Você está na página 1de 26

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – CAMPUS I


COLEGIADO DE LETRAS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ARMANDO JANUÁRIO DOS SANTOS


JORGE FERREIRA LIMA FILHO
RAFAEL DOS PRAZERES

SALVADOR
2008
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS – CAMPUS I
COLEGIADO DE LETRAS

RELATÓRIO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ARMANDO JANUÁRIO DOS SANTOS


JORGE FERREIRA LIMA FILHO
RAFAEL DOS PRAZERES

SALVADOR
2008
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO

As informações descritas no presente relatório visam descrever, passo a passo, as


atividades inerentes à disciplina Estágio IV, desenvolvidas no turno noturno, nos meses de
outubro a dezembro de 2008, no Colégio Estadual Roberto Santos, localizado à Rua Silveira
Martins, no bairro do Cabula, na cidade do Salvador, no estado da Bahia, Brasil. No referido
estágio, os três discentes com seus nomes outrora mencionados executaram, sob a supervisão
da professora responsável pela disciplina, o papel de docentes.
A instituição de ensino em questão encontra-se, de acordo com o endereço já
mencionado, em uma via principal de tráfego, o que facilita o acesso dos envolvidos no
processo educativo. Mesmo com algumas visíveis manifestações da depredação ao patrimônio
público, a exemplo de paredes pichadas, a mesma abriga salas em condições físicas aceitáveis
para o decorrer de uma aula. Notou-se, porém, que as condições de segurança representam um
obstáculo para a execução de todas as aulas. Com efeito, a entidade educativa está localizada
ao redor de dois pontos de tráfico de drogas, nos quais, quadrilhas rivais se enfrentam com
frequência, o que traz consequências para os moradores e também para professores, alunos e
funcionários. Por conta de tal estado de coisas, em algumas ocasiões os alunos são
dispensados antes do último horário de aulas, para não ter sua integridade física posta em
perigo. Isto resulta no cerceamento de determinados conteúdos aos discentes e também em
um sentimento de insegurança e apreensão, situação esta observada quando do estágio. Esta
constatação ficou cristalizada quando da aula 05, no dia 26 de novembro de 2008 (vide
apêndice). Ao entrarem na sala de aula, os estagiários ficaram sabendo pelos alunos que
houve um tiroteio entre policiais e traficantes nas imediações da escola e, por isso, os
referidos não poderiam ficar até o último horário, por temerem pela sua segurança.
Os conteúdos trabalhados no exercício da docência pelos estagiários foram
comparativos de igualdade, de superioridade com adjetivos monossilábicos, de inferioridade e
determinantes little e a little e few e a few. Para isso, foram utilizados recursos de áudio com
exposição de músicas, diálogos com repetições (drills) e análises contrastivas entre a língua
portuguesa e inglesa, bem como das respectivas culturas. Não foi adotado livro didático para a
exposição destes temas, uma vez que não havia compêndios suficientes para todos os alunos
e, além disso, a proposta dos estagiários foi abordar de forma inovadora, utilizando situações
da vida diária dos mesmos, fatos os quais, ora são retirados, ora são colocados de maneira
bastante formal, se distanciando da realidade dos discentes. Ademais, percebeu-se por parte
dos estagiários que, logo na primeira aula, os alunos reagiram com curiosidade e interesse
ante a abordagem linguística, o que sugeriu que a abordagem gramatical proposta pelo livro
não seria bem vinda.
DESENVOLVIMENTO

Levando em consideração as reflexões feitas por Mello (2005), os estagiários


ensinaram aos alunos a língua inglesa, tendo como base os conhecimentos prévios dos últimos
na língua portuguesa, por ser esta a língua materna, o que deu aos discentes, segurança para
desenvolver a habilidade comunicativa. De acordo com Mello (2005), esta prática harmoniza-
se com diversas teorias do ensino comunicativo da língua:

“Com freqüência, a aquisição/aprendizagem de L2 tem sido explicada com


base nas teorias de aquisição de L1; os conceitos de indivíduo e competência
bilíngüe são geralmente determinados com referência ao falante nativo
monolíngüe; a exposição intensa à L2 e a separação entre os repertórios
lingüísticos do bilíngüe/aprendiz são vistas como condição sine quanon para o
desenvolvimento da competência em L2, visto que a L1 é considerada como a
principal responsável pelas interferências lingüísticas e pelos processos de
fossilização.”

Com efeito, não poderia ser ensinada aos alunos uma língua estrangeira sem tomar
como ponto de partida a língua materna. Fazer isso poderia resultar num fracasso e em uma
experiência traumática para os discentes, os quais não teriam a aquisição do idioma e, além
disso, poderiam desenvolver uma aversão a língua inglesa.
Refletindo acerca do curso de Letras – Habilitação em Língua Inglesa oferecido pela
Universidade do Estado da Bahia (UNEB), pode-se dizer que este visa formar docentes para
os níveis Fundamental e Médio. A oralidade da língua neste curso é abordada de maneira
intensiva, haja vista as aulas serem ministradas em sua maior parte, na língua inglesa, ainda
que a disciplina em questão não esteja diretamente ligada ao foco comunicativo. Este é um
aspecto o qual diferencia a referida instituição de ensino superior, pois o aluno é movido a
exercitar de modo constante o segundo idioma e também a quebrar o paradigma do ensino
gramatical da língua, oferecendo a ele background para lecionar seja quando for docente em
escolas públicas, seja em instituições privadas. Por isso, ao se observar quando do estágio,
que o ensino desenvolvido no referido colégio era meramente gramatical, não se adequando a
demanda da atualidade, a qual espera estrangeiros falantes de uma segunda língua, no caso, a
inglesa, os estagiários concentraram seus esforços no ensino da língua como ferramenta frente
a esta necessidade criada, seja pelo mercado de trabalho, seja por circunstâncias particulares
de cada indivíduo.
Priorizou-se, então, dar aos alunos noções de todas as habilidades para a aquisição da
língua inglesa – listening (habilidade de ouvir), speaking (habilidade de falar), reading
(habilidade de ler), writing (habilidade de escrever) e culture (habilidade para compreender de
maneira ética a cultura envolvida na língua), tendo, contudo, como objetivo central, induzi-los
à prática oral da língua (speaking). Desta forma, os alunos foram submetidos a aulas onde o
foco era comunicativo, ou seja, “falar inglês”. Para isso, foram ministradas aulas com uso de
músicas, para estimular os alunos a ouvir, entender e repetir em língua inglesa o conteúdo
abordado (listening) e repetições orais (drills). Na aula 1, por exemplo, em 12 de novembro
de 2008 (vide apêndice), os estagiários praticaram com os alunos o uso dos quantificadores, a
few, few, little e a little, buscando a prática comunicativa.
Após analisar tais particularidades, os estagiários decidiram construir uma proposta de
ensino que possibilitasse ao aluno identificar o aprendizado com o contexto que o cerca. O
interesse dos docentes foi dar aos alunos condições de se expressar, de forma básica, na língua
inglesa, para que, ao conhecer um falante desta língua eles possam construir diálogos. Além
disso, percebeu-se que alguns alunos encontravam-se frustrados em aprender um idioma, o
qual eles não conseguiam falar e sim, escrever e/ou ler de forma reduzida. Não obstante, o
princípio básico deste estágio para os referidos estagiários, foi difundir para os alunos que a
língua inglesa não é tão difícil de ser aprendida. Seja qual for a razão, muitos discentes tinham
este estereótipo acerca do idioma e foi preciso, de maneira paciente, levá-los à concepção de
que, esta língua, em alguns aspectos, é simples de ser adquirida, desconstruindo, assim, o
ponto de vista da impossibilidade da comunicação na língua. Para demonstrar isso aos alunos
o uso de diálogos foi eficaz. Eles puderam perceber que a complexidade da língua inglesa é
palpável, inclusive indo além do texto escrito para executarem o diálogo, utilizando a sua
criatividade, o que tornou a aula mais atrativa e não uma mera repetição do material escrito.
CONCLUSÃO

Após a vivência do estágio, cada estagiário percebeu a necessidade de aprimorar sua


maneira de ministrar aulas, em especial frente à demanda atual da escola pública. Faz-se
necessária uma atenção especial a esta, uma vez que, a grande quantidade de alunos nas salas
de aula e as dificuldades de ordem social da maioria dos discentes inspiram um melhor
acompanhamento dos mesmos. É necessária uma reformulação no processo de ensino de
língua estrangeira na escola pública, repensando a abordagem gramatical por uma abordagem
comunicativa, ou mesmo que contemple uma abordagem instrumental da língua inglesa,
proporcionando ao aluno a habilidade de ler os mais diversos tipos de textos nesta língua.
Além disso, conhecer as expectativas de cada aluno sobre o aprendizado da língua é um passo
decisivo para que o mesmo tenha êxito em adquiri-la.
A dificuldade mais sentida durante o processo do estágio foi o pouco tempo para
desenvolver as atividades. A hora-aula no turno matutino e vespertino é de 50 (cinquenta)
minutos, enquanto que no noturno é de apenas 40 (quarenta). Essa diferença à primeira vista
parece mínima por ser de 10 (dez) minutos, entretanto, no exercício das atividades próprias do
ensino da língua inglesa, faz diferença. Seria necessária uma alteração no tempo de aula e
também mais aulas no decorrer da semana. Isso porque os estagiários pensam que não se pode
adquirir uma língua com apenas uma ou duas horas de exposição semanal e, tendo em vista
que os alunos podem não ter contato com a língua fora da sala de aula, proporcionar mais dias
na semana, com um período de aula maior poderia auxiliar na aquisição do idioma.
Entretanto, além do tempo de aula, o tempo de estágio também poderia ser maior. O
referido estágio ocorreu em apenas dois meses e os estagiários foram responsáveis pela
docência de apenas uma unidade dos alunos. Se os mesmos tivessem ao menos duas unidades,
isso aumentaria o tempo de contato com os discentes e seria mais um fator positivo para
conhecer melhor o perfil de cada um deles, construir melhor os planos de aula e, como
consequência, exercer a docência de maneira mais adequada, atendendo de modo mais
abrangente as necessidades dos mesmos.
BIBLIOGRAFIA

Examinando a relação L1-L2 na pedagogia de ensino de ESL. Heloisa Augusta Brito de


Mello. Universidade Federal de Goiás. Revista Brasileira de Lingüística Aplicada, v. 5, n. 1,
2005. Encontrado em: http://www.letras.ufmg.br/rbla/2005_1/08%20Heloisa%20Au.pdf.
Acesso em 25 jan 2009.
APÊNDICE

Lesson Plan 1 – November, 12th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem saber como utilizar as estruturas little e a
little, contrastando com few e a few.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor lembra os alunos da festa STs 05 min
speaking. de aniversário de surpresa que eles
desejam fazer para uma professora.

Ele pergunta o que eles levarão de


comida para esta festa e escreve no Board
quadro as palavras em inglês. Marker

Middles Praticar O professor explica o uso de little e a Sts 15 min


vocabulário. little contrastando com few e a few.
Praticar Board
speaking. Ele escreve no quadro frases com as Marker
comidas que os alunos lhe disseram e
repete com eles em voz alta.
Wrap Up Praticar o O professor distribui exercícios – fill in Sts 15 min
conteúdo the gaps – entre os alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Homework Consolidar o O professor pede aos alunos para Sts 05 min
conteúdo escrever uma sentença afirmativa Handout
abordado. contendo little e a little em casa.

O professor pede aos alunos para, na


aula seguinte trazer os exercícios para
que ele corrija e dê o feedback
necessário.

Auto-avaliação: o professor ministrou a aula de modo que os alunos se sentissem parte do


conteúdo abordado. Os últimos, por sua vez, se demonstraram bastante interessados e por um
motivo óbvio: a aula era a realidade deles, isto é, uma festa de aniversário para uma
professora estimada. Desta forma, o professor aprendeu que, um requisito fundamental para
uma aula eficaz é a inserção do cotidiano do aluno na preparação do material a ser abordado.
Observação: a aula 02 que seria dada em 13 de novembro de 2008 não aconteceu por
conta de uma reunião dos professores, e, por isso, passou para 19 de novembro de 2008.

Lesson Plan 2 – November, 19th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem ser capazes de utilizar o comparativo de
igualdade as, bem como a estrutura as + adjetivo + as.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor lembra os alunos acerca da STs 05 min
speaking. última eleição presidencial no Brasil.
Handouts
Ele pergunta aos alunos se eles acham o
presidente parecido com eles em Board
alguma coisa. Marker

Middles Praticar Ele escreve no quadro as prováveis Sts 20 min


vocabulário. palavras em inglês que os alunos
Praticar utilizem para descrever similaridades Board
speaking. entre eles e o presidente. Marker

O professor forma frases com essas


palavras.

O professor pede aos alunos para repetir


em voz alta as frases no quadro.

A seguir ele explica o uso do


comparativo de igualdade as e da
estrutura as + adjetivo + as.
Wrap Up Praticar o O professor distribui exercícios – fill in Sts 10 min
conteúdo the blanks – entre os alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Homework Consolidar o O professor pede aos alunos para Sts 05 min
conteúdo escrever uma sentença afirmativa com o
abordado. comparativo de igualdade as e a Handouts
estrutura as + adjetivo + as.

O professor pede aos alunos para, na


aula seguinte trazer os exercícios para
que ele corrija e dê o feedback
necessário.

Auto-avaliação: o professor percebeu que, nesta aula, os alunos se demonstraram dispersos e


com pouco interesse em alguns momentos. Apesar de a eleição presidencial ter feito parte da
realidade deles, percebeu-se que o tema política não é encarado como algo muito importante.
Analisando esta aula, entende-se que a aparente falta de interesse dos alunos deveu-se a uma
questão cultural que permeia a maior parte da opinião pública, ou seja, política não é um tema
interessante na opinião da maioria dos brasileiros. Por não ter levado este fator em
consideração, o professor acabou por perder em alguns instantes da aula, o controle e a
atenção da turma. Ficou para o docente o aprendizado de que cotidiano e contexto são coisas
distintas: se por um lado, a maioria dos alunos escolheu através do voto um representante
político e isto no dia da eleição fez parte da realidade deles, por outro lado, os discentes não
se sentem atraídos pela ideia de refletir na questão política e na última eleição. Ficou também
uma reflexão sobre como boa parte da população encara o voto: uma mera obrigação imposta
por lei.
Lesson Plan 3 – November, 26th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem ser capazes de utilizar os comparativos de
superioridade bem como a estrutura: adjetivo + er + verbo.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor pergunta aos alunos se eles STs 10 min
speaking. conhecem o nome do presidente dos
Estados Unidos. Board
Marker
A seguir ele escreve no quadro o nome
completo do presidente.

Ele pergunta aos alunos quais os


adjetivos que eles dariam ao presidente.

Ele escreve no quadro os adjetivos em


inglês.

Ele faz comparações entre os


presidentes dos EUA e do Brasil.
Middles Estabelecer O professor distribui handouts contendo Sts 10 min
comparações. comparações na estrutura
adjetivo+er+verbo. Handouts

A seguir ele explica o uso desta


estrutura.

Ele repete com os alunos em voz alta.


Wrap Up Praticar o O professor distribui exercícios entre os Sts 10 min
conteúdo alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Homework Consolidar o O professor pede aos alunos para Sts 10 min
conteúdo escrever uma sentença afirmativa com a
abordado. estrutura adjetivo + er + verbo. Handouts

O professor pede aos alunos para trazer


este exercício na próxima aula para
fazer as possíveis correções e dar os
feedbacks necessários.

Auto-avaliação: os alunos voltaram a demonstrar bastante interesse no conteúdo explanado.


O professor percebeu que ministrou esta aula com maior desenvoltura. Isso porque essa foi a
terceira aula, logo, a barreira da primeira aula, do primeiro contato e, consequentemente, do
desconhecimento total do nome dos alunos, das suas preferências e de todo o conjunto de
estereótipos do professor com relação aos alunos e vice-versa já havia sido deixado de lado,
ao menos de maneira superficial. Além disso, a ferramenta utilizada para levar aos alunos o
conhecimento da estrutura adjetivo + er + verbo, pode ser traduzida em uma única palavra:
esperança. Percebeu-se que a eleição de Barack Husseim Obama, o primeiro negro a ser
presidente nos Estados Unidos da América, representa na opinião dos discentes, e não só na
deles, um olhar otimista acerca do futuro mundial. Logo, refletindo-se na realidade social dos
alunos, bem como na precariedade da escola pública da qual eles fazem parte, entende-se a
razão da esperança externada por eles durante a aula. Os referidos acreditam em uma melhoria
das condições de suas vidas e também no aumento da qualidade de ensino. Além disso, eles
fizeram comparações entre o presidente já referido e o brasileiro. Depreendeu-se dessas
comparações um senso crítico sobre o último, no que tange à sua declaração de não gostar de
ler. Mediante tal afirmação, o professor fez alguns comentários, induzindo os alunos à
consciência da necessidade da leitura e do conhecimento. Os discentes parecem ter
compreendido essa mensagem e alguns deles comentaram a necessidade de estudar como um
fator preponderante para o crescimento social. Assim, ficou claro nesta aula que os alunos
aprenderam não só o uso da estrutura adjetivo + er + verbo, mas também, desenvolveram o
senso crítico e a consciência acerca da razão de estarem estudando.
Observação: a aula do dia 26 de novembro de 2008 não ocorreu devido a uma avaliação
dos alunos realizada pelo INEP. O plano desta aula segue abaixo.

Lesson Plan 4 – November, 20th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem ser capazes de utilizar verbalmente
(speaking) o comparativo de inferioridade less bem como a estrutura less + adjetivo + than.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor pergunta aos alunos se eles STs 10 min
speaking. têm o costume de comer verduras e
frutas.
Board
Ele pergunta aos alunos as frutas e Marker
verduras que eles mais gostam e escreve
no quadro em inglês.

Ele repete em voz alta as frutas em


inglês que escreveu no quadro com os
alunos.
Middles Praticar O professor usa comparativos de Sts 10 min
vocabulário. inferioridade entre as frutas e verduras
Praticar (mais caras, mais gostosas, maiores, Board
speaking. menores, etc.). Marker

Ele escreve frases no quadro com esses


comparativos de inferioridade.

A seguir ele explica o uso do


comparativo de inferioridade less e a
estrutura less + adjetivo + than.
Wrap Up Praticar o O professor distribui exercícios entre os Sts 10 min
conteúdo alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Homework Consolidar o O professor pede aos alunos para Sts 10 min
conteúdo escrever uma sentença afirmativa com a
abordado. estrutura less + adjetivo + than. Handouts

O professor pede aos alunos para repetir


as sentenças escritas por eles e faz
correção dos possíveis erros.

Auto-avaliação: por não ter ocorrido, esta aula não passará por uma auto-avaliação.
Observação: devido a um evento policial nas proximidades, os alunos alegaram não
poder assistir as aulas. Foram distribuídos handouts com comparativos de superioridade
conforme plano de aula que segue abaixo.

Lesson Plan 5 – November, 26th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem ser capazes de ter revisado e fixado o
conteúdo abordado na aula 1.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor distribui um handout STs 10 min
speaking. contendo a estrutura básica do Simple
Present com sentenças afirmativas + Handouts
little e a little.
Board
A seguir ele escreve frases no quadro Marker
contendo esta estrutura.

Presentation Praticar O professor pede aos alunos para repetir Sts 10 min
vocabulário. em voz alta as frases no quadro.
Praticar Board
speaking. A seguir ele explica o uso de little e a Marker
little no Simple Present.
Practice Praticar o O professor distribui exercícios entre os Sts 10 min
conteúdo alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Production Consolidar o O professor pede aos alunos para Sts 10 min
conteúdo escrever uma sentença afirmativa no Handout
abordado. Simple Present contendo little e a little.

O professor pede aos alunos para repetir


as sentenças escritas por eles e faz
correção dos possíveis erros.

Auto-avaliação: por não ter ocorrido, esta aula não passará por uma auto-avaliação.
Observação: esta aula não ocorreu porque os alunos estavam em semana de provas.

Lesson Plan 6 – November, 27th, 2008

Main Objective: ao fim da aula, os alunos devem ser capazes de ter revisado e fixado os
conteúdos abordados nas aulas 2, 3, e 4.

STAGE AIM PROCEDURE/ACTION AIDS TIM


Warm up Praticar O professor divide a sala em três STs 10 min
speaking. grupos.
Handouts
O professor distribui um handout
contendo explicações sobre Board
comparativos de igualdade, Marker
superioridade e inferioridade.

A seguir ele escreve frases no quadro


contendo estas estruturas.
Presentation Praticar O professor pede aos alunos para repetir Sts 10 min
vocabulário. em voz alta as frases no quadro.
Praticar Board
speaking. A seguir ele explica o uso de cada Marker
comparativo.
Practice Praticar o O professor distribui exercícios entre os Sts 10 min
conteúdo alunos.
abordado. Handouts
O professor explica como resolver os
exercícios.

O professor corrige os exercícios.


Production Consolidar o O professor pede a cada grupo que Sts 10 min
conteúdo escreva uma frase, com os comparativos Handout
abordado. de superioridade, igualdade e
inferioridade, respectivamente.

O professor pede aos alunos para repetir


as sentenças escritas por eles e faz
correção dos possíveis erros.

Auto-avaliação: por não ter ocorrido, esta aula não passará por uma auto-avaliação.
CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4
SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer

LESSON PLAN

DATE: December 3rd

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Capacitar os estudantes a fazer o uso correto das preposições de lugar na


Língua Inglesa.
STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm up O professor distribui em alguns pontos da sala
alguns objetos (lápis, borracha, caderno, etc.) Board
O professor pede aos alunos para dizer onde os Marker
objetos estão os objetos, em Português.

Part 1 O professor apresenta as preposições: IN, ON,


AT, UNDER, BEHIND. O professor apresenta, Board
também, o pronome interrogativo where. Marker
O professor escreve exemplos do uso das
preposições no quadro e ensina a pronuncia de
cada uma.
O professor fornece vocabulário complementar
aos estudantes.
Activity O professor distribui algumas atividades para
serem feitas. Handout
O professor explica como devem ser feitas cada
atividade.
Homewor O professor pede aos alunos para pesquisar
k sentenças com as preposições de lugar Notebook
aprendidas na aula.

CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4


SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer
LESSON PLAN

DATE: December 4th

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Consolidar o conhecimento adquirido sobre preposições de lugar.


STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm O professor distribui em alguns pontos da sala
up/Review alguns objetos (lápis, borracha, caderno, etc.) Board
O professor pede aos alunos para dizer onde os Marker
objetos estão os objetos, em Inglês

Part 1 O professor revisa o uso das preposições: IN,


ON, AT,UNDER, BEHIND.O professor revisa, Board
também, o uso do pronome interrogativo where. Marker
O professor pede aos alunos exemplos de
sentenças com as preposições.
O professor revisa a pronuncia de cada uma.
O professor revisa o vocabulário complementar
fornecido aos alunos.
Activity O professor distribui algumas atividades para
serem feitas. Handout
O professor explica como devem ser feitas cada
atividade.
Self - Os alunos devem responder um questionário
assessmen contendo todo o vocabulário aprendido na aula. Notebook
t
Homewor O professor corrige o deve de casa dos alunos
k

CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4


SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer

LESSON PLAN

DATE: December 10th

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Capacitar os estudantes a fazer uso correto dos pronomes Which/What/Who


STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm up O professor escreve algumas palavras no quadro
(casa, Joana, ontem, etc.). Board
O professor pede aos alunos para criar Marker
perguntas baseadas nos nomes que estão no
quadro com os pronomes interrogativos da
Língua portuguesa.

Part 1 O professor apresenta os pronomes


interrogativos: what, which e Who. Board
O professor explica o uso de cada um através de Marker
exemplos escritos no quadro.
O professor fornece vocabulário complementar
para os alunos.
Activity O professor utiliza jogo da memória contendo
os pronomes, what, which e Who. Handout
O professor divide a sala em dois grupos cada Cards
um possuindo um jogo da memória.
O professor distribui outra atividade para ser
feita após o jogo da memória.
O professor corrige a segunda atividade.
Homewor O professor distribui outra atividade para ser
k respondida em casa. Handout

CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4


SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer

LESSON PLAN

DATE: December 11th

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Consolidar o conhecimento adquirido sobre os pronomes interrogativos.


STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm up O professor escreve algumas palavras no quadro
(casa, Joana, ontem, etc.). Board
O professor pede aos alunos para criar perguntas Marker
baseadas nos nomes que estão no quadro com os
pronomes interrogativos na Língua Inglesa.
Part 1 O professor revisa os pronomes interrogativos:
what, which e Who. Board
O professor revisa o uso de cada um através de Marker
exemplos escritos no quadro.
O professor revisa vocabulário complementar
para os alunos.
Activity O professor utiliza um jogo de baralho contendo
os três pronomes ensinados, what, which e Handout
Who. Cards
O professor divide a sala em dois grupos cada
um possuindo um jogo da memória.
O professor distribui outra atividade para ser
feita após o jogo da memória.
O professor corrige a segunda atividade.
Self - Os alunos devem responder um questionário
assessment contendo todo o vocabulário aprendido na aula Handout
Homewor O professor corrige o dever de casa.
k

CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4


SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer

LESSON PLAN

DATE: December 17th

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Capacitar o estudante a escrever e usart corretamente os pronomes


interrogativos.
STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm up O professor afixa no quadro algumas figuras
(lápis, região de um país e outras) professor pede Board
aos alunos para criar perguntas baseadas nos Marker
nomes que estão no quadro com os pronomes
interrogativos na Língua Portuguesa.

Part 1 O professor apresenta os pronomes


interrogativos: Where/whose/when/how. Board
O professor explica o uso de cada um através de Marker
exemplos escritos no quadro.
O professor fornece vocabulário complementar.
O professor ensina e corrige a pronuncia dos
pronomes.
Activity O professor utiliza um jogo de dominó de papel
contendo osquatro pronomes ensinados: Handout
Where/whose/when/how Domino
O professor divide a sala em dois grupos cada
um possuindo um jogo da memória.
O professor distribui outra atividade para ser
feita após o jogo de dominó.
O professor corrige a segunda atividade.
Homewor O professor distribui atividade para ser feita em Handout
k casa.

CURSO: LETRAS Estágio Supervisionado em Língua Inglesa 4


SEMESTRE: 2008.2
PROFESSOR(A): Janaina Weissheimer

LESSON PLAN

DATE: December 18th

TIME: 40 min

OBJECTIVE: Consolidar o conhecimento adquirido sobre pronomes.


STAGE PROCEDURE MATERIAL AND
EQUIPMENT
Warm O professor divide a turma em dois grupos e
up/Review distribui um quiz com perguntas envolvendo Board
todos os pronomes aprendidos: Marker
what,/which,/Who/
where,/whose/ when/ how.
Os alunos respondem o quiz o grupo com maior
acerto recebe um prêmio.

Part 1 O professor revisa o uso de cada pronome


interrogativo ensinado durante o curso. Board
O professor revisa e corrige a pronuncia de cada Marker
pronome.
O professor escreve no quadro exemplos
envolvendo cada pronome.
Activity O professor faz jogo da memória envolvendo
todos os pronomes ensinados durante as aulas. Handout
O professor explica como devem ser feita. Memory game
O professor distribui outra atividade após o jogo
da memória e corrige a segunda atividade.
Self - Os alunos devem responder um questionário
assessmen contendo todo o vocabulário dyurante todas as Notebook
t aulas.
Homewor O professor corrige o deve de casa dos alunos.
k
Countable and Uncountable Nouns

(Substantivos Contáveis e Incontáveis)

Quando queremos dar a ideia de quantidade em inglês, usamos substantivos contáveis


e incontáveis. No uso dessas estruturas, temos alguns comparativos como a little e a few, bem
como little e few.

A Little e A Few x Little e Few

Os comparativos a little e a few são utilizados para dar a noção de quantidade. Se o


substantivo está no singular, usamos a little. Se o substantivo estiver no plural, usamos a few.
Veja os exemplos abaixo:

Ex.: On Isabela’s birthday I want to drink a little soda.


No aniversário de Isabela eu quero beber um pouco de refrigerante.

Ex.: A few friends will be on Isabela’s birthday.


Alguns amigos estarão no aniversário de Isabela.

Os comparativos little e few também dão a noção de quantidade. Quando os utilizamos


não estamos medindo a quantidade daquilo que nos referimos. Veja os exemplos abaixo:

Ex.: On Isabela’s birthday I want to drink little soda.


No aniversário de Isabela eu quero beber refrigerante.

Observe que não estamos definindo a quantidade exata de refrigerante que


queremos beber.

Ex.: Few friends will be on Isabela’s birthday.


Amigos estarão no aniversário de Isabela.
Observe que não estamos dizendo quantos amigos vão para o aniversário de
Isabela.

EXERCÍCIOS

1. Complete a frase com a little ou a few:

a) _____________ popcorn

b) _____________ cake

c) _____________ soda

2. Complete a frase com a little ou a few:

a) There will _____________ cake on Isabela’s birthday.

b) We will drink _____________ soda on party.

c) _____________ people will be on Isabela’s birthday.


Grau dos Adjetivos

Comparativo

Igualdade

Afirmativo: as + adjetivo + as (tão+adjetivo+quanto)

Ex.: Lula’s as intelligent as we are. (Lula é tão inteligente quanto nós somos)

Negativo: not as+adjetivo+as


ou

Negativo: not so+adjetivo+as (não tão+adjetivo+quanto).

Ex.: Lula’s not so studious as we are. (Lula não é tão estudioso quanto nós somos).
Grau dos Adjetivos

Inferioridade

Quando usamos adjetivos de inferioridade ,a estrutura básica é: less+adjetivo+than


(menos+adjetivo+que).
Abaixo seguem alguns exemplos:
Afirmativa: strawberries are less delicious than bananas (morangos são menos
deliciosos que bananas).
Negativa: tomtoes are not less expensive than pumpkins (tomates não são menos
caros qeu abóboras).

EXERCÍCIO:

1. Preencha as lacunas abaixo:

a) Bananas are _____________________ (expensive) papaya.


b) Pumpkins are _____________________ (delicious) lemons.
c) Garlic is _____________________(tasty) onions.
d) Carrots are _____________________ (cheap) strawberries.