Você está na página 1de 20

Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

PROVA DE MATEMÁTICA – ACADEMIA DA FORÇA AÉREA (AFA) – 2016/2017


(ENUNCIADOS)

1) A função real f definida por f  x   a  3x  b, sendo a e b constantes reais, está graficamente


representada abaixo.

Pode-se afirmar que o produto  a  b  pertence ao intervalo real


a)  4, 1 b)  1, 2 c)  2, 5 d) 5,8

2) O polinômio P  x   x3  mx 2  nx  12 é tal que P  x   0 admite as raízes x1 , x 2 e x 3 . Se


x1  x 2  3 e x 2  x 3  5, então é correto afirmar que
a) P  m   0 b) m  n  13 c) m  n  20 d) n  2m  7

3) Considere, no triângulo ABC abaixo, os pontos P  AB, Q  BC, R  AC e os segmentos PQ e


QR paralelos, respectivamente, a AC e AB. Sabendo que BQ  3 cm, QC  1 cm e que a área do
triângulo ABC é 8 cm 2 , então a área do paralelogramo hachurado, em cm 2 , é igual a

a) 2 b) 3 c) 4 d) 5

4) Num auditório da Academia da Força Aérea estão presentes 20 alunos do Curso de Formação de
Oficiais Aviadores dos quais apenas 10 usam agasalho. Estão presentes, também, 25 alunos do Curso
de Formação de Oficiais Intendentes dos quais apenas 15 usam agasalho. Um dos alunos presentes é
escolhido ao acaso.

madematica.blogspot.com
Página 1 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

2
É correto afirmar que é igual a , a probabilidade de que o aluno escolhido
9
a) seja do Curso de Formação de Oficiais Intendentes ou use agasalho.
b) use agasalho, sabendo que é do Curso de Formação de Oficiais Intendentes.
c) seja do Curso de Formação de Oficiais Aviadores que não use agasalho.
d) não use agasalho, sabendo que é do Curso de Formação de Oficiais Aviadores.

5) No gráfico abaixo estão representadas as funções f :  e g:  .

Sobre estas funções é correto afirmar que


gx
a)  0 x  tal que 0  x  d
f x
b) f  x   g  x  apenas para 0  x  d
f  a   g  f  a 
c) 1
g c  f d 
d) f  x   g  x   0 x  tal que x  b ou x  c

 1 cos x sen x 
 
6) Seja a matriz A   cos x 1 0  . Considere a função f :  definida por
 sen x 
 2 1 
1
f  x   det A. Sobre a função g :  definida por g  x   1   f  x  , em que f  x  é o módulo
2
 
de f x , é correto afirmar que
 1 
a) possui período . b) seu conjunto imagem é   , 0  .
 2 
  
c) é par. d) é crescente no intervalo   ,  .
 4 4

x  y x  y x  y x  y
      1
7) A solução do sistema  2 6 18 54 é tal que x  y é igual a

3x  y  2
11 10 7 8
a) b) c)  d) 
3 3 3 3

madematica.blogspot.com
Página 2 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

8) Resolva a equação z3  1  0 no conjunto dos números complexos. Considerando as raízes


encontradas, analise as proposições abaixo e classifique-as em V (VERDADEIRA) ou F (FALSA).
( ) A equação possui três raízes de multiplicidade 1.
3 3
( ) Os afixos das raízes formam um triângulo equilátero cuja área é unidades de área.
2
( ) Duas das raízes são conjugadas.
( ) Todas as raízes têm o mesmo módulo.
A sequência correta é
a) V – F – V – V b) V – V – F – V c) F – F – V – F d) V – F – V – F

9) Seja  : 3x 2  3y2  6x 12y  k  0, uma circunferência que no plano cartesiano tem interseção
vazia com os eixos coordenados. Considerando k  , é correto afirmar que
k k
a) P  ,  é interior a .
3 3
b) existem apenas dois valores inteiros para k.
c) a reta r : x  k intersecta .
d) se c é o comprimento de , então c  2 unidades de comprimento.

10) No plano cartesiano abaixo estão representados o gráfico da função real f definida por
f  x   x 2  x  2 e o polígono ABCDE.

Considere que:
• o ponto C é vértice da função f;
• os pontos B e D possuem ordenadas iguais; e
• as abscissas dos pontos A e E são raízes da função f.
Pode-se afirmar que a área do polígono ABCDE, em unidades de área, é
1 1 1 1
a) 8 b) 4 c) 4 d) 8
16 8 4 2

11) Considere A, B, C e X matrizes quadradas de ordem n e inversíveis. Assinale a alternativa


FALSA.
1
a)  A 1 
1
A b)  ABC   C1B1A1
d) det  2AB1   2n
det A
c) A  X  C  B  X  A1C1B
det B

madematica.blogspot.com
Página 3 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

12) Sejam os números reais


 12  0,1222
a
1, 2 1
b = comprimento de uma circunferência de raio 1
c  12  90  160  147
Sendo , , e os conjuntos numéricos, assinale a alternativa FALSA.
a) a, c  b)     b, c c) c    d) a, c    

13) Um baralho é composto por 52 cartas divididas em 4 naipes distintos (copas, paus, ouros e
espadas). Cada naipe é constituído por 13 cartas, das quais 9 são numeradas de 2 a 10, e as outras 4
são 1 valete (J), 1 dama (Q), 1 rei (K) e 1 ás (A). Ao serem retiradas desse baralho duas cartas, uma a
uma e sem reposição, a quantidade de sequências que se pode obter em que a primeira carta seja de
ouros e a segunda não seja um ás é igual a
a) 612 b) 613 c) 614 d) 615

14) Durante 16 horas, desde a abertura de uma certa confeitaria, observou-se que a quantidade q  t 
de unidades vendidas do doce “amor em pedaço”, entre os instantes  t 1 e t, é dada pela lei
q  t   t  8  t  14 , em que t representa o tempo, em horas, e t  1, 2,3, ,16. É correto afirmar
que
a) entre todos os instantes foi vendida, pelo menos, uma unidade de “amor em pedaço”.
b) a menor quantidade vendida em qualquer instante corresponde a 6 unidades.
c) em nenhum momento vendem-se exatamente 2 unidades.
d) o máximo de unidades vendidas entre todos os instantes foi 10.

15) Se uma pirâmide hexagonal regular está inscrita num cone equilátero cujo volume é igual a
10 3
 cm 3 , então o volume dessa pirâmide, em cm3 , é igual a
7
45 15 3 30 3 135
a) b) c) d)
7 7 7 7

16) As notas de oito alunos numa prova de matemática foram escritas pelo professor numa tabela
como a que segue:

Aluno A B C D E F G H
Nota 6,5 10 8 9,4 8 6,4 x 7,4

Sabe-se que a média aritmética dessas notas é 8,2. Considerando as notas dos oito alunos, é correto
afirmar que a nota do aluno G é
a) igual à moda. b) inferior a 9,8.
c) superior à mediana. d) inferior à média aritmética das outras sete notas.

madematica.blogspot.com
Página 4 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

RESPOSTAS E CLASSIFICAÇÃO DAS QUESTÕES

1) a (Função exponencial)
2) d (Polinômios)
3) b (Geometria plana – áreas)
4) c (Probabilidade)
5) d (Função)
6) c (Trigonometria)
7) b (Progressões)
8) a (Números complexos)
9) b (Geometria analítica – circunferência)
10) b (Função quadrática)
11) c (Matrizes e determinantes)
12) b (Conjuntos numéricos)
13) a (Análise combinatória)
14) d (Função modular)
15) a (Geometria espacial – cone e pirâmide)
16) c (Estatística)

madematica.blogspot.com
Página 5 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

PROVA DE MATEMÁTICA – ACADEMIA DA FORÇA AÉREA (AFA) – 2016/2017


(ENUNCIADOS E RESOLUÇÕES)

1) A função real f definida por f  x   a  3x  b, sendo a e b constantes reais, está graficamente


representada abaixo.

Pode-se afirmar que o produto  a  b  pertence ao intervalo real


a)  4, 1 b)  1, 2 c)  2, 5 d) 5,8

RESOLUÇÃO: a
Considerando que os pontos  0, 1 e  2,8  estão no gráfico de f, então
f  0   1  f  0   a  30  b  1  a  b  1
f  2  8  f  2   a  32  b  8  9a  b  8
Assim, devemos resolver o sistema
a  b  1

9a  b  8
9
  9a  b    a  b   8   1  8a  9  a 
8
9 17
b  1  a  1   
8 8
Vamos agora calcular o produto  a  b  :
9  17  153
a  b         4, 1
8  8 8

2) O polinômio P  x   x3  mx 2  nx  12 é tal que P  x   0 admite as raízes x1 , x 2 e x 3 . Se


x1  x 2  3 e x 2  x 3  5, então é correto afirmar que
a) P  m   0 b) m  n  13 c) m  n  20 d) n  2m  7

RESOLUÇÃO: d

madematica.blogspot.com
Página 6 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Considerando as relações de Girard no polinômio P  x   x3  mx 2  nx  12 de raízes x1 , x 2 e x 3 ,


temos:
m
1  x1  x 2  x 3     m
1
n
2  x1x 2  x1x 3  x 2 x 3   n
1
12
3  x1  x 2  x 3    12
1
Usando as informações acima e os dados do enunciado x1  x 2  3 e x 2  x 3  5, temos:
x1  x 2  x3  12   3  x3  12  x3  4
x 2  x3  5  x 2  4  5  x 2  1
x1  x 2  3  x1 1  3  x1  3
Vamos agora calcular os valores de m e n.
1  x1  x 2  x3   3  1  4  2  m  m  2
2  x1x 2  x1x3  x 2 x3   3 1   3  4  1 4  11  n  n  11
Portanto, n  2m  11  2   2   7.

3) Considere, no triângulo ABC abaixo, os pontos P  AB, Q  BC, R  AC e os segmentos PQ e


QR paralelos, respectivamente, a AC e AB. Sabendo que BQ  3 cm, QC  1 cm e que a área do
triângulo ABC é 8 cm 2 , então a área do paralelogramo hachurado, em cm 2 , é igual a

a) 2 b) 3 c) 4 d) 5

RESOLUÇÃO: b

madematica.blogspot.com
Página 7 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Como os segmentos PQ e QR paralelos, respectivamente, a AC e AB, então os triângulos ABC,


PBQ e RQC são semelhantes.
Sabendo que, no caso de figuras semelhantes, a razão entre as áreas é igual ao quadrado da razão de
semelhança. Assim, podemos escrever:
SPBQ SRQC SABC SPBQ SRQC 8 9 1
2
 2
 2
 2  2  2  SPBQ   SRQC 
BQ QC BC 3 1 4 2 2
A área do paralelogramo APQR é igual à área do triângulo ABC menos a área dos triângulos PBQ e
RQC.
9 1
SAPQR  SABC  SPBQ  SRQC  8    3 cm 2
2 2

4) Num auditório da Academia da Força Aérea estão presentes 20 alunos do Curso de Formação de
Oficiais Aviadores dos quais apenas 10 usam agasalho. Estão presentes, também, 25 alunos do Curso
de Formação de Oficiais Intendentes dos quais apenas 15 usam agasalho. Um dos alunos presentes é
escolhido ao acaso.
2
É correto afirmar que é igual a a probabilidade de que o aluno escolhido
9
a) seja do Curso de Formação de Oficiais Intendentes ou use agasalho.
b) use agasalho, sabendo que é do Curso de Formação de Oficiais Intendentes.
c) seja do Curso de Formação de Oficiais Aviadores que não use agasalho.
d) não use agasalho, sabendo que é do Curso de Formação de Oficiais Aviadores.

RESOLUÇÃO: c
Seja A o conjunto alunos do curso de Oficiais Aviadores, B o conjunto dos alunos do curso de
Oficiais Intendentes e C o conjunto dos alunos que usam agasalho.
Assim, temos:
#  A   20 ; #  A  C  10 ; #  A  C   10
#  B   25 ; #  B  C  15 ; #  B  C   10
O número de elementos do espaço amostral é #     20  25  45 .
#  A  C  20  15 35 7
a) P  A  C     
#  45 45 9
P  C  B  #  C  B  15 3
b) P  C / B     
P  B #B 25 5
#  A  C  10 2
c) P  A  C    
#  45 9
P  C  A  #  C  A  10 1
d) P  C / A     
P A #A 20 2

5) No gráfico abaixo estão representadas as funções f :  e g:  .

madematica.blogspot.com
Página 8 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Sobre estas funções é correto afirmar que


gx
a)  0 x  tal que 0  x  d
f x
b) f  x   g  x  apenas para 0  x  d
f  a   g  f  a 
c) 1
g c  f d 
d) f  x   g  x   0 x  tal que x  b ou x  c

RESOLUÇÃO: d
Analisando os gráficos das funções f e g, e tendo em mente que os pontos de ordenada positiva são
aqueles que estão acima do eixo Ox, os pontos em que o gráfico intersecta o eixo Ox correspondem
às raízes e os pontos de ordenada negativa estão abaixo do eixo Ox, temos:
f  x   0  x  a,  g  x   0  x  a, b  c, 
f x  0  x  a g  x   0  x  a, b, c
f  x   0  ,a g  x   0  x  ,a  b,c
Com base nas observações acima, vamos analisar as alternativas:
a) FALSA
gx
Para termos  0 , g  x  deve ser nulo (com f  x  não nulo), ou g  x  e f  x  devem ter sinais
f x
contrários. Isso ocorre apenas no intervalo  b, c  .
b) FALSA
Para termos f  x   g  x  , a ordenada de f deve ser maior que a ordenada de g em uma dada abscissa.
Isso ocorre para x  ,a  0,d .
c) FALSA
f a   0 
 f a   g f a  0  f 0 f 0
g  f  a    g  0   f  0     1
 g c  f d  0  f d  f d 
g c  0 
Note que f é uma função do primeiro grau crescente e que f  0  , f  d   0 , então
f 0
f d   f 0   1.
f d
d) VERDADEIRA
Para termos f  x   g  x   0 , devemos ter f  x  ou g  x  nulos, ou ambas as funções devem ter o
mesmo sinal. Isso ocorre quando x  b ou x  c.

madematica.blogspot.com
Página 9 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

 1 cos x sen x 
 
6) Seja a matriz A   cos x 1 0  . Considere a função f :  definida por
 sen x 
 2 1 
1
f  x   det A. Sobre a função g :  definida por g  x   1   f  x  , em que f  x  é o módulo
2
de f  x  , é correto afirmar que
 1 
a) possui período . b) seu conjunto imagem é   , 0  .
 2 
  
c) é par. d) é crescente no intervalo   ,  .
 4 4

RESOLUÇÃO:
1 cos x sen x
f  x   det A  cos x 1 0  1  2sen x  cos x  sen 2 x  cos 2 x  sen 2x
sen x 2 1
a) INCORRETO
2 1
O período de f  x   sen 2x é  . O período de g  x   1   f  x  é o mesmo período de
2 2

f  x  , que é metade do período de f  x  , ou seja, .
2
b) INCORRETO
O conjunto imagem de f  x   sen 2x é Imf   1,1. O conjunto imagem de f  x  é  0,1 . O
1    1  1
conjunto imagem de  f x é   , 0  . Finalmente , o conjunto imagem de g  x   1   f  x  é
2  2  2
 1  1 
Img  1  ,1  0    ,1 .
 2  2 
c) CORRETO
A função g é par se, e somente se, g   x   g  x  , para todo x do domínio de g.
1 1 1 1
g   x   1  f   x   1  sen  2x   1   sen 2x  1  sen 2x  g  x 
2 2 2 2
Logo, g é par.
d) INCORRETO
A melhor maneira de identificar se g é crescente nesse intervalo é esboçar o seu gráfico.
    
Analisando o gráfico, conclui-se que g é crescente em   , 0  e decrescente em  0,  .
 4   4

madematica.blogspot.com
Página 10 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

x  y x  y x  y x  y
      1
7) A solução do sistema  2 6 18 54 é tal que x  y é igual a

3x  y  2
11 10 7 8
a) b) c)  d) 
3 3 3 3

RESOLUÇÃO: b
xy xy xy xy xy  1 1 1 
     1     1       1 *
2 6 18 54  2   3 9 18 
A soma entre parêntesis corresponde à soma dos termos de uma progressão geométrica infinita de
1
primeiro termo a1  1 e razão q   . Logo, a soma entre parêntesis é igual à
3
a1 1 3
S   .
1 q  1 4
1   
 3
*   x  y    3   1  3x  3y  8
 2  4
O sistema do enunciado é equivalente ao seguinte sistema:
3x  3y  8

3x  y  2
3x  3y  3x  y   8   2  2y  6  y  3
1
3x  y  2  3x  3  2  x 
3

madematica.blogspot.com
Página 11 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

1 10
Logo, x  y   3  .
3 3

8) Resolva a equação z3  1  0 no conjunto dos números complexos. Considerando as raízes


encontradas, analise as proposições abaixo e classifique-as em V (VERDADEIRA) ou F (FALSA).
( ) A equação possui três raízes de multiplicidade 1.
3 3
( ) Os afixos das raízes formam um triângulo equilátero cuja área é unidades de área.
2
( ) Duas das raízes são conjugadas.
( ) Todas as raízes têm o mesmo módulo.
A sequência correta é
a) V – F – V – V b) V – V – F – V c) F – F – V – F d) V – F – V – F

RESOLUÇÃO: a
Vamos aplicar a 2ª fórmula de De Moivre para resolver a equação z3 1  0  z3  1.
2k 2k
z3  1cis0  z  3 1cis , k  0,1, 2  z  1cis , k  0,1, 2
3 3
Calculando as raízes para cada um dos valores de k, temos:
k  0  z1  cis0  1
2 1 2 1 3
k  1  z 2  cis  cis   i
3 3 2 2
2  2 4 1 3
k  2  z3  cis  cis   i
3 3 2 2
Vamos agora analisar as quatro proposições:
(V) A equação possui três raízes de multiplicidade 1.
A equação possui três raízes distintas cada uma com multiplicidade 1.
3 3
(F) Os afixos das raízes formam um triângulo equilátero cuja área é unidades de área.
2
As três raízes estão sobre um círculo de raio 1 e centro na origem e seus argumentos são 0, 120 e
240. Logo, elas formam um triângulo equilátero cujo raio do círculo circunscrito é R  1. Em um
2
triângulo equilátero de lado L, o raio do círculo circunscrito é da altura h. Assim, temos:
3
L2 3  3 
2
2 2 L 3 3 3 3
R  h    1  L  3. Logo, a área do triângulo é S    .
3 3 2 4 4 4
Veja a seguir a representação das três raízes no plano de Argand-Gauss.

madematica.blogspot.com
Página 12 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

(V) Duas das raízes são conjugadas.


2 1 3 4 1 3
As raízes z 2  cis   i e z3  cis   i são complexos conjugados.
3 2 2 3 2 2
(V) Todas as raízes têm o mesmo módulo.
As três raízes têm módulo1.

9) Seja  : 3x 2  3y2  6x 12y  k  0, uma circunferência que no plano cartesiano tem interseção
vazia com os eixos coordenados. Considerando k  , é correto afirmar que
k k
a) P  ,  é interior a .
3 3
b) existem apenas dois valores inteiros para k.
c) a reta r : x  k intersecta .
d) se c é o comprimento de , então c  2 unidades de comprimento.

RESOLUÇÃO: b
Vamos identificar o centro e o raio da circunferência completando quadrados perfeitos em x e y.
k
 : 3x 2  3y 2  6x  12y  k  0  x 2  y 2  2x  4y   0
3
k k
 x 2  2x  1  y 2  4y  4  1  4    x  1   y  2   5 
2 2
3 3
k
A última equação acima corresponde a uma circunferência de centro 1, 2  e raio R  5  .
3

madematica.blogspot.com
Página 13 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

k k
Para que essa circunferência esteja bem definida, devemos ter 5   0   5  k  15.
3 3
Para que a circunferência não intersecte os eixos coordenados devemos ter
k k k
R  5   1  5   1   4  k  12.
3 3 3
Portanto, o valor de k deve satisfazer 12  k  15.
Vamos agora analisar as opções.
a) INCORRETA
k
12  k  15  4   5
3
Como o centro da circunferência é 1, 2  e o raio menor do que 1, não há nenhum ponto interior à
k k
circunferência com abscissa maior do que 1  1  2, então P  ,  não é interior a .
3 3
b) CORRETA
Como 12  k  15, então os únicos valores inteiros de k são 13 e 14.
c) INCORRETA
A reta r : x  k é uma reta vertical que passa pelo ponto de abscissa k e 12  k  15. Já vimos em a)
que a circunferência não possui ponto de abscissa superior a 2.
d) INCORRETA
Como o raio da circunferência é menor do que 1, ou seja, R  1, então seu comprimento c é tal que
c  2R  21  2.

10) No plano cartesiano abaixo estão representados o gráfico da função real f definida por
f  x   x 2  x  2 e o polígono ABCDE.

madematica.blogspot.com
Página 14 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Considere que:
• o ponto C é vértice da função f;
• os pontos B e D possuem ordenadas iguais; e
• as abscissas dos pontos A e E são raízes da função f.
Pode-se afirmar que a área do polígono ABCDE, em unidades de área, é
1 1 1 1
a) 8 b) 4 c) 4 d) 8
16 8 4 2

RESOLUÇÃO: b

As raízes de f  x   x 2  x  2 são x A  2 e x E  1.
A ordenada do ponto D é o valor da função no ponto de abscissa 0. Assim,
yD  f  0   02  0  2  2.
  1 1
As coordenadas de C, vértice de f, são xC   e

2  1 2
2
 1  1  1
yC  f              2  2, 25.
 2  2  2
Como os pontos B e D possuem a mesma ordenada, então são equidistantes do vértice. Assim,
temos:
 1
x C  x B  x D  x C  x B  2x C  x D  2      0  1.
 2

madematica.blogspot.com
Página 15 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Portanto, o polígono ABCDE pode ser dividido em um trapézio isósceles ABDE e um triângulo
isósceles BCD.
O trapézio ABDE tem base maior AE  x E  x A  1   2  3, base menor
BD  x D  x B  0   1  1 e altura H  y D  2, logo sua área é
 AE  BD   H  3  1  2
SABDE    4.
2 2
1
O triângulo BCD tem base BD  1 e altura h  yC  y D  2, 25  2  0, 25  , logo sua área é
4
1
1
BD  h 1
SBCD   4 .
2 2 8
1 1
Portanto, a área do polígono ABCDE é SABCDE  SABDE  SBCD  4   4 u.a.
8 8

11) Considere A, B, C e X matrizes quadradas de ordem n e inversíveis. Assinale a alternativa


FALSA.
1
a)  A 1 
1
A b)  ABC   C1B1A1
d) det  2AB1   2n
det A
c) A  X  C  B  X  A1C1B
det B

RESOLUÇÃO: c
1
a)  A 1   A (VERDADEIRA)
1
A  A 1  A 1  A  I   A 1   I
A ideia aqui é que a matriz inversa de A 1 é a matriz que multiplicada por A 1 à esquerda ou à
direita resulta na identidade. A matriz que satisfaz isso é a própria matriz A.
1
b)  ABC   C1B1A1 (VERDADEIRA)
1
Seja X   ABC  a matriz inversa de ABC, então temos:
 ABC   X  I  A 1ABC  X  A 1  I  IBC  X  A 1  BC  X  A 1
 B1BC  X  B1A 1  IC  X  B1A 1  C  X  B1A 1
 C1C  X  C1B1A 1  I  X  C1B1A 1  X  C 1B1A 1
c) A  X  C  B  X  A1C1B (FALSA)
A  X  C  B  A 1A  X  C  A 1  B  I  X  C  A 1B
 X  C  A 1B  X  CC1  A 1BC1  X  I  A 1BC1
 X  A 1BC1
Note que essa proposição é falsa, pois o produto de matrizes não é comutativo, então a ordem das
matrizes na multiplicação afeta o resultado final.
d) det  2AB1   2n
det A
(VERDADEIRA)
det B
Sabemos que, quando multiplicamos uma matriz de ordem n por um escalar, o seu determinante fica
multiplicado pelo escalar elevado a n. Além disso, pelo teorema de Binet, o determinante de um
produto de matrizes é igual ao produto dos determinantes das matrizes. Assim, temos:

madematica.blogspot.com
Página 16 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

det  2AB1   2n det  AB1   2n det A  det  B1   2n det A 


1 det A
 2n
det B det B
Note que det  B1  
1
também é uma consequência imediata do teorema de Binet.
det B

12) Sejam os números reais


 12  0,1222
a
1, 2 1
b = comprimento de uma circunferência de raio 1
c  12  90  160  147
Sendo , , e os conjuntos numéricos, assinale a alternativa FALSA.
a) a, c  b)     b, c c) c    d) a, c    

RESOLUÇÃO: b
12  1 11
 12  0,1222 1 1
a  90  90  11  6  11 é um racional não inteiro
1 1
1, 2  6 5 90 5 75
  6
5
b  21  2 é um irracional
c  12  90  160  147  22  3  32 10  42 10  7 2  3 
 2 3  3 10  4 10  7 3  24  32  5  7  5040 é um natural
a) a, c  (VERDADEIRA)
b)     b, c (FALSA)
Note que    é o conjunto dos números irracionais e c  5040 é um número natural.
c) c    (VERDADEIRA)
Note que   .
d) a, c     (VERDADEIRA)
Note que   .

13) Um baralho é composto por 52 cartas divididas em 4 naipes distintos (copas, paus, ouros e
espadas). Cada naipe é constituído por 13 cartas, das quais 9 são numeradas de 2 a 10, e as outras 4
são 1 valete (J), 1 dama (Q), 1 rei (K) e 1 ás (A). Ao serem retiradas desse baralho duas cartas, uma a
uma e sem reposição, a quantidade de sequências que se pode obter em que a primeira carta seja de
ouros e a segunda não seja um ás é igual a
a) 612 b) 613 c) 614 d) 615

RESOLUÇÃO: a
Precisamos dividir esse problema em dois casos. No primeiro caso, a primeira carta retirada é o ás de
ouros e, no segundo caso, a primeira carta não é o ás de ouros.
1º caso: A primeira carta retirada é o ás de ouros.
Temos 1 possibilidade para a primeira carta e, para a segunda carta,  51  3  48 possibilidades.
Assim, temos 1 48  48 possibilidades.

madematica.blogspot.com
Página 17 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

2º caso: A primeira carta retirada não é o ás de ouros.


Temos 13  1  12 possibilidades para a primeira carta e, para a segunda carta,  51  4  47
possibilidade. Assim, temos 12  47  564 possibilidades.
Somando os dois casos, temos um total de 48  564  612 possibilidades.

14) Durante 16 horas, desde a abertura de uma certa confeitaria, observou-se que a quantidade q  t 
de unidades vendidas do doce “amor em pedaço”, entre os instantes  t 1 e t, é dada pela lei
q  t   t  8  t  14 , em que t representa o tempo, em horas, e t  1, 2,3, ,16. É correto afirmar
que
a) entre todos os instantes foi vendida, pelo menos, uma unidade de “amor em pedaço”.
b) a menor quantidade vendida em qualquer instante corresponde a 6 unidades.
c) em nenhum momento vendem-se exatamente 2 unidades.
d) o máximo de unidades vendidas entre todos os instantes foi 10.

RESOLUÇÃO: d
 t  8, se t  8
Sabemos que t  8   . Assim, temos:
 t  8, se t  8
1º) t  8  q  t    t  8  t 14  6  6
t  1, 2, ,8  q  t   6
2º) t  8  q  t    t  8  t 14  2 t 11
8  t  11  q  t   2  t  11  q  t   2, 4, 6
t  11  q  t   2  t  11  q  t   0, 2, 4, 6,8,10
Vamos agora analisar as alternativas.
a) FALSA: q 11  0 implica que entre os instantes 10 e 11 não foi vendida nenhuma unidade.
b) FALSA: a menor quantidade é 0.
c) FALSA: q 10   q 12   2 implica que há dois momentos em que se vendem exatamente 2
unidades.
d) VERDADEIRA: o máximo de unidades vendidas corresponde a q 16   10.

15) Se uma pirâmide hexagonal regular está inscrita num cone equilátero cujo volume é igual a
10 3
 cm 3 , então o volume dessa pirâmide, em cm3 , é igual a
7
45 15 3 30 3 135
a) b) c) d)
7 7 7 7

RESOLUÇÃO: a

madematica.blogspot.com
Página 18 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

Em um cone equilátero, a seção meridiana é um triângulo equilátero. Assim, a altura de um cone


2R 3
equilátero de raio da base R é igual à h   R 3. Utilizando a fórmula do volume do cone,
2
temos:
1 1 3 10 3 30
Vcone   Sbase  h   R 2  R 3  R 3    R3 
3 3 3 7 7
A pirâmide hexagonal regular inscrita no cone tem altura igual à do cone, ou seja, h  R 3 e a base
é um hexágono regular inscrito em uma circunferência de raio R. Esse hexágono regular tem raio R e
é composto por seis triângulos equiláteros de lado R.
R2 3 3 3 2
A área da base da pirâmide será dada por Sbase p  6   R .
4 2
1 1 3 3 2 3 3 30 45
O volume da pirâmide é igual a Vpirâmide   Sbase p  h   R  R 3  R3    cm3 .
3 3 2 2 2 7 7

16) As notas de oito alunos numa prova de matemática foram escritas pelo professor numa tabela
como a que segue:

Aluno A B C D E F G H
Nota 6,5 10 8 9,4 8 6,4 x 7,4

Sabe-se que a média aritmética dessas notas é 8,2. Considerando as notas dos oito alunos, é correto
afirmar que a nota do aluno G é
a) igual à moda. b) inferior a 9,8.
c) superior à mediana. d) inferior à média aritmética das outras sete notas.

RESOLUÇÃO: c
A média aritmética das oito notas é

madematica.blogspot.com
Página 19 de 20
Elaborado pelo Prof. Renato Madeira para madematica.blogspot.com.

6,5  10  8  9, 4  8  6, 4  x  7, 4
Ma   8, 2  55, 7  x  65, 6  x  9,9.
8
88
A moda das oito notas é Mo  8 e a mediana é Me   8.
2
55, 7
A média aritmética das outras sete notas é  8.
7
Logo, a nota do aluno G, x  9,9, é superior à mediana.

madematica.blogspot.com
Página 20 de 20