar: por


onde eu começo?", diz Renato Alves. Por isso, a dica, é planejar previamente.

Assim que o edital for publicado, liste as matérias e o material que você usará
para estudá-las. “Separe os assuntos entre aqueles que exigem estudo ou
revisão”, explica. Isso te ajudará a definir o tempo para dedicar a cada matéria.

Feito isso, divida o número de páginas pelos dias (e horas) disponíveis. Para
criar um planejamento mais realista, faça um teste de quanto tempo você leva
para estudar determinado assunto. E, não se esqueça do período reservado para
a revisão.
3. 2. Não basta ler

Agora, de nada vale organizar uma regrada agenda de estudos se você não sabe
como estudar, de fato. Estudo exige concentração, dedicação e tempo. Por isso,
não adianta passar os olhos pela apostila e achar que já sabe todos os
conceitos.

Uma boa técnica de estudo é o hábito de fazer fichamento de todo conteúdo. “A


estratégia é: para cada parágrafo que você ler, defina algumas palavras
chaves”, descreve. “Ao terminar a leitura, tente explicar para si mesmo a
essência do texto com base nessas palavras chaves”
Assim, de acordo com ele, na hora de fazer a revisão, você precisará apenas
recorrer às suas fichas de estudo. O resultado? Planejamento e rotina de estudos
mais eficiente.
4. 3. Repita

De acordo com Alves, a repetição também é um fiel aliado na hora de guardar


conceitos. Por isso, abuse da resolução de exercícios e simulados. Uma dica
para isso, no caso de questões que envolvem a memorização de uma fórmula,
é fazer um cálculo que utilize essa fórmula a cada cinco horas durante quatro
dias. “Você provoca uma estimulação nas redes neurais e, assim, constrói a
memória de longa duração”, diz. Mas ele alerta: a memorização efetiva só é
construída a partir de conhecimento. Por isso, de nada vale sair decorando
fórmulas ou macetes para resolver questões. É preciso, primeiro, compreender
a lógica por trás de cada ação.
5. 4. Invista em você

Por outro lado, segundo Alves, o branco da memória pode ser um sinal de que
algo não anda bem no organismo. Isso significa que é falsa a teoria de que para
passar em um concurso público é necessário sacrificar a própria vida.

Alves explica que antes de se aventurar por todas as matérias exigidas, o


candidato precisa se lembrar de cuidar da própria saúde. Dessa forma, a tríade
boa alimentação, excelente noite de sono e horas de lazer são imprescindíveis
para quem quer, de fato, memorizar todos os conceitos até o dia da prova.