Você está na página 1de 20

Guia de Bolso

NEONATAL
Graça Oliveira
Bruno Miguel Cardoso
Margarida Ejarque Albuquerque

Sítios para consulta


www.e–lactancia .org....................................................................(Aleitamento materno)
www.breastfeeding.co.org.............................................................(Aleitamento materno)
www.sosamamentacao.pt..............................................................(Aleitamento materno)
www.bilitool.org.........................................................................(Critérios de fototerapia)
www.ncbi.nlm.nih.gov............................................ (Tabelas de crescimento intrauterino)
www.cdc.gov/growthcharts............................................ (Tabelas de crescimento do RN)
www.99nicu.org....................................................................................... (Neonatologia)
www.neonatology.org............................................................................... (Neonatologia)
www.neonatalformulary.com...........................................................................(Fármacos)
www.genetests.org........................................................................................... (Genética)
www.nicuniversity.org.............................................................................. (Neonatologia)
www.netsvic.org.au.................................................................................. (Neonatologia)
www.curoservice.com.............................................................................. (Neonatologia)
www.portalneonatal.com.br..................................................................... (Neonatologia)
www.neoweb.org.uk................................................................................. (Neonatologia)
www.mrineonatalbrain.com...................................................... (Ressonância magnética)
www.nelsonpediatrics.com...............................................................................(Pediatria)
www.dbebooks.biz................................................................................................ (Livros)
www.neofax.com.............................................................................................(Fármacos)
www.lusoneonatologia.net........................................................................ (Neonatologia)
www.se-neonatal.es.................................................................................. (Neonatologia)
www.aeped.es........................................................................................... (Neonatologia)
www.neonatal.org.uk................................................................................ (Neonatologia)

Editor: Angelini Farmacêutica, Lda. Morada: R. João das Chagas, 53 - Piso 3


Localidade: Algés • Código Postal: 1499-040 Cruz Quebrada- Dafundo
Correio electrónico: alexandra.gomes@angelini.pt
Telefone: 214 148 300 - Fax: 214 142 981

Escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico


Unidade
Baixo volume para pequenos bebés

Cuidado
Rápido a atuar

Intensivo
Fácil de preparar e administrar

Neonatal
Bólus único. Ampolas de 1,5 ml e 3,0 ml

É uma questão de experiência


Aplicações para iPhone ou iPad

CliniCalc Medical Calculator Jaundice

LactMed Med Wizards

BiliCalc Apgar Timer

PediCalc Epocrates

Pediatric AgeCalc Pedi STAT

Siglas
BE..................................................... Base excesso Peep.........................Pressão no fim da expiração
BTc................................... Bilirrubina transcutânea Pip....................................... Pressão inspiratória
CAU................................Cateter arterial umbilical ppm.......................................... Partes por milhão
CPAP.................Continous positive airway pressure PO............................................................. per os
Cr......................................................... Creatinina PT......................................................... Pretermo
CVU................................Cateter venoso umbilical Q................................................................. Cada
DHRN......................Doença hemorrágica do RN RBA................................ Rotura de bolsa de água
ECG......................................... Eletrocardiograma RN................................................Recém-nascido
ECMO......... Oxigenação membrana extra-corporal RNMBP.......Recém-nascido de muito baixo peso
ET....................................................Endotraqueal SC..................................................... Subcutâneo
EV.....................................................Endovenoso SF................................................ Soro fisiológico
FC........................................ Frequência cardíaca SpO2......................Saturação transcutânea de O2
FiO2................................. Fração inspirada de O2 TA.................................................Tensão arterial
IA................................................ Índice de apgar TARV............................Terapêutica antirretroviral
IG...............................................Idade gestacional Te............................................ Tempo expiratório
IM.................................................. Intramuscular TET......................................... Tubo endotraqueal
IO...................................... Índice de oxigenação Ti............................................ Tempo inspiratório
IPM........................................Idade pós-menstrual UI...................................Unidades internacionais
(Idade gestacional + idade pós-natal) VI...........................................Ventilação invasiva
NEC................................. Enterocolite necrosante VIH...............Vírus de imunodeficiência humana
ONi....................................Óxido nítrico inalado VNI.................................Ventilação não invasiva
PCA......................... Persistência do canal arterial ZDV...................................................Zidovudina

Tabela de conversão Cálculo da superfície corporal


PaO2 (mmHg) = PaO2 (kPa) x 7.5 (m2) = (0.05 x kg) + 0.05
Conversão Peso (kg) Sup. Corp. (m2) Peso (kg) Sup. Corp. (m2) Peso (kg) Sup. Corp. (m2)
Glicose 1 mmol/L 18 mg/dL 0.4 0.07 2 0.15 3.6 0.23
Ácido úrico 1 mmol/L 0.0168 mg/dL 0.6 0.08 2.2 0.16 3.8 0.24
Fósforo 1 mmol/L 3.097 mg/dL 0.8 0.09 2.4 0.17 4 0.25
1 0.1 2.6 0.18 4.2 0.26
Cálcio 1 mmol/L 4 mg/dL 1.2 0.11 2.8 0.19 4.4 0.27
Bilirrubina 1 µmol/L 0.0585 mg/dL 1.4 0.12 3 0.2 4.6 0.28
Ureia 1 mmol/L 60.1 mg/dL 1.6 0.13 3.2 0.21 4.8 0.29
Creatinina 1 µmol/L 0.0113 mg/dL 1.8 0.14 3.4 0.22 5 0.3
Cálculo rápido da IG (Parkin)

TEXTURA DA PELE TAMANHO DA GLÂNDULA MAMÁRIA


Avaliada fazendo uma prega da pele do abdómen, entre Medido, pinçando o tecido entre o indicador e o polegar:
o polegar e o indicador e por inspeção: 0 Não se palpa nenhum tecido mamário.
0 Muito fina, dando a sensação de gelatina. 1 Palpa-se tecido mamário em um ou ambos os lados,
1 Fina e lisa. mas não com mais de 0,5 cm de diâmetro.
2  Lisa e de média espessura; pode haver irritação, 2 Palpa-se tecido mamário em ambos os lados,
e descamação superficial. um ou ambos com diâmetro compreendido entre
3 Ligeiramente espessada e dando uma sensação 0,5 e 1 cm.
de dureza com fissura e descamação superficial, 3 Palpa-se tecido mamário em um ou ambos os lados,
especialmente evidente nas mãos e pés. mais do que 1 cm de diâmetro.
4 Espessa e parecendo pergaminho, com fissuras
superficiais ou profundas. DUREZA DAS ORELHAS
Avaliada por palpação e pregueamento da porção
COR DA PELE superior do pavilhão auricular:
Avaliada por inspeção, quando o RN está sossegado:
0 Vermelha escura. 0 P avilhão mole e facilmente dobrável em posições
1 Uniformemente rosada. bizarras, sem voltar à posição inicial espontaneamente.
2 Cor-de-rosa pálido, embora a cor possa variar em 1 P avilhão mole ao longo do bordo e facilmente
diferentes partes do corpo; algumas zonas podem ser dobrável, mas que volta lenta e espontaneamente à
muito pálidas. posição correta.
3 Pálida; em nenhum local é rosado exceto nas orelhas, 2 P ode sentir-se cartilagem na margem do pavilhão,
lábios, palmas das mãos e plantas dos pés. embora seja delgada em certas zonas. O pavilhão
regressa rapidamente à posição inicial.
3 Pavilhão duro, com cartilagem bem definida até à
periferia e que volta à posição inicial imediatamente
depois de pregueado.

Para determinar a IG deverá somar os pontos de cada item e consultar a tabela em baixo. A pontuação total irá
determinar a IG média em dias e semanas.
Este esquema é mais preciso para RN com IG ≥ a 30 semanas e nos três primeiros dias de vida.


Pontuação Idade Gestacional
Dias Semanas
1 190 27
2 210 30
3 230 33
4 240 34 ½
5 250 36
6 260 37
7 270 38 ½
8 276 39 ½
9 281 40
10 285 41
11 290 41 ½
12 295 42
Curvas de crescimento intrauterino (Babson and Benda)

22 a 50 semanas IG

FETAL-INFANT GROWTH CHART FOR PRETERM INFANTS


65 65

60 60
91'
90'
55 55
50'
gth

Centimeters
Len 10'

Centímetros
50 3' 50

45 45

40 97' 40
nce 90'
fere
ircum 50'
Centímetros

a dc 10'
35 He 6.0
Centimeters

3'

30 5.5
91'

25 90' 5.0

20 4.5
50'

4.0 4.0

(Kg)
t
gh

Peso
ei

3.5 10' 3.5 Weight (kilograms)


W

3'
3.0 3.0
Peso(kilograms)
(Kg)

2.5 2.5
Weight

2.0 2.0

1.5 1.5

1.0 1.0

0.5 0.5

0 0
22 24 26 28 30 32 34 36 38 40 42 44 46 48 50
Date:

IG (semanas)
Gestational age (weeks)

FIGURE B-8 A new fetal-infant growth chart for preterm infants developed through a meta-analysis of
AIG
published (Adequado
reference para a IG) – Percentil 3 a 91
studies. Baixo peso < 2500 g
LIG (Leve
(From Fenton TR: para
A newa IG) – Abaixo
growth dopreterm
chart for Percentil 3 Babson and
babies: Muito baixochart
Benda's peso < 1500
updated g recent data and
with
a new format. BMC Pediatr 3:13, 2003.)
GIG (Grande para a IG) – Acima do Percentil 91 Extremo baixo peso < 750 g

Ref: BMC Pediatr 2003; 16(3); 13.


Critérios de fototerapia (IG ≥ 35 semanas)

Iniciar fototerapia de acordo com o nível de BTc, da IG, da idade em horas e de fatores de risco. Fatores de risco: doença
hemolítica, asfixia, letargia, instabilidade térmica, sépsis, acidose ou albumina <3mg/dL.

Critérios de exsanguíneo-transfusão ** (IG ≥ 35 semanas)

Fatores de risco: doença hemolítica, asfixia, letargia, instabilidade térmica, sépsis, acidose ou albumina <3mg/dL.

Critérios de fototerapia e exsanguíneo-transfusão ** (RNMBP e PT)

Bilirrubina total (mg/dl) Bilirrubina total (mg/dl)


Peso
Exsanguíneo- IG
(gramas) Fototerapia Exsanguíneo-transfusão
transfusão (semanas) Fototerapia
500-750 5-8 12-15 Doente* Bem
24 4.7 8.8 11.7
751-1000 6-10 >15
28 5.8 11.7 14.6
1001-1250 8-10 15-18 32 8.8 14.6 17.5
1251-1500 10-12 17-20 36 14.6 17.5 20.5
* Doença hemolítica, asfixia perinatal, hipoxia, acidose, hipercapnia
** Na exsanguíneo-transfusão a decisão deverá ser baseada na bilirrubina total plasmática.
Ref: Rennie JM, Robertson NRC, eds. New York: Churchill Livingston; 1999: 715-732.
Pediatrics, 2004; 114:297-316. e Clin Perinatol, 2000: 27:178.
Reanimação
Fármacos

Fármaco Concentração Preparação (daDosagem Peso Dose


desejada preparação) Via (kg) (ml) Velocidade
1 0.5 - 1
2 1-2
1 ml 0.5-1 ml/kg ET 3 1.5 - 3 rápida
adrenalina 4 2-4
Adrenalina 1:10.000 1:1.000 1 0.1 - 0.3
+ 9 ml SF 0.1-0.3 ml/kg EV 2
3
0.2 - 0.6
0.3 - 0.9 rápida
4 0.4 - 1.2

1 10
Expansor de Soro fisiológico
Lactato Ringer 40 ml 10ml/kg EV
2 20
5 min
volume (sangue 0 Rh-)
3 30
4 40

2 (0.5) 1/2 ampola


Naloxona 0.4 mg/ml 1 ml 0.1 mg/kg IM 3 (0.75) 3/4 ampola rápida
4 (1) 1 ampola

Entubação endotraqueal

Lâmina Distância TET Distância TET


Peso (gramas) TET (mm) laringoscópio comissura labial asa nariz
recta (cm) (cm)
< 1.000 2.5 00 / 0 6.5 - 7 7.5 - 8
1.000 - 2.000 3.0 0 7-8 8-9
2.000 - 3.000 3.5 0/1 8-9 9 - 10
3.000 - 4.000 3.5 - 4.0 1 9 - 10 10 - 11
Cálculo rápido comprimento do TET: na comissura labial: 6 + o peso do RN; na asa do nariz: 7 + o peso do RN.
calibre do TET: IG a dividir por 10.

Comprimento do TET de acordo com a IG


IG (semanas) Distância TET – comissura labial (cm)
23 - 24 5.5
25 - 26 6.0
27 - 29 6.5
30 - 32 7.0
33 - 35 7.5
36 - 37 8.0
38 - 40 8.5

Estratégia de administração de surfactante no RN PT

IG (semanas) Surfactante Ventilação


< 26 Profilático VI / CPAP
Profilático se entubação.
≥26 < 32 CPAP / VI
Tratamento precoce se não entubado na sala de partos
≥ 32 Tratamento precoce CPAP / VI (SOS)
Profilático: antes dos 15 - 30 min de vida; Tratamento precoce: (SDR, VI/VNI com FiO2 > 30%)
Ref: Manual de Reanimação Neonatal. 4ª Edição
Reanimação
Fluxograma da reanimação

Nascimento

A respirar ou a chorar ?
Bom tónus muscular ? Cuidados de rotina
Sim
Gestação de termo ? Contacto com a mãe
Líquido amoniótico claro ?

Sim
30 seg.

Não

Líquido amniótico meconial? Sim


Vigoroso ?
Respiração regular, FC > 100 e bom tónus

Não
Não

Aquecer
Permeabilizar a via aérea * Não estimular
Aspirar a boca e Traqueia
Secar, estimular, reposicionar

1. Frequência cardíaca
Avaliar

2. Respiração
3. Cor / SpO2

Fi O2
30 seg.

Apneia e/ou Iniciar 21%


Frequência cardíaca < 100/min.

Min. SpO2
Ventilar com Pressão Positiva* vida alvo
1. Ambu® 1 60-65%
2. Neopuff® 1. FC<60min. 2 65-70%
após 90 seg. 3 70-75%
2. SpO2 < alvo 4 75-80%
Frequência cardíaca < 60/min. 5 80-85%
10 85-95%

Ventilar com Pressão Positiva *


Compressões Torácicas 100 %
30 seg.

Frequência cardíaca < 60/min.

Adrenalina
* Considerar entubação endotraqueal
Expansor de volume

Ref: Manual de Reanimação Neonatal. 4ª Edição


Reanimação

Índice de Apgar

Parâmetros 0 1 2
Frequência cardíaca Ausente < 100 bpm > 100 bpm
Respiração Ausente Irregular Regular, choro
Tónus muscular Hipotonia Flexão extremidades Ativo
Resposta aos
Ausente Gemido Choro vigoroso
estímulos
Cor Palidez / Cianose central Cianose periférica Rosado

Critérios de elegibilidade para hipotermia terapêutica

Terão indicação para hipotermia terapêutica, os RN com os critérios A, B, C e D, sendo


que em C e D basta um critério.

IG ≥ 36 semanas
A
Idade < 12 horas de vida (ideal < 6 h vida)
B
Evidência de asfixia perinatal
C (com um dos seguintes critérios)
IA ≤ 5 aos 10 minutos
Reanimação continuada ≥ 10 minutos
pH < 7.00 (1ª hora de vida)
BE ≤ -16 mmol/L (1ª hora de vida)
Evidência de encefalopatia moderada a grave
D (com um dos seguintes critérios)
Hipotonia
Ausência de sucção
Reflexos pupilar/oculomotor alterados
Convulsões clínicas
Alteração do aEEG

Contra indicação: situação cirúrgica emergente.

Caso o RN cumpra os critérios deverá iniciar HIPOTERMIA PASSIVA (desligando o


irradiador na sala de partos e o aquecimento da incubadora). Tente, com as diferentes
manobras, manter uma temperatura retal de 33-34ºC. Transfira o RN para uma das
unidades de referência.

Ref: Manual de Reanimalção Neonatal. 4ª Edição


acessos vasculares
Cateter umbilical (venoso e arterial)

Comprimento a introduzir
Distância ombro-umbigo CAU Posição alta CVU - T10
(cm) T6 –T9 Acima do diafragma
9 9.0 5.7
10 10.5 6.5
11 11.5 7.2
12 13.0 8.0
13 14.0 8.5
14 15.0 9.5
15 16.5 10.0
16 17.5 10.5
17 19.0 11.5
18 20.0 12.5

CAU - introduzir o mesmo valor numérico da distância ombro-umbigo (cm) + COTO (cm)
Fórmula = 3 x peso (Kg) + 9 cm + COTO (cm)
CVU - 60% (2/3) do valor numérico da distância ombro-umbigo (cm) + COTO (cm)
Fórmula = 2 x peso (Kg) + 5 cm + COTO (cm)

Tamanho de acordo com o peso CVU - duplo lúmen


RN com peso < 1000 g
RN com IG < 28 semanas
CAU - < 1500 g - 3.5 Fr; > 1500 g - 5 Fr Necessidade de aminas/insulina
CVU - < 1000 g - 3.5/4 FR; > 1000 g - 5 FR Sindroma de aspiração meconial
Hipertensão pulmonar persistente

Cateter epicutâneo - cava

- Silicone (24G) comprimento de 15 e 30 cm (débito máx. 5 ml/min, duração máx. 1 mês)


- Poliuretano (23G) comprimento 20 cm - Para RN < 750 g (débito máx. 4 ml/min, duração máx. 2 semanas)
- Poliuretano de duplo lúmen (24G) comprimento 30 cm (débito máx. 1.45 ml/min por lúmen, duração
máx. 2 semanas).

Posição numa veia central, nunca intracardíaca.


Não puncionar os vasos femurais. Preferir como local de punção o membro superior, neste caso o comprimento a introduzir
é igual à distância do local de inserção até ao terço médio do esterno. Não usar para colheitas ou transfusão de derivados
de sangue

Heparinização

Heparina 0,5-1 U/ml


Antagonista da Heparina – Protamina - dose depende do tempo da última administração.
< 30 min - 1 mg por cada 100 UI de heparina administrada.
30 a 60 min - 0.5 - 0.75 mg por cada 100 UI de heparina administrada.
60 a 120 min - 0.375 - 0.1 mg por cada 100 UI de heparina administrada.
> 120 min - 0.25 - 0.375 mg por cada 100 UI de heparina administrada.
Dose máxima de 50 mg.

Nota importante: Realizar controlo radiológio para aferir a posição correta do cateter central.
Ref: Oxford Handbook of Neonatology. 2010. Manual de Reanimação Neonatal. 4ª Edição
Fórmulas / Correções
• Quantidade de O2 para um transporte
Litros necessários = fluxo (l/min) x FiO2 x tempo da viagem (min) x 2

• Volume de O2 de um cilindro (m3)


Volume (m3) = P x C / 1000
P = Pressão do cilindro (bar) • C = Capacidade do cilindro (litros) • 1 m3 = 1000 litros
Pressão média MAP = PEEP + [(PIP-PEEP) x (TI/(Ti+Te))]
da via aérea (MAP)
MAP x FiO2 (%) > 25 Insuficiência respiratória grave
Índice de Oxigenação IO =
PO mmHg (arterial) > 40 considerar - ECMO
2
Anion gap (Na + K ) - (bicarbonato + CI ) (Valor normal < 12 - 17)
+ + -

Osmolalidade (sérica) 2 Na+ + glucose (mmol/L) + ureia (mmol/L) (Valor normal 270-295 mmol/L)
Clearance da Creatinina (Cr urinária x débito urinário) ÷ Cr plasmática
Excreção fracionada (Na+ urinário x Cr plasmática) ÷ (Cr urinária x Na+ plasmático)
de sódio (EFNa)
Acidose metabólica Déficit de Bicarbonato (mEq) = BE x F x peso (kg) F = Fluido extracelular (PT = 0.6 e termo = 0.4)
Corrigir: 1/3 em 8 h; 1/3 em 16 h; 1/3 em 24 h
Déficit Na+ (mEq) =
Hiponatrémia (Na+ desejável - Na+ plasma) x 0.6 x peso (kg) Nota: não corrigir mais de 10 mEq/dia da
natrémia
Hipocaliémia Déficit de K (mEq) = (k desejável - K plasma) x 0.35 x peso (kg)
+ + +

1. Gluconato de cálcio a 10%: 0.5 - 1 ml/kg, EV 5 a 15 min.


2. Bicarbonato de sódio 8.4%: 1ml/kg, EV 10 a 30 min.
Hipercaliémia 3. Glicose e insulina: Glicose 0.5 mg/kg + insulina 0.1 U/kg, EV durante 30 min.
4. Resina permutadora de iões/ diálise
Hipocalcémia Gluconato de cálcio a 10% (2ml/Kg) durante Dose de manutenção de 2 - 3 ml/Kg/dia de
sintomática (convulsões) 5 - 10 minutos EV, com monitorização de ECG modo a manter calcémia > 8 mg/dl
Hipomagnesiémia Sulfato de magnésio Pode ser repetido a cada 12 a 24h
sintomática (arritmia) 25 - 50 mg/Kg dose IM ou EV lento (20 min)
Bólus: Glicose 10% 2 ml/kg EV (2 min) Nota: Glicose 6 mg/kg/min é equivalente a perfusão de
Hipoglicémia Aporte de glicose: 4 - 8 mg/kg/min glicose a 10% a 80 ml/kg/dia
Aporte de glicose mg/kg/min = (ml/h x % glicose) / (6 x peso Kg)

Bicarbonato de Na a 8.4%; 1 ml = 1 mEq HCO3-


+
NaCl a 3 %; 1 ml = 0.5 mEq de Na+
de Cálcio a 10%; 1 ml = 9 mg Ca
Equivalência Gluconato (15 ml NaCl a 20% + 85 ml H2O destilada)
2+

KCl a 7.5%; 1ml = 1 mEq de K+ Equivalência NaCl a 20 %; 1 ml = 3.4 mEq de Na+


Sulfato de Mg+ a 20%; 1 ml = 200 mg de Mg+ NaCl a 0.9 % (SF); 1 ml = 0.15 mEq de Na+

Determinar a quantidade de glicose pela mistura de soros


Glicose a 10% + glicose a 30%
K1= g de glicose x10 • k2= Total ml a administrar Para decidir se mistura glicose
x= ml de glicose a 30% • y= ml de glicose a 10% a 10% com glicose a 5% ou
k -k com glicose a 30 %, use a seguinte
x= 1 2 2 Y= k2 - x fórmula:
 gramas de glicose x 10
Glicose a 10% + glicose a 5%
total de mililitros
K1= g de glicose x10 • k2= Total ml a administrar Se o valor:
x= ml de glicose a 5% • y= ml de glicose a 10% > 1 (glicose a 10% + 30%)
x= 2(k2 - k1) Y= k2 - x < 1 (glicose a 10% + 5%)
Ref: Oxford Handbook of Neonatology. 2010
fármacos
Fármaco Dose Nota
Antimicrobianos
Aciclovir 20 mg/kg dose Q8, EV Perfusão 60 min
Dose (mg/kg) IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
18 0-7 48
15 ≤ 29* 8-28 36 * Asfixia, PCA ou
Amicacina 15 ≥ 29 24 terapêutica com
18 30 a 34 0-7 36 indometacina
15 ≥8 24
15 ≥ 35 todos 24
Anfotericina B 5 - 7 mg/kg dose Q24, EV (perfusão 2 h)
Monitorizar hemograma
Lipossómica e função renal.
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas) Estreptococo B
≤ 29 0 a 28 12 - Bacteriémia:
> 28 8
150 - 200 mg/kg dia
25 a 50 mg/kg 0 a 14 12
Ampicilina dose EV lento
30 a 36 > 14 8 Q6 - Q8
(IM) 0a7 12 - Meningite:
37 a 44 >7 8 300 - 400 mg/kg dia
≥ 45 todos 6 Q6 - Q8
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 28 12
> 28 8
0 a 14 12 Profilaxia de infeção
Cefazolina 25 mg/kg dose 30 a 36 > 14 8 pós-cirurgia.
EV lento (IM)
37 a 44 0a7 12
>7 8
≥ 45 todos 6
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 28 12
> 28 8
Monitorizar
0 a 14 12
Cefotaxima 50 mg/kg 30 a 36 > 14 8 hemograma.
dose EV (IM) Perfusão 30 min.
37 a 44 0a7 12
>7 8
≥ 45 todos 6
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 28 12
> 28 8
Sinergismo com os
0 a 14 12
Ceftazidima 30 mg/kg 30 a 36 > 14 8 aminoglicosidos.
dose EV (IM) Perfusão 30 min.
37 a 44 0a7 12
>7 8
≥ 45 todos 8
Sépsis: 50 mg/Kg dose Q24, EV
Meningite: 100 mg/kg dose inìcial, e depois segue 80 mg/kg Q24, EV
Ceftriaxona Infeção gonocócica disseminada: 25-50 mg/kg dose Q24, EV
Conjuntivite gonocócica: 25-50 mg/kg toma única EV (IM) máx: 125 mg
Pneumonia e conjuntivite a Clamydia: 12.5 mg/kg dose Q6, PO
Tratamento e profilaxia da Bordattela pertussis: 12.5 mg/kg dose Q6, PO
Eritromicina Infeções graves sem via oral: 5-10 mg/kg dose Q6, EV (perfusão 60 min)
Procinético: 10 mg/kg dose Q6, durante 2 dias, seguido por 4 mg/kg Q6, 5 dias, PO
Dose IG (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
Infeções 0 a 14 48 Profilaxia da infeção
sistémicas: ≤ 29 > 14 24 fúngica:
Fluconazol Inicial 12-25 mg/ 3 mg/kg dose,
kg dose, segue 0 a 7 48
6-12 mg/kg dose ≥ 30 2 vezes semana, EV/PO
EV (30 min) >7 24
Flucloxacilina 50-200 mg/kg dia Q8, EV/PO (IM) -
Ganciclovir 6mg/kg dose, Q12, EV Perfusão 60 min.

Ref: www.neofax.com; Fanaroff and Martin’s. Neonatal-Perinatal Medicine. 2011


Dose (mg/kg) IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
5 0a7 48
4 ≤ 29* 8 a 28 36 * Asfixia, PCA e
Gentamicina 4 ≥ 29 24 terapêutica com
4.5 30 a 34 0 a 7 36 indometacina.
4 ≥8 24
4 ≥ 35 todos 24
Imipenem 20 a 25 mg/kg dose, Q12 EV Perfusão 30 min.
Monitorizar
Linezulida 10 mg/kg dose, Q8 (perfusão 30 a 120 min) EV. hemograma e função
PT < 1 semana: 10 mg/kg dose Q12, EV (PO)
hepática.
Meningite e infeção a Pseudomona: 40 mg/kg dose Q8, EV
IG (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas) Monitorizar
≤ 14 12 hemograma e função
Meropenem Sépsis: < 32 > 14 8 hepática.
20 mg/kg dose EV Perfusão 30 min.
≥ 32 ≤7 12
>7 8
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 28 48
Dose inicial: > 28 24
15 mg/kg, EV/PO 0 a 14 24 Perfusão
Metronidazol 30 a 36 > 14 12 60 min.
Depois segue: 0a7 24
7.5 mg/kg dose, EV/PO 37 a 44 >7 12
≥ 45 todos 8
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas) Sífilis:
Meningite: 0 a 28 12 Penicilina G:
75.000 a 100.000 (UI)/kg ≤ 29 > 28 8 50.000 (UI)/kg dose,
dose, EV. Q12, primeiros
Bacteriémia: 0 a 14 12 7 dias de vida e Q8
Penicilina G 25.000 a 50.000 30 a 36 > 14 8 até ao 10º dia, EV
(UI)/kg dose, EV.
cristalina aquosa Infeções do grupo
Estreptoco B: 0a7 12 Penicilina G
37 a 44 >7 8 Procaínica:
bacteriémia 200.000
(UI)/kg dia e meningite 50.000 (UI)/kg dose,
500.000 (UI)/kg dia, EV. ≥ 45 todos 6 Q24 durante
Doses mais frequentes 10 dias, IM
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 28 12
> 28 8
Piperacilina- 0 a 14 12
50 a 100 mg/kg 30 a 36 > 14 8 Perfusão 30 min.
Tazobactam dose, EV
37 a 44 0a7 12
>7 8
≥ 45 todos 8
Valganciclovir 16 mg/kg dose Q12, PO -
Dose IPM (semanas) Pós-natal (dias) Intervalo (horas)
≤ 29 0 a 14 18
Meningite: > 14 12
15 mg/kg dose, EV 0 a 14 12 Nefro e otóxico.
Vancomicina 30 a 36 > 14 8 Perfusão 60 min.
Bacteriémia: 0 a 7 12
10 mg/kg dose, EV 37 a 44 >7 8
≥ 45 todos 6

Cardiovasculares
50 mcg/kg, EV rápido em bólus. Não diluir, repetir de 2 em 2 min com aumento de
Adenosina Dose máx. 250 mcg/kg 50 mcg/kg até ficar em ritmo sinusal.

Ref: www.neofax.com; Fanaroff and Martin’s. Neonatal-Perinatal Medicine. 2011


Infusão contínua: 0.1 mcg/kg/min até ao Corrigir eventual acidose antes de iniciar
Adrenalina máx. 1 mcg/kg/min, EV a perfusão.
0,05-0,1 mcg/kg/min, EV 1 ampola = 500 mcg, diluir em
Alprostadilo (PGE 1) (0,01 mcg/kg/min, EV é dose 49 ml de SF (10 mcg/ml) logo
mínima eficaz) 0.6 ml/kg hora = 0.1 mcg/kg/min
Impregnação: 5 mg/kg EV Perfusão 60 min; preferencialmente
Amiodarona Manutenção: 7 a 15 mcg/kg/min EV em veia central.
0.01-0.03 mg/kg dose, EV/IM ou ET. Efeitos adversos: arritmias,
Atropina Repetir a dose cada 10-15 minutos distensão abdominal.
máx. 0.04 mg/kg
Dose total de impregnação Dose de manutenção
IV
IPM IV PO IPM PO Int.
(mcg/ (mcg/kg)
(semanas) (mcg/kg) (mcg/kg) (semanas) (horas)
kg)
Digoxina
(concentração terapêutica ≤ 29 15 20 ≤ 29 4 5 24
1.2 ng/mL) 30 - 36 20 25 30 - 36 5 6 24
37 - 48 30 40 37 - 48 4 5 12
≥ 49 40 50 ≥ 49 5 6 12
Dividido em 3 doses durante 24 horas Baseado na resposta clinica
Tratamento da Anticorpos Antidigoxina (Digibind®) Dose = Peso(kg) x nível sérico de digoxina
intoxicação digitálica 38 mg liga-se a 0.5 mg de Digoxina 100
Dopamina 2-20 mcg/Kg/min, EV Vasopressor, aumento da FC.
Dobutamina 2-25 mcg/Kg/min, EV Melhora disfunção miocárdica.
PT: 2 mg/kg dose Q12, SC
Enoxaparina Termo: 1.7 mg/Kg dose Q12, SC Manter antifator Xa entre 0.5 a 1.0 UI/mL.
1ª dose 10mg/kg Q24, EV Contra indicação trombocitopénia, NEC
Ibuprofeno 2ª e 3ª dose 5mg/kg Q24, EV insuficiência renal. Perfusão 15 min.
0.05-0.5 mcg/kg/min, EV
Isoproterenol Máx: 2 mcg/kg/min, EV ECG e monitorização da TA.

Sildenafil PO: 0.5-2 mg/kg dose Q6 - Q12. Pode usar até 3 mg/kg
Respiratórios
Impregnação: 8 mg/kg, EV/PO
Aminofilina Manutenção: 1.5-3 mg/kg dose Q8-Q12, Perfusão 30 min.
EV/PO
Impregnação: 20-25 mg/kg EV/PO
Citrato de Cafeína Manutenção: 5-10 mg/kg dose, Q24, EV/PO Perfusão 30 min.
Iniciar com: 20 ppm
Óxido Nítrico inalado No PT iniciar com 5 ppm Monitorizar meta-hemoglobinémia.

Surfactante 100-200 mg/kg dose, ET Semi-vida de 36 h.


Poractant Alfa Administração rápida.
Vasodilatador
Hipertensão pulmonar grave:
Sulfato de Magnésio 200 mg/kg durante 30min, EV. Otimizar TA antes e durante a administração.
Perfusão de 30 min.
Sistema Nervoso Central
Impregnação: 100 mcg/kg bolus lento, EV
Clonazepam Manutenção: 5-15 mcg/Kg/h, EV -
Impregnação: 20 mg/Kg, EV Efeitos adversos: sedação,
Fenobarbital (repetir 5 mg/Kg até 40 mg/Kg) depressão respiratória, flebite.
Manutenção: 3-4 mg/Kg/dia Q12, PO/EV Perfusão 15 min.
Impregnação: 20 mg/Kg, EV/PO Efeitos adversos: depressão respiratória,
Fenitoína Manutenção: 4-8 mg/Kg dose Q12 hipotensão. Perfusão 30 min.

Ref: www.neofax.com; Fanaroff and Martin’s. Neonatal-Perinatal Medicine. 2011


100 mcg/Kg, EV Semi-vida longa,
Lorazepam Repetir a dose Q8-Q12 não é necessário perfusão.
Impregnação: 0.15 mg/Kg, EV
Midazolam Manutenção: 0.06-0.4 mg/Kg hora Anticonvulsivante

Piridoxina 100 mg/Kg Q24, EV/PO Anticonvulsivante


Outros
Domperidona 0.1-0.2 ml/kg dose Q6-Q8, PO Suspensão oral 0.1% (1mg/ml).
Espironolactona 1-3 mg/Kg dose Q12-Q24, PO -
Ferro
11-2 mg/kg dia 1 gota = 2 mg
(Ferrum Hausmann®)
1 - 2 mg/kg dose Q8, PO/EV (Máx. 5 mg/kg dose)
Furosemida Perfusão: 0.1-2mg/kg/hora, EV
Dose fisiológica: 7-9 mg/m2/dia Efeitos adversos:
Q8-Q12, EV/PO
Hidrocortisona Dose de stress: 20-30 mg/m2/dia hiperglicémia, hipertensão, perfuração
gastrointestinal, infeção fúngica.
Q8-Q12, EV
Hidroclorotiazida 1-2 mg/Kg dose Q12-Q24, PO -
Infusão contínua: 0.01 a 1 UI/kg hora, EV
Insulina Dose intermitente: 0.1 a 0.2 UI/Kg dose, Q6/Q12 SC
Começar com 10-14 mcg/kg dose Q24, PO Ajustar a dose de acordo com os níveis hormonais.
Levotiroxina ou 5-8 mcg/kg dose Q24, EV
0.1 mg/kg dose, EV
Pancurónio Repetir se necessário (1 a 2 h) Efeitos adversos: taquicardia e hipotensão.
PO: 2 mg/kg dose, Q8
Ranitidina EV termo: 1.5 mg/kg dose, Q8 -
EV PT: 0.5 mg/kg dose, Q12
Resina Permutadora 0.5-1 g/kg dose, PO e retal Fase cálcica: 3 mEq Ca/g, resina.
de catiões 3-4 tomas dia Fase sódica: 4 mEq Na/g, resina.
PT: 0.5-1 mL de 12% solução, PO Administrar directamente na língua 2 min antes
Sacarose Termo: 2 mL de 12% a 24% solução, PO de procedimentos dolorosos.
Ácido Ursodesoxicólico 10-15 mg/kg dose Q12, PO -
0.1 mg/kg dose, EV,
Vecurónio Repetir se necessário (1 a 2 h) Efeitos adversos cardiovasculares mínimos.
Profilaxia da DHRN: 0.5-1 mg IM ao nascer
Vitamina k Tratamento da DHRN: 1-10 mg, EV lento
Derivados do sangue
Albumina 0.5-1 g/kg dia, EV Concentração de 5%
Concentrado de eritrócidos 15 - 20 ml/kg, EV -
Imunoglobulina Humana 500 mg - 1 g dose, EV -
Imunoglobulina 0.5 ml (200 UI), IM -
anti-hepatite B
Plasma fresco congelado 15 - 20 ml/kg, EV -
Plaquetas 10 ml/kg, EV -

Ref: www.neofax.com; Fanaroff and Martin’s. Neonatal-Perinatal Medicine. 2011


fármacos na insuficiência renal

Nota: Sempre que possível, a dose e intervalo entre administrações devem ser calculadas a partir dos níveis séricos.

Cálculo da TFG (Fórmula de Schwartz)


Valor de K: RN baixo peso - 2 anos: 0.33 TFG (ml/min/1.73 m2)=  K x altura (cm)
RN termo - 2 anos: 0.45 Cr plasmática (mg/dl)
> 2 anos: 0.55
Sexo masc., puberdade: 0.70
Intervalo de administração de acordo
TFG > 90 ml / min / 1.73 m2
Fármaco com TFG (ml / min / 1.73 m2)
Dose kg/dia Via Admin. N. Ad. / dia 50-90 10-50 <10
Amicacina 15 mg EV/IM 2 12h 12-18h 24-48h
Gentamicina 5 - 7.5 mg EV/IM 1 24h 24h 24-48h
Cefotaxima 50 - 200 mg EV 3-4 6-8h 8-12h 24h
Cefradina 50 - 200 mg PO/EV/IM 3-4 8h 12h 24h
Ceftazidima 50 - 200 mg EV 3-4 8-12h 24-48h 48-72h
Cefuroxima 75 - 250 mg EV/IM 3-4 8h 8-12h 24h
Cefuroxima Ax. 20 - 30 mg PO 2 12h 12h 24h
Ampicilina 100 - 400 mg EV/IM 4 6h 6-12h 12-24h
Flucloxacilina 50 - 200 mg PO/EV/IM 3-4 6-8h 6-8h 6-8h
Piperacilina 200 - 300 mg EV 4-6 4-6h 6-8h 8h
Imipenem 60 - 100 mg EV 3-4 6-8h 8-12h 50% dose 12h
Metronizadol 7.5 - 15 mg EV/PO 3 8h 8h 12h
Vancomicina 20 - 60 mg EV 2-4 24 - 72h 72/240h 240h
Anfotericina B 0.3 - 1 mg EV 1 24h 24h 24 - 48h
Fluconazol 3 - 12 mg PO/EV 1 24h 24h 50% dose 24h
Aciclovir 15 - 30 mg EV 3 8h 12-24h 24h
Ganciclovir 10 mg EV 2 12-24h 24-48h 48-72h
Furosemida 1 - 6 mg PO/EV 1-4 6-24h 6-24h 6-24h
Hidroclorotiazida 2 - 3 mg PO 2 12h 12h Evitar
0.1 - 0.3
Diazepam EV 1-2 12-24h 12-24h 12-24h
mg/kg dose
3 - 8 mg PO/EV 2-4 6-12h 6-12h 6-12h
Fenitoína
impreg. 15 - 20 EV 1 - - -
3 - 5 mg PO/EV 1-2 12-24h 12-24h 12-24h
Fenobarbital
impreg. 20 - 40 EV 1 - - -
50% dose
Aminofilina 16 - 20 mg PO/EV 3-4 6-8h Evitar
6-8h
10 - 15 PO/EV
Paracetamol 1-4 6-24h 6-24h 6-24h
mg/kg dose retal
75% dose 50% dose
Ranitidina 1 - 6 mg PO/EV 3-4 6-8h
8h 12h

Ref: Formulário de Pediatria. 3ª Edição. 2004


Prevenção da transmissão vertical do VIH

1) Situação controlada: TARV adequada durante a gestação e intraparto.


Terapêutica oral
RN de termo - Z DV até às 6-12 horas de vida (máx. 48 h) na dose de 4 mg/Kg dose, Q12
(meia hora antes ou 1 hora após as refeições), mantendo até às 4 semanas de vida.
RN PT - ZDV até às 6-12 horas de vida (máx. 48 h), ajustar a dose de acordo com a IG
IG (semanas) Dose Duração
2 mg/kg dose Q12 2 semanas
30 - 34 + +
2 mg/kg dose Q8 2 semanas
< 30 2 mg/kg dose Q12 4 semanas

Terapêutica EV
RN de termo - ZDV 1.5mg/Kg dose, Q6 durante 4 semanas.
RNPT - ZDV 1.5mg/Kg dose, Q12 durante 4 semanas.

2) Situações de elevado risco de transmissão


Risco Atuação no RN
A. Seroconversão materna durante ou após o trabalho
de parto; ZDV 4mg/Kg dose, Q12 - 4 semanas
B. Sem terapêutica prévia ou com TARV < 4 semanas; Lamivudina 2 mg/Kg dose, Q12 - 4 semanas
C. Carga viral >1.000 ou CD4 em declínio (<200) Nevirapina 4 mg/Kg/dia - 2 semanas
no 2º ou 3º trimestre.
Mãe que cumpriu protocolo de ZDV mas com outros
fatores de risco: Considerar TERAPÊUTICA TRIPLA
A. PT < 36 semanas; ZDV 4mg/Kg dose, Q12 - 4 semanas
B. RBA > 4 horas; Lamivudina 2 mg/Kg dose, Q12 - 4 semanas
C. Amnionite; Nevirapina 4 mg/Kg dia - 2 semanas
D. Descolamento placenta.
Considerar terapêutica tripla e consultar
Mãe com resistência antiretroviral
Infeciologista Pediátrico com experiência em VIH
NOTA: Fornecimento de leite de fórmula de acordo com a circular normativa da DGS nº 23/DSR de 29/12/09

Controlo do sindroma de abstinência em RN filho de mãe toxicodependente

• Monitorização, redução da estimulação e aconchego.


• Indicação para tratamento: escala de Finnegan ≥ 8 (3 x consecutivas) ou ≥ 12 (2 x consecutivas), convulsões,
vómitos incoercíveis ou desidratação.
• Tratamento farmacológico:
a) Diazepam: 0.3 – 0.5 mg/kg/dia Q6 (Q8), PO. Aumentar até máx de 0.8 mg/kg dose Q6
(ou controlo de sintomas). Após 1 semana, reduzir progressivamente (1/3 por semana).
Se convulsões dose de carga como habitual.
b) Solução oral de morfina: 0.08 – 0.2 mg/kg dose, Q8. Aumentar 0.02 mg/kg dose até controlo sintomas
(máx. 2 mg/kg dia). Após 72h de controlo reduzir diariamente 10% da dose.
Suspender quando a dose for < 0.08 mg/kg dose.
c) Cloropromazina: (se sintomas gastrointestinais) 1.5 – 3 mg/kg dia Q6 (IM/PO) 2 a 4 dias e depois diminuir.

Ref: Protocolos de Urgência de Pediatria. 4ª Edição ACSM - HSM.


Coordenação Nacional para a Infeção VIH/SIDA 2011.
sedação / analgesia

Sedação do RN

Tratamento não farmacológico


Efeito não  Presença dos pais / Redução estimulação ambiental
negligenciável
Benzodiazepina
Bólus: 0.05 – 0.15 mg/kg 2/4h, EV.
Início de ação (EV): 1-2 min
Dose perfusão:
0.01 – 0.06 mg/kg/h, EV
Pré-procedimento: 0.05 mg/kg dose, EV
PO: 0.25 mg/kg dose
Midazolam Se associação com opióide/sedativo reduzir a dose.
Reduzir lentamente após uso prolongado.
Se perfusão contínua risco de abstinência logo após 48h de uso.
Não usar em caso de hipotensão ou hipovolémia.
Se administração rápida risco de apneia.
(Alguns estudos associam a risco de lesão neurológica).
Efeitos adversos: depressão respiratória,
(excitação paradoxal), clonias.
Sedativo
 Útil para uso esporádico pré-procedimentos
NÃO DOLOROSOS (ex: TAC).
Dose: 25 - 75 mg/kg dose, PO Início acção: 10 - 15 min
Hidrato de Cloral e retal duração 2/4h
Efeitos adversos: agrava hiperbilirrubinémia, depressão SNC,
arritmias, falência renal.
Hipnótico
Cetamina 1 - 2 mg/kg dose, EV durante 1 mim
Antagonistas das benzodiazepinas
Flumazenilo 5 - 10 mcg/kg dose, EV

Ref: www.neofax.com
Analgesia no RN

• Objetivar a dor através de escalas de dor para RN. Sacarose oral para procedimentos minor. Importante tratamento
não farmacológico (contenção, sucção não nutritiva, pais). Medicação a horas certas (semi-vida do analgésico).
Tratamento precoce mais eficaz (requer doses mais baixas para controlo). Paracetamol e opióides potenciam-se
exigindo doses menos elevadas.

Paracetamol
Efeito de teto (+ dose não dá + analgesia), não dá dependência, privação ou tolerância.
Uso isolado na dor ligeira ou combinado com opioides na dor moderada a intensa.
RN termo: 10 - 15 mg/kg dose Q4 - Q6, PO (Q6 - Q8 retal).
Máx: 60 mg/kg/dia, PO e 90 mg/kg/dia retal
32 - 36 sem (< 10 dias vida): 10 - 15 mg/kg dose Q6 - Q8, PO. Máx: 60 mg/kg/dia
Paracetamol Retal: 15 mg/kg dose Q8
28 - 31 sem: 10 - 12 mg/kg Q6-Q8, PO. 20 mg/kg, Q12.
Máx: 40 mg/kg/dia, PO e retal
Paracetamol EV < 10 dias vida: 15 mg/kg, Q6.
(Propacetamol) ≥10 dias vida: 30 mg/kg dose, Q6 (máx. 120 mg/kg/dia)
Opióides
Sem efeito de teto. Com tolerância e dependência.
Efeitos secundários: náuseas, vómitos, obstipação, retenção urinária, depressão respiratória
(potência 1 e duração 4 – 5 h)
1ª dose de 0.025 mg/kg (5min) e repetir 0.025 mg/kg cada 10 min
EV: 0.05 – 0.1 mg/kg dose até analgesia ou efeitos secundários ou máx.
Q4 - Q8. (Essa dose será a que se dá a cada 4h).
Morfina Perfusão:
0.01 - 0.015 mg/kg/h Se perfusão contínua dar 1º bólus de 0.05 a 0.1 mg/kg
(se não o alívio só se atinge em 10 a 24h).
Não usar em RN com hipotensão ou < 26 semanas.
Uso na hipotermia (único testado) sem dose de carga e na dose de 0.01 mg/kg/h
(potência 50 - 100 e duração 30 minutos)
Muito potente, pouco sedativo e com menos efeitos secundários hemodinâmicos, é o fármaco de eleição para
pós-operatório, procedimentos dolorosos, dor intensa. 1ª escolha ECMO.
Monitorização cardiorespiratória.
Fentanilo Bólus: (ação rápida) Em doses altas principalmente se administração
(Pico 5 - 15 min - duração 2h). rápida pode provocar rigidez dos músculos
0.5 - 4 mcg/kg dose Q2-Q4, EV lento esqueléticos e diminuição da compliance pulmonar.
Perfusão: 1 - 5 mcg/kg/h
Se tolerância pode subir até 20 mcg/kg/h (> 6 dias)

Anestésicos locais
Lidocaína Sol 0.5 – 1 % - Máx. 0.5 ml/kg
Infiltração local.
(sem vasoconstrictor) Uso: suturas, drenos…
EMLA Aplicar 30 - 60 min antes do procedimento, com penso oclusivo
(Lidocaína/prilocaína – creme) Não se pode usar repetidamente (risco meta-hemoglobinémia) - Máx. 1 x/dia.
Antagonista dos opiódes
Naloxona 0.1 mg/kg, EV

Ref: www.neofax.com
CRS xx/xx/xx